Mídias Sociais

21

Out

WhatsApp ganha segurança extra no backup das mensagens

Desde quinta-feira (14), estão disponíveis os backups de bate-papo criptografados ponta a ponta do WhatsApp para iOS e Android. Ainda que a empresa ofereça a funcionalidade para as conversas há anos, com essa nova mudança, o mesmo passa a valer para os backups.

Eles são armazenados no iCloud ou Google Drive, no entanto, a Apple ou o Google podem entregar os backups aos governos ou outras autoridades, se for necessário. Agora, é possível proteger esse conteúdo na nuvem do WhatsApp, com uma senha ou uma chave de criptografia de 64 dígitos.

Então, teoricamente, a partir dessa mudança, a única pessoa a ter acesso aos seus backups de bate-papo do WhatsApp vai ser você. O que achou da novidade?

Pra quem estiver interessado em habilitar manualmente a criptografia, vale ler esse passo a passo na página oficial da empresa.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/152056/whatsapp-ganha-seguranca-extra-no-backup-das-mensagens/

21

Out

TikTok lança plataforma para pequenas e médias empresas

O TikTok já se tornou uma plataforma incluída nas estratégias de marketing das empresas, e desde o lançamento do TikTok For Business no Brasil, as grandes marcas conseguiram aumentar seu engajamento na comunidade da rede social. Então, a plataforma está lançando o TikTok Ads Manager, visando ajudar as pequenas e médias empresas, que poderão utilizar ferramentas e recursos de desempenho para criar e publicar anúncios e campanhas.

A nova plataforma oferece orçamentos mais flexíveis, com segmentação inteligente de público, para que as marcas sejam descobertas por novas pessoas, introduzindo as contas comerciais, que irão fornecer ferramentas adicionais personalizadas para as necessidades da empresa, podendo analisar o desempenho e o envolvimento no público.

O intuito da rede social é tornar a execução de anúncios mais simples e eficientes para as empresas, ajudando-as a conhecer novas ideias, tendências e percepções da comunidade do TikTok.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/10/20/tiktok-lanca-plataforma-para-pmes.html

20

Out

Facebook pode anunciar mudança de nome nos próximos dias

O título não está errado: aparentemente, o Facebook pretende mudar o seu nome para refletir melhor o objetivo de ser uma empresa com múltiplas soluções tecnológicas. Segundo o site The Verge, a gigante das redes sociais deve manter a nomenclatura dos seus produtos intactos, inclusive a rede social responsável pelo sucesso da companhia, e trocar apenas a terminologia referente à empresa-mãe.

O suposto novo nome do conglomerado deve ser Horizon Worlds ou algo similar, que inclusive é o nome da plataforma de realidade virtual (RV) da empresa, cuja nomenclatura foi definida no início deste mês. Esse rebranding teria o objetivo de sinalizar a ambição da companhia em ser reconhecida além das mídias sociais, afinal há uma forte setor de desenvolvimento de inteligência artificial, robótica e realidade aumentada.

white ipad on red textile

A expectativa é que o assunto seja detalhado durante a conferência anual da empresa, prevista para o dia 28 de outubro. Em julho, Mark Zuckerberg teria dito ao The Verge que planejava transformar o Facebook em uma "empresa metaverso" — algo como um conjunto de espaços virtuais voltados para as pessoas explorarem, um imenso mundo virtual — nos próximos cinco anos.

Se isso se concretizar, deve ser a segunda movimentação similar ocorrida por uma gigante do mercado da web: em 2015, o Google criou uma companhia de capital aberto chamada Alphabet para administrar o conglomerado de subsidiárias. A gigante das buscas tem uma atuação ainda mais ampla que a do Facebook, porque também desenvolve sistemas operacionais, softwares e dispositivos/gadgets.

Recentemente, o Facebook anunciou a intenção de contratar cerca de 10 mil novos funcionários na Europa para ajudar na construção do metaverso. No meio do ano, uma equipe de criação de produtos foi destacada em julho justamente para começar os trabalhos dedicados à construção deste sonho de Zuckerberg, com a participação do Reality Labs, a subsidiária responsável pelos produtos de RV.

Até o momento, o Facebook não comentou nada sobre o assunto nem trouxe detalhes oficiais, portanto tudo não passa de especulação, o que eleva ainda mais a expectativa pelo anúncio.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/facebook-pode-anunciar-mudanca-de-nome-nos-proximos-dias-199323/

20

Out

Instagram lança primeira campanha de grande escala no Brasil

“Você que faz” é o mote da primeira campanha maciça do Instagram no Brasil. Feita com a Africa e a produtora MyMamma Entertainment, a comunicação retrata o Instagram como parceiro do usuário na sua jornada de inspiração até a realização de uma ideia, ressaltando a criatividade brasileira. A campanha conta com três fases e irá envolver usuários na criação de conteúdo.

A comunicação é, por sua vez, inspirada no alinhamento estratégico de consistência global da plataforma. A intenção é comunicar como o Instagram ajuda na expansão de horizontes, como fonte de inspiração e, de certa forma, é uma plataforma por onde os usuários ditam a cultura emergente, seja em termos da moda, cultura social ou empreendedorismo.

À ela foi adicionada um “tempero local”, define Bernnardo Bonnard, gerente de consumer marketing do Instagram. “Diferente dos outros países, vemos no Brasil uma cultura empreendedora e de reciclagem, que é juntar duas coisas diferentes e construir uma nova. Entendemos esse insights e vemos o usuário como uma pessoa que quer ter o controle da sua vida, informação e identidade, e descobre que o Instagram é um parceiro. Ele ajuda a construir comunidades”, explica.

As peças trabalham com o que o executivo chama de “Ciclo de Identidade”, que seria a jornada desde que o usuário é exposto a um estímulo até a realização de algo com ele, o que pode tornar uma inspiração para outra pessoa, adicionado a infinita exposição a novos estímulos.

O filme principal da campanha, que vai ao ar na quarta-feira, 21, acompanha um jovem na trajetória de fazer um novo corte de cabelo. Ele se inspira por usuários na rede, busca #CorteNaRégua para ver referências, compartilha fotos dos amigos que se encontraram com a mesma estampa de roupa animal print nos Stories e o resultado dessa busca toda é um corte inspirado em todos os pontos de contato dele: um corte na régua, com a parte raspada colorida com o gradiente de cores do Instagram e com estampa de animal print. A trilha musical do vídeo também tem inspiração brasileira, com Tom Zé e notas de funk e trap.

Além desse filme, de título “Cabelo”, há mais cinco narrativas no formato vídeo com temas que são importantes para o brasileiros. Esses temas foram selecionados por pesquisa de data science. Os filmes serão exibidos no Instagram, em TV aberta e por assinatura. No Instagram, o ele ganha diferentes versões conforme os formatos da plataforma, apostando na interatividade. “Em casa de ferreiro, o espeto tem que ser de ferro”, brinca Bonnard.

Também na quinta-feira, 21, criadores de conteúdo da plataforma começam a repercutir a campanha em suas páginas pessoais no Instagram e peças de mídia out-of-home começam a tomar cidades de todo o País com peças estáticas e dinâmicas com imagens dos mesmos influenciadores da plataforma, que também participaram da criação da campanha para que ela tivesse a cara do Instagram.

Mas, antes disso, a campanha tem um warm up a partir do que os usuários chamam de challenge. O DJ Papatinho criou um beat para a campanha com os sons que mais o inspirou durante sua carreira e publicou nesta terça-feira, 19, no seu Instagram, convidando os usuários para o #VocêQueFazChallenge, em que eles podem criar coreografias ou novas músicas a partir do beat. Demais criadores foram convidados a engajar na trend, que acontece no Reels. A ginasta Rebeca Andrade criou uma coreografia e o cantor de rap L7nnon postou uma rima sobre o desafio. O Instagram ainda criou um filtro inspirado na lâmpada Sunset, que tem as mesmas cores da plataforma, para usuários e criadores usarem nos Stories.

A comunicação acontece até 19 de dezembro. Neste primeiro momento, a plataforma quer fazer barulho e depois irá iniciar uma fase de sustentação com maior participação dos criadores. Em uma etapa mais adiante, as peças de mídia OOH irão exibir o conteúdo que usuários criaram quando engajaram com a campanha. Um bot criado pelo Instagram irá identificar os conteúdos, entrar em contato com o usuário e ver se ele concorda em ter sua produção exibida nas peças pelo País. Essa parceria com os criadores e usuários visam acolher todos os participantes da plataforma. “É uma campanha construída há 12 mãos”, diz o executivo.

Essa não é a primeira campanha do Instagram no Brasil, pois a plataforma já realizou comunicações sobre as ferramentas da rede social, também criada com a Africa. Mas essa é a primeira campanha que abraça diferentes mídias e por todo o Brasil, além de trabalhar com o contexto local.

“É o primeiro posicionamento que estamos fazendo, mas há uma evolução para se manter relevante. Desde que entrei na empresa, em 2019, o Instagram segue inovando, trazendo emoção para o consumidor e um link com a cultura”, aponta. “Como o principal desafio é fazer as pessoas entenderem o Instagram como espaço para inspirar e reagir, a partir dessa captação vamos entender o que eles esperam de mais”, adianta.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2021/10/19/instagram-lanca-primeira-campanha-de-grande-escala-no-brasil.html

20

Out

Pinterest evolui ferramentas para creators

O Pinterest apresenta nesta quarta-feira, 20, seu novo pacote de funcionalidades para a produção de conteúdo dentro da plataforma. Com um horizonte de se tornar o lar para a próxima geração de creators, a plataforma evoluiu suas ferramentas com base na percepção e entendimento das necessidades dos usuários, que cada vez mais buscam por conteúdo inspirador diversificado em diversos formatos. Além da produção de mais qualidade, os criadores poderão ser remunerados, enquanto participam da busca ativa por parceria com marcas.

“Existe a necessidade de fazer uma evolução nessa plataforma. Nós já trabalhamos com criadores — não necessariamente de vídeo — mas escritores, produtores e pessoas que trabalham com imagens e que tinham uma grande expressividade no Pinterest”, afirma Fernanda Cerávolo, diretora de conteúdo e criadores do Pinterest para a América Latina. Segundo ela, a ideia é dar mais ferramentas para que creators sejam capazes de fortalecer categorias já muito populares na plataforma, como food, home, decor e beleza. “Por muitos anos, os usuários utilizam a plataforma como uma grande ferramenta de busca de inspiração, uploads de imagens e ideias para construir a vida que amam”, completa a diretora.

Como ferramenta para vídeos, a Idea Pin — em testes no Brasil desde abril — inaugurou no feed a aba “Assistir”, antes restrita apenas à opção de busca. Com exibição em tela cheia, os usuários poderão interagir com as publicações em um formato inédito para a plataforma, com a geração de um código de comentários. Presente em mais de 12 países, a funcionalidade permite a gravação e edição de vídeos para até 20 páginas de conteúdo com transição em modo fantasma, seleção de músicas e elementos como marcação de usuários e stickers. Além disso, a evolução, segundo Fernanda, torna a solução mais fácil de indexar conteúdo para ser achado na busca. Ainda, indo contra o conceito de rolagem passiva do feed, a extensão “takes” permite que os usuários reproduzam postagens dos creators, reforçando o conceito de inspiração. 

“O Brasil é um dos países com a maior produção de Idea Pin no mundo. Os países hispânicos nos quais a gente tem uma presença cada vez mais forte já tem muito como usuários, e estão aumentando em produtores de conteúdo”, explica a executiva. “A rapidez com a qual as pessoas se adequam ao produto aqui, em um país como o Brasil, é muito maior do que em um país como a Alemanha, por exemplo”, acrescenta. Como mercado potencial, ela cita ainda o México, que está na mira de crescimento, com expansão de escritórios e demais ações. Com grande sucesso, a ferramenta está mostrando boa aceitação, tanto da parte dos criadores de conteúdo, quanto dos consumidores. 

Visibilidade com vantagens

Classificando a plataforma como um “motor de busca de imagens”, Fernanda chama a atenção para a atração de marcas nesta nova fase do Pinterest. Por meio da produção de conteúdo, os creators têm a possibilidade de taguear as marcas em suas publicações, em busca de parcerias pagas. “Temos um encontro muito orgânico entre a marca e o criador. E o usuário se beneficia também, porque ele vê aquele conteúdo e pode evoluir para uma compra ou para um pensamento mais organizado de planejamento dessa compra”, detalha Fernanda. De acordo com ela, essa opção endossa uma característica original da plataforma: a autonomia dos criadores e mostra a capacidade de adaptação da empresa para a transformação digital crescente. 

Apostando na remuneração, a companhia direcionou parte de investimento de US$ 20 milhões na iniciativa “Creators Rewards”, que se consolida como o primeiro programa do tipo criado pela plataforma. Disponível apenas no mercado dos Estados Unidos, o projeto deverá aterrissar no Brasil e em demais países no ano que vem, na Central de Criadores de Conteúdo global. Nela, os criadores poderão gerenciar postagens por meio de ferramentas, dicas e insights. Além da questão monetária, a empresa passa a oferecer micro concessões de projetos idealizados na plataforma para que se tornem realidade. 

Como forma de dar mais visibilidade a esses produtores por meio de um formato inédito e conectando-os com os usuários, o Creators Originals terá duração até janeiro de 2002 e será um programa em forma de série que dá destaque a mais de 100 criadores em 10 países. O Pinterest ainda não divulgou quem serão os participantes do Brasil. Entre os nomes já confirmados, estão de Priscilla Ono, maquiadora global da Fenty Beauty; Zerina Akers, vencedora do  do Emmy de figurino e estilista de Beyoncé; e o chef de cozinha Joshua Weissman. Tal produção reforça a mudança, que busca evoluir da inspiração para a ação, em que os consumidores reproduzem os achados dentro da plataforma.

Sustentando-se sobre os conceitos de inclusão e positividade, a marca nada contra a maré atual de conteúdo considerado tóxico nas redes sociais. “Todas essas questões de diversidade e inclusão são muito transversais, não deixamos elas isoladas em um pilar”, declara Fernanda. A plataforma já conta com filtros de busca para que o conteúdo seja o mais personalizado e diverso possível e se utiliza da inteligência humana e artificial para derrubar posts que não sejam adequados, como os que pregam padrões de corpo ideal e técnicas de emagrecimento não validadas, por exemplo. A inclusão mostra uma preocupação até em relação aos dispositivos dos usuários, o que faz com que as funcionalidades estejam cada vez mais disponíveis para ambos.

Fonte: Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/10/20/pinterest-evolui-ferramentas-para-creators.html

20

Out

Facebook é multado em R$ 79 milhões por contratações irregulares

O Facebook fechou dois acordos, nesta terça-feira (19), para pagar até US$ 14,25 milhões (cerca de R$ 79,5 milhões) e suspender ações judiciais movidas pelo governo dos Estados Unidos. As alegações são de discriminação de trabalhadores norte-americanos e violação de regras federais em suas contratações.

Em dezembro de 2020, o Departamento de Justiça processou a companhia sob acusação de contratar internacionalmente trabalhadores temporários em vez de profissionais norte-americanos. O Facebook, que é dono do WhatsApp e Instagram, teria usado prática de recrutamento para dificultar o acesso dos cidadãos dos EUA às vagas, como exigir o envio de pedidos apenas por correios.

A acusação afirma que cerca de 2,6 mil vagas foram recusadas a profissionais norte-americanos entre 2018 e 2019. No lugar deles, a Big Tech teria contratado detentores de vistos H-1B, que permitem que a contração ocasional de estrangeiros para ocupações especializadas.

Prática proibida

A prática é amplamente realizada por empresas de tecnologia e auxilia estrangeiros a conseguirem o green card, que dá direito à cidadania americana. No entanto, o Ato de Imigração e Nacionalidade (INA), criado em 1952, impede que empresas norte-americanas discriminem cidadãos dos EUA e pessoas com autorização para trabalhar no país.

O Facebook vai pagar uma multa civil de US$ 4,75 milhões ao governo dos Estados Unidos, além de até US$ 9,5 milhões para vítimas elegíveis do que o governo chamou de práticas discriminatórias de contratação.

Os números do acordo representam a maior multa e indenização monetária que a Divisão de Direitos Civis do Departamento de Justiça conseguiu a partir da cláusula antidiscriminação do INA.

O Facebook alega que não houve irregularidade nas contratações. No entanto, afirma que os acordos foram feitos para que a companhia possa se concentrar nas práticas de certificação de trabalho permanente, parte de seu programa geral de imigração.

Além das multas, a companhia terá de expandir o anúncio de suas vagas de emprego para todos os cargos de contrato fixo, permitindo a inscrição eletrônica de candidatos norte-americanos.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/227187-facebook-multado-r-79-milhoes-contratacoes-irregulares.htm

19

Out

WhatsApp prepara novidade para facilitar a edição de imagens no app

O WhatsApp experimenta mais uma novidade para facilitar a modificação de mídias no app. Um novo botão adicionado à tela de edição de fotos cria mais uma camada entre figurinhas, texto, desenhos ou recortes e suas aplicações definitivas sobre o arquivo.

O flagra do site WABetaInfo não é uma adição muito grandiosa para o mensageir, já que um botão de desfazer está longe de ser uma novidade no app. A “grande” diferença da vez estaria no instante da criação: em vez de apertar “desfazer” e limpar qualquer coisa que esteja na tela, o botão só retiraria o que foi recentemente adicionado — tudo aquilo que foi inserido entre o primeiro rabisco e a aplicação "definitiva" ao selecionar “Done” (“Concluído”, em tradução livre).

Assim que o usuário adicionar um novo elemento na imagem (um bloco de texto, desenho ou figurinha, por exemplo), seria necessário apertar em “Concluído” para prosseguir na edição. A função é semelhante à edição de Stories do Instagram e foi encontrada no código da versão 2.21.22.1 do app para Android, portanto nem está nas mãos de testadores do WhatsApp Beta. Por se tratar de uma novidade bem discreta, ela não deve demorar para ser implementada nem para desembarcar na versão final.

Nesta segunda-feira (18), o WhatsApp também começou a implementar um conjunto de ícones novos para deixar o visual mais "esverdeado". A mudança é igualmente pequena, mas, neste caso, não implica em nenhuma diferença no uso do aplicativo.

Não dá para ver como o recurso está funcionando por enquanto, mas é possível se preparar para a sua chegada. Portanto, fique de olho nas atualizações do WhatsApp na Play Store e na App Store.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-prepara-novidade-para-facilitar-a-edicao-de-imagens-no-app-199140/

17

Out

Brasil é líder em audiência mobile na América Latina

O distanciamento social imposto pela pandemia teve um grande impacto no comportamento e nos hábitos de consumo da sociedade. Um dos efeitos dessa transformação foi o crescimento da população digital, que segue ascendente no Brasil. O recente levantamento da Comscore intitulado “Tendências e Comportamentos Digitais 2021” indica que o número de pessoas conectadas multiplataforma no País chegou a 126,5 milhões no primeiro semestre de 2021, uma alta de 3% em relação ao fim do ano passado, quando eram 122,7 milhões.

O relatório aponta também que o acesso via dispositivos móveis (smartphones e tablets) cresceu em ritmo ainda mais acelerado neste período, atingindo uma audiência de 112 milhões de usuários, uma alta de 6% em relação ao final de 2020 (105 milhões). Na América Latina, o Brasil é destaque em audiência exclusiva móvel, seguido de México, Colômbia e Chile. Em relação ao total de pessoas conectadas no País, aquelas que acessam a internet exclusivamente por mobile chega a marca 77,9 milhões, as que usam apenas dispositivos desktop são 14,5 milhões, e as que utilizam ambas as plataformas são 34,1 milhões.

Além disso, a análise mostra que o brasileiro passa, em média, 3 horas e 23 minutos por dia conectado à rede. Dentro desse tempo, a quantidade de minutos consumida por meio de dispositivos móveis teve uma alta de 23% entre janeiro de 2020 e junho de 2021, enquanto o acesso via desktop permaneceu constante. Como resultado, 81% dos vídeos reproduzidos na internet são consumidos nos celulares ou tablets e o uso de aplicativos representa mais de 90% do tempo consumido nesses dispositivos.

“Os smartphones são preferência entre os brasileiros e, seguramente, a pandemia foi uma impulsionadora do seu uso para diferentes funções. Isso nos direciona a uma sociedade cada vez mais conectada. Com isso, temos análises mais assertivas em relação aos hábitos de consumo e conseguimos direcionar fortes tendências para as marcas. Por meio desse levantamento, a Comscore se posiciona como grande referência em dados ricos”, comenta Alejandro Fosk, diretor geral da Comscore América Latina.

Entre as categorias que despertam maior interesse entre os indivíduos conectados, Entretenimento segue como a líder, seguida por Games, o que reforça a relevância dos dois territórios para a comunicação das marcas. O gráfico abaixo mostra a relação entre tempo gasto e alcance de audiência:

Quem são e o que consomem os usuários brasileiros

Ao analisar o perfil dos usuários brasileiros, a Comscore comprovou uma equidade entre os gêneros da população digital: 50% são homens e 50% mulheres. Já o recorte sob a faixa etária revela que a maior concentração desses usuários está entre as gerações baby boomer (45+ anos) e millenial (25 - 34 anos). Enquanto, geograficamente, a região que lidera em número de consumidores é o Sudeste (48,5%), seguida pelo Nordeste (23,4%), Sul (14,9%), Centro-Oeste (7,8%) e Norte (5,4%) em quantidade de pessoas conectadas.

Os baby boomers também têm passado mais tempo conectados. Segundo a Comscore, a população digital acima dos 45 anos aumentou seu consumo de internet em 30% no período de um ano. Além disso, o relatório da empresa também constatou que a categoria Social Media foi a líder de audiência em junho de 2021, quando os usuários acumularam 343,5 milhões de minutos em navegação pelas plataformas de interação social - entre elas o Facebook segue, com folga, na liderança em relação ao tempo de consumo dos internautas.

Já entre os aplicativos mobile preferidos dos usuários, os líderes de audiência são WhatsApp, Instagram, Facebook, YouTube, como demonstra o gráfico abaixo:

Tendências de consumo

A análise da Comscore indica ainda que o comportamento do brasileiro na internet aponta para tendências de consumo a partir do cruzamento de dados de audiência a uma série de pesquisas de mercado. Os millennials são os que demonstram maior interesse por turismo, por exemplo. Na faixa etária de 25 a 34 anos, 37 milhões de pessoas pretendem viajar de avião nos próximos 12 meses, e 18 milhões são usuários da categoria Viagem (Travel) nas redes sociais.

Já entre o universo total de usuários conectados, o consumo de bebidas alcoólicas aparece como interesse de 63%, atingindo 73 milhões de usuários - desses, 52% consomem cerveja e 38% consomem vinho. Outro destaque do levantamento indica que o carro aparece como objeto de desejo: 19 milhões de consumidores declaram pretensão de comprar um automóvel nos próximos 12 meses, sendo 9,7 milhões desejando o primeiro carro. Além disso, com mais tempo em casa, as pessoas têm investido mais em decoração: 108 milhões de usuários declararam que a casa é “o melhor lugar do mundo”.

E-commerce

O consumo via e-commerce também aparece entre as tendências. Essas plataformas representam 90,2% de alcance na categoria de varejo, chegando a 73 milhões de usuários nas redes. No ranking de audiência em tempo gasto, o aplicativo Shopee aparece na liderança, seguido por Mercado Livre, Amazon e B2W. “Temos vivido um cenário no qual o consumo se concentra quase que totalmente no ambiente digital, o que explica esse avanço do e-commerce. É preciso, no entanto, observar os rumos que o comércio vai seguir com a reabertura dos estabelecimentos a partir do avanço nas vacinas. A Black Friday deste ano pode ser um bom termômetro para novas estratégias”, comenta Fosk.

O relatório completo da Comscore sobre tendências e comportamentos digitais do Brasil pode ser acessado aqui.

16

Out

Cinco maneiras de gerar renda extra vendendo pela internet

Segundo dados da ABComm, mais de 150 mil novas lojas online foram registradas entre abril e setembro de 2020 e mais de 11 milhões de pessoas realizaram sua primeira compra pela internet nesse mesmo ano. Com tantas opções surgindo, empreender pode se parecer uma tarefa confusa e até difícil para quem não possui os conhecimentos fundamentais para arrecadar dinheiro no meio digital. 

Porém, pensando em ajudar esse público iniciante, a especialista Babi Tonhela, CPO e Sócia do Ecommerce na Prática, maior escola de vendas digitais do Brasil, organizou cinco maneiras para quem busca faturar uma renda extra vendendo na internet.


1.Comece com o que tem e defina a plataforma

A forma mais simples e barata de empreender é utilizando coisas que você já tenha em casa. “Nós indicamos selecionar coisas que muitas vezes estão paradas”, explica Babi. “Um computador, um colchão, uma câmera digital ou mesmo qualquer objeto que você enxergue valor de venda como item usado”. É a tendência chamada ‘recommerce’, que tem feito sucesso em plataformas como Enjoei. Existem também outros canais de serem utilizados como o OLX, Mercado Livre e até redes sociais como o Facebook Marketplace e o Instagram Shop. “Quando esses produtos estiverem rodando e forem dando retornos financeiros, você pode começar a procurar antiquários ou brechós, por exemplo, para continuar comprando e vendendo outros itens”, ressalta Babi.


2. Aproveite suas habilidades

Outra dica é aproveitar o que você sabe fazer, sejam atividades na cozinha ou com artesanato, por exemplo. “No caso da alimentação, você consegue tirar um CNPJ como MEI de forma rápida e se cadastrar em aplicativos de delivery”, conta. “O setor de artesanato online também é muito forte. Para você ter uma ideia, a maior plataforma de e-commerce desse tipo de produto é o Elo7, que foi a terceira mais acessada no Brasil durante 2020”. Então, é possível aproveitar uma habilidade ou até um hobby para ganhar dinheiro.


3.Venda produtos sob encomenda

Essa dica é bem parecida com a dos artesanatos, porém, nos itens encomendados é possível estruturar alguma coisa mais extensa como uma caneca ou produtos gráficos personalizados. Existem empresas investindo em ‘Print On Demand’, que significa “impressão sob demanda”, de camisetas, bonés e outros souvenirs. 


4.Crie uma loja virtual sem estoque

“Você já percebeu que existem diversos negócios na sua região que não vendem online?”, questiona Babi. “Uma dica é ir até esses lugares e se posicionar como representante comercial, fazendo uma troca com os empreendedores daquele estabelecimento”. Com isso, é possível anunciar produtos na internet e ir até esses lugares comprar a mercadoria para depois enviar. Assim, não é necessário um investimento inicial em estoque para começar a vender.


5.Como conciliar com o trabalho

“Qualquer habilidade que você tenha hoje, pode ser "empacotada" como um produto digital, seja um ebook, um mini curso, manual e um serviço também pode ser oferecido e consumido online”, conta Babi. “Em todas as opções anteriores o empreendedor consegue trabalhar 100% online e conciliar seu novo negócio com qualquer outra atividade. Existem pessoas que cumprem essa jornada dupla e conseguem aumentar sua renda, seja com venda de produtos físicos, digitais ou serviços”.

15

Out

Idec lança manual sobre moderação de conteúdo para usuários das mídias sociais

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lança o guia “Seus Direitos nas Mídias Sociais”, voltado para orientação de usuários sobre moderação de conteúdo em blogs, sites, redes sociais, apps e outros tipos de plataformas digitais controladas por empresas. 

Organizado em quatro capítulos, o guia busca informar os consumidores sobre este contexto com exemplos práticos sobre o que é moderação de conteúdo, quais são seus direitos e como é possível reivindicá-los em caso de decisões consideradas injustas.

Estes mecanismos para solucionar problemas relacionados à remoção de conteúdo ou exclusão de contas nas mídias sociais existem há anos, no entanto, consumidores desconhecem ou conhecem pouco sobre tais procedimentos. 

"Em tempos de acalorada discussão sobre o poder que as plataformas têm sobre os debates públicos, este material surge como uma tentativa de preencher esta lacuna, apresentando os direitos dos cidadãos nas redes sociais, mas também explicando como exercer tais direitos no seu cotidiano”, afirma Luã Cruz, pesquisador do programa de Telecom e Direitos Digitais do Idec.

Estas empresas, que detêm as mídias, estabelecem regras privadas das quais os usuários estão sujeitos mas nem sempre têm ciência delas; além de terem o poder de decidir o que não é visto, o que é falso e o que é verdadeiro, o que é ofensivo ou indecente. 

O material, disponibilizado de forma online e gratuita, foi desenvolvido originalmente pelo Observacom (Observatorio Latinoamericano de Regulación, Medios y Convergencia) no Uruguai, em 2020. No Brasil, o Idec é representante desta ação e adaptou o conteúdo.

"A iniciativa de traduzir e adaptar um material tão informativo, e originalmente criado em língua espanhola, nos pareceu oportuna, uma vez que as regras de moderação de conteúdo das grandes plataformas costumam ser as mesmas, seja no Brasil, no Uruguai ou em qualquer outro país da América Latina", complementa o pesquisador do Idec.

A publicação do Idec também traz exemplos de conteúdos que podem ser moderados e explica o que são termos como ShadowBan e Flagging, por exemplo. Estes termos se popularizaram após algumas plataformas sinalizarem conteúdos como desinformação, em especial, durante as eleições norte-americanas e em meio à pandemia de covid-19.

Acesse a página "Seus Direitos das Mídias Digitais" aqui.

15

Out

Spotify lança programa de aceleração para podcasts no Brasil

O Spotify anunciou nesta quinta-feira (14) o lançamento de um programa de aceleração de podcasts no Brasil. Batizado de Spotify Podcast Academy, o projeto visa amplificar o alcance de criadores da área que já mantenham um programa, ajudando a construir uma audiência mais engajada, a profissionalizar o projeto e no caminho fortalecer a comunidade de podcasters do país.

Ao B9, a companhia escreve que os criadores serão selecionados com base nos dados de audiência e performance de seus programas, com o uso do Anchor sendo um diferencial na escolha. Todos os projetos se tornam automaticamente exclusivos da plataforma e ganham acesso ao conhecimento da indústria por meio de aulas, workshops, suportes de comunicação e todo o ecossistema de ferramentas da empresa. A duração da “academia” é de no máximo dois anos, tempo visto como fundamental para a plataforma dar todo o apoio no crescimento dos selecionados.

No anúncio, o diretor do Spotify Studios na América Latina, Javier Piñol, define o programa como “Uma oportunidade única para os criadores que não possuem ferramentas para implementar estratégias claras de desenvolvimento de programas e públicos possam ter acesso aos recursos de produção de alta qualidade do Spotify”. Vale notar que o Spotify Podcast Academy já conta com dez projetos como membros, incluindo o Biscoito, o Diário de um Jovem Moderno, o Estamos Bem?, o Indo e Voltando, o Mundo Freak Confidencial, o Para Dar Nome às Coisas, o PeeWeeCast, o Podcat, o Respondendo em Voz Alta e o Santíssima Trindade das Perucas.

O programa ainda inclui uma playlist no Spotify com os melhores episódios dos podcasts selecionados, batizado de “O Melhor do Spotify Podcast Academy”.

O projeto marca mais um passo na expansão da plataforma no mercado de podcasts. Desde que comprou a Gimlet e o Anchor no início de 2019, o Spotify investe constantemente na sua seção de podcasts, desde atualizações do serviço à aquisição e produção de programas originais – por aqui, os mais recentes casos de sucesso foram o Mano a Mano de Mano Brown e a adaptação nacional de Paciente 63.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/152020/spotify-lanca-programa-de-aceleracao-para-podcasts-no-brasil/

15

Out

Google vai poupar você de ir à página dois em uma busca; entenda

O Google anunciou, nesta quinta-feira (14), a chegada da rolagem contínua dos resultados da pesquisa como uma solução para otimizar a experiência nos dispositivos móveis. Ao alcançar o final de uma página de resultados, em vez de pressionar na tela para mudar, o aplicativo deve carregar os próximos resultados automaticamente para tornar a pesquisa mais ágil e facilitada, em especial nas telinhas menores dos telefones.

Segundo a empresa, a ideia é permitir a visualização de mais resultados em pesquisas amplas, como receitas, inspirações, dicas ou similares. A rolagem contínua pode revelar opções além das presentes na página inicial e isso pode ajudar muita gente a encontrar o que precisava com muito mais rapidez.

No blog oficial, o gestor de produto do Google Search, Niru Anand, alega que a maioria das pessoas que deseja informações adicionais tende a navegar por até quatro páginas de resultados de pesquisa. "Com esta atualização, as pessoas agora podem fazer isso perfeitamente, navegando por muitos resultados diferentes, antes de precisar clicar no botão 'Ver mais'", destacou.

Essa nova experiência começou a ser implementada gradualmente para a maioria das pesquisas em inglês nos dispositivos móveis dos Estados Unidos. Por enquanto, os desenvolvedores não disseram quando ou se pretendem levar o recurso para outros idiomas e países, mas é bem provável que isso ocorra nas próximas semanas.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/google-vai-poupar-voce-de-ir-a-pagina-dois-em-uma-busca-entenda-198841/

14

Out

Facebook vai proibir conteúdo que assedie sexualmente celebridades

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (13) que vai começar a remover “conteúdo severo de sexualização” voltado para figuras públicas. A medida faz parte da recente atualização das políticas de intimidação e assédio na rede social. Entre as mudanças, também está a proteção para ataques de assédio coordenado contra usuários comuns.

Inicialmente, ocorreria a remoção de perfis, páginas, grupos ou eventos dedicados a sexualizar figuras públicas, o que inclui celebridades, políticos e criadores de conteúdo. A nova política também proíbe fotos e desenhos sexualizados e qualquer conteúdo degradante “no processo das funções corporais”, apontou Antigone Davis, chefe global de segurança do Facebook.

De acordo com Davis,  as mudanças aconteceram porque “ataques como esses podem transformar a aparência de uma figura pública em uma arma, o que é desnecessário e, muitas vezes, não está relacionado ao trabalho que representam”.

O anúncio, mais uma vez, vai ao encontro das preocupações levantadas por Frances Haugen, que vazou informações de relatórios da empresa de Mark Zuckerberg ao Wall Street Journal sobre danos que a plataforma pode causar aos seus usuários.

A atualização desta quarta-feira também inclui o banimento de linguagem que fomente ataques coordenados a usuários, pensando na possibilidade de “risco elevado de danos offline”.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151939/facebook-vai-proibir-conteudo-que-assedie-sexualmente-celebridades/

14

Out

Instagram vai permitir lives agendadas e "treinos" antes da transmissão ir ao ar

O Instagram anunciou ontem (13) a chegada de novas ferramentas para facilitar a organização e realização de lives. Agora, os criadores de conteúdo poderão trabalhar melhor suas transmissões ao vivo e gerar expectativa com o agendamento prévio de até 90 dias, o compartilhamento de novidades sobre a live e a configuração de lembretes para o usuário.

Essa novidade finalmente coloca o Instagram ao nível de igualdade com o YouTube e o Tiktok, concorrentes que já tem o recurso há algum tempo. Na plataforma de vídeos do Google, por exemplos, existe a possibilidade de promover tais eventos pelo Google Ads e até usar materiais pré-gravados como se fossem ao vivo por meio do recurso chamado Estreias.

Já o Facebook também possibilita o agendamento prévio há bastante tempo, além de trazer ferramentas específicas para os criadores como divulgações antecipadas, compartilhamento em tempo real e salas experimentais pré-transmissão. O TikTok, principal rival do Instagram na atualidade, lançou as lives em 2021 e trouxe com elas a capacidade de agendamento prévio e lembretes.

Segundo o Instagram, o agendamento de lives será disponibilizado para todos os perfis do mundo a partir de hoje, embora a entrega seja feita de forma gradual ao longo dos próximos dias. Feito o agendamento, será possível compartilhar o conteúdo diretamente com os seguidores nos Stories e como posts no feed.

Outra adição é o chamado Pratice Mode (Modo de treino, em tradução livre) que deve permitir a realização de testes do criador e seus convidados antes do início do evento para testar a conexão, iluminação, som ou qualquer outra preparação necessária antes do ao vivo. Essa é uma adição muito aguardada pelos usuários, porque permite uma familiarização melhor para aqueles que nunca transmitiram via Instagram ou quer checar detalhes técnicos do celular.

Lives em alta, menos no Insta

Apesar de bem-vindos, os recursos podem ter chegado um pouco atrasados à plataforma, já que houve uma queda considerável na quantidade de lives no Instagram desde o início da pandemia — basta comparar o app atualmente com um ano antes e ver como há bem menos transmissões. Por outro lado, plataformas como o YouTube, a Twitch e o Facebook Gaming têm crescimento considerável de visualizações graças a conteúdos voltados para o entretenimento e jogos online.

Vale lembrar que a popular rede social de Adam Mosseri passa por um processo de redefinição de estratégias: a chegada dos Reels, o fim do IGTV, a migração de fotos para vídeos no Feed e, é claro, a aposta nas lives com até quatro pessoas simultâneas.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/instagram-vai-permitir-lives-agendadas-e-treinos-antes-da-transmissao-ir-ao-ar-198720/

14

Out

Nova rede social se inspira no Facebook, mas permite apenas 100 posts para toda vida

Facebook e Instagram que se cuidem. Na contramão das duas redes sociais, que são diariamente acusadas de consumirem tempo e saúde mental de seus usuários, Ben Grosser, um artista e professor da Universidade de Illinois, nos EUA, criou o Minus. Com o objetivo de ser uma provocação e não um negócio sustentável, ele se baseia em mais de uma década de estudos explorando formas de fazer uma comunicação mais saudável e rica na Internet.

Recentemente, o trabalho do pesquisador se tornou ainda mais relevante, à medida que documentos internos vazados e o testemunho da denunciante Frances Haugen revelaram quanto os negócios de Mark Zuckerberg estão impactando negativamente pessoas de todas as idades. Apesar de “imitar” o modelo do Facebook, o Minus desencoraja o uso constante.

Em entrevista ao Fast Company, Grosser afirmou que  “como empresa, o Facebook está obcecado por crescer cada vez mais”, assim, ele decidiu experimentar a construção de uma plataforma na qual o engajamento e o crescimento não são os objetivos.

Reprodução – Fast Company

No Minus, cada usuário recebe um total de 100 postagens para usar durante toda a sua vida, o que os força a pensar sobre como desejam usar cada postagem. Além disso, não há curtidas ou contagens de seguidores.

Para o Fast Company, Grosser diz que a plataforma tem como intuito estimular a conversa, uma vez que é possível responder às postagens livremente, também não exibe anúncios para gerar receita e não tem os mesmos incentivos que o Facebook para manter os usuários consumindo.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/151932/nova-rede-social-se-inspira-no-facebook-mas-permite-apenas-100-posts-para-toda-vida/