Educação

16

Nov

Educação

Adolescentes que cumprem medida socioeducativa expõem trabalhos artísticos

O serviço de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto do CREAS Leste, ligado a Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (SEMTAS) conduziu, este ano, o projeto “Socioeducação e Arte Urbana: Construindo Projetos de Vida”, com adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. Foram realizados encontros sobre orientação profissional, inserção no mercado de trabalho, projeto de futuro e arte urbana. Por meio das reuniões, os adolescentes aprenderam aspectos relacionados ao mercado de trabalho, como também habilidades relacionadas a arte e ao grafite.

O projeto culminou em uma exposição sobre as atividades que foram realizadas pelo grupo durante todo o ano de 2018. O evento aconteceu nesta terça-feira (13) e contou com a presença dos adolescentes, familiares, servidores, instituições parceiras e representantes do judiciário. A exposição contou com pinturas, fotos, vídeos e telas produzidas pelos próprios adolescentes, no CREAS.

16

Nov

Educação

UNI-RN obtém alta avaliação do MEC e prepara-se para oferecer ensino a distância

O UNI-RN prepara-se para oferecer ensino a distância (EaD). A Instituição recebeu nota 5 na avaliação para o credenciamento junto ao Ministério da Educação (MEC) visando à oferta de cursos a distância.

Durante três dias, avaliadores do MEC acompanharam, integralmente, o dia a dia da Instituição. Nesse período, conferiram instalações físicas, como laboratórios, biblioteca, salas de aula, espaços físicos, áreas de convivência, titulação de docentes, enfim, toda a estrutura física e virtual da Instituição. Também houve conversas com funcionários, professores e alunos. 

O reitor do UNI-RN, professor Daladier Pessoa Cunha Lima, destaca a importância do ensino presencial, mas ressaltou a necessidade de implantar o ensino a distância por se tratar, hoje, de uma exigência do próprio meio acadêmico.

O resultado – nota 5 na avaliação – foi comemorado por todos – gestores, professores, funcionários e coordenadores.

Alunos também comemoram, pois o reitor levou a novidade à cerimônia de premiação do XVIII Congresso de Iniciação Científica (CONIC), realizada na noite dessa terça-feira (13), no auditório central do UNI-RN, no que foi bastante aplaudido.

“Esta é mais uma grande vitória do UNI-RN, a qual comprova a ênfase da Instituição na qualidade de ensino”, disse o reitor.

16

Nov

Educação

Instituto do Cérebro realiza curso sobre cannabis medicinal na UFRN

O uso da planta cannabis sativa para fins medicinais tem atraído cada dia mais interesse das comunidades médica e acadêmica pela oportunidade de tratamento para inúmeras doenças. Pensando nisso, o Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ICe-UFRN) vai oferecer o primeiro curso sobre o tema voltado para profissionais e estudantes da área da saúde.

Com o título “Cannabis medicinal, uma atualização profissional”, o curso busca divulgar os mais recentes avanços científicos relacionados ao uso da maconha no tratamento de doenças. O conteúdo apresenta o sistema endocannabinóide e o estado da arte das pesquisas com fitoterápicos no Brasil e no mundo, bem como discutirá os desafios e limitações da terapia com cannabinóides sintéticos e naturais.  Com carga horária de 20h, o curso será realizado de 3 a 7 de dezembro (de segundo à sexta), das 17 às 21h no Anfiteatro dos Répteis do Centro de Biociências da UFRN.

Estudos e testes mostram que a cannabis pode ser usada na diminuição de dores crônicas e no combate a crises de epilepsia. Também tem ajudado a tratar diversas doenças como Síndrome de Hett, Alzheimer, Depressão e Esclerose múltipla, bem como para diminuir os efeitos da quimioterapia e da radioterapia.    

Durante o curso, não só estes temas serão esclarecidos, como também será abordada a história do uso da cannabis por seres humanos, desde os tempos antigos até o uso de princípios ativos isolados no mundo moderno.

O curso

As inscrições para o primeiro curso sobre cannabis medicinal já estão abertas. Quem se inscrever até o dia 23 de novembro pagará R$ 100 (profissionais) e R$ 60 (estudantes). A partir do dia 24 até o dia 30 de novembro, o valor passa a R$ 150 (profissionais) e R$ 90 (estudantes).

O curso contará com a participação dos neurocientistas e pesquisadores do Instituto do Cérebro da UFRN: Rodrigo Romcy-Pereira, Cláudio Queiroz, Sidarta Ribeiro, Igor Sales e Sérgio Ruschi.  Também terá a participação de profissionais externos: Pedro Mello (médico acupunturirista), Júlio Américo Pinto Neto (Liga Cannábica da Paraíba), Lorenzo Calvi (médico etnofarmacologista do GH Medical e Universidade de Milão/Itália), Joost Heeroma (neurobiólogo, diretor científico do GH Medical/Holanda) e o químico austríaco Wolfgang Harand (Ufersa). As inscrições podem ser feitas através do SIGAA/UFRN e dúvidas encaminhadas para a Comissão de Eventos do Instituto do Cérebro no e-mail: contato@neuro.ufrn.br

15

Nov

Educação

PotyBusiness reúne empresários e estudantes para debater atual cenário econômico em Natal

A Estácio Alexandrino recebe na terça-feira (20), a partir das 19 horas, a segunda edição do projeto PotyBusiness – Pessoas e Negócios. Com o tema “Como crescer em um cenário de instabilidade”, será discutido o case da marca Miranda Computação, com apresentação do empresário Afrânio Miranda. Em seguida, haverá discussão com a participação de Davi Miranda, professor da pós-graduação de Gestão Financeira e Controladoria da Faculdade Estácio de Natal, MBA em Administração Financeira, perito e consultor financeiro. A mediação do debate ficará a cargo do coordenador de pós-graduação da área de Contabilidade da Faculdade Estácio de Natal, Leandro Esquincalha.

Esta edição, fruto de parceria entre o Coletivo Marketing Integrado e a Faculdade Estácio de Natal, contará com um formato que busca privilegiar a interação entre os convidados e os participantes por meio de perguntas, colaborações e momentos de networking. De acordo com Janssen Oliveira, coordenador das pós-graduações da Estácio em Natal, fazem parte do público-alvo do evento empresários dos mais diversos segmentos, profissionais liberais, empreendedores e estudantes da área.

14

Nov

Educação

Bráulio Bessa e Rossandro Klinjei estão entre os palestrantes do EXPOEDUC 2018 que será neste fim de semana em Natal

Aprendizagem, práticas de sala de aula, formação de professores e gestão. O Congresso Educacional EXPOEDUC RN 2018 juntará todos esses conhecimentos em um só lugar: no Holiday Inn, durante o próximo final de semana, dias 17 e 18 de novembro. Serão dois dias repletos de assuntos modernos e relevantes ao aprendizado, com muito dinamismo e cases de sucesso no mundo educacional.

Na programação estão inclusas atividades diversas, entre congresso e feira de negócios realizados durante todo evento, com a participação de grandes especialistas que irão abordar os temas mais atuais do setor.

As conferências contam com grandes nomes do ramo educacional no país, entre eles: o poeta, empreendedor e ativista da cultura nordestina, Bráulio Bessa; o psicólogo e escritor, Dr. Rossandro Klinjey; a psicóloga e doutora, Cristiana Rocca; o pedagogo e músico-educador, Isaque Folha; o economista especializado em arte-educação e processos educativos, Caio Lo Bianco; a fonoaudióloga e psicopedagoga, Telma Pantano e o psicopedagogo e mestre em ciências da educação, Nery Adamy.

É a oportunidade para expandir o contato com o público em geral, conquistar potenciais consumidores, apresentar produtos e serviços, ampliar seu mercado, gerar negócios com organizações e instituições de ensino e encontrar novas instituições ou serviços ligados à educação.

Este evento é mais uma realização da Idearte Produções. As inscrições já estão disponíveis para serem realizadas através do site www.expoeduc.com.br.

14

Nov

Educação

Evento internacional sobre Bioinformática reúne pesquisadores e profissionais em Natal

Já estão abertas as inscrições para o Natal Bioinformatics Forum, evento que será realizado pelo Centro Multiusuário de Bioinformática (BioME), do Instituto Metrópole Digital (IMD), entre 15 e 17 de abril de 2019, que reunirá reconhecidos pesquisadores nacionais e internacionais da área.

O Fórum, que será realizado no Hotel Golden Tulip, em Ponta Negra, é destinado a alunos de graduação e pós-graduação na área de bioinformática, bem como pesquisadores e profissionais desse campo, além de pessoas de outras áreas (ciências exatas, biomédicas, etc.) que possuam afinidades com o tema.

As inscrições devem ser efetuadas neste endereço eletrônico, e o valor a ser investido é de R$ 400 para alunos de graduação e pós-graduação (os 50 primeiros inscritos ganharão desconto de 50% da taxa) e R$ 500 para profissionais. A partir do dia 31 de dezembro, esses valores receberão reajuste de R$ 50 adicionais.

O evento contará com a participação de palestrantes de diversas universidades e institutos de pesquisas do mundo, como Reino Unido, Estados Unidos, Dinamarca, Espanha, China e Brasil. Um de seus objetivos é possibilitar o diálogo entre acadêmicos, profissionais e o setor corporativo e industrial da área, trazendo discussões acerca das principais perspectivas e avanços na pesquisa de bioinformática.

Trata-se, portanto, de uma oportunidade de conhecer e divulgar estudos de ponta em bioinformática, além de promover a interação entre as comunidades científicas do Brasil e do exterior e identificar as áreas promissoras de investimento e de pesquisa.

O evento traz uma programação diversificada e interdisciplinar, com temas que promovem uma conversação entre a bioinformática e diversas áreas, o que deve surgir, por exemplo, nos seguintes simpósios: Bioinformática aplicada à Genômica / ProteômicaBioinformática aplicada à Biologia de Sistemas e Bioinformática aplicada à saúde.

Além disso, o cronograma também oferece um conjunto de fóruns que vão acontecer nos três dias do evento, trazendo os seguintes temas: Bioinformática na IndústriaBioinformática e Big Data e Inovação em Natal: uma perspectiva de bioinformática. E também uma série de palestras, debates, mesas-redondas, sessão de pôsteres e exposições de trabalhos.

Submissão de Resumos

Os interessados em expor resumos de trabalhos devem realizar as submissões até o dia 1º de fevereiro de 2019. As áreas temáticas de submissão são: Bioinformática aplicada ao Genoma/ProteomaBioinformática na IndústriaBioinformática aplicada a Biologia de SistemasBioinformática e Big Data e Bioinformática aplicada à Saúde.

Os resumos serão avaliados por uma equipe técnica e a apresentação do trabalho está condicionada à aprovação dos mesmos.

O Fórum recebe apoio do Instituto de Bioinformática e Biotecnologia (2Bio), da rede Biologia Sistêmica do Câncer (BSC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da Pós-Graduação em Bioinformática (PPG-Bioinfo), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e IMD, além de financiamento do BioME. Mais informações neste site.

13

Nov

Educação

Crianças aprendem no circo lições de empreendedorismo de forma lúdica

Dezenas de alunos do Colégio e Curso Evolução tiveram uma aula-espetáculo na manhã desta terça-feira (13) embaixo da lona do Gran Circo Empreendedor, evento realizado pelo Sebrae no Rio Grande do Norte e que teve o colégio como um dos patrocinadores. Artistas circenses do Circo do Palhaço Babalu e do grupo Tropa Trupe deram a tônica da aula divertida que as crianças ávidas por conhecimento e cheias de curiosidades iriam receber da consultoria e instrutora credenciada do Sebrae-RN, Tereza Jeanne. Foi uma manhã de muito aprendizado, na qual muitas das crianças mostraram que já têm uma cultura empreendedora, porque já desenvolvem atividades na própria escola.

Por iniciativa do gerente do Escritório Regional do Sebrae no Alto Oeste, Rodolfo Barreto, e da sua equipe a aula-espetáculo foi idealizada com o intuito de disseminar entre as crianças, que cursam do segundo ao novo ano, a cultura empreendedora. “É uma aula diferente das que estas crianças estão acostumadas a assistir e os próprios professores que as acompanham poderão aprender também com este tema tão importante na atualidade”, disse Rodolfo, que manifestou grande satisfação em poder proporcionar este evento durante a Semana Global de Empreendedorismo.

A consultoria e instrutora credenciada do Sebrae-RN, Tereza Jeanne, afirma que a ideia é provocar nos jovens estudantes o despertar de características que eles podem desenvolver, mesmo que não tenham negócios, mostrando exemplos de crianças e adolescentes que já são empreendedores fazendo seus produtos em casa, junto com a família. “Vamos mostrar que eles podem ser empreendedores usando seus atributos e o próprio talento. Até mesmo o comprometimento com os estudos para obter melhores resultados e, futuramente, ganhar destaque no mercado, pode se revelar como uma característica empreendedora”, avalia a consultora.

A professora Maria de Fátima Monte, que acompanhava uma das turmas, acredita que a aula no circo foi uma excelente oportunidade de estimular a cultura do empreendedorismo entre os alunos. “Tudo isso tem impacto ambiental e financeiro, pois à medida em que eles empreendem, há uma educação financeira no próprio ambiente familiar”, ensina Fátima Monte, destacando a interação entre a escola, a família, a sociedade e o Sebrae, que faz parte de uma rede de apoio ao empreendedorismo em todo o Brasil.

Foto: Moraes Neto. Com informações da Agência Sebrae de Notícias

13

Nov

Educação

Escola utiliza arte como dinâmica de estudo e realiza peças clássicas com com interpretações de alunos

De 23 a 25 de novembro, o colégio CEI Romualdo promove a 20ª edição do Festival de Teatro Amador do CEI (FETAC), com apresentações no Centro de Atividades Culturais da escola. Os atores são alunos de turmas do Ensino Fundamental e Médio, sob a coordenação dos professores Ruth Freire e Paulo Nascimento.

A abertura do Festival será na sexta-feira, 23, com a encenação da peça “O Segredo das Tábuas”, com enredo inspirado nas obras clássicas de William Shakespeare. A programação segue no sábado, 24, com duas apresentações. Às 17h30, “A Mansão Assombrada do Capitão Bonança”, encenação baseada na peça Pluft, o Fantasminha, de Maria Clara Machado. Em seguida às 19h30, será a vez de “Aiédem: Essa sou eu”.

O FETAC segue no domingo com mais três peças. Às 16h será apresentada a peça “O Bonequinho Azul”. Em seguida, às 17h30 “A Torre de Piche”, adaptada da obra de Maria Clara Machado, A bruxinha que era boa.

Encerrando o Festival terá a peça “Verão de Sonhos”, às 19h30, adaptada da obra de William Shakespeare. Os ingressos podem ser adquiridos na cantina da escola no valor de R$ 25,00.

13

Nov

Educação

Analfabetismo funcional no Brasil é obstáculo para educação midiática, mostra pesquisa

Três entre cada dez brasileiros são considerados analfabetos funcionais, diz nova edição do Indicador de Analfabetismo Funcional (Inaf), pesquisa idealizada em parceria entre o Instituto Paulo Montenegro e a ONG Ação Educativa e realizada com o apoio do IBOPE Inteligência. No entanto, de acordo com o estudo, em matéria divulgada pela ANJ, mesmo com suas dificuldades – limitação para ler, interpretar textos, identificar ironia e fazer operações matemáticas em situações da vida cotidiana – esse grupo é usuário frequente das redes sociais.

Entre eles, 86% usam WhatsApp, 72% são adeptos do Facebook e 31% têm conta no Instagram. Os dados revelam o tamanho do desafio existente no país no que diz respeito a uma das principais frentes contra desinformação e ódio na internet, que subiram em assustadores percentuais no segundo turno da eleição deste ano, segundo a BBC News Brasil: a alfabetização midiática. 

De acordo com a matéria, um dos reflexos do baixo nível de alfabetismo no contexto digital é que essas pessoas ficam mais vulneráveis à desinformação, especialmente memes, imagens manipuladas e usadas em contexto falso, diz Christine Nyirjesy Bragale, vice-presidente de comunicação do The News Literacy Project, entrevistada pela BBC News B rasil. "Obviamente elas têm uma capacidade limitada para checar através de pesquisa e leituras paralelas, e seu acesso a jornalismo impresso de qualidade é limitado", explica Christine.

A especialista norte-americana afirma que, para superar o problema, o primeiro passo é garantir que as pessoas, independentemente de seus níveis de leitura, compreendam que a desinformação pode vir por diferentes canais, incluindo imagens manipuladas e vídeo e se espalhar rapidamente. "Só essa consciência já é um começo para combater a desinformação e diminuir a sua propagação."

Pollyana Ferrari, jornalista, pesquisadora de mídias digitais e professora da PUC-SP, diz acreditar que o trabalho de conscientização só virá com o amadurecimento do uso das redes sociais, que ainda é recente no Brasil (14 anos), além de educação. Ela cita o caso de Portugal, que oferece aulas de letramento em mídias digitais nas escolas de educação básica desde os anos 90.

"A pessoa não vai deixar de ver um vídeo e compartilhar, o brasileiro acredita muito no grupo do WhatsApp da família, seja para o bem ou para o mal. As pessoas têm direito de ter um celular, pode ter mais risco de cair em golpes e receber vírus, mas vai aprender usando. Mas não há o que fazer, a responsabilidade é dos governos, das empresas, de treinar, formar, o trabalho é coletivo e de 'formiguinha'."

A professora lembra que, até pela dificuldade de interpretação de texto, as mensagens falsas se propagam mais por mensagens em áudio. "Muita gente acredita nas 'fakes news' porque não tem bagagem, não tem senso crítico, quando há uma escolaridade precária, a pessoa fica muito mais manipulável."

No WhatsApp, segundo o Inaf, as chances de proliferação de desinformação são realmente maiores. Além do fato de que há maior nível de confiança entre participantes de grupos (amigos, familiares etc), gratuidade e de certo anonimato, quase não há diferença de uso entre os grupos divididos por nível de alfabetização. Enquanto 92% dos analfabetos funcionais enviam mensagens escritas, o índice é de 99% entre os alfabetizados; 84% dos analfabetos funcionais compartilham textos que outros usuários enviaram, já 82% dos alfabetizados fazem isso.

Foto/pixabay. Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/14384-analfabetismo-funcional-no-brasil-e-obstaculo-para-educacao-midiatica-peca-importante-no-combate-a-desinformacao-e-odio-nas-redes-sociais.html

13

Nov

Educação

Evento de Moda movimenta Universidade Potiguar com troca de experiências entre empresas e alunos

Com o objetivo de apresentar as coleções desenvolvidas pelos alunos da 4ª série do curso de Design de Moda, bem como, promover a troca de experiências com grandes empresas do segmento, alunos e professores promovem a 1ª edição do Moda Movimenta UnP, que acontece nos dias 27 e 28 de novembro na Unidade Roberto Freire.

O evento é gratuito e aberto para todo o público e conta com a participação das empresas Toli, loja de roupas femininas, M Morena, grife de moda praia de Mossoró e a Romance Brasil, grife de moda praia e intima potiguar. Além dos desfiles da turma concluinte, o Moda Movimenta também lança a oportunidade de estudantes de séries anteriores apresentarem suas peças. Na ocasião serão oferecidas oficinas e palestras para os participantes.

Os alunos que desejarem participar das oficinas, deverão se inscrever pelo site www.unp.br/eventos. Para efetivação da inscrição, os universitários deverão doar 1kg de alimento não perecível ou artigos de higiene pessoal. Os donativos, posteriormente, serão entregues a uma instituição de caridade da cidade.

A professora do curso de Design de Moda, Virginia Azevedo, o evento é de extrema importância para preparação dos alunos para o mercado de trabalho. “Durante o evento teremos oficinas para discutir temas como a diversidade da moda e a importância dessa representatividade para o público. É uma ótima oportunidade para os alunos mostrarem o que foi aprendido durante a trajetória acadêmica”, ressaltou.

13

Nov

Educação

Abertas as inscrições do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora

Estão abertas as inscrições do “Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora”, lançado nesta semana pelo Sebrae, em Brasília, como parte da programação da Semana Global de Empreendedorismo. A iniciativa busca identificar, estimular, reconhecer e divulgar as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil.

O prêmio está organizado em quatro categorias: ensino fundamental, médio, profissional e superior. O certame se destina a secretários municipais e estaduais de educação, reitores, diretores, coordenadores e professores em todos os níveis.

O lançamento do Prêmio integra a programação da 11ª Semana Global do Empreendedorismo, e que neste ano tem o empreendedorismo jovem como tema principal. Educar para empreender, segundo a diretora técnica do Sebrae Nacional, Heloisa Menezes, significa formar protagonistas, com capacidade de liderança e gestão, que aprendem com os próprios erros e têm um grau elevado de comprometimento e responsabilidade social.

“Nos últimos anos, o Sebrae, junto com um amplo grupo de parceiros, atua no sentido de levar esse conceito a todos os níveis de ensino, provocando a reflexão de milhões de estudantes e professores, bem como gestores públicos, e tentando contribuir para tornar o empreendedorismo mais presente na grade curricular do nosso sistema educacional”, comenta a diretora.

Prêmios concedidos

“O Prêmio será uma ferramenta fundamental para identificarmos inciativas inovadoras, que estão sendo desenvolvidas nas salas de aula por educadores de todo o país”, explica Heloisa. O reconhecimento acontecerá em três etapas. Na primeira, em nível estadual, após análise por banca avaliadora, serão selecionados os 20 melhores cases (cinco para cada categoria) em cada um dos 26 estados, além do Distrito Federal.

Esses professores, gestores e diretores estarão automaticamente classificados para a etapa Regional. Nessa fase, serão analisados os 108 projetos e indicados 60 finalistas do país, que passarão por banca avaliadora nacional, responsável por apontar os 12 ganhadores nacionais (1º, 2º e 3º lugares de cada categoria).

As melhores iniciativas estaduais e regionais serão reconhecidas com os troféus ouro, prata e bronze de cada categoria (ensino fundamental, ensino médio, ensino profissional e ensino superior). Já os melhores cases nacionais receberão, além de troféus, um convite para participar de uma missão técnica nacional (1º, 2º e 3º lugares).

Para os 1º lugares em cada uma das quatro categorias, será concedida também uma oportunidade de apresentar o seu projeto em um evento de visibilidade nacional. A participação é gratuita e pode ser feita no site da premiação www.educacaoempreendedora.sebrae.com.braté às 23h59 do dia 28 de fevereiro de 2019.

13

Nov

Educação

Estudantes de Psicologia chamam a atenção para o impacto do “produtivismo acadêmico” na saúde

Tornou-se comum nas instituições universitárias brasileiras uma exigência maior pela produção excessiva de trabalhos acadêmicos, o produtivismo acadêmico. O tema já vem em debate há algum tempo por muitos estudiosos na área.

Nessa perspectiva, virou objeto de estudo do trabalho apresentado por dois estudantes de Psicologia – Lucas Lopes Ribeiro e Yuri Stayne Batista Soares, com a orientação da professora Maria Fernanda  Santos –,  num evento de iniciação científica de uma instituição de ensino superior particular de Natal, a UNI-RN.

Na percepção dos dois jovens, o produtivismo acadêmico coloca em risco não só a saúde dos docentes, que orientam, simultaneamente, uma grande quantidade de trabalhos, como também a dos discentes, que se veem pressionados a concluir um projeto de pesquisa, que em geral, necessitaria de anos de dedicação. 

O trabalho apresentado por Lucas Lopes e Yuri Soares chama a atenção, ainda, para a negligência do pensar. Da forma como vem ocorrendo nas universidades brasileiras, segundo eles, o resultado é um trabalho elaborado de maneira superficial e com queda na qualidade científica, em razão do empobrecimento dos conteúdos. 

“Cabe aqui refletir se os universitários estão realmente interessados nos temas que são objetos de estudos em suas pesquisas ou apenas reproduzindo informações para concluir o projeto, levando em conta a obrigatoriedade do “produto final”, sem se importar com a qualidade ou a finalidade do que é produzido”, enfatizam os jovens.   

Eles afirmam que o intuito do trabalho não é o de levantar intervenções contra o que se produz nas universidades, mas propor uma reflexão e conscientização das diversas problemáticas que rodeiam essa etapa de vida de todo universitário. 

E acrescentam que se mesmo não se enquadrando numa patologia como a Síndrome de Burnout, em função de ser essa causada pelo esgotamento profissional, percebe-se entre os discentes sintomas muito parecidos com os de seus docentes, que vão do físico ao psíquico e comportamental.  

“Nesse trabalho, mostramos que o produtivismo acadêmico, sendo um extremo do que seria a produtividade, traz impactos à saúde biopsicossocial e negligência do pensar, o que acaba por fazer relação também com a saúde, visto que a incapacidade de raciocinar, lentidão no curso do pensamento e falhas na memória são sintomas da Síndrome de Burnout, marcada por estresse emocional, irritabilidade e momentos desagradáveis”, destacam os jovens.

E finalizam ressaltando que os resultados mostraram que o produtivismo acadêmico é uma realidade nas universidades brasileiras, e por ser maléfico aos envolvidos, merece uma reflexão e modificações no sistema educativo, que de acordo com os teóricos vistos, ocorreu a partir da “mercantilização do ensino”.

12

Nov

Educação

Programa Banco de Talentos da Escola da Assembleia ganha prêmio ABEL 2018

O Banco de Talentos da Escola da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte conquistou o Prêmio ABEL 2018, consagrando mais um excelente trabalho realizado com as oficinas técnicas, instituindo o Banco de Talentos, que consiste em um cadastro de profissionais para que possam ser contratados futuramente pela Escola da Assembleia.

“Nos orgulhamos de mais uma premiação recebida pela Escola da Assembleia o que reforça, ainda mais, a visão inovadora incentivada por nossa gestão. A premiação reflete um grande desafio enfrentado pelo Poder Legislativo brasileiro: ser capaz de transformar a Assembleia em um órgão mais eficiente como exemplo na área pública. Já foram realizados dezenas de convênios para parceria no desenvolvimento do ensino Legislativo no Estado do Rio Grande do Norte, contando com o apoio da FECAM para esse desenvolvimento de ações de qualificação e aprendizagem. Nós somos a primeira gestão a implantar um mestrado em uma Escola Legislativa do país. Fato também a destacar”, salientou Ezequiel Ferreira.

“Como esse projeto, a Escola da Assembleia demonstra sua preocupação em assegurar um processo transparente em prol da melhor qualidade docente, para garantir o foco à educação da Gestão do presidente Ezequiel Ferreira”, disse o diretor da Escola da Assembleia, Carlos Russo.

O Prêmio ABEL 2018 foi entregue no XXXII Encontro da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas – ABEL, realizado em Curitiba no período de 7 a 9 de novembro. Carlos Russo recebeu o prêmio juntamente com o servidor efetivo concursado, Andrie Bezerra, que atuou em todas as fases do desenvolvimento deste projeto. “É relevante ressaltar a importância do Professor Abdon Cunha, que atuou nas oficinas técnicas neste ano, consolidando o projeto na prática”, destacou o diretor da Escola da Assembleia, ressaltando ainda o crescimento da Escola no cenário nacional. “Esse prêmio é mais uma mostra de que a Escola da Assembleia continua como uma referência na educação legislativa brasileira”.

Banco de Talentos

Formado em 2017, o Banco de Talentos da Escola auxilia no processo de seleção de capacitação profissional nos colaboradores e membros atuantes para melhoria na qualidade do serviço público prestado por estes à população.

A Escola está realizando cadastro, através do Chamamento Público para a manutenção do Banco de Talentos. Poderão cadastrar junto à EALRN todos os profissionais acadêmicos e técnicos especializados, para que componha, em caráter eventual, por período certo e sem prejuízo do exercício das competências inerentes ao seu cargo, equipe constituída para ministrar curso de formação, desenvolvimento ou capacitação de servidores.

As inscrições acontecem até 15 de novembro de 2018, das 8h às 18h, na sede da Escola, e poderão ser feitas pessoalmente ou por procurador legalmente constituído.

9

Nov

Educação

Tolerância, valores e conciliação no ambiente escolar são enfatizados em formação com especialista norte-americana

A disseminação da prática da Justiça Restaurativa ganha fôlego com a presença de uma das maiores referências internacionais em processos restaurativos e círculos de paz, a consultora especialista norte-americana, Kay Pranis, no Rio de Janeiro. O ''Curso de Aprofundamento e Supervisão de Prática em Justiça Restaurativa e Processos Circulares'', ministrado pela professora, nos dias 05 e 06 de novembro, na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ), contou com a presença da psicóloga do Colégio CEI Romualdo, Eveline Ribeiro.

A profissional da instituição contou ao Blog da Juliska sobre o rico momento de compartilhamento e formação do curso que tem como objetivo expor ensinamentos para a construção de uma nova forma de convivência social, pautada pelo diálogo. Além do direcionamento ao atendimento das necessidades e construção de responsabilidades individuais e coletivas, bem como pelo amor ao ser humano. Confira a entrevista.

Qual a importância do conceito e atuação de Justiça Restaurativa?

A prática da Justiça Restaurativa tem se expandido pelo país. Conhecida como uma técnica de solução de conflitos que prima pela criatividade e sensibilidade na escuta das vítimas e dos ofensores. Eu já atuo como mediadora de conflitos no âmbito do Judiciário e quando comecei a trabalhar no CEI trouxe comigo essa bagagem de atuar na mediação de conflitos. Na escola encontrei a abertura para pensar esse olhar diferente para algumas práticas em relação aos conflitos no ambiente escolar.

Usamos bastante a metodologia de círculos de diálogos, que é uma prática que fortalece os vínculos entre as pessoas que convivem no mesmo espaço, alunos, professores, onde podem expor os problemas que enfrentam e como podemos chegar juntos a uma solução e restaurar possíveis danos que essas situações estejam causando.

Como foi desenvolvido o curso com a Kay Pranis?

Kay Pranis é uma das autoras que embasam esse trabalho e  tem carga densa de prática, foi um curso de supervisão para facilitadores, com integração de participantes de vários lugares do país. Pudemos reforçar como o trabalho na escola tem sido enriquecido cada vez mais com a justiça restaurativa e seus valores como empatia, respeito, habilidade por dizer sua necessidade, sentimentos, tolerância, uma relação mais verdadeira e sincera.

Como a prática é realizada no cotidiano da escola?

O CEI é escola muito aberta no educar para o pensar, o tema integrador anual, que atravessa todas as práticas pedagógicas, tem sempre muito a ver com a justiça restaurativa, e encontramos um ambiente propício. Estamos pensando inclusive em trazer essa temática com mais força na semana pedagógica, uma formação para os professores sobre a filosofia e proposta dessas ações.

9

Nov

Educação

Ciência em Show se apresenta hoje em Natal com experimentos descomplicados e descontraídos

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), encerra, nesta sexta-feira, 9, as atividades do XXIX Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica (eCICT) com apresentação do espetáculo científico Ciência em Show, a partir das 16h, no auditório da Reitoria. Em seguida, às 18h30, a Comissão Científica divulgará o resultado com as premiações dos trabalhos submetidos pelos alunos de iniciação científica ou tecnológica.

É a primeira vez que o Ciência em Show se apresenta em Natal. Na ocasião, a equipe apresentará um pouco sobre a cultura científica, com experimentos em movimento circular, explosões, choques e controle do cérebro. O projeto, criado há 18 anos, busca ensinar e comunicar a ciência de maneira descomplicada e descontraída. A equipe é formada pelos professores Wilson Namen, Gerson Santos, Daniel Ângelo e a pedagoga especialista em tecnologia Ana Ralston.

eCICT

Completando 30 anos da 1º edição, o XXIX Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica tem, neste ano, o tema Ciência para a Redução das Desigualdades, e teve a abertura de sua fase presencial na última terça-feira, 6. Contudo, este momento foi precedido de uma fase online, na qual foi realizada a disponibilização dos vídeos com as apresentações dos trabalhos dos discentes no sitedo evento para visitas pela comunidade acadêmica e público externo, com avaliação pelos consultores da UFRN e comitê PIBIC-CNPq, no período de 17 a 25 de setembro.