Comunicação, estratégia e mercado

O Blog da Juliska é um espaço para falar sobre os temas acima e ainda trazer dicas, abordar as tendências, acompanhar novidades do mundo corporativo, das mídias sociais e do mercado publicitário. Interaja comentando nos posts ou pelo e-mail juliska.azevedo@gmail.com. Conto com sua companhia!

23

Jan

Os alunos da Roboeduc conquistaram nove medalhas na disputa teórica da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), principal competição do segmento no país. Dessas, cinco são de ouro, três de bronze e uma de mérito. A prova ocorreu em julho de 2018 e, agora em janeiro, foram divulgados os resultados. O estudante Heitor Lira de Freitas, de 7 anos, além de conquistar a medalha de ouro, conseguiu acertar todas as questões da prova, o que deixou ainda mais alegre seus pais, que acompanhavam a entrega da medalha.

“Ele começou na robótica na colônia de férias. Fomos incentivando e, hoje, estamos colhendo os frutos. Percebemos que ele desenvolveu construção da lógica. O processo de preparação para a competição ajudou ele nesse sentido e, com certeza, o que ele aprende aqui vai ajudar muito no futuro”, contou Rodrigo Freitas, engenheiro civil e pai de Heitor.

Para Jadiliana Tavares, coordenadora pedagógica da Roboeduc, ter participado da OBR já é um feito importante. “A conquista das nove medalhas é um resultado expressivo para nós, mas o empenho dos alunos em colocar em prática o que aprendem aqui na Roboeduc é o nosso maior orgulho”, frisa.

Competição

Os participantes responderam questões elaboradas por uma comissão formada por professores e pesquisadores de diversas instituições de ensino. A prova foi aplicada simultaneamente em todas as escolas participantes do país. A Olimpíada Brasileira de Robótica tem o objetivo de estimular jovens para seguir carreiras científico-tecnológicas, além de identificar jovens talentosos na área.

23

Jan

Mulheres são maioria entre os candidatos "nota mil" na redação do Exame Nacional do Ensino Médio *(Enem). Das 55 redações que tiraram a nota máxima na prova, 42, ou seja, 76%, foram escritas por mulheres, informou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro a mais de 4,1 milhões de estudantes em todo o país. O tema da redação foi Manipulação do Comportamento do Usuário pelo Controle de Dados na Internet.

A maior parte dos estudantes com a nota máxima é da Região Sudeste, que concentrou 33 dos melhores textos – 14 eram do Rio de Janeiro e 14 de Minas Gerais. A Região Nordeste aparece em segundo lugar, com 14 textos nota mil. Em relação aos municípios, o Rio de Janeiro lidera com cinco redações, seguido por Fortaleza, com quatro.

Filosofia, filmes e ioga

A professora Regiane ressalta que os dados divulgados pelo Inep reforçam algo que ela observa no dia a dia. "As meninas são mais estudiosas, mas comprometidas com o estudo de forma geral", diz a professora. Elas são também maioria entre os que ingressaram na faculdade, 54%, de acordo com o último Censo da Educação Superior, e as que mais concluíram os estudos, cerca de 60% do total.

À Agência Brasil, Regiane, que é dona do 100% Redação, curso de língua portuguesa em Franca e Ribeirão Preto, em São Paulo, deu também algumas dicas para um bom texto. O preparo para fazer uma boa redação no Enem vai além de simples técnica, diz a professora. O cursinho que Aimée frequentou nos últimos três anos oferece também aulas de humanidades, sessões de filmes, aulas de ioga e técnicas de respiração. “O aluno tem que saber interpretar texto e, para isso, precisa saber o contexto histórico e o contexto filosófico.”

A professora destaca também a necessidade de despertar o interesse dos estudantes para que eles mesmos tenham a iniciativa de se informar e estudar. Filmes e documentários são usados como porta de entrada para obras clássicas da literatura e para a leitura de pensadores. Um dos programas recomendados por Regiane é o Café Filosófico, do Instituto CPFL - Companhia Paulista de Força e Luz. “Não obrigamos os estudantes a nada, colocamos tudo nas mãos deles, até a escrita. O jogo é muito aberto. Explicamos que, se o aluno faz, vai ter resultado. Se não fez, vai colher também [as consequências]”, acrescenta.

Com informações da Agência Brasil

23

Jan

O The Reveal teve acesso a documentos internos do Facebook que detalham como a empresa conseguiu dinheiro através de transações comerciais com crianças anos atrás. De acordo com os documentos, os próprios funcionários do Facebook estavam preocupados com o fato de estarem enganando crianças que acumulam centenas e - às vezes milhares - de dólares em cobranças de jogos. As informações são do Portal Tecmundo.

Para quem não lembra, em 2012 o Facebook lutou contra uma ação coletiva que alegava que a empresa estava lucrando graças às crianças que acidentalmente acumulavam enormes taxas de cartão de crédito. Na época, o autor principal do caso estava jogando no Facebook quando pediu o cartão de crédito de sua mãe emprestado para fazer uma compra de U$20 no jogo. Segundo os advogados, os pais acreditaram que a criança estava fazendo compras utilizando uma "moeda virtual", o que fez com que várias dívidas fossem feitas no mesmo cartão por semanas sem perceber.

Quando receberam a conta, a mãe da criança solicitou que o Facebook reembolsasse o valor, dizendo nunca ter autorizado qualquer cobrança além dos U$20 originais. No entanto, a empresa nunca devolveu o dinheiro, forçando a família a entrar com uma ação judicial para conseguir o valor de volta.

O caso foi encerrado em 2016 de força confidencial, mas o The Reveal solicitou judicialmente que esses documentos fossem divulgados por trazerem informações importantes sobre as transações comerciais da rede social com menores de idade. Na última segunda-feira, o tribunal concordou em liberar alguns desses registros, dando ao Facebook o prazo de dez dias para disponibilizar mais de cem páginas ao público.

Visto que a rede social vem passando por vários escândalos nos últimos anos, como vazamento de dados de usuários e postagens de notícias falsas, a divulgação desses documentos internos deve esclarecer ao público como o Facebook lida com seus usuários e clientes que confiam seus dados pessoais, mesmo que os jogos sejam somente uma parte de tudo isso.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://m.tecmundo.com.br/redes-sociais/138084-facebook-devera-liberar-documentos-transacoes-comerciais-criancas.ht

23

Jan

Os jovens dos países em desenvolvimento estão enfrentando um ambiente perverso. Cerca de 20% da população de 15 a 24 anos não estuda nem trabalha, segundo um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado na úçtima terça-feira (22). A fatia apurada equivale ao dobro do observado nos países avançados.

A ausência de jovens do mercado de trabalho e da escola tem como principal consequência a redução do crescimento potencial dos países e aumento dos conflitos sociais, de acordo com o FMI. As economias emergentes costumam se beneficiar da entrada de novas pessoas no mercado de trabalho para acelerar o crescimento. Se essa força de trabalho não é bem utilizada, o avanço econômico dos países acaba limitado.

“A perda potencial implícita para a economia é agravada pela demografia – cerca de um terço da população em idade ativa nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento é composta por uma população jovem, quase o dobro da participação observada nas economias avançadas”, escreveu o FMI no relatório.O estudo também mostrou que, apesar de o desemprego juvenil ter recuado nos anos 2000, ele segue elevado nos países emergentes, em 18%. Nas economias avançadas, é de 12%.

Uma das explicações para os resultados ruins do mercado de trabalho entre jovens se dá pela diferença de condição entre gêneros. Segundo o FMI, a taxa de mulheres que não trabalha nem estuda é de 30% nas economias emergentes. É o dobro do apurado entre homens jovens na mesma posição.“Essa discrepância pode ser explicada pela consequência econômica de ter filhos”, disse o FMI.

Políticas necessárias

De acordo com o FMI, várias políticas podem ajudar a melhorar a condição do jovem no mercado de trabalho. A melhora da educação, por exemplo, é fundamental, mas sozinha não deve resolver. Também será preciso, de acordo com o órgão, adotar medidas que tragam a igualdade entre gêneros, melhorar as regulamentações do mercado de trabalho, com a limitação de regras excessivamente rigorosas, e incentivar o empreendedorismo.

23

Jan

No ano passado, foi implementada na Europa uma nova lei destinada à proteção de dados dos usuários. Criou-se, então, a expectativa sobre como essa lei impactaria nas movimentações de empresas gigantes da tecnologia. As informações são do Portal B9.

O primeiro grande caso aconteceu nessa semana. Segundo o Portal, o Google foi multado em 57 milhões de euros, como reportou o New York Times. O motivo da multa é a metodologia de trabalho do Google, que não é transparente quanto à forma que coleta os dados dos usuários por meio de seus serviços (como o mecanismo de pesquisa, o Google Maps e o YouTube) para criar anúncios personalizados.

De acordo com a CNIL (Comissão Nacional de Informática e Liberdade), o Google dificulta que seus usuários entendam e gerenciem suas preferências em relação ao uso de seus dados pessoais, especialmente em termos de publicidade direcionada. Em suma: as pessoas não teriam pleno controle sobre como o Google manuseia os dados coletados.

Questionado sobre a multa, um porta-voz do Google disse que a empresa está comprometida com as novas normas européias e pretende atender aos “altos padrões de transparência e controle” que se espera dela. É provável, então, que a empresa vá atualizar suas políticas de uso em breve, como já fez o Facebook.

Empresas como o Google e o Facebook são constantemente questionadas a respeito da privacidade de seus usuários. No caso da companhia de Mark Zuckerberg, porém, houve um preparo especial para se adequar às novas leis de privacidade da Europa. Em 2018, o Facebook divulgou seus princípios de privacidade e segurançapara evitar casos como o do Google.

Fonte: B9, disponível em: https://www.b9.com.br/102628/google-e-multado-em-57-milhoes-de-euros-por-violacao-de-privacidade/amp

23

Jan

Sabe quando você descobre aquele filme ou série que te conquista navegando pela Netflix? Pois agora, em vez de contar para cada um de seus amigos sobre seu grande achado, você vai poder compartilhar sua sugestão diretamente para os Stories do Instagram para que todos os seus seguidores vejam o que você está assisitindo. As informações são do Portal Tecmundo.

De acordo com a matéria, para utilizar a nova ferramenta, basta acessar o aplicativo da Netflix no iPhone – o recurso ainda não está disponível para Android –, selecionar um conteúdo, clicar em “compartilhar” e escolher a opção Instagram Stories. O post vai ficar disponível por 24 horas e, além da arte oficial do conteúdo, será acompanhado de um link que redirecionará os usuários para a página deste conteúdo no aplicativo da Netflix. Também é possível compartilhar filmes e séries por Direct Message.

O recurso já está disponível para usuários do sistema operacional iOS, mas muito em breve vai chegar ao Android. Em um futuro próximo também, vai ser possível compartilhar conteúdo da Netflix por meio do Snapchat.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://m.tecmundo.com.br/internet/138092-voce-compartilhar-conteudo-netflix-stories-instagram.htm

22

Jan

O comportamento dos motoristas no trânsito será ainda mais monitorado. Em busca de captar irregularidades ao volante, que pesam no bolso e na carteira (a de habilitação), o Reino Unido estreou uma tecnologia que flagra através de câmeras de trânsito quem está mexendo no celular enquanto dirige.

De acordo com o Daily Mail, o aparelho também identifica quem está no celular, comendo ou fumando no volante. Ele vai além disso: enxerga até se pessoas estão sem cinto de segurança dentro do automóvel. O radar que funciona com infravermelho, é capaz de enxergar mesmo durante a noite.

Os equipamentos, ainda segundo o jornal britânico, são colocadas em pares separados por um mínimo de 200 metros, para detectar a velocidade média dos carros.  Assim, o sistema detecta aquilo que o motorista está manuseando que não seja o próprio volante.

Com informações do UOL

22

Jan

O primeiro sistema de Educação a Distância (EaD) que trabalha a robótica educacional no país e foi desenvolvido em Natal (RN), o Roboeduc Inbox, apresentou excelente aceitação no mercado brasileiro. Desde que foi lançado, em abril de 2018, o Inbox já chegou a 11 estados e ao Distrito Federal (DF). Cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Minas Gerais (MG), Goiás (GO), Mato Grosso (MT), Pará (PA), Maranhão (MA), Pernambuco (PE), Alagoas (AL), Paraíba (PB) e Rio Grande do Norte (RN) já contam com a novidade para estimular o ensino.

Ao todo, são mais de trinta municípios atendidos pelo sistema. No estado potiguar, por exemplo, além de Natal, as cidades de Brejinho, Macau e Caiçara do Norte já aderiram ao Inbox para as aulas de robótica educacional. A previsão é que em 2019 esse percentual continue em evolução, uma vez que o produto pode ser adquirido por clientes de diversos perfis, como escolas, prefeituras e consumidor final, tornando a robótica cada vez mais acessível a todos.

Nesta segunda-feira (21), o empresário Cássio Leandro, que está à frente da marca, embarcou para reuniões nas cidades de São Paulo (SP) e Ribeirão Preto (SP). A meta é fechar novas parcerias para atender escolas da região.

22

Jan

Uma startup genuinamente potiguar, formada por jovens empreendedores, lançou no mercado um novo serviço com a missão de impactar o mercado nacional. Único na América Latina, o aplicativo mobile da Outgo chega ao mercado para responder ao objetivo de levar praticidade e agilidade à rotina sobrecarregada dos produtores de eventos, principais clientes da marca.

O app oferece soluções que permitem aos produtores o gerenciamento de seus eventos e venda de ingressos com inovação, desburocratização e instantaneidade, reduzindo a necessidade de lidar com mais um fornecedor intermediário. "É a maneira mais prática e interativa de vender ingressos online no Brasil", destacou Breno Fontes, CEO da empresa. "A vida do produtor é mobile. Com o aplicativo, o produtor pode resolver tudo pelo celular, sem a necessidade do intermédio de fornecedores ou de ter que parar para sentar na frente de um computador".

Entre as funcionalidades exclusivas que o app oferece estão a criação de eventos, atualização de informações e banners, lançamento de novos lotes de ingressos, gerenciamento das compras e participantes, relatório de vendas, transferência de ingresso, check-in nos eventos, além do cadastro de sócios que poderão ter acesso a todas essas funções no respectivo evento.

Na noite de lançamento do mais novo serviço oferecido pela empresa, nesta quinta-feira, no Sebrae/RN, Breno Fontes afirmou que o principal objetivo é o de facilitar a vida de quem trabalha com eventos. "Esse novo app dá o potencial para a empresa impactar o mercado de eventos nacional, trazendo mais praticidade para o setor por permitir uma gestão de eventos e ingressos completamente mobile. É um produto inédito na América Latina", disse.

Focada em venda de ingressos online, a Outgo é um dos maiores marketplaces do Rio Grande do Norte, tendo movimentado mais de 26 milhões de reais em vendas em quatro anos de atividade. Iniciou a atuação em 2014, alcançou clientes em 14 estados do Brasil e passou por diversos momentos de renovação. Além do lançamento do aplicativo, a startup remodelou o site e redes sociais e criou um mascote – o Otto. "O nosso objetivo é oferecer novas experiências ao nosso público, que pode ter acesso à novas possibilidades", comentou Monnaliza Medeiros, gerente de marketing da Outgo.

22

Jan

O Burburinho Festival de Artes chega à terceira edição seguindo o princípio de integrar diversos segmentos artísticos e oferecer ao público potiguar uma programação cultural de qualidade, com acesso gratuito. O festival acontece nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro, no Bosque das Mangueiras, a partir das 14h. Dança, teatro, cinema, literatura, artes visuais e música compõem a programação de classificação livre.

A web série “Como Se Faz Um Burburinho” é uma das novidades da atual edição do projeto, que a cada ano busca se reinventar e ficar mais perto do seu público. Nela os espectadores podem conferir um pouco dos bastidores de pré-produção do evento, reuniões de planejamento, além de conhecer a equipe que faz tudo funcionar.

O segundo episódio está disponível no site www.burburinhofestivaldeartes.com e também no canal do Festival no Youtube. O Burburinho Festival de Artes é uma iniciativa da Pinote Mídia & Produção Cultural e conta com os patrocínios da Prefeitura do Natal, por meio do Programa Djalma Maranhão e da Unimed Natal.