Mundo corporativo

8

Mar

Mundo corporativo

Desigualdade entre homens e mulheres no trabalho quase não caiu em 27 anos, diz OIT

A lacuna de gênero no trabalho quase não diminuiu nos últimos 27 anos e, em 2018, a probabilidade de uma mulher trabalhar foi 26% inferior que a de um homem, uma melhoria de apenas 1,9% com relação a 1991, apontou na última quarta-feira (6) a Organização Mundial do Trabalho (OIT).

Esse resultado vem após um estudo recente e que evidenciou que 70% das mulheres preferem ter um emprego do que ficar em casa, algo com o que, além disso, 66,5% de homens estão de acordo.

“Já não se pode afirmar de maneira crível, em nenhuma região e nem com relação a nenhum grupo social, que as diferenças quanto a emprego entre homens e mulheres acontecem porque as mulheres não querem trabalhar fora do lar”, disse a chefe da Área de Gênero, Igualdade e Diversidade da OIT, Shauna Olney, em entrevista coletiva.

Mães são as mais afetadas

As mais afetadas pela desigualdade são as mulheres com filhos menores de seis anos, que sofrem com o que chamou de “penalização profissional da maternidade”.

Segundo os últimos dados, em dez anos a diferença entre as mulheres sem filhos pequenos e as mulheres com filhos menores de seis anos que trabalham passou de 5,3% a 7,3%, sendo a principal razão para isso o aumento da presença das mulheres do primeiro grupo no mercado de trabalho.

A penalização da maternidade não se limita ao acesso a um emprego, mas segue as mulheres durante grande parte de sua trajetória profissional e dificulta suas possibilidades de chegar a postos de liderança, segundo a OIT.
Isso é demonstrado com fatos, já que apenas 25% dos cargos de gerentes com filhos menores seis anos são ocupados por mulheres, enquanto a proporção de mulheres em cargos diretivos aumenta para 31% se não tiverem filhos pequenos.

A OIT, além disso, estabeleceu em um recente relatório que em nível mundial persiste uma diferença de remuneração de 20% entre homens e mulheres, uma realidade da qual não se salvam nem os países considerados mais evoluídos na matéria.

Paridade de oportunidades

A Islândia é o único que alcançou plena paridade nas oportunidades de trabalho para homens e mulheres, mas ainda não conseguiu igualdade de remunerações, por isso que o Governo anunciou medidas concretas para acabar com a lacuna salarial no próximo ano.

Com esse fim, o governo tomou diversas medidas que vão desde a certificação de empresas que pagam por igual a homens e mulheres que realizam um trabalho de valor similar ao estabelecimento de um sistema para que as firmas privadas prestem contas a respeito.

Outro aspecto que preocupa a OIT é que a rentabilidade da educação obtida pelas mulheres – em termos de emprego – é menor que para os homens. Em nível mundial, 41,5% das mulheres com título universitário não trabalham, enquanto no caso dos homens são apenas 17,2%.

Além da penalização da maternidade, as mulheres são prejudicadas por serem as que assumem em geral o cuidado de pessoas dependentes, seja por velhice, doença ou incapacidade; assim como o trabalho doméstico.

A diretora do Departamento sobre Condições de Trabalho e Igualdade da OIT, Manuela Tomei, disse que para que isto mude não é suficiente apenas eliminar tudo aquilo que faz possível a discriminação e o estabelecimento de regras de cumprimento voluntário, os países devem se dotar de leis específicas que garantam não só a igualdade de tratamento e de oportunidades, mas igualdade de resultados, elementos que também deveriam estar incluídos nos convênios coletivos.

“Quando isto é deixado à vontade das empresas, o impacto que tem é limitado”, afirmou Tomei.

Fonte: Agência EFE, via Fercomércio, disponível em: http://fecomerciorn.com.br/noticias/desigualdade-entre-homens-e-mulheres-no-trabalho-quase-nao-caiu-em-27-anos-diz-oit/

21

Fev

Mundo corporativo

Mulheres ocupam 69% dos cargos de liderança em comunicação empresarial

A pesquisa inédita Perfil da Liderança em Comunicação no Brasil, divulgada pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), mostra que apesar de ocupar 69% dos cargos de liderança na comunicação corporativa no Brasil, as mulheres representam 45% do total de cargos de direção ou vice-presidência nas empresas onde trabalham.

A pesquisa foi feita com 578 profissionais de 20 estados, dos quais 78% são empregados em empresas privadas de grande porte (62%), sendo 41% em multinacionais e 37% em companhias nacionais de todos os setores da economia, com destaque para o de serviços (27%), que inclui agências de comunicação. São Paulo abriga a maioria dessas lideranças (57%). Do total de participantes, 398 são mulheres. Setenta e quatro por cento dos profissionais estão contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e 11% sob regime societário.

Embora as mulheres já estejam bem representadas nas empresas, o estudo mostra que é mais lento o processo para elas chegarem aos cargos de direção, informou o coordenador da pesquisa da Aberje, Carlos Ramello.

Salários

Em termos salariais, 59% dos consultados informaram ganhar mensalmente entre R$ 7 mil e R$ 20 mil. Por nível de cargo, verifica-se que 71% dos gerentes ganham por mês entre R$ 10 mil e R$ 30 mil, enquanto para 71% dos diretores, o salário é superior a R$ 15 mil. O levantamento não separa os ganhos mensais dos líderes em comunicação por gênero. “A experiência mostra que não existe diferenciação entre homens e mulheres nessa situação. Estão dentro das mesmas faixas (salariais)”, disse Ramello. As mulheres já não constituem um grupo de diversidade nos cargos de lideranças nas empresas, “até mesmo porque são maioria”.

Do total de entrevistados, 81% se declararam brancos, 14%, pardos, 5%, negros, e 2%, amarelos; 93% são heterossexuais, enquanto 5% disseram ser homossexuais e 2%, bissexuais. Apenas 1% disse apresentar algum tipo de deficiência. “Isso mostra que não existe diversidade entre os cargos de liderança”, acrescentou o coordenador da pesquisa.

Geração X

Carlos Ramello observou que os profissionais que integram a chamada “geração do milênio”, ou ‘milleniais’, com idade até 35 anos, são minoria entre os líderes em comunicação. Essa geração abrange as pessoas nascidas a partir de 2001, que se desenvolveram em uma época de grandes avanços tecnológicos, prosperidade econômica e facilidade material. De acordo com o estudo, a maioria dos líderes pertence à geração X, referente às pessoas nascidas logo após a Segunda Guerra Mundial, entre 1946 e 1964, quando ocorreu um aumento significativo da taxa de natalidade. A proporção identificada pelo estudo foi de 72% de lideranças da geração X e 28% dos ‘milleniais’.

Isso revela que as organizações, nas contratações ou promoção de seus líderes, acabam considerando muito a experiência. “As organizações são um pouco mais conservadoras nessa atribuição de liderança”. A experiência na área de atuação é priorizada pelas empresas. Quarenta e quatro por cento dos participantes exercem cargos de liderança na área de comunicação há mais de oito anos.

Escolaridade

Todos os participantes da pesquisa têm curso superior, sendo 40% graduados em jornalismo, 19% em comunicação e 16% em relações públicas. Dos 578 profissionais, 73% fizeram ou estão fazendo especialização ou MBA. Oitenta e nove por cento se comunicam em inglês e 57% em espanhol.

Do total de entrevistados, 90% usam a internet como principal fonte de informação, seguida do jornal (27%) e da televisão (27%). Em média, os entrevistados dedicam uma hora e meia por dia às redes sociais, sendo que os ‘milleniais’ dedicam duas horas ou mais diariamente. O Facebook e o Linkedin são as redes sociais mais utilizadas pelos profissionais que exercem cargos de liderança, da ordem de 93% cada, seguidos pelo Instagram, com 88%.

Os participantes leem, em média, 5,5 livros por ano, superando a média nacional de quatro por ano, com destaque para livros técnicos e profissionais (38%). A maioria dos participantes (57%) não fazia qualquer atividade voluntária no momento da pesquisa e um quarto não era engajado em nenhuma causa.

Análise do contexto e avaliação de tendências foram apontadas por 55% dos consultados como as principais competências para um líder em comunicação. A maior competência que eles demonstram é o profundo conhecimento do setor onde atuam.

Foto: Pixabay / Fonte: Agência Brasil

14

Fev

Mundo corporativo

CDL Jovem promove evento de Planejamento Tributário e Recuperação de Crédito

A Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Natal (CDL Jovem) promoverá hoje, 14 de fevereiro, às 18h30, na sede da CDL Natal, no bairro do Tirol, um seminário com André Adolfo. O tema será “Planejamento Tributário e Recuperação de Crédito como solução para potencializar seu negócio”.

O objetivo é fomentar o empreendedorismo jovem com a capacitação dos empresários mais novos. O tema abordado integra como o planejamento tributário e a recuperação de crédito podem contribuir para o desempenho das empresas.

14

Fev

Mundo corporativo

Uso da tecnologia para chegar aos clientes é discutido em encontro de lojistas realizado pela Ancar

Na manhã desta última quarta-feira (13), os lojistas potiguares tiveram a oportunidade de se atualizar sobre as últimas tendências do varejo discutidas em nível mundial durante a última National Retail Federation (NRF), maior feira de varejo do mundo, realizada em janeiro em Nova York. O encontro, intitulado pós-NFR, aconteceu na sala 1 da Cinépolis do Natal Shopping e contou com a participação de Gustavo Schifino, ex-presidente do Conselho de Ética da ABF e Tiago Mello, CEO da DWZ, além de Mariana Carvalho, sócia da Ancar Ivanhoe.

O superintendente do Natal Shopping, Felipe Furtado, deu as boas-vindas destacando a importância do evento que conta com a parceria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), e convidou Mariana Carvalho para transmitir alguns dos aprendizados tirados da NRF. Para ela, a marca é a plataforma para que os clientes sejam ouvidos e que a tecnologia deve ser usada não como fim, mas como meio. Diante disso, ela defende que é preciso que o empresário utilize os recursos tecnológicos hoje disponíveis – como redes sociais, inteligência artificial, entre outros – para construir um robusto banco de dados e possa conhecer cada vez melhor o seu cliente e oferecer o que ele deseja.

A sócia do grupo Ancar Ivanhoe, que é responsável por 28 shoppings, destacou também a importância das relações humanas e da diversidade das equipes para o fortalecimento da marca no mercado. “É preciso ser autêntico e colocar o propósito e os valores das empresas acima dos lucros. Em tempos de mudanças de comportamento dos consumidores, é fundamental ir além e gerar valor social”, reforça.

Mariana Carvalho também destacou o papel da diversidade no mundo dos negócios. Para ela, as marcas mais fortes serão aquelas que terão a contribuição de uma equipe cada vez mais plural. “Os lojistas precisam construir as coisas com as pessoas, só assim eles também se fortalecerão”.

Já Tiago Mello, CEO da DWZ, que também participou da NRF, destacou os exemplos das marcas que teve oportunidade de visitar durante o evento. Das 183 lojas que conheceu em Nova York, ele destacou 10 como cases que podem ser seguidos em nível local. Uma delas resolveu instalar um espelho em seu ambiente com a frase “Você está linda!”. Com isso, estimula as clientes a produzirem fotos e postarem em suas redes sociais marcando a loja. “A tendência é essa: criar ambientes ‘instagramáveis’ no interior das lojas, que ajudam a fortalecer a presença da marca nas redes sociais.  Há soluções como esta que não são caras, basta ter criatividade e apelar para soluções simples que podem ser aplicadas com o uso de uma tecnologia mais barata, muitas vezes compradas a granel, que pode ser usada para atrair o cliente”, analisa.

O mentor do primeiro marketplace phygital do Brasil e ex-presidente do Conselho de Ética da ABF, Gustavo Schifino encerrou o ciclo de palestras destacando que a relação entre marca e consumidor deve ser pautada para atender o que o segundo precisa. Ele destacou que não há mais cliente fiel, o que vai atrair consumidor para uma marca é o que ela oferece a ele. “Portanto, devemos usar a tecnologia para ser gentil com o cliente, lhe oferecer soluções, apostar em diferenciais, em exclusividades”, destaca Schifino.

De modo geral, o evento ponderou que o cliente continua procurando a loja física para a compra, mas antes pesquisa no digital e busca informações e avaliações sobre o produto que deseja, além de analisar seu posicionamento e propósito. Esse conjunto de fatores influencia na compra final e proporciona um cenário complexo com o qual o lojista necessita estar atento. 

Foto: Divulgação

13

Fev

Mundo corporativo

Detran adesiva frota veicular ampliando transparência e controle social

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) está finalizando o processo de aplicação de adesivos com a identificação da marca da autarquia em todos os veículos de sua propriedade ou contratados por sistema de locação, cerca de 60 automóveis. 

A providência segue no caminho de conceder maior transparência e controle social da utilização da frota de veículos da autarquia, além de ser um fator que amplia a visibilidade, identificando junto à população os automóveis que atuam pelo Detran. A ação também busca inibir qualquer tipo de desvio dos veículos oficiais para fins particulares ou contrários à sua finalidade de atuação a serviço do Detran e da sociedade.

O coordenador administrativo do Detran, Wellington Tinoco, informou que o processo de aplicação de adesivos de identificação veicular já foi finalizado nos automóveis cadastrados nas unidades do órgão situadas na capital. “Estamos agora iniciando a aplicação nos carros que estão a serviço do Detran nas cidades do interior do estado. Até o final desta semana toda a frota estará identificada”, assegurou.

Foto: Divulgação

12

Fev

Mundo corporativo

Parceria da OAB/RN garante serviço de publicações jurídicas gratuitas

A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN) renovou seu convênio com a empresa de tecnologia Advise Brasil. A parceria oferece serviço gratuito de publicações jurídicas aos inscritos com anuidade em situação regular.

"A advocacia necessita estar em permanente compasso com os avanços e soluções tecnológicas que nos permitem otimizar o nosso tempo e os nossos recursos. O convênio com a Advise possibilita ao advogado, especialmente aquele que ainda dispõe de uma estrutura de escritório mais compacta, o acompanhamento das publicações e a pesquisa de jurisprudência sem qualquer custo adicional, o que se torna um benefício relevante a todos os advogados e advogadas adimplentes com a sua anuidade.", explica o secretário-geral da OAB/RN, João Victor Hollanda.

Como se cadastrar?

Os inscritos da OAB/RN já estão previamente cadastrados no sistema pela Seccional, bastando apenas ativar o cadastro, digitando o número da sua inscrição na OAB, seguido da respectiva sigla da Unidade da Federação, bem como a data de nascimento e os endereços eletrônicos de e-mail aos quais serão enviadas as notificações sobre a existência ou não de novas publicações. Após a ativação realizada no site, a disponibilização das publicações se dará automaticamente dentro do prazo de um dia útil.

Como funciona?

O sistema da Advise realiza pesquisa, seleção e o encaminhamento por meio eletrônico das publicações oficiais nominativas aos advogados. Os Diários Oficiais pesquisados são: Diário de Justiça do Estado, Diário de Justiça da União e Diário Eletrônico do Tribunal Regional Federal (processos originários do Estado).

O serviço tem caráter meramente informativo, não dispensando o diligente acompanhamento do processo pelos profissionais. A central de suporte para tirar as dúvidas poderá ser acionada através do endereço eletrônico atendimento@advisebrasil.com.br ou pelo telefone 0300-21-01-622.

6

Fev

Mundo corporativo

Mesmo que haja retomada da economia, maioria dos consumidores pretende manter "o cinto mais apertado"

Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB) quis saber ainda se o novo comportamento dos brasileiros deve se manter diante das perspectivas de recuperação da economia. Considerando um cenário mais favorável para 2019, com a retomada dos empregos e o acesso ao crédito, os dados indicam que a maioria pretende continuar com os mesmos hábitos adquiridos na crise. O principal item apontado é a economia de luz, água e telefone, mencionado por 71% dos entrevistados.

Entre outras práticas citadas estão a troca de produtos por outros de marca mais em conta (68%), atenção às promoções para obter menor preço (67%) e até cortar ou reduzir o valor pago com serviços por assinatura (65%) — TV ou internet, por exemplo. Há ainda aqueles dispostos a aumentar a frequência com que poupam, de pelo menos parte dos rendimentos (47%), e pechinchar ou pedir desconto nas compras (33%).

Por outro lado, parte dos entrevistados reconhece que pode vir a deixar de lado atitudes adquiridas com a crise, tão logo a situação volte a melhorar, como reduzir gastos com lazer (16%), evitar parcelamentos muito longos (15%) e resistir a itens de alimentação supérfluos (11%). A razão mais citada para esse comportamento é o fato de retomar o estilo de vida que se tinha nos momentos de bonança da economia (42%). A preferência por boas marcas, mesmo sendo mais caras (27%), aparece como segundo motivo e, em seguida, vem a dificuldade em manter uma vida financeira regrada (23%).

“Bons hábitos de educação financeira costumam ser encarados como restrições a experiências positivas de consumo. Mas ter um orçamento planejado e controlado acaba viabilizando objetivos importantes na vida das pessoas. Deixar de comprar aquele par de tênis da moda, por exemplo, ajudar na compra do material escolar. Além disso, uma boa gestão do orçamento também prepara qualquer um para eventuais imprevistos que surjam. Cuidar bem das finanças evita o estresse que costuma vir junto com o endividamento ou o aperto financeiro”, ressalta o Chefe do Departamento de Promoção da Cidadania Financeira do Banco Central, Luis Mansur.

Metodologia

A pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB). A amostra de 804 casos contempla as 27 capitais, pessoas acima de 18 anos, todas as classes sociais e ambos os gêneros. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%. Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

Fonte: CNDL

6

Fev

Mundo corporativo

Com economia desfavorável, brasileiro muda hábitos de consumo e passa a pesquisar mais preço

Diante de um cenário econômico desfavorável, boa parte das famílias passou a administrar melhor o orçamento e, consequentemente, criar uma relação mais saudável com o dinheiro. É o que aponta um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB). De acordo com o estudo, oito em cada dez (79%) brasileiros mudaram seus hábitos no dia a dia e entre as medidas adotadas, destaca-se a pesquisa de preços (59%) antes da aquisição de algum produto — percentual que chega a 68% nas classes A e B.

Além disso, 56% passaram a limitar gastos com lazer e 55% a controlar despesas pessoais. O aperto financeiro também fez com que muitas pessoas encontrassem alternativas para economizar. Mais da metade (54%) dos entrevistados procurou reduzir o consumo de luz, água e telefone, de olho no valor da conta. Outros 53% passaram a ficar atentos às promoções em busca de preços menores, enquanto 46% substituíram produtos por marcas similares mais baratas e 42% admitem ter incorporado em sua rotina a prática de pechinchar.

Na avaliação da Economista-Chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, os dados mostram que o consumidor está mais consciente da importância de controlar as despesas mais de perto. “A situação econômica desfavorável acabou deixando uma lição para a maioria dos brasileiros que perceberam o quanto é fundamental ter uma vida financeira mais controlada. Pesquisar preços, repensar gastos, avaliar se realmente é necessário adquirir um determinado produto ou mesmo o simples fato de pedir desconto nas compras são atitudes que contribuem para uma gestão eficiente do orçamento e evitam ficar no vermelho”, orienta a economista.

As mudanças no padrão de vida para driblar os momentos de dificuldades acabaram causando impactos emocionais nos brasileiros, que viram seu poder de compra ser afetado. Para 32% dos entrevistados, a vontade de ter algo e não poder tem provocado uma sensação de impotência. Já 26% mostram-se constrangidos por não conseguir dar à família o que deseja e 25% demonstram frustração por deixar de comprar certos produtos que gostam. Em contrapartida, uma parcela considerável (37%) se diz satisfeita por manter, ao menos, os gastos essenciais e outra aliviada (33%) por não estourar o orçamento.

Fonte: CNDL

6

Fev

Mundo corporativo

Famílias estão menos endividadas do que há um ano

O percentual de famílias brasileiras que apresentam algum tipo de dívida registrou 60,1% em janeiro de 2019, segundo os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje, 5 de fevereiro, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Esse valor representa uma queda em relação aos 61,3% apurados no mesmo mês do ano passado.

O total de inadimplentes – os que possuem dívidas ou contas em atraso – também caiu em relação a janeiro de 2018, registrando 22,9% neste mês em comparação aos 25,0% do período anterior. Da mesma forma, também diminuiu o volume de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas, passando de 9,5% em janeiro de 2018 para 9,1% neste mês.

“A queda na comparação anual indica que persistem o ritmo lento de recuperação do consumo e a cautela das famílias na contratação de novos empréstimos e financiamentos”, afirmou a economista da CNC Marianne Hanson.

Alta mensal não compromete retomada da economia

Apesar das quedas nas comparações anuais, houve um leve aumento do endividamento em relação a dezembro de 2018, quando o percentual esteve em 59,8%, e do total de inadimplentes, que estava em 22,8%, em dezembro. O desempenho mensal, no entanto, não compromete a expectativa de evolução da economia. “As taxas de juros em patamares mais baixos também constituem um fator favorável a esse resultado. As famílias brasileiras também se mostraram mais otimistas em relação à sua capacidade de pagamento, e o percentual de famílias que disseram não ter condições de pagar suas contas em atraso também recuou”, complementou Marianne Hanson.

O cartão de crédito continua sendo a principal fonte de dívidas dos brasileiros (78,4%), tendo apresentado alta entre as famílias com renda inferior a dez salários mínimos (79,1%). Carnês (14,0%) e financiamento de carro (9,7%) vêm logo em seguida.

Fonte: CNC, via Fecomércio RN

30

Jan

Mundo corporativo

Turistas estrangeiros apontam o RN como o estado mais hospitaleiro do Nordeste

No dicionário, a hospitalidade tem muitos sinônimos: acolhimento, recepção e cordialidade são apenas alguns. No Brasil, todos eles servem para descrever a capacidade do brasileiro de cuidar bem dos visitantes que recebe. No Dia da Hospitalidade, o Ministério do Turismo revela os cinco estados brasileiros considerados mais hospitaleiros pelos turistas estrangeiros que visitam o país.

E a disputa é acirrada. O campeão do bem-receber é o estado do Mato Grosso do Sul, cuja hospitalidade recebeu aval de quase totalidade (99,6%) dos visitantes internacionais que lá estiveram. O acolhimento dos estados da região Sul também foi destaque na pesquisa, colocando Santa Catarina (99,2%), Rio Grande do Sul (98,9%) e Paraná (98,5%) na sequência dos mais bem avaliados do país neste quesito. A pesquisa de demanda internacional do MTur destaca ainda os estados de São Paulo e do Rio Grande do Norte, ambos com percentuais de aprovação de 98,4%.

“Este alto índice coloca a hospitalidade do brasileiro como um ativo da maior importância para o turismo nacional, uma vantagem competitiva que contribui para o esforço do MTur de aumentar o fluxo e atrair novos turistas para os nossos destinos”, comenta o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

A hospitalidade lidera em avaliação positiva entre os 19 itens de infraestrutura e serviços pesquisados no estudo da demanda internacional do MTur. Somada aos alojamentos, gastronomia, restaurantes e aeroportos, que também influenciam a percepção do turista, compõe o conjunto de atributos fundamentais da boa experiência turística. Em 2017, por exemplo, o modo de receber do brasileiro recebeu aprovação de 98,1% dos estrangeiros que visitaram destinos nacionais, maior percentual registrado nos últimos cinco anos.

Foto: Pixabay / Fonte: Ministério do Turismo

29

Jan

Mundo corporativo

Complexo Iguales e Juraci Lira firmam parceria para linha Sem Rótulos

Os mais de 50 anos no mercado não fizeram Juraci Lira parar no tempo. A experiência da estilista potiguar, pelo contrário, permite que ela se reinvente constantemente, sem perder o reconhecido acabamento das peças que produz. Sua mais nova empreitada, a marca Sem Rótulos, traz as últimas tendências do street wear, e está disponível com exclusividade no Complexo Iguales, na Hermes da Fonseca, 1062, em Natal.

De olho no mercado jovem, a coleção com 33 peças únicas tem uma pegada de verão, mas permite composições de janeiro a dezembro. “São peças versáteis, exclusivas e que dão liberdade à mulher criar looks variados. A moda atual permite essa mistura, e nosso conceito estava em total sinergia com o Complexo Iguales, que nasceu com a proposta de quebrar barrreiras”, assinalou a estilista.

Para montar a coleção, Juraci trouxe as referências de sua ultima ida à Milão, na Itália. A cidade é considerada um dos maiores centros irradiadores de moda e design para todo o mundo. “Lá eu me dei conta de que as pessoas se vestem de uma maneira muito mais desconstruída ultimamente: vestidos de festa com tênis, o formal com o esportivo... E eu quis trazer isso para Natal, com características que atendam ao nosso clima”, explicou Juraci, que, ao investir no “hi-lo”, continua trabalhando paralelamente em suas marcas de vestidos de festas sob medida e de casual de alto luxo, ambas com seu nome.

A loja Iguales – parte do complexo homônimo que integra moda, arte, beleza e gastronomia num mesmo espaço –, trabalha com mais de dez marcas, além da marca própria. Entre elas, Cavalera, Biotwo e Divina Pele.  Juntas, elas formam um mix capaz de atender aos mais diversos tipos de público, rompendo barreiras de idade, gênero e estilos.

29

Jan

Mundo corporativo

Concurso: Marinha abre mil vagas para escolas de aprendizes

A Marinha do Brasil divulgou edital para o Concurso Público de Admissão às Escolas de Aprendizes-Marinheiros (CPAEAM), que está com inscrições abertas até 13 de fevereiro e ofertará 1.000 vagas. O concurso é destinado a brasileiros, do sexo masculino, natos ou naturalizados, com 18 anos completos e menos de 22 no dia 1° de janeiro do ano de 2020, que tenham o Ensino Médio completo e que estejam em dia com as obrigações civis e militares.

O candidato realizará uma Prova Objetiva composta por 50 questões, divididas em Português (15), Matemática (15), Ciências – Física e Química (15) e Inglês (5). Ao término dessa etapa, haverá eventos complementares, como a Verificação de Dados Biográficos, Inspeção de Saúde, Teste de Aptidão Física, Avaliação Psicológica e a Verificação de Documentos.

Os aprovados em todas as etapas serão designados a uma das quatro Escolas de Aprendizes-Marinheiros, no Ceará (EAMCE), Pernambuco (EAMPE), Espírito Santo (EAMES) e Santa Catarina (EAMSC).

O candidato aprovado no concurso realizará o curso de formação durante 48 semanas, sob o regime de internato, no qual estudará disciplinas do Ensino Básico e do Ensino Militar-Naval. Durante o curso, o Aprendiz-Marinheiro receberá ajuda de custo de R$ 900,00 mensais, além de alimentação, ajuda para aquisição de uniformes, entre outros auxílios. Ao final, o militar será nomeado Marinheiro e receberá remuneração em torno de R$ 1.900,00, já contando com adicionais.

A inscrição poderá ser feita no site www.ingressonamarinha.mar.mil.br. A taxa é de R$ 42 e pode ser paga até o 20 de fevereiro. No ato da inscrição, o candidato deverá indicar a ordem de preferência de área profissional: Eletroeletrônica, Apoio e Mecânica.

28

Jan

Mundo corporativo

Aumentam emplacamentos de veículos zero km no RN, segundo dados do Detran

Durante o ano de 2018 a frota de veículos zero quilômetro do Rio Grande do Norte contou com um acréscimo de 43.429 automóveis. Os dados levantados pelo setor de Estatística do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) mostram que a quantidade de emplacamentos de novos veículos teve uma leve alta em relação ao ano de 2017, contabilizando um aumento de 0,1%.

Em tabela comparativa, o relatório mostra que dos 12 meses de 2018 em dez deles a quantidade de emplacamentos de veículos zero quilômetro foi menor do que no ano anterior, porém a retomada aconteceu nos meses de outubro e novembro, quando a evolução dos processos de emplacamento subiu de maneira significativa quando comparado aos mesmos meses do ano anterior, alcançando índices de 12% e 16%, respectivamente.

Nessa situação, as informações estatísticas mostram que a frota de veículos do Rio Grande do Norte vem num crescente a cada ano. Em meados de 2014 a quantidade de automóveis em circulação no estado bateu a marca de um milhão e agora em janeiro de 2019 o dado atual aponta para 1.290.800 veículos cadastrados no sistema de informações do Detran. Foram quase 291 mil automóveis inseridos no estado em quatro anos e meio.

Natal continua no topo da lista quando comparada com os demais municípios do Estado, alcançando a soma de 407 mil veículos, o que corresponde a 31,55% de toda a frota automotiva do RN. Mossoró vem na vice-liderança com quase 163 mil e logo em seguida se apresenta Parnamirim somando mais de 104 mil veículos.

 

11

Jan

Mundo corporativo

Na Holanda, comitiva potiguar é recebida pela diretoria da Corendon para lançamento do voo charter Natal-Amsterdam

Uma comitiva potiguar com quase 20 pessoas participa, até o próximo domingo (13), na cidade holandesa de Utrecht (a 40 Km de Amsterdam), da Feira de Turismo da Holanda. O grupo tem à frente o prefeito de Natal, Álvaro Dias; a secretária de Turismo do Estado (representando a governadora, Fátima Bezerra), Aninha Costa; o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz; e o presidente da seccional potiguar da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH RN), José Odécio Rodrigues.

A participação teve um dos seus pontos altos, nesta quarta-feira, 9, com o lançamento oficial do futuro voo charter que irá ligar a capital holandesa a Natal, com duas frequências semanais, num total de 360 passageiros a cada sete dias. O voo, operado pela Corendon (de origem turca e que atua fortemente nos mercados holandês, belga e do Oeste da Alemanha) deve ser iniciado em novembro deste ano e segue, a princípio, até abril de 2020. Estima-se que os turistas que ele irá levar a Natal movimentem cerca de R$ 56,6 milhões na economia potiguar ao longo dos seis meses de operação do voo.

Para o lançamento do voo, a comitiva potiguar foi recebida no estande da Corendon, pelo presidente e proprietário da operadora, Atilay Uslu; por seu CEO, Steven Van Der Heijden e diretores, além do gerente de produtos e negócios da Corendon, Sjoerd de Kort.

Compõem a comitiva potiguar, ainda, a secretária de Turismo de Tibau do Sul, Beth Bauchwitz; o prefeito de Maxaranguape, Luiz Bento da Silva; além de assessores, diretores da ABIH, hoteleiros e empresários.

A Feira de Turismo da Holanda (VakantieBeurs 2019) será aberta oficialmente na quinta-feira, 10 de janeiro, e segue até o domingo, 13. O evento reúne 200 expositores e deve receber cerca de 20 mil visitantes.

A Fecomércio RN também é parceira na viabilização do voo charter. Em suas duas frequências semanais, irão aportar no RN cerca de 1,4 mil turistas por mês e quase 8,5 mil ao longo dos seis meses de operação.

“Segundo estudos do Instituto de Pesquisa da Fecomércio RN (IPDC), cada turista internacional gasta, em média, R$ 343,47 por dia no Rio Grande do Norte. Mas este é o valor gasto pelo turista que nos visita hoje, em sua maioria oriundo da Argentina e de outros países da América Latina. Já no caso dos europeus que a Corendon levará, de acordo com dados da ABIH, o gasto médio diário, incluindo hospedagem, sobe para algo em torno de 190 euros por turista (R$ 874). Isto quer dizer que ao longo dos seis meses de operação do voo, estes visitantes deixem aproximadamente R$ 56,6 milhões na economia potiguar”, afirmou o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.

Contrapartida de 300 mil dólares

Como contrapartida para viabilizar o voo, a Corendon pediu um aporte de 300 mil dólares, que estão sendo utilizados para a divulgação do destino Natal nos mercados em que a companhia atua. Deste montante, 100 mil dólares foram investidos pela Prefeitura de Natal e 200 mil dólares pelo Governo do Estado. De sua parte, a iniciativa privada, além de ter feito todos os contatos, está entrando com tarifas de diferenciadas para os hotéis como forma de viabilizar a parceria.

 “A conquista deste voo é mais uma prova do quão importante é a união das entidades privadas, dos empresários e do Poder Público. Nós começamos este trabalho há dois anos, junto com o então secretário estadual de turismo, Ruy Gaspar, um grande batalhador desse voo, culminando em seguida, com nossa participação na Feira de Turismo da Holanda de 2018, uma iniciativa da ABIH-RN, junto com as prefeituras de Tibau do Sul e Maxaranguape, onde conseguimos viabilizar o stand do RN, e daí a continuidade nas tratativas do voo, além da promoção do destino”, afirmou o presidente da ABIH RN, José Odécio Rodrigues.

“Neste ano, a ABIH-RN organizou uma comitiva com a hotelaria, e entes públicos, e já conseguimos estar presentes em dois locais na Feira: no stand do RN e em um espaço dentro do stand da Corendon, onde houve o lançamento oficial do voo. Fico muito feliz com esta conquista que é fruto do trabalho conjunto de todos nós”, disse Odécio. 

10

Jan

Mundo corporativo

Conselho Regional de Administração empossa nova diretoria para o biênio 2019/2020

O Conselho Regional de Administração do RN realizou cerimônia de posse e diplomação dos novos conselheiros, eleitos em outubro de 2018. Os conselheiros efetivos empossados são os administradores Zenóbio Pereira, Rodrigo Fortunato de Oliveira, Kate Cunha Maciel, Pablo Phorlan Pereira de Araújo, Nivaldo Pessoa Filho e Célia Maria da Rocha Ribeiro.

Como suplentes, tomaram posse os administradores Daniyel Ferreira de Medeiros, Francigley Vasconcelos de Amorim, Iêda Isabella de Lira Souza, Ricardo Nascimento Ribeiro, Ana Alzira Azevêdo de Souza, Joseleno Marques e Karla Dayane Bezerra Cruz.

Na ocasião foi eleita a nova diretoria para o biênio 2019/2020, tendo como presidente o Zenóbio Pereira, como vice-presidente Kate Cunha Maciel, Diretor de Fiscalização e Registro Profissional Júlio César Rodrigues de Sousa, Diretor Administrativo-Financeiro Nivaldo Pessoa Filho, Diretor de Formação Profissional Rodrigo Fortunato de Oliveira e Diretora de Desenvolvimento Institucional e Eventos Isabella Mendonça de Souza Almeida. Logo em seguida à escolha dos nomes, foi realizada a cerimônia de posse do novo presidente, vice e diretores.

Em seu discurso de posse, o novo presidente, Zenóbio Pereira, destacou que o CRA/RN precisa atuar de forma mais sistêmica indo além de um simples órgão de fiscalização e punição, como visto por alguns profissionais. De acordo com o presidente, a equipe que assume buscará fazer uma gestão fundamentada nos princípios de uma administração integrada, aberta, transparente e democrática, facultando o acesso às informações e garantindo o acompanhamento de quaisquer dados institucionais. “Com objetivos, propósito, união e muita disciplina, haveremos de contribuir na tentativa de atender aos atuais anseios do profissional de Administração do nosso estado”, finalizou.