Jornalismo

12

Nov

Sebrae entrega troféus aos vencedores do Prêmio de Jornalismo 2021

Os vencedores da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo – 2021 nas categorias áudio e texto receberam nesta semana os respetivos troféus entregues pelo diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto. O prêmio é o reconhecimento de quem atua para mostrar que o sonho de empreender é capaz de transformar a vida de milhões de brasileiros. O júri estadual do prêmio escolheu os melhores conteúdos jornalísticos veiculados nas mídias tradicionais e nas novas plataformas digitais no Rio Grande do Norte.

O reitor da UFRN, professor José Daniel Diniz Melo, e o superintendente de Comunicação da UFRN (Comunica), Sebastião Faustino, receberam o troféu das mãos do diretor superintendente do Sebrae-RN, Zeca Melo, e o jornalista premiado, Glynner Brandão, recebeu o certificado de 1ª lugar, juntamente com alguns integrantes da equipe que trabalhou na série de reportagens "Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar". A equipe foi formada pelos profissionais Pedro Henrique Dias, Matteus Fernandes, Fernando Amaral, Maralice Freitas, Demóstenes Nogueira, Ednaldo Martins, Gil Eduardo, Kevin Muniz, Wallacy Medeiros e Jaime Azevedo. A entrega ocorreu na terça-feira (9) à tarde na reitoria do Campus Universitário, em Natal.

O diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, explicou que o prêmio é uma iniciativa para reconhecer o apoio e o trabalho da imprensa nacional, que divulga o empreendedorismo e dá visibilidade à causa dos pequenos negócios em todo o país. “Premiar um veículo de comunicação da UFRN é algo que nos enche de orgulho, porque muitas vezes a Universidade é criticada por estar desconectada da sociedade e esse reconhecimento mostra que estamos mais próximos do que se imagina”, afirma Melo, destacando a importância da pauta da FM Universitária ter sido uma série sobre a cadeia do melão, um segmento da fruticultura de grande relevância na economia do estado.

O reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo, afirma que receber o troféu do Prêmio Sebrae de Jornalismo representa o reconhecimento do jornalismo da FM Universitária concedido por uma instituição respeitada e de grande relevância na sociedade. “O tema que tratou da fruticultura, que é uma atividade de grande importância em nosso estado, só reforça como a nossa rádio está comprometida com a informação, educação, cultura e a divulgação do desenvolvimento socioeconômico do nosso Rio Grande do Norte”, afirma Daniel Diniz, lembrando que nos últimos cinco anos a emissora já recebeu oito prêmios, que destacam o trabalho da equipe da Comunica UFRN, que é uma referência nacional.

Nesta quarta-feira (10) foi entregue na sede do Sebrae-RN, em Natal, o troféu na categoria texto à co-fundadora do site de notícias Elo Jornal, jornalista Michelle Ariany, que conquistou o primeiro lugar com a matéria “Loja colaborativa oferece menos custos e mais oportunidades de negócio em meio à pandemia”, de autoria da jornalista Adriana Severo, que recebeu o certificado de vencedora estadual. O Elo Jornal também conquistou terceiro lugar nesta mesma categoria, com a matéria “Máscaras de proteção: fonte de renda e acessório de moda em meio à pandemia”, do jornalista Elias Bernardo da Silva, que também recebeu das mãos do diretor superintendente do Sebrae-RN, Zeca Melo, o certificado de terceiro colocado na premiação.

A gestora do site de notícias, jornalista Michelle Ariany, destacou a importância do Elo Jornal, um espaço colaborativo para jornalistas e estudantes de jornalismo, conquistar o primeiro e o terceiro lugar do Prêmio Sebrae de Jornalismo com temas tão relevantes no atual cenário econômico face à pandemia. “Esta premiação chegou num momento bastante oportuno, porque esse projeto, que tem o propósito de ajudar estudantes e profissionais do jornalismo, ganha visibilidade no mercado e o respeito da sociedade potiguar. Esperamos contar com novos colaboradores e unir forças para que esse Elo cresça e se consolide no mercado da imprensa do estado”, afirma Michelle, lembrando todo o esforço empreendido por ela e outros dois profissionais, Naryelle Keyse e Gabriel Leite, nos últimos quatro anos, desde que criaram o site em 2017.

11

Nov

Jornalista e colunista de política Cristiana Lôbo morre aos 63 anos

A jornalista e colunista de política Cristiana Lôbo morreu nesta quinta-feira (11), em decorrência de um mieloma múltiplo, do qual se tratava havia alguns anos, agravado por uma pneumonia contraída nos últimos dias. Ela tinha 63 anos e estava internada no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Cristiana atuou no jornalismo por mais de 30 anos. Começou a carreira cobrindo a política do estado de Goiás, até se mudar para Brasília.

Contratada pelo jornal "O Globo", foi setorista do Ministério da Saúde -- época em que viu ser criada a carteira de vacinação. Acompanhou de perto também as decisões do Ministério da Educação.

Ainda no "Globo", trabalhou na coluna Panorama Político. Depois de 13 anos no jornal, assumiu a coluna política do jornal o "Estado de S. Paulo". A estreia na televisão foi na GloboNews, em março de 1997.

Cris Lôbo durante participação no Programa do Jô em 2012 — Foto: Zé Paulo Cardeal/Globo

Naquele mês, passou a integrar o time de comentaristas do Jornal das Dez -- analisando os principais fatos da política e os bastidores do poder. E marcou presença nos telejornais da casa. Comandou também o programa Fatos e Versões e a coluna os Bastidores da Política, no g1.

Mieloma

O mieloma múltiplo é o câncer de um tipo de células da medula óssea chamadas de plasmócitos, responsáveis pela produção de anticorpos que combatem vírus e bactérias. No mieloma múltiplo, os plasmócitos são anormais e se multiplicam rapidamente, comprometendo a produção das outras células do sangue.

Foto: Zé Paulo Cardeal/Globo

Fonte: G1, disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/11/11/jornalista-e-colunista-de-politica-cristiana-lobo-morre-aos-63-anos.ghtml

10

Nov

Rádio Universitária Natal recebe Prêmio Sebrae Jornalismo

A Rádio Universitária Natal (FMU 88,9) recebeu o troféu da 8ª edição do Prêmio Sebrae de Jornalismo — 2021, na etapa estadual da categoria Áudio, pelo trabalho Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar. Com a participação do reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, na tarde desta terça-feira, 9 de novembro, a premiação foi entregue pelo superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Zeca Melo, aos representantes da FMU.

De autoria do jornalista Glynner Costa, junto à equipe formada por Pedro Henrique Dias, Matteus Fernandes, Fernando Amaral, Maralice Freitas, Demóstenes Nogueira, Ednaldo Martins, Gil Eduardo, Kevin Muniz, Wallacy Medeiros e Jaime Azevedo, o trabalho Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar foi o finalista estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, que tem o objetivo de “valorizar os profissionais de imprensa que amplificam a voz e o trabalho dos empresários de pequenos negócios”. 

Para o reitor Daniel Diniz, a conquista da premiação traz muita alegria para a UFRN porque é uma confirmação do jornalismo sério e comprometido, que é desenvolvido pela equipe da Rádio Universitária, bem como cumpre sua missão ao levantar temas de interesse público e que promovam o desenvolvimento socioeconômico do estado.

O superintendente do Sebrae, Zeca Melo, parabenizou a equipe pela qualidade do trabalho, que foi avaliado por profissionais reconhecidos da área da comunicação. O empresário destacou ainda a importância do tema da fruticultura para a economia do estado e desejou que a produção tenha sucesso nas etapas regional e nacional do prêmio.

Representando a equipe vencedora, o jornalista Glynner Costa explicou que, como veículo de comunicação pública, receber o prêmio reforça que a Rádio está trabalhando no caminho certo. O comunicador também citou que a FMU conquistou, desde 2017, oito premiações locais e nacionais, além de diversas honrarias.  

O superintendente de Comunicação da UFRN (Comunica), Sebastião Faustino, lembrou que a FMU tem como diferencial a programação musical, que privilegia os talentos potiguares, e a programação de notícias, que é fruto de um jornalismo comprometido com o interesse público, bem como é espaço para formação de profissionais da comunicação.

Foto: Cícero Oliveira

8

Nov

Rádio Universitária Natal ganha prêmio Sebrae de Jornalismo

A Rádio Universitária Natal (FMU 88,9) foi a grande vencedora da 8ª edição do Prêmio Sebrae de Jornalismo  2021, etapa estadual RN, na categoria Áudio, com o trabalho Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar. A autoria é do jornalista Glynner Costa com a equipe do trabalho: Pedro Henrique Dias, Matteus Fernandes, Fernando Amaral, Maralice Freitas, Demóstenes Nogueira, Ednaldo Martins, Gil Eduardo, Kevin Muniz, Wallacy Medeiros e Jaime Azevedo. Divulgado nesta sexta-feira, 5, o prêmio é o reconhecimento do profissional da área que atua para mostrar que o sonho de empreender é capaz de transformar a vida de milhões de brasileiros.

Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar foi classificado como finalista e estará concorrendo à etapa regional. Uma vez classificado, irá à final nacional, que ocorrerá em novembro e dezembro. “Esse prêmio vem para reforçar o papel da rádio universitária na atuação do jornalismo sério e de qualidade. Foi um trabalho que demandou muito tempo e esforço”, disse Matteus Fernandes, estudante de Jornalismo e bolsista repórter da FMU/UFRN.

Credenciada como candidata ao Grande Prêmio de Jornalismo Sebrae 2021, a Rádio Universitária foi a grande campeã da categoria Nacional Rádio do Prêmio Banco do Nordeste de Jornalismo em Desenvolvimento Regional, que contemplou trabalhos jornalísticos profissionais e universitários publicados ou veiculados em território nacional.

Comprometida com a cultura e a cidadania, a emissora educativa  busca divulgar a produção técnico-pedagógico-científica gerada na Universidade Federal do Rio Grande do Norte e as atividades de extensão universitária, além de promover educação em todos os níveis, especialmente da população norte-rio-grandense.

Foto: FM Universitária

5

Nov

Sebrae anuncia vencedores do Prêmio Sebrae de Jornalismo 2021

O Sebrae do Rio Grande do Norte anunciou nesta sexta-feira (5) o resultado da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo – 2021. O prêmio é o reconhecimento do profissional da área que atua para mostrar que o sonho de empreender é capaz de transformar a vida de milhões de brasileiros. O júri estadual do prêmio escolheu os melhores conteúdos jornalísticos veiculados nas mídias tradicionais e nas novas plataformas digitais no Rio Grande do Norte. Os vencedores foram classificados como finalistas da etapa regional, que definirá os finalistas da fase nacional.

Na Categoria Texto, o primeiro lugar ficou com o Elo Jornal, um site de notícias de Natal, com a matéria “Loja colaborativa oferece menos custos e mais oportunidades de negócio em meio à pandemia”, de autoria da jornalista Adriana Severo. Na Categoria Vídeo, a TCM Telecom, de Mossoró, foi a vencedora com o trabalho “Microempreendedorismo na pandemia: Em busca de um sonho”, da jornalista Taysa Nunes, juntamente com a equipe Alexandre Fonseca e Thiago Roberto.

A Rádio Universitária Natal – FMU 88,9 foi a grande vencedora na Categoria Áudio com a reportagem “Melão, o Ouro do Semiárido Potiguar”, do jornalista Glynner Costa, juntamente com a equipe de profissionais Pedro Henrique Dias, Matteus Fernandes, Fernando Amaral, Maralice Freitas, Demóstenes Nogueira, Ednaldo Martins, Gil Eduardo, Kevin Muniz, Wallacy Medeiros e Jaime Azevedo. Todos esses trabalhos estão concorrendo à etapa Regional e, uma vez classificados, à final Nacional, que ocorre nos meses de novembro e dezembro.

Os vencedores do Rio Grande do Norte receberão troféus e certificados em três categorias Texto, Áudio e Vídeo. A categoria Foto teve apenas um trabalho disputando a etapa estadual, que não se classificou por não atingir a média de corte. Segundo o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, o prêmio é uma forma de reconhecer o trabalho da imprensa nacional na divulgação do segmento das micro e pequenas empresas em todo o país. “É muito importante reconhecer e valorizar esse trabalho dos jornalistas que produzem matérias e reportagens sobre os pequenos negócios, seja nos meios tradicionais ou através das plataformas digitais, conectando os que sonham em ser donos do próprio negócio com a sociedade. Há sempre grandes exemplos de empreendedorismo“, afirma Melo.

Jornalista Revelação

O jornalista Claudio Oliveira, repórter do jornal Tribuna do Norte conquistou o segundo lugar na Categoria Texto com a matéria “Em vigor no RN, nova lei abre mercado de R$ 1,2 bi para MPEs”. E o terceiro lugar nesta mesma categoria, também ficou com o Elo Jornal pela matéria “Máscaras de proteção: fonte de renda e acessório de moda em meio à pandemia”, do jornalista Elias Bernardo da Silva.

A InterTV, afiliada da Rede Globo, conquistou o segundo lugar na Categoria Vídeo com a série “Crias da Crise”, da jornalista Diana Barreto, juntamente com a equipe do trabalho: Ranniery Sousa, Cleber Dantas e Alisson Lima. O terceiro lugar desta mesma categoria ficou com a TCM com a reportagem “Apodi começa a se destacar na produção de polpa de frutas” do jornalista Alivaci Soares, juntamente com os profissionais Elli Cafrê e Mychael Morais.

A emissora de rádio Jovem Pan News Natal foi a segunda colocada na categoria Áudio da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo deste ano com o trabalho “Semana da Inovação: Potimarket, uma solução em Marketplace para o mercado de camarão”, de autoria de Anthony Medeiros. Conforme o regulamento do prêmio, os jornalistas vencedores na etapa regional irão concorrer à Nacional, nas quatro categorias: Texto, Áudio e Vídeo e Foto. Além do Grande Prêmio Sebrae de Jornalismo para o vencedor da etapa Nacional, esta edição também vai prestigiar a nova geração do jornalismo com o prêmio especial de Jornalista Revelação.

2

Nov

Visitas, celebrações e homenagens marcam Dia de Finados no Cemitério Vila Memorial Zona Norte

Muitos potiguares aproveitaram as primeiras horas do feriado de 02 de novembro para prestar homenagens aos seus entes queridos já falecidos, no Cemitério Vila Memorial, na Zona Norte de Natal. A organização também reforçou as equipes de atendimento psicológico com a instalação do ‘Espaço Acolhedor’, composto por psicólogos especializados na psicologia do luto.

É o caso da empresária Nadja Maria de Lira, 52 anos, que aproveitou a manhã desta terça-feira (2) para visitar o jazigo onde estão sepultados o esposo e o pai dela. A empresária revela que este gesto já é um costume da família. “A gente mantém a tradição de vir pelo menos uma vez por semana. Juntos fazemos orações e cuidamos dos arranjos de plantas e flores, mesmo tendo a manutenção da equipe do cemitério, nós gostamos de zelar diretamente e vir com frequência, pois é uma forma de lembrarmos as pessoas que amamos e que se foram. Geralmente, combinamos para vir todos juntos nessas datas especiais. Hoje estou aqui, com meus filhos e meu irmão, pois eles foram excelentes pais e maridos”, relata a Nadja Maria.

A abertura das atividades no cemitério Vila Memorial, na Zona Norte de Natal,  foi marcada com uma missa celebrada por Monsenhor Lucas Batista. “Desde do século XIII, a Igreja rememora a partida dos irmãos falecidos, mas considero que hoje é um Dia de Finados especial, pois estamos retomando as celebrações presenciais nestes espaços, que foram suspensas em razão da pandemia”, disse.

“Com a missa queremos levar uma palavra de esperança a muitas pessoas que perderam seus entes queridos por diversos motivos, e mais ainda para os que foram vítimas da Covid-19, muitos deles não deram sequer para se despedir, em razão da observância das regras de distanciamento”, afirmou o celebrante.

Foi o caso da coordenadora de telemarketing, Ranielle Rodrigues, 34 anos, que perdeu neste ano a sogra e a cunhada, em um espaço de tempo de menos de um mês, ambas vítimas das intercorrências provocadas pela Covid-19. O primeiro baque na família foi causado pela perda da cunhada de apenas 28 anos, Marta Sulamita, que contraiu a doença em fevereiro e agravou o quadro respiratório, vindo a falecer em abril.

Passado um mês, a sogra Aurilene Alves, 56 anos, também teve Covid-19 e quadro de síndrome respiratória grave fez com que não resistisse. “Nossa família sofreu muito. Tínhamos acabado de perder minha cunhada”, conta Rodrigues. Na época, o aumento de casos não permitiu que os familiares pudessem fazer velório com a presença de todos os amigos e parentes.

Segundo a administração do local, desde o final de semana as pessoas iniciaram as visitas. E para o dia de hoje ainda estão previstas, na parte da tarde, apresentação musical do Grupo Harmonium, às 15h30 e uma missa, às 16h, celebrada por Padre Dalmário Melo.

 “Preparamos tudo com muito zelo e pensamos em programação com celebrações religiosas, música e feira de adoção de animais para transformar a visita em um momento de paz. Essas iniciativas deixam o ambiente com uma atmosfera de aconchego e traz um certo conforto”, ressalta a gerente administrativa, Alessandra Vila.

Espaço Acolhedor

Equipes de atendimento formada por psicólogas  especializadas na psicologia do luto atuaram no ‘Espaço Acolhedor’ fornecendo momentos de escuta e aconselhamento . A criação do espaço teve por objetivo amparar as pessoas que não tiveram condições de trabalhar as emoções provocadas pelo luto, em razão da ocorrência de perdas difíceis durante a pandemia. 

“Apesar de termos como nossa missão acolher as pessoas que buscam os serviços cemiteriais e funerários, esse ano nossa preocupação foi maior, pois muitos de nós fomos impedidos de realizar os rituais de despedidas, e isso gera um efeito negativo no processo de luto. Para algumas pessoas as emoções podem ser mais intensas, por causa dessa lacuna”, explica a psicóloga, Milena Câmara.

De acordo com decreto estadual vigente publicado no Diário Oficial, os visitantes estavam obrigados a usar máscaras  no interior do cemitério, fazer a higienização das mãos com álcool 70% e apresentar o cartão de vacinação.  “Quem estava sem portar o cartão de vacinação, disponibilizamos uma equipe para acessar o RN Mais Vacina e baixar o comprovante. Nosso objetivo com essa ação é garantir que os visitantes possam ir aos cemitérios em segurança visitar seus entes”, acrescentou Milena Câmara.
 

1

Nov

IMD realiza seleção para duas vagas de bolsistas de Jornalismo

O Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) abriu hoje, 29, as inscrições para o processo seletivo de bolsista de apoio técnico e administrativo para atuar em sua Assessoria de Comunicação. São ofertadas duas vagas voltadas a estudantes do curso de Jornalismo da Universidade.

As inscrições para a seleção, que também visa à formação de cadastro reserva, permanecerão abertas até o dia 5 de novembro e devem ser realizadas mediante o envio de todos os documentos solicitados no Edital 076/2021 para o e-mail ascom@imd.ufrn.br.

As bolsas ofertadas contam com remuneração de R$ 400 e carga horária de 20 horas semanais, que devem ser exercidas, para uma delas, no turno matutino e, para a outra, no turno vespertino.

As atividades dos bolsistas selecionados deverão ser realizadas em formato híbrido, com parte da carga horária exercida presencialmente e a outra parte por meio de teletrabalho, podendo ocorrer o retorno integral à atuação presencial em caso de deliberação por parte da Direção do IMD.

Seleção

O processo seletivo será conduzido por uma comissão examinadora formada por membros designados pela Assessoria de Comunicação e consistirá em quatro etapas diferentes: homologação das inscrições, prova de redação, entrevista e homologação final.

A data prevista para a divulgação da listagem dos candidatos que possuírem inscrição homologada é 8 de novembro. Já a prova de redação será aplicada no dia 10 do mesmo mês, por meio da plataforma Google Meet, com duas horas de duração, das 13h30 às 15h30. O teste exigirá do candidato a elaboração de um texto jornalístico, com tema a ser especificado no dia.

Por último, a entrevista será realizada no dia 16 de novembro, também via Google Meet, e avaliará as potencialidades dos candidatos quanto a suas experiências e conhecimentos teóricos e práticos. O resultado final, com a classificação, será divulgado em 17 de novembro, no portal do IMD e também enviado ao e-mail dos candidatos.

22

Out

Programa Indústria Mais RN estreia neste sábado (23), na Band Natal

O Programa Indústria Mais RN estreia em canal aberto, com exibição pela Band Natal, no próximo sábado (23).  A primeira transmissão pela emissora de televisão de canal aberto traz a entrevista com o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Amaro Sales, que também é primeiro diretor-secretário da Confederação Nacional da Indústria e presidente do Conselho Temático da Micro e Pequena Empresa da CNI.

Amaro Sales aborda, nesta entrevista, temas como a atuação do Sistema FIERN nas áreas de educação, economia, energias renováveis e parcerias com o Poder Público, entre outros assuntos.

O programa Indústria Mais RN traz convidados, com episódios quinzenais, em entrevistas sobre assuntos relevantes da economia e da indústria, sobre o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, além de temas relevantes nacionais.

Apresentado pela Gerente de Comunicação da FIERN, jornalista Juliska Azevedo, o Indústria Mais RN traz novos episódios a cada quinzena, no canal da FIERN no YouTube (acesse aqui: https://www.youtube.com/c/SistemaFIERN).

A exibição do programa em TV aberta é resultado de uma parceria entre FIERN e Band. O programa é integralmente produzido pela Unidade de Comunicação da FIERN e reproduzido, gratuitamente, pela emissora.

22

Out

Projeto acadêmico da UFRN abre seleção para estudantes de jornalismo; saiba como participar

O projeto acadêmico Supercomputação para acelerar a ciência, tecnologia e inovação abre processo de seleção de bolsistas. Serão disponibilizadas duas bolsas, com carga horária de 20 horas semanais, para ingresso imediato. Também será formado cadastro reserva com até três nomes selecionados. Os bolsistas integrarão o projeto no intuito de atender ao objetivo de apoiar o avanço científico, tecnológico e de inovação para além da universidade.

Para estar apto a concorrer à bolsa, basta ter completado ao menos três períodos do curso de Jornalismo e atender aos requisitos da seleção previstos no edital. Os alunos escolhidos no processo seletivo irão atuar na produção de notícias sobre ciência, tecnologia e inovação, na divulgação do setor concedente da bolsa e na produção de textos para os canais institucionais da UFRN e redes sociais próprias do setor responsável, bem como atuar em colaboração com a imprensa, atendendo e sugerindo demandas.

Com inscrições até o dia 30 de outubro, os candidatos deverão enviar histórico acadêmico atualizado, currículo e portfólio via e-mail. A seleção será feita com base na análise dos documentos e na entrevista, que acontecerá virtualmente. O resultado dos selecionados e do cadastro de reserva será divulgado no dia 5 de novembro, no boletim de notícias da UFRN.

8

Out

Jornalistas Maria Ressa e Dmitry Muratov recebem Nobel da Paz

A jornalista filipina Maria Ressa e o jornalista russo Dmitry Muratov venceram o Nobel da Paz 2021. O anúncio foi feito hoje (8) pela Academia Sueca, em Estocolmo. O prêmio foi concedido "pelos esforços de salvaguarda da liberdade de expressão, pré-condição para a democracia e paz duradouras".

"A senhora Ressa e o senhor Muratov recebem o Prêmio Nobel da Paz pela corajosa batalha pela liberdade de expressão nas Filipinas e na Rússia", disse Berit Reiss-Andersen, do Comitê Nobel norueguês.

"Ao mesmo tempo, eles representam os jornalistas que lutam por esse ideal num mundo onde a democracia e a liberdade da imprensa enfrentam condições cada vez mais adversas”, acrescentou.

Jornalistas Maria Ressa e Dmitry Muratov recebem Nobel da Paz · Jornal  Midiamax

Neste ano, disputaram o Nobel da Paz 329 candidatos, 234 pessoas e 95 organizações.O número é ligeiramente superior ao do ano passado: 317.

Nem a relação dos candidatos nem de quem os propôs são divulgados até que se passem 50 anos. Eles só são conhecidos se forem divulgados diretamente por quem os propôs.

Os laureados com o Nobel da Paz vão receber o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (quase 1 milhão de euros), além de um diploma e uma medalha, em 10 de dezembro, em Oslo, na Noruega, dia da morte do criador do prêmio, Alfred Nobel.

Fonte: Agência Brasil / Foto: Reprodução

27

Set

Festival FALA! impulsiona o jornalismo de causas

A segunda edição do FALA! - Festival de Comunicação, Culturas e Jornalismo de Causas debate o papel dos meios de comunicação como ferramenta na construção de uma democracia plena, discutindo a importância da cultura, identidade e diversidade de linguagens na área. O FALA! é realizado em parceria com o Sesc São Paulo, de forma online. 

Como a difusão de informações ocorre para além dos profissionais de jornalismo, o Festival FALA! promove uma programação de debates e cursos com participação de pesquisadores do tema na academia, que atuam na comunicação de base e nas manifestações artístico-culturais da América Latina; e de agentes que comandam plataformas independentes de jornalismo em diversas regiões do Brasil. 

A programação completa do festival, marcado para o período de 1° a 8 de outubro, será transmitida no YouTube no canal do Sesc Avenida Paulista

As inscrições, gratuitas, para as oficinas, começam a partir do dia 28, às 14h, com 120 vagas.

Para os realizadores do festival, o jornalismo de causas ainda é um nicho nos principais encontros de jornalistas brasileiros. “Nós pretendemos discutir de forma mais aprofundada a relação entre arte, cultura e um jornalismo posicionado e comprometido com a diversidade e a pluralidade de vozes e corpos. É importante que construamos estes espaços de discussão para  fortalecer o compromisso do jornalismo com a democracia, sem as meias palavras e omissões do passado recente”, disse Laércio Portela, do portal Marco Zero e um dos idealizadores do FALA!.  

A mesa de abertura, no dia 1º, às 19h, tem como tema “Como o jornalismo, a arte e a cultura podem colaborar na reconstrução desse mundo moderno que se encontra em ruínas?”. A fala inaugural será de Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo. Participam da conversa, mediada por Laércio Portela, editor e cofundador da Marco Zero Conteúdo, a jornalista e pesquisadora Rosane Borges; Donminique Azevedo, jornalista e especialista em Raça, Gênero e Sexualidades; e a cantora, escritora e pesquisadora Fabiana Cozza.

Além dos painéis, o Festival FALA! traz, ainda, o curso “Jornalismo, o mundo moderno e as novas formas de mediação”, que será ministrado pela professora pós-doutora Rosane Borges, de 5 a 8 de outubro. 

O FALA! - Festival de Comunicação, Culturas e Jornalismo de Causas é idealizado e organizado por quatro grupos de mídia independente: Alma Preta Jornalismo (SP), Marco Zero Conteúdo (PE), 1Papo Reto (SP) e Ponte Jornalismo (SP), com produção da ZporZ e apoio do Sesc-SP, Repórteres Sem Fronteiras, Open Society e Vai Voando.

Fonte: Agência Brasil

10

Set

UFRN: Pandemídia discute o jornalismo contemporâneo na pandemia

A pandemia da covid-19 reforçou a discussão sobre o papel das notícias, dos jornais e dos jornalistas na sociedade. No enfrentamento da pandemia de um vírus mortal, o mundo teve de lutar, também, contra uma epidemia de falsas notícias, crenças tomadas por verdade, batizadas com os nomes pomposos de fake news pós-verdade. É isso que pretende discutir o Pandemídia  Olhares contemporâneo sobre o jornalismo, evento realizado pelo Grupo de Pesquisa Comunicação, Cultura e Mídia, do Departamento de Comunicação (Decom/UFRN), que será realizado nos dias 16 e 23 deste mês. As inscrições acontecem via SigEventos. 

O encontro será marcado por duas mesas-redondas. Na primeira, que acontece na próxima quinta-feira, 16, será debatido o tema Jornalismo e sociedade distópica, realizado com a participação de Jacinto Godinho, da Rádio e Televisão de Portugal (RTP) e professor da Universidade Nova de Lisboa; José Carlos Aronchi, da Cásper Líbero SP; e José de Paiva Rebouças, diretor da Agência de Comunicação da UFRN (Agecom). A mediação será do professor Adriano Lopes Gomes.

Na segunda mesa, a ser realizada no dia 23, o papo terá como tema Jornalismo em tempos de vulnerabilidade sanitária, com as participações de Carla Baptista, da Universidade Nova de Lisboa, Luís Arthur Ferrareto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Renato Rovai, da revista Fórum. A mediação será do professor Daniel Dantas Lemos.

De acordo com Adriano Gomes, a covid-19 reforçou convicções de que a imprensa, o jornalismo e os processos de comunicação são e serão cada vez mais necessários e fundamentais na defesa da vida e da sociedade democrática. “Mas como ocupar esse campo nessa visão em 2021? Como se posiciona o jornalismo contemporâneo diante desse cenário? Que olhares podemos lançar sobre ele após um ano e meio de todo esse enfrentamento?”, questiona o professor.

Com isso em mente, o Grupo de Pesquisa Comunicação, Cultura e Mídia traz à luz o Pandemídia, cujo objetivo é discutir o jornalismo contemporâneo em nosso novo ecossistema e pensar em caminhos junto a pesquisadores do Brasil e de Portugal, além de estudantes de graduação e pós-graduação e do público em geral.

30

Ago

Profissionais da Imprensa têm até o dia 31 para se inscreverem no Prêmio Sebrae de Jornalismo

Com foco na importância das micro e pequenas empresas para o enfrentamento da pandemia, o 8º Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) está com inscrições abertas até 31 de agosto. A iniciativa irá premiar as melhores notícias veiculadas em diferentes canais da imprensa brasileira ou novas plataformas digitais sobre empreendedorismo e pequenos negócios.

Podem ser inscritas no PSJ matérias e reportagens veiculadas de 1º de janeiro de 2020 a 30 de agosto de 2021, na mídia impressa, em portais e sites de notícias e em emissoras de rádio e TV. Bem como podcasts e vídeos veiculados em plataformas digitais, nesse mesmo período. Confira os detalhes neste link.

30

Ago

Estadão tem vaga para repórter de dados

O Estadão, um dos maiores jornais do Brasil, está com vaga aberta para um repórter de dados, a nível de experiência Júnior/ Trainee. A pessoa selecionada para ocupar o cargo participará da produção de reportagens interativas, visualizações e análises de dados, junto a uma equipe interdisciplinar.

O novo repórter fará parte do núcleo multimídia da editoria de Arte do Estadão. De acordo com a descrição da vaga, algumas das tarefas que farão parte do cotidiano do profissional serão o envio de pedidos de Lei de Acesso à Informação (LAI), contato com assessorias de imprensa, raspagem de dados e análise de informações. Os projetos realizados serão de curto e médio prazo.

Para ocupar a função, o jornal busca por uma pessoa focada na experiência do usuário, curiosa, colaborativa e disposta a aprendizado constante. Alguns requisitos apontados para participar do processo seletivo são conhecimento básico ou intermediário em Python para Data Science e controle de versão (Git). Além disso, é desejável interesse em HTML, CSS, Javascript.

“Acreditamos que a informação é uma poderosa ferramenta de transformação social e que empodera e prepara as pessoas para os desafios do futuro. Com foco na inovação e com os clientes no centro do nosso negócio, estamos mudando nossa forma de pensar e trabalhar e passando por um processo de transformação digital que promete impactar (e muito) na vida dos nossos colaboradores e leitores”, destaca o Estadão.

Mais detalhes a respeito da vaga de emprego no veículo de comunicação paulistano, como o salário, serão conversadas diretamente com o candidato. As inscrições no processo seletivo são feitas por meio da página do Estadão no site Vagas.

Fonte: Portal Comunique-se, disponível em: https://portal.comunique-se.com.br/estadao-tem-vaga-para-reporter-de-dados/

30

Ago

Entidades lançam Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

A ARTIGO 19 e o Instituto Vladimir Herzog lançarão, na próxima terça-feira, 31, a Rede Nacional de Proteção a Jornalistas e Comunicadores. O grupo contará com uma plataforma para recebimento de denúncias de ataques a profissionais da categoria, que será levada ao público por meio de um evento online e gratuito, às 19h30.

Segundo comunicado enviado ao Portal Comunique-se, o encontro será transmitido pelo canal do instituto no YouTube e terá como tema o processo de institucionalização dos ataques à imprensa no Brasil e terá a participação da diretora-executiva da Casa Sueli Carneiro, Bianca Santana, da cofundadora e editora-executiva da Agência Amazônia Real, Kátia Brasil, e da co-fundadora e co-diretora do Nós, Mulheres da Periferia, Semayat Oliveira.

O texto revela, ainda, que a iniciativa começou a ser projetada em 2018 e coloca em prática um sonho antigo da equipe do Instituto Vladimir Herzog e de parceiros. O objetivo de todos os envolvidos é garantir a segurança dos profissionais da imprensa.

“Os ataques a jornalistas e comunicadores no Brasil atingiram níveis extremamente preocupantes, que colocam em risco a nossa democracia. E é justamente isso que o projeto busca: garantir a segurança dos profissionais da imprensa e, com isso, fortalecer o nosso já tão combalido regime democrático”, explica Giuliano Galli, coordenador da área de jornalismo e liberdade de expressão da entidade.

O discurso é reforçado pela diretora-executiva Brasil e América do Sul da ARTIGO 19, Denise Dora. Com base em dados do Relatório Global de Expressão mais recente, ela ressalta a importância do apoio à categoria no contexto político atual do Brasil.

“Dados do nosso último Relatório Global de Expressão mostram que nosso País é uma democracia em crise. Em 2020, foram registradas 464 declarações públicas feitas pelo Presidente da República, seus ministros ou assessores próximos que atacaram ou deslegitimaram jornalistas e o seu trabalho, nível de agressão pública que não é visto desde o fim da ditadura militar. As violações contra jornalistas e comunicadores somam 254 casos”, aponta.

Como será o projeto

Além da plataforma de denúncias, a iniciativa das entidades ligadas ao jornalismo disponibilizará cartilhas, livros, artigos e vídeos sobre proteção e segurança. Como parte das ações do grupo, serão promovidas também oficinas a respeito de temas ligados ao jornalismo, liberdade de expressão e direitos humanos.

Fonte: Portal Comunique-se, disponível em: https://portal.comunique-se.com.br/entidades-lancam-rede-nacional-de-protecao-a-jornalistas-e-comunicadores/