Publicidade e Propaganda

19

Abr

[ARTIGO] Educação abraça o metaverso, mas não contempla quem mais necessita dele

Por Cesar Silva* 

 

Discutir o impacto de mecanismos de realidade virtual na educação brasileira se tornou pauta comum entre profissionais e entusiastas da área e, recentemente, fui convidado a refletir sobre seus benefícios. A aplicação real dessas ações também levanta questionamento, devido a eterna desconfiança sobre o que funciona ou não no Brasil.  A resposta é que há, sim, a presença do chamado metaverso em diversos modelos de educação e capacitação profissional. 

 

Os treinamentos em ambientes de simulação, já existentes para cursos de operadores de máquinas, de veículos de carga e tipos de soldagem em materiais, por exemplo, estão em operação desde o início deste século e asseguram uma primeira etapa de aprendizagem. Uma iniciativa que valoriza os conceitos fundamentais da operação, testando os alunos, para, aí sim, mais preparados, serem submetidos a operações reais, com mais riscos e que incorrem em custos de combustível, materiais e insumos bem caros. 

 

Em outro exemplo, dentro dos cursos de medicina das principais instituições particulares do país, os alunos têm a oportunidade de desenvolver casos clínicos desde os primeiros meses de aulas, atendendo robôs que apresentam sinais vitais que indicam disfunções a serem diagnosticadas pelos estudantes a partir de conceitos desenvolvidos nos seus programas de formação. É a residência virtual, no início dos programas, que traz a prática de maneira antecipada e sem riscos inerentes aos erros em saúde. 

 

Muitos métodos existem há décadas, como já dito, e a necessidade imposta pelo isolamento social e a evolução cada vez mais rápida do universo digital os tornaram mais aprimorados.


Mas um fato que muita gente esquece – ou ignora –, porém, é a dura realidade da grande massa de estudantes, jovens ou não, que não é contemplada por essas necessárias ferramentas. A tecnologia existe e está implantada em bolhas, clusters de estudos especializados, mas, a realidade da escala, de um país com dimensão continental e diverso, é muito distante do metaverso. Nunca o virtual foi tão distante do real. 

 

O impacto negativo dessa diferença de oportunidades pode ser visto diretamente na avaliação da educação pública brasileira como um todo. Após dois anos de pandemia, retornamos a patamares de qualidade escolar bem abaixo de 2019. Temos mais de 55% dos alunos com deficiência em língua portuguesa e 95% com deficiência em matemática. 

 

Na outra ponta, professores com aulas atribuídas faltam constantemente. Por terem que se deslocar de grandes centros para as periferias, preferem se dedicar a outras atividades não relacionadas à educação, deixando turmas de alunos com substitutas sem qualquer qualificação para os conteúdos essenciais. 

 

Não aprendemos quase nada com a necessidade. Se o delivery cresceu e se estabeleceu, o uso de tecnologias para estimular e motivar os alunos em paralelo com o presencial não teve o mesmo efeito. 

 

A realidade virtual expressa pelos gestores públicos de educação – em todas as esferas municipais, estaduais e federal – destoa da realidade verdadeira e sofrida das escolas sem recursos básicos para receber alunos e que possibilitem o aprendizado contínuo e progressivo. 

 

Foram 4 ministros de educação em 3 anos e meio, sem qualquer proposta de política pública consistente para a pasta. Da mesma forma, vimos a maior parte dos estados correr atrás de uma estratégia para manter os alunos ativos durante a pandemia, mas nada se fortaleceu como sistema após a volta às aulas presenciais. 

 

A educação pública vive, sim, o metaverso, mas com um viés patético e ilusório. 

 

*César Silva é especialista em gestão educacional, atual presidente da Fundação FAT 

17

Abr

Inscrições para Effie College 2022 estão abertas

O Effie College iniciou o processo de inscrições das universidades e faculdades para a quinta edição do evento, que premia trabalhos publicitários desenvolvidos por estudantes de comunicação ou administração. A cerimônia de premiação do evento deste ano acontece em 8 de novembro no Hotel Unique, em São Paulo.

Para participar, o coordenador da universidade deve enviar um e-mail para o Meio & Mensagem (lramalho@grupomm.com.br) até 30 de abril.

As instituições de ensino são parte fundamental do processo, já que, para participar, os grupos de alunos precisam contar com a supervisão de um tutor acadêmico.

Já os alunos, têm entre um e 19 de agosto para realizar a inscrição da equipe.

16

Mar

Execom chega aos 19 anos pronta para novos desafios

Do sonho compartilhado entre dois amigos de faculdade, a uma das mais bem-sucedidas agências de propaganda do mercado potiguar.

Em 19 anos, a Execom, que no seu início despontou como Executiva Propaganda, percorreu uma trajetória de conquistas somadas ao sabor de todas as mudanças tecnológicas. Hoje, consolidada por meio de um trabalho reconhecido tanto no ambiente “on-line” quanto no “off-line”, figura entre as mais premiadas agências do estado e busca, cada vez mais, excelência no mercado publicitário do Nordeste.

Nos seus 19 de existência há muito o que comemorar: além de uma vasta carteira de clientes nos mais variados segmentos (público, privado, economia mista e terceiro setor), a empresa coleciona premiações locais, nacionais e até internacionais. Todo esse trabalho gerou crescimento exponencial, participação ativa no mercado e uma sede bem estruturada, instalada no edifício Manhattan Business Center, encravado no Tirol.


A equipe atual conta com 43 colaboradores, atendendo al cerca de 50 clientes. “O melhor de termos chegado até aqui, apesar de todas as turbulências do nosso mercado, é a certeza de sempre estarmos buscando o fator qualidade em tudo o que produzimos. Parece um segredo simples, mas requer foco e determinação, com o mesmo grau de atenção ao cliente”, afirma o publicitário Odemar Neto, diretor da Execom.

O outro diretor da empresa, Erick Gurgel, que já acumulava 10 anos de experiência em comunicação antes de abrir a Execom, acrescenta: “são 19 anos trabalhando incansavelmente com a missão de satisfazer aos clientes, com honestidade, qualidade e pontualidade nos Jobs, aliando planejamento e criatividade”, observa.

A atuação da empresa no mercado confirma a postura dos empresários que estão sempre atentos e atualizados nas mudanças que a agilidade da comunicação impõe. Vida longa à Execom! 


4

Fev

Estudo revela como a direção do olhar pode impactar o desempenho dos anúncios nas plataformas digitais

A VidMob, plataforma líder em Inteligência Criativa, realizou uma pesquisa que mostra como a direção do olhar de um personagem nos primeiros segundos de um anúncio em vídeo pode afetar significativamente as métricas de desempenho de uma campanha.

No estudo inédito, a VidMob aplicou tecnologia de Inteligência Artificial proprietária para detectar a direção específica do olhar fixo e sua relação com o engajamento do anúncio.

A tecnologia da VidMob analisou minuciosamente os anúncios, e os dados foram agrupados em duas categorias: Olhar Direto, em que o modelo olha diretamente para a câmera, estabelecendo contato visual com o consumidor, e o Olhar Indireto, quando o modelo olha em qualquer direção que não seja diretamente para a câmera.

As conclusões foram geradas a partir de uma análise de 1,1 milhão de anúncios nas redes sociais, totalizando mais de 2 trilhões de impressões veiculados no Facebook, Instagram, Snapchat e YouTube, e mostram que a variação no olhar pode influenciar as taxas de cliques, de visualização, de instalação (para anúncios de apps, por exemplo) e o retorno sobre o gasto com publicidade (ROAS).

“Os dados mostram como o público responde de maneira diferente a determinados elementos criativos e que uma marca deve implementar uma estratégia de análise criativa para entender como esses elementos podem ser usados para influenciar positivamente os resultados de sua campanha”, diz Beth Gostanian, VP de produto da VidMob. “Para entregar o maior retorno sobre seus gastos com publicidade, as marcas e os anunciantes precisam explorar seus próprios dados criativos para melhorar a eficácia de seus anúncios.”

Os destaques da pesquisa incluem:

  • Olhares diretos foram associados a taxas de cliques mais altas quando as marcas buscavam engajar os espectadores propositalmente no diálogo, como em conteúdos educacionais e de jogos.
  • Olhares indiretos aumentaram as taxas de cliques e visualizações nos segmentos de esportes, estilo de vida e conteúdo médico.
  • Combinar olhares diretos com expressões faciais positivas teve um impacto positivo no desempenho de campanhas para instalação de aplicativos.

“Quando realizado de forma inteligente, o olhar fixo pode ter um efeito positivo no desempenho do anúncio, mas seu impacto é influenciado pelo posicionamento do anúncio, pela narrativa e pelo objetivo da campanha, por isso é tão complexo e só com a tecnologia somos capazes de analisar tantos dados e variáveis”, explica Beth.

Uma marca global de jogos para celular incluída neste estudo descobriu que apresentar personagens no jogo com olhar direto no começo do anúncio em vídeo no Facebook resultou em uma redução de 10% no custo por instalação (CPI). Se esses mesmos personagens olhassem diretamente para a câmera e tivessem expressões faciais felizes, o CPI diminuía mais 35%.

Da mesma forma, uma grande marca de serviços financeiros descobriu que, quando o modelo olhava diretamente para a câmera, aumentava as taxas de visualização de 3 segundos para conteúdo educacional em impressionantes 59%. Enquanto isso, olhares indiretos, associados a imagens de estilo de vida casual, foram associados a um aumento de 44% nas taxas de cliques para anúncios sobre produtos ou serviços específicos, como fundos de investimento, cartões de crédito e empréstimos.

"Em outras indústrias, como a de  aluguel de carro, o talento olhando diretamente para a câmera contribuiu na redução do custo para CPM em 13%. Temos observado a importância do olhar do talento em campanhas de CPG com foco em awareness e video views", comenta Mariana Lagares Alegria, Strategic Client Manager da Vidmob.

“O impacto do contato visual é apenas um exemplo de como o criativo pode influenciar o desempenho geral da publicidade”, acrescentou Beth. “As equipes de publicidade e criação podem e devem usar esse processo criativo inteligente para analisar e compreender os elementos criativos que irão impulsionar o desempenho, melhorar a experiência do anúncio e produzir melhores resultados de negócios”.

2

Fev

Lu, do Magalu, se torna a primeira influenciadora virtual brasileira em uma capa de revista

Esta semana, a Lu, do Magalu, maior influenciadora virtual do Brasil, é a capa digital da Vogue, uma das principais publicações de moda que circulam no país. É a primeira vez que uma influenciadora 3D brasileira  estampa uma capa de revista. A matéria de capa fala sobre a parceria do Magalu com a Nordestesse, associação que reúne 18 marcas nordestinas, donas de uma produção autoral e artesanal, cujo portfólio estará à venda do SuperApp da companhia. 

O Nordestesse é um hub criativo, idealizado pela jornalista baiana Daniela Falcão, que seleciona e promove o trabalho de empreendedores e criativos dos nove estados do Nordeste. O objetivo é abrir portas e disseminar o design autoral e as expressões artísticas populares que resgatam a identidade ancestral da região, valorizando tradições, crenças e costumes. “A presença inédita da Lu na capa da Vogue, vestindo peças que fazem parte do Nordestesse, nos ajuda a construir mensagens importantes, como a valorização da produção regional e a consolidação da personagem como ícone fashion”, diz Pedro Alvim, gerente sênior de Redes Sociais do Magalu.


A entrada dos novos produtos no Magalu reforçam sua principal estratégia, a de digitalizar os pequenos negócios brasileiros. “Dentro da vertical de moda, uma de nossas frentes de atuação é a de atração de novos sellers para a plataforma. A Nordestesse tem a intenção de trazer novos varejistas do setor, e de todo o país, para que vendam na nossa plataforma”, afirma Silvia Machado, diretora executiva de moda e beleza do Magalu. “Essa parceria está completamente em linha com a missão do Magalu, que é levar acesso. Estamos digitalizando o varejo brasileiro e a vertical de moda é das que faz isso de maneira mais inclusiva e democrática. A quase totalidade dos pequenos varejistas de moda é analógica e temos a oportunidade de ajudá-los a entrar no mundo do e-commerce.”

2

Fev

Agências de comunicação anunciam fusão e nova diretoria de operações

As agências de comunicação com atuação no mercado potiguar WAWS e a Colina Tech acabam de anunciar que agora são uma só: WAWS&CO.

Com a união dos dois times, os mais de 20 anos de atuação da agência de publicidade comandada por Túlio e Arthur Dantas se somam a todo o know-how em tecnologia e inbound marketing de Lucas Trindade e Joel Lopes. O resultado é um catálogo de serviços exclusivos, pensados para potencializar negócios.

A fusão coincide com a chegada da profissional de marketing Giovana Andrade ao quadro societário da empresa. Ela ficará responsável pela Diretoria de Operações. “Temos um time afiado e afinado, que está pronto para se movimentar na velocidade que o mercado pede”, conta Giovana.


Túlio Dantas, CEO da WAWS&CO, conta que se trata de “uma agência de comunicação 360 graus, com contas nas cinco regiões do país e parcerias importantes”. 

Dentre essas parcerias, destaca-se a nível gold com a RD Station, maior agência da ActiveCampaing no Nordeste, e com o Google, que coloca a WAWS&CO dentro de um seleto grupo de agências capazes de entregar grandes resultados no Brasil.

Como resume Joel Lopes, à frente da Diretoria de Tecnologia, “por muitos anos, a comunicação teve a criatividade e a estratégia como únicos pilares, mas as métricas já aparecem com o mesmo grau de importância, pois são elas que vão permitir performances mais assertivas e melhores resultados para empresas e negócios”.

18

Jan

Espanha vai regular publicidade de influenciadores com criptomoedas

A Espanha vai aumentar a marcação em cima do mercado de criptomoedas – ou mais especificamente, da sua relação com o mercado de influência. De acordo com a Reuters, o governo chancelou nesta segunda-feira (17) uma nova lei que vai exigir que empresas e influenciadores reportem à Comissão Nacional de Segurança do Mercado (CNMV) do país a realização de uma campanha publicitária envolvendo criptoativos pelo menos dez dias antes dos trabalhos. A regulação entra em vigor já no começo de fevereiro e se aplica a todas as celebridades com mais de cem mil seguidores que forem pagos para divulgar tokens.

A legislação é bem incisiva, aliás. Os anunciantes serão obrigados a liberar o conteúdo de suas ações em caráter antecipado à CNMV, bem como incluir avisos dos riscos envolvidos nos produtos que vendem publicamente. Segundo a Reuters, a manobra ocorre sobretudo para ajudar o órgão a monitorar o meio em torno do assunto, bem como garantir que o público espanhol tenha consciência do que pode estar entrando ao criar uma carteira virtual e adquirir tokens.

As preocupações do governo espanhol são válidas. Como bem lembra o The Verge, na semana passada um grupo de influenciadores do porte de Kim Kardashian e Floyd Mayweather foi submetido a um processo na corte norte-americana por conta de uma ação promovendo a EthereumMax, uma criptomoeda que acabou valorizando alucinadamente durante a campanha até virar uma bolha e estourar; ao fim da campanha, seu valor estava reduzido a centavos. É o risco de uma situação de quase golpe, com o consumidor comprando um produto pelo preço cheio para o mesmo logo depois perder toda a usabilidade.

Apesar da regulação ser uma grande novidade, não é a primeira vez que a CNMV se atenta à situação das criptomoedas na publicidade. Em novembro, o órgão respondeu a um tuíte de Andrés Iniesta que promovia o criptoativo Binance comentando que o item não havia sido regulado na lei espanhola. A publicação, aliás, tinha todo o perfil de patrocinada pela marca, mesmo não sendo sinalizada como anúncio pelo jogador.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/156860/espanha-vai-regular-publicidade-de-influenciadores-com-criptomoedas/

12

Jan

Pesquisa: “Cultura do cancelamento” não preocupa a maioria das marcas

Embora o fenômeno que acabou conhecido como “cultura do cancelamento” – em que as pessoas pedem boicotes a personalidades ou marcas por conta de atitudes que reprovam – tenha aumentado dramaticamente nos últimos anos, muitos anunciantes e profissionais de marketing não estão tão preocupados com isso, de acordo com uma pesquisa recente divulgada pela Forrester e realizada nos Estados Unidos.

O estudo apontou que 57% dos executivos de marketing de empresas direct-to-consumer acreditam que os possíveis impactos de um “cancelamento” ou boicote não afetarão as vendas de suas marcas. Cerca de 59% dos executivos não acreditam que algum “cancelamento” afetará sua marca.

“Observamos que a ‘cultura do cancelamento’ impacta mais as marcas pessoas do que as empresas. As pessoas, mais do que as companhias, podem ser materialmente impactadas pela fúria da ‘cultura do cancelamento’”, declarou Mike Proulx, VP de e diretor de pesquisa da Forrester, em um posto feito no blog da companhia. Apesar disso, apontou ele, as marcas não estão imunes aos efeitos do cancelamento.


A Forrester define essa nova cultura como uma “campanha pública generalizada (frequentemente feita via mídias social) para responsabilizar uma empresa pelas consequências de alguma irregularidade.”

Nos últimos anos aconteceram, nos Estados Unidos, ‘cancelamentos’ de marcas como Goya Food (depois de executivos da companhia terem feito comentários a favor de Donald Trump, há dois anos), e da Aunt Jemima, que foi rebatizada como Peal Milling Co. no ano passado em um esforço de tirar da marca o estereotipo do racismo. Como apontou Prouxl, muitas celebridades também caíram em desgraça perante seus seguidores. Chrissy Teigen, por exemplo, foi ‘cancelada’ no ano passado após relatos de seu cyberbullying terem vindo à tona.

De acordo com a Forrester, 55% dos adultos dos Estados Unidos que estão conectados à internet estão dispostos a boicotar uma marca que “intencionalmente tenha práticas anti-éticas”; já 53% declararam que boicotariam uma marca se descobrissem casos de maus tratos de seus funcionários.

Mas já algumas estratégias que as marcas podem adotar para melhorar sua imagem diante de boicotes ou de publicidade negativa.

A Forrester aconselha que as empresas assumam seus erros. O estudo apontou que 41% dos consumidores voltariam a consumir de uma marca que pedisse desculpas e admitisse que errou. Empresas como Aunt Jemima e Uncle Bek deram um passo adiante nesse aspecto ao fazer reavaliações de suas marcas.

As empresas também devem ter certeza de que são tão indispensáveis a seus consumidores que um boicote, nesses casos, estaria fora de questão. Por último, a Forrester apontou que as marcas devem preservar seus valores, uma vez que o estudo apontou que 22% dos consumidores adultos boicotariam uma marca que não compartilhasse seus valores com o público.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2022/01/11/cultura-do-cancelamento-nao-preocupa-a-maioria-das-marcas.html

20

Dez

Pesquisa LinkedIn: as preocupações dos líderes de marketing com o trabalho híbrido

É inegável que a pandemia transformou, talvez de forma definitiva, a forma de trabalho das pessoas. Depois meses de home office, muitas organizações viram na manutenção de um modelo híbrido – com dias alternados entre idas ao escritório e trabalho em casa – um caminho possível. Alguns líderes de marketing, no entanto, estão preocupados que o menor tempo passado dentro das empresas possa impactar a entrega criativa.

A percepção foi revelada por uma pesquisa realizada pelo LinkedIn, que entrevistou 350 executivos de marketing do Brasil e do México (sendo 59 CMOs) para compreender suas visões a respeito dos novos modelos de trabalho.

A principal preocupação manifestada por esses líderes de marketing é de que, pelo fato de passarem parte do tempo trabalhando à distância, em suas casas, os profissionais podem não se sentir tão à vontade uns com os outros, o que, por consequência, acabaria prejudicando os processos criativos. Entre os entrevistados, 63% avaliam que a pandemia enfraqueceu os laços sociais entre as equipes de trabalho; já 36% dos líderes de marketing acreditam que o trabalho remoto – ou híbrido – tornará mais difícil a construção de relacionamentos significativos no ambiente profissional.

Ajudar os funcionários a se adaptarem a essa nova realidade e garantir entregas profissionais criativas e um ambiente saudável será prioridade para esses líderes de marketing. Entre os entrevistados da pesquisa no LinkedIn, 81% afirmam que uma de suas prioridades para o próximo ano será encontrar novas formas de trabalhar junto às suas equipes. Para conseguir liderar seus times, esses profissionais apontam, como habilidades essenciais, a empatia (citadas por 54%), adaptabilidade (51%) e integridade (42%).

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2021/12/17/as-preocupacoes-dos-lideres-de-marketing-com-o-trabalho-hibrido.html

20

Dez

Mulheres são as maiores consumidoras de vídeos online

As mulheres são a maioria do público consumidor de vídeos online do Brasil. O público feminino corresponde a 54,1% da audiência dos vídeos assistidos no País entre os dias 5 e 11 de dezembro deste ano.

O dado é a primeira amostra divulgada pela Kantar Ibope Media de seu novo Painel 2.0 que, via Focal Meter, passa a aferir a audiência dos vídeos digitais. Segundo o instituto de pesquisa, o público jovem adulto é o campeão em consumo desse tipo de formato (26% da audiência corresponde a pessoas de 18 a 34 anos).

Para captar o consumo de vídeos online, a empresa já instalou os equipamentos em 1600 domicílios de suas 15 praças nacionais, para compor a amostra de audiência. Nos próximos meses, novos dados de mensuração serão disponibilizados por meio da solução Video Streaming Report, que será oferecida pela empresa aos seus clientes.

A meta da Kantar Ibope Media é ter o Painel 2.0 instalado em três mil domicílios brasileiros até o final de 2022, o que, segundo a empresa, contemplaria todo o ecossistema de vídeos do Brasil.

Outros indicativos dessa primeira amostra apontam que o dia em que os brasileiros mais assistem a vídeos online é o domingo e que o dia de menor consumo é a quinta-feira. Para desfrutar do conteúdo, o aparelho mais usado são as smarTVs (consumidas por 48% da amostra), seguidas dos smartphones (42%), computadores (8%) e tablets (2%).

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/12/17/mulheres-sao-as-maiores-consumidoras-de-videos-online.html

3

Dez

Pesquisa: 59% das agências adotarão modelo híbrido definitivamente

Pesquisa realizada pelo Sistema Sinapro/Fenapro (Sindicado das Agências de Propaganda e Federação Nacional das Agências de Propaganda) aponta que o modelo híbrido de trabalho já é o mais adotado pelas agências brasileiras. O estudo ouviu 288 agências, de 16 estados mais o Distrito Federal, e revelou que cerca de 41% delas já estão operando no modelo híbrido após o avanço da vacinação no País e da flexibilização dos protocolos de prevenção à Covid-19. Já a escolha exclusiva pelos modelos de trabalho remoto ou presencial aparecem empatadas, com citação por 29% dos respondentes. 

Com relação ao formato que será adotado quando a crise sanitária do coronavírus estiver completamente controlada, 59% das agências disseram que adotarão definitivamente o modelo híbrido de trabalho (com a alternância entre os dias de trabalho nos escritório e dias de home office); 33% pretendem voltar ao modelo estritamente presencial e apenas 8% permanecerão no modelo totalmente remoto.

Ainda sobre as agências que indicaram a preferência pelos modelos presencial ou híbrido, quando perguntadas sobre a previsão de volta, 33% declararam que pretendem retornar ao escritório ainda neste ano; 34% voltarão apenas em 2022 e 31% não têm previsão ou não pretendem voltar aos escritórios. 

 

“Muitas agências perceberam que o trabalho híbrido pode ser interessante tanto para os funcionários, que podem aumentar sua qualidade de vida e o rendimento profissional, quanto para as empresas, que cortaram custos relacionados ao trabalho presencial e encontraram uma forma de sobreviver com o modelo remoto. Por isso, o modelo híbrido de trabalho veio para ficar”, afirma Daniel Queiroz, presidente da Fenapro. 

Segundo ele, o modelo remoto foi adotado no começo da pandemia como alternativa de redução de custo e necessidade do momento. Porém, essa redução de custos, agora, pode se transformar em um investimento para estabelecer um trabalho híbrido em novos formatos. “Esse recurso, que antes era dedicado totalmente ao presencial, passa a ser dividido para além desse formato, especialmente na utilização de métodos e ferramentas de gestão de pessoas nesse modelo de trabalho”, completa Queiroz.  

Diferenças regionais

O estudo também percebeu diferentes níveis de adesão ao trabalho híbrido, presencial ou remoto de acordo com cada estado. Nas agências do Distrito Federal, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e São Paulo, o trabalho estritamente remoto deverá se manter no futuro próximo, em percentuais que vão de 6% (caso do Espírito Santo) até 13% (nas agências de São Paulo).

Já nas agências de estados como Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina tende a existir a predominância do trabalho híbrido. No Paraná e em Santa Catarina, o trabalho presencial respondeu pelo maior percentual mesmo durante o período de pandemia, em índices de 35% e 58%, respectivamente, e deve permanecer assim.  

Atualmente, São Paulo, estado com a maior quantidade de agências entrevistadas na pesquisa (47), apresenta 45% das agências trabalhando de modo remoto; 34%, em modo híbrido; e 21%, em formato presencial. Para o futuro, 50% indicam a preferência pelo modelo híbrido; 36%, pelo presencial; e 14%, pelo remoto.  

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2021/12/02/trabalho-hibrido-59-das-agencias-devem-adotar-modelo-de-forma-permanente.html

2

Dez

TV Globo reforça cores e muda identidade visual

Junto a sua tradicional campanha de fim de ano, a TV Globo apresentou aos espectadores na noite dessa quarta-feira, 1 de dezembro, a nova identidade visual da emissora. A partir de agora, o tradicional globo da marca ganha cores mais fortes, que transbordam da esfera para toda a tela. A proposta, segundo a emissora, é mostrar ao espectador que não há limites entre marca e conteúdo.

“Para a mudança na identidade visual quisemos refletir toda a proximidade com o público que a marca TV Globo traz. Uma marca que se adapta aos novos tempos, sem perder seu DNA, que é forte e consistente”, diz Manuel Falcão, diretor de marca e comunicação da Globo, ao Meio & Mensagem.

A apresentação do novo on-air aconteceu junto ao lançamento da mensagem de fim de ano, que tem como tema os reencontros e a celebração, sobretudo após esse período de pandemia. Falcão conta que, em 2021, a Globo quis falar de reencontro com otimismo e positividade, retratando os talentos voltando à rotina e aos estúdios, em clima de confraternização.

“Toda essa narrativa de renovação, esperança e reencontro terminou em uma explosão de cores, que abriu caminho para a apresentação da nova identidade visual da TV Globo, que o público pode ver”, explica o diretor, acrescentando, ainda, que em respeito às vítimas da pandemia, a emissora decidiu suprimir neste ano o conhecido refrão “Hoje a festa é sua, hoje a festa é nossa”, que tradicionalmente embala suas mensagens todos os anos. Assista ao filme:

A campanha destaca os atores, atrizes, apresentadores, jornalistas e outros profissionais da casa se encontrando nos estúdios e corredores da Globo. Para apresentar o comercial ao público, a Globo exibiu um making of da campanha, logo após a edição do Jornal Nacional. Antes, no próprio jornalístico, o canal também mostrou uma reportagem para explicar sobre a mudança da identidade visual, destacando as novas cores do logo.

Em outubro deste ano, a Globo também lançou uma campanha institucional para apresentar ao mercado publicitário a nova empresa resultante da fusão da TV Globo, Globosat, Globoplay e Globo.com. Com o conceito “Do Plim ao Play”, a mensagem publicitária destacou o caráter multiplataforma do grupo e destacou como os programas, talentos e mensagens da emissora se conectam por diferentes telas. O conceito foi desenvolvido em parceria com a Accenture Interactive.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/12/02/tv-globo-reforca-cores-e-muda-identidade-visual.html

1

Dez

Natal, capital da propaganda: SINAPRO-RN é anfitrião da reunião da Federação Nacional das Agências de Propaganda nesta semana

O Sindicato das Agências de Propaganda do Rio Grande do Norte (SINAPRO-RN) será anfitrião, nesta quinta (02/12) da reunião anual entre a Federação Nacional das Agências de Propaganda (FENAPRO) e os SINAPROS de todo o país. Pelo menos quinze sindicatos regionais e mais a presidência da federação estarão em Natal para fazer o balanço do ano de 2021 para o setor, discutir o momento de aquecimento da economia e os novos modelos de agências de comunicação que vem se consolidando pelo mundo. 

A reunião será reservada e terá início às 14h, no Auditório do Hotel Serhs Natal, seguindo até as 19h. E segue na sexta-feira, das 8h às 12h. “Depois de dois anos, teremos esse importante encontro em Natal, da principal reunião da Fenapro e Sinapros. Para nós, é motivo de grande alegria sermos a sede da retomada das reuniões presenciais”, afirmou Odemar Neto, presidente do SINAPRO-RN. 

Odemar destaca que o sindicato potiguar tem tido destaque, neste ano, por algumas iniciativas tomadas por aqui. O SINAPRO-RN foi um dos primeiros a realizar a atualização do regimento, incluindo agências que prestam serviços de comunicação em geral e a juntar os serviços do digital na tabela geral de serviços publicitários, com atenção às tendências do mercado. Além disso, conseguiu agregar um bom número de novos associados, hoje somando 18 agências. 

Para o presidente do SINAPRO-RN, a reunião ocorre em um momento que o mercado publicitário, de maneira geral, vive uma expansão. “A propaganda continua sendo a alma do negócio, seja para uma campanha 360 graus com mídia em diversos veículos, seja nas mídias presentes em ambiente digital. O mercado publicitário do Rio Grande do Norte está bem aquecido e as agências estão contratando profissionais para dar conta da demanda em todas as áreas”, ressalta.

30

Nov

TikTok Awards: pela primeira vez no Brasil, rede social vai premiar talentos do país

“Onde tudo e todes se encontram”: é dessa forma que o TikTok Awards, pela primeira vez no Brasil, se apresenta para celebrar os talentow e as tendências que surgiram na plataforma durante o ano. No total, são 20 categorias, entre elas “Entregou tudo na For You”, “Resenha de Viagem”, “Nunca Foi Coadjuvante”, “Hit do Ano”, “Fofoca? Aceito”, “Chegou Brilhando” e “Profissão: Gamer”.

Os vencedores serão definidos por votação popular, que começa nesta segunda-feira (29), e anunciados em 15 de dezembro, em um evento especial no Teatro Alfa, em São Paulo. Além disso, o perfil @TikTokBrasil vai transmitir a premiação ao vivo.

As categorias fazem referência ao universo TikTok, como os vídeos POV e os duetos. O patrocínio fica por conta de Hurb, Americanas e Guaraná Antarctica.

TikTok

Com direito a tapete vermelho, o TikTok Awards começa às 19h com cobertura feita pela jornalista de entretenimento e influenciadora Foquinha no seu perfil @foquinha. Depois, a partir das 20h, Sabrina Sato assume a apresentação do evento, que contará ainda com a presença de Camila PudimPequena Lo e o embaixador global de games do TikTok, Nobru.

Os indicados são nomes muito conhecidos nas redes sociais: Maisa, Larissa Manoela, Luísa Sonza, Tiago Leifert, Lázaro Ramos e Ary Fontoura; revelações da música como João Gomes, Marina Sena e Mari Fernandez; além de personagens que se tornaram famosos na plataforma, como a criadora indígena Maira Godinho, sob o nome Jūgoa, o criador Matheus CostaRuivinha de Marte e a Pequena Lo. Confira abaixo a lista completa:

Entregou tudo na For You

Jügoa, @cunhaporanga_oficial
Pk, @pkllipe
Jess Bonfioli, @jess.bonfioli
Raphael Vicente, @raphaelviicente
Ruivinha de Marte, @ruivinhademarte
Andressah Catty, @andressahcatty
Bárbara Coura, @barbaracoura
Matheus Costa, @itsmatheuscosta
Camilla de Lucas, @camilladelucas
Ramana Borba, @ramanaborba
Vanessa Lopes, @vanessalopesr
Camila Pudim, @camilapudim
Fefe, @fefe
Marcela Montellato, @hunnybee24
Rebeca Barreto, @beca
Pequena Lo, @_pequenalo
Diego, @diegodiego_
Vittor Fernando, @vittorfernando
Isaías, @isaias
Mathy Lemoss, @mathylemoss

Vídeo do ano, check

Julia Reis, @juliareissss – Vídeo indicado
Lucas Mariano, @lucasmariano – Vídeo indicado
Mada e Bica, @madaebica – Vídeo indicado
Franklin Medrado, @franklinmedardo – Vídeo indicado
Lucas Cunha, @cunhalucass – Vídeo indicado
Rebeca Andrade, @rebecaandrade4 – Vídeo indicado
Vovôs TikTokers, @vovostiktokers – Vídeo indicado
Abud, @abudsadek – Vídeo indicado
Jügoa, @cunhaporanga_oficial – Vídeo indicado
Orlandinho O Rei do Piseiro, @euorlandinho – Vídeo indicado

Hit do Ano

“Bipolar” – Mc Don Juan, Mc Davi e Mc Pedrinho (GR6/INgrooves)
“MDS” – Kawe e Lele JP (ONErpm)
“Tipo Gin” – Kevin O Chris (ONErpm)
“Não, Não Vou” – Mari Fernandez (Sony Music)
“Apaga Luz, Apaga Tudo” – Mc Topre, DJ TS e DJ Duarte (ONErpm)
“Passinho Debochado” – Dan Ventura (ONErpm)
“Coração Cachorro” – Ávine Viny e Matheus Fernandes (Sony Music)
“Liberdade” – DJ GBR, Alok e Mc Don Juan (GR6/INgrooves)
“Nada contra (Ciúme)” – Clarissa (Olga/ ADA)
“Galopa” – Pedro Sampaio (Warner Music)

#AprendaNoTikTok

Tiago Valente, @otiagovalente
Patrick, @patzzic
Mr Bean da Matemática, @mrbeandamatematica
Ana Cristina, @anacnd
Kananda Eller, @deusacientista

Rindo até 2022

Thallysson Borges, @thallyssonsb
João Ferdnan, @joaoferdnan
Jandson, @jandson.ofc
Julia Rossi, @jujuu_rossi
Keira, @keirariff

Chegou brilhando

Lázaro Ramos, @olazaroramosmesmo
Mariana Xavier, @marianaxavieroficial
Ary Fontoura, @aryfontoura
Maisa, @maisa
Larissa Manoela, @larissamanoela

Joga y joga

Lucas Freestyle, @olucasfreestyle
Dida Footz, @didafreestyle
Raquel Freestyle, @raquelfreestyle
Daniel Braune, @brauneoficial
Wanderson Silva, @wandersonsilvaskt

Profissão: Gamer

Pedro Caxa, @pedrocaxa
Nala, @miihmoreno
Gabi e Mari, @play.zone
David Bertassi, @bertassiff
Tiago Leifert, @mclaifinho

Eu não nasci, eu estreei

Ananda, @ananda
Mari Fernandez, @marifernandezoficial
Marina Sena, @amarinasena
João Gomes, @joaogomesvq
Marcynho Sensação, @marcynhosensacaooficial

Hitou no TikTok

Péricles, @pericles (ONErpm)
Luisa Sonza, @luisasonza (Universal Music)
Ruivinha de Marte, @ruivinhademarte (ONErpm)
Grupo Menos é Mais, @grupomenosemais (Som Livre)
Lucas Silveira (Fresno), @lucasfresno (BMG)

Credo, que delícia

Debora Gomes, @deboragomesph
Thallita Xavier, @thallitaxavier
Patrício Carvalho, @patriciocarvalho21
Bia, @magicardb
Gabriel Bernardes, @downlicia

Trava na beleza

Mirella Qualha, @iamirellaa
Amanda Pieroni, @amandapieroni
Arthur Freixo, @arthurfreixo
Marco, @marcoquadrs
Verenaf, @verenafigueiredo

Resenha de Viagem

Laís e Renan, @traveleiros
Marina e Michel, @motionme
Amandinha, @prefiroviajar
Daniel, @danielfaouakhiri
Marcos Vaz, @vazaonde

POV

Nic, @nisculas
Anna Luiza, @annaluiza_chaves
Jotta, @jottav
Nicolas Avansini, @nicolasavansini
Nayuriabe, @nayuriabee

Dueta comigo

“Underêrê Jazz”, com Andressah Catty, Erika Affonso, Vitor Torres e Zac Rose
“Genro Bonito”, com Lucca e Julie Mendes
Como chama isso na sua cidade?”, com Lua Magalhães e Clarito
“Gkay reage a palavras difíceis”, com Gkay e Cyan Marie
“React dança Virginia”, com Vitu Channel e Vanessa Lopes

Deu Show

Gabriel Zoldan, @gabriel.zoldan
Mc Nau, @mcnau
Manu Della Monica, @manudellamonica
Vitor Torres, @vitu.torres
Jordan e Mel, @jordanemel

Nunca foi Coadjuvante

Seu Zé (pai do Matheus Costa), @itsmatheuscosta
Dona Maria (mãe do Pk), @pkllipe
Família do Raphael Vicente, @raphaelviicente
Seu Boinha (pai do Francisco Garcia), @fgnico
Lucas (noivo da Yasmin Castilho), @yasminhcastilho

Good Video Well Played

Meu setup gamer”, com Tiago Leifert, @mclaifinho
Gameplay COD”, com Vieira, @ngvieira
Head Kill”, com Ninext, @ninextt
Gameplay Free Fire”, com Cerol, @cerolzera
Gaming Culture Free Fire”, com Bruno PH, @bruno.playhard

Fofoca? Aceito.

John Bin, @johnogp
Matheus Baldi, @matheusbaldii
Vitor Guergui, @vitorguergui
Nikita, @nadadefofoka
Mari, @itsmaraujo

Pet do Ano

Gudan, o Husky Cinzento, @gudan_ohusky
Mada e Bica, @madaebica
Kiliquinha, @kiliquinha
Malcon, @malcomsalsicha
JansenGato, @jansencat

Você pode votar aqui.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/154701/tiktok-awards-pela-primeira-vez-no-brasil-rede-social-vai-premiar-talentos-do-pais/

23

Nov

Pesquisa: marcas ampliam quantidade de fãs no Instagram

Nos meses de julho, agosto e setembro, as marcas tiveram um crescimento de 3,7% no número de fãs do Instagram, na comparação com os meses anteriores de 2021. O índice foi apresentado pela edição mais recente do relatório Mídias Sociais 360º (#MS360FAAP), elaborado trimestralmente pelo Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) do Centro Universitário Faap e a Emplifi.

Essa edição do relatório apresenta um novo formato em relação às anteriores. Elaborado desde 2014, o estudo, agora, apresenta os resultados mensurados com base em perfis cadastrados na plataforma da Emplifi, de acordo com diferentes categorias. Antes, a pesquisa considerava apenas os 100 perfis com mais interações em cada um desses grupos. Segundo o coordenador do núcleo de inovação em mídia digital da Faap, professor, Eric Messa, a mudança tem o objetivo de trazer dados mais próximos da realidade.

De acordo com o estudo os perfis de marcas cresceram mais, em quantidade de fãs, do que os de influenciadores. Enquanto os perfis de anunciantes tiveram um aumento de 3,7% no trimestre, os perfis de influenciadores apresentaram aumento de 1,5%, na quantidade de fãs, em relação ao trimestre anterior. Os detalhes do estudo podem ser vistos na página do relatório.

O relatório aponta que o motivo para esse movimento está, entre outras coisas, na melhora do desenvolvimento de conteúdo pelos perfis de marcas, que estão mais assertivos em sua comunicação. Além disso, a abertura da economia, com o enfraquecimento da pandemia, o que aumenta o interesse do consumidor por novos produtos e serviços.

O nível de engajamento dos influenciadores, no entanto, ainda é superior ao das marcas. Uma foto postada por um influenciador teve, na média, 7.424 interações no período, enquanto as fotos postadas por marcas, em média, tiveram 181 interações. A pesquisa Mídias Sociais 360º (#MS360FAAP) aponta, ainda, que a forma preferencial de interação com o Instagram ainda é o like.

Facebook
O estudo da Faap e da Emplifi também aponta que o Facebook ainda possui um papel importante para as estratégias de marcas e influenciadores. A categoria Mídia, que agrega as plataformas de notícias na rede social, foi a que recebeu maior número de interações no trimestre.

Cada post feito nesse segmento teve, em média, 70 mil interações (entre curtidas, reações, comentários e compartilhamentos). O professor Tiago Costa, que participou do estudo, alerta que, embora os influenciadores tenham no Instagram, TikTok e no YouTube suas principais plataformas, o Facebook também acaba sendo importantes para as interações. De acordo com o professor, cada página de influenciador na rede social tem, em média 461 mil fãs.

O estudo também mostra, no entanto, que a porcentagem de posts impulsionados no Facebook ainda é baixa em relação às publicações impulsionadas em todas as páginas. As marcas são os perfis que mais investem em impulsionamento pago de conteúdo. Porém, apenas 10,6% dos posts feitos por marcas no Facebook recebem verba para ampliar seu alcance.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/11/22/marcas-ampliam-quantidade-de-fas-no-instagram.html