Mercado

22

Mai

Mercado

Novo serviço no RN oferece planos para recuperação de empresas em meio à crise

A partir desta semana, empresas potiguares passam a ter à sua disposição um serviço especializado em promover a reestruturação e recuperação financeira de empresas afetadas pela crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19. O novo produto, que envolve todos os setores das empresas, será oferecido pelo consórcio jurídico C5, formado por cinco escritórios de advocacia radicados em Natal.

A associação de forças reúne especialidades em assessoria jurídica nas áreas empresarial, trabalhista, previdenciária, tributária e administrativa. Dessa forma, os serviços são prestados de maneira integrada, com foco na reestruturação e na recuperação judicial, ofertando meios para que as empresas possam dar fluidez ao seu caixa com medidas como a suspensão de pagamento de contratos, atos executórios de dívidas fiscais e trabalhistas.

Integram o C5 os escritórios Maranhão Advogados, DMD Advogados, Marcílio Mesquita, Florentino Advogados e Silva de Medeiros Advogados, que constituíram o Instituto Brasileiro Empreender Jurídico (IBEJ) para estabelecer padrões de atendimento e processos deste consórcio. O C5 nasce como uma das maiores bancas advocatícias do RN, congregando cerca de 30 advogados.

Dentro do planejamento de reestruturação das empresas, há etapas voltadas ao levantamento de crédito, redimensionamento fiscal, trabalhista e contratual. Caso haja obstáculos a alguma delas, integra-se a recuperação judicial, que visa a dar segurança administrativa-financeira, como a elaboração de plano de pagamento das dívidas, a suspensão de cobranças e a preservação do patrimônio, através de meios jurídico-processuais que impeçam a penhora de bens essenciais ao processo de restauração dos negócios. 

“A nossa proposta é prestar auxílio completo às empresas em questões de ordem legal. Temos remédio jurídico para que empresas e grupos empresariais disponham não apenas de condições para salvar o negócio e se reerguer, após serem atingidos por uma grave crise financeira, como também de continuarem operando, mantendo a geração de riqueza e renda, a preservação dos empregos, pagando em dia compromissos com funcionários e parceiros, buscando seu crescimento e até atraindo novos investimentos”, explica o advogado Igor Medeiros, um dos diretores do IBEJ.

O quadro de aguda recessão econômica provocado pela Covid-19 vem tendo efeitos devastadores para empresas de todo o mundo. O Rio Grande do Norte não foge desse contexto. Setores sólidos na economia local, como os de hotelaria, transporte público, saúde, bares e restaurantes estão sendo seriamente afetados. Muitas dessas empresas já estão em entendimento com o Grupo C5.

21

Mai

Mercado

Depois do sucesso no dia das mães, shopping mantém vendas drive thru

Por conta do isolamento social, os shoppings estão vendo o caminho para o ambiente online como a alternativa para seguir com os negócios de suas operações em funcionamento. A tendência, que já se configurava antes da pandemia como uma escolha acertada de muitas marcas ao redor do planeta, agora aparece de forma clara como o modelo a ser seguido. E, as marcas em nível local que apresentavam resistência em ingressar no mundo das vendas virtuais correm para se adaptar à nova realidade.

Para auxiliar as operações a estreitar os laços com seus clientes no ambiente online, a Ancar Ivanhoe, uma das maiores empresas de shoppings centers do país – administradora do Natal Shopping, está colocando em prática uma série de ações. Entre elas, oferecer apoio aos lojistas para incrementar as vendas online, digitalizar os estoques e oferecer alternativas de plataformas para o e-commerce. Outras medidas estão sendo tomadas para incrementar ainda mais as vendas online dos lojistas da rede.

No Natal Shopping, o esquema de entregas por drive thru segue desde o período de vendas para o Dia das Mães e, como em todos os shoppings administrados pela Ancar Ivanhoe, foi adotado como um sistema fixo, assim como o delivery e take away.  

Para Diego Marcondes, head de Marketing da Ancar Ivanhoe, a proposta é oferecer a integração de soluções já existentes a novas ideias. “Esse é um modelo de negócio que gera valor para os lojistas, que passam a encontrar nos shoppings uma parceria estratégica para a logística na etapa final da entrega de produtos comprados online”.

O intuito é disponibilizar facilidade de compra, entrega eficaz e pagamento digital, com a confiança e eficiência que os clientes que visitam diariamente os empreendimentos da rede já estão acostumados.

O cliente faz a compra pelo meio digital de cada uma das operações e escolhe a forma como deseja receber a mercadoria: ou agenda a entrega pelo drive thru, que no Natal Shopping está montado no estacionamento VIP, ou combina o recebimento pelo delivery.

Antes de chegarem às mãos do consumidor, todos os produtos são rigorosamente higienizados pelo vendedor, que efetua a entrega utilizando máscara de proteção, sem que o cliente saia do carro. Já a entrega de produtos de grande porte é realizada nas docas, em horário previamente combinado com a marca.

As lojas que aderiram ao drive thru estão disponíveis no site do Natal Shopping: https://www.natalshopping.com.br/. Entre elas estão a American News, Arezzo, Soff, Bel Cosméticos, Colchões Ortobom, Crocs, Gregory, La Femme, MAC, Phone.com, Mundo Verde, San Paolo, Zinzane e Shoulder. 

20

Mai

Mercado

Workshop online sobre Cosméticos abre inscrições

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu inscrições gratuitas nesta terça-feira, 19, para o II Workshop Diversidades Potiguares e Suas Aplicações na Área Cosmética. O procedimento pode ser realizado até a próxima segunda-feira, 25, através do endereço. A programação compreende palestras e apresentações de projetos que abrangem ofertas de produtos e de serviços relacionados à área e, a exemplo do primeiro workshop, será veiculada on-line no dia 27 de maio, a partir das 8h30.

II Workshop Diversidades Potiguares e Suas Aplicações na Área Cosmética trará pesquisadores, projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação relacionados ao tema e que atenderam aos requisitos da II chamada pública conjunta da Agência de Inovação, Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

20

Mai

Mercado

Micro e pequenas empresas são beneficiadas com lei de incentivo

O Governo Federal publicou nesta terça-feira (19) a lei n° 13.999/2020 que institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), disponibilizando um crédito de R$ 15,9 bilhões. O objetivo é desenvolver e fortalecer os pequenos negócios no país, garantindo recursos para que essas empresas possam permanecer no mercado e assegurar empregos durante a crise provocada pelo novo coronavírus.

Estão asseguradas pelo Pronampe as micro e pequenas empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano. De acordo com Daniel Carvalho, contador e sócio da Rui Cadete Consultores,  “a lei prevê a concessão de até 30% da receita bruta anual calculada com base no ano de 2019, com exceção das empresas que tenham menos de um ano de funcionamento. Nesses casos, o limite do empréstimo a ser concedido será de até 50% do seu capital social ou até 30% da média de faturamento mensal desde o início de suas atividades”. o especialista esclarece ainda que os empréstimos poderão ser ofertados pelo Banco do Brasil e por qualquer outro banco com autorização do Banco Central.

As empresas que optarem por aderir ao incentivo, Daniel Carvalho explica, assumirão, por meio de contrato, a obrigação de manter o número de empregados igual ou superior à quantidade apurada no dia 19 de maio de 2020, até 60 dias depois do recebimento da última parcela do subsídio. “É uma ótima oportunidade para que os micro e pequenos empreendedores possam investir em seus negócios e fomentar a economia local”, aponta Daniel.

A taxa de juros anual máxima será igual à taxa do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), que hoje é de 3%, mais 1,25% sobre o valor concedido à empresa. O prazo para efetuar o pagamento desse empréstimo será de 36 meses. “Vale ressaltar que a concessão desse crédito está livre dos seguintes requisitos: Certidão de Quitação Trabalhista; Certidão da Justiça Eleitoral; Certificado de Regularidade do FGTS; Certidão Negativa de Débito e da Consulta prévia ao Cadin”, esclarece Carvalho. 

19

Mai

Mercado

Tendência de mercado, cashback chega a Natal para movimentar vendas online

Em português, cashback significa “dinheiro de volta” e é uma tendência de mercado que tem incentivado os consumidores a fazer compras em estabelecimentos parceiros. Uma vez que a compra em um parceiro é efetivada, surge uma mensagem informando que ela rendeu parte do dinheiro de volta, mostrando também o percentual e o valor em reais.

A ideia do sistema é fidelizar clientes e aumentar o faturamento com a adesão de novos usuários à plataforma, contribuindo para o crescimento do varejo de modo geral, papel importante para o desenvolvimento econômico brasileiro e regional.  Uma das dúvidas que pairam entre os consumidores é sobre a segurança do sistema, além do medo de burocracias ou de o bônus prometido não ser real.

O diretor de marketing do Koinz, plataforma potiguar recém-lançada e que trabalha com esse segmento de mercado, explica que essas ideias precisam ser desmitificadas. “Não é preciso ter medo, pois o bônus de cada compra em lojas parceiras fica imediatamente disponível. Com o Koinz, é muito simples visualizar os bônus já ganhos, de quais lojas eles são e usá-los nas suas próximas compras”, assegura Giovanni Magnus.

No caso da plataforma local, o dinheiro de volta fica disponível no app imediatamente a cada compra realizada na máquina Koinz e esse não é o único benefício oferecido. No Koinz, ao fazer indicações para amigos, os usuário também ganham.

“Quando um usuário indica alguém e essa pessoa faz o cadastro no app, ele ganha R$ 5 de dinheiro disponível e quando a pessoa indicada recebe cashback, quem indicou também ganha cerca de 14% do valor correspondente, ou seja, é um ecossistema em que todos ganham", destaca Giovanni Magnus.

Existente nos Estados Unidos desde 1990, no Brasil o cashback é uma prática recente, com cerca de cinco anos, e ganhou visibilidade com o surgimento do e-commerce, com as carteiras virtuais. Essa percepção se consolidou quando, em meio à crise, o vendedor se viu obrigado a procurar outras alternativas para atrair o comprador e, a partir daí, houve uma maior adesão dos varejistas a esse tipo de programa. 

Giovanni conta que o uso do aplicativo é simples: ao baixar em seu celular e ativar o cadastro, basta informar o CPF na hora de pagar as compras com cartão, de crédito ou débito e parte do valor gasto é automaticamente recuperado, podendo ser usado novamente no mesmo ou em qualquer outro local parceiro do Koinz. “Com isso, os clientes têm a vantagem de lucrar independentemente do tipo de produto ou empresa parceira”, explica.

Primeiros usuários se mostram satisfeitos

Através das avaliações do Koinz nas lojas de aplicativos, é possível visualizar o feedback de alguns usuários. Até o momento, a empresa acumula ótimas notas. “Comprei ração para meu cachorro, ganhei um percentual de volta em saldo para o app, onde eu posso usar em qualquer estabelecimento da plataforma”, escreveu um consumidor. “Fui abastecer e ganhei dinheiro de volta”, avaliou outro usuário.

No Koinz, além da porcentagem padrão dos cashbacks, são ofertadas campanhas diárias de porcentagens mais específicas de dinheiro de volta, que chegam a devolver maiores valores ao consumidor através de uma plataforma inteligente de acompanhamento de seus clientes. Com esses atrativos periódicos, os consumidores se tornam fiéis aos estabelecimentos parceiros para novas aquisições.

Para fazer parte da Koinz e ganhar cashbacks, basta fazer o download do aplicativo no Google Play Store, Apple Store ou em http://www.koinz.com.br/download-do-app.

19

Mai

Mercado

Pesquisa: trabalhadores sentem-se inseguros no cenário pós-pandemia

Além de avivar temores relativos à saúde, a pandemia da covid-19 aumentou a insegurança quanto à esfera profissional. De acordo com sondagem produzida pela consultoria de recrutamento Talenses Group, em parceria com a Fundação Dom Cabral, quase metade (47,6%) das pessoas sente medo do cenário pós-pandemia, em relação ao mercado de trabalho.

O levantamento considerou as avaliações de 1.294 trabalhadores, ouvidos em abril. Em novembro de 2019, quando a abrangência era de 778 entrevistados e a covid-19 ainda não afetava todo o globo, a proporção daqueles que manifestaram apreensão quanto ao futuro profissional era de 19,4%. Apesar do receio do porvir, 83,2% dos entrevistados da pesquisa mais recente julgam estar preparados para enfrentar os desafios que poderão surgir pelo caminho.

No ano passado, a taxa era de 74,6%. A pesquisa quis saber se os profissionais têm se capacitado para incorporar novos modelos de trabalho. Em novembro, a parcela que respondeu que sim chegou a 81,7% em 2019 e a 80,7% neste ano. Outro aspecto revelado diz respeito à compreensão que os profissionais têm, especificamente quanto ao ramo em que estão empregados.

Em ambos os levantamentos, a maioria acredita que seu setor será "altamente impactado" por reestruturações em curto ou médio prazo. Em novembro de 2019, a porcentagem era de 79% e, em abril deste ano, de 73%. Em ambas as sondagens, predomina o entendimento de que as transformações no âmbito profissional chegarão rapidamente, em curto ou médio prazo. Nessa questão, o índice subiu de 82,2% para 95,4%.

Tendo em vista que a condição de pandemia foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) somente em 11 de março deste ano, uma série de perguntas consta apenas do levantamento mais recente. Na primeira delas, aborda-se a percepção quanto ao uso de recursos tecnológicos para se acelerar a retomada da economia. Quase a totalidade (92,8%) dos entrevistados respondeu afirmativamente.

Fonte: Agência Brasil

18

Mai

Mercado

Em tempo de pandemia, Casa Durval Paiva busca novos mantenedores

A crise decorrente da pandemia do novo Coronavirus alcança a todos. Por isso, as Ongs que dependem exclusivamente de doações da sociedade, buscam alternativas para continuar mantendo os serviços. 

Este é o caso da Casa Durval Paiva, referência há 25 anos na luta contra o câncer infanto juvenil no RN, que está buscando novos mantenedores para dar continuidade ao acolhimento e suporte aos pacientes e seus familiares, quando do tratamento em Natal. Por lá já passaram 1.601 crianças e adolescentes. 

Hoje, 221 estão em tratamento, vindos de 133 cidades do RN, Paraíba, Ceará, Piauí e Sergipe. Quem quiser, pode ajudar com qualquer quantia, através de transferência, boleto bancário ou depósito no Banco do Brasil Ag.: 2870-3 Conta: 5918-8; Caixa Econômica: Ag.: 4883 Conta: 10-5 Operação: 003 ou ainda pela Central de Doações, pelo telefone (84) 4006-1600.

14

Mai

Mercado

Revisão do Plano Diretor de Natal cumpre nova etapa

Mesmo com as restrições causadas pelas medidas de isolamento social em virtude da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Natal segue com as ações voltadas para retomar a revisão do Plano Diretor da Cidade. A etapa atual iniciou nesta quinta-feira (14) e vai até o próximo dia 17/05 e marca a abertura das inscrições para os eleitores que farão a escolha dos delegados para a Conferência Final do Processo de Revisão do Plano Diretor de Natal (PDN). A eleição também chamada de Pré-Conferência será virtual e acontecerá nos dias 22, 23 e 24 de maio de 2020.

Os interessados em participar da eleição para a escolha dos delegados devem preencher o formulário disponível na página do Concidade pelo endereço eletrônico: https://www.natal.rn.gov.br/segap/paginas/ctd-1044.html . No ato da inscrição, o interessado deve anexar os seguintes documentos: cópia do RG e CPF, comprovante de endereço e comprovante de vinculação ao segmento que participa.

Para pleitear o cargo de eleitor, os interessados devem seguir os seguintes critérios: qualquer pessoa maior de 18 anos, que possua residência comprovada em Natal e que seja vinculado a um dos segmentos dispostos no Regimento Geral do Plano Diretor e na Resolução nº 03/2020, publicada no Diário Oficial do Município (DOM), no último dia 6 de maio. Os segmentos são Movimentos Populares, Organizações não governamentais com atuação na área do desenvolvimento urbano e ambiental, entidades profissionais, acadêmicas e de pesquisa e Conselhos profissionais, empresários relacionados à produção e ao financiamento do desenvolvimento urbano e trabalhadores por suas instituições sindicais.

Cada eleitor será credenciado por apenas um segmento e poderá votar uma única vez tão somente nos candidatos deste mesmo segmento, limitado a quantidade de vagas disponíveis. Os eleitores, cujas inscrições forem homologadas pela Comissão Eleitoral, receberão as orientações e os respectivos Códigos de Acesso ao Sistema de votação, por e-mail. Todos os candidatos a delegado já são eleitores natos, não precisando, portanto, realizar nova inscrição. A resolução pode ser acessada pelo endereço: https://bit.ly/resolucaoconcidade3 . Para mais informações, envie um e-mail para concidade@natal.rn.gov.br.

“Nunca um processo de revisão foi tão democrático e transparente. A gestão municipal teve todo cuidado para que representantes de todos os seguimentos e regiões participassem das discussões. Estamos construindo um plano que permita a retomada do desenvolvimento econômico da capital potiguar. A atual legislação urbanística fez com que Natal perdesse em competitividade para outras cidades e vamos perseguir o objetivo de recuperar os investimentos perdidos ao longo dos anos. É importante destacar que a proposta da Prefeitura é buscar um Plano Diretor equilibrado, aliando crescimento econômico e respeito ao meio ambiente. É m desafio enorme, mas estamos confiantes”, diz o secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, Thiago Mesquita.

 

14

Mai

Mercado

Google permite retirada de produtos na porta de lojas

Entrega por motoboy, drive-thru ou retirada em loja. Na quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus, empresas buscam maneiras de manter as vendas e entregas. O Google acaba de lançar uma nova ferramenta que permite ao varejista indicar produtos com opção de retirada na porta da loja, mas sem necessidade de entrar no local. 

O objetivo é ajudar a conectar consumidores com os produtos que eles têm urgência em receber e, ao mesmo tempo, promover opções de atendimento mais seguras. A ferramenta do Google Shopping mostra os produtos em estoque de uma determinada loja física.

De acordo com o Google, as pesquisas por “estoque” cresceram mais de 70% em todo o mundo entre a semana de 28 de março e 4 de abril, já que consumidores procuravam formas de receber suas compras mais rapidamente. 

Esse recurso está disponível nos países onde os anúncios de inventário local foram lançados, incluindo o Brasil. O selo “retirada na porta” está atualmente na versão beta e disponível para anunciantes que já fizeram a integração do selo de retirada na loja. Varejistas que quiserem incluir a opção nos seus anúncios podem demonstrar interesse através deste formulário.

A busca por esse tipo de informação, para comprar pela internet e retirar na loja ou até para ir até a loja fazer a compra, já estava em alta antes da pandemia do novo coronavírus. Na Black Friday, por exemplo, a opção de retirar na loja era relevante para quase 40% dos brasileiros, de acordo com pesquisa feita pelo Google na ocasião.

Fonte: Exame, disponível em: https://exame.abril.com.br/negocios/google-permite-retirada-de-produtos-na-porta-de-lojas/

14

Mai

Mercado

Atividade econômica do RN tem leve aquecimento na primeira semana de maio

A economia do Rio Grande do Norte apresentou uma alta entre o final de abril e início de maio. O volume diário de movimentação comercial teve um crescimento de pouco mais de 10% em comparação com a semana anterior. O valor médio diário cresceu de R$ 202,8 milhões para R$ 223,3 milhões. Isso é resultado do crescimento do volume de operações nos principais setores da economia: indústria, varejo, atacado e setor de combustíveis. Essas informações são os destaques da quarta edição do Boletim de Atividade Econômica, divulgado nesta quarta-feira (13) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN).

O estudo se baseia nos documentos fiscais emitidos pelos contribuintes do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) no período, comparando semana a semana. O material completo está disponível para download no site da SET-RN (http://www.set.rn.gov.br/contentProducao/aplicacao/set_v2/principal/gerados/boletins-covid19.asp).

Apesar desse aquecimento, o montante ainda está aquém do movimentado na semana equivalente do ano passado: valor médio diário das operações é 24,1% menor do que o verificado em 2019, revelando o reflexo negativo da crise gerada pela Covid-19 na economia do estado. O boletim mostra que a emissão média de notas fiscais por dia saiu de 716 mil na última semana de abril para 740 mil na semana de 27 de abril a 3 deste mês.

"Mesmo com esse crescimento do nível de operações diárias nos setores base da nossa economia de uma semana para outra, que é bastante animador, ainda estão muito abaixo dos patamares verificados antes da pandemia da Covid-19. Mas esse monitoramento que estamos fazendo é importante para decisões de políticas públicas para recuperar o ritmo das atividades produtivas do estado", comenta o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

O setor que teve o maior índice de aquecimento na semana analisada em relação à anterior foi o da indústria de transformação, que registou uma alta de 21,3% no nível diário de movimentação financeira, atingindo um patamar de R$ 24,69 milhões movimentados por dia. Já, no comércio varejista, o aumento foi 17,4%, chegando a um movimento diário médio de aproximadamente R$ 62,76 milhões.

O comércio atacadista também cresceu: 16,9%, chegando a movimentar R$ 42,2 milhões por dia, enquanto o crescimento no setor de combustível foi de 15,3%. As transações comerciais diárias nesse segmento atingiram o pico de R$ 33,9 milhões comercializados.

O informativo semanal da SET-RN revela que a indústria foi o setor mais impactado pela pandemia durante a primeira semana de maio na comparação com o período antes das medidas restritivas e de afastamento social. A redução do nível de operações diárias na indústria foi 40,5%. O setor combustível encolheu 30,5%, seguido do varejo, que reduziu 19%, e atacado (12,8%).

13

Mai

Mercado

Estudo: para 48% brasileiros, marcas devem se preocupar com funcionários

Estudo feito pelo McCann Truth Central, do McCann Worldgroup, aponta que para 48% dos brasileiros a melhor coisa que as marcas podem fazer para auxiliar durante a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus é se preocupar com seus colaboradores. Apesar disso, essa preocupação é ainda maior em outros países latinos e mesmo globalmente: 71% no Chile, 66% no México, 62% na Colômbia e 61% na Argentina, sendo que a média global é de 59%. O levantamento também mostra que um terço da população mundial acredita que os CEOs devem fazer sacrifícios pelos funcionários; no Reino Unido e Estados Unidos, esse porcentual chega a 54% e 48%, respectivamente.

Outro ponto ressaltado pelo estudo é que, enquanto nos resultados gerais, ou seja, em todo o mundo, a segunda iniciativa mais importante para as pessoas é que as empresas produzam respiradores ou máscaras, em países da América Latina, a prioridade para os indivíduos são as promoções e redução dos preços: Argentina (60%), Chile (60%), México (59%), Colômbia (52%) e Brasil (46%).

Realizada entre 12 de março e 1 de abril, por meio da plataforma Google Surveys 360, em 15 países do mundo, a pesquisa ainda revela que apesar de as pessoas estarem apreensivas com as consequências da pandemia na saúde, a preocupação em relação à economia tem aumentado nas últimas semanas: em março a média de entrevistados apreensivos era de 48%, já em abril este número foi para 56% em todo o mundo. Além disso, o levantamento reforça que 47% da população global acredita que o mundo mudará para sempre após a pandemia; quatro em cada dez pessoas esperam que ela traga inovações; e, para a maioria dos respondentes, governos e empresas devem trabalhar juntos para solucionar a crise da Covid-19.

“O redesenho das experiências de interação física e digital centradas nas pessoas deve ser o foco de atenção de marcas, produtos e serviços diante de uma mudança de era. O marketing tem a oportunidade de maximizar o uso dos recursos telemáticos e do gerenciamento estratégico de dados que permita a construção de pontes significativas de conexão com as pessoas”, afirmou em nota Fernando Fascioli, presidente do McCann Worldgroup para a América Latina e o Caribe.

Fonte: Portal Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2020/05/12/para-48-dos-brasileiros-marcas-devem-se-preocupar-com-funcionarios.html

12

Mai

Mercado

Evento online gratuito debate o "novo normal" dos negócios após Covid-19

De 13 a 14 de maio, um grande debate aberto e gratuito estará disponível de forma online para todos os interessados em Estratégia, Inovação, Empreendedorismo, Ambiente Remoto e o Cenário Pós COVID-19 como o nosso novo normal. 

Trata-se da Expo Digit@l, evento promovido pela UnP - integrante da rede Laureate, e que será oferecido por meio da plataforma Collaborate. A programação consiste em palestras e oficinas transmitidas por meio de webconferência e que podem ser acessadas por toda a população.

Além disso, o evento se une a duas grandes ações sociais: o Mesa Brasil SESC e a campanha Mães que Cuidam da UnP. Em cada palestra, serão estimuladas as doações para as duas iniciativas que visam auxiliar grupos carentes que mais sofrem durante o isolamento social.

Para participar das palestras, basta clicar em Passaportes Digitais e Programação | Expo Digit@l 2020, escolher o assunto que deseja e, por fim, clicar no passaporte digital no dia e horário previstos.

11

Mai

Mercado

Senac abre novas vagas para serviço gratuito de orientação e capacitação às micros, pequenas e médias empresas

O Sistema Fecomércio RN, por meio do Senac, tem oferecido dentro do Programa Assistência Digital Empresarial, um serviço gratuito de orientação e capacitação para as micros, pequenas e médias empresas, com foco na capacitação para a comercialização dos seus produtos e serviços nas plataformas digitais.

O programa foi desenvolvido pensando em oferecer um suporte aos empresários do comércio afetados pelo isolamento social em vigor no estado, que estabeleceu a suspensão do funcionamento das atividades comerciais não essenciais para conter a disseminação da Covid-19.

A primeira etapa foi realizada com as empresas instaladas no bairro do Alecrim. Segundo do o empresário do segmento de refrigeração e também presidente da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA), Pedro Campos, a consultoria tem trazido novas oportunidades de vendas nas plataformas digitais.

Inicialmente, uma equipe do Senac RN realizará uma consultoria via telefone, na qual é feita uma análise de perfil da empresa identificando o nível de maturidade. Em seguida, é agendado um momento online, onde o consultor realizará uma consultoria, detalhando as reais necessidades da empresa e sugerindo modelos de negócio para implantação no ambiente virtual.

Além disso, os empresários também têm acesso ao curso gratuito Como Abrir o Seu E-Commerce: Estratégias e Modelos de Negócios, que conta com 5 módulos. São mais de 20 aulas com o passo a passo para implantar as ferramentas digitais e fazer a diferença no online. Essas aulas estão disponíveis na Sala de Aula Virtual do Senac RN.

Uma outra ação que o programa está oferecendo são transmissões ao vivo (Lives) no canal do Senac no Youtube aberto ao público. Temas sobre como abrir uma conta no Instagram e vender pela ferramenta serão abordados pelos especialistas do Senac e tem gerado um engajamento muito bacana.

Para os empresários que desejam entrar no programa, basta entrar em contato pelo telefone e Whatsapp 4005-1000 e registrar o interesse. Logo em seguida, os consultores entrarão em contato para iniciar a consultoria.

9

Mai

Mercado

Cinco dicas de gastos que podem ser eliminados durante a crise

O isolamento social imposto pela crise do Coronavírus fez com que muitas empresas sofressem uma perda expressiva do seu volume de vendas ou tivessem que fechar as portas provisoriamente, afetando diretamente o fluxo de caixa. Diante desse cenário a principal preocupação dos donos de pequenos negócios é como manter a saúde da sua empresa. Cortar gastos com planejamento e assertividade nem sempre é uma tarefa fácil.

Pensando nisso, o Sebrae elaborou cinco dicas práticas, criadas por analistas e consultores especializados em finanças e negócios. Confira:

1-      Dívidas

É hora de renegociar todos os pagamentos da empresa. Caso tenha alguma conta pendente esse é o momento oportuno para entrar em contato com os credores e verificar as novas condições de pagamento.  O Governo Federal tomou algumas medidas para ajudar empresários durante a pandemia. Algumas delas foram a prorrogação do pagamento de dívidas e a ampliação do acesso ao crédito do BNDES. Além disso, instituições bancárias aumentaram por mais 60 dias o prazo do pagamento de dívidas e empréstimos para micro e pequenas empresas. Isso significa que você tem um tempo maior para organizar as suas despesas.

2 – Produtos

Reavalie seu estoque, analise o que tem vendido mais e o que tem saído menos. Com isso irá entender o que deve ser mantido e quais podem não ser renovados, pois não estão gerando receita. Mantenha o que realmente faz uma diferença positiva no seu caixa. Lembre-se de que um estoque variado funciona apenas quando o consumidor tem um poder maior de compra ou quando está mais disposto a conhecer novos produtos, o que não acontece durante uma crise. 

3 - Anúncios pagos em redes sociais

Estar no ambiente online é o novo normal, porém veja se as publicações impulsionadas estão dando o retorno esperado. Se o valor gasto com anúncios em redes sociais não está prosperando, corte esse gasto. Invista em outras estratégias gratuitas como publicações diárias, relacionamento direto com cliente com respostas personalizadas e otimização dos posts com palavras mais buscadas no Google. Lembre-se que é o momento de trabalhar com qualidade, e não com quantidade.

4 - Bancos diversos

Você tem apenas um CNPJ e várias contas bancárias? Avalie se vale a pena, afinal todo banco cobra taxas, e na maioria das vezes elas são despesas que podem ser facilmente cortadas. A sugestão é ter relacionamento com apenas um ou dois bancos, já que isso facilita acompanhar todas as taxas e tarifas cobradas e até mesmo evitar gastos. Os bancos digitais apresentam vantagens nesse sentido. Além de taxas reduzidas ou nulas, são seguros e oferecem atendimentos em diferentes canais. 

5- Investimentos

Você tem algum tipo de investimento? É bom reduzir os aportes e pensar em criar uma reserva de emergência. Não é o caso de deixar de lado as suas aplicações, mas sim de poder contar com uma liquidez maior para quando precisar cobrir alguma emergência.

8

Mai

Mercado

Confederação Nacional do Comércio lança guia com orientações aos empresários do setor sobre o momento de retomada das atividades

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) produziu um guia com orientações sobre o momento da retomada das atividades econômicas no Brasil após a quarentena. O objetivo é ajudar os empresários na reabertura dos negócios, com sugestões de procedimentos práticos nas áreas tributária, trabalhista, financeira, sanitária, entre outras. O documento está sendo compartilhado com associações, entidades representativas, sindicatos e federações dos setores representados pela CNC e está disponível no site afavordobrasil.cnc.org.br.

De acordo com José Roberto Tadros, presidente da CNC, o retorno gradual, na maior parte dos Estados, às atividades comerciais que não estavam enquadradas como essenciais – essas já vinham funcionando – levou a Confederação a criar o documento. “As informações que estamos disponibilizando podem ser usadas como suporte a um planejamento estratégico por parte dos empresários do comércio de bens, serviços e turismo. A elaboração desse guia foi realizada com base em comunicados oficiais de órgãos de Saúde e documentos oficiais de instituições públicas e privadas e do governo”, destaca.

O guia traz desde orientações dos Ministérios da Saúde e da Economia até linhas de crédito disponíveis, passando pela importância do marketing digital e flexibilização das atividades. O documento inclui, ainda, uma sugestão de cronograma para a retomada gradual dos negócios. Tadros ressalta que o comércio tem sido um dos setores da economia mais impactados pela pandemia e que as perdas do setor já somam aproximadamente R$ 106 milhões. “A CNC está integrada e alinhada à mobilização de toda a sociedade pela prevenção e redução dos impactos do coronavírus na saúde, no comércio de bens, serviços e turismo e na economia do País. Entendemos que o momento exige união e o máximo de coordenação na busca por melhores soluções, sempre levando em conta as realidades setoriais e regionais, que refletem a variedade de um país continental como o Brasil”, afirma o presidente da CNC, que completa: “O equilíbrio entre a gradual normalização na circulação das pessoas, o apoio para a subsistência de pessoas e empresas e a prioritária proteção da população determinará o nível de sucesso do Brasil em superar esta crise sem precedentes”.

Acesse a íntegra do guia da CNC com orientações sobre o momento da retomada das atividades econômicas no Brasil.