A Escola Estadual Graciliano Lordão, em Natal, produziu a Revista Geográfica GL, produto das aulas e dinâmicas trazidas do Projeto de Inovação Pedagógica (PIP), e está concorrendo à etapa nacional do 11º Professores do Brasil. Os recursos investidos e a metodologia dinâmica interdisciplinar do PIP, são um projeto do Governo do Estado, desenvolvido pela Secretária de Educação, via Governo Cidadão e Banco Mundial

A professora de Geografia Ana Beatriz Câmara Maciel foi a responsável por coordenar a produção da Revista Geográfica GL, o que deu a ela a oportunidade de submeter seu trabalho ao concurso e concorrer ao prêmio, uma iniciativa do Ministério da Educação para reconhecer, premiar e incentivar o trabalho dos professores da rede pública do Brasil.

“O PIP foi de extrema importância para o desenvolvimento do nosso projeto na escola, o que viabilizou o aumento do ensino-aprendizagem aos alunos, como também possibilitou equipar a escola com alguns materiais e também proporcionou a formação continuada para os professores, incentivando-os sempre. Foi plantada uma sementinha no desenvolvimento da leitura, interpretação e escrita dos alunos na Ciência Geográfica, e que almejamos a ampliação dos conhecimentos adquiridos pelos estudantes durante todo o ano de 2017”, declara Ana Beatriz, feliz por ter conquistado a premiação estadual e regional.

Toda a comunidade escolar e familiar foi envolvida na criação da Revista. Ela foi construída em dois momentos diferentes – primeiro o levantamento bibliográfico que contemplava o conteúdo proposto e temas transversais interdisciplinares, com ajuda das demais disciplinas e professores; e segundo, a produção de conhecimento empírico, por meio da coleta de informações e da Mostra Cultural da Escola, em 6 de dezembro de 2017, quando foi lançada a revista oficialmente.

Dentre as disciplinas trabalhadas estiveram Geografia, Língua Portuguesa, Artes, Ciências, Matemática, História, Ensino Religioso e Educação Física. “Uma grande conquista como essa mostra que o PIP está influenciando de forma efetiva a vida dos alunos e dos professores. Não só o reconhecimento da melhora na qualidade de ensino, mas também na figura do professor, que é essencial aos jovens nessa fase da vida”, contempla o secretário e coordenador do Projeto Governo Cidadão Vagner Araújo.

“O PIP vem para desenvolver e melhorar o ensino aprendizagem dos jovens e tem como papel fundamental desenvolver leitura e escrita. A interdisciplinaridade é essencial para que esses alunos aprendam a interpretar e produzir conteúdo nas diversas áreas de conhecimento e também de forma conjunta”, explica a secretária da Educação Claúdia Santa Rosa.

A última etapa do Professores do Brasil ocorre entre os dias 25 a 30 de novembro no Teatro da Escola do SESC, na cidade do Rio de Janeiro. Durante os cinco dias, Ana Beatriz participará de oficinas, amostras e da cerimônia de premiação no dia 29. O valor do prêmio nacional é de R$ 5 mil reais mais o troféu.

PIP na E.E. Graciliano Lordão

A revista geográfica não foi a única atividade do PIP – ao longo de 2017 os 110 alunos do 6º ano do Ensino Fundamental vivenciaram diversas atividades lúdicas e dinâmicas como o estudo e produção de cordel, aula de campo ao Planetário, exposição de artes e fotografia, sarau poético, entre outros. Os estudantes foram contemplados com o campo de desenvolvimento de leitura e letramento, que tinha como principal objetivo desenvolver a criatividade, a leitura, a escrita, a interpretação de texto e melhorar os níveis de ensino-aprendizagem.

Sobre o PIP

O Projeto de Inovação Pedagógica tem como objetivo oferecer apoio pedagógico, técnico e financeiro ao desenvolvimento de propostas de aprendizagem inovadores que possibilitem o fortalecimento dos processos educacionais dentro das escolas públicas estaduais. Desde 2015, o PIP vem mudando as vidas dos alunos do ensino fundamental e médio através de metodologias interdisciplinares e dinâmicas. Até agora, 400 foram contempladas – um total de 53 mil alunos.

Os primeiros resultados já podem ser vistos – na primeira avaliação de impacto, foi observado, nos 6ºs anos, um aumento de 13% na aprovação dos alunos, de 6% nas competências sócio emocionais e de 5% na aprendizagem de Português e Matemática. Houve também a redução da rotatividade dos professores, o que implica diretamente na melhoria do ensino-aprendizagem.