Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade Edge Hill, do Reino Unido, mostrou que mensageiros, como o WhatsApp, podem ter efeitos positivos para a saúde mental. Os resultados foram baseados no fato de que, quanto mais tempo as pessoas utilizam o aplicativo, menos solitárias elas se sentem – devido aos grupos de família e amigos no software, especialmente.

Segundo o estudo, os usuários que conversavam mais pelo app relataram estar cada vez mais conectados e felizes com seus conhecidos. Além de ser uma ferramenta que permite a comunicação com qualquer pessoa do mundo, o recurso facilita a conexão com parentes e colegas distantes, dando a sensação de estar perto mesmo a quilômetros de distância. Apesar disso, vale lembrar que outras pesquisas dizem que as redes sociais estão ligadas a problemas psicológicos, como a ansiedade e depressão.

Uma das doutoras responsáveis pela pesquisa, Linda Kaye, professora de psicologia e pesquisadora da Universidade Edge Hill, afirmou que "há muito debate sobre como o tempo gasto nas redes sociais é ruim para o nosso bem estar, mas descobrimos que pode não ser tão ruim quanto pensamos". Essa afirmação está diretamente ligada ao fato de que indivíduos que têm participação ativa em grupos se sentem menos sozinhos e solitários, o que beneficia tanto a autoestima quanto a capacidade de obter relações sociais saudáveis e duradouras.

Os estudos mostraram, portanto, que as redes sociais não são apenas um fator ruim para a sociedade. O WhatsApp, por exemplo, ajuda as pessoas a se conectarem com parentes e amigos próximos de inúmeras maneiras, tanto por mensagens como por chamada de áudio e vídeo.

Fonte: Portal TechTudo, disponível em: https://www.techtudo.com.br/noticias/2019/07/whatsapp-pode-fazer-bem-a-saude-mental-dos-usuarios-diz-pesquisa.ghtml