Tecnologia

15

Nov

Tecnologia

Google Maps implementa recurso de tradução

O Maps já permite explorar um bairro antes de reservar um hotel, obter instruções em trânsito e até mesmo ver os restaurantes que os locais recomendam nas proximidades, graças a avaliações traduzidas automaticamente. No entanto, ao conhecer lugares novos, o idioma ainda pode representar uma barreira. E foi pensando nisso que, nesta quarta-feira (13), o serviço de pesquisa e visualização de mapas e imagens de satélite da Terra gratuito do Google lançou um recurso de tradutor que permite que o telefone fale o nome e o endereço de um local na linguagem local.

Basta tocar no botão do novo alto-falante ao lado do nome ou endereço do local e o Google Maps o dirá em voz alta. Além disso, quando você quiser ter uma conversa mais profunda, o Google Maps o vinculará rapidamente ao aplicativo Google Translate.

Essa tecnologia de conversão de texto em fala detecta automaticamente o idioma que seu telefone está usando para determinar em quais lugares você pode precisar de ajuda para traduzir. Por exemplo, se seu telefone estiver definido como inglês e você estiver procurando um local de interesse em Tóquio, verá o novo ícone do alto-falante ao lado do nome e endereço do local, para que você possa obter uma tradução em tempo real. Vale lembrar que esse novo recurso será lançado este mês no Android e iOS, com suporte para 50 idiomas e mais a caminho.

Em outubro deste ano, uma empresa de marketing digital chamada SEMrush mapeou as principais plataformas focadas em mobilidade urbana para entender quais foram os mais pesquisados de 2019 e descobriu que o Google Maps é a plataforma mais pesquisada pelos brasileiros, com 62 milhões de buscas por seu nome. Em segundo lugar na pesquisa fica o Uber, que recebeu 7,9 milhões de buscas na internet por seu nome ao longo do período apurado. Já o terceiro lugar do ranking fica por conta da plataforma BlaBlaCar, focada em caronas, e em quarto lugar fica o Moovit, aplicativo que se considera um guia do transporte público.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-maps-implementa-recurso-de-traducao-155207/

14

Nov

Tecnologia

Primeiro aplicativo de doação de mudas é potiguar

O Viveiro de Mudas é o primeiro aplicativo de doação de mudas e sementes do Brasil. A plataforma digital, que já está disponível para download no Google Play, possui uma navegação intuitiva e a possibilidade de solicitações e de doações de mudas pelos usuários. Para baixar o app basta seguir para o link. O aplicativo pode ser utilizado tanto para solicitação como para doação de plantas.

“Para doar, basta o usuário cadastrar a planta com uma foto com boa qualidade, informar a quantidade disponibilizada e informações adicionais sobre a espécie. Também é possível manter um registro do número de doações realizadas e adotadas”, explica Pollyane Azevedo, criadora e uma das administradoras do grupo Viveiro de Mudas, que é responsável pelo app.

Para solicitar mudas, o usuário pode realizar uma busca por aproximação. O aplicativo tem um mapa que ajuda na localização de doadores próximos de onde o usuário reside. A finalização do pedido é feito via chat dentro do próprio aplicativo

O aplicativo, que ainda está em fase de testes e não possui  propagandas, também conta com outras funções como: favoritar um doador e avaliá-lo proporcionando mais segurança e credibilidade em relação às doações e obtenção de dicas básicas de plantio e reprodução para ajudar os iniciantes na jardinagem.

14

Nov

Tecnologia

Google deve lançar conta bancária que funciona por aplicativo de celular

De acordo com informações exclusivas obtidas pelo The Wall Street Journal, a gigante da tecnologia está desenvolvendo um projeto chamado Cache, que vai oferecer ao usuário a abertura de uma conta-corrente.

O Cache está sendo criado em parceria com o Citigroup e uma pequena empresa financeira da Universidade de Stanford, que terão a responsabilidade de controlar os dados financeiros e verificar a conformidade regulamentar. O objetivo do projeto, segundo declaração do executivo Caesar Sengupta à fonte, é ajudar mais pessoas a terem acesso à digitalização dos serviços bancários.

Pensando na preocupação do usuário com a segurança, o executivo do Google garantiu que os dados financeiros de seus clientes não serão vendidos a anunciantes, e aproveitou para afirmar que as informações do Google Pay também não são usadas para a criação de anúncios.

Além do Google, a Apple também resolveu investir mais a fundo no mercado financeiro com o lançamento do cartão de crédito Apple Card. O Facebook também está entrando nessa nova moda com a criação da sua criptomoeda Libra e da carteira digital Calibra, e com o sistema de pagamentos Facebook Pay, que foi anunciado nesta semana.

De acordo com as informações da fonte, o lançamento da novidade deve acontecer em algum momento do ano que vem, mas ainda não há detalhes sobre datas específicas e disponibilidade global.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/projeto-cache-conta-corrente-do-google-deve-chegar-em-2020-155205/

12

Nov

Tecnologia

Lojas de rua e sites lideram preferência de compras da Geração Z, indica estudo

A Geração Z é um importante grupo de consumidores, que, além de pesquisar na internet, também procura as lojas físicas antes de fazer suas compras. Embora gastem boa parte de seu tempo utilizando dispositivos móveis para pesquisar e informar-se, é comum que queiram visitar lojas físicas para testar, avaliar, fazer descobertas e tirar dúvidas.

O estudo, conduzido pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), mostra que 77% desses jovens utilizam os meios off-line com mais frequência para realizar compras de produtos e serviços, como as lojas de rua (48%) e os shopping centers (42%). Ao mesmo tempo, 71% preferem utilizar os meios on-line, especialmente sites de lojas (52%).

A maioria dos jovens afirma que pagam suas compras na maior parte das vezes à vista (65%), principalmente em dinheiro (38%) e no cartão de débito (12%). Outros 31% pagam a prazo com destaque para o cartão de crédito (23%). A maior parte dos jovens pesquisados (57%) afirmou que tentou fazer alguma compra nos últimos três meses da data de realização da pesquisa e não conseguiu por falta de crédito.

Internet e tv aberta são os meios de comunicação mais consumidos

A pesquisa indica que os jovens da Geração Z ainda utilizam os meios de comunicação off-line e online praticamente na mesma proporção. Assim, considerando os que mais assistem, leem e ouvem, 77% mencionam as modalidades off-line, sobretudo a TV aberta (48%), a TV por assinatura (36%) e o Rádio (24%). Ao mesmo tempo, 68% já preferem os meios on-line, principalmente os portais na internet (66%) e os podcasts (11%). Os tipos de programa mais consumidos são os filmes e seriados (66%), música (49%), humor (46%) e games/jogos eletrônicos (33%).

Depoimento de usuários e indicação de amigos são fatores de influência na compra

Conectados e bem informados, os jovens da Geração Z valorizam as experiências de outros consumidores ao escolherem uma marca ou uma loja para realizarem suas compras. De acordo com a pesquisa, no processo de escolha de um produto ou serviço, o depoimento de outros usuários é o principal fator de influência (32%), seguido da indicação de amigos ou conhecidos (21%), dos especialistas ou profissionais (18%) e dos familiares (17%).

“Cada vez mais, esses novos consumidores serão atraídos por marcas que demonstrem coerência entre aquilo que propagam e o que são na prática. O produto ou serviço precisa corresponder ao que promete, pois as opiniões desses jovens viralizam rapidamente e podem influenciar muito a decisão de outros clientes e potenciais consumidores. Além disso, a Geração Z está acostumada a buscar informações sobre aquilo que quer – seja por meio de amigos ou de outros usuários e consumidores que compartilham opiniões e vivências reais nas redes sociais. Quando decidem visitar a loja física, eles já estão conscientes de suas preferências”, diz Costa.

12

Nov

Tecnologia

Para 54% dos jovens navegar na internet é a principal atividade de lazer, revela pesquisa

Imersos desde crianças num mundo mediado pelas telas dos smartphones e com possiblidade de acesso ininterrupto à informação, a Geração Z tem uma predileção por atividades de lazer on-line. É o que indica o estudo conduzido pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Dados do levantamento mostram que 54% dos jovens de 18 a 24 anos afirmam que nos momentos de lazer, a atividade mais comum é navegar na Internet. Seguido de ouvir música (53%) e assistir filmes, seriados, novelas e programas em geral (51%). A constante conectividade e exposição desses jovens faz com que eles se preocupem com a aparência física e com a autoimagem, uma vez que 92% tomam alguma atitude para ficar mais bonitos e se sentir bem e confiantes.

De acordo com a pesquisa, 47% dos jovens costumam comprar roupas, sapatos e acessórios. Enquanto 46% afirmam que cuidam dos dentes, 41% procuram se alimentar de forma saudável e 40% fazem atividades físicas. Somente 8% admitem não fazer nada com este objetivo. Esses jovens também parecem dispostos a investir na qualidade de vida, uma vez que nove em cada dez entrevistados dizem que tomam algum cuidado com a saúde (94%), sendo que os principais são dormir bem (48%) e fazer exercícios físicos (45%) e evitar pensar em coisas negativas (44%).

O presidente da CNDL, José César da Costa, aponta que a constante presença nas redes sociais faz com que os jovens da Geração Z tenham uma preocupação com a autoimagem, uma vez que estão sujeitos a um alto grau de exposição. “Esses jovens estão sempre conectados e as redes sociais são extensões de sua personalidade. São pessoas cuja trajetória de vida é acompanhada de perto em postagens públicas de vídeos e fotos nas redes sociais, onde percebe-se que há uma atenção no cuidado com a própria imagem”, afirma Costa.

11

Nov

Tecnologia

Governo Federal deve lançar consulta pública sobre inteligência artificial

O Governo Federal deve lançar até o fim do ano consulta pública com uma proposta de estratégia nacional de inteligência artificial. O objetivo é colher opiniões e considerações de pesquisadores, cidadãos, empresários e gestores públicos sobre quais políticas públicas devem ser adotadas pelo Estado para fomentar o uso dessa tecnologia no país.

A estratégia está em elaboração pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com auxílio de uma consultora contratada, a professora de Ciência da Computação Rosa Maria Viccari, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Em debate na 5ª Semana de Inovação, a representante do MCTIC Karla Cavalcanti informou que estão sendo avaliadas experiências de quase 30 países para formular a proposta. Após a consulta, os comentários serão consolidados e a estratégia será publicada como uma política nacional para o setor.

“Estamos cada vez mais colocando órgãos e entidades privadas. A tendência é que cada vez mais a gente vá construindo esse documento com todo mundo. E a consulta pública vai dar oportunidade para cada profissional ou pesquisador que trabalha com o tema de colocar suas opiniões”, disse Karla Cavalcanti.

Fonte: Agência Brasil 

8

Nov

Tecnologia

China vai restringir jogos online em 90 minutos por dia útil

O governo chinês informou que vai restringir o horário de os menores de idade praticarem jogos online durante 90 minutos por dia útil, como parte dos esforços para evitar o vício em jogos. A agência estatal de notícias Xinhua informou que a medida foi anunciada nesta semana.

De acordo com o novo regulamento, jovens com 18 anos ou menos não poderão praticar jogos online entre as 22h e as 8h. Eles poderão jogar até três horas nos fins de semana e feriados. Os usuários de jogos online deverão fazer um registro com o nome real e outras informações de identificação.

Um sistema para validar esses dados pessoais foi implantado. A agência diz ainda que caso os provedores de jogos online não cumpram os novos regulamentos, poderão ter suas autorizações de empreendimento revogadas.

Fonte: Agência Brasil

8

Nov

Tecnologia

Investor’s Day: startups potiguares se apresentam hoje a investidores de projetos digitais

O ecossistema de inovação do Rio Grande do Norte e a comunidade de startups terá a oportunidade de conhecer os detalhes e diferenciais do projeto de oito startups, que foram aceleradas pelo Programa de Pré-aceleração do Sebraelab|Darwin. Esses empreendedores farão pitches para representantes de quatro grupos de investidores que representam importantes fundos e instituições desse mercado digital: G2 Capital, GV Angels, Darwin Startups e Anjos do Brasil. A aproximação ocorre no Investor’s Day, que é promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte nesta sexta-feira (8), a partir das 17h, dentro da programação do Fórum Negócio. 

O evento encerra o Programa de Pré-Aceleração que o Sebrae no Rio Grande do Norte rodou em julho deste ano em parceria com a Darwin Startups, uma das principais aceleradoras do país. Dez startups potiguares integraram a iniciativa e oito delas vão participar do Investorr’s Day. Os empreendedores potiguares vão interagir, apresentar pitches e ficar frente à frente com nomes que estão fazendo a diferença no cenário de empreendedorismo inovador do Brasil, com negócios digitais e de base tecnológica e elevado potencial de impacto e negócios.

O Inventor’s Day terá a presença de Luiza Rotsen (G2 Capital), William Cordeiro (GV Angels), Ricardo Martinho (Anjos do Brasil) e João Marinelli (Darwin Startups), que vão avaliar os projetos dos empreendedores potiguares e fazer as observações conforme o interesse, assim como recomendar essas startups para outros investidores integrantes da rede. “O objetivo do evento é que esses investidores conheçam os projetos acelerados pelo Sebraelab|Darwin e verificar se têm interesse nas nossas startups ou possam captar parceiros dentro da rede para esses projetos. O público em geral poderá conhecer cada uma dessas ideias inovadoras e também interagir com esse grupo”, diz o gestor do Sebraelab e coordenador do Investor’s Day, Carlos von Sohsten.

8

Nov

Tecnologia

Abertas as inscrições para o primeiro workshop de inovação em saúde do RN

O I Workshop de Inovação em Saúde de Parnamirim (Workinovas) vai trazer para os potiguares no final deste mês de novembro. Serão três dias - 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro – de palestras, mesas redondas, conferências, minicursos e oficinas na Vila Feliz, localizada em Pium, distrito de Parnamirim/RN.

O evento é voltado para empreendedores, estudantes e profissionais das áreas de saúde e tecnologia, que terão no Workinovas uma experiência de imersão no cen&aacu te;rio futuro de um sistema de saúde aliado a novos conhecimentos tecnológicos. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas pela plataforma Outgo, com valores diferenciados para estudantes.

Serão discutidos temas como práticas integrativas, direito ambiental e biopirataria, fitoterapia e prescrições fitoterápicas, tecnologia de fármacos, acupuntura, hipnose, farmácia viva, inovação, empreendedorismo, saúde pública, clínica médica, e nsino e pesquisa em saúde.

Também estão previstas apresentações culturais para os três dias de evento. Além da programação no auditório, que necessita de inscrição prévia, atividades gratuitas e de utilidade pública serão realizadas no complexo. A programação completa está disponível no site www.workinovas.com.br.

7

Nov

Tecnologia

TJRN: Videoconferências em audiências criminais estão em pleno funcionamento na Justiça Estadual

Desde novembro de 2018, o Sistema de Agendamento de Videoconferência (Simav), desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação (Setic) do Tribunal de Justiça do RN recebeu 64 solicitações de audiências, das quais 63 receberam a aprovação da Corregedoria Geral Justiça (CGJ). O número é resultado concreto da implantação de uma rede de comunicação pela Justiça nas unidades prisionais do Rio Grande do Norte com o objetivo de viabilizar as audiências criminais e acelerar os processos de pessoas que estão cumprindo pena em estabelecimentos prisionais.

Atualmente, as videoconferências são realizadas no Complexo Penal Doutor João Chaves, na Cadeia Pública de Natal e na Penitenciaria Estadual de Parnamirim (PEP). Também estão instaladas na Penitenciária de Alcaçuz; no Presídio Rogério Coutinho Madruga e na Cadeia Pública de Ceará-Mirim.

O juiz corregedor Fábio Ataíde destaca que uma das vantagens que a ferramenta tecnológica traz é dispensar o transporte físico de presos para audiências. Isto porque o procedimento gera uma série de despesas e inconvenientes para o Poder Judiciário, que vão desde a segurança do pessoal envolvido, ao atraso processual e dificuldades com transmissão de informações entre as comarcas.

“Assim, a videoconferência se tornou uma ferramenta que vem auxiliar a logística das audiências criminais, gerando economia com transporte de presos, permitindo uma utilização mais eficaz do processo judicial eletrônico nos tribunais”, explica Fábio Ataíde, que é o juiz auxiliar da CGJ encarregado de acompanhar o sistema penitenciário no Rio Grande do Norte.

Gerânio Gomes, secretário de Tecnologia da Informação do TJRN, explica que, atualmente, o procedimento acontece quando a unidade judiciária solicita um agendamento para videoconferência diretamente no sistema Simav. O passo seguinte é a aprovação da solicitação pela Corregedoria, via SIMAV, pelo Grupo de Apoio às Execuções Penais da Corregedoria Geral do RN (GEAP). Após a aprovação, a área de TI do Tribunal de Justiça faz a programação de suporte técnico e montagem dos equipamentos (computador, link e câmera).

Implantação

Tido como prioridade nos tribunais de todos os estados do Brasil, o esforço para conseguir implantar o serviço no TJRN vem desde o ano de 2015. De início, o sistema de videoconferências foi implantado em nível interno nas unidades do Tribunal, e depois foi sendo ampliado para as unidades do sistema prisional do Estado do RN.

Em 2016, o Tribunal de Justiça e a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania firmaram termo de cooperação para a implantação da videoconferência de forma piloto na Comarca de Nísia Floresta, com previsão de ser expandido para as Varas Criminais da Comarca de Natal. Contudo, por uma série de dificuldades estruturais em nível governamental as ações previstas não foram expandidas naquele momento.

Em abril de 2019, o TJRN, com recursos próprios, doou ao Governo do Estado equipamentos de videoconferência para utilização nas penitenciárias potiguares. Tudo como forma de contribuir para que se imprima maior agilidade na realização de audiências com presos, contribuindo para a melhoria da gestão do sistema prisional do Rio Grande do Norte.

7

Nov

Tecnologia

Senac leva experiências tecnológicas para o Fórum Negócios 2019

O Sistema Fecomércio RN, por meio do Senac, participa de mais uma edição de Fórum Negócios, evento que será realizado nos próximos dias 08 e 09 de novembro, na Arena das Dunas, com a proposta de colocar em pauta temas ligados ao empreendedorismo, tais como: economia; liderança; gestão; marketing digital; vendas; inovação e tecnologia.

Paralelo a programação do Fórum, os participantes poderão conhecer o Laboratório Senac Microsoft Smartlab, sala multidisciplinar, pioneira no estado, que tem possibilitado a implementação de estratégias didáticas inovadoras nos cursos oferecidos pelo Senac. Neste espaço, os visitantes poderão manusear diversos equipamentos tecnológicos, como óculos e binóculos de realidade virtual; tablets para experiências com realidade aumentada; drones e câmera 360.

Com presença de público estimado em 5 mil pessoas por dia, o Fórum de Negócios reunirá empresários, empreendedores, formadores de opinião e público interessado na temática proposta. Serão mais de 20 palestrantes e mentores de renome nacional, entre eles, Augusto Cury, Thiago Nigro, Rodrigo Cardoso, Rogério Marinho, Edgar Ueda, Geraldo Rufino, Bem Zruel, Fenando Godoy, João Kepler, Conrado Adolfo, Leila Navarro, Fred Alecrim e Silvia Patriani. Serão 30 horas de conteúdo, contemplando ainda a exposição de 45 empresas e 36 rodadas de negócios.

7

Nov

Tecnologia

Brasil cai em ranking de liberdade da internet, aponta pesquisa

O Brasil caiu no Ranking da Liberdade da Internet 2019, divulgado pela organização internacional Freedom of the House. O país foi avaliado na edição de 2019 com índice 64 (considerando uma escala de 0 a 100), contra 69 em 2018. Com o desempenho, a nação ficou na categoria de “parcialmente livre” em relação à rede mundial de computadores.

A queda da nota incluiu o país entre os que mais retrocederam em relação a 2018, juntamente com Sudão, Kazaquistão, Bangladesh e Zimbábue. Esses países foram identificados como locais onde houve ações coordenadas para influenciar eleições e processos políticos nos últimos anos, como também Estados Unidos, Egito e Tailândia. “Atores não identificados realizaram ciberataques contra jornalistas, entidades governamentais, usuários engajados, com a manipulação das redes sociais alcançando novo patamar”, pontua o relatório.

A pesquisa mede diversos aspectos. Um deles são os obstáculos ao acesso à internet, cujo índice de pessoas conectadas em 70% foi considerado insuficiente em comparação com médias de nações da América do Norte, da Europa e da América Latina. O estudo cita políticas públicas, como o programa do governo federal Internet para Todos, mas aponta problemas, como as desigualdades no acesso à rede entre ricos e pobres.

Também foram analisadas as limitações à circulação de conteúdos. A pesquisa não identificou atuação de autoridades para bloquear mensagens, mas mapeou iniciativas tanto de políticos para derrubar conteúdos (500 pedidos nas eleições de 2018 segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo - Abraji) quanto das próprias plataformas digitais, que removeram publicações alegando estarem ferindo seus termos e serviços.

A investigação avaliou também violações dos direitos dos usuários. Os autores destacaram a importância do Marco Civil da Internet (Lei nº 12.965) como arcabouço de proteção dos internautas, mas apontaram diversas tentativas de regulação que ameaçam garantias dos cidadãos, como projetos de lei para criminalizar quem compartilha fake news e com restrições à discussão online sob o argumento de “combate ao terrorismo”. Por outro lado, o documento celebra a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709 de 2018) como uma conquista.

Situação global

Entre as 65 nações analisadas pelo estudo, 20% foram consideradas “livres”, 32% “parcialmente livres” e 35% “não livres”. No total, 33 países tiveram quedas em suas notas, enquanto 16 melhoraram no índice. No topo estão Islândia, Estônia, Canadá, Alemanha e Austrália. As piores colocações foram de China, Irã, Síria, Cuba e Vietnã.

Nações como Rússia e China foram apontadas pelo estudo como promotoras de ciberataques visando influenciar processos democráticos em outros países. No primeiro caso, ações russas teriam mirado a eleição na Ucrânia.

Contudo, a maioria das ações de interferência em processos eleitorais ocorre majoritariamente por forças políticas internas. Essas iniciativas se deram de três formas: medidas informacionais, com disseminação de mensagens favorecendo governos ou partidos; medidas técnicas, como restrição a veículos online e censuras; e medidas legais, como punição de oponentes.

6

Nov

Tecnologia

Brasil é o terceiro país com pior desempenho em índice de liberdade na internet, revela pesquisa

A liberdade na internet está em queda em grande parte do mundo. Isso é o que aponta o relatório Freedom on the Net 2019, feito pela organização homônima. A instituição levantou dados e histórico de 65 países pelo mundo sobre quanto seus governos protegem a liberdade de seus usuários online. A outra má notícia é que o Brasil está entre os países com maior queda neste quesito.

Dos 65 países analisados pela pesquisa, somente 16 melhoraram seus índices de liberdade na rede, enquanto outros 16 permaneceram estagnados. Os 33 restantes apresentaram queda no índice de liberdade na internet no comparativo com junho de 2018. Os piores desempenhos vieram do Sudão e do Cazaquistão, com o Brasil na terceira colocação. Isso significa que, no período de pouco mais de um ano, cresceu a censura na web por aqui.

O principal vilão desse cenário atual? “O futuro da liberdade na internet estará em nossa habilidade de consertar as redes sociais”, conclui o documento. O estudo aponta que este é o grande fator de declínio mundial, incluindo no nosso país.

No estudo apresentado pela entidade em 2018, o Brasil era classificado como “parcialmente livres” em termos de liberdade na internet, com nota 31. A escala vai de 0 a 100, sendo que, quanto maior o número, menos protegida a população é. As regiões abaixo de 30 são consideradas “livres”. Ou seja, em 2018, estávamos próximos disso.  Contudo, tal número dobrou em um ano, aparecendo no relatório de 2019 com nota 64.

O estudo leva em conta três quesitos para isso: obstáculo de acesso à informação, limites de conteúdo e violação de direitos humanos. O segundo ponto foi o que mais pesou. Entre os pontos, perguntas como “Os jornalistas, comentarista e civis usam práticas de autocensura?”, “Há falta de diversidade informacional?” foram as que mais pesaram.

Além, disso, o uso de redes social para mobilização política com fake news também foi um ponto negativo pela pesquisa. “As mídias sociais se tornaram um campo de disputa de campanha política, mas foi marcada pela distribuição de desinformação e mensagens agressivas, especialmente propagadas por grupos de WhatsApp usando dados vazados e ferramentas de mensagens”, aponta o estudo. O estudo completo está disponível no site do Freedom on the Net

Fonte: Porta Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/brasil-e-o-terceiro-pais-com-pior-desempenho-em-indice-de-liberdade-na-internet-154379/

4

Nov

Tecnologia

UFRN sedia workshop regional de inovação

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) sedia no dia 20 de novembro, no auditório B436 do Instituto Metrópole Digital, o Workshop de Gestão da Inovação Fortec Nordeste. O evento acontece das 8h30 e 17h30. As inscrições, gratuitas, acontecem por meio do SigEventos, local no qual os interessados têm acesso a outras informações a respeito do Workshop.

A programação contará com três exposições: a primeira sobre Fiscalização dos Tribunais de Contas sobre a Propriedade Intelectual e a Transferência de Tecnologia na Administração Pública, com Rodrigo Oliveira Reis, auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE / PE).

Em seguida, Compliance na Administração Pública – gerenciamento de riscos, controle e ausência de estruturas para transformar conhecimento em valor econômico, com Lúcio Gustavo de Paiva Genu Diniz, também auditor do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco e sócio da Lumi Consultoria Empresarial.

Por fim, no período da tarde, a explanação Como vender inovação fecha o evento, com uma dinâmica conduzida por Marcelo Bandiera, diretor da Saber Inovar – Consultoria e Estratégia, Marketing, Vendas e Inovação. 

4

Nov

Tecnologia

Google apresenta smartphone de papel para combater o vício em tecnologia

Uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, o Google, está investindo para fazer com que as pessoas sejam menos dependentes dispositivos eletrônicos. Na última semana, a companhia anunciou um novo aplicativo que envolve a impressão de informações que, normalmente, poderiam ser acessadas por um smartphone.

O Paper Phone, que parece até uma piada de primeiro de abril, é mais real do que nunca. Emma Turpin, líder do Google Creative Lab, conta que a invenção foi criada para ser uma solução alternativa a carregar e conferir os smartphones a todo momento, oferecendo informações impressas em papel.

A iniciativa foi desenvolvida em parceria com o estúdio de design de produtos Special Projects, de Londres, e que reforça o objetivo principal de apresentar uma opção de desintoxicação virtual. "Muitas das pessoas com quem conversamos sobre isso ficaram horrorizadas com a ideia de deixar o seu smartphone para trás", contou Adrian Westaway, diretor de tecnologia do estúdio.

Westaway ainda comenta que o Paper Phone foi inspirado nos clássicos diários e agendas, que hoje são popularizados como "planner". Então, a iniciativa teve como desafio encontrar um balanço entre a praticidade do smartphone com um elemento de prazer, que seria a visualização em papel. Com o aplicativo, o usuário poderá imprimir as tarefas que serão feitas no dia, o número das pessoas com quem precisará entrar em contato, jogos, QR Codes, entre outras possibilidades.

As informações, então, são impressas de uma forma que torna possível uma dobradura prática, virando basicamente um pequeno caderno. O app ainda fornece instruções de como dobrá-la corretamente. O aplicativo ainda está em testes, mas já pode ser baixado por todos os usuários Android.

Fonte: Portal Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-apresenta-smartphone-de-papel-para-combater-o-vicio-em-tecnologia-154209/