A Filarmônica UFRN realiza no próximo dia 14, o 2º Concerto Oficial da temporada de 2022. A atividade acontece das 18h às 20h no Auditório Onofre Lopes da Escola de Música da UFRN (EMUFRN). Os ingressos, distribuídos gratuitamente, já estão esgotados, contudo, ainda é possível tentar uma vaga remanescente dos possíveis faltosos.

A apresentação perpassa obras de Gabriel Fauré, Edino Krieger e Mozart sob a regência do Maestro André Muniz e apresentação do solista convidado da noite, o violinista Rodrigo Eloy. Em um primeiro momento, apresenta-se Pavane, de Fauré, obra feita para orquestra e coro e que faz alusão a dança típica do renascimento. 

Com melodia marcante e popular, Pavane possui elementos neutros e uma dança de movimentos precisos e suaves, com ritmo lento. O Pequeno Concerto para Violino e Cordas de Edino Krieger foi composta em 2008 e representa uma das principais obras do músico. O espetáculo se divide em três momentos que apresentam o solo de violino. As Bodas de Fígaro de Mozart foi um grande sucesso, os estudiosos do musicista concordam que essa sinfonia é uma das maiores obras primas do compositor. 

O solista Rodrigo Eloy entrou em 2004 no curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e, nesta mesma instituição, em 2012, concluiu o curso de Bacharelado em Música, com habilitação em violino. O título de Mestre em Música, também pela UFPB, foi adquirido em 2016. Como violinista, Rodrigo participou de aulas nacionais e internacionais com alguns grandes musicistas, como Ole Bohn, Charles Stegeman, Leon Spierer, Mirian Fried, Shmuel Ashkenasi, entre outros. Membro do corpo afetivo da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Paraíba e do Quarteto de Cordas Eli-Eri, bem como do Quinteto Uirapuru, Rodrigo é sempre convidado para festivais de música. 

O maestro André Luiz Oliveira Muniz, professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), obteve seu doutorado em música pela Universidade de Montreal – Canadá. Ele foi o responsável por fundar a Orquestra Sinfônica da UFRN (OSUFRN), atual Filarmônica UFRN, e está à frente de alguns grupos como a Orquestra Sinfônica da Paraíba, Orquestra Sinfônica de Sergipe, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra de Câmara da Universidade de Montreal, Orquestra do Estado de Mato Grosso e Orquestra ULBRA.

Filarmônica UFRN nasceu em 2009 como Orquestra Sinfônica. Só dez anos mais tarde é que passa a chamar-se Filarmônica. A cada concerto apresentado, o grupo de músicos se afirma como um dos grandes orquestrais do Nordeste, composto, exclusivamente, por alunos da UFRN, oriundos dos cursos técnico, licenciatura, bacharelado e mestrado em Música. A orquestra realizou, em 2015, sua primeira turnê na Alemanha, onde foi bastante reconhecida pelo trabalho desenvolvido. Buscando perpetuar o nome dos artistas e levando a música erudita a todo público.