A água de coco, produto bastante conhecido no Nordeste, está sendo fruto de um estudo de pesquisadores potiguares na área de suplementação para atletas. O projeto se divide na criação de um suplemento energético em gel e uma barra de proteína. Cada um desses suplementos foi estudado para uma modalidade esportiva específica e o principal objetivo é fazer produtos de alta tecnologia com um preço de custo baixo para os consumidores.

O trabalho conta com a participação de professores e alunos do Curso de Educação Física da Universidade Potiguar, integrante da rede Laureate, e é uma parceria dentro de uma pesquisa de doutorado realizada na UFRN por meio da Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio).



O projeto desenvolvido pelo Prof. Thiago Renne Filipe é um gel, destinado para atletas de atividades aeróbicas de longa duração. Já no caso do Prof. Nailton Albuquerque Filho, a pesquisa consiste em uma barra de proteína para atletas de musculação. De acordo com o Prof. Nailton, a água de coco foi escolhida por ser rica em nutrientes e por possuir um maior tempo de conservação.  

“Nós moramos na Cidade do Sol onde muitas pessoas tomam água de coco constantemente e pelo fato de ser uma fruta abundante em nosso estado. Escolhemos esse material para ser a base dos nossos produtos. Já foi provado que a água de coco é um repositor hidroeletrolítico muito eficaz e barato. Nós optamos por trabalhar com o produto desidratado, ou seja, em pó, e fazer os suplementos".

O processo de pesquisa foi realizado de forma aguda, ou seja, a reação do metabolismo dos atletas não foi avaliada a longo prazo e, sim, em um espaço de tempo curto. O processo se deu por meio de análises sanguíneas. Na ocasião, marcadores sanguíneos apontam se o atleta está tendo uma melhor recuperação e se ele está respondendo a uma boa hipertrofia.

Atualmente, a busca por um estilo de vida mais saudável e por produtos de origem natural está em alta. “Nós acreditamos que com a chegada da mercadoria no mercado os consumidores poderão alcançar os objetivos desejados de uma forma mais rápida e sem agredir tanto o organismo e com um preço accessível para tosos os consumidores”, complementa o Prof. Thiago.

Através do Núcleo de Avaliação e Prescrição do Exercício (Napex), alunos do Curso de Educação Física da UnP contribuíram para o desenvolvimento do estudo. Por meio de estudos e pesquisas, foi possível o exercício de aplicar os conteúdos aprendidos em sala de aula e estimulá-los a ingressarem no mundo da pesquisa acadêmica.