O Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), do SENAI-RN, criou, em parceria com a Alemanha, a primeira unidade móvel do Brasil para treinamentos de segurança voltados ao trabalho em altura – e vai colocá-la na estrada a partir de 2022 rumo a municípios onde a geração de energia eólica e o emprego associado à atividade só crescem.

A previsão foi uma das apresentadas pelo Centro nesta terça-feira (14), no primeiro dia de avaliação da segunda etapa do Projeto Verena, fruto de um Termo de Cooperação Técnica firmado em dezembro de 2018 entre o SENAI-RN, o CTGAS-ER e a Câmara de Indústria e Comércio da cidade alemã de Trier (EIC Trier).

O Projeto, que se encerraria em outubro deste ano, será prorrogado até 12 de dezembro e poderá ser sucedido por outras iniciativas conjuntas de capacitação de pessoal, prestação de serviços de assessoria e consultorias.

Competitividade

A unidade móvel para treinamentos de trabalho em altura, atualmente em processo de homologação para entrar em campo, faz parte de um conjunto maior de ações destacadas como resultados diretos do projeto. “É um resultado do sucesso dessa parceria, que tem nos ajudado a desenvolver novas estratégias de inteligência na área de educação profissional em um momento de mudança urgente de uma economia de óleo e gás para uma economia movida a energias renováveis, em que o SENAI desempenha um papel importante para que as indústrias sejam mais eficientes e competitivas”, diz o diretor do CTGAS-ER e do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis, Rodrigo Mello.

A unidade móvel, descreve ele, “é um caminhão especialmente equipado para a realização de treinamentos profissionais em ambientes como parques eólicos – onde torres com mais de 100 metros de altura se multiplicam gerando energia limpa – e vai atender o cliente onde ele está, sem que para isso ele tenha que se deslocar do seu ambiente de trabalho, normalmente em cidades do interior, para o Centro, em Natal”.

Avaliação

As ações do Projeto Verena, que têm como foco estimular o desenvolvimento contínuo do setor de energias renováveis, por meio de capacitação profissional, transferência de tecnologias, investimentos em infraestrutura de ensino profissionalizante, além de investidas na área de eficiência energética, também se refletem dentro das salas de aula do SENAI.

Amora Vieira, coordenadora do Projeto pelo SENAI-RN, destacou que, nos últimos três anos, o Projeto resultou na criação ou aperfeiçoamento de 6 cursos profissionalizantes voltados aos setores de energia eólica e solar fotovoltaica, além de ter aberto caminho para a criação de outras soluções de educação profissional, como a unidade móvel para treinamentos em trabalho em altura.

Cerca de 500 matrículas foram registradas entre 2019 e 2021 em cursos criados ou aperfeiçoados por meio da parceria.

A lista inclui Introdução à Energia Solar Fotovoltaica, Basic Safety Training – BST, Tecnologias e Instalações de Sistemas Fotovoltaicos, Introdução às Tecnologias de Geração Fotovoltaica e Instalador de Sistemas Fotovoltaicos, mas a lista não vai parar por aí.

“Vamos lançar em março de 2022 a primeira especialização técnica em sistemas fotovoltaicos do Rio Grande do Norte”, diz Vieira. Também para o próximo ano é prevista a criação de um curso inédito no país em conjunto com os alemães para especialização de trabalhadores na conversão de carros elétricos. A estrutura para o curso já está sendo preparada.

“Essa parceria do Sistema FIERN (que engloba o SENAI-RN) com a Câmara de Indústria e Comércio de Trier, essas certificações que vieram como resultado e que nos credenciam ao mercado, com forte atuação no Brasil inteiro, os cursos de energias renováveis, o fortalecimento que ganhamos com a Coere, são avanços que nos animam. O Rio Grande do Norte sendo hoje o maior produtor do país de energias renováveis não poderia deixar de ter um projeto desafiador como esse”, disse Amaro Sales. O ciclo de avaliação das ações segue até o dia 21 deste mês.

A programação do primeiro dia contou com a apresentação de resultados na área de educação profissional e de relacionamento do CTGAS-ER com o mercado, a partir da parceria, além de uma exposição sobre a investida conjunta mais recente do projeto: o início do desenvolvimento do primeiro carro elétrico produzido no Rio Grande do Norte, um buggy, em colaboração com a indústria de veículos Selvagem, com o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Além de Amaro Sales, participaram da videoconferência Ute Reckers, coordenadora de projetos pela Sequa, instituição que representa entidades empresariais junto ao governo da Alemanha, Albrecht Ansohn, avaliador externo do projeto para o governo alemão, Matthias Fuchs, coordenador do projeto pela EIC Trier, Andreas Dohle, coordenador do projeto no Brasil, Emerson Batista, diretor regional do SENAI-RN, Rodrigo Mello, diretor do CTGAS-ER e do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis, Amora Vieira, coordenadora do projeto pelo SENAI-RN, outros representantes da área de educação do SENAI e da indústria Selvagem.