Comunicação, educação, mercado e turismo!

Um blog diferente, com a marca da credibilidade, que traz tendências, novidades do mundo corporativo, do universo da tecnologia e mídias sociais, do setor de educação e do mercado publicitário. E como ninguém é de ferro, tem ainda lazer, cultura e turismo! Fale com a gente pelo e-mail blogdajuliska.news@gmail.com. Nos siga no Instagram e Facebook: @blogdajuliska.

15

Mai

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu, recentemente, em caráter liminar (provisório), uma regra da recente Reforma Trabalhista aprovada pelo Congresso Nacional, que exigia que mulheres grávidas e lactantes (que amamentam) providenciassem laudos médicos para que só assim fossem liberadas de trabalhos insalubres. Essa é apenas uma das respostas a dezenas de Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI) que estão sendo impetradas no judiciário brasileiro. É para analisar essas distorções, assim como discordâncias já sobre a Reforma Previdenciária em trâmite na Câmara Federal, que será realizado o I Fórum de Direito do Trabalho e Previdenciário, nos dias 30 e 31 de maio no Hotel Pipa Atlântico, em Pipa, litoral sul do Rio Grande do Norte. 

Segundo a organização do evento, o Congresso Nacional aprovou a Reforma Trabalhista sem ouvir nenhuma entidade de classe, já que não foram ouvidos advogados, magistrados, Ministério Público do Trabalho e já são muitas as Ações Diretas de Inconstitucionalidade. Além disso, observam que o país passa por outro momento crucial, de apreciação de uma outra Reforma – a Previdenciária – então tem que ser muito estudada e difundida pra não acontecer o que está acontecendo com a trabalhista. 

A ideia do Fórum surgiu na primeira reunião de 2019 da Comissão de Direito do Trabalho da Associação Brasileira dos Advogados - ABA/Natal, que identificou a necessidade da realizar um grande evento local com o intuito de orientar os profissionais do direito sobre essas situações, além do aprimoramento jurídico. Serão dois dias de ampla programação para promover conhecimento mais aprofundado sobre os principais pontos dessas reformas, mediante realização de palestras com ministros dos Tribunais Superiores, juízes e advogados renomados. Entre os temas em pauta estão: "Inconvencionalidade da lei da reforma trabalhista"; "Trabalho da Mulher"; "Reforma da Previdência: Urgência ou exagero?"; “A pauta reformista e as implicações para a advocacia previdenciária, nos RGPS e RPPS”. 

A primeira edição do Fórum Direito do Trabalho e Previdenciário é uma realização da ABA/Natal – por meio das comissões de Direito do Trabalho e Previdenciário - da Anatra (Associação Norte-rio-grandense dos Advogados Trabalhistas), da Comatra (Comissão dos Advogados Trabalhistas da OAB/RN), e associações de outros estados, uma constatação que profissionais de todo o país vão participar. Oportunidade de ampliar conhecimentos e realizar networking. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas no site da C&M Produções, empresa organizadora do Fórum. O endereço eletrônico é o www.cemproducoes.com.br. 

15

Mai

A proposta da Reforma da Previdência está em evidência como medida inadiável para otimizar recursos públicos e vem causando polêmicas. Porém, o que pouco se difunde e merece atenção da população é que mudanças no sistema tributário poderiam aumentar mais a receita do poder executivo e, na avaliação de especialistas, seria essencial esse debate em conjunto. É nessa ótica que o advogado potiguar Thiago Modesto Protásio se debruçou sobre os principais aspectos formais e materiais exigidos no Código Tributário Nacional e no Processo Judicial Tributário e lançará, no dia 06 de junho, na Galeria Fernando Chiriboga, 3º piso do Midway Mall, o livro “Execução Fiscal: Aspectos Práticos”.

Direcionada aos profissionais, estudantes do direito e contribuintes no geral, a obra relata sobre os meios de defesa dos contribuintes disponíveis contra a exigência fiscal, fala sobre arbitrariedade do poder público, dívidas recorrentes das empresas, e serve como uma espécie de orientação para saber quando o Estado extrapola o próprio direito ao recebimento do crédito tributário. Apesar dos assuntos em destaque serem bem específicos, sobre a legitimidade e os bens impenhoráveis na execução fiscal, o autor enfatiza que a queixa em torno do peso dos tributos é geral e a população, e em especial os empresários, questionam a vigente execução fiscal e seus impactos para o desenvolvimento do país. 

E, nessa perspectiva, nada mais necessário que publicações como essa tragam análises sob à luz da mais atual orientação jurisprudencial emitida pelos Tribunais Superiores. Ainda mais que o Congresso Nacional ensaia a retomada do debate sobre a Reforma Tributária possivelmente ainda neste semestre. Tem-se, portanto, que as isenções fiscais, as recorrentes anistias e as falhas na arrecadação precisam ser enfrentadas urgentemente, assim como é defendida a simplificação dos tributos, o aumento da progressividade da tributação, a redução da tributação sobre a folha de pagamento e a ampliação da tributação sobre renda e patrimônio. 

15

Mai

A maioria da população de países emergentes afirma que, apesar de representarem um avanço na garantia de mais informação e maior participação social, o acesso à tecnologia e a existência de mídias sociais abrem caminho para a manipulação dos usuários, em especial na política, e à propagação de desinformação, deixando as pessoas mais vulneráveis. Os dados são de nova pesquisa da Pew Research Center, divulgada nesta segunda-feira (13).

O estudo, realizado em 11 países e sem a participação do Brasil, mostra como a desinformação abalou a confiança das pessoas nos avanços digitais, que por muito tempo eram vistos muito mais pelo seu lado positivo. Em média, 78% dos entrevistados acreditam que o acesso à internet, celular e redes sociais faz com que os usuários fiquem melhor informados. No entanto, 72% avaliam que isso os deixam mais expostas à manipulação por conteúdos falsos que circulam nas mídias interativas. Ao mesmo tempo, 57% afirmam que as redes digitais dão voz no processo político a pessoas comuns, enquanto 65% acreditam que elas sejam manipuladas por atores políticos de seus próprios países.

O conflito também está presente quando se trata de acesso a novidades. A pesquisa mostra que, em média, 75% das pessoas dizem que as mídias interativas introduzem novas ideias no seu cotidiano, mas 68% afirmam ver regularmente conteúdo falso nelas. O estudo revela ainda que 35% dizem confiar nas notícias sobre política que acessam nessas plataformas, porém, somente 10% afirmam que esse grau de confiabilidade é "muito alto".

Entre as mídias pesquisadas pelo Pew Research Center estão Facebook, WhatsApp, Twitter, Snapchat, Instagram, Viber e Tinder, sendo os dois primeiros os mais utilizados. Em média, 62% dos 11 países usam o Facebook e 47%, WhatsApp, mas vários dos entrevistados dizem ter acesso a mais de um dos aplicativos. O estudo entrevistou pessoas na Colômbia, México, Venezuela, Índia, Quênia, Líbano, Jordânia, Filipinas, África do Sul, Tunísia e Vietnã).

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/19679-maioria-em-paises-emergentes-afirma-que-redes-sociais-facilitam-manipulacao-e-desinformacao-segundo-pesquisa.html

15

Mai

O WhatsApp está expandindo os testes do modo noturno na versão beta do seu aplicativo Android. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13) pelo WABetaInfo, site que analisa versões do aplicativo que ainda não foram lançadas ao grande público.

A ampliação dos testes indica que estamos mais próximos de ver a funcionalidade na versão tradicional do WhatsApp. Os primeiros experimentos foram detectados ainda em março, quando a empresa redesenhou a aba Configurações para que ela se tornasse compatível ao modo noturno.

Desde então, o WhatsApp também implementou o modo escuro na barra de notificações do próprio smartphone – que fica verde quando o aplicativo é aberto – e em seções como Privacidade. Com a atualização do beta 2.19.139, o WhatsApp levou o modo noturno para as listas de Conversas, Status e Chamadas.

No WhatsApp, o modo noturno será reproduzido no tom cinza-escuro, e não na cor preta. Mas a diferença para o usuário é imperceptível: o recurso ainda reduz o brilho da tela do smartphone, trocando o padrão de cores para tornar a experiência do usuário mais agradável em ambientes de pouca luz.

A cor cinza-escuro é uma orientação sugerida pela Google nas diretrizes do Material Design. O documento diz que a cor reduz o cansaço visual: "O texto [com cor] clara em uma superfície cinza-escuro tem menos contraste do que texto claro em uma superfície preta".

De acordo com o WABetaInfo, os botões que ainda estão em uma tonalidade verde devem ser alterados. O site ressalta que muitas seções ainda estão incompatíveis com o modo escuro e, por isso, não há uma expectativa de quando o WhatsApp deve liberar a função. Mas uma atualização não deve demorar muito: o Facebook – dono do WhatsApp – liberou em abril o modo escuro para o Messenger.

Foto: WABetaInfo / Fonte: Portal Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-expande-testes-do-modo-noturno-para-aplicativo-android-139193/

15

Mai

A preocupação com as questões ambientais estão cada vez mais em pauta no dia a dia da sociedade. Por isso, atentos para expandir e alcançar um maior número de pessoas, o Movimento Soul Ativismo, com o apoio do UNI-RN, promove o I Encontro Lixo Zero Natal, no dia 5 de junho, das 8h às 18h, no Auditório Central do UNI-RN. 

O I Encontro Lixo Zero Natal é um evento a nível nacional e trará uma programação completa com boas práticas que interessam tanto aos cidadãos quanto às empresas, bem como o poder público. O tema principal trabalhado será “Encontro Lixo Zero Natal Melhores Práticas”, e é uma oportunidade única de entender quais ferramentas possuímos e como vamos resolver esse grande problema de gestão de resíduos sólidos e conversar com quem mais entende do assunto.

A programação terá seis painéis com a presença de especialistas e autoridades, além de associações e empresas que trarão casos de sucesso. Os temas abordados serão: Tendência e Estilo de Vida; Conscientização e Educação Ambiental; Redução e Reuso; Reciclagem e Sistema de Reciclagem; Compostagem e Agricultura Urbana; e Políticas Públicas e Cenário Local. 

O grande objetivo do Encontro Lixo Zero Natal é e dar visibilidade aos agentes públicos, ativistas e empreendedores que mostram boas práticas rumo ao conceito Lixo Zero. Sensibilização, educação, repensar, recusar, reduzir, reusar, reciclar, uso doméstico de compostagem, tecnologia e design, todos esses temas estarão presentes.

15

Mai

A Coordenação de Acesso ao Discente (Cadis) junto a Pró-reitoria de Ensino (Proen) do IFRN, divulgam a abertura de processo seletivo - vagas remanescentes, referente ao Edital nº 22/2019 - Proen/IFRN, destinado a Cursos Superiores de Pós-Graduação Lato Sensu em nível de Especialização, com ingresso no segundo semestre letivo de 2019.

As inscrições estarão abertas a partir de hoje (15) até 29 de maio, e deverão ser feitas exclusivamente via Portal do Candidato. No total, são 50 vagas divididas nos Campus de Apodi, Canguaretama, Currais Novos e João Câmara.

15

Mai

Depois de alcançar a marca de 20 milhões de ofertas de emprego em sua plataforma, o LinkedIn anunciou nesta terça-feira (14) que vai integrar e atualizar suas ferramentas para recrutadores e candidatos.

Para os usuários que estão procurando trabalho, a atualização do LinkedIn vai habilitar um alerta instantâneo de emprego. Assim, candidatos potenciais recebem uma notificação sobre vagas recém-abertas e que se encaixam em seu perfil. O LinkedIn também criou um novo design para a página inicial do Jobs – a mudança será mais sentida pelos que acessam a plataforma por smartphones e tablets.

Na "frente" de recrutamento, as plataformas LinkedIn Jobs, Recruiter e Pipeline Builder serão unificadas para facilitar o gerenciamento, a publicação de anúncios e as demais etapas que envolvem a interação da empresa com o candidato.

Os novos recursos que o LinkedIn está trazendo são respostas para a maneira como os candidatos estão usando cada vez mais o smartphone. A empresa observa que os candidatos que se candidatam mais rapidamente para vagas têm maior probabilidade de conseguir o emprego.

"Isso significará candidatos melhores, empregos melhores e maior adaptação", disse o vice-presidente de produto do LinkedIn, John Jersin. Quando perguntado por que demorou tanto tempo para integrar essas ferramentas, ele disse que a atualização é mais uma consequência de como as expectativas evoluíram à medida que a tecnologia evoluiu. "Avanços na inteligência artificial impulsionaram a estratégia e integrar tudo isso significa que todos podemos aprender melhor uns com os outros".

Há cinco anos, o LinkedIn reunia "apenas" 300 mil vagas de emprego em sua plataforma. Atualmente, a empresa vê seus 600 milhões de usuários se candidatarem a 25 milhões de vagas por semana. Para este ano, a expectativa é de que o LinkedIn consiga US$ 6,4 bilhões em receitas, com um crescimento de 27% no último trimestre.

Fonte: Portal Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/linkedin-vai-criar-alerta-instantaneo-de-vagas-para-quem-procura-emprego-139203/

15

Mai

Os desafios das redes sociais à integridade judicial é o tema da pesquisa “O Uso de Redes Sociais por Membros do Poder Judiciário”, lançada no último dia 8 de maio pelo Conselho Nacional Justiça (CNJ) junto aos juízes brasileiros.

A ideia da pesquisa surgiu no primeiro encontro realizado pela Comissão de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do CNJ sobre o tema, ocorrido no dia 12 de dezembro de 2018, em que corregedores e diretores de Escola da Magistratura constataram a necessidade de se conhecer o que os magistrados brasileiros pensam sobre o uso das redes sociais.

O estudo foi inspirado em questionário elaborado pela United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC), que tem a finalidade de descobrir como, em diferentes países, os juízes utilizam as redes sociais. Os resultados da pesquisa conduzida pelo UNODC foram apresentados no Brasil durante o seminário "Os Juízes e as Mídias Sociais", realizado pelo CNJ no início de abril e contou com a participação de corregedores de Justiça, diretores de escola da magistratura, associações nacionais da magistratura e escolas associativas, entre outras instituições.

O questionário, enviado para os mais de 18 mil magistrados do país, já recebeu mais de duas mil respostas de juízes de todos os ramos de Justiça e grau de jurisdição.

Entre seus objetivos, a pesquisa do CNJ pretende levantar as boas práticas e apurar padrões do uso das mídias sociais. A coleta dos dados está sendo realizada de maneira a manter o sigilo das informações.

Os resultados serão divulgados de forma agregada, impossibilitando a identificação dos participantes. A respostas podem ser enviadas até o dia 25 de maio. Os dados serão consolidados pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho.

O tema também está sendo debatido pelo Grupo de Trabalho (GT) destinado a avaliar os parâmetros para o uso adequado das redes sociais pelos magistrados, criado pela Portaria CNJ 69/2019.

14

Mai

Com apenas alguns cliques, os cidadãos podem acessar mais de 4,6 mil publicações disponíveis na Biblioteca Digital da Justiça Eleitoral (BDJE). O acervo inclui livros, artigos e periódicos da área eleitoral, além da produção intelectual de ministros, desembargadores e servidores.

A ferramenta digital é mais uma forma de incentivar e preservar a gestão da memória institucional, eleitoral e partidária, além de ampliar a visibilidade da produção da Justiça Eleitoral com outras instituições nacionais e internacionais. Periodicamente, novos conteúdos são inseridos no espaço. As últimas obras foram A democracia no século XXI: crise, conceito e qualidade;Por meio de sua arma que é o voto: poder local e eleitorado (1947-1959); e Propaganda eleitoral nas mídias sociais: premissas básicas.

Antes de serem publicados na Biblioteca Digital, os livros passam por uma etapa de análise e revisão. Todas as obras constantes são de domínio público ou possuem direitos autorais cedidos pelos proprietários, e estão disponíveis para acesso e download gratuitos. As exceções vigoram para aquelas restritas a membros e servidores do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais. Nesse caso, se o interessado não se encaixar no perfil mencionado e tiver interesse em um item de acesso restrito, deverá entrar em contato com a Seção de Biblioteca Digital, que avaliará a possibilidade de envio do material solicitado.

Acesso

O acesso à Biblioteca Digital pode ser feito diretamente pelo endereço http://bibliotecadigital.tse.jus.br/xmlui ou no Portal do TSE, no menu “O TSE”, opção Cultura e história > Biblioteca Digital. Já a pesquisa pode ser realizada pelos índices de data do documento, autor, título ou assunto, por meio das comunidades e coleções ou ainda pela pesquisa geral ou avançada. Neste último caso, o usuário pode aplicar os filtros de título, autor, assunto e data de publicação.

Uma das vantagens de se cadastrar na plataforma é que o usuário tem a possibilidade de assinar coleções de seu interesse para receber alerta de e-mails diários sobre os novos itens adicionados, podendo assinar quantas coleções desejar. Caso não realize o cadastro, o usuário poderá acompanhar na própria página da Biblioteca Digital os últimos itens incluídos.

Histórico

Inicialmente denominada Biblioteca Digital do TSE, o espaço virtual foi inaugurado em 26 de novembro de 2015. Contava no começo com 320 registros, entre artigos, mapas, fotos e vídeos. Em janeiro de 2018, foi lançada uma nova versão da Biblioteca Digital, que passou a se chamar Biblioteca Digital da Justiça Eleitoral. Com layout mais intuitivo, que facilita a navegação do usuário, o espaço também possibilita acesso mediante dispositivos móveis, como tablets e smartphones. As maiores facilidades que o espaço da BDJE proporciona ao visitante são a agilidade na pesquisa, a facilidade de navegação no ambiente e a credibilidade das informações.

14

Mai

O professor e pesquisador da Ufersa Rogério Taygra, juntamente com os discentes Moisés Medeiros dos Santos e Marcus Vinícius de Medeiros Costa, do curso de Ciência e Tecnologia do Campus Angicos, desenvolveram um sistema de alarme eletrônico para dispositivo de retenção infantil (cadeirinhas) com aplicação na área de segurança no transporte de crianças, visando prevenir acidentes decorrentes do esquecimento dessas em automóveis.

O uso de dispositivos de retenção para crianças, que se tornou obrigatório no Brasil por meio da Resolução N.º 277, em vigor desde maio de 2008, reduz a probabilidade de lesões fatais em cerca de 70% entre bebês e de 54% a 80% entre as crianças de 2 a 7 anos. Contudo, com o aumento do uso desses dispositivos também se observou um aumento no número de vítimas fatais – de tenra idade – por asfixia ou queimaduras severas, ocasionadas pelo abandono acidental desses menores no interior dos veículos.

Para o professor Rogério Taygra, a motivação para o desenvolvimento dessa tecnologia surgiu após um momento de comoção nacional, ocorrido recentemente, quando um bebê de 10 meses morreu após ser esquecido por seus pais no automóvel da família. “O senso comum nos diz que a morte de uma criança nessas circunstâncias é causada pela negligência de seus responsáveis.

No entanto, pesquisas apontam que temos uma memória construída por hábitos, o que nos permite realizar tarefas repetitivas com bastante habilidade, o problema é que ela pode, ocasionalmente, suprimir a memória prospectiva, que é a que lida com o que vai acontecer. Assim, uma simples quebra de rotina poderia fazer com que o responsável pela condução da criança a esquecesse no veículo. Sou pai e minha filha faz uso desse dispositivo. Portanto, ao perceber que fatos como esse podem acontecer com qualquer um, propus aos alunos esse projeto.”

Atualmente, os sistemas de alarme para dispositivos de retenção existentes no mercado constituem-se em sensores de peso na cadeirinha do bebê e aplicativos com função Child Reminder (lembrete da criança) para o automóvel, celulares ou relógios inteligentes. “Certamente são um avanço na prevenção desses lamentáveis acidentes, no entanto, além de estarem vinculadas à tecnologia de alto custo, onde o motorista de baixo poder aquisitivo não teria acesso, o esquecimento ou a falta de bateria de um desses aparelhos poderia ocasionar tal desastre”, explicou o professor Rogério.

Por outro lado, o projeto desenvolvido pelos pesquisadores da Ufersa é constituído de um sistema de alarme composto por sensores de presença instalados em cada um dos assentos do veículo e na cadeirinha do bebê, uma central eletrônica para o processamento de dados com algoritmo próprio, e um alarme sonoro, além de contar com fornecimento próprio de energia. O funcionamento do sistema é explicado pelos discentes Moisés Medeiros e Marcus Vinícius e ilustrado pela figura abaixo:

Caso o sensor instalado na cadeirinha infantil (1) indique a presença de um bebê no veículo, e o sensores instalados nos demais acentos do veículo (2) não indiquem a presença de outros ocupantes, a central eletrônica (3) receberá e processará o sinal, e então acionará imediatamente o alarme sonoro, chamando a atenção de pessoas próximas.

 

“Quando o Professor Rogério lançou, para nós, a ideia desse projeto, bem como a sua importância, mesmo com pouca experiência no desenvolvimento desses sistemas, e com poucos recursos, aceitamos o desafio e nos dedicamos integralmente ao projeto, conseguindo produzir o primeiro protótipo em uma semana. Isso mostra que independentemente de onde viemos, com dedicação e o apoio da universidade, podemos alcançar nossos objetivos”, comenta Moisés Medeiros.

Para o discente Marcus Vinícius, além de prevenir acidentes lamentáveis pelo esquecimento de crianças em automóveis, este equipamento vem, mais uma vez, evidenciar o papel da Ufersa no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias que refletem na vida de toda a sociedade. O projeto recebeu o apoio e a orientação do Núcleo de Inovação Tecnológica/NIT da Ufersa e já teve seu pedido de patente protocolado, e promete ser de baixo custo, fácil implantação e de alta eficiência.

Imagem: Cedida.