Deu na Folha de S.Paulo: 

Apenas 51 escolas que oferecem curso de direito, entre as quase mil do Brasil, conseguem aprovar mais de 50% de seus alunos no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Os dados são de um novo indicador do RUF (Ranking Universitário Folha). Das 897 instituições de ensino superior que tiveram ex-alunos prestando a prova, 721 (80%) têm aprovação na OAB menor do que 25%. Foram contabilizados estudantes e egressos que se submeteram ao exame da OAB entre 2015 e 2017.

A aprovação é exigida para o exercício da advocacia no país. Para representantes da OAB, o problema começa com o excesso de cursos de direito. “Há uma criação desmedida desses cursos, em locais inadequados, haja vista a ausência de estrutura para formação e inserção dos egressos no mercado”, afirma o secretário-geral, José Alberto Simonetti. O Censo de Educação Superior, com dados de 2017, mostrou 1.200 cursos de direito em funcionamento, o maior número entre todas as graduações do país. Alguns, recentes, ainda não formaram alunos. Portanto, estão de fora do ranking.

A quantidade de cursos de direito segue aumentando. Só neste ano foram autorizados 121 novos, com 15 mil vagas. Outro destaque no ranking vem do interior do Nordeste, de um curso com apenas nove anos de existência. O curso de direito da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), oferecido em Mossoró (RN), ainda é uma “criança”, que só neste ano abriu turmas de mestrado, nas palavras do coordenador, Ulisses Rei. Ainda assim, com a maioria dos docentes em regime de dedicação exclusiva, oferece aos estudantes projetos de pesquisa e extensão.

“Aqui a gente realmente exerce o tripé universitário: ensino, pesquisa e extensão”, diz Reis. Para ele, um diferencial que pode ter impacto na alta aprovação é o uso de metodologias ativas. “Nossas turmas têm até 35 alunos, então nós discutimos casos práticos, simulamos julgamentos. Já fui professor em sala com cem alunos, em outra instituição, e sei que é impossível adotar esse tipo de estratégia em turmas grandes”, compara.

Fonte disponível em: https://ruf.folha.uol.com.br/2019/noticias/minoria-dos-cursos-de-direito-consegue-formar-a-maioria-dos-seus-estudantes.shtml