Comunicação, estratégia e mercado

O Blog da Juliska é um espaço para falar sobre os temas acima e ainda trazer dicas, abordar as tendências, acompanhar novidades do mundo corporativo, das mídias sociais e do mercado publicitário. Interaja comentando nos posts ou pelo e-mail juliska.azevedo@gmail.com. Conto com sua companhia!

4

Jan

A indústria global de notícias ainda está longe de garantir eficácia no combate à desinformação digital coordenada, que se aprimora em alta velocidade, diz Claire Wardle, diretora de pesquisa da First Draft, ligado à Universidade de Harvard. E um dos maiores desafios do jornalismo no momento, diz a pesquisadora, é compreender e impedir o sucesso de muitos agentes de desinformação que têm como objetivo final reverberar suas falsidades nos veículos de jornalismo profissional.

As táticas, afirma Calire, visam poluir o ecossistema de informação semeando conteúdo enganoso ou fabricado, na esperança de atrair jornalistas que agora recorrem regularmente a fontes online. “Ter seu boato deliberado ou rumor manufaturado caracterizado e amplificado por uma organização de notícias influente é considerado uma vitória”, alerta a pesquisadora, que sugere cinco lições básicas para fugir das armadilhas (abaixo).

Claire, idealizadora do projeto Comprova, coalizão formada por 24 veículos de mídia para combater a desinformação na eleição brasileira de 2018, reforça que a desinformação geralmente começa na web de forma anônima, se transforma em grupos fechados ou semifechados (muitos no Twitter, Facebook ou WhatsApp), em comunidades conspiratórias nos Fóruns Reddit ou canais do YouTube e, depois, em redes sociais abertas como Twitter, Facebook e Instagram.

Infelizmente, diz ela, esse processo desemboca na mídia profissional. “Isso pode acontecer quando uma informação falsa ou conteúdo é incorporado em um artigo ou citado em uma matéria sem verificação adequada”, afirma. Mas, continua, também pode ser quando uma redação decide desmascarar uma fonte de desinformação. “[Neste caso] De qualquer maneira, os agentes da desinformação venceram”, lamenta. “A amplificação, de qualquer forma, é o objetivo deles em primeiro lugar”, insiste.

Abaixo, cinco dicas de Claire que podem ajudar as redações no combate ao problema:

1. Esteja preparado: treine suas redações em táticas e técnicas de desinformação

Certifique-se de que seus planos de treinamento incluam sessões sobre habilidades de verificação digital, mas garanta que eles não estejam apenas focados em avaliar se algo é verdadeiro ou não. Certifique-se de que os participantes sejam treinados em proveniência digital, para que possam rastrear a origem de um conteúdo. Da mesma forma, garanta que seus jornalistas entendam como fazer esse tipo de trabalho com segurança.

2. Seja responsável: não dê oxigênio adicional à desinformação

Reportagens apressadas dão oxigênio desnecessário a rumores ou conteúdo enganoso que, de outra forma, poderiam desaparecer. Matérias divulgadas tardiamente, porém, significam que a falsidade tomou conta. É também um motivo para criar colaborações informais, para que as redações possam comparar as preocupações sobre as decisões de cobertura.

3. Fique atento: entenda as implicações de um público em rede

Desmistificar ou explicar conspirações, falsidades ou rumores propagados por pessoas de um determinado grupo dão a elas não apenas legitimidade, mas um conjunto de palavras-chave para seu público usar na pesquisa por mais informações. Antes da internet, essas comunidades remotas se esforçavam para se conectar porque era muito difícil para as pessoas se encontrarem cara a cara. Agora essas comunidades podem florescer.

4. Explique: não atue como estenógrafo

Quando tantas pessoas recebem suas notícias apenas de tweets, postagens no Facebook, títulos no Google News ou notificações push, a responsabilidade de como as manchetes são redigidas é mais importante do que nunca.

5. Inocule: faça mais relatórios que ajudem a explicar os assuntos que são frequentes em campanhas de desinformação

Em vez de simplesmente reagir às falsidades quando elas aparecem, qualquer reportagem que anteceda algumas das narrativas mais comuns e poderosas poderia ajudar a inocular parte da desinformação. A análise feita pelo First Draft das informações no período que antecedeu as eleições no Brasil e nos Estados Unidos, em 2018, identificou os seguintes tópicos mais comuns: tentativas de minar a integridade do sistema eleitoral; semear o ódio e a divisão com base na misoginia, antissemitismo, islamofobia e homofobia; demonizar os imigrantes; e conspirar sobre redes globais de poder.

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/15408-jornalismo-precisa-saber-reconhecer-e-evitar-armadilhas-que-levam-a-amplificacao-da-desinformacao-alerta-especialista.html

4

Jan

O Prospere ITB, uma das maiores empresas de Educação à Distância (EAD) já desenvolvida no Brasil e testada por mais de 300 mil alunos, fundada pelo empresário do ramo educacional Paulo de Paula, no Rio Grande do Norte, a partir de agora passa a integrar o grupo MoveEdu, a maior rede de franquias no segmento de educação profissional do país.

O objetivo da parceria é ampliar o volume de alunos com acesso a plataforma utilizando know how e estruturas do MoveEdu, companhia focada na missão de transformar vidas através da educação. O MoveEdu fechou 2018 com faturamento de R$ 600 milhões, com mais de 490 alunos ativos nas 1,2 mil franquias de sete marcas, espalhadas pelo Brasil. Com a incorporação do prospere , a moveduc projeta um aumento de faturamento de 25% em 2019! Abaixo segue comunicado oficial da MoveEdu enviado aos parceiros.

Caro Parceiro,

É com muito orgulho que comunicamos que a partir de agora o Prospere ITB, uma das maiores empresas de Educação à Distância (EAD) já desenvolvida no Brasil e testada por mais de 300 mil alunos, passa a integrar o grupo MoveEdu, maior rede de franquias no segmento de educação profissional do país.

A MoveEdu tem o objetivo genuíno de transformar vidas através da educação. E é nesse sentido que, desde o ano passado, a empresa tem investido em crescimento de suas redes e aquisições que tragam ainda mais oportunidades para alunos e potenciais alunos.

Em 2017, com a chegada das redes Microlins, SOS e People, que se somaram a Prepara Cursos, English Talk, Pingu’s e Ensina Mais, a MoveEdu foi instituída e passou de 600 para 1.200 unidades em todas as regiões do Brasil

Com a chegada da Prospere ITB, a MoveEdu passa a ingressar nos mercados de Educação Profissional Técnica, Ensino Médio, EJA (Educação para Jovens e Adultos), cursos de aperfeiçoamento, menor aprendiz e ampliar a grade de cursos livres. De partida, já serão disponibilizados 15 novos cursos técnicos e 200 cursos de qualificação via EAD.

Significa também a sua chegada ao universo de parceiros da MoveEdu!

A sua parceria será fundamental para reforçar ainda mais a nossa vocação de levar educação de qualidade e oportunidades para o maior número de pessoas possível.

Seja bem-vindo(a) à MoveEdu!

3

Jan

Um Panorama Visto da Ponte é uma peça em dois atos escrita inicialmente em 1955 e reescrita em 1956. Com direção de Zé Henrique de Paula tem sua segunda montagem no Brasil. O espetáculo, que inicia sua nova turnê em 2019, passará por cinco cidades com teatros administrados pela Opus. A primeira apresentação acontece em Natal, seguido por Fortaleza, Recife, Novo Hamburgo e Porto Alegre.

A ação se passa em Nova Iorque e, narrada pelo advogado Alfiere, a peça conta a história de um casal de imigrantes italianos – Eddie Carbone, um trabalhador das docas do Brooklyn, e a dona de casa Beatrice. Os dois criam a sobrinha órfã de Beatrice, a jovem Catherine. O conflito se estabelece quando a família recebe dois primos italianos de Beatrice, Marco e Rodolfo, que estão imigrando ilegalmente para os Estados Unidos. A partir deste encontro o “sonho americano” fica ameaçado e todas as emoções antes camufladas começam a eclodir. Eddie então tomará uma atitude que marcará a sua vida e de todos que o rodeiam.

Em cena duas gerações de atores consagrados, Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti, em um grande texto do teatro. Unido ao carisma de consagrados atores um texto de excelência com a sofisticação e profundidade, defendidas por Arthur Miller, de um teatro acessível ao grande público, que desperta emoções comuns a todos Arthur Miller (1915-2005) é considerado um dos maiores dramaturgos de todos os tempos. Ao longo de sua extensa carreira escreveu diversas peças que foram premiadas, analisadas e montadas em todo o mundo. Peças que revelam insights profundos e humanos que marcaram toda a sua obra dramática.

Assim como em outras peças de Miller, o texto aborda a sociedade moderna ao mesmo tempo em que oferece uma visão crítica do modo de vida desta sociedade. Ao tema da imigração, da solidariedade social, da fidelidade a um código de honra, se entrelaça o da intolerância.

3

Jan

Pesquisadores de segurança acabaram "sequestrando" algumas contas de usuários famosos do Twitter, incluindo a de Louis Theroux, um documentarista e jornalista britânico, para postar tweets sem a autorização dos donos. Com isso, eles demonstraram que as ações que o Twitter alegou ter tomado para corrigir problemas de vulnerabilidade não funcionaram.

Segundo o portal Gizmodo, os pesquisadores foram abertos em relação ao método que utilizaram para acessar as contas, para que os desenvolvedores da rede social conseguissem consertar a falha. Acontece que o problema ainda está lá - mesmo com os responsáveis apontando que já resolveram.

Essa vulnerabilidade é relacionada a um recurso que foi adicionado ao Twitter na época em que os smartphones ainda eram consideravelmente raros. Para que as pessoas pudessem twittar a partir de dispositivos mais simples, a rede social oferecia um recurso de "tweet por SMS". Assim, qualquer mensagem enviada por SMS para a conta vinculada ao número seria postada.

Assim, o que os pesquisadores fizeram foi obter os números de telefone, de modo que as mensagens enviadas por eles fossem postadas nas contas de diversas celebridades e jornalistas. Os pesquisadores notificaram os usuários das contas em questão, mas não buscaram consentimento deles. Contudo, eles apontaram que escolheram contas de famosos para chamar atenção para a falha.

Fonte: Portal TechMundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/137557-pesquisadores-sequestram-contas-famosos-twitter-provar-brecha.htm

3

Jan

O crescimento no tempo diário consumido pelos norte-americanos no Facebook, impulsionado principalmente a partir da popularização dos smartphones, chegou ao fim. A análise é da equipe de especialistas do site eMarketer, cuja  previsão é a de que, em 2020, os usuários gastem em média 40 minutos por dia na rede social. O número é exatamente o mesmo de 2016 e, se confirmado, representará cinco anos de estagnação.

Os analistas do eMarketer destacam ainda que, como o tempo total gasto no meio digital permanecerá em crescimento (ainda que modesto), o tempo do Facebook está em curva decrescente em relação ao quadro geral. Em 2016, o Facebook representou mais da metade (53%) do tempo gasto com mídias sociais. A projeção do eMarketer aponta para uma queda de até 43,5% em 2020.

Em relatório, o eMarketer indica que o Facebook estará muito dependente do feed de notícias de seu site para tentar engajar audiência. Isso porque, diz o estudo, a rede social “não decifrou o código” para fazer alavancar a audiência via Stories (apesar de a ferramenta ser muito popular no Instagram) e os resultados da exibição de vídeos sob demanda ainda são insipientes.

Desaceleração no crescimento das receitas 

O Facebook continuará liderando o bolo da publicidade digital até 2020, seguido do Google, com o qual forma o duopólio online. O eMarketer projeta que as receitas globais com anúncios da rede social cresçam de US$ 39,94 bilhões, em 2017, para US$ 55,44 bilhões este ano, a caminho de US$ 67,25 bilhões em 2019. Mas essa curva de crescimento, segundo o site especializado, segue uma tendência de desaceleração verificada desde 2016 (veja gráfico abaixo).

face2vale

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/15393-tempo-gasto-no-facebook-pelos-usuarios-dos-estados-unidos-caminha-para-cinco-anos-de-estagnacao.html

3

Jan

O jornalismo das Américas conquistou em 2018 importantes avanços no que diz respeito a barreiras de proteção aos profissionais e veículos de comunicação na área jurídica e no meio digital. A avaliação é de María Elvira Domínguez, presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, na sigla em espanhol), entidade que esteve à frente de muitas dessas conquistas. A violência contra comunicadores da região no mesmo período, entretanto, afirma ela, chegou a níveis alarmantes, principalmente em países comandados por governos autoritários.

Em balanço anual, a presidente da SIP e diretora do jornal El País, de Cali, na Colômbia, destacou entre os aspectos positivos a decisão tomada pela Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) que condenou o Estado colombiano pelo assassinato do jornalista Nelson Carvajal, em 1998, bem como pela impunidade do crime. “Destaco a importância que tem esta decisão por criar jurisprudência internacional, o que nos dá esperança de justiça em outros casos”, diz María Elvira.

Outra conquista, enfatiza a presidente da SIP, foi a aprovação pela entidade, durante sua 74ª Assembleia Geral, da "Declaração de Salta sobre Princípios sobre Liberdade de Expressão na Era Digital". O documento, considerado um marco histórico para o jornalismo, tem o mesmo espírito da Declaração de Chapultepec, de 1994, mas aborda os desafios impostos pela tecnologia à livre expressão e, também, dos hábitos cada vez mais online das pessoas em todo o mundo.

“Trata-se de uma guia de referência para indústria da comunicação com 13 princípios de proteção ao livre fluxo informativo, com ênfase no combate à desinformação e às noticias falsas mediante a alfabetização dos usuários”, diz María Elvira. Essa é, continua a presidente da SIP, uma obrigação dos responsáveis por “plataformas digitais, meios de comunicação e governos”. Outro ponto positivo é a decisão do governo de Lenín Moreno, no Equador, de iniciar as reformas da Lei Orgânica de Comunicação, criada na gestão de Rafael Correa para censurar a imprensa.

As vitórias, porém, contrastam com o assassinato de 31 jornalistas e outros trabalhadores de mídia – 13 no México, seis nos Estados Unidos, quatro no Brasil, três no Equador, dois na Colômbia, dois na Guatemala e um na Nicarágua, além de profissionais que se encontram aprisionados. A presidente da SIP afirmou que, em 2019, a entidade redobrará seus já enfáticos esforços para garantir melhores condições de trabalho para os veículos e seus profissionais, em especial na Venezuela, Nicarágua e Cuba, onde a livre expressão e os direitos individuais estão mais ameaçados. Neste ano, a SIP celebra 75 anos de atividade. Também são comemorados os 25 anos da Declaração de Chapultepec.

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/15392-liberdade-de-imprensa-nas-americas-registrou-avancos-em-2018-mas-violencia-contra-jornalistas-e-alarmante-diz-sip.html

3

Jan

Aos onze anos, Madson se parece com grande parte dos meninos de sua idade: gosta de brincar de esconde-esconde, assistir ao desenho do “Ben10”, jogar capoeira e futebol. O que ele também gostaria muito de fazer é dar um beijo na mãe ou no pai ao chegar da escola. O problema é que a família dele, por enquanto, não existe. Madson mora em um abrigo desde bebê e é uma das 17 crianças e adolescentes que participa do Projeto Eu Existo, da Corregedoria do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN).

O projeto, lançado em março de 2018, estimula a busca de pais para crianças e adolescentes que vivem em instituições de acolhimento do Rio Grande do Norte e, por motivos diversos, estão fora do perfil normalmente escolhido para adoção. Por meio de vídeos, que podem ser acessados aqui, as crianças se apresentam e falam de seus sonhos e preferências. Os vídeos foram gravados em cenas cotidianas das crianças – os irmãos Joelson e Jefferson, por exemplo, jogam bola e brincam no parquinho enquanto contam que gostariam muito de uma família que fosse “boa, carinhosa, tenha condições (materiais) e nos eduque”. Jefferson e Joelson completam dizendo que não se imaginam vivendo um longe do outro.

De acordo com a desembargadora Zeneide Bezerra, do tribunal potiguar, o projeto nasceu para dar visibilidade às crianças que estão em abrigos e abrir espaço para que as pessoas que querem adotar possam ampliar o seu perfil desejado. “Queremos que essas pessoas vejam os vídeos e se apaixonem pelas crianças, que seja uma adoção pelo sentimento e não por um perfil idealizado”, diz a desembargadora. De acordo com ela, o projeto já possibilitou diversas adoções de crianças e adolescentes, inclusive duas internacionais - as crianças foram para Itália. “Para mim, se o projeto possibilitar a adoção de uma criança, já estaria ótimo”, diz. Atualmente, de acordo com a desembargadora, há 40 crianças no estado aptas à adoção.

2

Jan

Iniciando as atividades nesta quinta-feira (03), a escola de futebol PSG Academy Natal abre espaço no Shopping Cidade Jardim para a realização de inscrições para a seletiva novos integrantes. O stand permanece em operação em frente a São Braz até o dia 8 de fevereiro, das 9h às 21h, recebendo inscrições para do 2º lote, que custa R$ 90 e possui vagas limitadas.

Clientes que fizerem a inscrição no mall concorrem a dois kits de uniformes completos da escola, além de cinco convites para a seletiva. O sorteio será realizado no dia 8 de fevereiro, às 16h, no espaço PSG Academy Natal do Shopping Cidade Jardim.

A seletiva acontece como um teste de nivelamento no dia 9 de fevereiro, na Arena das Dunas, para mensuração do desempenho esportivo e tático e da interação em grupo dos participantes. Treinadores e coordenadores pedagógicos analisarão a performance individual e coletiva em campo, aptidão física e disciplina para garantir a definição de turmas adequadas ao nível de cada atleta. Outras informações podem ser encontradas no site www.psgacademy.com.br, nas redes sociais @PSGAcademyNatal ou pelo telefone (84) 98181-9000.

PSG Academy Natal

A Paris Saint-Germain Academy chega com uma unidade em Natal neste ano para atender crianças e jovens de 5 a 19 anos, aliando a elegância francesa com a ginga brasileira. A escola se instala as margens da BR 101, próximo ao Rio Pitimbu, e trás o método de treinamento exclusivo e moderno, que também é utilizado nas categorias de base e no elenco profissional do clube. O espaço contempla, inicialmente, três campos em grama sintética com medidas oficiais, áreas de convivência para pais e visitantes, além de amplos vestiários.

2

Jan

Durante o período de férias os pais precisam se desdobrar com a criançada em casa, especialmente se falamos das menores, que dependem de um acompanhamento mais próximo. Estas, assim como as maiores, também passam cada vez mais tempo dedicadas a jogos eletrônicos, em geral de cores fortes, o que pode ser prejudicial para seu desenvolvimento psicomotor, de acordo com a professora e especialista em educação infantil da Estácio, Emanuelle Justino dos Santos. É importante, segundo ela, que os responsáveis, durante o tempo em que a criança fica em casa, consigam desenvolver suas habilidades com outras atividades.

A professora sugere que os pais fiquem atentos às brincadeiras dos filhos, para que possam interagir dentro do universo deles. “A partir dessa observação, eles podem entrar na brincadeira e também ensinar os jogos que gostavam na infância. Desse jeito, eles criam uma conexão e permite que os filhos conheçam mais sobre os pais”, explica a professora.

Para aliviar o bolso dos adultos, e de quebra, estimular a imaginação e a consciência ambietal nos pequenos, a educadora indica aos pais realizar oficinas de reciclagem, reutilizando materiais que iriam para o lixo, como garrafas pet, tampinhas, caixas de papelão e deixar a imaginação tomar conta, transformando aqueles apetrechos em aviões, jogo de damas e o que mais a imaginação mandar.

“Devemos lembrar também de incluir atividades que promovam a socialização e façam com o que a garotada se movimente, saindo um pouco do contato indivíduo-tela. Brincadeiras como pique-esconde, pega-pega e suas variações são divertidas e estimulam a atividade física, além da vantagem de que todos podem participar”, recomenda Emanuelle.  

2

Jan

O Ministério Público do Estado de São Paulo solicitou ao Google, por meio de ação civil pública, que a empresa retire do ar vídeos protagonizados pelos chamados "youtubers mirins". De acordo com a entidade, tais peças fazem propaganda de forma velada de produtos ao público infantil, o que fere a lei, segundo a interpretação da Constituição Federal, do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/1990), da Convenção das Nações Unidas sobre as Crianças (Decreto no 99.710/1990), do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/1990) e da Resolução nº 163, de 13 de março de 2014, do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – Conanda.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a ação começou a partir de um inquérito civil que envolvia a fabricante de brinquedos Matel do Brasil, a partir de uma ação divulgada pela youtuber mirim Júlia Silva. Em uma série de doze vídeos, eram lançados desafios relacionados aos personagens da Monster High, com os vencedores convidados a participar de um evento na sede da empresa.

Baseado nesta ação, o inquérito investigava o “uso de estratégias abusivas de comunicação mercadológica dirigida ao público infantil”. A assessoria psicossocial do MP analisou o tema e concluiu que “diversas empresas, aproveitando-se da hipervulnerabilidade tanto da criança youtuber, como da criança espectadora, passaram a enviar seus produtos a esses influenciadores digitais para que eles os desembrulhassem, apresentassem, como verdadeiros promotores de vendas”.

A partir desta análise, o promotor Eduardo Dias decidiu pedir à Justiça que o Google – controlador do YouTube – faça a retirada dos vídeos de sua plataforma de streaming. Além disso, o MP notificou empresas que aderiram à prática para tentar um acordo para que elas se abstenham de fazer propaganda disfarçada por meio de influenciadores mirins.

Contatado, o Google afirma que não comenta casos isolados.

Fonte: Folha de São Paulo, disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2019/01/ministerio-publico-pede-que-google-retire-do-ar-videos-de-youtubers-mirins.shtml