Mercado

15

Jan

Mercado

IBGE aponta crescimento de quase 3% no comércio varejista

O volume de vendas do comércio varejista cresceu 2,9% na passagem de outubro para novembro de 2018. O dado é da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada hoje (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta veio depois de duas quedas: 0,7% de agosto para setembro e 1,1% de setembro para outubro.

O indicador também teve altas de 0,4% na média móvel trimestral, de 4,4% na comparação com novembro de 2017, de 2,5% no acumulado do ano e de 2,6% no acumulado de 12 meses.

Seis das oito atividades varejistas pesquisadas tiveram alta na passagem de outubro para novembro, com destaque para outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,9%), móveis e eletrodomésticos (5%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (2,8%), que foram beneficiados por promoções anunciadas em novembro.

Também tiveram alta os segmentos de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,7%), tecidos, vestuário e calçados (1,7%) e combustíveis e lubrificantes (0,1%).

Por outro lado, dois setores tiveram queda no volume de vendas: livros, jornais, revistas e papelaria (-1,9%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-0,2%).

O varejo ampliado, que também considera os segmentos de veículos e peças e de materiais de construção, teve crescimento de 1,5% de outubro para novembro. A alta foi menos intensa do que a do varejo por causa das quedas de 2,2% nos setores de veículos, motos, partes e peças e de 0,7% nos materiais de construção.

Na média móvel trimestral, o varejo ampliado teve queda de 0,1%, mas nas outras comparações teve alta: comparação com novembro (5,8%), acumulado do ano (5,4%) e acumulado em 12 meses (5,5%).

Receita nominal

A receita nominal do comércio varejistas teve alta de 2,7% na comparação com outubro de 2018, de 1% na média móvel trimestral, de 8,4% em relação a novembro de 2017, de 5% no acumulado do ano e de 4,8% no acumulado de 12 meses.

A receita nominal do varejo ampliado teve alta na comparação com outubro de 2018 (1,4%), na média móvel trimestral (0,2%), comparação com novembro de 2017 (9,2%), no acumulado do ano (7,3%) e no acumulado de 12 meses (7,1%).

Com informações da Agência Brasil

14

Jan

Mercado

Encontro Nacional vai discutir Turismo, Gastronomia e Negócios em Natal

m março Natal recebe o 33º Encontro Nacional Abrasel, o evento irá reunir os principais líderes empresariais do país no Hotel Wish Resort, localizado na Via Costeira, para compartilhar experiências e discutir as tendências do setor de alimentação fora do lar. A edição deste ano tem o tema “O negócio do turismo é a gastronomia”.

Para palestras e aulas-show estão sendo convidadas nomes de peso do cenário nacional e regional​ com o objetivo de ampliar o debate aproveitando da expertise de profissionais com grande experiencia em suas áreas de atuações.

O tema do evento é bastante pertinente e vem em um momento oportuno, em que empresários de bares e restaurantes precisam avaliar suas estratégias para atualizar seus negócios frente às novas demandas dos consumidores

Profissionais e estudantes da área de gastronomia e do segmento de bares e restaurantes podem se inscrever no site encontroabrasel.com.br.

12

Jan

Mercado

Governo discute recuperação da Barragem do Apanha Peixe, em Caraúbas

A recuperação de barragens é uma das prioridades do Governo do Estado neste início de ano. A do Apanha Peixe, em Caraúbas, com capacidade para até 10 milhões de metros cúbicos de água, é uma das estruturas que será recuperada por meio do projeto Governo Cidadão e Banco Mundial. Mesmo sem ainda ter assumido oficialmente a pasta de Gestão de Projetos, o deputado Fernando Mineiro articulou uma série de reuniões esta semana para agilizar a homologação do processo licitatório da Apanha Peixe, concluído em dezembro. A preocupação é iniciar as obras antes que o inverno chegue e comprometa ainda mais a estrutura da barragem.

Uma das reuniões capitaneadas pelo deputado foi com o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), João Maria Cavalcanti. A partir deste encontro e de contato telefônico com o prefeito Juninho, foram discutidas as providências iniciais e acertada a visita de uma equipe técnica da Semarh e projeto Governo Cidadão a Caraúbas, nesta próxima semana, para verificar in loco a situação da barragem. Na ocasião, a referida equipe vai reunir-se com o chefe do executivo daquele município. Para dar adiantamento, ontem mesmo (11), o articulador territorial do Governo Cidadão, Teófilo Fernandes, visitou a estrutura para ver a real situação.

"Nossa preocupação e da governadora Fátima é resolver certos entraves comuns a alguns processos de licitação que estão em curso. No caso da Apanha Peixe, nossa prioridade agora é analisar as razões da não homologação da licitação concluída em dezembro e encontrar a solução para esse problema o quanto antes, disse Mineiro.

As obras da Apanha Peixe estão orçadas em R$ 9,1 milhões e contam com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. O objetivo principal do investimento é recuperar a estrutura da barragem e garantir segurança para quando o reservatório estiver cheio, que nunca passou por uma manutenção em sua história recente.

9

Jan

Mercado

Endividamento: pesquisa aponta que brasileiros não consegue pagar gastos de início de ano com o que ganham

Apenas 9% dos brasileiros dizem que têm condições de pagar as despesas sazonais do início do ano com o próprio rendimento, mostra levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O levantamento considera despesas como o pagamento dos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do material escolar.

De acordo com a pesquisa, 11% dos entrevistados não fizeram planejamento financeiro para pagar tais compromissos neste início de ano. Foram entrevistadas 804 pessoas de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais, em todas as regiões brasileiras. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

Cresceu, por outro lado, o percentual de consumidores (21%, em 2017, para 31% em 2018) que juntaram dinheiro ao longo do ano passado para arcar com essas despesas típicas deste período. Um terço dos entrevistados disse ter guardado ao menos uma parte do13º salário para cobrir esses gastos, enquanto 24% abriram mão das compras de natal para economizar.

O levantamento aponta ainda que 19% fizeram algum bico ou trabalho extra para aumentar a renda e honrar esses compromissos.

Simulação

Para saber a melhor forma de pagar os impostos do início do ano, à vista com desconto ou parcelado, a CNDL e o SPC fizeram uma simulação. As entidades destacam que, para saber o que é mais vantajoso, é preciso avaliar se o desconto oferecido é maior do que o valor que esse dinheiro renderia caso estivesse em alguma aplicação financeira de fácil resgate. Cada estado e município têm regras próprias.

A simulação mostra que, no caso do IPVA, em estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde o imposto pode ser dividido em até três pagamentos, a quitação à vista tende a ser mais vantajosa. O desconto oferecido é de 3%.

Considerando um valor hipotético de R$ 1.200, o desconto resultaria em um abatimento de R$ 36 se fosse pago de uma única vez. Se a escolha fosse investir o valor do IPVA e sacar as parcelas a cada vencimento, o rendimento final seria de R$ 6, considerando uma aplicação com juros de 0,5% ao mês, equivalente a investimentos de renda fixa.

Fonte: Agência Brasil, disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-01/brasileiro-nao-consegue-pagar-gastos-de-inicio-do-ano-com-o-que-ganha

8

Jan

Mercado

Amazon ultrapassa Microsoft como empresa mais valiosa do mundo

A Amazon ultrapassou por pouco a Microsoft e se tornou a maior empresa de capital aberto do mundo, segundo a lista reordenada em Wall Street. Segundo dados da Bloomberg, as ações da empresa de comércio eletrônico subiram 3,4%, uma alta que rendeu uma capitalização de mercado de US$ 797 bilhões, ou R$ 2,97 trilhões. As informações são do Portal Tecmundo.

De acordo com o site, embora isso esteja abaixo do valor de mercado recorde da Amazon, que já superou US$ 1 trilhão no último mês de setembro, foi o suficiente para ultrapassar a Microsoft, que tem valor de US$ 789 bilhões, ou R$ 2,94 trilhões. As ações da Microsoft, as mais valiosas do mundo em novembro, subiram apenas 0,1% hoje.

A dona do primeiro lugar como empresa de capital aberto mais valiosa do mundo durante anos foi a Apple, que agora amarga um terceiro lugar distante atrás das duas primeiras. O valor de mercado da Maçã chega a US$ 702 bilhões, ou R$ 2,62 trilhões, bem abaixo de Amazon e Microsoft atualmente. Em setembro, a Apple atingiu o recorde de valor, tendo chegado a US$ 1,1 trilhão, ou R$ 4,1 trilhões.

Fonte:  Portal Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/137682-amazon-ultrapassa-microsoft-empresa-valiosa-mundo.htm

7

Jan

Mercado

Comitiva do RN vai à feira Vankatibeurs na Holanda para lançamento do voo Amsterdã/Natal

O Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), participará de uma das mais importantes feiras do mercado europeu - a "Vakantibeurs", em Utrech, na Holanda. O evento acontece de 09 a 13 de janeiro e terá como ponto alto para o Estado o lançamento do voo Amsterdã/Natal, previsto para começar a operar em novembro de 2019 com duas frequências semanais. Na ocasião, estarão presentes representantes da Embaixada do Brasil na Holanda.

Esta será a quarta participação do Estado potiguar, que levará estande próprio pela primeira vez. A secretária de Turismo do RN, Ana Maria da Costa, destacou que  a iniciativa é  resultado de uma ação estratégica dentro da proposta de desenvolvimento econômico do estado através do turismo, fomentador da cadeia produtiva local. “Essa ação já vem sendo planejada e discutida com o trade e viabilizada através de recursos do Projeto Governo Cidadão, com investimento no estande do Rio Grande do Norte”, disse Ana Maria.

O Governo do RN levará  material promocional dos seus cinco polos turísticos. Esses encartes destacarão as belezas naturais, além de artesanato e castanha de caju produzidos pelas cooperativas da agricultura familiar.

A secretaria da Setur assinalou ainda que o público visitante da feira tem em média 51 anos de idade e o gasto aproximado por participante é estimado em 3 mil euros. “A América Latina é o segundo destino mais procurado da Europa, atrás apenas da Ásia. Precisamos aproveitar esse cenário favorável”, finalizou ela.

Estarão representando o estado na feira a secretária de Turismo do RN, Ana Maria da Costa, e representantes da hotelaria e outras entidades do trade turístico potiguar.

7

Jan

Mercado

Detran amplia ações da Operação Verão com abordagem de mais de 1.600 motoristas em blitz

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) empregou na madrugada desse domingo (06), mais uma ação dentro da Operação Verão 2019, que é coordenada pelo Governo do Estado. A fiscalização realizada pelos policiais da Operação Lei Seca foi montada na Rota do Sol e averiguou cerca de 1.600 condutores e veículos que circularam na via durante a madrugada.

A ação encampada pelo Detran, por meio da Operação Lei Seca, teve o objetivo de evitar que motoristas embriagados venham a dirigir veículos automotores e possibilitem a ocorrência de acidentes de trânsito. Outro ponto importante da fiscalização é manter a área do litoral segura, evitando delitos relacionados a roubo de automóveis e outros tipos de crimes.

“Optamos por montar a fiscalização na Rota do Sol por ser uma importante via de acesso as praias do litoral Sul que nessa época do ano se torna extremamente movimentada devido ao período de veraneio e de eventos organizados na região”, explicou o oficial da Lei Seca, major Charleson.

Durante a fiscalização foi possível flagrar 18 motoristas conduzindo veículo sob efeito de bebida alcóolica, sendo um deles preso por se enquadrar na lei de crime de trânsito. Nessa situação, além das medidas administrativas de multa e perda do direito dirigir por um ano, o condutor responde a processo na esfera criminal.

As abordagens coordenadas pelo Detran não se limitam a fiscalização das normas estabelecidas pela Lei Seca. Os condutores fiscalizados tiveram a documentação pessoal de habilitação e a dos veículos averiguadas pelos policiais. A iniciativa busca também combater o roubo de automóveis na capital.

O motorista flagrado dirigindo embriagado é punido com retenção da CNH, apreensão do veículo, que só será liberado com a presença de um condutor habilitado, multa no valor de R$2.934,70 e sete pontos na carteira, além de outras penalidades administrativas (artigo 165 CTB). Isso se o teste de bafômetro acusar até 0,33 mg/l de álcool por litro de sangue no organismo ou se ele se recusar a fazê-lo.

Se o teste acusar a partir de 0,34 mg/l, ou se ele se recusar a fazê-lo, mas apresentar sinais visíveis de embriaguez, além de responder nos termos do artigo 165, vai ser enquadrado no artigo 306 (crime de trânsito): será preso e conduzido à Delegacia de Polícia, onde será iniciado o devido processo legal, respondendo pelo crime que prevê a punição de seis meses a três anos de prisão.

4

Jan

Mercado

Prêmio Revista Elas por Ela vai reconhecer o trabalho de “mulheres inspiradoras”

Está confirmada para o dia 24 de janeiro a primeira edição do Prêmio Revista Elas por Ela, que premiará mulheres que fazem história como profissionais e atuaram na mudança da realidade no entorno em que convivem.

O evento será realizado no auditório do CTGás, em Natal, e contará com a presença de 40 mulheres que se destacaram em 2018. “A ideia é divulgar o trabalho do público feminino apresentando personalidades inspiradoras”, afirma a idealizadora do prêmio, Kalina Veloso.

Entre as homenageadas, estão a conselheira federal que é representante do Brasil no consulado em Roma, Edilene Vasconcelos Giustini e ex-ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, que virão a Natal para a solenidade. 

4

Jan

Mercado

Varejistas iniciam liquidações de janeiro para impulsionar vendas do 1º trimestre

Passada a temporada de compras de Natal, redes varejistas no Brasil se movimentam para liquidar os estoques remanescentes com ações promocionais tanto no comércio eletrônico quanto nas lojas físicas a partir desta semana, visando impulsionar as vendas e compensar a ausência de eventos sazonais no primeiro trimestre do ano.

Uma das redes que faz promoções neste início de ano é o Magazine Luiza, que nesta quinta-feira (3) fechou todas as 937 lojas espalhadas pelo Brasil em preparação para a chamada “Liquidação Fantástica” na sexta-feira (4), que promete descontos que podem chegar a 70%.

“Temos este ano 20% a mais de estoque em relação ao ano passado e faremos a promoção em todas as lojas, incluindo as 100 que abrimos no ano passado e participarão da liquidação pela primeira vez”, disse à Reuters o vice-presidente comercial e de operações da Magazine Luiza, Fabrício Bittar Garcia.

Segundo ele, a companhia espera comercializar o equivalente a 15 dias de venda nesta sexta-feira e filas de consumidores já devem começar a se formar em algumas lojas do interior do Estado de São Paulo e do Nordeste a partir desta quinta-feira.

“Tem pessoas que ficam mais de 20 horas na fila… Esperamos bom crescimento em relação ao ano passado e teremos mais de 8 mil (funcionários) intermitentes nas lojas para ajudar nesse dia”, comentou o executivo, acrescentando que as promoções começam nas lojas às 6h da manhã e no aplicativo e site do grupo entre 8h e 9h de sexta-feira. Garcia não quis especificar o percentual de alta de vendas observado na liquidação em 2018, mas citou expansão de dois dígitos.

As ações das redes acontecem depois de uma temporada de compras de fim de ano relativamente positiva para o varejo nacional. No fim de dezembro, a entidade que representa shopping centers do país, Abrasce, citou alta de 9,3% nas vendas no Natal. Enquanto isso, a empresa de pesquisa de mercado Ebit|Nielsen, apontou aumento de 13,5% nas vendas natalinas do comércio eletrônico nacional.

A B2W, grupo de comércio eletrônico que opera sob as marcas Americanas.com, Submarino e Shoptime, também inicia a partir desta quinta-feira promoções de até 60%. Mais de 1.360 lojas físicas da controladora da B2W, a Lojas Americanas, em todo o país também oferecerão descontos entre 4 e 7 de janeiro. Outra varejista que promove ações promocionais em janeiro é a Via Varejo, dona das bandeiras Casas Bahia e Ponto Frio, que anteciparam o início das ofertas para 2 de janeiro.

Com descontos de até 70%, a companhia controlada pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA) ainda abrirá as lojas a partir das 6h da manhã de sexta-feira. As ações da Magazine Luiza encerraram o último ano com a maior valorização do Ibovespa, depois de altas de cerca de 500% em 2017 e em 2016, enquanto as da B2W acumularam ganho de cerca de 105% em 2018. Na contramão, Via Varejo perdeu mais de 40% no ano passado.

Fonte: Reuters, via Fercomércio

2

Jan

Mercado

Brasileiro quer juntar dinheiro para pagar dívidas, revela pesquisa

Pesquisa divulgada hoje (2) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que as principais metas financeiras do brasileiro para 2019 são juntar dinheiro para pagar dívidas.

Segundo a pesquisa, 51% do total dos entrevistados pretende juntar dinheiro em 2019 e 37% e "sair do vermelho". Sete em cada dez entrevistados (72%) dizem estar otimistas com a economia neste ano e que a vida financeira será melhor, enquanto 8% do total revela pessimismo, dizendo que a economia vai piorar.

“À medida em que o novo governo anuncia seus projetos para o país, aumenta o clima de otimismo com a retomada da economia, que deve começar a ser percebido a partir do segundo semestre”, disse José César da Costa, presidente da CNDL.

Entre os otimistas, as perspectivas para este ano são manter os pagamentos das contas em dia (69%), fazer reserva financeira (59%) e realizar algum sonho de consumo (57%).

Foram entrevistadas 702 pessoas, entre os dias 27 de novembro e 10 de dezembro de 2018, de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais, em todas as regiões brasileiras.

Crise

Seis em cada dez entrevistados (58%) acreditam que os efeitos da crise terão impacto ainda neste ano. Para evitar o impacto dela no cotidiano, os entrevistados dizem que pretendem organizar ou controlar mais as contas da casa (51%), pesquisar mais os preços (50%), aumentar a renda com trabalho extra e bicos (44%) e evitar o uso do cartão de crédito (44%).

Temores

Entre os principais temores para este novo ano foram citados: não conseguir pagar as contas (61%), não guardar dinheiro (45%), abrir mão de determinados confortos no dia a dia (34%), não obter um emprego (28%) e perder o emprego (20%).

“Apesar de os brasileiros continuarem sentindo os efeitos da crise, a possibilidade de crescimento da economia impõe novos desafios para o sucesso de projetos pessoais, que passará pela capacidade do consumidor de controlar o orçamento, planejar e poupar”, disse Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil.

Com informações da Agência Brasil

2

Jan

Mercado

Quais são as 10 maiores empresas do ecommerce brasileiro? Confira o ranking

A Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) divulga a quarta edição do ranking de 50 maiores empresas do e-commerce brasileiro, com dados e análise realizados com apoio técnico da BTR-Educação e Consultoria, Varese Retail e Centro de Estudo e a Pesquisa de Varejo (CEPEV — USP). As varejistas listadas apresentaram um crescimento de 8,74% nas vendas, enquanto o setor online como um todo teve uma alta de 7,5% (dados Ebit).

As 50 tiveram um faturamento bruto de R$ 36,2 bilhões, o equivalente a 75,89% de todo o e-commerce brasileiro em 2017. Dessas, 36 oferecem comércio multicanal e 14 são do setor de operações. As 10 maiores somam R$ 29,91 bilhões em vendas, o que representa 62,7% do comércio eletrônico no País.

Oito das listadas tiveram, em 2017, um aumento nas vendas acima de 100%. As líderes nesse quesito foram Carrefour, Livraria Cultura e Supermercados Mambo — embora a Livraria Cultura esteja encerrando unidades e realizando recuperação judicial. Confira abaixo as 10 maiores varejistas brasileiras:

1 B2W Digital (R$ 8.763.600.00,00)
2 Via Varejo (R$ 8.849.000.000,00)
3  Magazine Luiza (R$ 4.353.615.616,00)
4  Walmart Brasil (R$ 3.000.000.000,00)
5  Grupo NetShoes (R$ 2.600.000.000,00)
6  Máquina de Vendas (R$ 2.280.000.00,00)
7  Carrefour (R$ 1.752.750.900,00)
8  GFG LatAm  (R$ 1.100.000.000,00)
9 Saraiva (R$ 708.153.000,00)
10 Privalia (R$ 500.000.000,00)

Fonte: Portal TechMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/137513-10-maiores-empresas-ecommerce-brasileiro-confira-ranking.htm

2

Jan

Mercado

Confiança Empresarial atinge maior nível desde março de 2014, diz FGV

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) subiu 1,0 ponto em dezembro, indo a 95,9 pontos, o maior nível desde os 97,8 de março de 2014. Na métrica de médias móveis trimestrais, o índice avançou 1,9 ponto.

Os dados fazem parte da Sondagens de Índices de Confiança Empresarial, e foram divulgados hoje (2), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE).

O ICE consolida os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas Sondagens Empresariais produzidas pela FGV IBRE: indústria, serviços, comércio e construção. Os dados indicam que o Índice de Situação Atual (ISA) subiu 1,1 ponto, para 91,2, o maior valor desde os 92,8 pontos de junho de 2014.

Já o Índice de Expectativas (IE-E) avançou 0,2 ponto, indo para 101,0. É segundo mês consecutivo em que o IE-E ultrapassa 100 pontos.

Na avaliação do superintendente de Estatísticas Públicas da FGV, Aloisio Campelo Jr., o índice de confiança do empresariado vem se aproximando da normalidade. “Após a terceira alta consecutiva, a confiança empresarial se aproxima de níveis que retratam uma situação de normalidade” disse.

Para ele, a segunda boa notícia de dezembro foi que o índice que mede a percepção sobre o momento atual (ISA) avançou mais que o índice de expectativas (IE), “o que acontece pela primeira vez desde julho de 2018”.

O economista afirmou, porém, que, apesar dessas constatações, “a distância ainda superior a 15 pontos entre ISA e IE no comércio e na construção sugere que os ganhos recentes da confiança devem ser explicados por uma efetiva melhora gradual do ambiente econômico, mas também pelo efeito favorável do fim do período eleitoral sobre as expectativas”.

Confiança por setores

O estudo da FGV indica, ainda, que, pelo segundo mês consecutivo, houve aumento da confiança na margem em todos os setores que integram o ICE.

Já na métrica de média móveis trimestrais, a variação foi negativa apenas na indústria, com queda de 0,4 ponto. Com expressiva alta no mês, a confiança do comércio passa dos 100 pontos pela primeira vez desde março de 2014.

A indústria e os serviços avançaram menos e apresentam agora níveis de confiança muito próximos entre si. Já a confiança da construção subiu pelo quarto mês consecutivo, mas continua sendo a mais baixa entre os quatro setores.

Difusão da Confiança

Em dezembro, houve alta da confiança em 65% dos 49 segmentos que integram o Índice de Confiança Empresarial. No mês passado, no entanto, a alta havia alcançado 84% dos segmentos. Para a edição de novembro de 2018, foram coletadas informações de 4.701 empresas entre os dias 3 e 21 de dezembro. A próxima divulgação do ICE será no dia 31 de janeiro.

27

Dez

Mercado

Comércio eletrônico brasileiro tem aumento de 13,5% em vendas de Natal

Segundo um relatório feito pela Ebit|Nielsen, o comércio eletrônico vendeu cerca de R$ 9,9 bilhões no Brasil durante o período de Natal de 2018. Em comparação com o ano de 2017, isso representa um aumento de 13,5%, com um crescimento de 5,2% na quantidade de pedidos (20,1 milhões no total) e de 8% no ticket médio, que somou R$ 493.

O registro dessas vendas no comércio eletrônico foi feito entre os dias 15 de novembro e 24 de dezembro, incluindo o período de vendas com desconto da Black Friday. Entre os produtos mais comprados nesse fim de ano estão eletrodomésticos, perfumaria e cosméticos, moda e acessórios, casa e decoração, e telefonia e celulares.

"O varejo está cada vez mais preparado para as vendas online. Os atores estão investindo em tecnologia e disponibilizando mais informações sobre os produtos", disse em nota a diretora comercial da Ebit|Nielsen, Ana Szasz.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) também apontaram crescimento de 2,66% nas vendas a prazo no Natal no Brasil, na comparação com 2017, o melhor resultado para o período desde 2013.

Fonte: Portal TechMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/137475-comercio-eletronico-brasileiro-tem-aumento-13-5-vendas-natal.htm

27

Dez

Mercado

Indústria aposta em aumento do consumo e do emprego nos próximos seis meses, segundo CNI

Os industriais brasileiros esperam o aumento da demanda, da compra de matérias-primas, do número de empregados e das exportações nos próximos seis meses, informa a Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Todos os indicadores de expectativas da pesquisa aumentaram pelo segundo mês consecutivo e ficaram acima da linha divisória dos 50 pontos, indicando que os empresários estão otimistas com o futuro próximo.

 “As perspectivas são mais otimistas que no final de 2017”, diz a pesquisa. A melhora das expectativas ocorre porque o país voltou a discutir as reformas que são decisivas para estimular a atividade, explica o economista da CNI Marcelo Azevedo. “A possibilidade de que as reformas sejam encaminhadas e tenham alguma evolução no início do próximo ano anima os empresários”, diz Azevedo. 

Diante desse cenário, o indicador de intenção de investimento aumentou 0,5 ponto na comparação com novembro e alcançou 55,5 pontos neste mês, o maior valor registrado desde abril de 2014. A disposição para investir é maior nas grandes empresas, segmento em que o indicador ficou em 62,9 pontos, muito acima dos 51,6 pontos registrados nas médias empresas e dos 44,8 pontos das pequenas. 

PRODUÇÃO E EMPREGO EM QUEDA – No entanto, a atividade industrial continua em ritmo lento. “O desempenho da indústria foi fraco, como é tradicional para o mês de novembro”, observa Azevedo. O índice de evolução da produção ficou em 48,3 pontos e, o de número de empregados, foi de 49,1 pontos. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando ficam abaixo dos 50 pontos, mostram queda da produção e do emprego. 

Com isso, a utilização da capacidade instalada ficou estável em 69%. A ociosidade é menor nas grandes empresas, onde a utilização da capacidade instalada alcançou 73% em novembro. Nas pequenas ficou em 62% e, nas médias, em 67%.  “Embora em melhor patamar que em anos anteriores, a utilização da capacidade instalada ainda está distante do usual”, diz a Sondagem Industrial. 

O dado positivo, observa a CNI, é o nível de estoques em relação ao planejado, que caiu de 50,8 pontos em outubro para 50,2 pontos em novembro. Isso indica que os estoques estão muito próximos do planejado pelos empresários. Esta edição da Sondagem Industrial foi feita entre 3 e 12 de dezembro com 1.961 empresas. Dessas, 813 são pequenas, 699 são médias e 449 são de grande porte. 

Fonte: Agência de Notícias CNI, disponível em: https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/economia/industria-espera-aumento-do-consumo-e-do-emprego-nos-proximos-seis-meses-informa-cni/ 

26

Dez

Mercado

Pesquisa aponta que confiança do consumidor brasileiro é a maior desde 2013

Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) aumentou 0,6% na comparação com novembro e atingiu 114,3 pontos em dezembro. Com a sexta alta consecutiva, o indicador alcançou o maior valor desde março de 2013 e ficou acima da média histórica, que é de 107,8 pontos, informa a pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira (19). O INEC deste mês é 13,7% maior do que o registrado em dezembro do ano passado. 

O otimismo dos brasileiros é resultado da melhora das expectativas em relação à inflação, ao emprego, à renda pessoal e à situação financeira. “Em relação a novembro, o indicador de endividamento é o único que recua em dezembro, com queda de 0,3%, mostrando que o consumidor avalia que está mais endividado”, diz a pesquisa. O indicador de expectativas de compras de maior valor ficou estável na comparação com novembro e está 2,5% abaixo do registrado em dezembro do ano passado. Isso mostra que os brasileiros estão pouco dispostos a fazer compras de maior valor, como móveis e eletrodomésticos, nos próximos seis meses. 

De acordo com a pesquisa, o indicador de expectativa em relação à inflação aumentou 1,8%, o de desemprego subiu 1,1%, o de renda pessoal cresceu 0,1%, e o da situação financeira teve expansão de 1,1% em relação a novembro. Isso mostra que os consumidores esperam a queda da inflação e do desemprego, a melhora da renda pessoal e da situação financeira nos próximos seis meses. 

O INEC antecipa tendências da economia. Consumidores otimistas têm mais disposição para fazer compras. Isso aquece o consumo e estimula as empresas a investir na produção, o que é decisivo para o crescimento da economia e para a geração de empregos. Esta edição do INEC, feito em parceria com o Ibope-Inteligência, ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre 29 de novembro e 2 de dezembro.