Tecnologia

22

Mai

Tecnologia

Integra School do Instituto Metrópole Digital abre vagas para cursos de programação e sistemas

O Integra School, projeto do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), está com inscrições  abertas para os cursos Do Básico ao Intermediário CentOs Introdução à Programação com Python. As inscrições podem ser feitas gratuitamente por meio dos links Python e CentOs, segundo a opção do candidato. São destinadas 60 vagas para cada um dos cursos ao público interno (alunos dos cursos técnicos do IMD) e 20 vagas para cada curso ao público externo, totalizando 160 vagas do projeto.

A seleção acontece por ordem de cadastramento. Os cursos, com carga horária de 40 horas cada, acontecem entre os dias 25 de maio a 21 de junho, ambos na modalidade online. Podem se inscrever no Integra School alunos dos cursos técnicos do IMD e profissionais de tecnologia da informação (TI), bem como qualquer interessado em linguagem Python ou Linux CentOs.

As atividades são realizadas sempre nas terças e quintas-feiras, sendo das 12h às 14h para formação em Python e 16h30 às 18h30 para CentOs, por meio de videoaulas semanais – disponibilizadas pelo sistema Classroom Google – e fóruns de acompanhamento, além de atendimentos individuais. Também será aplicada uma avaliação no final de cada curso.

Mais informações podem ser acessadas aqui. Em caso de dúvida, envie e-mail para os docentes responsáveis pelos cursos: heitorm@imd.ufrn.br ou artur@imd.ufrn.br.

18

Mai

Tecnologia

Pesquisa: Brasil tem 4,8 milhões de crianças e adolescentes sem internet em casa

No Brasil, 4,8 milhões de crianças e adolescentes, na faixa de 9 a 17 anos, não têm acesso à internet em casa. Eles correspondem a 17% de todos os brasileiros nessa faixa etária. Os dados, divulgados na semana passada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), fazem parte da pesquisa TIC Kids Online 2019, que será lançada na íntegra em junho.

O levantamento é feito pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Os dados foram solicitados pelo Unicef para medir, em meio à pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, quantas crianças e adolescentes estão sem acesso a aulas online e a outros conteúdos da internet que garantam a continuidade do aprendizado. 

“A gente está em um momento de crise, uma crise aguda em função da pandemia, que vai ter impacto na vida das crianças e adolescentes, como um todo. Do ponto de vista da educação, a gente está com uma questão séria: o que é preciso fazer para que essas crianças e adolescentes tenham acesso a algum tipo de aprendizagem”, diz o chefe de Educação do Unicef, Ítalo Dutra. 

Segundo Dutra, a pandemia evidencia desigualdades que já são enfrentadas no cotidiano em todo o país. Há escolas que têm infraestrutura adequada e de qualidade, e outras que não, o que já impacta o aprendizado das crianças.

“Com a pandemia, com as escolas fechadas, temos, obviamente, uma situação que é ainda mais aguda. Vemos com preocupação a situação em que nos encontramos e, principalmente, entendemos a necessidade de olhar para uma maneira de garantir o acesso de crianças, adolescentes e suas famílias à internet." É parte da garantia de direitos de crianças e adolescentes, afirmou.

Desigualdade

A pesquisa mostra que, entre aqueles que não têm acesso à internet em casa, alguns conseguem acessar a rede em outros locais, como escolas, telecentros ou outros espaços. Isso antes da adoção de medidas de isolamento social no país. As informações foram coletadas entre outubro de 2019 e março de 2020.

Aqueles que não acessam a internet de nenhuma forma, no entanto, chegam a 11% da população nessa faixa etária. A exclusão é maior entre crianças e adolescentes que vivem em áreas rurais, onde a porcentagem daqueles que não acessam a rede chega a 25%. Nas regiões Norte e Nordeste, o percentual é 21% e, entre os domicílios das classes D e E, 20%. 

Em ter os gerais, o acesso cresceu em relação ao último levantamento, de 2018, quando 14% das crianças e adolescentes não navegavam pela rede. As desigualdades regionais e de renda, no entanto,  permanecem, diz o coordenador de Projetos de Pesquisas do Cetic.br, Fábio Senne. “Os não usuários estão mais presentes nas regiões Norte e Nordeste e têm vulnerabilidade socioeconômica maior. Essas dimensões permanecem nas pesquisas, nos últimos anos, apesar do aumento constante de usuários."

Fonte: Agência Brasil

14

Mai

Tecnologia

RN é o grande vencedor do 1° Hackathon sobre a Covid-19 da Agência Espacial Brasileira

O Rio Grande do Norte foi o grande vencedor do 1° Hackathon sobre a Covid-19 nas atividades espaciais, realizado pela Agência Espacial Brasileira (AEB), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O resultado foi divulgado na última quarta-feira (13).

A equipe Cura Espacial, formada por professores e alunos do IFRN de Parnamirim e do Complexo Educacional Contemporâneo, foi a primeira colocada na categoria “Desafio Maker”, com um projeto para desinfecção de ambientes, utensílios e equipamentos de proteção individual (EPI’s). 

De acordo com Sidney Pedro, de 15 anos, aluno do Contemporâneo, o projeto foi desenvolvido para a área espacial, mas pode ser aproveitado em locais que precisam ser desinfetados. “Mesmo na terra, pode ser usado em locais remotos, sem energia elétrica, ajudando assim no combate ao novo coronavírus, entre outros vírus e bactérias”, disse ele.

O professor Rodrigo Siqueira Martins, do IFRN de Parnamirim, conta que foi utilizada uma estrutura reflexiva e móvel para a idealização do esterilizador. “Conseguimos atingir o objetivo no piloto com uma caixa de papelão, uma lâmpada UV, um plástico reflexivo, reaproveitado de um suplemento alimentar, e uma bateria”, detalha o responsável pelo projeto, do qual os estudantes Daniel Luan Lourenço de Lima, Hartur Souza da Silva, Pedro Miguel Barbosa Cardoso Filgueira Jacinto e Vinícius Medeiros Xavier também fizeram parte.

O Hackathon Espacial da AEB contou com a participação de 27 equipes das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste País. As equipes elaboraram soluções para mitigar os impactos causados pela Covid-19 nas atividades espaciais e observar a relação intrínseca dessa mitigação para o planeta Terra.

14

Mai

Tecnologia

Plataforma pioneira em financiamento coletivo no RN é aprovada pelo TSE para eleições de 2020

O calendário estabelecido pela Justiça Eleitoral indica que as vaquinhas eleitorais terão início na próxima sexta-feira, dia 15 de Maio de 2020. A partir desta data, todas as páginas de arrecadação criadas no Seja Fã estarão aptas a receberem doações pré-eleitorais. A plataforma já está aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que pré-candidatos(as) possam criar suas páginas de pré-campanha. As doações serão transferidas para o(a), então, pré-candidato(a) somente após a homologação da candidatura pelo TSE e abertura da conta de campanha, conforme Resolução Nº 23.607, de 17 de dezembro de 2019.

O financiamento coletivo eleitoral é uma prática comum em muitos países, principalmente nos Estados Unidos e em países da Europa. O modelo despontou oficialmente no Brasil em 2018, e o Seja Fã foi pioneiro no Rio Grande do Norte. A plataforma de crowdfunding une duas necessidades: comunicação para expor ideias e captação de recursos junto a apoiadores. 

As contribuições são feitas apenas por pessoas físicas e não podem ultrapassar 10% dos rendimentos brutos alcançados no ano anterior da eleição. O valor máximo para doações é de R$ 1.064,00. Os pagamentos podem ser efetuados por meio de boleto bancário, transferência bancária, depósito e cartões de crédito e débito.

"A gente sabe que o momento é de pandemia, mas como o calendário eleitoral ainda não sofreu alterações, é importante que os pré-candidatos possam se organizar e buscar meios de viabilizar os seus projetos e obter êxito nas eleições de 2020", afirma o idealizador e sócio-diretor da plataforma Seja Fã, Alan Oliveira.

O Seja Fã tem toda regularidade fiscal, financeira, contábil e jurídica para receber doações. Para fazer o pré-cadastro de projetos ou doar, os interessados devem acessar o endereço eletrônico: www.sejafa.com.br.

14

Mai

Tecnologia

UFRN é destaque no estudo de inteligência artificial

Cada vez mais presente no dia a dia das pessoas, a inteligência artificial vem se aperfeiçoando com o passar dos anos. Atendimentos de bancos, redes sociais, sites de compras online e, como se tornou mais frequente durante a pandemia de Covid-19, a telemedicina são alguns exemplos de uso dessa tecnologia estudada por universidades do mundo inteiro.

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pesquisas sobre inteligência artificial aumentaram significativamente nesta década e levaram a instituição a figurar com destaque em ranking divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). De acordo com a lista, entre 2014 e 2018, a UFRN publicou 244 trabalhos na área, números que a posicionam na quinta colocação entre as universidades brasileiras.

Os dados levantados pela Fapesp apontam que, no período de 2000 a 2018, as pesquisas em inteligência artificial triplicaram no mundo, sendo lideradas, em ordem, por China, Estados Unidos e Índia. Na 12ª posição, o Brasil teve como principais instituições na área as universidades de São Paulo (USP), Estadual de Campinas (Unicamp), Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal de Minas Gerais (UFMG), além da UFRN.

Entre os estados mais produtivos do país na área, apenas Rio Grande do Norte e Pernambuco têm instituições representando a região Nordeste. São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Paraná e Santa Catarina são as demais unidades federativas citadas no ranking.

A posição proeminente da instituição foi exaltada pela pró-reitora de Pesquisa da UFRN, Sibele Pergher. “O destaque alcançado pela UFRN na área de inteligência artificial é motivo de orgulho para a instituição e é fruto do excelente trabalho desenvolvido por pesquisadores de várias áreas do conhecimento, espalhados nas diversas unidades da universidade”, afirma.

14

Mai

Tecnologia

Sebrae e Petrobras lançam novo edital para financiamento de startups

Pequenas empresas  e startups potiguares com ideias inovadoras para solucionar os desafio da cadeia produtiva de óleo, gás e energia têm a chance de receber o incentivo para implementar o projeto. O Sebrae e a Petrobras estão com inscrições abertas o segundo edital do Programa Petrobras para Inovação – Módulo Startups, voltado a atrair soluções tecnológicas para bens e serviços de startups e pequenas empresas de todo país. O novo edital fornecerá até R$ 10 milhões para viabilizar a geração de inovações com implantação efetiva nas operações da companhia. Na edição anterior, 12 startups do Rio Grande do Norte participaram da seleção.

Diante do atual cenário atípico, a Petrobras continua investindo e buscando soluções inovadoras para superar seus desafios, com foco em eficiência, aumento de produtividade e segurança de suas operações. O processo seletivo será conduzido ao longo deste ano com previsão de finalização em setembro.

Poderão ser inscritos projetos nas seguintes áreas: tecnologias digitais, robótica, eficiência energética, catalisadores, corrosão, redução de carbono, modelagem geológica, tecnologias de inspeção e tratamento de água. Cada proposta poderá receber recursos da ordem de R$ 500 mil, podendo chegar ao limite de R$ 1 milhão a depender do valor agregado ao negócio da Petrobras.

Os empreendedores contarão com assessoria da Petrobras e do Sebrae, durante e após o processo de seleção, para que suas soluções possam ser implantadas e gerar valor no curto prazo. Para os projetos finalizados com sucesso, a Petrobras buscará viabilizar a continuidade para a fase de implantação e testes piloto. As inscrições estarão abertas até o dia 28 de junho e poderão ser feitas por meio do site https://platform.younoodle.com/competition/edital_petrobras_sebrae_2020

A proposta da Petrobras é lançar editais sucessivos durante os cinco anos de vigência do programa, com recursos de até R$60 milhões provenientes da cláusula de Pesquisa e Desenvolvimento e Inovação, uma contrapartida legal pela operação das petrolíferas. O primeiro edital do programa, lançado em julho de 2019, atraiu candidatos de todo o país e selecionou sete startups, entre 261 inscritas.

12

Mai

Tecnologia

App da Microsoft permite controlar o tempo das crianças no celular

Controlar o tempo da criançada no celular ou tablet é tarefa para super-heróis, especialmente para quem não pode ficar o tempo todo ao lado dos pequenos. As gigantes da tecnologia têm incluído cada vez mais ferramentas para monitorar o tempo gasto nos aparelhos e agora é a vez da Microsoft começa a testar o seu app para Android e iOS.

Batizado de Family Safety, o novo aplicativo é uma extensão do serviço de mesmo nome já disponível para Windows e Xbox. O app mostra o tempo gasto no aparelho, com a opção para definir limites de tempos para jogos, além de facilitar a localização dos dispositivos da família.

O Family Safety exibe o tempo gasto por cada uma das crianças em diferentes dispositivos, permitindo listar os aplicativos e jogos mais utilizados. A navegação na web também é monitorada, com os principais sites acessados e os termos de busca usados. O serviço oferece ainda a opção de enviar um relatório semanal para os pais ou responsáveis.

É possível definir limites de uso para jogos ou aplicativos, com parâmetros replicados em todos os dispositivos registrados – então, o tempo de jogo no celular e videogame contam para o mesmo limite. Outra opção é controlar o tipo de conteúdo acessado, com bloqueios para serviços e websites que podem ser liberados caso a caso.

Outra opção do aplicativo é o rastreamento de localização. O Family Safety exibe em um mapa a localização de cada um dos usuários/dispositivos, com a opção de definir locais visitados frequentemente.

Para participar do teste do Family Safety, é preciso preencher um formulário no site da Microsoft. Antes, a empresa requer a configuração de um grupo familiar, caso ainda não tenha criado um no Windows ou Xbox. Para mais informações, confira o site oficial do Family Safety.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/app-da-microsoft-controlar-tempo-das-criancas-no-celular-164699/

8

Mai

Tecnologia

Plataforma de videoconferência já viabilizou 20 mil reuniões do Judiciário durante a pandemia

As atividades do Poder Judiciário estão sendo realizadas especialmente com o uso da tecnologia durante o período de crise causado pela pandemia da COVID-19. Pela Plataforma Emergencial de Videoconferência para Atos Processuais, disponibilizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aos tribunais, já foram feitas 20 mil reuniões desde o lançamento da ferramenta no início de abril.

A Plataforma registrou, em um mês de funcionamento, 6.481 usuários cadastrados, dos quais quase 5 mil já utilizam a ferramenta. Mais pedidos são recebidos diariamente pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) do CNJ. Para o juiz auxiliar da Presidência do Conselho Bráulio Gusmão, a iniciativa tem sido fundamental para que o Judiciário retome boa parte de suas atividades, mesmo com o isolamento social e o trabalho em modelo de home office. “Os resultados são extremamente positivos e mostram que houve uma ótima resposta dos magistrados e respectivos tribunais. Acreditamos que a tendência é um aumento ainda mais significativo de usuários e do número de reuniões.”

A Plataforma é uma ferramenta digital segura para a realização das atividades processuais por videoconferência, realizadas em salas virtuais pelos magistrados. Nelas, é possível promover sessões de julgamento, audiências ou reuniões. Também é permitida a interação com todos os atores do Sistema de Justiça, composto por advogados públicos e privados, membros do Ministério Público e defensores públicos, bem como a sustentação oral de modo virtual, como tem sido feito nas sessões ordinárias do Plenário do CNJ.

A iniciativa é fruto do Acordo de Cooperação Técnica celebrado com a Cisco Brasil Ltda, que não resulta em custos ou compromissos financeiros por parte do CNJ. A ferramenta estará disponível durante o período da pandemia.

Para se cadastrar, juízos de primeiro grau, órgãos julgadores colegiados e gabinetes devem fazer uma solicitação por meio do formulário que consta na página da plataforma. As sessões de telepresença poderão ser gravadas, a critério dos interessados, e seu conteúdo armazenado no portal PJe Mídias, oferecido pelo CNJ. Dúvidas e esclarecimentos podem ser tratados pelo e-mail videoconferencia.nacional@cnj.jus.br.

8

Mai

Tecnologia

Site calcula número diário de vidas salvas pelo isolamento social

Uma plataforma criada por pesquisadores do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica da Unicamp foi capaz de calcular a quantidade de vidas salvas a partir da implementação das medidas de isolamento social no Brasil.

Estima-se que, se os cuidados forem mantidos, o número de vítimas da doença vai diminuir. A projeção é que dos atuais 83 indivíduos salvos diariamente dentro de uma semana, esse número saltará para 360. Em 14 dias, o dado registrado pode ser de 865 vidas poupadas a cada 24 horas.

Para realização dos cálculos, os pesquisadores cruzam os dados oficiais de contágio e letalidade, fornecidos diariamente pelo Ministério da Saúde. Com isso, é possível montar cenários de recuperação e de evolução do vírus. Em estimativas, os cientistas apontam que manter o isolamento social nas próximas semanas pode salvar, em média, uma vida a cada 3,7 minutos no Brasil.

Como acessar o sistema

O sistema, batizado de "Vidas salvas pelo isolamento social", criado pelos pesquisadores Paulo José da Silva e Cláudia Sagastizába, pode ser acessado por este link. A plataforma é atualizada diariamente.

De acordo com os pesquisadores, o "distanciamento social pode ser efetivo quando consideramos o Brasil inteiro, mas vem perdendo força".

"Vemos que as curvas de uma forma geral foram achatadas. Mas o número de doentes ainda cresce muito, mesmo que mais lentamente. Isso sugere que é imperativo que os governos busquem alternativas de controle da epidemia para não enfrentarmos colapsos nos sistemas de saúde em breve", finalizam.

Fonte: Olhar Digital, disponível em: https://olhardigital.com.br/coronavirus/noticia/site-calcula-numero-diario-de-vidas-salvas-pelo-isolamento-social/100471

8

Mai

Tecnologia

Google oferece treinamentos gratuitos online para profissionais de TI

O Google Cloud está oferecendo treinamentos gratuitos totalmente online para profissionais de TI, como recurso de aprendizado para quem deseja se aprofundar em conhecimentos em computação em nuvem. Durante 30 dias, será possível acompanhar cursos projetados com base em habilidades essenciais, como arquitetura, engenharia de dados e machine learning. O objetivo é preparar essas pessoas para resolver problemas reais e incentivar que elas busquem tirar sua certificação do Google Cloud.

Mais de 60 treinamentos estão disponíveis no Pluralsight e no Coursera. Os laboratórios práticos, disponíveis para todos os níveis de habilidade, e em diversos idiomas, estão disponíveis no Qwiklabs. Nos laboratórios, é possível aprender a criar protótipos de um aplicativo, analisar padrões climáticos, criar modelos de previsão e muito mais. Após os primeiros 30 dias de uso, as respectivas plataformas cobrarão uma taxa, caso o usuário opte por ampliar o tempo de estudo.

Inicialmente, as inscrições iriam até 30 de abril, porém, foram prorrogadas até o final de maio. Caso você tenha interesse, pode se inscrever por meio deste link. Para complementar os estudos, serão oferecidos webinars conduzidos por especialistas do Google Cloud, que vão guiar demonstrações práticas de laboratório e responder perguntas ao vivo sobre vários tópicos, como machine learning na nuvem, execução de SAP no Google Cloud, aumento de eficiência, e muito mais. Interessados, podem se inscrever aqui, onde também está disponível a agenda completa, além da consulta do histórico de vídeos.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/cursos/google-cloud-oferece-treinamentos-gratuitos-online-para-profissionais-de-ti-163289/

7

Mai

Tecnologia

Estudo: 57% das empresas estão conectadas apenas para realizar vendas online

O Cuponation, plataforma de descontos online, compilou dados de aumento de redes e de uso dessas plataformas como ponto de vendas nos últimos meses. Segundo o estudo, nas últimas quatro semanas, a taxa de penetração mundial nas redes sociais diariamente foi por volta de 3.81 bilhões de pessoas - ou seja, mais de 50% das pessoas em todo o globo estavam conectadas - , de acordo com a pesquisa do Statista, sistema internacional.

Além disso, segundo o levantamento recente do Centro Regional de Estudos do Brasil, atualmente 78% das empresas brasileiras, sejam elas de porte grande ou pequeno, estão presentes em pelo menos uma mídia social e acreditam que as mídias online podem influenciar parcerias e acarretar um aumento de vendas.

Nesta porcentagem, 57% estão conectadas apenas e exclusivamente para realizar vendas online - o que representa um aumento significativo de investimento dos comerciantes em plataformas digitais no geral. Vale mencionar que em 2017 somente 42% das companhias brasileiras possuíam sites, e no segundo semestre de 2019 este dado totalizava 54%.

Conforme dados da consultoria Kantar, o Instagram, o Facebook e o WhatsApp cresceram em média 40% no Brasil desde a segunda quinzena de março deste ano. Dentre estes, o Instagram lidera em relação a vendas e compras via internet. Confira a pesquisa completa no infográfico interativo do Cuponation.

Em conjunto, o Ipos divulgou um estudo no ano passado em que registrava que 85% dos entrevistados acreditavam no Instagram como meio para a descoberta de novos produtos, enquanto 83% das pessoas disseram que já haviam tomado a decisão de comprar de fato um item vendido por um e-commerce que possui perfil na rede social.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-cresce-como-plataforma-de-vendas-nos-ultimos-meses-164417/

5

Mai

Tecnologia

Pesquisa: 42% das pequenas e médias empresas do Brasil gerenciam suas senhas na memória

Um estudo divulgado nesta segunda-feira (04) pela Capterra, empresa especializada em análises sobre aplicativos e softwares corporativos, divulgou um cenário bem preocupante quando o assunto é a segurança da informação entre as pequenas e médias empresas (ou PMEs). Em uma época em que boa parte dos trabalhadores do país está exercendo sua profissão via home office, as medidas que garantem a segurança dos dados dessas organizações deixa a desejar.

Um dos dados mais preocupantes da pesquisa diz respeito a senhas. Quase metade (42%) dos funcionários entrevistados afirmou que o gerenciamento delas é feito de cabeça. Apenas 37% deles usam planilhas ou algum outro tipo de documento para administrar esses dados, enquanto 32% utilizam a memória do navegador e 31% lançam mão de algum software de gerenciamento de senhas.

Para piorar, 15% dos entrevistados afirmam compartilhar suas senhas com outros colegas de trabalho. Além disso, na hora de montar uma boa senha de acesso, o estudo indica que 54% (sim, mais da metade) dos pesquisados usam de oito a 16 caracteres para criar uma senha, uma prática que pode facilitar o acesso não-autorizado por parte de terceiros. Menos mal que 49% afiram que usam letras, números e caracteres na hora de construir uma boa senha. 

Ainda assim, 20% dos entrevistados usam nomes como senhas de acesso aos dados de uma empresa; outros 15% usam datas e 13% utilizam palavras completas.  Para completar o quadro alarmante, quase metade (46%) dos participantes da pesquisa afirmam ter apenas uma única senha principal para acessar diversos sites; além disso 49% compartilham a mesma senha entre contas pessoais e de trabalho. 

No quesito antivírus a situação não está melhor

Se a administração de senhas dos funcionários das PMEs já apresenta um quadro preocupante, a situação não está muito melhor quando o assunto é a adoção de uma solução de segurança para seus equipamentos de trabalho. A pesquisa da Capterra apontou que 61% dos entrevistados trabalham sem um software de proteção, como um antivírus. Além disso, apenas 34% verificam as atualizações desses mesmos antivírus e 32% instalam atualizações para essas ferramentas regularmente. 

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/seguranca/42-das-pequenas-e-medias-empresas-do-brasil-gerenciam-suas-senhas-decabeca-164295/

4

Mai

Tecnologia

Escola de Ciências Médicas da UFRN oferece teleatendimento no Seridó

Nas últimas duas semanas, o Brasil vem experimentando um crescimento cada vez mais veloz do número de casos de Covid-19. Como consequência, medidas de isolamento têm sido prorrogadas por estados e municípios de todo o país. Além disso, o sistema de saúde já vem apresentando saturação, beirando o colapso.

Inicialmente mais concentrado nas capitais, o novo coronavírus se propagou e também chegou aos interiores. No Seridó, para combater a pandemia e auxiliar a população da região, a Escola Multicampi de Ciências Médicas do Rio Grande do Norte (EMCM/UFRN) passa a oferecer acesso virtual e gratuito a orientações médicas relacionadas à Covid-19.

Chamada de Telessaúde no Sertão, a plataforma presta atendimento por meio da inteligência artificial Francisco, ou Chico, como se apresenta. No chat, é possível conversar instantaneamente, enviar perguntas, receber informações de saúde e identificar se os sintomas reclamados são característicos da doença, recebendo a orientação correta sobre qual serviço procurar, se assim for necessário.

Outras alternativas oferecidas pela plataforma são os atendimentos por telefone e por videochamada, realizados por médicos e por acadêmicos devidamente orientados por professores. No momento, essas modalidades estão disponíveis apenas para residentes da cidade de Caicó.

De acordo com o professor da EMCM, Diego Bonfada, coordenador da iniciativa junto à professora Raquel Bastos, trata-se, acima de tudo de um espaço de interação e retirada de dúvidas. A plataforma deve ainda contribuir para que não haja deslocamento desnecessário de pessoas em busca de atendimento nos hospitais. 

30

Abr

Tecnologia

Robô Ciência e Unifacex doam 120 protetores faciais para trabalhadores em saúde do Hospital Giselda Trigueiro, nesta sexta (1º)

A escola Robô Ciência e a Unifacex vão entregar nesta sexta-feira, 1º de maio (Dia do Trabalhador), 120 protetores faciais para profissionais de saúde do Hospital Giselda Trigueiro, referência no combate ao novo Coronavírus no Rio Grande do Norte.

As duas instituições de educação estão produzindo e vão doar, no total, cerca de 500 protetores de acetato para médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que estão na linha de frente no combate a Covid-19. A outra parte dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) será entregues nos próximos dias.

As máscaras, que são chamadas de Face Shields, estão sendo produzidas e montadas em um Laboratório Maker da Unifacex. O espaço é usado pela universidade  para aulas de robótica e programação. A viseira, onde os profissionais de saúde encaixam o EPI na cabeça, está sendo produzida em impressoras 3D. O acetato, aquele material plástico transparente que fica na frente do rosto, é cortado em uma máquina a laser de alta precisão. Os custos foram divididos entre as duas instituições.

“Vamos fazer essa primeira doação com uma alegria imensa no coração. A data é muito simbólica. A entrega desses EPIs no dia do trabalhador é uma forma de homenagear esses profissionais que estão dedicados em salvar vidas. Nós também queremos proteger a vida deles, oferecendo a segurança necessária para que eles possam trabalhar", disse o professor Alexandre Amaral, diretor da Escola Robô Ciência.

A produção dos cerca de 500 protetores faciais deve ser finalizada nos próximos dias e em seguida serão feitas outras entregas em unidades de saúde da rede pública que estão recebendo pacientes com suspeita de Covid-19. O uso de máscaras é fundamental para a proteção dos médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem. A escassez de EPIs, no mundo todo, é um problema enfrentado durante a pandemia do novo Coronavírus.

30

Abr

Tecnologia

Aplicativo potiguar para fazer feira atende municípios de Natal, Macaíba, São Gonçalo, Ceará Mirim e Parnamirim

A pandemia do novo coronavírus está impactando a vida dos potiguares. A orientação de sair de casa o menos possível implica uma preocupação bastante importante: como fazer compras de mercado? O que muita gente descobriu recentemente é que um aplicativo potiguar permite que o usuário faça uma feira completa em poucos minutos e receba em casa. É o Bask Natal que já atende os municípios de Natal (incluindo a Zona Norte), Macaíba, São Gonçalo, Ceará Mirim e Parnamirim.

Além dos supermercados, o aplicativo conta com nomes como a chocolateria Rafaela Fontes, a Padaria São Miguel e a casa do Peixe, entre outros. No app ainda é possível pedir em lojas de peso na cidade, como o Frigoias, a Casa Nacre, Olga Pão de Queijo, o RNPet, entre muitos outros estabelecimentos. O Bask se consolidou como principal app de compras para casa da cidade pois, ao contrário de outros apps, mantém os preços e as promoções praticadas pelo estabelecimentos.

Com o celular na mão, basta escolher o estabelecimento disponível e fazeras compras em poucos minutos e receber a feira em casa. A ferramenta é gratuita e está disponível para iOS e Android. O aplicativo conta com mais de 40 mil produtos. Mais de 27 mil pessoas já baixaram a ferramenta. Diariamente, centenas de usuários já utilizam o aplicativo. Uma de suas funcionalidades permite ainda que o cliente possa repetir a feira do mês e efetuar o pedido em apenas 15 segundos. Algumas lojas aceitam vale-alimentação e tem entrega grátis. Além disso, centenas de promoções são atualizadas em tempo real, com o mesmo preço da loja física.

O aplicativo Bask Natal está disponível para download no Google Play e App Store. O site é o www.bask.com.br/ e o Instagram @basknatal.