Mídias Sociais

3

Dez

Pesquisa mostra os emojis mais usados em 2021; veja a lista

No Dia do Emoji, em julho, o Twitter divulgou quais são os emojis e outros símbolos mais usados pelos brasileiros na rede social. Dessa vez, o Unicode Consortium revelou um estudo que apresenta uma lista com as "carinhas" mais usadas durante o ano de 2021.

A pesquisa revelou que a opção mais usada ao redor do mundo foi o emoji de lágrimas de alegria e, em segundo lugar, ficou a figurinha de coração vermelho — desde o último estudo, anunciado em 2019, 9 entre os 10 mais usados continuaram na lista deste ano.

Os 10 emojis mais usados ao redor do mundo

"Lágrimas de felicidade é responsável por mais de 5% de todo o uso de emojis (o único outro personagem que chega perto é coração vermelho e há um penhasco íngreme depois disso)", foi publicado em comunicado oficial do Unicode Consortium.

A organização também separou os emojis mais escolhidos por categoria e descobriu que 100 das "carinhas" mais usadas representam 82% do total compartilhados durante 2021 — um número baixo comparado ao total disponível atualmente, já que existem 3.663 tipos, segundo o consórcio.

É interessante que a figurinha de lágrimas de felicidade também foi a mais usada em mensagens no Twitter em 2020, mas caiu para o segundo lugar na rodada desse ano. Outros que não eram tão apreciados começaram a aparecer mais, como o micróbio, que saiu da posição 1086º em 2019 para 477º neste ano — provavelmente, por conta da pandemia.

Confira a lista dos 10 emojis mais usados em 2021:

  • Rosto com lágrimas de alegria;
  • Coração vermelho;
  • Rosto rolando de tanto rir;
  • Mão de curtir;
  • Rosto chorando;
  • Mãos unidas/oração;
  • Rosto beijo de corações;
  • Rosto sorridente com corações;
  • Rosto sorridente "com olhos sorridentes";
  • Rosto sorridente

"Isso mostra quantas pessoas usam emojis. Se o emoji fosse uma coisa puramente da Geração Z, você não o veria tão bem classificado. Por causa do grande número de pessoas que usam emoji, mesmo que um grupo pense que algo é ruim, eles têm que ser um grupo muito grande para afetar essas estatísticas", disse um dos pesquisadores de emoji do Google, Alexander Robertson.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/229834-pesquisa-mostra-10-emojis-usados-2021-veja-lista.htm

3

Dez

WhatsApp Web e desktop terão uma loja de figurinhas oficial

O WhatsApp importou a loja de figurinhas diretamente do aplicativo para celulares para a versão web e o aplicativo para computadores. Essa adição permitirá aos usuários acessarem o repositório oficial da companhia, o que permitirá baixar imagens diretamente no desktop, sem precisar de um dispositivo móvel para isso, como ocorre atualmente.

Segundo o WABetaInfo, a lojinha ficará alocada no ícone que dá acesso às figurinhas já salvas. É só você abrir o menu específico e procurar pelo ícone de adição (+) dentro do círculo verde, o que abrirá a loja na lateral do seu aplicativo.

Por enquanto, o recurso não permite baixar o pacote inteiro de adesivos, mas apenas enviar cada adesivo individualmente nas conversas — depois, você pode salvá-los nos favoritos para usar posteriormente. Os destinatários verão as imagens normalmente com a descrição de qual pacote o sticker é parte, além da possibilidade de armazenar a figurinha.

Essa limitação parece ser fruto de a loja estar na versão de testes, pois não faria sentido manter acessível um repositório que não possibilita a realização de downloads. Por enquanto, o recurso só está disponível para quem usa o WhatsApp beta no navegador ou versão para desktop, sem previsão para liberação ampla.

Ontem, uma versão experimental também revelou que os desenvolvedores do WhatsApp trabalham para entregar a capacidade de selecionar emojis de casal com diferentes tons de pele. Na semana passada, surgiu um painel para catalogar tipos, quantidades e autores de cada reação com emojis, o que abriria mais possibilidade de uso das divertidas imagens.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-web-e-desktop-terao-uma-loja-de-figurinhas-oficial-203453/

2

Dez

WhatsApp começa a testar emojis de casal com tons de pele diferentes

O WhatsApp começou a liberar a possibilidade de combinar diferentes tonalidades de pele e cabelos para emojis de casal para usuários da versão beta. O recurso foi visto anteriormente no aplicativo de testes, mas ainda estava em fase de desenvolvimento, e portanto bem limitado. Agora, parece que as coisas evoluíram bastante para liberar essa ferramenta de inclusão.

Com essa novidade, dá para personalizar cada integrante do emoji: maridos e esposas podem ter cores de pele, cabelos e sexo definidos pelo usuário. Além disso, é possível formar casais homoafetivos com características específicas. Confira as possibilidades:

Um dos maiores problemas dos emojis é que eles nem sempre são tão certeiros quando se precisa. No caso de casais, as limitações de tons de pele só permitiam que os dois bonequinhos tivessem a mesma cor. Em países como o Brasil, onde a miscigenação é algo bastante comum, é difícil achar casais onde não haja algum tipo de mistura, como um negro e um branco ou um loiro e uma morena, por exemplo.

Nessa leva inicial, nem todos foram contemplados com a possibilidade, mesmo que sejam testadores beta. Não há previsão para a liberação ampla e nem informações se o WhatsApp vai, de fato, levar isso para toda sua imensa base de usuários. O fato é que essa seria uma adição muito bem-vinda para possibilitar a inclusão e a representatividade dos casais.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-comeca-a-testar-emojis-de-casal-com-tons-de-pele-diferentes-203328/

2

Dez

Meta traz serviço de proteção de contas Facebook Protect para o Brasil

A Meta anunciou a chegada ao Brasil, nesta quinta-feira (2), do Facebook Protect, programa de segurança para pessoas com risco de serem alvo de criminosos digitais. O objetivo é proteger ativistas, políticos, defensores de direitos humanos, jornalistas e servidores públicos, ou seja, figuras que lidam com dados sensíveis e podem ser alvo de tentativas de roubo de credenciais e acesso indevido a perfis.

 

Segundo a companhia, não é necessário realizar nenhuma ação, já que o próprio Facebook solicitará o cadastro adicional às pessoas enquadradas nos requisitos do programa. Esses usuários terão uma forma mais simples de ativar a autenticação de dois fatores, que adiciona uma camada extra de proteção aos perfis ameaçados.

O programa foi criado em 2018 e desde então é expandido mundialmente para evitar ataques contra potenciais alvos, especialmente próximo aos períodos eleitorais, como o previsto para ocorrer em 2022 por aqui. Até o fim deste ano, o Facebook deve expandir a novidade para o Brasil e mais de 50 outros países.

"Com o Facebook Protect, trabalhamos para tornar a ativação e o uso da autenticação de dois fatores o mais simples possível para esses grupos de pessoas, fornecendo uma melhor experiência e suporte ao usuário. Também estamos começando a exigir que eles utilizem essa funcionalidade", detalha o líder de Políticas de Segurança da Meta, Nathaniel Gleicher.

Contas mais protegidas no Facebook

Dados do Facebook mostram que mais de um milhão de pessoas já receberam mensagens de alerta na rede para se inscreverem no Facebook Protect e assim conseguiram manter suas contas mais protegidas. A autenticação de dois fatores não é um recurso exclusivo dos inscritos: qualquer pessoa pode configurar isso, seja para receber códigos de SMS ou para digitar números do Google Autenticador.

Mais de 90% das pessoas que receberam a notificação aceitaram implementar as medidas adicionais para proteger suas contas. Esse é um percentual elevado e fundamental nos dias atuais, em que pessoas tem seus acessos comprometidos com muito mais facilidade, graças às técnicas avançadas de phishing, links falsos ou roubo de contas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/meta-traz-servico-de-protecao-de-contas-facebook-protect-para-o-brasil-203337/

29

Nov

WhatsApp permitirá compartilhar figurinhas sem salvá-las no celular

O WhatsApp beta para Android lançou um recurso para possibilitar o compartilhamento de pacotes de figurinhas nas conversas individuais ou em grupo. A atualização mais recente (versão 2.21.13.15) para Android adiciona um atalho para encaminhar rapidamente um adesivo para outras pessoas.

Até então, a única forma de enviar um sticker para outra pessoa era salvá-lo nos seus favoritos e depois selecioná-lo manualmente. Essa prática faz com que o telefone do remetente fique lotado de figurinhas que nem sempre ele gostaria de usar em outra ocasião, ou que preferia não guardar simplesmente poupar o armazenamento do celular.

Quando você receber uma figurinha passará a ver um ícone de seta similar à existente nas mensagens, fotos e áudios. O encaminhamento funciona exatamente como as pessoas já estão acostumadas: é só selecionar com contato ou grupo para receber a imagem compartilhada. O destinatário da mensagem verá o sticker como se a pessoa o tivesse enviado normalmente, sem aquela tradicional etiqueta que mostra se tratar de um encaminhamento.

Ainda não há previsão de quando o recurso deve chegar ao iOS nem para os demais usuários de forma ampla. O WhatsApp costuma levar algumas semanas até levar recursos da versão beta para a final, portanto você precisará aguardar mais um pouco para usar o compartilhamento de figurinhas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-vai-permitir-compartilhar-figurinhas-sem-precisar-salva-las-no-celular-202978/

28

Nov

Cibersegurança: Você conhece os tipos de Hackers e como evitá-los?

Com o avanço da tecnologia, o uso de redes se tornou indispensável para todo o tipo de tarefas domésticas e empresariais. No entanto, ao fornecermos nossos dados, são abertas brechas para cibercriminosos que nos trazem riscos e possíveis prejuízos. Mas você sabe quais são eles e como evitá-los?

Inicialmente, os hackers eram apenas adolescentes ou amadores que operavam a partir de um computador doméstico para fins de brincadeiras e vandalismos. Contudo, a potencialização desses criminosos tornou-se perigosa, onde tendem a explorar vulnerabilidades para obter ganhos pessoais ou financeiros. A intenção do ataque determina sua classificação, que são: 

- White Hat- Conhecidos como “hackers do bem”, são especialistas em segurança da informação, desta forma, com autorização da empresa, acessam o sistema com o intuito de identificar vulnerabilidades e auxiliar na proteção. 

- Gray Hat – Essa categoria de hackers pode encontrar um ponto fraco na rede e relatá-lo aos proprietários do sistema se essa ação coincidir com seu propósito, em outros casos, podem vender os detalhes para que outros hackers possam usa-los. 

- Black Hat – São os principais responsáveis a ataques do Ransomware, em que de forma ilegal, exploram informações para restringir o acesso ao sistema, tornando a empresa refém para obter proveito pessoal, político e principalmente financeiro. 

Ética digital e leis 

O simples vazamento de dados, não prejudica apenas a imagem da empresa, mas também o conforto e a confiança dos usuários da marca.  

São inúmeras as leis que visam proteger a dignidade humana, inclusive virtualmente, com a finalidade de manter princípios de ética digital. Um exemplo é A lei geral de proteção de dados (LGPD), que entrou em vigor em 2020, tratando da regulamentação nas políticas corporativas de uso de dados, buscando zelar pela privacidade e a confidencialidade dos clientes.  

Como evitar ataques cibernéticos:

De fato, não há uma vacina que elimine a chance de ameaças cibernéticas, mas o planejamento quando se torna um sistema cultural na empresa protege a integridade perante seus funcionários, clientes e outras partes interessadas. Esse planejamento à prevenção consiste em:

- Mapeamento de fragilidades – Identificar fragilidades onde possam surgir ameaças é o primeiro passo a ser observado. É necessário mapear possíveis brechas levando em consideração o panorama da rede da empresa.

- Treinamento para todos os colaboradores – Grande parte de ataques tem origem em erros de funcionários, portanto, o segundo passo são orientações para evitar acessos à e-mails ou links de origem estranha, utilização de dispositivos USB, HDS e celulares não confiáveis, conexões em redes públicas, além da transferência de senhas e informações para usuários desconhecidos.

- Antivírus – O antivírus realiza varreduras em toda a rede para buscar potenciais ameaças. Ainda que o vírus esteja “inativo” sem demonstrar alterações, o software consegue detectar, analisar e eliminar.

- Backup de arquivos – Realizar backup de dados regularmente com segurança e armazena-los em um sistema que não está conectado à rede principal, trará segurança diante um plano de ação e basicamente eliminará a necessidade ao pagamento de resgate caso aconteça um ataque.

- Alta tecnologia – Com cibercriminosos usando ferramentas e truques mais recentes, os profissionais de cibersegurança devem usar a seu favor novas tecnologias para proteção. Além de suportes para monitoramento de sistemas e registros que identifiquem possíveis falhas.

A proteção de redes é um processo contínuo que engloba todos os colaboradores da organização, sendo de extrema importância parceiros que prezam a segurança de dados e que possuem expertise em alta tecnologia. A absolut technologies, possibilita soluções confiáveis que auxiliam na segurança digital, garantindo que informações críticas sejam apresentadas rapidamente à equipe.

27

Nov

Sete dicas para produzir conteúdo pet nas redes sociais

As redes sociais estão em ascensão e ganhando cada vez mais espaço em nosso cotidiano, com isso, os pets conseguiram seu lugar e criaram um nicho de influencers diferenciados. O Brasil está entre os maiores mercados do mundo para pets, encerrando o ano de 2020 perto de R$40,1 bilhões de faturamento, segundo o Instituto Pet Brasil.

Há tutores que se dedicam somente à administração do perfil de seu pet e faturam até R$80 mil por mês, logo, essa taxa de engajamento tende a crescer, pois os tutores enxergam a oportunidade do marketing digital em seus animais, e os posts vão além do entretenimento. 

Pensando neste mercado em ascensão, Fernanda Rabaglio, CEO da Matilha Brasil, empresa especializada em ensinar pets a se tornarem influenciadores digitais, traz 7 dicas para produzir conteúdo, que pode engajar pets e marcas: 

1) Se atente à qualidade das fotos e vídeos

A primeira impressão se dá devido ao post, logo, é necessário que tenha qualidade. O impacto visual é fator decisivo para o público continuar vendo a sua publicação, ou continuar descendo o feed. Por isso, pense numa produção que traga qualidade. Fotos e vídeos em baixa resolução, por exemplo, mal posicionados e iluminados, tendem a chamar menos a atenção. 

2) Estude e faça análises das produções de conteúdo

A maioria dos tutores começa a administrar o perfil pet como uma brincadeira, por isso, não tem base técnica e estudo para entender que o engajamento vai além de fotos de carinha fofa e um “bom dia”. Portanto, é necessário que os tutores compreendam que o mercado pet é uma oportunidade para patrocínios.

Entretanto, muitas vezes é escolhido o caminho mais fácil e pouco eficaz, que vai da automação aos grupos de engajamento, deixando de lado o estudo e análise da produção de conteúdo e das plataformas. Não é à toa que quem se dedica e estuda, se destaca. 

3) Tenha conteúdos frequentes

Publicar ao menos uma vez por dia no formato tradicional da plataforma e pelo menos 5 stories ao longo do dia, é um pacote básico para iniciantes. É importante atentar-se a conteúdos estratégicos, para que a ideia inicial dos posts não se perca, além de pensar em conteúdos que façam com que os seguidores fiquem mais tempo navegando, consumindo e interagindo.

4) Tenha conteúdos exclusivos para Instagram e TikTok

Como são plataformas completamente diferentes, o conteúdo também muda - mesmo sendo assuntos similares. Porém, existe a “Derivação de Conteúdo”, que nos permite adequar, ajustar e aplicar a mesma pauta em vários formatos, inclusive dentro da mesma plataforma, como feed, reels e stories, dentro do Instagram. 

Por isso, evite postar a mesma coisa em todas as redes sociais e crie derivações para cada uma delas, entendendo como o público reage em cada plataforma. 

5) Utilize gatilhos do momento

Ao surfar a onda de um meme ou uma trend, normalmente o objetivo é o crescimento de seguidores e aproveitar o gatilho do momento, que acontece ao se destacar na avalanche de conteúdo sobre o tema. Contudo, é importante entender que não adianta crescer a qualquer custo, mas as trends são incríveis e devem ser usadas com cautela, desde que seja possível relacioná-la com seu nicho e conteúdo. 

Caso contrário, você pode atrair um público errado que, ou não vai te seguir, ou vai seguir e se tornar o famoso seguidor fantasma, porque só gostou daquela trend, mas não se importa com seu assunto de fato. Vemos muito disso acontecer com perfis que adaptam todas as trends para o pet e crescem com esse conteúdo. Mas não criam conexão com o público, pois não entregam valor de fato.

6) “Desapegue” de aparatos tecnológicos

No começo, não é necessário câmera profissional e domínio de Photoshop, mas claro que isso pode ser relevante na medida em que o perfil cresce. Com um celular legal e aplicativos de tratamento de imagem (gratuitos, inclusive) você já pode produzir conteúdo de qualidade. Você pode aproveitar cenários urbanos, de casa e usar a luz natural. No fundo, para mandar bem nas redes sociais com seu pet, você precisa essencialmente de 1 pet, 1 celular, noções de foto e vídeo, além de criatividade. 

7) Traga personalidade para o seu conteúdo

Sabe quando você lê uma legenda de um post e parece que está ouvindo aquilo como se fosse um personagem falando? Isso é o que chamamos de "personalidade" para o conteúdo, inspirando e divertindo o público. Exemplos práticos que vemos acontecendo são de perfis, com personagens diferentes como @porquinhojerfiso, até lideranças como @arthur.pastoralemao, passando pelos comediantes da @cacausando, e pela irreverência do Leon dos @ursinhoschochow. 

No fundo, a persona pode ser pet, mas ela está sempre aliada a um arquétipo, uma linha editorial bem definida que acompanha as crenças e objetivos do perfil.

 

24

Nov

Twitter começa a liberar envio de bonificações por usuários do Android

As bonificações do Twitter finalmente começam a chegar para os usuários do aplicativo no Android. Conhecida como Tip Jar, essa adição permite ao fãs enviarem gorjetas em dinheiro para seus criadores de conteúdo favoritos a partir de valores prefixados pela rede social. O recurso era exclusivo de proprietários de dispositivos com iOS, mas agora pode ganhar mais popularidade com a expansão da base de usuários.

No desembarque no sistema operacional do Google, as bonificações poderão ser enviadas por meio de quatro serviços distintos: Cash, Bandcamp, PayPal, Patreon e Venmo. As transações são todas feitas pelo próprio aplicativo da rede social e exigem apenas do remetente ter mais de 18 anos e um cartão de crédito válido.

As bonificações fizeram a estreia oficial em maio, embora de forma bastante tímida e limitada a criadores de conteúdo selecionados. Com o passar do tempo, o recurso foi expandido até chegar a usuários de todo o mundo no fim de outubro. Para incentivar as doações, a rede social do passarinho até liberou a opção de enviar dinheiro via Bitcoin — e possivelmente outras criptomoedas no futuro.

Twitter investe pesado na plataforma

Após ter passado anos sem inovações substanciais, o Twitter elegeu 2021 como o ano da sua retomada e anunciou um pacotão de novidades que chegam até o ano que vem. A maioria delas são voltadas para aprimorar a experiência do usuário e oferecer novas formas de monetizar a produção de conteúdo, o que poderia atrair celebridades e influenciadores digitais interessados em uma graninha extra.

Com os apps de bate-papo por voz em alta no final de 2020, a rede social decidiu criar sua própria solução: o Twitter Espaços. Para incentivar a utilização, a plataforma lançou a possibilidade de o criador cobrar por conteúdo, como se fossem ingressos pagos para palestras fechadas, e gravação das conversas para reprodução posterior.

Outra novidade recente foi a chegada do Twitter Blue, uma ferramenta que oferece recursos extras para quem está disposto a pagar uma mensalidade. O sistema exclui os anúncios da plataforma, traz um botão para desfazer tuítes, personalização da barra de navegação, um modo de leitura aprimorado e outras novidades.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/twitter-comeca-a-liberar-envio-de-bonificacoes-por-usuarios-do-android-202596/

24

Nov

YouTube estreia originals sobre criadores pretos

Lançada esta semana, a websérie Creator Spotlight, original do YouTube, é composta por seis episódios que acompanham seis criadores de conteúdo pretos e conta suas raízes, desafios e inspirações. São eles: Ramana Borba, Jacy Carvalho, Papo de Preta, Os 10ocupados, UmBipolar, e Dois Por CentoTV. Os capítulos sobre cada personagem estão disponíveis em seus respectivos canais.

Dirigida por Thatiane Almeida e Licínio Januário, a websérie é, segundo a produtora responsável, a LB Entertainment (antiga Los Bragas), o primeiro YouTube Originals brasileiro com direção preta. Além disso, a equipe responsável pela produção é composta majoritariamente por profissionais negros.

A próxima diretora negra a ter um direção sua sob o selo YouTube Originals é Maristela Mattos, diretora de Abre Alas, na qual a cantora Agnes Nunes entrevista outras cantoras pretas.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/11/23/youtube-estreia-originals-sobre-criadores-pretos.html

24

Nov

Facebook Messenger e Instagram só terão criptografia de ponta a ponta em 2023

A Meta, empresa de Mark Zuckerberg, não pretende implementar a criptografia de ponta a ponta no Messenger e no Instagram até 2023. A gigante estaria preocupada em adicionar meios de proteção de privacidade enquanto não existem mecanismos eficientes para evitar abuso sexual infantil e assédio pela internet.

Mais cedo este ano, a Meta (na época, Facebook) havia anunciado que a proteção nativa do Messenger chegaria, no máximo, em 2022. Essa funcionalidade é uma grande pendência para o mensageiro e, embora esteja disponível nos chats secretos e chamadas de voz e vídeo, ela não é ativada por padrão no bate-papo tradicional.

O chefe global de segurança da Meta, Antigone Davis, afirmou ao site The Telegraph que o atraso se dá para criar meios de proteção contra assédio virtual. Mensagens com criptografia de ponta a ponta, em sua essência, só podem ser abertas pelos portadores da chave de criptografia, que são os usuários envolvidos na conversa. Desta forma, a empresa não tem controle direto sobre o conteúdo conversado e, naturalmente, isso abre espaço para atividades ilícitas via app.

Proteção mais eficiente

Davis conta que a empresa de Mark Zuckerberg quer elaborar formas de interromper esse tipo de ocorrência, sem que isso implique na violação da privacidade dos usuários. A Meta pensa num mecanismo de monitoramento que casa informações não protegidas com denúncias de usuários.

“Na Meta, que detém o Facebook e o WhatsApp, sabemos que as pessoas esperam que utilizemos a tecnologia mais segura disponível. É por isso que todas as mensagens pessoais que você envia no WhatsApp já estão criptografadas de ponta a ponta e estamos trabalhando para fazê-lo o padrão no resto de nossos aplicativos”, comentou o executivo.

O objetivo da empresa é dar às pessoas controle sobre as ocorrências, e para isso ela atua em três frentes: detecção proativa de padrões de atividade suspeita; fornecimento de meios de denúncias claros e acessíveis; e controle de privacidade avançados — quem pode (ou não pode) enviar mensagens para o usuário.

WhatsApp já é criptografado

Embora a Meta siga esses princípios no Messenger do Facebook e do Instagram, o mesmo não acontece da mesma maneira no WhatsApp. No mensageiro favorito dos brasileiros, as conversas são protegidas com criptografia há anos e, como forma de proteção contra assédio, mensagens denunciadas supostamente permitiriam que avaliadores conferissem a interação protegida, algo que gerou uma certa polêmica (e desconfiança) na web.

É curioso observar que, embora o Facebook e o Instagram já tenham mensagens criptografadas de ponta a ponta em um dos formatos de chat, ainda é um passo grande para a empresa estender a proteção para todos os papos. Considerando o desenrolar dessa novela, provavelmente surgirão detalhes mais precisos sobre o novo plano do Facebook em breve, então resta agora apenas ficar ligado nas notícias.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/facebook-e-instagram-so-terao-criptografia-de-ponta-a-ponta-em-2023-202585/

23

Nov

WhatsApp pode permitir acelerar mensagens de áudio encaminhadas

O WhatsApp trabalha para que seja possível acelerar mensagens de áudio encaminhadas, descobriu o site WABetaInfo nesta segunda-feira (22). Disponível para todos desde maio, a função de ouvir áudios em velocidades mais altas do que a gravação original atualmente não funciona para gravações encaminhadas para outros chats.

Assim que liberado, o recurso funcionará de forma bem semelhante a atual: assim que uma mensagem de áudio encaminhada é iniciada (seja enviada, seja recebida), basta selecionar o ícone de áudio para variar as velocidades entre 1x, 1,5x ou 2x.

Acelerar mensagens de áudio encaminhadas para outras conversas foi uma das ausências que só os usuários que usam as duas funcionalidades notaram, mas não deixa de ser importante. No Telegram, principal rival do WhatsApp, o suporte mais amplo já está disponível há bastante tempo.

Atualmente, a função não está disponível nem para testadores, mas foi flagrada no código da versão de testes mais recente do mensageiro para iOS. Portanto, se não existe previsão nem para os usuários que usam a distribuição experimental, também não há para o público comum.

O WABetaInfo não entrou em detalhes quanto ao funcionamento do recurso, mas em um GIF compartilhado pelo site dá para ver o arquivo tocando mais rápido. Se a ferramenta já estiver em pleno funcionamento, não deve demorar até que os experimentadores do WhatsApp comecem a recebê-la por atualização automática — se você é um deles, fique ligado nas atualizações do mensageiro na Play Store e na App Store.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-pode-permitir-acelerar-mensagens-de-audio-encaminhadas-202469/

22

Nov

Facebook paga criadores de conteúdo para usar seus recursos de áudio ao vivo

Depois que Mark Zuckerberg prometeu, em julho de 2021, que a Meta pagaria 1 bilhão de dólares para criadores de conteúdo até o final de 2022, um relatório divulgado pelo The Information nesta sexta-feira (19) revelou exatamente como esse dinheiro está sendo gasto.

As informações são de que o Facebook está pagando aos criadores de conteúdo 50 mil dólares para que eles usem o Live Audio Rooms, uma espécie de rival do, praticamente finado, Clubhouse.

O The Verge argumenta que quando se ganha tanto dinheiro, como é o caso da Meta, comprar o sucesso é uma tática razoável, pelo menos no curto prazo. O Instagram, pro exemplo, também propriedade da empresa, tem feito o mesmo para impulsionar os Reels, pagando 35 mil dólares aqueles que utilizarem o serviço, que compete diretamente com o TikTok.

Live Rooms

No entanto, é importante lembrar que o mesmo TikTok e também o Twitter possuem fundos ou algum tipo de incentivo financeiro para os desenvolvedores de conteúdo.

Por 50 mil dólares, o Facebook deseja que os criadores hospedem de quatro a seis sessões com pelo menos 30 minutos de duração. O Live Audio Rooms foi lançado nos Estados Unidos em junho de 2021 e alguns nomes como Miley Cyrus e a comediante Sherry Cola chegaram a fazer exibições na plataforma, embora não haja relatos de que elas foram pagas para isso.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/154012/facebook-paga-criadores-de-conteudo-para-usar-seus-recursos-de-audio-ao-vivo/

22

Nov

[VÍDEO]: Com João Kleber e Christina Rocha, WhatsApp lança campanha “Teste de DNA”

O WhatsApp lançou mais uma campanha no Brasil com foco em segurança, dessa vez chamando a atenção para as tentativas de golpes que podem acontecer no aplicativo quando uma pessoa tenta se passar por algum conhecido para pedir dinheiro ou solicitar informações importantes.

Com uma linguagem bem-humorada, a ação “Teste de DNA – Duvide No Ato” traz dois personagens icônicos da televisão brasileira, os apresentadores João Kleber e Christina Rocha, que instigam os usuários a confirmarem a veracidade das solicitações recebidas por meio de ferramentas da própria plataforma como câmera, imagens, figurinhas e áudio. Juntos, eles ressaltam a importância de exigir uma confirmação caso o usuário receba um pedido de dinheiro urgente de alguém que afirma ser um amigo ou familiar.

“O WhatsApp é um aplicativo super seguro, mas sabemos que algumas pessoas agem de má fé para aplicar golpes por meio de engenharia social. Então, essa ação tem o intuito de abordar um tema sério de forma leve, para conscientizar os usuários e mostrar que eles estão no controle e podem se proteger contra golpes e fraudes”, afirma Taciana Lopes, head de Marketing para o WhatsApp.

Os apresentadores são as estrelas do filme, que também pode ser visto no Facebook e no Instagram, além de estarem presentes nos tutoriais com dicas para que os usuários fiquem atentos às tentativas de golpes. A campanha também conta com ações com influenciadores, participação de João Kleber no podcast PodPah no YouTube, GIFs para Instagram que podem ser utilizados para avisar sua rede do golpe, e o lançamento de um pacote de figurinhas que estará a disposição em um BOT de WhatsApp para que o usuário “Duvide No Ato” quando uma mensagem atípica chegar, desde as imagens mais diretas, até as mais divertidas.

A ação faz parte de um esforço maior do WhatsApp, iniciado em março de 2020, com diversas campanhas educativas anti-golpes para conscientizar e ajudar seus usuários a se protegerem no aplicativo, trazendo dicas de segurança e informações sobre os recursos disponíveis na plataforma. As ações buscam atingir um público diverso, que reflete o perfil dos usuários do aplicativo, e abordar temas sérios de forma divertida para chamar a atenção da audiência.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/154104/joao-kleber-christina-rocha-whatsapp-campanha-teste-dna/

19

Nov

WhatsApp lança atalho para facilitar pagamentos pelo aplicativo

O WhatsApp anunciou nesta quinta-feira (18) a chegada de um recurso para ajudar o usuário a enviar e receber dinheiro pelo serviço de pagamento do app. Trata-se de um ícone da moeda brasileira, o Real (R$) para mostrar aos usuários que eles podem transferir recursos financeiros por ali. O atalho fica no campo de digitação de texto do aplicativo, do lado clipe de papel (para anexar arquivos) e da câmera.

A melhoria já estava presente na versão beta do programa há alguns meses, mas agora chega em definitivo para todos no app estável. A partir de agora, qualquer usuário no sistema iOS e Android poderá acessar rapidamente o serviço ofertado pelo WhatsApp Pay, seja para comprar e vender produtos, seja para enviar quantias para algum amigo ou parente.

Lançado em maio, o serviço de pagamentos do WhatsApp possibilita a transferência instantânea de dinheiro para seus contatos, com a mesma facilidade com que enviam uma foto ou um áudio. Segundo a plataforma, não há cobrança de taxas e toda transação é feita de modo criptografado, sem acesso do WhatsApp ou de terceiros não autorizados.

Configurar o serviço é fácil, basta seguir o passo a passo a seguir:

WhatsApp de olho no 13º salário

Este é o momento ideal para trazer o recurso, já que os brasileiros estão próximos do final do ano, período de recebimento do décimo terceiro salário e das tradicionais compras da Black Friday. A plataforma de bate-papo quer aproveitar o Natal e o Ano Novo para incentivar o usuário e transferir dinheiro para seus entes queridos e acredita que essa adição "capacitará mais pessoas a participarem da economia digital".

Confira o tutorial de como transferir dinheiro entre contas no WhatsApp:

O serviço de pagamentos está disponível para qualquer pessoa que tenha um cartão de débito, pré-pago ou vinculado a um dos bancos participantes, das bandeiras Visa ou Mastercard. Por enquanto, somente estão liberadas transações entre brasileiros e operadas em moeda local, conforme as regras estipuladas pelo Banco Central.

Há cerca de duas semanas, alguns códigos no app de testes do WhatsApp sugeriram que os desenvolvedores trabalham em uma funcionalidade de cashback para retornar parte do valor transferido e incentivar os pagamentos na Índia. Na mesma linha, foi descoberto um experimento no qual a plataforma poderia solicitar um documento de identificação formal do usuário para transferir, o que poderia ser apenas uma restrição para alguns países específicos — o Brasil provavelmente não é um deles.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-lanca-atalho-para-facilitar-pagamentos-pelo-aplicativo-202157/

19

Nov

Spotify lança recurso de letras de música para todos os usuários

Nesta quinta-feira (18), o Spotify lançou seu recurso de letras em tempo real para todo o mundo, em vez de oferecer apenas para um seleção limitada de países. As letras são fornecidas pela Musixmatch, que confirma o serviço para mais de 8 milhões de títulos em todas as plataformas na qual o Spotify tenha um aplicativo. Ou seja, isso inclui iOSAndroid, desktop, consoles de jogos e TVs inteligentes. Além disso, ouvintes gratuitos e premium podem usufruir da novidade, e compartilhar as letras nas redes sociais.

Para acessar o recurso nos aplicativos móveis, durante a reprodução de uma música você desliza a tela de baixo para cima e verá as letras das faixas que rolam em tempo real! Para compartilhar, basta tocar no botão “Compartilhar” na parte inferior da tela de letras e, em seguida, selecionar a letra que deseja fazer isso e em que lugar – rede social, e-mail, mensagens etc.

Se estiver ouvindo pelo desktop, na barra “Tocando Agora“, basta clicar no ícone do microfone. Já no Spotify para TV, abra a “Visualização em execução”, vá até o canto direito no “Botão de letras” e selecione se deseja ativá-lo.

Com a chegada do recurso, a opção “Por trás das letras” será descontinuada.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/153916/spotify-lanca-recurso-de-letras-de-musica-para-todos-os-usuarios/