Educação

22

Nov

Primeiro dia de provas do Enem 2021 tem 26% de abstenção

O primeiro dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 digital e impresso teve 26% de abstenção. Do total de 3,1 milhões de candidatos inscritos, cerca de 2,3 milhões compareceram às provas de ontem (21), em mais de 1,7 mil municípios. Os números foram divulgados nesta noite pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).   

Considerando apenas o Enem impresso, que concentra a maior parte das inscrições, 3.040.907, as faltas chegaram a 25,5%. O estado com a maior porcentagem de faltas foi o Amazonas, com 40,6%. No Enem digital, 46,1% dos 68.893 inscritos não compareceram ao exame. 

“Acredito que o Enem foi um sucesso”, avaliou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, em coletiva de imprensa. Segundo ele, mesmo com número reduzido de inscritos, menor que edições anteriores, a porcentagem de faltas, ainda em período de pandemia, foi baixa e se equipara aos índices de abstenção observados antes da pandemia. “Isso demonstra que, mesmo em pandemia, tivemos uma boa assiduidade”, complementou o presidente do Inep, Danilo Dupas.  

Na edição de 2020, aplicada em janeiro deste ano, o primeiro dia do Enem impresso registrou a abstenção recorde de 51,5%. Já no primeiro dia do Enem digital 2020, 68,1% dos 93 mil candidatos inscritos faltaram às provas. 

No primeiro dia do Enem 2021, os estudantes fizeram as provas de redação, linguagens e ciências humanas. O exame segue no próximo domingo (28), quando serão aplicadas as provas de matemática e ciências da natureza. 

Segundo o Inep, os dados apresentados são preliminares. Ainda não há um balanço de quantos estudantes tiveram intercorrências de aplicação, como falta de luz. Esses estudantes terão direito a reaplicação da prova, que será nos dias 9 e 16 de janeiro de 2022. O período para pedir a reaplicação é de 29 de novembro a 3 de dezembro. 

Os dados da segurança também foram apresentados na pandemia. Segundo a Polícia Federal, foram cumpridos 27 mandados de prisão. Todos de pessoas que já eram procuradas pela polícia por crimes como tráfico de drogas e estupro de vulnerável, e que fizeram inscrição no exame. Não houve intercorrências nas provas. 

Fonte: Agência Brasil

22

Nov

Cadastro de ações inovadoras em Indústria 4.0 entra no prazo final

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em parceria com o Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX), está em processo de construção de um cadastro de atividades de pesquisa, desenvolvimento ou inovação voltadas a soluções de problemas no âmbito da Indústria 4.0. Assim, pesquisadores que tenham projetos finalizados ou em andamento podem fornecer informações até hoje, segunda-feira, 22, por meio do formulário disponível neste link. A submissão será feita obedecendo três temas: soluções 4.0 para o setor terciário, soluções 4.0 para o setor secundário e soluções 4.0 para o setor primário.

As ações vão compor a programação do I Fórum de Inovação e Negócios em Indústria 4.0, que será realizado on-line no dia 8 de dezembro de 2021 e contará, em sua programação, com meetups entre pesquisadores e empresários. Adicionalmente, deriva da ação a publicação de um portfólio das iniciativas acadêmicas com significativo potencial inovativo, em formato de e-book, com ISBN, potencializando, assim, a transformação de conhecimentos e tecnologias em produtos, serviços, processos e sistemas inovadores para a aplicação no setor produtivo.

Para facilitar aos pesquisadores, a comissão organizadora explica que se entende por tecnologias habilitadoras 4.0 a Inteligência Artificial, Cibersegurança, Computação em Nuvem, Big Data, Realidade Aumentada, Internet das Coisas e a Manufatura Aditiva e Robótica. Segundo a equipe, a aplicação das referidas soluções impacta a automação da previsão/planejamento da produção e da gestão da produção/aumento de produtividade. Nas ações, o PAX conta com o apoio da Agência de Inovação (Agir) e das pró-reitorias de Pesquisa (Propesq), de Extensão (Proex) e de Pós-Graduação (PPG).

22

Nov

Entenda como é feita a correção do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começou a ser aplicado ontem (21) para estudantes de todo o país. Ele terá sequência no próximo domingo (28). Apenas depois do fim da aplicação o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) irá divulgar o gabarito oficial e os Cadernos de Questões. A previsão é que a divulgação ocorra no dia 1º de dezembro. 

O Enem utiliza um sistema de correção chamado teoria de resposta ao item (TRI), conhecido como um método antichute. Mesmo com o gabarito em mãos, não é possível saber a pontuação final do exame. Explicações detalhadas do cálculo da nota do Enem estão disponíveis no Guia do Participante do Enem 2021.

Na prova objetiva do Enem, a nota não é calculada levando-se em conta somente o número de questões corretas, mas também a coerência das respostas do participante ao conjunto das questões que formam a prova. A TRI estima a dificuldade das questões e avalia o conhecimento dos participantes. Assim, estudantes com o mesmo número de acertos da prova poderão ter notas diferentes. 

Provas

Nesse domingo (21), os estudantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. No próximo domingo, eles resolverão, em cinco horas, as questões de ciências da natureza e de matemática. Com exceção da redação, todas são provas objetivas, de múltipla escolha. Cada uma com 45 questões. 

Estudantes chegam para o primeiro dia de prova do Enem 2021,na Uerj, no Rio de Janeiro

Na hora da correção, a TRI vai levar em consideração a coerência da prova, ou seja, é esperado que um estudante que acerte questões muito difíceis, acerte também as muito fáceis. Se isso não acontecer, o sistema pode entender que ele chutou a questão e, por isso, ele pontuará menos nessa questão do que candidatos que tenham mantido certa coerência esperada. 

Modelo matemático 

As questões do Enem são escolhidas a partir do Banco Nacional de Itens (BNI), acervo de questões que é frequentemente abastecido com novas questões. Cada questão é testada antecipadamente com um grupo de estudantes e classificada de acordo com a dificuldade. Por causa disso, é possível compor várias provas do Enem, com temas diferentes, mas com o mesmo nível de dificuldade.

Segundo o Inep, o modelo matemático da TRI usado no Enem considera três parâmetros: 

*Parâmetro de discriminação: poder de discriminação que cada questão possui para diferenciar os participantes que dominam dos participantes que não dominam a habilidade avaliada naquela questão.

*Parâmetro de dificuldade: associado à dificuldade da habilidade avaliada na questão, quanto maior seu valor, mais difícil é a questão. Ele é expresso na mesma escala da proficiência. Em uma prova de qualidade, devemos ter questões de diferentes níveis de dificuldade para avaliar adequadamente os participantes em todos os níveis de conhecimento.

* Parâmetro de acerto casual: em provas de múltipla escolha, um participante que não domina a habilidade avaliada em uma determinada questão da prova pode responder corretamente a um item devido ao acerto casual. Assim, esse parâmetro representa a probabilidade de um participante acertar a questão não dominando a habilidade exigida.

Outra característica da TRI é não ter um limite inferior ou superior padrão entre as áreas de conhecimento. Isso significa que as proficiências dos participantes não variam entre zero e mil. Os valores máximos e mínimos de cada prova dependerão das características dos itens selecionados. No Enem, somente a prova de redação tem um valor máximo (mi)l, já que o processo de correção é diferente.

Enem 2021

O Enem reúne mais de três milhões de estudantes em todo o país, tanto na versão impressa quanto na versão digital. O exame seleciona estudantes para vagas do ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e serve de parâmetro para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os resultados também podem ser usados para ingressar em instituições de ensino portuguesas que têm convênio com o Inep. 

Questões do Enem

Para testar os conhecimentos, os estudantes podem acessar gratuitamente o Questões Enem, um banco preparado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que reúne todas as questões do Enem de 2009 a 2020.

No sistema, é possível escolher quais áreas do conhecimento se quer estudar. O banco seleciona as questões de maneira aleatória.  Mais informações sobre a cobertura do Enem pela EBC estão disponíveis aqui.

Fonte: Agência Brasil  Foto: Tomaz Silva

22

Nov

Pesquisadores lançam livro para incentivar alunos da educação básica; saiba como baixar

Pesquisadores do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), lançaram o livro gratuito “Vamos investigar? Atividades didáticas para a área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias”. É voltado a professores e alunos da educação básica. 

Segundo a organizadora do material, professora do departamento de Economia, Administração e Sociologia da Esalq-USP, Taitiâny Kárita Bonzanini, a finalidade é colaborar na aplicação das recomendações mais recentes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

“Esperamos que o livro contribua para que o professor aplique algumas recomendações presentes em um documento muito atual, que é a Base Nacional Comum Curricular. Tivemos a preocupação de trazer o processo investigativo, por isso o título do livro, que é uma das recomendações da BNCC, trazendo atividades que instiguem os estudantes a pensar e a buscar respostas”, explicou.

Entre as iniciativas propostas no livro, estão um jogo para identificar possíveis criadouros para escorpiões, uma atividade dinâmica sobre sexualidade, debates sobre desastres ambientais e orientações para implantação de um jardim pedagógico no ambiente escolar. 

Linguagem simples e acessível

Segundo Taitiâny, a obra foi feita também com preocupação de contemplar a educação inclusiva. De acordo com ela, além de ser escrito em linguagem simples e acessível, o livro reúne sugestões de materiais de baixo custo, permitindo que as práticas sejam aplicadas em diferentes realidades. 

“Entendemos que as produções acadêmicas precisam ser divulgadas e utilizadas pela sociedade, principalmente quando há relação direta com a melhoria da qualidade educacional. Assim, o livro foi organizado para que as atividades didáticas possam ser compartilhadas e constituam um material para orientar práticas educativas”, afirmou.

A obra foi editada pela Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq), e organizada pela professora com a participação de alunos de licenciatura e mestrado da USP. A versão digital pode ser baixada gratuitamente no site da Fealq.

Fonte: Agência Brasil

19

Nov

Revisão e atividades de relaxamento marcam preparação dos estudantes para o Enem

As semanas que antecedem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, estão sendo marcadas pela revisão dos conteúdos e por muitas surpresas para os alunos do Colégio Porto, em Natal. O objetivo é que eles estejam preparados e relaxados para enfrentar a maratona de questões. 

Nesta sexta-feira (19), a escola encerrou a revisão das áreas de linguagens e ciências humanas, que terão as provas aplicadas no domingo (21). Em cada dia de revisão, o Colégio Porto também preparou atividades que trabalham o socioemocional dos estudantes, como alongamento, aulas de dança, massagens. Eles também receberam um kit especial com água, chocolates, canetas e camisetas para os dias de prova. 

“Essas atividades foram preparadas para eles entendam o quanto é importante estarem relaxados antes do Enem. Na próxima semana, com a revisão de matemática e ciências da natureza, teremos mais surpresas. Sempre mesclando os exercícios das disciplinas com atividades que trabalhem o corpo, o autocuidado e a sensibilidade diante desse momento”, explicou a diretora pedagógica do Colégio Porto, Ana Cristina Dias.   

Nas redes sociais, a escola também disponibilizou algumas dicas de como preparar o corpo e a mente para o exame. Entre elas, estão: manter o nível de produtividade, estudar com base em questões e revisões, estar próxima da sua rede de apoio (amigos, família), acolher as emoções e fazer pausas e desfrutar de atividades prazerosas. Para mais detalhes acesse @colegio.porto.

19

Nov

Pesquisadora do Instituto do Cérebro investiga relação entre sono, sonhos e ENEM

A ansiedade é uma velha conhecida dos candidatos em provas de seleção. Com o Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, não é diferente. Pelo segundo ano consecutivo, o concurso será realizado durante a pandemia — desta vez, com uma boa melhora do quadro de saúde pública devido à vacinação, mas, ainda assim, em meio às mudanças acarretadas pela covid-19. É este cenário que a pesquisadora Priscilla Kelly, do Laboratório de Sono, Sonhos e Memória do Instituto do Cérebro (ICe/UFRN), investiga no seu doutorado, sob orientação do professor Sidarta Ribeiro.

A pesquisa Sono, sonhos e ENEM investiga as relações entre qualidade do sono, ocorrência dos sonhos e desempenho acadêmico. Os participantes precisam ter entre 15 e 25 anos e ser candidatos da edição de 2021 da prova.

“A primeira etapa é aceitar o termo de consentimento para participar da pesquisa. Depois é preciso responder a uma série de questionários sobre aspectos relacionados a sono, especificamente alguns índices de sono, qualidade de sono, sonolência diurna e também alguns aspectos com relação à ansiedade, depressão e o ENEM — e também os impactos da pandemia. Depois, os participantes da pesquisa são convidados a fazer o sonhário online, que é justamente o registro dos seus sonhos durante o período do ENEM, a partir desta semana até a noite anterior da última prova, que, no caso, é dia 28”, explica Priscilla.

Os candidatos menores de 18 anos podem participar mediante autorização dos pais. E quem não conseguir iniciar a participação até a véspera do primeiro dia de prova, dia 21 de novembro, pode começar na semana seguinte sem problemas. Para mais informações, acesse a página da pesquisa no site do Instituto do Cérebro ou o perfil no Instagram @sonosonhosenem. O contato com a pesquisadora é pelo endereço eletrônico priksb2@neuro.ufrn.br.

18

Nov

Inscrições abertas para Mestrado Profissional em Geografia da UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA) e o Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES), divulga o processo seletivo para o Programa de Pós-Graduação em Geografia Mestrado Profissional (GEOPROF) com área de concentração no Ensino de Geografia. Podem se candidatar graduados com licenciatura em Geografia e Pedagogia. A seleção contempla o preenchimento de até 16 vagas, com  inscrições gratuitas no período de 17 de novembro a 12 de dezembro, exclusivamente pelo SIGAA

O processo seletivo disponibiliza seis vagas, para a turma vinculada ao CCHLA, cinco dessas são destinadas à ampla concorrência e uma para servidores da UFRN; dez vagas para a turma vinculada ao Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES), sendo oito de ampla concorrência e duas para capacitação de servidores da UFRN. O candidato deverá informar no ato da inscrição o local que deseja concorrer às vagas, sendo vedado disputar em ambos os centros, como informa o edital.

O mestrado tem duas linhas de pesquisa: Saberes Geográficos no Espaço Escolar e Metodologia do Ensino de Geografia. Os candidatos devem sinalizar, no ato de inscrição, apenas uma dessas linhas de pesquisa. A seleção contará com quatro etapas: homologação de inscrições, análise do plano de trabalho, arguição do plano de trabalho e análise de curriculum vitae

A previsão da divulgação do resultado definitivo é até 15 de  fevereiro de 2022. Para maiores informações sobre o processo seletivo e sobre o Programa, acesse o site do programa ou escreva para o e-mail geoprof.ufrn@gmail.com.

18

Nov

Departamento de Ecologia da UFRN oferece curso sobre Restauração da Caatinga

Em uma nova iniciativa para a difusão do conhecimento produzido pela UFRN, o Laboratório de Ecologia da Restauração do Departamento de Ecologia do Centro de Biociências está oferecendo um curso para gestores sobre Restauração da Caatinga, em parceria com a Neoenergia e a Associação Caatinga.

O curso é online e acontece de 16 de novembro a 1° de dezembro, das 8h às 11h, com carga horária total de 40 horas. As aulas são ministradas por 12 professores pesquisadores de ponta em suas áreas de conhecimento e sendo atendidas por 90 gestores de diversas secretarias, institutos, ONGs, prefeituras, superintendências, agências, núcleos, unidades de conservação e hortos.

Sobre o Curso

O curso foca na difusão de novas tecnologias inovadoras para alavancar a implementação de projetos de restauração da Caatinga e suprir as demandas da Década da Restauração da Organização das Nações Unidas, fornecendo o que há de mais moderno em termos de conhecimento e ferramentas para gestores que trabalham na Caatinga.

Este conhecimento vai subsidiar iniciativas de combate à desertificação, bem como iniciativas para recuperação de serviços ambientais em áreas de grande importância ecológica para o semiárido nordestino.

17

Nov

Inscrições para processo seletivo do SESI seguem até sexta-feira

O Serviço Social da Indústria está com inscrições abertas até a próxima sexta-feira, dia 19, para o processo seletivo na área de Educação. As vagas são destinadas a profissionais interessados em integrar a Equipe de Educação do SESI/RN, nas unidades São Gonçalo do Amarante, Macau e Mossoró.

As inscrições podem ser feitas por meio do site do IEL: https://www.rn.iel.org.br/processos-seletivos

As oportunidades são para Supervisor Pedagógico, Secretário Escolar, Analista de Tecnologia da Informação – Infraestrutura, – Assistente Administrativo – Área Financeira, Professor Polivalente e Professor das disciplinas de Artes, Matemática, Biologia e Inglês.

O processo seletivo será realizado pelo IEL-RN e destina-se a recrutar e selecionar profissionais para o SESI-RN. A seleção será realizada em três etapas:  análise curricular, provas e entrevista.

17

Nov

IFRN oferta curso gratuito sobre competências técnicas e programação aplicada

A Coordenação de Extensão (Coex) do Campus Pau dos Ferros do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) divulgou a abertura do curso “Ampliando as Oportunidades por meio do Desenvolvimento de Competências Técnicas com Programação Aplicada”. Com inscrições gratuitas, o curso é realizado por meio de Projeto de Extensão, cujo o intuito é colaborar na formação em Tecnologia da Informação (TI) dos alunos concluintes do Ensino Básico.

Além de promover a inclusão digital e desenvolver o trabalho colaborativo, a atividade de Extensão busca aprimorar a formação de jovens que possuam talento para a área de TI. Desse modo, o projeto pretende oferecer aulas, oficinas e atividades a fim de que os estudantes potencializem habilidades relacionadas à utilização de novas tecnologias digitais e programação aplicada, contemplando programação de softwares, robótica, e demais assuntos relacionados.

Os encontros acontecerão em formato remoto, através da plataforma Google Meet. Segundo o Coordenador do projeto, professor Jeferson Queiroga, o curso tem previsão de início para quarta-feira, dia 24 de novembro, no turno noturno, com a oferta de 60 vagas para o público externo. O curso possui certificado de 60h.

Inscrições

As vagas são ofertadas para alunos do 8° e 9° ano do Ensino Fundamental e de qualquer uma das séries do Ensino Médio. O período de inscrição segue até o dia 20 de novembro de 2021. As inscrições serão preenchidas por ordem de inscrição e devem ser efetuadas por meio de formulário eletrônico. O resultado dos estudantes selecionados será publicado no dia 22 de novembro, através do Portal do Campus Pau dos Ferros.

Dúvidas podem ser esclarecidas nos e-mails: coex.pf@ifrn.edu.br (Coordenação de Extensão) ou jeferson.queiroga@ifrn.edu.br (Coordenador do projeto).

Objetivos

O projeto pretende promover a inclusão digital da comunidade escolar; apresentar e divulgar os cursos de TI; e realizar novas práticas pedagógicas com a utilização de robótica e programação, além de proporcionar aos alunos bolsistas o senso de responsabilidade, dedicação e pró-atividade, em prol da melhoria da educação da comunidade. 

17

Nov

Primeiro dia do Enem terá prova de redação

No primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, no próximo domingo (21), os candidatos farão, além das provas objetivas de linguagens e ciências humanas, a única prova subjetiva da avaliação, a redação. Nesta edição, o tema será o mesmo, tanto para o Enem impresso quanto para o digital e, em ambas modalidades, o texto deverá ser feito à mão. Por isso, é obrigatório levar caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente.

Ir bem na redação pode ser um diferencial para o candidato. Para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que concede bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior, é necessário não ter tirado zero na redação.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibiliza todos os anos, conforme previsto no edital do exame, uma cartilha com os detalhes da correção. Ainda não foi disponibilizada a cartilha do Enem 2021. Documentos de anos anteriores, com exemplos de redações que receberam a nota máxima, 1 mil, estão disponíveis na página da autarquia. 

Dicas 

Conhecer as provas de redação anteriores pode ajudar os candidatos, segundo o coordenador de Integração Pedagógica do SAS Plataforma de Educação, Vinicius Beltrão. “Os temas de redação geralmente são cíclicos. Ou vão trazer questões de inclusão ou questões sobre cidadania e ética. Podem falar de comportamento, de sociedade da informação, esses temas macros sempre são previstos pensando numa realidade brasileira”. 

Agenda_Enem_2021_primeiro_dia

Como os candidatos precisam, além de ter um conhecimento mínimo sobre o assunto, fazer uma proposta de intervenção, a dica é buscar referências que ajudem a embasar o texto. Podem ser músicas, filmes, livros, notícias e documentos como a Constituição Federal e a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), da qual o Brasil é signatário. “Fazer grupo de estudo, compartilhar com colegas o que cada um andou lendo, ver os principais temas, escrever. Pegar alguns temas e refazer a redação, não só para treinar a parte cognitiva, mas para treinar o tempo”. 

No dia da prova, de acordo com o professor, o ideal é reservar uma hora para fazer a redação. Isso pode ser feito logo no começo, quando o candidato está mais descansado. A dica é antes mesmo de ler os textos de apoio, ver, no final do enunciado, qual é o tema da redação. Assim, quando o estudante ler os textos de apoio, já saberá sobre o que precisará escrever e poderá destacar elementos que o ajudem na produção do próprio texto. 

O estudante terá à disposição uma folha de rascunho, mas somente o que estiver escrito em caneta preta na folha de redação será considerado na correção. “É importante fazer o treinamento para a gestão do tempo”, recomenda Beltrão. 

Motivos para nota zero 

Segundo o edital do Enem, são motivos para zerar a redação: 

• fuga total ao tema;

• não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

• extensão de até sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até dez linhas escritas no sistema Braille;

• cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos oito linhas de produção própria do participante;

• impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação;

• números ou sinais gráficos sem função clara em qualquer parte do texto ou da folha de redação;

• parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

• assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

• texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

• folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho; e

• texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

Veja os temas das redações de anos anteriores

Enem 2009: O indivíduo frente à ética nacional

Enem 2010: O trabalho na construção da dignidade humana

Enem 2011:  Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado

Enem 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI

Enem 2013:  Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil

Enem 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil

Enem 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Enem 2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil e Caminhos para combater o racismo no Brasil - Neste ano houve duas aplicações regulares do exame.

Enem 2017: Desafios para formação educacional de surdos no Brasil

Enem 2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet

Enem 2019: Democratização do acesso ao cinema no Brasil

Enem 2020: O Estigma Associado às Doenças Mentais na Sociedade Brasileira (Enem impresso), O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil (Enem digital) e A falta de empatia nas relações sociais no Brasil (Enem PPL e reaplicação)

Enem 2021

O Enem será aplicado nos dias 21 e 28 de novembro para mais de 3 milhões de estudantes em todo o país. No primeiro dia de prova, os participantes farão as provas de linguagens, ciências humanas e redação. No segundo, matemática e ciências da natureza. Os locais de prova estão disponíveis no Cartão de Confirmação de Inscrição na Página do Participante.

Fonte: Agência Brasil

16

Nov

Homenagem mundial ao centenário do escritor José Saramago tem participação de estudantes do Colégio Porto

Alunos do Colégio Porto, em Natal, serão os únicos do Rio Grande do Norte e estarão entre os poucos do Brasil, a participarem de uma homenagem que vai acontecer em várias partes do mundo ao centenário do único Prêmio Nobel de Literatura de língua portuguesa, o escritor José Saramago. A data é celebrada nesta terça-feira (16). 

Crianças e adolescentes de escolas espalhadas nos quatro cantos do planeta gravaram vídeos lendo trechos do livro infantil “A maior flor do mundo”, escrito em 2001. Esse material será exibido a partir de hoje pelos canais do Instagram @camoes_brasil, pela página do Facebook da Embaixada de Portugal em Brasília e pelo canal do YouTube da Flipoços. Aqui no RN, os vídeos foram gravados pelos alunos do Colégio Porto Luiza Carvalho Bessa, Filipe Fernandes de Medeiros e Heitor Gomes de Sena Melo Mariz, todos do 9º ano do ensino fundamental. 

A homenagem está sendo organizada pelo Instituto Camões, que cuida do acervo da língua portuguesa; pelo Instituto José Saramago – onde o material ficará disponível posteriormente - pelo Ministério da Educação de Portugal e pelos consulados e embaixadas portuguesas. 

O Colégio Porto foi escolhido no Rio Grande do Norte pela similaridade que possui com o ensino do país europeu. “Para nós é uma honra fazer parte de uma homenagem a um dos maiores nomes da literatura. É uma forma muita singela e bonita de lembrar o centenário de Saramago, que deixou um legado incomensurável”, disse Eduardo Bezerra, um dos sócios-diretores do Colégio Porto. 

O Cônsul Honorário de Portugal em Natal, Francisco Lamy, destacou a importância de lembrar a obra de Saramago. “É uma forma muita inovadora de homenagear. Nunca vi algo parecido e achei a ideia brilhante, por colocar esses estudantes para ter contato e entender um texto infantil de Saramago, que apesar disso, é um texto complexo. É uma homenagem merecida a quem sempre homenageou os outros”, definiu. 

A maior flor do mundo

A maior flor do mundo é uma magnífica história para crianças, mas, antes de tudo, é um legítimo Saramago. Transformando-se em personagem, o autor nos conta que uma vez teve uma ideia para um livro infantil, inventou uma história sobre um menino que faz nascer a maior flor do mundo. Os leitores são chamados para uma divertida brincadeira, pois Saramago narra-lhes a história do menino e da flor não como se ela fosse a história de verdade, mas como se fosse apenas o esboço do que ele teria contado se tivesse o poder de fazer o impossível: escrever a melhor história de todos os tempos.

16

Nov

UFRN e FIOCRUZ firmam parceria para formação de doutores em Biologia Parasitária

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (Fiocruz/RJ), firmaram uma parceria para realizar o curso de doutorado interinstitucional em Biologia Parasitária. Trata-se do primeiro curso de doutorado na área CB-III (CAPES) do Rio Grande do Norte. A área CB-III concentra, principalmente, estudos focados nas áreas de Microbiologia, Parasitologia, Imunologia e Entomologia. 

Com a coordenação dos professores Josélio Araújo (CB/UFRN) e André Roque (Fiocruz/RJ), a parceria tem como objetivo formar doutores comprometidos com o avanço do conhecimento em Biologia Parasitária, o exercício da pesquisa e o ensino e na pós-graduação. A formação desses novos doutores ainda vai contribuir para a melhoria nos serviços de saúde e educação do Rio Grande do Norte.

Para participar do processo seletivo, basta atender aos pré-requisitos solicitados no edital de divulgação da parceria, como ser portador de diploma de mestre em qualquer uma das áreas de estudo de Ciências Biológicas III. Em breve, o edital completo estará disponível nas páginas dos programas de pós-graduação em Biologia Parasitária do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e da UFRN. 

Considerando a inexistência de um curso de doutorado na área CB-III no Rio Grande do Norte, o curso permitirá a formação de professores doutores não só em temas relacionados a doenças endêmicas, como dengue, zika, chikungunya, leishmaniose visceral, doença de Chagas e esquistossomose, mas também em doenças emergentes como covid-19. A pandemia causada pelo SARS-CoV-2, por exemplo, tem ocasionado excessiva demanda sobre os serviços de saúde e enorme impacto econômico e social. Nesse contexto, a formação de novos profissionais da área serve para reforçar a ideia de que é necessária a capacitação de pessoal para o enfrentamento desses e de outros agravos que constantemente assolam o país.

Foto: Cedida

16

Nov

UFRN seleciona professor visitante nacional e estrangeiro

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Edital nº 100/2021, está com processo seletivo simplificado aberto para contratação temporária de professores visitantes (nacional e estrangeiro). São ao todo 34 vagas imediatas, mais formação de cadastro de reserva, direcionadas a todos os programas de pós-graduação da UFRN.

As inscrições serão realizadas no período de 16 de novembro de 2021 até 17 de janeiro de 2022, por meio do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH), na aba Concursos > Concursos Abertos, na qual encontra-se disponível o edital e formulário de inscrição. As vagas são para Professor Visitante Sênior e Professor Visitante Júnior, com especificações para cada cargo ofertado.

A remuneração do Professor Visitante e do Professor Visitante Estrangeiro será estabelecida com base na qualificação e experiência do candidato, conforme análise da Comissão Especial, observada a correspondência com as faixas de remuneração do plano de cargos e salários dos docentes das instituições de ensino superior, podendo se dar nas seguintes classes: a) Professor-Visitante Sênior: dar-se-á na Classe E (Titular); Professor-Visitante Júnior: poderá se dar nas classes C (Adjunto) ou D (Associado).

Além de preencher vagas, em caráter temporário, por especialistas nacionais ou estrangeiros de reconhecida competência em suas áreas de conhecimento para apoiar a execução dos programas de pós-graduação stricto sensu, o processo seletivo busca contribuir para o aprimoramento de programas de ensino, pesquisa e extensão e para a execução de programas de capacitação docente ou viabilizar o intercâmbio científico e tecnológico, em conformidade com a legislação em vigor e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). 

O resultado preliminar de inscritos será disponibilizado na página eletrônica www.sigrh.ufrn.br (Menu Concursos) no dia 20 de janeiro de 2022. O candidato cuja inscrição foi indeferida poderá protocolar pedido de reconsideração por meio do e-mail concursos@reitoria.ufrn.br, no período de 21 a 24 de janeiro de 2022. A relação definitiva de inscritos será divulgada no dia 27 de janeiro de 2022. 

16

Nov

Confira o que levar para as provas do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 começa a ser aplicado domingo (21) e é hora de checar se tudo está em ordem, para não esquecer nada no dia da prova. Neste ano, assim como na edição anterior do exame, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, a máscara de proteção facial é item obrigatório.

De acordo com o edital do exame, os participantes que não estiverem com máscara de proteção facial não poderão ingressar no local de prova. A regra vale tanto para o Enem impresso quanto para o digital. Durante todo o exame, os candidatos deverão usar a máscara cobrindo o nariz e a boca. 

O edital traz também uma série de documentos de identificação aceitos no Enem. Os participantes devem apresentar os documentos originais, com foto. Não são aceitos documentos digitais. Entre as identificações aceitas estão a Carteira de Identidade, a CNH, o passaporte e a Carteira de Trabalho emitida após 27 de janeiro de 1997.

A caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, é item obrigatório também para os candidatos do Enem digital, já que a redação será feita em papel e não no computador, como o restante da prova. 

Itens recomendados 

Embora não seja obrigatório, é recomendado que os participantes levem também pelo menos uma máscara extra para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem. 

Como se trata de uma prova longa, também é recomendado que levem lanche e água e/ou outras bebidas, com exceção de bebidas alcoólicas que não são permitidas e podem levar à eliminação do candidato. 

É recomendado ainda que se leve no dia do exame o Cartão de Confirmação da Inscrição. Nele está, entre outras informações, o local de prova. O cartão pode ser acessado na Página do Participante.Caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem, também, na Página do Participante, imprimir a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho. 

Itens proibidos 

Os candidatos não podem portar, durante o exame, nenhum dispositivo eletrônico, como telefones celulares, smartphones, tablets, wearable tech, máquinas calculadoras, agendas eletrônicas e/ou similares, ipods®, gravadores, pen drive, mp3 e/ou similares; alarmes, chaves com alarme ou com qualquer outro componente eletrônico. 

Também não podem ter em mãos fones de ouvido e/ou qualquer transmissor, gravador e/ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens. São ainda itens proibidos óculos escuros e artigos de chapelaria, como boné, chapéu, viseira, gorro ou similares; caneta de material não transparente, lápis, lapiseira, borrachas, réguas, corretivos, livros, manuais, impressos, anotações; protetor auricular, relógio de qualquer tipo. 

Esses objetos, caso o estudante leve para o exame, devem ser colocados dentro do envelope porta-objetos fornecido pelo aplicador, ao ingressar na sala de provas. A Declaração de Comparecimento também deve ser colocada dentro do envelope. O envelope deve ser lacrado e identificado, desde o ingresso na sala de provas até a saída definitiva do local.

Enem 2021

O Enem será aplicado nos dias 21 e 28 de novembro para mais de 3 milhões de estudantes em todo o país. No primeiro dia de prova, os participantes farão as provas de linguagens, ciências humanas e redação. No segundo, matemática e ciências da natureza. Os locais de prova estão disponíveis no Cartão de Confirmação de Inscrição na Página do Participante.

O exame seleciona estudantes para vagas do ensino superior públicas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e serve de parâmetro para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os resultados também podem ser usados para ingressar em instituições de ensino portuguesas que têm convênio com o Inep.

Fonte: Agência Brasil