Aqui você encontra comunicação, educação, tecnologia, mundo corporativo, entrevistas, mídias sociais e cultura

Fale com a gente pelo e-mail blogdajuliska.news@gmail.com e nos siga no Instagram @blogdajuliska.

22

Jan

Center for Cooperative Media oferece uma série de cursos on-line e gratuitos sobre jornalismo colaborativo entre janeiro e abril. Com duração média de uma hora, os cursos têm diferentes datas de exibição, que podem ser escolhidas pelo(a) aluno(a) no momento da inscrição.

Três módulos estão disponíveis: “Introdução ao jornalismo colaborativo”, “Como construir a colaboração no jornalismo” e “Fluxo de trabalho e tecnologia no jornalismo colaborativo”.

De acordo com Stefanie Murray, diretora do centro, os cursos podem fornecer inspiração a iniciativas de jornalismo colaborativo que crescem no Brasil e na América Latina através de uma visão geral de como esse modelo está sendo estudado nos Estados Unidos e dos diferentes tipos de projetos possíveis.

“Temos ouvido falar sobre muitos esforços de colaboração interessantes acontecendo na América Latina, e acreditamos que é um cenário propício para mais parcerias”, afirma.

Murray é responsável pela apresentação do curso de introdução ao jornalismo colaborativo. Os outros dois módulos são apresentados por Heather Bryant, fundadora do Projeto Facet.

Localizado na Universidade Estadual de Montclair, em Nova Jersey, Estados Unidos, o Center for Cooperative Media tem como missão o fortalecimento do jornalismo local e colaborativo. Os cursos foram financiados por uma doação da Fundação Rita Allen.

Fonte: Abraji, disponível em: https://abraji.org.br/noticias/centro-especializado-dos-eua-oferece-cursos-online-de-jornalismo-colaborativo

22

Jan

A partir desta quinta-feira, 26, até o dia 31 de janeiro de 2020, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) recebe os dados de professores em exercício na rede pública que queiram cursar licenciatura na área em que atuam. Além de mapear em todo Brasil os professores que precisam adequar sua formação ao exigido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), esse processo pretende identificar aqueles que têm real interesse em se especializar. As informações vão nortear o planejamento dos programas de formação inicial de professores da educação básica a serem implementados em 2020.

Os interessados devem cadastrar seus currículos na Plataforma CAPES de Educação Básica e preencher os formulários, que pedem dados sobre sua formação e atuação profissional. Essas informações serão analisadas e validadas pelas Secretarias de Educação às quais os candidatos estão vinculados.

A manifestação de interesse dos professores e a validação pelas Secretarias ainda não garantem a oferta dos cursos, mas a intenção é de que norteiam o atendimento gradativo das demandas. Programas como o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB) – que fomentam cursos de licenciatura – já terão seus próximos editais direcionados por essas informações.

A iniciativa contribui para o alcance da Meta 15 do Plano Nacional de Educação (2014-2024). A meta aborda as estratégias que preveem consolidar e ampliar plataformas eletrônicas e implementar cursos e programas especiais, para assegurar formação superior aos professores que estão em exercício, mas que possuem somente formação de nível médio.  Confira o Manual do usuário e o Tutorial para interesse em formação

22

Jan

Termina nesta sexta-feira (24) o prazo para apresentação de propostas à consulta pública para elaboração do projeto de lei que cria o Programa Universidades e Institutos Empreendedores e Inovadores, chamado de Future-se pelo Ministério da Educação (MEC) desde o lançamento, em julho do ano passado.

Conforme o texto em consulta, o programa tem como objetivos incentivar fontes privadas adicionais de financiamento para projetos e programas de universidades e institutos federais, incrementar as taxas de conclusão e os índices de empregabilidade dos egressos dos cursos, fomentar a cultura empreendedora no ambiente acadêmico, estimular a internacionalização do ensino, e incentivar o desenvolvimento científico.

O Future-se vai “aumentar a autonomia financeira, administrativa e de gestão das universidades e dos institutos federais por meio do fomento ao empreendedorismo, à captação de recursos próprios, à exploração de patentes e à geração de startups”, diz nota divulgada pelo MEC. A busca de novas fontes de recursos não substitui ou altera a atual forma de financiamento, que “está mantida” como também descreve a nota.

Para participar do Future-se, universidades e institutos federais deverão firmar um contrato de resultado com o Ministério da Educação. O MEC garante que tais instituições as “não serão privatizados e não haverá cobrança de mensalidades dos alunos”.

Para fazer sugestões ao Ministério da Educação, as pessoas interessadas poderão enviar mensagem por e-mail ou para o site Participa.BR.

Com informações da Agência Brasil

22

Jan

Medicina, direito, engenharia, pedagogia e licenciaturas estão entre as carreiras mais procuradas por estudantes de 15 anos em 41 países. No Brasil, quase dois a cada três estudantes pretendem seguir as dez profissões mais citadas no questionário do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2018 por aqueles que fizeram as provas. 

Os resultados estão no estudo “Empregos dos sonhos? As aspirações de carreira dos adolescentes e o futuro do trabalho”, divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A publicação analisa, entre outras, as respostas à pergunta: “Qual profissão você espera ter aos 30 anos de idade?”, feita aos participantes do Pisa. O levantamento analisa ainda os resultados dos países que participaram da edição do exame em 2000 e em 2018. 

“As aspirações profissionais dos jovens são importantes”, diz o estudo. “As aspirações de carreira dos adolescentes são um bom preditor dos empregos que os alunos podem ocupar quando adultos”, observa. A intenção é mostrar também como essas aspirações mudaram ao longo do tempo.

Ranking por gênero

Os rankings das profissões mais desejadas variam de acordo com o gênero dos estudantes. Entre as mulheres, tanto em 2000 quanto em 2018, medicina, direito, pedagogia e licenciaturas, enfermagem, psicologia, administração e veterinária estão entre as top 10. 

Em 2000, profissões como jornalista, secretária e cabeleireira completavam o ranking. Em 2018, elas saíram e deram lugar às ocupações de designers, arquitetas e policiais. 

Entre os homens, as profissões mais procuradas em 2018 foram engenheiro, administrador, médico, advogado, profissional de educação física, arquiteto, mecânico automobilístico, policial e profissional de tecnologia da informação e comunicação. As profissões são as mesmas desejadas em 2000, apenas mudaram de lugar no ranking. Engenharia, que ocupava a terceira posição entre os meninos, passou a ser a mais buscada. 

“De maneira esmagadora, são mais frequentes os meninos que esperam trabalhar em ciência e engenharia do que as meninas, mesmo quando meninos e meninas têm o mesmo desempenho no teste científico do Pisa, mas esse nem sempre é o caso. Além disso, em muitos países, o nível de interesse das meninas por essas profissões é maior do que o dos meninos”, diz o estudo. 

No Brasil, 63% dos estudantes de 15 anos querem seguir essas carreiras. O índice só é superado pela Indonésia, com 68%. França e República Tcheca têm o  menor percentual, 36%.

Futuro das profissões

O estudo analisou também os riscos de as profissões escolhidas pelos estudantes não existirem mais no futuro devido ao uso de robôs e de inteligência artificial para substituir trabalhadores. 

De acordo com o texto, a maioria das carreiras mais populares entre os jovens, como profissionais de saúde e sociais, culturais e legais, tende a ter baixo risco de automação.

No entanto, fora do ranking das profissões top 10, “muitos jovens selecionam empregos com risco muito maior de automação. Ao todo, 39% dos empregos citados pelos participantes do Pisa correm o risco de ser automatizados dentro de 10 a 15 anos”. 

O estudo mostra que o risco de automação varia entre países. Na Austrália, Irlanda e no Reino Unido, cerca de 35% dos empregos citados pelos estudantes correm o risco de automação. Na Alemanha, Grécia, Japão, Lituânia e Eslováquia, mais de 45% desses empregos estão em risco.

Pisa 2018

O Pisa é aplicado a cada três anos e avalia estudantes de 15 anos quanto aos conhecimentos em leitura, matemática e ciências. Em 2018, o Pisa foi aplicado em 79 países e regiões a 600 mil estudantes. No Brasil, cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas. 

Com informações da Agência Brasil

22

Jan

O Orçamento Geral da União de 2020, publicado no Diário Oficial da União, prevê 51.391 vagas em concursos públicos federais nos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público da União e Defensoria Pública da União. Isso representa um aumento de 1.400% em relação à previsão de 3.369 servidores do Orçamento do ano passado.

Do total de vagas previstas para este ano, 45.816 destinam-se ao provimento (preenchimento) de postos existentes que ficaram vagos, geralmente por morte ou aposentadoria. O Orçamento prevê ainda a criação de 5.575 vagas.

O Poder Executivo concentra o número de vagas, com a previsão de provimento de 43.568 postos e a criação de 3.140 vagas nas esferas civil e militar. No Judiciário, estão previstos o preenchimento de 1.871 vagas existentes e a criação de 1.417 postos. No Judiciário, o Orçamento destina espaço para o provimento de 147 postos e a criação de sete vagas.

A Lei Orçamentária de 2020 prevê a criação de 1.011 vagas e o provimento de 205 postos na Defensoria Pública da União. Para o Ministério Público da União e o Conselho Nacional do Ministério Público, o texto estipula o preenchimento de 25 vagas existentes.

A maior parte dos provimentos será executada por meio da convocação de aprovados em concursos já realizados. A autorização para novos concursos depende do Ministério da Economia, que analisará se existem recursos para a contratação de servidores e verificará a necessidade de cada órgão. O Orçamento de 2020 destina R$ 344,6 bilhões para despesas com pessoal.

A previsão de vagas para o serviço público federal foi alterada pelo Congresso Nacional durante a tramitação do Orçamento. O projeto original da Lei Orçamentária Anual estimava 32 mil provimentos e a criação de 2 mil vagas nos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público e na Defensoria Pública da União.

Com informações da Agência Brasil

22

Jan

Segundo relatório da Ampere Analysis, os serviços de streaming de vídeo sob demanda (sVoD) devem superar os planos de assinatura paga de TV até o final de 2020 em mais de 30 países. O avanço do segmento estaria relacionado, em especial, com a chegada do Apple TV+, que ofereceu a novos donos de dispositivos da Maçã um ano de plano grátis.

A empresa de análise de dados ainda revelou que os Estados Unidos foram o primeiro do mundo no qual o serviço de streaming ultrapassou a TV a cabo, em 2016, seguido do Reino Unido, em 2018. No ano passado, o total foi de 29 países com essa marca, sendo 12 deles novos integrantes da lista. Desse número, cinco atingiu esse nível sem a presença da Apple TV+ na oferta de plataformas: Itália, Tailândia, Taiwan, Espanha e Dinamarca.

Além disso, a avaliação indica uma forte mudança no segmento desde 2016, de forma que inicialmente apenas quatro países tinham esse perfil. Em 2017, o número passou para 12 e em 2018, para 17, conforme gráfico abaixo:

Impulsionado e liderado pela Netflix, o segmento de streaming também tem crescido em termos de variedade tanto de modo amplo quanto específico. Gigantes do entretenimento, como Disney e HBO, investiram no formato assim como outras companhias digitais ou tecnológicas, como a Amazon e Apple. Enquanto isso, opções para nichos específicos começaram a surgir, como o Criterion Collection Channel e MUBI, ambos voltados para cinema autoral, clássico ou independente.

Outro estudo recente indica que o segmento irá crescer em termos de oferta de conteúdo em 2020. A Netflix deve ser o destaque nesse sentido, com investimento de US$ 17,3 bilhões em filmes, séries e outras opções para o catálogo próprio. Já os concorrentes Disney+ e HBO Max devem injetar US$ 2 bilhões cada em suas plataformas neste ano

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://m.tecmundo.com.br/cultura-geek/149518-streaming-maior-tv-paga-2020-diz-estudo.htm

22

Jan

Menos de um mês após a sua primeira apresentação, a banda potiguar de indie rock The Last Strangers (TLS) agradou o público local e sinaliza que está no caminho para mostrar seu trabalho para o restante do país. O grupo foi selecionado pela curadoria do festival Lollapalooza para integra as bandas que receberão votação popular para estrear na edição 2020 do festival. A indicação foi divulgada na noite de segunda-feira (20) e após análise das músicas e apresentações da banda, que traz composições autorais em inglês. O Lollapalooza Brasil será realizado no período de 3 a 5 de abril, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. 

A seleção faz parte do concurso cultural ‘Temos Vagas’, que vai escolher uma banda para abrir um dos festivais de mais badalados do país no dia 3 de abril e tocar ao lado de nomes como Guns N´Roses, Strokes, Lan Del Rey, Cage The Elephant, Vapire Weekend. Para quem desejar ver a banda potiguar subir aos palcos do Lollapalooza, é preciso acessar o link da banda no concurso (https://www.radiorock.com.br/temosvagas/the-last-strangers) e votar. O link também está disponível na bio do Instagram da The Last Strangers.

“Foi uma notícia incrível saber da possibilidade de tocar em um festival da dimensão do Lollapalooza. Sabemos que vamos precisar de muitos votos, já que bandas de todo o país estão concorrendo, mas só em sermos selecionados para entrar nesse concurso, que tem uma rígida seleção, já nos deixa bastante orgulhosos e confiantes de que estamos na direção certa ao fazer um som e música que divertem”, diz a vocalista da TLS, Carla Michelle. 

Formada há cerca de um ano, a banda fez a primeira apresentação no dia 28 de dezembro, durante o festival Garagem de Rua, promovido pela Prefeitura de Natal dentro da programação do ‘Natal em Natal’. O sucesso da estreia levou o grupo a fazer o primeiro show, realizado no início do mês no bar El Rock, em Candelária, e agradou com um som autoral contagiante. 

A The Last Strangers possui uma base sólida e conta com uma grande sinergia entre os seus atuais integrantes. É liderada pela publicitária e vocalista Carla Michelle, o baixista Eber Freitas, que já toca com outros músicos e bandas de Natal, o baterista Henrique França e Vanessa Porcina, que faz backing vocal. O músico Diego Brasil também dá contribuição para o trabalho do grupo.

O primeiro single, "Outside", está disponível no Spotify (https://open.spotify.com/album/0QaiGJNX9P9B48qeGwZaRq), no canal da TLS no YouTube  (https://www.youtube.com/watch?reload=9&v=84Nu3SrtDpo)e nas maiores plataformas online. Além disso, mais quatro músicas autorais gravadas recentemente ao vivo no Estúdio Garagem estão em fase final de produção para comporem o primeiro EP.

21

Jan

Instituição filantrópica pioneira no tratamento do Câncer Infantil e referência em Neurocirurgia Pediátrica no Estado do Rio Grande do Norte, o Hospital Infantil Varela Santiago ganhou um reforço de peso no seu time de parceiros. O Supermercado Nordestão integrou a instituição ao seu projeto Troco Solidário ao lado da Casa Durval Paiva.

A partir deste mês, os clientes poderão doar o seu troco nos terminais dos caixas de todas as lojas para serem repassados integralmente para as duas instituições. O Varela Santiago completou 102 anos de fundação em 2019. O Hospital realiza 14 mil atendimentos por mês e conta com o suporte de 480 funcionários.

21

Jan

A Cinépolis, maior operadora de cinemas da América Latina e segunda maior do mundo em ingressos vendidos, inaugura em um evento para convidados nesta quarta-feira (22), sua nova Sala de Arte, além de duas salas VIP em seu complexo no Natal Shopping. A sala 04 passa a ser a nova Sala de Arte do complexo. Será voltada exclusivamente para a exibição de filmes do circuito de arte celebrados em festivais ao redor do mundo, além de clássicos. O espaço será permanente para o público se deliciar com o que há de mais cult nas telonas e estará aberto ao público a partir desta quinta-feira (23).

A Sala de Arte possui 143 lugares, sendo quatro para cadeirantes. Com a expansão, o complexo passa a ter oito salas: três tradicionais, a nova Sala de Arte, uma Macro XE e três salas VIP, totalizando 1.190 lugares, 32 deles para cadeirantes. As quatro salas tradicionais contam com projeção digital: duas com tecnologia 3D e duas com tecnologia 2D, totalizando 616 lugares numerados, 16 vagas para cadeirantes.

Todas as salas têm formato stadium, poltronas reclináveis, braço removível (tipo namoradeira), óculos 3D em tamanho infantil e adulto e som digital 7.1 Surround. A sala Macro XE possui projeção com alta definição e clareza e som digital triamplificado com 13.000 watts de potência. Sua tela tem mais de 17 metros (total de 171m2) e tem capacidade de 326 lugares e 7 vagas para cadeirantes.

As duas novas salas vips possuem 148 lugares numerados e seis vagas para cadeirantes, sendo uma delas com tecnologia 2D e a outra 3D. Ambas têm formato stadium, poltronas de couro com comando elétrico e totalmente reclináveis, carregadores USB, braço removível (tipo namoradeira), óculos 3D em tamanho infantil e adulto e som digital 7.1 Surround. O acesso às salas contará com um lobby exclusivo e com a bombonière VIP, transformando a experiência do cinema em algo ainda mais incrível.

O cardápio trará uma grande variedade de pratos VIP como o exclusivo Hot Dog feito com pão e salsicha especiais, bacon bits e cheddar importados; Boneless Chicken Tenders; Mini Hamburguer Sliders; Mini Hot Dog com Batata Smiles; Crepes; Sanduíche de Pernil e Churros gourmet. Já as tradicionais pipocas trarão temperos exclusivos como Lemon Pepper, Doce e Salgada, além da Pipoca Mix, que permite misturar diferentes sabores e temperos.

O grande diferencial no atendimento fica por conta do serviço exclusivo dentro das salas VIP, onde os clientes poderão ser servidos em suas poltronas até o início do filme, solicitando quaisquer serviços da bombonière, incluindo os pratos VIP.

21

Jan

A quantidade de pessoas desempregadas no mundo deve aumentar este ano para 190,5 milhões, mostrou um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) publicado nesta segunda-feira (20). Em seu relatório anual sobre o emprego no mundo, a OIT indica que, após permanecer “relativamente estável nos últimos nove anos”, o desemprego em todo o mundo deve aumentar novamente devido à desaceleração do crescimento econômico.

O número de desempregados deve aumentar em 2,5 milhões em 2020 porque, enquanto a força de trabalho aumenta, não estão sendo criados empregos suficientes para absorver os recém-chegados ao mercado de trabalho. A taxa de desemprego global foi de 5,4% em 2019 e deve permanecer em torno desse valor nos próximos dois anos, o que significa que seu declínio progressivo registrado entre 2009 e 2018 define o ritmo.

Ao incluir as pessoas subempregadas ou que não estão procurando mais trabalho, o número chega a 470 milhões, adicionando 165 milhões de pessoas que têm emprego, mas gostariam de trabalhar mais e 120 milhões que abandonaram a busca ativa ou não têm aceso ao mercado de trabalho. “Para milhões de pessoas comuns, é cada vez mais difícil construir uma vida melhor graças ao trabalho”, disse o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, em entrevista coletiva.

“A persistência e a amplitude da exclusão e das desigualdades relacionadas ao trabalho impedem que eles encontrem trabalho decente e forjem um futuro melhor. Esta é uma conclusão extremamente preocupante que tem sérias e alarmantes repercussões na coesão social”, afirmou.

O acesso ao emprego remunerado não garante trabalho decente. Quase 61% da força de trabalho do mundo realiza trabalhos informais e mal remunerados ou que oferecem pouco ou nenhum acesso à proteção social e aos direitos trabalhistas.

Da mesma forma, mais de 630 milhões de trabalhadores no mundo – isto é, uma em cada cinco pessoas na população ativa do mundo – vive em condições de pobreza extrema ou moderada (definida por ganhos de mais de US$ 3,20 dólares, cerca de R$ 13, por dia em termos de paridade do poder de compra). Espera-se que esse fenômeno aumente em 2020 e 2021 nos países em desenvolvimento.

Desemprego no Brasil

Para o Brasil, a OIT estimou o país deve encerrar o ano com 12,9 milhões de desempregados. Se essa previsão se confirmar, haverá uma pequena redução em relação ao observado em 2019. A organização estima que o pais encerrou o ano passado com 13 milhões de desempregados.