Tecnologia

15

Jan

Tecnologia

Governo Federal quer unificar digitalmente RG, CPF, Carteira de Motorista e Carteira de Trabalho

O governo federal vai retomar iniciativas passadas para criar uma base digital que unifique documentos diversos como Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Trabalho, Título de Eleitor e Certificado de Reservista. A ideia é que um cadastro, com registro de biometria, possa ser acionado pelo cidadão em qualquer lugar, inclusive pelo celular.

Para desenvolver o projeto, um grupo de trabalho (GT) foi criado reunindo os ministros Sergio Moro, da Justiça, Paulo Guedes, da Economia, Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência.

A primeira reunião do GT, com a participação de funcionários do Serviço Federal de Precessamento de Dados (Serpro), ocorreu hoje na sede do Ministério da Justiça, em Brasília.

Conforme Marcos Pontes, a iniciativa “vai facilitar muito a vida do cidadão”. O trabalho começa com a verificação das informações disponíveis na Justiça Eleitoral, a possibilidade de alimentar um banco de dados com mais informações e com a biometria.

Pontes reconheceu o trabalho que já foi feito por outros governos “desde 1997”, mas assinalou a disposição de avançar e ter resultados ainda este ano “Tem que tercomeço, meio e fim. Agora a gente tem oportunidade de finalizar esse projeto. Utilizar o que já foi feito sim, mas melhorar também o que temos até agora”.

Com informações da Agência Brasil

14

Jan

Tecnologia

Pesquisadores utilizam inteligência artiificial para detectar alzheimer com antecedência

O mal de Alzheimer é uma doença degenerativa extremamente agressiva, que ainda não possui cura. Claro que há algumas formas de manter a doença longe; boa parte delas envolve uma alimentação balanceada e exercícios físicos. As informações são do Portal Tecmundo.

Contudo, como acontece com qualquer doença, o tratamento fica muito mais fácil com um diagnóstico realizado com antecedência, de modo que até os remédios se tornam mais eficazes. Agora, pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Francisco ensinaram uma inteligência artificial a reconhecer os primeiros sintomas do Alzheimer no cérebro com 6 anos de antecedência, bem mais rápido do que um diagnóstico comum.

De acordo com a matéria, o diagnóstico do Alzheimer é feito por meio de uma análise dos níveis de glucose em diferentes áreas do cérebro. O detalhe é que a precisão é difícil de ser atingida, principalmente porque as mudanças no nível da substância são sutis.

Assim, os médicos envolvidos no projeto buscaram a ajuda de um algoritmo de inteligência artificial para detectar as alterações discretas causadas pelo Alzheimer. No fim do experimento, o resultado foi satisfatório: segundo o Dr. Jae Ho Sohn, a aplicação de deep learning é bastante eficiente para identificar processos sutis e difusos. O algoritmo foi treinado com aproximadamente 2 mil imagens e, então, foi testado novamente com imagens de outros exames. Na primeira tentativa, a IA alcançou a marca de 92% de precisão; já na segunda, esse número subiu para 98%

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/ciencia/137630-pesquisadores-utilizam-ia-detectar-alzheimer-antecedencia.ht

9

Jan

Tecnologia

Caixas de som inteligentes: entenda porque você ainda vai interagir com uma delas

Talvez você ainda não se imagine chegando em casa e conversando com uma caixa de som, que lhe ajudará a atender suas necessidades e responder às suas dúvidas. Mas o fato é que  caixinhas de som inteligentes já se tornaram a grande aposta da indústria de tecnologia contra a irritação que os usuários começam a demonstrar pelos seus celulares, que se junta às campanhas, pesquisas e movimentos na defesa de que passem menos tempo em suas telas individuais.

De acordo com o Canal Meio, estimativas apontam que, no final de dezembro, 41% das residências americanas já tinham uma caixa de som inteligente. E mais: 8% dos americanos ganharam uma delas de presente de Natal. As caixinhas obedecem a ordens como “apagar a luz”, “tocar Beatles”, apresentar informações sobre uma pesquisa ou traduzir uma frase em língua estrangeira. Fazem praticamente o que hoje é feito por assistentes de celular, como a Siri, da Apple. Quem comprou uma delas no exterior já pode conversar em Português, bastando configurar no App. Outro ponto sedutor das caixinhas é que elas são usadas, normalmente, em momentos de interação social – diferentemente dos celulares, que promovem um certo “isolamento” dos seus usuários.

O Canal Meio resumiu em artigo o impacto das caixas de som inteligentes, assunto da CES, principal feira internacional de tecnologia de consumo, que está sendo realizada em Las Vegas, EUA. Interessante de ler e de imaginar que este hábito, em breve, fará parte das nossas vidas também aqui no Brasil. Confira a íntegra no link abaixo:

http://www.canalmeio.com.br/notas/a-voz-vai-nos-salvar-dos-celulares/?h=SnVsaXNrYSBBemV2ZWRvfDE3NTM3

9

Jan

Tecnologia

Telefone por até R$ 2 mil: lista traz melhores celulares à venda no Brasil

Deu no Techtudo:

Os celulares por até R$ 2.000 interessam a muitos brasileiros, que buscam na internet por telefones com boa ficha técnica e preço que não seja tão exorbitante quanto o de modelos mais premium do momento. De olho neste padrão de busca, o TechTudo traz uma lista com os aparelhos mais interessantes para a faixa de preço mais popular do Brasil – entre R$ 1.000 e R$ 2.000. Há opções de produtos mais antigos, como o iPhone 6S, e mais recentes, caso do Galaxy A8 e do Moto Z3 Play.

A listagem leva em consideração os modelos de empresas com representação comercial no país. Celulares importados ficam de fora porque a Anatel os considera irregulares quando chegam ao país por meio dos Correios.

  • 1. Moto G6 Plus

Moto G6 Plus é o telefone mais avançado da atual família Moto G, da Motorolalançada em abril de 2018. O smartphone tem ficha técnica intermediária, que inclui o processador Snapdragon 630, memória RAMde 4 GB e armazenamento de 64 GB. Em nossos testes, o celular garantiu desempenho fluido e satisfatório.

Com design de celular premium e revestimento em vidro, o Moto G6 Plus ainda têm câmera dupla de 12 + 5 megapixels, tela de 5,9 polegadas com resolução Full HD+ e TV digital. Atualmente, o telefone pode ser encontrado por preços na faixa de R$ 1.650.

  • 2. Zenfone 5

Zenfone 5 chamou a atenção pelo visual parecido com o iPhone X. No país desde agosto de 2018, a tela com notch e o desempenho chamaram a atenção durante a nossa análise. O preço inicial foi de R$ 2.199, mas caiu para cerca de R$ 2.000 no comércio online, a depender da oferta do dia.

A ficha técnica traz câmera dupla traseira de 12 e 8 megapixels, processador Snapdragon 636 (8 núcleos) e memória RAM de 4 GB. O celular da Asus está disponível em duas opções de armazenamento: 64 GB ou 128 GB.

  • 3. Galaxy A8

O Galaxy A8 tem design inspirado no Galaxy S8 e foco nas selfies: o sistema de câmera dupla está na parte frontal, com 16 + 8 megapixels (abertura f/1.9). Em nosso review, tanto a câmera quanto o desempenho tiveram excelente resultado.

A tela de 6 polegadas é Super AMOLED e tem resolução Full HD+. O processador é um octa-core de 2,2 GHz, de fabricação própria da marca, e a memória RAM é de 4 GB. São 64 GB para armazenar fotos, apps, músicas e vídeos. Lançado ao lado do Galaxy A8 Plus por R$ 2.399, o Galaxy A8 é encontrado por volta de R$ 1.850.

  • 4. iPhone 6S

Lançado em 2015, o iPhone 6S ainda é um dos favoritos dos consumidores. Em 2018, o celular da Apple foi o nono mais buscado do ano, na frente até do iPhone 8 Plus. Com preço sugerido de R$ 3.999 no lançamento, é possível comprá-lo a partir de R$ 2.000, em média.

Entre as especificações estão a tela de 4,7 polegadas, ideal para quem ainda prefere celulares pequenos, e processador Apple A9. O smartphone ainda tem câmera traseira de 12 megapixels, que filma em 4K, e frontal de 5 megapixels.

  • 5. Moto Z3 Play

O Moto Z3 Play foi lançado em 2018 por R$ 2.299 e atualmente é vendido a partir de R$ 1.850. Com processador Snapdragon 636 (octa-core de até 1,8 GHz) e memória RAM de 4 GB, o smartphone se destaca pelo suporte aos Moto Snaps, acessórios modulares que dão novas funções ao celular e o deixam mais versátil. Há aparelhos para imprimir fotos ou transformar o celular em caixa de som.

O aparelho tem tela de 6 polegadas Full HD+, armazenamento de 64 GB e câmera traseira dupla de 12 MP e 5 MP e frontal de 8 MP. Em junho de 2018, o smartphone ainda ganhou uma versão turbinada com RAM de 6 GB e memória interna de 128 GB.

Fonte: Portal Techtudo, disponível em: https://www.techtudo.com.br/listas/2019/01/telefone-por-ate-r-2000-lista-traz-melhores-celulares-a-venda-no-brasil.ghtml

8

Jan

Tecnologia

Novo presidente do Tribunal de Justiça destaca que adotará o uso de inteligência artificial para acelerar os serviços do Judiciário

O desembargador João Rebouças defendeu o uso intensivo de novas tecnologias, como a inteligência artificial, para otimizar e acelerar os serviços do Poder Judiciário, destacando que lutará por “um tribunal 100% digital mas também 100% humano”. A declaração foi em seu discurso na sessão solene do Pleno do TJRN realizada na noite desta segunda-feira (7), no Centro de Convenções de Natal, para a posse dos novos dirigentes do Poder Judiciário Potiguar. 

“É inconcebível que tais facilidades não sejam utilizadas de forma a permitir que o lado humano possa se revelar em toda a sua grandeza e plenitude. Sonho e lutarei por um Tribunal 100% digital, mas também 100% humano”, destacou Rebouças em sua fala. O desembargador apontou os eixos Transparência, Produtividade e Efetividade jurisdicional como os que irão nortear a sua administração durante o biênio 2019-2020. 

Durante a sessão solene, foram empossados ainda o desembargador Virgílio Macedo Júnior como vice-presidente e o desembargador Amaury Moura Sobrinho como corregedor geral de Justiça. A solenidade foi acompanhada por autoridades e representantes dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo, incluindo o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça.

Em seu discurso, João Rebouças apontou um dos desafios para a Justiça daqui para frente. “Em um mundo cada vez mais rápido e instantâneo, a Justiça precisa se reinventar em termos de atendimento, sob pena de sofrer a mais triste das penalidades: a indiferença”. Diante desse desafio, o novo chefe do Poder Judiciário afirmou que procurará oferecer uma prestação jurisdicional célere, com respostas rápidas e precisas, em benefício da população potiguar.

Lembrando seus quase 40 anos dedicados ao serviço público, dos quais 34 anos à magistratura, o desembargador João Rebouças afirmou que conhece o tabuleiro no qual jogará a mais importante partida de xadrez de sua carreira e que pretende impor um xeque-mate à morosidade processual.

“Não podemos mais aceitar que o processo mate sempre, por aborto, a decisão. O pensamento decisório do juiz é a razão de ser processo, não o contrário. Não é mais aceitável a morosidade, o retrabalho, a redundância, que são péssimas práticas enraizadas pelo tempo e que não têm mais razão de existir. Juízes é o que somos. Tratemos de decidir”, exortou o magistrado.

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça e do Conselho Nacional de Justiça, ministro Dias Toffoli, parabenizou a gestão que se despede, do desembargador Expedito Ferreira, pelo trabalho para a digitalização da Justiça, em especial com o Processo Judicial Eletrônico (PJe). O ministro se disse impressionado com o prestígio do evento da posse de João Rebouças, que contou com centenas de autoridades ligadas aos três poderes. “Tenha certeza de contar com nosso apoio para levar a Justiça para mais perto do povo”, disse ao novo presidente.

8

Jan

Tecnologia

Cinco ameaças online para ficar de olho em 2019, segundo o MIT

 Deu no Techtudo:

Inteligência Artificial, blockchain e criptografia podem ser os alvos de cibercriminosos em 2019. O Massachusetts Institute of Technology (MIT) divulgou na revista MIT Technology Review as ameaças cibernéticas emergentes para se preocupar este ano. O texto aponta para as tecnologias relativamente recentes entre as mais visadas para golpes em um futuro próximo. O fato de ainda serem novas pode fazer com que brechas desconhecidas surjam e sejam exploradas por pessoas mal intencionadas. Confira a seguir ao que usuários e empresas devem ficar atentos e como se proteger.

1. Deepfake: vídeos e áudios falsos gerados por Inteligência Artificial

De acordo com os especialistas do MIT, os progressos da tecnologia de Inteligência Artificial já permitem a criação áudios e vídeos falsos bastante realistas como, por exemplo, os chamados deepfakes. Algo que antes dependia de recursos de um estúdio de cinema para ser feito, agora depende somente de um bom computador com uma placa gráfica respeitável.

Pode parecer algo muito futurista, mas a tecnologia já tem sido usada para inluir o rosto de famosos em vídeos pornográficos. Pesquisadores da Universidade de Washington produziram em 2017 um vídeo deepfake do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama. A tecnologia foi usada para modelar precisamente como o político move sua boca quando fala, permitindo-o dizer qualquer palavra

Cibercriminosos podem utilizar essa tecnologia para compartilhar conteúdos falsos como forma de reforçar instruções em e-mails de phishing, a fim de convencer as pessoas a informarem seus dados pessoais. O instituto indica que se esses filmes e arquivos de áudio simulassem um CEO de uma empresa anunciando problemas financeiros, por exemplo, poderiam até mesmo ser usados para manipular ações no mercado financeiro. O recurso também poderia ser usado para espalhar fake news em eleições e para provocar conflitos em tensões geopolíticas.

Embora empresas estejam desenvolvendo formas de identificar conteúdos deepfake, por enquanto, a única forma de realmente proteger as possíveis vítimas é conscientizá-las sobre o risco.

2. Derrubando as defesas criadas por Inteligência Artificial

A publicação do MIT explica que as empresas de segurança têm utilizado modelos de inteligência artificial como uma forma de ajudar a antecipar e detectar ataques cibernéticos. No entanto, cibercriminosos perspicazes poderiam ser capazes de corromper essas defesas e gerar ataques mais sofisticados.

De acordo com os especialistas, um tipo de AI chamado de Redes Geradoras Adversárias (GANs, na sigla em inglês) lança duas redes neurais uma contra a outra e “podem ser usadas para tentar adivinhar o que os defensores de algoritmos estão usando em seus modelos de IA”. Os pesquisadores também temem que os hackers usem conjuntos de dados para treinar e enganar esses modelos, ensinando-os que códigos maliciosos seriam seguros e não suspeitos.

Em agosto, pesquisadores da IBM informaram ao site Tech Republic que haviam criado um malware chamado Deep Locker, com o objetivo de demonstrar como as tecnologias de IA já existentes no código aberto podem ser facilmente combinadas com ataques de malware. Eles usavam o recurso para ocultar a intenção maliciosa em aplicativos teoricamente inocentes e desbloqueavam o comportamento “ruim” na oportunidade certa.

3. Desafiando os blockchains

Blockchain é um banco de dados distribuído que guarda um registro de transações e utiliza a descentralização como medida de segurança. A tecnologia, comumente associada à criptomoedas, como Bitcoin, elimina a necessidade de um intermediário para realizar negociações entre duas partes. A promessa é de que as informações desses contratos sejam guardadas de forma permanente, ou seja, livre de alterações ou exclusões, à prova de violações.

Contudo, os analistas do MIT destacam que, apesar de muitos empreendedores usarem o blockchain para tudo — “desde transferências de dinheiro até proteção de propriedade intelectual” — , seu desenvolvimento ainda é muito inicial e pesquisadores estão encontrando alguns problemas. E, consequentemente, os cibercriminosos também descobrem e já exploram essas falhas para roubar fortunas em criptomoedas.

De acordo com Dawn Song, professora da Universidade da Califórnia, em Berkeley, a medida para resolver essa situação seria tornar as transações menos transparentes. Entretanto, manter privados os dados associados a contratos inteligentes é ainda um desafio. Em meados de 2018, a rede de criptomoeda Zencash sofreu três ataques, nos quais o invasor explorou regras pouco seguras para confundir o sistema e, assim, obter dinheiro. De acordo com o site Coindesk, o criminoso conseguiu mais de 21.000 zen, que equivaliam a US$ 500.000 (quase R$ 1.9 milhão) na época.

4. Criptografias não tão seguras

Os projetos de computadores quânticos ainda estão engatinhando, mas quando forem uma realidade, daqui a alguns anos, serão capazes realizar o processamento de dados em um tempo muito inferior que os dispositivos de última geração. Sendo assim, poderiam quebrar a maioria dos sistemas de criptografia, que hoje em dia auxilia em uma série de transações online.

“Um relatório recente de um grupo de especialistas quânticos dos EUA pede que as organizações comecem a adotar novos e futuros tipos de algoritmos de criptografia que possam resistir a um ataque quântico”, explica o artigo da revista do instituto de tecnologia norte-americano. Portanto, a sugestão é que, desde já, se invista em padrões de criptografia pós-quântica, principalmente em aparelhos que estarão em uso daqui a uma década ou mais, como carros com softwares que podem ser atualizados remotamente.

5. Ataques na nuvem

Salvar arquivos na nuvem é uma medida de segurança que muitos usuários e empresas vêm tomando nos últimos anos como forma de evitar perder documentos importantes. Entretanto, essa popularização também chama a atenção de criminosos virtuais, que passaram a ver como alvos em potencial companhias que hospedam os dados de outras em seus servidores ou gerenciam os sistemas de TI dos clientes remotamente.

Caso um hacker consiga encontrar uma brecha, ele também passa a ter acesso aos dados de todos os seus clientes. E, de acordo com o MIT, esse tipo de ataque (chamado de "Cloudhopper") já é uma realidade. Segundo o Instituto, o governo norte-americano acusou cibercriminosos chineses de acessarem o sistema de sistemas de uma empresa que gerenciava a TI para terceiras e, assim, acesso aos computadores de 45 corporações, de diferentes áreas de atuação, de todo o mundo.

Fonte: Portal Techtudo, disponível em: https://www.techtudo.com.br/listas/2019/01/cinco-ameacas-online-para-ficar-de-olho-em-2019-segundo-o-mit.ghtml

 

8

Jan

Tecnologia

Boletos de taxas do Detran devem ser impressos por usuário via site

Os proprietários de veículos automotores do Rio Grande do Norte já podem conferir no site do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) os valores e boletos da taxa de licenciamento referente a 2019. Este ano o Detran passou a não emitir o carnê físico de taxas e impostos relacionados aos veículos e o usuário deve buscar a emissão dos boletos via site do Departamento, unidades físicas do Detran distribuídas no estado, agências do PágFácil, Banco do Brasil ou por meio do aplicativo oficial do Detran produzido para smartphones.

Além da taxa de licenciamento de veículo automotor, que é a única que é administrada pelo Detran, o cidadão pode emitir os boletos bancários relativos ao IPVA (de responsabilidade da Secretaria Estadual de Tributação), seguro DPVAT (Banco do Brasil – Seguradora Líder), e a Taxa de Proteção contra Incêndio, Salvamento e Resgate em via Pública, que é destinada ao Corpo de Bombeiros Militar do RN. Uma boa notícia é a redução média de aproximadamente 64% no valor do seguro DPVAT. Um exemplo são os veículos considerados de passeio, que pagaram R$ 45,72 em 2018, e neste ano podem quitar o seguro no valor de R$ 16,27.

Outro ponto, é que neste ano o proprietário de automóvel que vai receber o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) em seu endereço deve quitar uma taxa de R$ 7,00 destinada aos Correios, porém o subcoordenador de Informática do Detran, Hugo Guimarães, informou que o valor do envio da correspondência é extinto para aquele usuário que optar por receber o CRLV em um dos postos de atendimento do Detran que emitem o documento. “Basta que o cidadão se dirija ao posto do Detran e solicite o documento que a taxa de envio dos Correios não será cobrada”, explicou.

Para ter acesso a página de emissão dos boletos do Detran é simples, basta que o usuário vá até o endereço eletrônico da instituição digitando www.detran.rn.gov.br. Com a página aberta, o cidadão clica no ícone “Consulta de veículos e boletos”. Logo em seguida é mostrada uma página onde é possível digitar a numeração da placa e do Renavam do veículo a ser consultado. Dessa forma é possível ter acesso ao ambiente online onde fica disponível os boletos referentes a taxa de licenciamento, IPVA, DPVAT, Taxa dos Bombeiros, além de possíveis débitos de infrações de trânsito relacionadas ao veículo consultado.

Um outro ponto positivo é a possibilidade do proprietário pagas as taxas no banco de sua escolha. A medida implantada pelo Detran funciona para os débitos referentes ao licenciamento, IPVA do veículo e Taxa dos Bombeiros. É só clicar no imposto que deseja efetuar o pagamento, e imediatamente é aberta uma nova tela com as opções de emissão de boleto direcionado ao Banco do Brasil ou as demais instituições bancárias.

8

Jan

Tecnologia

Anatel notifica usuários de 15 estados sobre bloqueio de celulares

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) começou a notificar usuários de 15 estados nas regiões Nordeste, Sudeste e Norte sobre o bloqueio de celulares irregulares. A medida será adotada no dia 24 de março e vai atingir aparelhos adquiridos a partir desta segunda-feira. Telefones comprados até ontem, portanto, em regra não serão desativados pela agência.

Os alertas enviados a partir de hoje fazem parte da 3ª fase do programa Celular Legal. A primeira etapa teve início em fevereiro e abarcou o Distrito Federal e Goiás. Em seguida, foram incluídos os demais estados do Centro-Oeste, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Acre, Rondônia e Tocantins. Com a fase iniciada hoje, o programa abarca todas as unidades da Federação.

Os comunicados desta 3ª etapa serão enviados, no Nordeste, para usuários nos estados de Alagoas, da Bahia, do Ceará, Maranhão, da Paraíba, do Piauí, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte e de Sergipe. O informe também chegará para consumidores de São Paulo e Minas Gerais, no Sudeste, e do Amapá, Amazonas, Pará e de Roraima, no Norte.

Além dos alertas enviados a partir de hoje a quem comprar esses celulares, serão enviadas mensagens similares faltando 50 e 25 dias para o bloqueio. O usuário que tiver dúvidas sobre o procedimento pode obter mais informações sobre o programa no sítio oficial da Agência Nacional de Telecomunicações.

Celular irregular

Celular irregular é considerado pela Anatel não certificados pelo órgão ou sem o código identificador válido (IMEI, espécie de CPF do celular). Para saber se o número de IMEI é legal, basta discar *#06#. Se a numeração coincidir com o que aparece na caixa, o aparelho é regular. Caso contrário, há uma grande chance de o aparelho ser irregular.

Uma linha também pode ficar irregular caso seja ativada (como na compra de um novo chip) em um aparelho antigo sem IMEI válido. Ou seja, um consumidor pode não ter recebido mensagem por ter obtido o dispositivo móvel antes do início do programa. Mas se ele não estiver regular, no momento da ativação de outra linha será bloqueado no mesmo prazo (75 dias). O usuário que quiser conferir a situação do seu aparelho pode fazê-lo pelo site da Anatel.

A irregularidade pode ocorrer em casos de importações sem passar por órgãos de controle do país ou quando celulares são roubados e revendidos. Também há casos em que o código é adulterado, ou até mesmo replicado (como quando smartphonessão clonados).

Segundo o presidente da Anatel, Leonardo Euller de Morais, um dos objetivos do bloqueio é dificultar a comercialização de aparelhos furtados ou com algum tipo de irregularidade. “O projeto vai inativar terminais que foram roubados. Um dos objetivos é coibir o furto e adulteração”, disse à Agência Brasil.

Os celulares irregulares não têm garantia de atender aos requisitos da agência, como compatibilidade com as redes brasileiras. Além disso, segundo a Anatel apresentam riscos ao consumidor, como aquecimento, choques, emissão de radiação, incêndio ou até explosões.

O presidente da agência explicou que a regularidade do aparelho não se limita aos produtos comprados aqui. Uma vez que o código é internacional, um cliente pode adquirir um equipamento destes e utilizar no Brasil.

Comunicar roubo

O bloqueio de aparelhos celulares é um recurso existente desde 2016. O usuário pode solicitar o impedimento a sua operadora ou à Polícia quando tiver sido roubado ou seu aparelho tiver sido extraviado.

Com informações da Agência Brasil

4

Jan

Tecnologia

Com receita US$ 9 bilhões abaixo do projetado, Apple tem na China a sua maior dor de cabeça

Deu no Portal Olhar Digital:

A Apple está presente no mercado chinês há um bom tempo, mas ainda não conseguiu o mesmo feito do que em outras regiões: crescer. Com as vendas do iPhone estagnadas no país, a China virou a maior dor de cabeça para a empresa.

Em carta aberta aos investidores, o CEO da Apple, Tim Cook já alertou: a expectativa é de que a receita fique US$ 9 bilhões abaixo do que foi projetado ao final do trimestre anterior. Um dos grandes motivos, disse Cook, foi o mercado chinês. Em outras palavras, a Apple não está conseguindo competir com as grandes concorrentes locais, como Huawei, Oppo, Vivo, Xiaomi, entre outras.

O mercado mundial de smartphones amadureceu e atingiu seu ápice há cerca de dois anos, por isso, começamos a notar uma pequena, mas persistente, diminuição no volume de vendas total de dispositivos móveis no mundo. De acordo com a empresa de pesquisa de mercado Canalys, os envios globais de smartphones caíram 7% no terceiro trimestre de 2018 em relação ao ano anterior. Com isso, tivemos o quarto trimestre consecutivo de quedas. Enquanto isso, a China, o maior mercado de smartphones do mundo, caiu ainda mais, cerca de 15%.

Contudo, mesmo neste cenário, Huawei, Oppo, Vivo e Xiaomi conseguiram aumentar sua participação no mercado, enquanto a Apple manteve-se no mesmo lugar. O que estaria acontecendo com a gigante de Cupertino?

A Apple não oferece preços competitivos

Por mais que a empresa tenha adaptado os seus smartphones ao mercado chinês, oferecendo os mesmos recursos que as concorrentes, o preço do iPhone é muito superior ao das demais fabricantes locais.

Para se ter uma ideia, o novo iPhone XR, lançado no ano passado com o preço mais baixo dos três novos modelos da Apple, pode ser comprado na China por 6,499 yuan (R$ 3.557,95). Já o Huawei Mate 20, o último lançamento da fabricante chinesa, com o hardware mais recente, pode ser comprado por 3.999 yuan (R$ 2.187,95).

Além desta discrepância no preço dos modelos, o Mate 20 possui uma das melhores câmeras do mercado e roda com um software adaptado para o mercado chinês. Logo, oferece mais e é mais barato.

E não se engane achando que a Apple vai manter os preços dos novos iPhones como estão. Em uma espécie de último esforço para impulsionar as vendas dos seus aparelho, nas últimas semanas, a companhia se viu obrigada a oferecer descontos no país para usuários que queriam trocar seus aparelhos usados.

A Apple oferece recursos importantes por último

Nos últimos anos, a Apple tentou adaptar os seus iPhones às necessidades do usuários chineses. Os modelos mais recentes da linha já oferecem a opção dual-SIM, bastante popular no país. Porém, todas as fabricantes locais fazem isso há algum tempo. Logo, além de chegar por último, a Apple necessariamente não introduz algo novo no mercado em seus smartphones.

Além disso, dada a importância do mercado chinês para a gigante de Cupertino, concessões também foram feitas no que toca ao serviço Apple ID, que na China pode ser usado com o número de telefone em vez da conta de email, visto que muitos chineses não possuem um endereço eletrônico.

Contudo, nada disso chega a ser uma função exclusiva da Apple em relação às demais concorrentes locais. E o cenário fica ainda pior quando envolvemos o WeChat.

A Apple oferece recursos importantes por último

A China é um mercado único. Para os chineses, a marca Apple ou iPhone não possui o mesmo peso estético e social que existe em países como o Brasil, por exemplo. Logo, os consumidores se preocupam muito mais com as funcionalidades de um smartphone do que com a representatividade dele.

Em uma declaração ao Wall Street Journal, Mark Natkin, diretor executivo da empresa de consultoria Marbridge, afirmou que “as outras fabricantes estão um pouco mais próximas do que interessa aos consumidores chineses [do que a Apple]”.

Tanto é verdade que o iOS não possui tanta relevância no mercado chinês quanto em outras regiões, pois os chineses passam grande parte do tempo usando apenas um serviço, o WeChat, o qual é uma espécie de rede social, messenger e sistema de pagamento em um só lugar.

Como a China virou a maior dor de cabeça da Apple

Analisando a trajetória da Apple no mercado chinês, sem deixar de lado, claro, a questão do fortalecimento da moeda americana, que acabou deixando os iPhones mais caros no mundo todo, a China é uma pedra no sapato de Tim Cook. Mais do que isso, caso não haja uma ação mais contundente por parte da empresa, as chances de continuar perdendo espaço no país são grandes.

No último mês de dezembro, vimos as tensões entre os Estados Unidos e a China aumentarem. E, neste sentido, um dos fatosres que mais prejudicou a Apple foram, talvez, as constantes sanções do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação à Huawei. Com a prisão da diretora financeira da empresa, Meng Wanzhou, no Canadá, muitas empresas chinesas passaram a incentivar que seus funcionários comprassem dispositivos da Huawei em detrimento aos da Apple. Contudo, de acordo com uma fonte do WSJ, isso não deve ter causado tanto impacto nas vendas da companhia no país.

Por fim, olhar para o mercado chinês e ver empresas como a Apple e a Samsung - que é a maior fabricante de smartphones do mundo - perdendo espaço de forma tão significativa para novos nomes, é um sinal de mudança de ciclo. Isso aconteceu com a Nokia e a BlackBerry nos anos 2000.

Digo mais, se não houver uma mudança no mercado de smartphones, talvez impulsionada pelo 5G e pela Internet das Coisas, as chances de vermos a Samsung e a Apple perdendo participação significativa de mercado a médio prazo são muito grandes. Tanto é que a Huawei, em menos de 10 anos, já desbancou a Apple e, em 2018, se tornou a segunda maior fabricantes de smartphones do mundo, ficando atrás apenas da Samsung.

E neste cenário, a Apple enxerga a sua frente a Huawei e, atrás, a Xiaomi e a Oppo. Não coincidentemente três fabricantes chinesas. Logo, se a "Maçã" não crescer na China, vai acabar sendo engolida por ela.

Fonte: Wall Street Journal / Cnet / The Verge

4

Jan

Tecnologia

Fim da privacidade: até aplicativos de previsão do tempo estão coletando dados indevidos dos usuários

Os tempos pós-Cambridge Analytica seguem difíceis. Desde que a divulgação do compartilhamento de dados de milhões de usuários do Facebook sem a autorização dos próprios ter mergulhado a empresa de Mark Zuckerberg em uma verdadeira espiral de desastres, o noticiário parece ter se habituado a compartilhar escândalos de quebra de privacidade e de coletas indevidas de informações de pessoas na rede, uma prática que aparentemente não para de se mostrar cada vez mais comum no setor de tecnologia. E isso inclui até mesmo os serviços mais inocentes, como meros aplicativos de previsão do tempo.

Isso porque uma reportagem do The Wall Street Journal publicada ontem (3) relata que o Weather Forecast – World Weather Accurate Radar, um dos apps mais populares da categoria no Android, vinha nos últimos meses fazendo uma coleta de informações bem mais extensa que a necessária de seus usuários. Levantada a princípio pela firma de segurança Upstream Systems, a situação incluía até o pedido do endereço de e-mail e do número do IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel, em outras palavras a identidade do seu telefone) das pessoas que baixavam o app, que é gerido por uma fabricante chinesa intitulada TCL Communication Technology Holdings Ltd.

Para piorar, o Weather Forecast pelo visto também vem inscrevendo seus usuários em serviços de realidade virtual sem pedir nenhum consentimento. Segundo o jornal, a investigação da Upstream mostra que mais de cem mil indivíduos quase foram obrigados pela plataforma a pagar mais de 1,5 milhão de dólares ao serem inscritos em programas do tipo localizados em países como a Malásia, a Nigéria e até aqui no Brasil. Estas tentativas, porém, foram interrompidas após a TCL atualizar o programa depois de ser contatado pela firma de segurança e o jornal sobre o assunto.

A coleta indevida de dados, porém, ainda é a parte mais preocupante do negócio, até porque ele se mantém ativo e não muito claro em seus propósitos. Por ser um número que muda de posse a cada momento que o aparelho é passado para outra pessoa e que pode ser linkado a diversos usuários, o IMEI é em teoria um dado inútil ao julgamento normal, o que só deixa mais esquisita a necessidade do app de pedir o número.

Por incrível que pareça, o Weather Forecast não é o primeiro aplicativo de previsão do tempo a ganhar uma acusação de quebra de privacidade. No ano passado, foi revelado que o AccuWeather acompanhava a localização dos usuários mesmo depois deles declararem de forma explícita que não queria compartilhar esta informação à plataforma. Na época, o app disse que a coleta indevida era resultado de um erro de configuração do serviço.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/101768/ate-aplicativos-de-previsao-do-tempo-estao-coletando-mais-dados-dos-usuarios-do-que-deveriam/

28

Dez

Tecnologia

Problemas de visão em crianças que usam smartphones preocupam o Japão

A essa altura não é novidade para ninguém que o uso constante de dispositivos com telas em nosso cotidiano tem aumentado os problemas de saúde relacionado à visão. E essa preocupação tem sido crescente em mercados onde há um uso massivo e constante de smartphones, como na China e no Japão.

Uma pesquisa recente conduzida pelo Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão descobriu que o número de alunos com visão abaixo da pontuação padrão saudável de 1.0 (equivalente à visão 20/20) chegou ao recorde de 25,3%. Pior ainda, pouco mais de 67% dos alunos do ensino médio e mais de 34% dos alunos do ensino fundamental alcançaram o escore mínimo.

 

O governo diz que isso se deve ao "aumento do tempo gasto olhando para as telas dos smartphones e para os jogos móveis". O nipônicos possuem o terceiro maior mercado de games do mundo, de acordo com a firma de pesquisa de mercado Newzoo, e uma grande fatia desses usuários usa celulares (41% dos homens e 32% das mulheres).

Vale destacar que não o aumento de “tempo de tela” não foi comprovado como grande vilão dos olhos — embora os especialistas confirmem que a emissão da luz azul pode causar fadiga visual. Ainda assim, fica aí o alerta para sempre manter o bom senso e não exagerar no usos dos aparelhos, especialmente quando estamos falando do público infantil.

Fonte: Portal TechMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/dispositivos-moveis/137471-problemas-visao-criancas-usam-smartphones-preocupam-japao.htm

28

Dez

Tecnologia

Aplicativo iFood oferece plano com assinatura para quem não quer mais pagar pelas entregas

Quem costuma pedir bastante comida em casa tem o iFood como uma ferramenta valiosa – hoje em dia, ninguém mais faz ligações telefônicas para pedir delivery, pois com alguns cliques você recebe um rango quentinho no conforto do seu lar. Agora, um novo serviço vai tentar facilitar a vida de quem tem esse costume – e claro, aliviar um pouco o bolso dos clientes.

Estamos falando do iFood Plus, um serviço de assinatura que dá o direito do usuário de fazer quantos pedidos quiser sem pagar a taxa de entrega dos restaurantes. Você paga mensalmente um valor de R$ 9,90 ou R$ 19,90, dependendo do perfil do usuário, e zera a cobrança do delivery dos seus restaurantes favoritos. Ainda em fase de testes nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, o serviço dá três meses gratuitos em caráter de experiência.

Vale lembrar que o cancelamento da taxa de entrega no iFood Plus só acontece com pagamentos no próprio aplicativo, usando o seu cartão de crédito ou débito. É por meio dele também que a taxa mensal vai ser cobrada do usuário após os primeiros três meses gratuitos. É como um “Amazon Prime de comida”.

Fonte: Portal TechMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/137502-ifood-tem-plano-assinatura-ninguem-pagar-taxa-entrega.htm

27

Dez

Educação

Colônia de Férias tem programação que estimula interesse da criançada por robótica e tecnologia

O ano letivo foi cheio, repleto de atividades e novos conhecimentos que agitaram toda a rotina da criançada. Mesmo assim, nas férias, os pequenos ainda têm muita energia para gastar. Com o novo perfil das crianças, que não esperam o descanso somente para a diversão, mas para aprenderem e associarem conhecimentos no dia a dia, as colônias de férias surgem como uma opção atrativa.

Pensando nisso, a Roboeduc, primeira escola de programação e robótica do país, realiza mais uma Colônia de Férias. A programação, direcionada para crianças a partir de três anos de idade até os 14 anos, acontecerá entre os dias 02 e 18 de janeiro, sempre de segunda a sexta-feira, nos horários das 8h30 às 11h30 ou das 14h30 às 17h30.

Nesta edição, intitulada “A Missão”, a Roboeduc está promovendo a ação de responsabilidade social #TodosjuntosnaMissão, disponibilizando vouchers gratuitos através de digitais influencers, sites de eventos como Sympla e Evenbrite e @roboeduc em troca de 1kg de alimento que serão doados à Amico. O voucher possibilita um horário da colônia por um dia.

A Colônia de férias da Roboeduc tem por objetivo oferecer um ambiente agradável e criativo, propício para adquirir novos conhecimentos e desenvolver habilidades, unindo lazer e diversão, com atividades esportivas, brincadeiras tradicionais, jogos lógicos, games e muita robótica.“Nossas práticas incentivam a reciprocidade, o respeito mútuo e o trabalho em equipe”, afirma o diretor da Roboeduc, Cássio Leandro.

As dinâmicas funcionarão como missões, incentivando a resolução de problemas ligados a robótica e programação. A colônia de férias ainda contará com oficinas que trabalharão os estímulos sensoriais, como jardinagem, culinária, arte e ilustrações.

Outro ponto que ganhará destaque serão as oficinas para YouTuber. “As férias são sempre especiais para criançada e ficam ainda mais marcantes quando elas se divertem, aprendem muito e fazem novos amigos”, comenta o coordenador pedagógico da Escola de Programação e Robótica, Eronilson Angelo da Silva.

As oficinas serão coordenadas pelos mediadores de cada turma e, como em outras atividades, acontecerão de forma dividida por níveis, entendendo que toda criança está em uma fase diferente de aprendizagem.

“Para as crianças que ainda não fazem parte do universo tecnológico, a programação pode servir como ferramenta de iniciação ao estudo da disciplina, que tem como base o ensino multidisciplinar”, explica Eronilson.

Os pacotes são semanais e também é possível optar por adquirir diárias ou a colônia de uma única vez. Para professores e advogados filiados à OAB, os descontos são de 20%. Para irmãos ou grupos acima de três amigos, o desconto é de 10%, ambos não cumulativos. Para matrícula, é preciso verificar disponibilidade de vagas para o horário desejado.

27

Dez

Tecnologia

Proposta da Câmara garante sigilo a dados que possam identificar agentes públicos de segurança e familiares

Um projeto de lei (PL 7315/2017) que altera a Lei de Acesso à Informação (LAI) dificultando o acesso a informações sobre agentes públicos de segurança foi aprovado na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) da Câmara dos Deputados em 5.dez.2018. 

A modificação restringe o acesso a dados que permitam a identificação de servidores civis e militares que trabalham com segurança pública, incluindo integrantes do Ministério Público federal e estadual, policiais, agentes prisionais, agentes de trânsito, guardas civis e agentes socioeducativos. Com a alteração, o acesso a essas informações passa a ser restrito “àqueles cujo desempenho específico das atribuições o tornem necessário”. Informações que permitam a identificação dos agentes “em relação às operações em que atuem” também passariam a ser consideradas sigilosas.

PL 7315/2017 é de autoria do deputado Capitão Augusto (PR-SP) e o texto aprovado na CSPCCO é o substitutivo apresentado pelo deputado Cabo Sabino (PR-CE) na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), que apensa outros projetos de lei de teor semelhante.

Na justificativa apresentada no projeto, o deputado Capitão Augusto afirma haver na LAI um “paradoxo” que “proíbe a divulgação de dados sobre bandidos envolvidos nas ocorrências, enquanto igual proteção não é assegurada aos integrantes de órgãos de segurança pública”. Ainda segundo o texto, o “livre acesso aos dados (...) expõe e torna vulneráveis” os profissionais da área.

Para Joara Marchezini, coordenadora do programa de Acesso à Informação da ARTIGO 19, a LAI brasileira é adequada aos padrões internacionais e já possui mecanismos apropriados para a proteção de dados pessoais que possam colocar em risco operações de segurança, dentro do capítulo de exceções ao acesso à informação.

“Entendemos que o projeto de lei possui dispositivos bastante vagos em relação a justificativa para sua existência e também sobre quais informações seriam sigilosas”, aponta Marchezini. No entendimento da especialista, as informações sobre segurança pública devem seguir o preceito da LAI, que coloca o sigilo como exceção.

Para ela, a aprovação do PL pode comprometer o controle social da segurança pública, dificultando investigações relacionadas a existência de funcionários fantasmas, nepotismo e corrupção, além de inviabilizar análises como a defasagem do número de policiais civis destinados à investigação. “Nós entendemos que a discussão sobre transparência e segurança pública é urgente, mas que a LAI é suficiente e adequada”, afirma Marchezini.

O projeto será automaticamente arquivado com o fim da legislatura atual, em 31.jan.2019. Para retornar à pauta, deverá ser desarquivado pelo autor da proposta em até 180 dias. A assessoria do deputado Capitão Augusto, reeleito no último pleito, afirma que o congressista desarquivará o projeto, que será avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Abraji, disponível em: http://abraji.org.br/noticias/proposta-em-tramitacao-na-camara-quer-colocar-sigilo-em-dados-de-agentes-publicos-de-seguranca

19

Dez

Tecnologia

Clientes do Banco do Brasil poderão usar WhatsApp para fazer saques

Depois de lançar consultas e permitir transações financeiras pelo WhatsApp, o Banco do Brasil (BB) tornou-se o primeiro banco a lançar o serviço de saques pelo aplicativo de mensagens. A ferramenta dispensa o uso de cartão para concluir a operação.

As retiradas estão limitadas a R$ 300 por dia, sempre em valores múltiplos de R$ 10. Para iniciar a operação, o cliente inicia uma conversa pelo WhatsApp com o número (61) 4004-0001, digitando “saque sem” ou “saque sem cartão”. O chatbot (assistente virtual ativado por inteligência artificial) perguntará o valor do saque, cabendo ao cliente digitar a senha do cartão para confirmar o saque.

Com o código informado pelo assistente virtual, o cliente deve dirigir-se a qualquer terminal de atendimento do Banco do Brasil. O código tem validade até as 23h59 do dia do pedido. Segundo a instituição financeira, a solução é totalmente segura porque as mensagens são criptografadas de ponta a ponta, impedindo o rastreamento por terceiros.

Com o serviço de saque, os clientes do BB podem fazer 15 tipos de transações pelo WhatsApp. Em junho, o banco lançou as consultas de saldos e de extratos pelo aplicativo. Em outubro, foram iniciadas as transações financeiras, com serviços como transferência entre contas e recarga de celular.

No fim de novembro, o BB passou a oferecer a recarga do Bilhete Único de transporte coletivo para os moradores do município de São Paulo. Desde o lançamento do piloto, o banco registrou mais de 200 mil operações de recarga.

Inteligência artifical

Desde 2017, o Banco do Brasil utiliza o Watson, assistente de inteligência artificial desenvolvido pela empresa IBM, para ajudar os funcionários a resolver os problemas dos clientes. Em agosto de 2017, a tecnologia começou a ser usada para dar suporte aos pedidos dos clientes no Facebook Messenger. O assistente virtual responde usando uma linguagem natural e aprende constantemente com base nas interações dos usuários. Em todos os aplicativos, o cliente passará a ser ajudado por um funcionário do BB caso seja necessário atendimento humano.

Com informações da Agência Brasil