O Instituto do Bem (IBem), organização não governamental que atua na conscientização da população sobre a importância da doação de órgãos, lançou a campanha “Sua Vida Combina Com a Minha”, que tem como objetivo incentivar esse gesto de amor ao próximo e solidariedade. A ação faz parte do Setembro Verde, mês em alusão à doação de órgãos.

A campanha traz uma mensagem simples, mas impactante: “nossas vidas combinam, os órgãos que vivem em você combinam com outras pessoas também”. A ideia é chamar a atenção para a importância de ser um doador de órgãos, mostrar o impacto dessa decisão na vida de quem aguarda na fila por um transplante.

Atualmente, o RN tem 244 pacientes em lista de espera para transplante renal e 390 pessoas aguardando transplante de córnea. De janeiro a dezembro de 2020, o estado registrou 188 notificações para doação de órgãos, contudo, apenas 60 se concretizaram. Já no primeiro semestre de 2021, houve 96 registros, com apenas 22 doações efetivas. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap).

No dia 27 de setembro, celebra-se o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Segundo a assistente social do Instituto do Bem, Brenda Cirne, o intuito do “Dia D” é contribuir para o debate e desmistificar o tema. “Esse assunto ainda é tabu para muitas pessoas. Falar sobre doação também é falar sobre finitude, o que faz com que muitos evitem. Mas é importante conscientizar as pessoas que esse gesto também representa a esperança de uma nova vida para muita gente”. Pela legislação vigente, a doação de órgãos só ocorre pela autorização familiar. Por isso é importante externar esse desejo em vida para os parentes mais próximos.

Brenda explicou que, anualmente, o Instituto do Bem faz uma campanha como forma de dar visibilidade ao assunto e conta com vários parceiros.  Devido à pandemia, as ações presenciais ainda estão restritas, o que diminui a visibilidade ao tema. “Para aumentar a conscientização das pessoas, especialmente nesse período pandêmico, nosso foco tem sido as redes sociais e mídias externas. É importante que todo mundo posso refletir sobre o assunto. É uma corrente de amor e solidariedade que precisa ser fortalecida”, declara Brenda.