Talvez você ainda não se imagine chegando em casa e conversando com uma caixa de som, que lhe ajudará a atender suas necessidades e responder às suas dúvidas. Mas o fato é que  caixinhas de som inteligentes já se tornaram a grande aposta da indústria de tecnologia contra a irritação que os usuários começam a demonstrar pelos seus celulares, que se junta às campanhas, pesquisas e movimentos na defesa de que passem menos tempo em suas telas individuais.

De acordo com o Canal Meio, estimativas apontam que, no final de dezembro, 41% das residências americanas já tinham uma caixa de som inteligente. E mais: 8% dos americanos ganharam uma delas de presente de Natal. As caixinhas obedecem a ordens como “apagar a luz”, “tocar Beatles”, apresentar informações sobre uma pesquisa ou traduzir uma frase em língua estrangeira. Fazem praticamente o que hoje é feito por assistentes de celular, como a Siri, da Apple. Quem comprou uma delas no exterior já pode conversar em Português, bastando configurar no App. Outro ponto sedutor das caixinhas é que elas são usadas, normalmente, em momentos de interação social – diferentemente dos celulares, que promovem um certo “isolamento” dos seus usuários.

O Canal Meio resumiu em artigo o impacto das caixas de som inteligentes, assunto da CES, principal feira internacional de tecnologia de consumo, que está sendo realizada em Las Vegas, EUA. Interessante de ler e de imaginar que este hábito, em breve, fará parte das nossas vidas também aqui no Brasil. Confira a íntegra no link abaixo:

http://www.canalmeio.com.br/notas/a-voz-vai-nos-salvar-dos-celulares/?h=SnVsaXNrYSBBemV2ZWRvfDE3NTM3