Mercado

2

Nov

Preferência por faturas digitais aumentou 500% nos últimos cinco anos

A PGMais, empresa especializada em soluções digitais para o mercado de relacionamento, registrou aumento de 500% nos últimos cinco anos no processamento de documentos digitais, mostrando que o consumidor está cada vez mais conectado. Para se ter ideia, o envio de documentos por canais digitais passou de 49,2 milhões, em 2015, para 301,6 milhões em 2020. Por outro lado, a emissão de documentos físicos, como cartas de cobrança e boletos, caiu mais de 75%, em cinco anos – de 78,4 milhões em 2015, para 20 milhões, no ano passado. 

“São faturas, boletos, carnês, cartas e outros documentos, tudo digitalizado. O envio se dá por e-mail, SMS ou por mensagens de aplicativos como WhatsApp e RCS”, explica o CEO da PGMais, Paulo Gastão. O executivo assegura que a criação e gestão de documentos digitais já era uma realidade na PGMais.  

Desde a sua fundação, a empresa já lançava um novo modelo de negócio, apresentando ao mercado, um portfólio completo de soluções para a transformação digital. “Temos soluções para melhorar o mailing como higienização e enriquecimento, passando por todas as mensagerias, softwares de orquestração de jornadas e uma plataforma de assistentes virtuais de texto e voz, sempre pensamos qual será a próxima geração de soluções para atender as necessidades do mercado de relacionamento”, completa o executivo. 

“Além disso, chegamos à marca de 2 bilhões de documentos processados, com mais de 10 bilhões disparados pelos canais digitais da nossa empresa. Isso significa que 20% de todos os nossos disparos estavam anexados com boletos, faturas, carnês ou links de pagamentos”, afirma Gastão. 

A PGMais desenvolveu uma plataforma para criação e gestão completa dos documentos. “Temos uma engine que constrói com os mais altos níveis de segurança - 3 níveis de criptografia -  boletos, faturas e carnês, com ou sem dados variáveis”. A empresa também tem uma equipe especializada na criação dos templates e com conhecimento e expertise  para avaliar o nível de entregabilidade em cada canal digital. “Aqui até os nossos Assistentes Virtuais podem fazer a entrega desse documento digital no canal de preferência do cliente”, conclui o executivo. 

Comparativo entre emissão de cartas físicas e de documentos digitais de cobrança, pela PGMais:

Emissão de cartas 2020

Total 20.091.823

Emissão de cartas 2015

Total 78.449.220

 

Digital 2020

E-mail com boleto – 91.900.801

E-mail cartório – 2.118.981

SMS boleto – 206.233.657

SMS cartório – 1.372.701

Total 301.626.140

 

Digital 2015

E-mail com boleto – 27.783.496

E-mail cartório – 2.388.473

SMS com boleto – 17.104.444

SMS cartório – 1.928.410

Total 49.204.823

31

Out

Cinco dicas para conquistar um emprego e aproveitar as vagas temporárias de final de ano

As comemorações de fim de ano trazem uma movimentação positiva no mercado de trabalho. Estima-se que até dezembro sejam criados 94,2 mil postos de trabalho no varejo, segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Confira as dicas da especialista para se recolocar no mercado de trabalho, neste final de ano:

- Aproveite as oportunidades temporárias. 

O trabalho temporário tornou-se um ponto forte para estímulo da economia e é a porta de entrada para quem está em situação de desemprego.

- Aposente o papel e economize no transporte

O CV em papel tem sido cada vez menos utilizado, principalmente neste período de pandemia, dando lugar ao cadastro online, por sites e aplicativos. Dessa forma, seu currículo poderá ser visto de forma mais ágil pelos recrutadores que realizam a seleção por meio de sistemas que dão celeridade a esse processo.

- Verbalize que está em busca de emprego

Verbalizar para conhecidos que está em busca de emprego é uma tarefa fácil, mas que poucos fazem.

- Aproveite para se especializar

Especializações são fundamentais para uma carreira profissional de sucesso e para se destacar em uma entrevista de emprego.

- Se destacando na entrevista

Quando receber o contato para a entrevista, reserve um tempo e pesquise sobre a empresa. Os dados mais relevantes podem ser buscados no site ou nas redes sociais da empresa.


 

30

Out

Cinco pontos fundamentais para um empreendimento digital de sucesso

Já há alguns anos é impossível viver sem estar conectado à internet e às redes sociais. Isso vale para as pessoas e para as empresas e seus negócios. Quem já está vendendo seus produtos e serviços online há algum tempo ou quem foi refratário às mudanças e só agora decidiu complementar o ponto físico com o ponto virtual precisa levar em consideração um aspecto chave para adquirir clientes e realizar vendas nesse novo mundo: o marketing digital.

André Siqueira, cofundador da RD Station, empresa referência em marketing digital e autor do livro “Máquina de aquisição de clientes”, pondera que investir em marketing digital não é somente escolher os canais de divulgação como e-mail marketing, compra de anúncio ou redes sociais. “É preciso ter uma base forte para que tudo isso funcione bem. Sem ela não será possível escalar seus investimentos”, afirma. Conforme Siqueira, para que esta base possa ser considerada sólida alguns elementos são fundamentais. O especialista aponta cinco deles a seguir.

primeiro é a qualidade do produto. Siqueira explica que o pressuposto do marketing atual é ajudar as pessoas a resolver um problema. Nesse sentido, indicar um produto ruim definitivamente não é uma boa estratégia de marketing. “Mesmo que a empresa force a venda, se o produto for de baixa qualidade, vai ser difícil impedir o boca a boca da clientela relatando experiências ruins ou indicando produtos melhores. No médio e no longo prazo o fracasso de sua empreitada será certo”, diz.

Ainda nesse quesito, o cofundador da RD Station trata do cliente ideal. Isto porque há muitas empresas que acreditam que podem começar oferecendo um produto de baixa qualidade e ir melhorando a experiência aos poucos. Conforme Siqueira, muitas vezes melhorar a experiência está relacionado com encontrar o cliente ideal e saber trabalhar a expectativa criada por ele. “Ambas as ações impactam bastante o processo de aquisição de clientes. Se isso não for feito direito, pode significar recomeçar o processo todo do zero e o desperdício de muito esforço e investimento”, diz.

Saber se o seu produto é bom ou ruim nem sempre é tarefa fácil. Segundo o cofundador da RD Station, o melhor indicador que a empresa tem de que fez algo relevante é a alta retenção, ou seja, o cliente continuar voltando e comprado. Medir isso de forma precisa, contudo, às vezes leva tempo. Por isso, para facilitar o processo, Siqueira recomenda avaliar indicadores intermediários como Net Promoter Score (NPS), que mede a fidelidade do cliente ao produto.

segundo ponto é ter um conhecimento profundo sobre o público a quem seu produto se destina. “Entender muito bem o que é a buyer persona e como é sua jornada de compra é fundamental para conseguir desenhar uma estratégia de marketing e vendas adequada”, explica Siqueira. Conforme o cofundador da RD Station, é através deste conhecimento que será possível determinar o conteúdo e o tom de sua estratégia, assim como os canais de aquisição e de relacionamento, o tipo de benefício do produto a ser destacado na comunicação, entre outros aspectos.

Siqueira explica que o quanto determinado tema faz parte da jornada do cliente é que definirá a forma como a empresa o abordará em seu conteúdo de marketing. Do mesmo modo, a decisão pela rede social a ser utilizada no processo de divulgação e aquisição deve partir do costume do cliente em utilizar determinada ferramenta em detrimento de outra.

terceiro elemento de uma estratégia de marketing digital eficiente é o posicionamento ideal da marca. O cofundador da RD Station afirma que a empresa precisa ter uma boa compreensão de seu diferencial, ou seja, das razões que levam a ser escolhida no lugar da concorrente. “Este entendimento ajuda a definir os argumentos-chaves do conteúdo de marketing e passar mais verdade no conteúdo”, diz.

Conforme Siqueira, um posicionamento adequado reflete aquilo que naturalmente os clientes sentem quando ouvem falar o nome da empresa. “Nesse sentido, o posicionamento não é uma simples definição, o que a empresa fala de si mesma, mas o que ela é na prática, resultado da experiência do cliente em todos os pontos de contato com a companhia”, destaca.

quarto elemento é o que o cofundador da RD Station chama de “domínio da matemática do produto”, ou seja, saber o quanto um cliente gasta com sua empresa, o quanto a empresa dispende financeiramente para produzir um produto ou entregar um serviço, qual a margem de lucro e, por fim, o quanto a empresa está disposta a investir em marketing e vendas a partir dessa margem.

De acordo com Siqueira, o processo de aquisição de clientes, através de estratégias de marketing e vendas, depende fundamentalmente dessa conta. “Não se trata apenas de obter o máximo de número de clientes, mas de consegui-los em um contexto financeiro adequado”, explica.

quinto ponto para estabelecer uma base forte de investimento em marketing digital abarca todos os outros até agora mencionados e acrescenta mais algumas condições. Trata-se de montar uma máquina de aquisição de clientes, com práticas e técnicas para consolidar um funil de vendas.

Desenvolvido por Siqueira, este método faz uma compilação dos melhores canais para relacionamento e aquisição de clientes, levando em conta as nuances de cada contexto de venda e consumo, destaca a importância de priorizar determinada estratégia ao invés de escolher várias a esmo e de fazer a análise dos resultados, além de recomendar que as empresas tenham um cuidado especial com três pilares essenciais para a obtenção de resultados, que são: pessoas, processos e ferramentas.

 

30

Out

Conheça as dez melhores dicas para vender mais durante a Black Friday 2021

Tradicionalmente, a Black Friday é realizada na última sexta-feira do mês de novembro; este ano, dia 26. Alguns comerciantes, no entanto, já anteciparam algumas promoções. “Por isso, quem é varejista ou faz algum tipo de venda pela internet, deve utilizar as melhores estratégias para atrair e fidelizar seu público-alvo”, explica a consultora e estrategista de negócios digitais Aline Bak.

Dados apontam que cerca de 95% do varejo aproveita a data para fazer promoções. “É preciso atenção, pois a concorrência é gigante”, diz a especialista.  Segundo Aline, para aumentar as chances de sucesso nas vendas, é essencial associar estratégias nas promoções do período.

A Black Friday surgiu pela primeira vez nos Estados Unidos e se consolidou no final do século 20. A ação tradicionalmente acontece no dia seguinte ao feriado norte-americano de Ação de Graças, o Thanksgiving Day. “No Brasil, assim como nos Estados Unidos, a ação inaugura a temporada de compras natalinas”, ressalta Aline Bak

“Em solo brasileiro, a Black Friday chegou em 2010 e, a partir daí, foi chamando a atenção do público até se popularizar de vez a partir de 2012”, conta.

Aline ressalta que os produtos mais procurados pelos consumidores da Black Friday no Brasil são roupas e acessórios de moda, eletrônicos, computadores e itens de informática, smartphones, eletrodomésticos, viagens e artigos para casa. “Com a retomada, após o período de isolamento da Covid-19, é possível que este ano haja quebra de recordes nas vendas”, diz ela.

Confira abaixo as dez melhores estratégias indicadas por Aline Bak para turbinar as vendas durante a Black Friday:

- Altere a comunicação de seus perfis nas mídias digitais. “Use a cor preta nas suas redes sociais; geralmente, ela é a mais utilizada na data”, explica. “E faça postagens com chamadas anunciando a Black Friday na capa de seu perfil no Facebook e, também, nos stories do Instagram; a cor chamará bastante a atenção do consumidor”, ressalta Aline.

- Em relação aos posts, use um texto bem focado, para uma comunicação clara e objetiva com o seu público-alvo.

- “E não se esqueça das hashtags para facilitar as buscas”, recomenda a especialista.

- “O comerciante que tiver uma loja física, poderá também decorar a vitrine com o tema da Black Friday, deixando o local bem atraente”, reforça Aline.

- E o mais importante, segundo a especialista: “Faça promoções reais, para não ficar taxado como ‘Black Fraude’ e propaganda enganosa’”, alerta. “Faça descontos mesmo”, reforça Aline. “Do mesmo jeito que sua marca pode se beneficiar com a data, também pode acontecer de sair bastante prejudicada, por ser pega em promoções falsas”, alerta a expert.                                

- Faça um estudo e veja qual é a mercadoria que mais costuma vender entre seus clientes. “Assim você consegue saber qual tipo de promoção vai agradar aos consumidores, diz ela.

- Priorize seus clientes antigos. “Monte uma estratégia diferenciada, tendo em vista fidelizar ainda mais o seu público”, diz. “Uma boa ideia é criar um cupom de desconto ou fazer uma ação antecipada no WhatsApp e e-mail, e enviar para seu mailing alguns dias antes da promoção abrir para o público geral”, indica Bak. “Vale muito a pena investir em estreitar o relacionamento com essa parcela já cativa, para aproximá-la ainda mais do seu negócio”, enfatiza Aline.

- Utilize o e-mail marketing. “É muito importante usar a ferramenta para avisar sempre a sua base de clientes sobre as promoções e descontos”, recomenda. “Muita gente compra novamente, a partir desse contato”, diz a especialista.

- Impulsione seus posts feitos para a Black Friday. “Aproveite as informações disponíveis no seu perfil das redes sociais, como as métricas do Facebook e do Instagram”, diz. “Assim, você conseguirá segmentar melhor e atingir mais pessoas e os seus potenciais clientes”, enfatiza ela.

- E meça, depois, os resultados das suas iniciativas. “Faça um balanço final de como foi a Black Friday para seu negócio, a fim de entender perfeitamente o que funcionou. Isso será muito importante para nortear, inclusive, futuras ações de marketing”, conclui Aline.

29

Out

SESI-RN executa projeto de restauração do Solar Bela Vista

Um dos marcos do patrimônio histórico e cultural de Natal, o Solar Bela Vista será plenamente reformado até janeiro do próximo ano. O projeto de restauração está fase de execução, pelo SESI-RN, que investe na reforma, concebida e autorizada pelo Iphan, uma vez que se trata de um imóvel oficialmente tombado pelo órgão responsável pelo patrimônio artístico nacional.

Diretor de operações do SESI, Gontran Azevedo afirma que a restauração garante a preservação de um patrimônio arquitetônico do Estado, reconhecido nacionalmente pelas instituições que avaliam os espaços que devem ser preservados por relevância para a memória do país. Além disso, a reforma devolverá um espaço, com instalações adequadas e seguras, para apresentações e mostras culturais.

A recuperação está sendo feita principalmente nas esquadrias, que tinham sofrido maior desgaste com o tempo, instalações elétricas e pintura. Além disso, está havendo uma adequação do espaço de acordo com as exigências legais de acessibilidade. O sistema de ar condicionado também vai passar por melhorias para garantir melhor conforto durante os eventos que serão promovidos pelo SESI a partir da reabertura. O projeto inclui ainda o nivelamento em um dos trechos do terreno, que tinha um declive acentuado, o que permitirá um aproveitamento melhor da área externa.

Gontran Azevedo enfatiza que toda o projeto foi autorizado e orientado pelo Iphan, e já está com todas as licenças públicas exigidas. As características originais do prédio serão totalmente preservadas.

O palacete denominado Solar Bela Vista, que tem sua fachada principal para a avenida Câmara Cascudo (Cidade Alta), foi construído na primeira década do século XX, pelo Coronel Aureliano Medeiros, que investiu em uma obra com beleza arquitetônica e inovações para a Natal da época, como uma construção recuada, o que permitiu a localização do casarão no centro do terreno, no qual foram instalados jardins e estátuas dos quatro primeiros presidentes. “Metais, vidros, cristais, acabamentos, tudo foi importado da Europa”, registrou o livro FIERN Ano 60.

O local, posteriormente, foi alugado ao Tribunal de Justiça, e depois nas instalações funcionou um hotel. Nos anos 80, o Sistema FIERN adquiriu o imóvel e fez a primeira grande restauração, com supervisão da Fundação José Augusto. “A cidade recuperou um de seus patrimônio históricos e a população ganhou um no espaço de cultura, sendo utilizado para fins educativos e artístico”.

A nova restauração, que está em andamento para ser concluída no início do próximo ano, garante a preservação das instalações do Solar e vai devolver o local para a arte e cultura potiguar.

29

Out

LinkedIn lança plataforma para trabalho de freelancers

O LinkedIn revelou o seu novo recurso "Service Marketplace" para facilitar o contato entre empresas e trabalhadores freelancers na rede social. A atualização permitirá a criação e busca de perfis de usuários que desejam se promover como disponíveis para trabalhos temporários e tornará a plataforma uma competidora direta do Upwork e do Fiverr.

Ainda existem limitações na iniciativa: não há uma opção dedicada para negociação de pagamentos, sendo que ela deve ser feita em uma conversa entre o prestador de serviço e a companhia. Além disso, um sistema de notas é oferecido, mas apenas o pagante poderá avaliar o profissional. Ademais, freelancers  não conseguem procurar os "bicos", então precisam ser descobertos para conseguir oportunidades.

Segundo o portal TechCrunch, a novidade foi identificada originalmente em fevereiro e passou por um período de testes nos Estados Unidos, alcançando cerca de 2 milhões de clientes. Após o período de avaliação, a iniciativa foi lançada globalmente nesta quarta-feira (27).

O "Service Marketplace" está disponível atualmente com 250 categorias de trabalho, que serão expandidas para 500 no futuro. "Estamos arranhando a superfície", afirmou Matt Faustman, gerente de produtos do LinkedIn.

Como aproveitar

Para criar uma página de "autônomo", vá ao perfil pessoal, encontre o botão "Prestar serviços" logo abaixo da biografia e configure o anúncio seguindo as instruções da rede social.

Já os interessados em buscar profissionais precisam apenas digitar a função necessária na barra de pesquisa, que fica no canto superior da interface, e filtrar a busca com a tag "Serviços".

Faustman explicou que o foco da atualização está nos contratantes e a ausência da busca de trabalhos aos freelancers é intencional. No entanto, um sistema para combinar pagamentos será avaliado pelos desenvolvedores no futuro.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/227761-linkedin-lanca-plataforma-trabalho-freelancers.htm

29

Out

Black Friday: 64% dos brasileiros têm intenção de compra

Durante seu primeiro evento sobre a Black Friday, o Black Friday Connections, que aconteceu nesta quinta-feira, 28, o Google divulgou dados de uma pesquisa encomendada à Ipsos com 500 entrevistados que revela que 64% dos brasileiros planejam comprar nesta data, que neste ano cairá no dia 26 de novembro, última sexta-feira do mês. O estudo também mostra que há dois perfis distintos de consumidor para a data: um mais cauteloso, que representa 44% dos respondentes e um mais aberto, com 56%.

O perfil mais cauteloso é identificado como um brasileiro mais desafiado economicamente, que na falta de um motivo para comprar, que vai além do seu próprio desejo ou na ausência de promoções que chamem a atenção, se desconecta da data. Entre esses 44%, 25% estão economizando para necessidades futuras e 19% só pretendem comprar se encontrarem um ótimo desconto.

Devido ao cenário econômico desafiador imposto, principalmente, pela pandemia, a Black Friday deste ano tem o papel de viabilizar compras para consumidores com o bolso mais apertado. Segundo uma pesquisa online do Google, com mil entrevistados, 31% deles afirmaram que os varejistas podem ajudar os compradores oferecendo grandes descontos e preços muito baixos; 20% valorizam as possibilidades de parcelamento; e 16% preferem descontos progressivos que permitem comprar mais itens.

O perfil mais aberto está mais conectado com seus desejos e com a Black Friday. Dos 56% que declararam estar mais abertos para a data, 37% estão economizando para comprar com desconto na data, 13% querem comprar muitas coisas, justamente por não terem comprado no ano passado, e 6% deles vão aproveitar para comprar mais presentes. Neste caso, para o varejista, o desafio não é convencer o consumidor mais aberto a comprar na Black Friday, mas, sim, comprar em determinada loja.

A pesquisa ainda revela que 71% dos mais abertos acreditam que sua situação financeira vai melhorar até o final do ano versus 56% dos cautelosos. Já 84% planejam comprar na Black Friday contra 49% do perfil cauteloso. Para os mais abertos ao consumo, a Black Friday já começou e 42% deles já estão pesquisando e esperando por ótimas promoções.

Por fim, o estudo da Ipsos, encomendado pelo Google, indica quais são as categorias que os brasileiros pretendem comprar durante a Black Friday deste ano. Vestuário (62%) e celulares (40%) aparecem no topo da lista, seguidos por livros e papelaria (38%); calçados (33%); itens de cuidado pessoal (27%); computadores (26%); comidas (23%); móveis (19%); eletroportáteis (17%); e TVs (16%).  Na parte de serviços, há destaque para passagens aéreas e hotéis, com 12% de intenção durante a Black Friday 2021, percentual este próximo a diversas categorias de produtos.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/marketing/2021/10/28/black-friday-64-dos-brasileiros-tem-intencao-de-compra.html

28

Out

Natal terá tratamento inovador para hérnia de disco

Dor nas costas, fisgadas, sensação de dormência, dificuldade para pegar objetos mais pesados, para locomover-se e até mesmo para trabalhar, tanto para quem passa horas sentado em frente ao computador quanto para quem precisa realizar atividades repetitivas. Esses são alguns dos sintomas causados pela hérnia de disco, doença que está presente em 80% da população mundial adulta. 
 
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 5,4 milhões de brasileiros sofrem com o problema, que é causado pelo desgaste dos discos intravertebrais. Eles funcionam como amortecedores naturais do impacto entre as vértebras e são importantes para o bom funcionamento da movimentação da coluna.
 
A origem do problema está relacionada ao processo natural do envelhecimento e, na maioria dos casos, o incômodo se manifesta na região lombar ou cervical. Também estão entre as causas da hérnia os hábitos de vida não saudáveis, como obesidade, tabagismo, má postura e a prática de atividades físicas sem repouso. Além disso, fatores genéticos podem favorecer o aparecimento do problema.
 
Muitas vezes, a dor causada pela hérnia de disco é tão intensa que as pessoas procuram ajuda imediata. No entanto, a indicação dos especialistas é que o paciente busque por atendimento especializado toda vez que observar algum sintoma que persiste, mesmo após períodos de melhora.
 
A partir do dia 22 de novembro, Natal terá uma alternativa inovadora para o tratamento da hérnia de disco e de patologias no nervo ciático. Com 15 anos de experiência, a franquia Doutor Hérnia é especializada no assunto e chega à capital potiguar trazendo métodos eficientes e inovadores para evitar a cirurgia, através de um protocolo que possui 90% de resultados positivos. 
 
“Nosso tratamento utiliza técnicas exclusivas oriundas das mais renomadas instituições do mundo como: Harvard Medical School, Hospital Beth Israel, dentre outras. Somos referência no Brasil e América Latina no tratamento de coluna, sem cirurgia”, ressalta Cleber Mahlmann, gerente da Doutor Hérnia.

O diferencial da clínica começa pelo diagnóstico, que detecta o local exato da disfunção e garante intervenção precisa, apontando qual dos tratamentos elaborados pelos profissionais deve ser aplicado. O tratamento é realizado por um fisioterapeuta especializado com manobras manuais, com o auxílio de aparelhos modernos e exercícios dirigidos. A última fase é o fortalecimento da musculatura que protege a coluna, com sessões de pilates, para garantir que o problema não retorne. 

O tempo para cada paciente vai depender da situação clínica, por isso é necessária uma consulta detalhada com nossos profissionais.  Sendo possível evitar as cirurgias da coluna em mais de 95% dos casos.

28

Out

Pix: apenas 3,5% da população prefere este meio de pagamento, aponta pesquisa

Apenas 3,5% dos brasileiros preferem usar o Pix para pagar contas ou fazer compras. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral em parceria com a empresa de transportes de valores Brink’s. O dinheiro físico aparece em 1º lugar, com 53,4%, seguido pelo o cartão de crédito (20%), cartão de débito (16,5%) e boleto bancário (4,6%). Para José Luiz Rodrigues, especialista em regulação da JL Rodrigues & Consultores Associados, a maior adesão do Pix só será possível com melhorias sociais.

"Junto com o Pix, é necessário proporcionar condições para que a população faça uso da ferramenta, como, por exemplo, acesso à internet e pacotes de telefonia mais baratos. Falamos em substituição do uso do dinheiro físico, mas o Brasil tem grande dimensão e diferenças sociais e culturais muito marcadas. O uso do dinheiro físico permanecerá por um longo tempo, só tende a diminuir à medida que a população tenha mais acesso a dispositivos e internet, e assim começar a mudar hábitos culturalmente estabelecidos”, pondera.

Somente em seu primeiro mês de funcionamento, o Pix movimentou R$ 83,4 bilhões em mais de 90 milhões de transações, segundo dados do Banco Central, o que mostra seu potencial. “A sociedade brasileira hoje, predominantemente, trabalha com o dinheiro físico. O Pix vem para tentar difundir ainda mais as transações virtuais, e isso tem um impacto em cadeia”, explica José Luiz Rodrigues. “Isso afeta a gestão dos negócios, com a necessidade de modificar a dinâmica de dinheiro em caixa; as instituições financeiras, que com o Pix têm uma mudança de receita, ganhando por quantidade de transações e não por valores transacionados; e o comportamento do próprio consumidor, que necessita entender, na prática, que as transações digitais vão além do consumo em lojas virtuais”.

28

Out

Fintech de soluções financeiras abre vagas de emprego em Natal

A Stone, empresa de tecnologia em serviços financeiros, tem novas oportunidades de emprego abertas em Natal para pessoas que queiram transformar o setor de meios de pagamentos no Brasil. As vagas são para o time comercial externo da fintech e, para se candidatar, basta acessar o link https://grnh.se/44678ad73us e se inscrever.

Não há data limite para realizar a inscrição no portal. As vagas contam com salário fixo + variável relacionada ao cumprimento de metas. Além disso, a empresa oferece vale alimentação e refeição, vale transporte, seguro saúde e odontológico, seguro de vida, auxílio creche e auxílio academia.

"Natal é um polo estratégico para a companhia. Por isso, estamos investindo em oportunidades de emprego na região que nos permita continuar crescendo e atendendo bem aos nossos clientes", explica Augusto Lins, presidente da Stone.

"Nosso modelo de atuação é diferenciado, pois sabemos que o Brasil vai muito além dos grandes centros. Apoiamos empreendedores espalhados por todo o país e, por isso, precisamos reforçar ainda mais nossos times locais para atender com excelência todos os nossos clientes", completa.

Diante do cenário de pandemia no país e seguindo as normas de segurança ditadas pela Vigilância Sanitária, a Stone está conduzindo os processos seletivos com todas as etapas de forma remota, garantindo a saúde dos candidatos e dos recrutadores. O processo de contratação inclui testes on-line e entrevistas por videoconferência. Neste primeiro momento, não haverá a etapa presencial para conhecer as instalações da empresa.

Além dessas oportunidades, a empresa tem vagas abertas em outras cidades e áreas, todas listadas no portal Jornada Stone http://jornada.stone.com.br/ .

Sobre a Stone

Empresa de tecnologia financeira que possui uma plataforma de soluções completas cujo propósito é melhorar a vida do empreendedor brasileiro, ajudando-o a vender mais, gerir melhor o seu negócio e crescer sempre. Por meio de tecnologia e inovação, contribui para o fortalecimento e a evolução do mercado. Com clientes espalhados por todo o Brasil, desenvolve um relacionamento próximo e personalizado com cada um dos lojistas que atende.

27

Out

Em parceria com o SENAI-RN, Maersk Training, gigante no setor eólico, terá em Natal primeiro escritório de inovação no Brasil

A Maersk Training Brasil, parte da gigante dinamarquesa do setor de logística A.P. Miller – Maersk e maior empresa de treinamentos profissionais para a indústria de energia eólica do mundo, assinou nesta terça-feira (26) em Natal protocolo de intenções para instalar ainda este ano a primeira base de operações da companhia na região Nordeste – o primeiro escritório de inovação que abre no país.

A estrutura vai funcionar no Habitat de Inovação do Hub de Inovação e Tecnologia (HIT) do SENAI-RN, um complexo que também sedia o Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER) e o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), referências do SENAI no Brasil para pesquisa, desenvolvimento, inovação e soluções de educação para o setor de energia.

A aliança entre as instituições terá como foco projetos e ações de educação profissional e pesquisa, desenvolvimento e inovação, de mútuo interesse, de olho especialmente nessa indústria. A parceria abre novas perspectivas para formação e desenvolvimento de profissionais que já atuam no mercado ou buscam vagas de emprego em uma frente em ebulição na área: a implantação, operação e manutenção das torres dos parques eólicos.

“Estamos formalizando a associação de dois gigantes, o SENAI, na América Latina, e a Maersk Training com sua experiência mundial em formação de profissionais para energia eólica”, destacou o francês Patrick Modolo, diretor da Maersk Training Brasil, acrescentando que “para pessoas com formação técnica que procuram inserção nesse setor, isso vai permitir que possam, de maneira rápida, estar no nível que o mercado busca”.

A Maersk está no Brasil desde 2012. Oferece treinamentos nos segmentos marítimo, de óleo&gás, segurança, guindastes offshore e guindastes portuários, no Rio de Janeiro. Para a indústria eólica, atua por meio de parceria com o SENAI-RN há cerca de um ano e meio.

Rodrigo Mello, diretor do CTGAS-ER e do ISI-ER, afirma que “a junção das instituições na área traz a expectativa de melhoria gigante para a oferta de treinamentos voltados a essa indústria”. “O setor eólico exige muito da preparação das pessoas que vão trabalhar nos parques. Então a gente entende que essa parceria traz um crescimento importante para a qualidade das pessoas formadas e para o desenvolvimento da indústria”, diz.

O setor, segundo ele, tem demandado muita gente para trabalhar nos últimos anos e está em expansão não só no RN, mas no Brasil, com um pré-requisito básico para os profissionais: a qualificação. “Nós temos uma capacidade instalada grande e ela vai dobrar nos próximos quatro anos, então buscar qualificação é uma questão de oportunidade, de estar preparado”, observa.

Acordo

A Maersk será a segunda empresa a se instalar no Habitat de Inovação do SENAI-RN. A primeira foi a CTG Brasil, uma das líderes no país em geração de energia limpa.

O protocolo de intenções assinado nesta terça-feira terá como desdobramento a formalização de um acordo de cooperação científica e tecnológica ainda em 2021 com o SENAI-RN, por meio do ISI-ER e do CTGAS-ER. Uma vez assinado, possibilitará a estruturação do escritório da Maersk e início da operação dessa estrutura.

A empresa terá, com o acordo, espaço físico com instalações para desenvolvimento de atividades de educação, tecnologia e inovação, além de salas de aula disponíveis e possibilidade de utilização do laboratório de GWO/BST do CTGAS-ER.

O Centro é a única unidade do SENAI no Brasil com certificação GWO/BST, ou seja, habilitada para oferecer treinamentos básicos de segurança reconhecidos pela Global Wind Organisation, organização global que desenvolve padrões de segurança e treinamento para o trabalho em turbinas eólicas em terra e no mar. A Maersk também oferece esse treinamento. “Mas para a indústria de energia eólica brasileira, é fundamental que os dois gigantes trabalhem juntos, de forma convergente, e não de forma competitiva, brigando por espaço”, diz Rodrigo Mello, do SENAI.

Keila Torres, gerente de desenvolvimento de negócios da Maersk no Brasil observa que o Rio Grande do Norte – maior produtor nacional de energia eólica, com capacidade instalada de 5.574,8 Megawatts (MW), segundo a ABEEólica – tem localização estratégica no que se refere aos treinamentos voltados à indústria eólica e o acordo com o Senai também é estratégico na área.

“O Habitat de Inovação do SENAI tem sinergia com os nossos valores. Temos um grande foco em qualidade e somos reconhecidos globalmente pela nossa filosofia de treinamento. O SENAI tem grande valor na indústria e a junção da Maersk agrega bastante valor”, frisa.

A empresa, acrescenta a executiva, terá como foco principal no HIT o setor eólico, mas também enxerga possibilidade de expansão. “O foco a princípio seria voltado para os treinamentos eólicos, tanto técnicos como de segurança, porém a Maersk Training atua em diversos segmentos da indústria de óleo e gás que podem ser desenvolvidos em Natal”, diz.

27

Out

Startups e Empresas investidoras terão encontro para conexões nesta quarta (27)

O Programa Soluções 4.0 – Negócios Inovadores, promovido pelo IEL-RN, realiza nesta quarta (27) o primeiro encontro presencial entre Startups provedoras de soluções e Empresas Investidoras, entre as 17h e 20h, no espaço Candinha Bezerra, na Casa da Indústria. O encontro segue a sequência prevista no Edital 001/2021, cujo objetivo é unir ideias apresentadas pelas startups com as necessidades e estratégias da indústria, gerando projetos que viabilizem soluções rentáveis para ambas as partes, com aplicação no mercado.

O edital de Inovação do IEL-RN foi aberto em julho e envolveu, basicamente, três fases: na primeira, se inscreveram startups interessadas em apresentar ideias inovadoras para empresas investidoras; na segunda, ingressaram as empresas que desejavam conhecer novos projetos, investir em inovação com foco em negócios sustentáveis, escaláveis e de base tecnológica. Depois, as empresas receberam do IEL as análises das inscrições das startups, apresentando seu portfólio de soluções, e indicaram seu interesse em aportar investimentos financeiros. Nesta quarta, será a hora de efetivamente consolidar as parcerias.

Para o diretor de Inovação da FIERN, Djalma Barbosa Cunha Jr., o momento é propício para a realização de negócios com as melhores perspectivas para as startups e também para a indústria. “Este é o momento em que as startups podem ser alavancadas e a solução apresentada ser a definitiva. Precisamos escalar estes projetos, motivar investidores e startups para o exercício de boas práticas, de colaboração e realização de novos negócios que sejam de interesse comum”, enfatizou.

Entre os resultados previstos para o primeiro edital de Inovação do Sistema FIERN estão contribuir para o fortalecimento de um ecossistema de inovação competitivo e rentável; criar um fundo de investimentos com estratégia e foco para o negócio; estimular e dar oportunidade às startups que construam soluções inovadoras e com diferenciais para incrementar e ou ampliar mercados.

27

Out

Pequenos negócios do RN respondem por 85,3% das vagas geradas no ano

O Rio Grande do Norte registrou um saldo de 6.302 postos de trabalho com carteira assinada em setembro e 68,7% dessas novas vagas foram geradas pelas empresas de micro e pequeno portes. Os pequenos negócios têm conseguido ultrapassar significativamente as médias e grandes empresas em termos de novas contratações frente ao número de desligamentos. No nono mês do ano, essas organizações abriram 4.332 novas frentes de trabalho, elevando o sado de emprego formal. Esse número é 51% maior que o verificado em setembro do ano passado, quando o RN somou 2.865 vagas abertas pelos pequenos negócios.

O segmento demonstra a importância para a economia potiguar ao se avaliar o saldo acumulado que esse tipo de negócio acumulou ao longo do ano em termos de geração de empregos. Juntas, as micro e pequenas empresas de vários segmentos somam ,até setembro, um volume de 25.645 novos postos de trabalho. Isso equivale a 85,3% das mais de 30 mil novas vagas geradas no estado em 2021.

Os dados constam no Mapa do Emprego no RN de setembro, uma publicação elaborada mensalmente pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, que analisa a evolução das contratações e demissões formais. O informativo foi divulgado nesta quarta-feira (27), tendo como base os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes aos nove primeiros meses do ano, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores a 2019. O Mapa do Emprego no RN está disponível para visualização e download no portal do Sebrae www.rn.sebrae.com.br/.

De acordo com o boletim, há 462.287 trabalhadores no Rio Grande do Norte registrados em empregos formais. Em setembro, foram registradas 17.487 admissões contra 11.185 desligamentos, o que gerou um saldo de 6.302 empregos. Com isso, o RN foi o quinto estado com maior número de novos empregos gerados, ficando atrás de Pernambuco, Alagoas, Ceará e Bahia.

Ainda segundo o informativo do Sebrae-RN, no nono mês do ano, a atividade que mais absorveu mão de obra formal foi o setor de serviços com a criação de 1.896 novas vagas, seguido do setor agropecuário, responsável pela geração de 1.634 novas frentes de trabalho. A construção civil criou 1.028 vagas, enquanto a indústria e o comércio abriram, respectivamente, 966 vagas e 778 empregos.

O Mapa do Emprego aponta ainda as regiões onde as contratações estiveram em alta ou em baixa no período. Em setembro, as oportunidades de novos empregos formais surgiram principalmente nos municípios de Natal, que gerou 1.921 vagas, e de Mossoró, com a criação de outras 1.205 vagas. Já Parnamirim abriu no mês passado 323 novas vagas. As cidades onde foram registrados os maiores números de redução de postos de trabalho, foram Pedra Grande (-77), Coronel João Pessoa (-38), Caiçara do Rio do Vento (-33), Jucurutu (-28) e Pau dos Ferros (-19).

26

Out

Vila marca presença em grande evento do segmento em São Paulo

O casal empresário Nilo Vila e Alessandra Vila, da empresa Vila, participaram na última sexta-feira (22) do Encontro Nacional das Empresas Funerárias Soberanas do Brasil, em São Paulo. O evento organizado pela Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário -ABREDIF reuniu mais de 300 empresas e ocorreu no Centro de Convenções Rebouças.

O evento contou com palestrantes renomados, que abordaram temas como o valor das empresas, os rumos dos negócios, as principais técnicas de administração adotadas pelas grandes corporações e o panorama político e econômico. Na ocasião, o jornalista âncora da CBN Brasil e comentarista econômico da Globo News, Carlos Sardenberg, foi um dos palestrantes. Esse foi o primeiro encontro presencial da categoria após mais de 18 meses de pandemia.

26

Out

Cai tempo médio para abertura de empresas no país

O tempo médio para a abertura de uma empresa no país é três vezes menor do que no início de 2019, ficando em menos de dois dias. Em 2019, o prazo médio era de cinco dias e nove horas e, atualmente, está em 47 horas. Os dados constam da plataforma Governo Digital, ligada ao Ministério da Economia.

Segundo a plataforma, a redução deve-se a medidas de simplificação, à integração digital entre as 27 juntas comerciais e adesão à plataforma Gov.BR.

Os dados mostram que, atualmente, 23 das 27 juntas comerciais já usam a assinatura do Gov.BR para a formalização dos novos negócios. A medida, entre outros pontos, ajuda a reduzir tempo e custos, uma vez que não é mais necessário despender recursos com reconhecimento de firma ou com certificado digital para abrir ou alterar os registros de uma empresa.

Dados do boletim Mapa de Empresas, do Ministério da Economia, revelam que, no segundo quadrimestre deste ano, foram abertas no país 1.420.782 empresas, o que representa aumento de 1,9% em relação ao primeiro quadrimestre de 2021 e de 26,5% na comparação com o segundo quadrimestre de 2020. O boletim mostra ainda que 328 mil empresas foram abertas em setembro deste ano, já com a redução do tempo.

“O tempo médio de abertura de empresas no país apresentou gradativa redução nos últimos meses, reflexo dos avanços obtidos pelos órgãos federais, estaduais e municipais, objetivando um processo de abertura de empresas mais simples e ágil. Os recordes em registro de novas empresas reforçam, cada vez mais, a opção do brasileiro pelo empreendedorismo e criação de novos negócios”, diz o boletim.

Segundo o ministério, em três das 27 unidades federativas brasileiras, já se abre uma empresa em menos de 24 horas, em média: Goiás, Espírito Santo e Distrito Federal. Das três, Goiás apresentou o menor tempo de abertura de empresas no segundo quadrimestre deste ano: 1 dia e 2 horas, uma queda de 16 horas (38,1%) em relação ao primeiro quadrimestre de 2021.

No estado da Bahia, leva-se mais tempo para abrir uma empresa: 6 dias e 1 hora. Apesar de estar no fim da fila, a Bahia apresentou considerável redução de prazo e está com  2 dias e 17 horas, 31,0% a menos que no primeiro quadrimestre do ano.

Fonte: Agência Brasil