Comunicação

30

Out

Comunicação

Práticas inovadoras das varas e juizados da Justiça do RN são premiadas

Quarenta e quatro unidades judiciárias serão premiadas nesta terça-feira (30), às 14h30, pelos objetivos atingidos em produtividade, referentes ao ano de 2017, com a entrega do “Prêmio por Gestão e Produtividade” do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte. A solenidade será presidida pelo desembargador Expedito Ferreira, dirigente do TJRN.

O prêmio incentiva a implantação de práticas inovadoras nas varas e juizados da Justiça estadual, valorizando o trabalho de magistrados e servidores, representando mais um compromisso assumido pelo presidente do TJ durante sua posse, em janeiro de 2017. Expedito Ferreira lembra que o prêmio contempla 224 servidores e 34 magistrados, componentes dessas unidades, do terceiro ao primeiro lugar em cada uma das categorias.

A Resolução nº 219/2017, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), prevê que os tribunais estabeleçam prêmios de produtividade para estimular o aumento da eficiência. As unidades premiadas foram avaliadas durante os meses de maio a dezembro do ano passado. Para as premiações a partir de 2018, serão avaliados os resultados de janeiro a dezembro.

Valorização

O juiz auxiliar da Presidência do TJRN, João Afonso Pordeus, aponta que “o Conselho Nacional de Justiça vem encampando uma política mais ampla de valorização dos servidores, de valorização do primeiro grau, de melhor equacionamento da força de trabalho entre unidades jurisdicionais e tem incentivado que os tribunais criem essas premiações que envolvem o estímulo ao servidor”.

O magistrado afirma que o objetivo final do prêmio é que haja uma melhora na prestação de serviço em favor do cidadão que necessita dos serviços da Justiça. “A importância está em aumentar nossa produtividade, beneficiando nosso público. O jurisdicionado ganha a produtividade e a celeridade”, explica o juiz João Pordeus.

29

Out

Comunicação

Evento de empreendedorismo na UFRN explora liderança, inovação e varejo em cases de sucesso

A InPACTA – empresa incubadora da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está na organização do III Fórum Sinergia Corporativa, com o tema Desenvolvendo as habilidades do futuro, no presente. O evento de empreendedorismo acontece em ciclos: nos dias 27 de outubro, 24 de novembro e 15 de dezembro, no auditório do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) – Campus Central.

O evento é promovido pela empresa de consultoria Convictus Sinergia Corporativa, e conta ainda com a parceria de estudantes da UFRN por meio das empresas juniores Caroá Design (curso de Design), EmQuadro (curso de Audiovisual), 59Mil (curso de Publicidade) e a EJECT (curso de Ciências e Tecnologia).

Serão explorados temas como liderança, inovação e varejo através de cases e histórias de sucesso. São 12 palestras, sendo quatro em cada mês. No dia 27, os palestrantes convidados são Tiago Santos, da InLoco Media, Gabriela Noronha, gerente de relacionamento do LinkedIn, Júlio César Mendes, do aplicativo de delivery iFood, e Vanessa Amorim, da Multiplus SA.

Buscando aproximar alunos de graduação e pós-graduação, o evento oferece o código Sinergia_Inpacta com 40% de desconto, limitado a 100 ingressos. Os 50 primeiros pagantes ganharão o livro A Cura Empresarial, do empresário Fred Alecrim. Há também a disponibilidade de 20 bolsas para alunos assistidos pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) que cursam áreas de engenharia, administração ou marketing.

As inscrições são pelo site. Mais informações na página do evento no Facebook ou pelos telefones 9 8105-2911 (falar com Emanuel) ou 9 9161-2405 (falar com Washington).

29

Out

Comunicação

Encontro nacional discute mídia, esporte e educação física no âmbito escolar

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) sedia, entre os dias 22 e 24 de novembro, o VII Encontro Nacional do Observatório da Mídia Esportiva (Enome), no Departamento de Física da UFRN. O Enome tem como tema Quem emancipa a emancipação na Educação Física? Cuidávamos estar perto do porto, mas somos lançados em pleno mar alto.

O evento é um espaço para discussão e socialização do conhecimento produzido entre profissionais e pesquisadores das áreas de educação física, esporte e mídia/tecnologias, principalmente no âmbito escolar.

Organizado pelo Laboratório de Estudos em Educação Física, Esporte e Mídia (Lefem) da UFRN, o encontro tem como objetivo tornar acessível à comunidade universitária a produção de pesquisas e experiências na área, por meio da divulgação dos trabalhos apresentados e conversas de cunho formativo. Para participar e obter mais informações, acesse a página do Enome no Facebook.

26

Out

Comunicação

Vídeos da Justiça Eleitoral esclarecem dúvidas sobre boatos e Fake News nas eleições

Quatorze vídeos produzidos e veiculados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a partir de suas redes sociais, ajudam os eleitores brasileiros a refutar informações falsas que circularam na internet. O objetivo é deixá-los mais bem esclarecidos antes e durante o dia da votação no segundo turno das Eleições 2018.

Os vídeos foram produzidos pela Assessoria de Comunicação (Ascom) do TSE, e constituem uma resposta aos ataques que a Justiça Eleitoral sofreu durante o primeiro turno das Eleições 2018 – em especial, no dia 7 de outubro, data do pleito.

A ofensiva contra o Judiciário baseou-se, sobretudo, na disseminação de vídeos anônimos com informações falsas ou distorcidas sobre as urnas eletrônicas, além de alegações infundadas de supostas fraudes nas eleições.

Até o momento, 12 vídeos já foram veiculados pelo TSE, com duração variável entre 45 e 75 segundos. Em linguagem simples e acessível, o material busca orientar o eleitor a não acreditar em boatos que ponham em dúvida a lisura do processo eleitoral.

Temas como horário de votação, funcionamento das urnas, registro de queixas, suspensão do voto e boletins de urna, entre outros, são abordados de forma clara e incisiva, contribuindo para que o eleitor vote com a certeza de que as eleições brasileiras são conduzidas de forma absolutamente legal e justa.

“Nossa intenção é que este conteúdo sirva para proporcionar acesso à informação verdadeira, com agilidade e na mesma linguagem utilizada nas redes sociais”, afirma a assessora-chefe de Comunicação do TSE, Ana Cristina Rosa.

A série completa de vídeos pode ser acessada a partir do canal oficial do TSE no YouTube. O material está sendo divulgado também por meio de perfis que a Justiça Eleitoral mantém no FacebookTwitter e Instagram.

Confira abaixo os 12 vídeos da Série produzidos até o momento:

Só o eleitor pode anular o próprio voto - https://www.youtube.com/watch?v=mzLoRoXA_uo
Código 555 e a suspensão do voto - https://www.youtube.com/watch?v=x1CILSxY2RE
NÃO é possível solicitar voto em papel! - https://www.youtube.com/watch?v=QMgoAWZg4go
Saiba como ter acesso ao boletim de urna - https://www.youtube.com/watch?v=wFHYbLIPRSg
Esclarecimentos sobre o dia da votação - https://www.youtube.com/watch?v=2HDSe1xYADc
Tumultuar a votação é crime! - https://www.youtube.com/watch?v=lfdsVyYQSa0
Urna eletrônica é totalmente segura! - https://www.youtube.com/watch?v=PpGZGSZqwhQ
Falha NÃO é fraude - https://www.youtube.com/watch?v=8rEQRDxbm5Q
Presenciou alguma irregularidade no dia da votação? Denuncie - https://www.youtube.com/watch?v=jZQ5Kih-yQQ
Votação será de 8h às 17h, no horário local - https://www.youtube.com/watch?v=Oo78OJVvizE
Saiba mais sobre a totalização dos votos - https://www.youtube.com/watch?v=gyqG_7wn5kI
Aplicativo Pardal ganha nova funcionalidade - https://www.youtube.com/watch?v=G7cx0WoZfrw

Fonte: TSE

25

Out

Comunicação

Jovens têm mais facilidade para diferenciar notícia de opinião do que leitores com mais de 50 anos, diz pesquisa feita nos EUA

Nova pesquisa do Pew Research Center feita nos Estados Unidos traz uma boa notícia para jornalismo na era digital. O estudo, realizado de 22 de fevereiro a 4 de março deste ano, revela que os entrevistados de idades entre 18 e 49 anos foram mais propensos a categorizar com precisão as declarações factuais e as de opinião do que aqueles acima de 50 anos.

Um terço dessa faixa etária identificou corretamente todos os cinco itens de notícias em um teste, em comparação com 20% daqueles do grupo com idade mais avançada. Além disso, 44% dos mais jovem relacionaram corretamente todos os itens de opinião (também cinco), em comparação com 26% dos idosos.

Na análise individual das dez afirmações, a pesquisa mostra que os adultos jovens não só têm mais capacidade de diferenciar corretamente as declarações factuais das de opinião, como também podem fazê-lo independentemente do apelo ideológico das declarações.

Essa capacidade, diz o estudo, pode estar ligada ao fato de que adultos mais jovens têm menor probabilidade de se identificarem fortemente com os partidos políticos. Os norte-americanos entre 18 e 49 anos também são mais "versados digitalmente" do que os mais velhos, característica que também está ligada a um maior sucesso na classificação das notícias.

Fonte: ANJ / Disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/13713-jovens-tem-mais-facilidade-para-diferenciar-noticia-de-opiniao-do-que-leitores-com-mais-de-50-anos-diz-pesquisa-feita-nos-eua.html

25

Out

Comunicação

Aeroporto Internacional de São Gonçalo (RN) é avaliado como o quinto melhor do país

O Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN), ficou com nota 4,38 no indicador que mede a satisfação geral do passageiro, numa escala de 1 a 5, onde 1 é “muito ruim” e 5 é “muito bom”. A meta estipulada pelo governo é 4. Com o resultado, o terminal ficou em quinto lugar na categoria de até 5 milhões de passageiros por ano, de acordo com a Pesquisa de Satisfação do Passageiro, do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação.

Dentre as maiores notas, o terminal se destacou nos itens: limpeza geral do aeroporto (4,61), cordialidade e prestatividade dos funcionários da inspeção de segurança (4,59), disponibilidade de acentos na sala de embarque (4,57) e velocidade de restituição de bagagem (4,48).

Entretanto, os passageiros demonstraram insatisfação em relação ao custo-benefício do estacionamento (2,60), quantidade e qualidade de estabelecimentos comerciais (3,53), disponibilidade de tomadas (3,84) e disponibilidade de transporte público para o aeroporto (3,93).

SATISFAÇÃO GERAL – Os passageiros brasileiros e estrangeiros entrevistados pela pesquisa estão satisfeitos com os serviços oferecidos em 19 dos 20 principais aeroportos brasileiros. A proporção de aprovação chega a 89% dos entrevistados, que avaliaram os terminais como “bons” ou “muito bons”. A média de Satisfação Geral chegou a 4,36. O levantamento revela também que 79% dos 38 indicadores de percepção avaliados pelos passageiros nos 20 aeroportos registraram notas médias acima de 4, cumprindo a meta estabelecida pela Conaero.

ABAIXO DA META – Seis dos oito indicadores referentes às facilidades ao passageiro, ligados aos serviços comerciais nos aeroportos, receberam as avaliações abaixo da nota 4, na média dos 20 aeroportos. Na opinião dos usuários, as principais queixas foram: disponibilidade de bancos, caixas eletrônicos ou casas de câmbio (3,69); custo-benefício do estacionamento (3,14); valor dos produtos comerciais (3,08) e o preço cobrado pelos alimentos, que teve a menor nota entre todos os indicadores, 2,93. A qualidade da internet (3,51) e a disponibilidade de tomadas (3,88) foram os únicos quesitos considerados “regular” entre os 16 indicadores do agrupamento que avalia a infraestrutura aeroportuária dos terminais.

Ao todo, foram ouvidas 21.206 pessoas no trimestre por pesquisadores da Praxian – Business & Marketing e o nível de confiança do levantamento é de 95%, com margem de erro de 5%.

Fonte: Ministério dos Transportes, Portos e Aviação, via Fecomércio

24

Out

Comunicação

Para especialistas, comportamento do eleitor e método utilizado explicam imprecisão de pesquisas

Como já ocorreu em campanhas eleitorais anteriores, as pesquisas de opinião sobre intenção de votos estão de novo sendo questionadas. Isto porque em alguns casos a diferença entre o resultado da pesquisa e os percentuais finais apurados pela Justiça Eleitoral variam muito. Nas eleições deste ano, a crítica ficou mais contundente porque os principais colégios eleitorais do país e que concentram o maior número de eleitores – São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro -, além do Distrito Federal, apresentaram grande distorção entre a estimativa e o resultado de fato.

Para Cláudio Gonçalves Couto, cientista político da Fundação Getulio Vargas, o comportamento do eleitor ajuda a entender a disparidade entre o resultado das pesquisas e o resultado final do pleito. “As grandes viradas e as grandes mudanças repentinas em relação às últimas pesquisas ocorreram na eleição para governador de vários estados, sobretudo no Sudeste do país, e nas eleições para o Legislativo. Isso acontece porque depois de prestar muita atenção na eleição presidencial, o eleitor diz ‘agora deixa eu ver o que farei na eleição do meu estado’, quando escolhe o governador”. Segundo ele, o mesmo fenômeno se observou na escolha dos senadores, também por voto majoritário.

De acordo com o cientista político, é comum haver descolamento entre a escolha nacional e os votos estaduais, “mas nesta eleição, pelo grau de polarização do ambiente político, o eleitor acabou sendo movido pelo seu humor relativo à eleição nacional”. O fenômeno explicaria o bom desempenho de Witzel, no Rio, e de Zema, em Minas - alinhados à candidatura presidencial de Jair Bolsonaro (PSL).

Erro e influência

Mais crítico, o cientista político da Universidade de São Paulo (USP) Glauco Peres da Silva aponta que houve erros também nos levantamentos de intenção de voto presidencial. Ele aponta dois conjuntos de fatores que explicariam a diferença. “De um lado existem problemas de aplicação, coleta de dados, dos números. Do outro, a influência na decisão das pessoas. As pesquisas têm problemas metodológicos sérios. Mesmo erradas, as pessoas mudam de opinião por causa delas”, enfatiza.

A maior crítica do cientista político é com as amostras que não são de fato aleatórias. Para Glauco da Silva, “na prática não há uma pesquisa que vá ser perfeitamente aleatória. Isso não vai existir. A gente vai ter sempre um grau de interferência. Em alguns casos, isso é pior."

Metodologia

Os especialistas criticam as metodologias dos principais institutos de pesquisa. Alguns aplicam questionários em pontos de fluxo de grande circulação com cotas de pessoas a serem representadas na amostra, sem respeitar a aleatoriedade que poderia haver na abordagem em domicílio, quando a pesquisa é feita de porta em porta, seguindo critérios estatísticos.

Há também discussões entre especialistas sobre os levantamentos feitos por telefone – se são pesquisas ou enquetes. Quem critica, lembra que o conjunto de eleitores que vota é diferente do conjunto de pessoas que usa e atende telefones, e que apenas os que têm voto decidido permanecem até o fim da ligação (feita por robô). Quem defende, lembra que o procedimento é mais rápido e fidedigno, pois capta inclusive o “voto envergonhado”.

Todas as pesquisas eleitorais precisam estar registradas na Justiça Eleitoral. O site do Tribunal Superior Eleitoral publica um extrato do contrato da pesquisa, informando preços do levantamento, composição da amostra, responsável técnico, questões aplicadas e os locais de aplicação, quando feitas na rua ou em domicílio, entre outras informações.

Com informações da Agência Brasil

24

Out

Comunicação

Agências de checagem de notícias apresentam propostas ao Tribunal Superior Eleitoral

Os sites, agências e projetos de checagem Aos Fatos, Lupa, Truco/Pública, Comprova, Estadão Verifica, Boatos.org e E-farsas apresentaram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um documento com propostas concretas para a reta final do segundo turno das eleições. O grupo solicitou um canal unificado entre a corte e essas iniciativas no sábado e domingo.

“Nesse canal, seriam feitas perguntas objetivas de checagem e entregues respostas igualmente objetivas”, diz o documento.

As agências requereram também que o Tribunal disponibilize especialistas em direito eleitoral e sistemas de votação para esclarecer dúvidas surgidas por conteúdos que circulem sobre o tema. “O grupo considera que este será o principal canal de comunicação com o TSE e que o órgão deve tratá-lo como o principal espaço para combate a notícias falsas no fim de semana do segundo turno das eleições 2018”, pontua o texto.

Outra solicitação constante no documento é a disponibilização de assessores por parte dos Tribunais Regionais para que possam atender às demandas de cada site. As agências querem um banco de dados com o registro oficial das denúncias de problemas no dia de votação em cada TRE, como mau funcionamento de urnas e outros incidentes.

Os representantes dos sites de checagem cobraram das plataformas campanhas de educação com conteúdos ensinando como evitar notícias falsas e checar informações. Por fim, o documento recomenda que o TSE incorpore em suas falas públicas a defesa dos jornalistas. Segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), já houve mais de 130 casos de violência contra profissionais de imprensa nessas eleições.

Críticas ao WhatsApp

No último dia (22) o Conselho Consultivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre Internet e Eleições se reuniu com redes sociais e agências de checagem para discutir o combate às chamadas notícias falsas. Duas agências, Aos Fatos e Lupa, divulgaram seus relatos sobre o encontro, nos quais criticaram a conduta da plataforma WhatsApp e relataram ter apresentado um documento com propostas ao TSE.

Em artigo, a Agência Aos Fatos afirmou que o WhatsApp causou “ruído” com as agências de checagem de notícias. Segundo o texto, a representante da rede social, Keyla Maggessy, teria informado como uma das medidas adotadas a parceria com iniciativas de verificação de informações, entre elas a Aos Fatos.

No texto, a agência desmentiu a informação, explicando que mantém apenas um canal de comunicação na plataforma. "Dizer que usar o WhatsApp Business é uma parceria é a mesma coisa que dizer que somos parceiros da empresa de telefonia porque usamos a internet para publicar nossas checagens", comenta Tai Nalon, diretora do site. O gerente de políticas públicas do WhatsApp, Ben Supple, enviou e-mail após a reunião à agência pedindo desculpas.

Já segundo a Agência Lupa, o WhatsApp “fez declarações que caíram mal entre os jornalistas presentes e se desconectou antes que todos os participantes fizessem suas exposições”. Segundo o texto divulgado pelo site, a representante da plataforma informou que a empresa está atuando na “educação dos usuários”, na “prevenção de abusos” e na oferta de dados a autoridades.

Ainda segundo o relato, a gerente do WhatsApp não soube informar, depois de questionada por um ministro do TSE, se a equipe da plataforma conseguiria identificar operações de disparo em massa de mensagens a grupos e usuários. Ela não teria respondido também à pergunta sobre quantas pessoas da rede social teriam sido designadas para acompanhar a situação brasileira na reta final das eleições.

A negativa foi repetida mais uma vez no caso das sugestões apresentadas pela ONG Safernet, integrante do Conselho Consultivo do TSE. Entre as recomendações estavam a redução do limite de destinatários do encaminhamento de mensagens e da quantidade de grupos dos quais um mesmo usuário pode participar.

Com informações da Agência Brasil

22

Out

Comunicação

Uninassau realiza Encontro de Influenciadores Digitais em Natal

A Faculdade UNINASSAU Natal, por meio da coordenação de Pós-Graduação, irá promover, no dia 07 de novembro, o “I Encontro de Influenciadores Digitais”, a partir das 19h30, na sede da unidade localizada em Capim Macio. O evento reunirá influenciadores experientes e diversificados do mercado digital do Rio Grande do Norte, como: Anilson Knigth, Bruno Fragoso, Kaddja Maia, Renata Montenegro, Vanessa Borges e Suzana Schott.

De acordo com coordenadora de Pós-Graduação da UNINASSAU, Ytâmitta Barbosa, o objetivo da ação é apresentar aos participantes os impactos das mídias sociais no comportamento social e no mercado de trabalho. “Teremos apresentação de diferentes cases de sucesso em nosso Estado. Será uma oportunidade para que os participantes possam debater e aprender um pouco mais sobre o universo dos influenciadores e como eles inspiram o mercado Potiguar”, explicou.  

A atividade será aberta para estudantes, empresários e comunidade em geral. A entrada é gratuita, devendo o participante fazer apenas a doação de 1kg de alimento não perecível. As inscrições podem ser feitas pelo site: extensao.uninassau.edu.br.  Outras informações podem ser obtidas através do telefone (84)3344-7813.

22

Out

Comunicação

Publicidade programática é a principal fonte de financiamento para sites de desinformação, mostra o Le Monde

Levantamento feito pelo jornal Le Monde no mercado de publicidade programática digital da França revela que os sites que produzem desinformação faturam alto com marcas relevantes que compram, dentro de um sistema de leilão, pacotes de anúncios dirigidos a partir de dados trabalhados por algoritmos. Por meio de uma ferramenta de verificação de fatos própria, o Decodex, a reportagem do diário francês pesquisou propagandas expostas em quarenta sites não confiáveis. Em 24 deles foram encontrados anúncios distribuídos pelo AdSense, do Google. Links recomendados pelo Taboola apareceram em doze dessas páginas.

Entre os sites analisados pelo Le Monde, estão páginas sensacionalistas, como Santenutrition.org, o Topastuces.net e o Santeplusmag.com, este último muito popular, com 7,6 milhões de seguidores Facebook, mas também conhecido por transmitir uma quantidade significativa de informações falsas. Há também sites de propaganda de extrema-direita, como o Dreuz. info e o Europe-israel.org. No caso do Santeplusmag.com, o jornal identificou anúncios distribuídos pela Ligatus, uma empresa especializada na venda de publicidade digital que colabora com vários meios de comunicação, incluindo o Le Monde.

"Na França, existem centenas de anunciantes que ainda pagam para aparecer em sites de desinformação sem necessariamente estarem ciente disso", diz Pierre-Albert Ruquier, da empresa Storyzy, especializada em segurança de marca no meio digital. Segundo ele, cerca de 2% dos anúncios que passam por redes como o Google AdSense são exibidos em sites não confiáveis listados pela Storyzy.

Outro motivo para que marcas confiáveis apareçam em sites de conteúdo duvidoso, diz Ruquier, é o fato de os anunciantes relutarem em acompanhar de perto a distribuição dos pacotes de publicidade nos quais investem. "Há um verdadeiro trabalho de evangelização a ser feito neste campo", afirma o especialista.

Leia mais em: https://www.lemonde.fr/les-decodeurs/article/2018/10/18/la-publicite-meilleure-alliee-des-sites-de-desinformation_5371425_4355770.html

Fonte: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/13501-publicidade-programatica-e-a-principal-fonte-de-financiamento-para-sites-de-desinformacao-mostra-o-le-monde.html

19

Out

Comunicação

Shark Tank entre os jurados do concurso de Startups Go Unicórnio no Fórum Negócios

Com o objetivo de fomentar e estimular o empreendedorismo e ajudar a desenvolver o ecossistema de startups no Nordeste do Brasil, a Revista Negócios.net, editada pela Acarta Comunicação, promove o concurso Go Unicórnio. O evento acontecerá durante o Fórum Negócios 2018, que será realizado nos dias 9 e 10 de novembro, na Arena das Dunas. As inscrições já estão abertas no site do evento corporativo: www.forumnegocios.com.br. Lá, o interessado também tem acesso ao regulamento.

“O concurso é aberto à inscrição de projetos empreendedores de qualquer natureza, desde que tenha um negócio já consistente, em andamento e com demonstrativo de resultados”, explicou Jean Valério, idealizador do Fórum Negócios e do Go Unicórnio. No ato da inscrição do projeto, o candidato deve se inscrever também nas categorias Gold ou Vip Exclusive do Fórum Negócios.

Membros indicados pela revista Negócios.net – Caíto Maia (estrela do Shark Tank Brasil), João Kepler (investidor de mais de 100 startups), Fernando Godoy (investidor e sócio de João Apolinário da Polishop) e Fred Alecrim, além do jornalista Jean Valério – estarão no palco, juntos, interagindo e avaliando os melhores pitchs (apresentações de 3 minutos) e projetos.

De acordo com o regulamento do concurso, será disponibilizado para cada participante uma declaração de participação, um troféu e um vale-presente (ou brinde), além de investimento na empresa (a critério dos avaliadores), consultoria de marketing, jurídica e para aceleração, por três meses.

Fórum Negócios
Com a ousadia de querer transformar pessoas e se estabelecer no mercado como um dos maiores eventos corporativos do Brasil, o Fórum Negócios contará com 14 grandes palestrantes do país, cada um em sua especialidade. O evento corporativo será realizado durante dois dias (9 e 10 de novembro, sexta e sábado, respectivamente), na Arena das Dunas. As inscrições podem ser feitas pelo site www.forumnegocios.com.br.

As palestras vão girar em torno de várias temáticas: gestão, produtividade, foco em resultado, marketing digital, vendas, alta performance, inovação, realidade virtual e aumentada, tecnologia, criatividade e empreendedorismo. Foram convocados para dar show na Arena das Dunas: Sandro Magaldi, Martha Gabriel, Tathiane Deândhela, Caíto Maia, Fred Alecrim, João Kepler, Fábio Silva, Silva Patriani, Ben Zruel, Marcos Scaldelai, Rick Chester, Dirceu Simabucuru, Ricardo Karpat e Fernando Godoy.

Estrutura
Só o fato de ser realizado numa arena de Copa do Mundo já dá uma dimensão superlativa ao evento corporativo, que terá um palco no gramado virado para o setor leste de arquibancada da arena multiuso, com um super-telão de LED de cada lado. No espaço de hospitalidade da Arena das Dunas, setor que antecede às arquibancadas, será montada uma grande Feira de Oportunidades e Investimentos, com direito a coffe station, happy hour, sessão de autógrafos, ativação de marcas, lançamento de livros e networking.

O Fórum Negócios 2018 é um oferecimento da ACarta Comunicação e Portal/Revista Negócios – www.portalnegocios.com.br – e tem o apoio da Arena das Dunas, Grand Nordeste Planejamento, Espacial Veículos e Fala Síndico Brasil.

19

Out

Comunicação

Jerimum Valley realiza curso de Empreendedorismo e Empoderamento Digital no Sebrae

Anote na sua agenda eletrônica: no próximo dia 25 de outubro de 2018, a partir das 19h, no SEBRAE/RN, será realizado um Curso Rápido de Empreendedorismo e Empoderamento Digital. A iniciativa é do Jerimum Valley, uma comunidade de Empreendedorismo e inovação de Startups do estado do Rio Grande do Norte.

Quem ministrará o curso é um apaixonado pela temática empreendedora, o jornalista e pós-graduado em Comunicação Digital, Bruno Cássio. Com experiência de 13 anos em redações jornalísticas de TV, Bruno Cássio sempre conciliou essas atividades, consideradas mais técnicas, com a produção e o compartilhamento de conhecimentos acadêmicos na área de Comunicação Digital. Já atuou como professor de curso superior de jornalismo, promoveu oficinas, treinamentos e cursos rápidos para vários grupos de estudantes e profissionais.

De acordo com ele, na Era da Informação e na chamada Sociedade 4.0, é preciso estar atento ao potencial das ferramentas digitais que as pessoas têm à disposição. A ideia é romper os muros da academia e abordar, com uma linguagem simples, as várias possibilidades de empreendedorismo e empoderamento no ambiente digital.

Ainda segundo Bruno Cássio, as pessoas perdem muito tempo na internet falando de outras pessoas, compartilhando conteúdos que não são seus, e deixam de lado o cuidado com as próprias carreiras profissionais, as oportunidades de negócios e as conexões importantes. Para conversar sobre isso, serão cerca de 3 horas de imersão com atividades dinâmicas e apresentação de uma ideia de produto ao final do curso.

E aí, ficou interessado (a)? Acesse o link https://www.sympla.com.br/empreendedorismo-e-empoderamento-digital__383346 e faça sua inscrição. Ah, tem um detalhe importante! No dia do curso você deverá levar 1 quilo de alimento não perecível para ser doado à Casa do Divino Mestre, administrada pela Paróquia Nossa Senhora de Aparecida, em Neópolis.

16

Out

Comunicação

Brasil registra mais de 1,6 milhão de portabilidade na telefonia em três meses

Em três meses, foram registradas 1,6 milhão de trocas de operadoras de telefonia, a chamada portabilidade numérica, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (15) pela Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom), administra a portabilidade numérica no país.

A portabilidade permite aos usuários de serviços de telefonia fixa e móvel manter o mesmo número ao decidir trocar de plano e de operadora,

Os números se referem ao período de julho a setembro. No período, 344,71 mil (20%) migrações foram feitas por usuários de terminais fixos e 1,34 milhão (80%) demandadas por titulares de telefones móveis.

De acordo com a ABR Telecom, os dados são semelhantes aos registrados em setembro do ano passado, quando migraram também 1,6 milhão de linhas, sendo 387,8 mil de fixas e 1,2 milhão de móveis. No primeiro semestre deste ano, foram efetuadas 3,13 milhões de transferências entre operadoras de telefonia fixa e móvel foram efetivadas no país sem alteração do número de identificação do usuário.

Balanço

Desde que entrou em vigor, há dez anos, a portabilidade numérica, já foi aplicada em mais de 45,6 milhões vezes. Foram efetivadas 15,2 milhões de migrações por usuários de telefones fixos e 30,4 milhões de números de terminais móveis.

Os anos que tiveram o maior volume de portabilidade numérica foram 2011 e 2017, quando as migrações efetivadas passaram de 5 milhões. Em 2011, foram 5,3 milhões e no ano passado, 5,8 milhões

A norma, criada pela Agência Nacional de Telecomunicações, começou a valer em 1° de setembro de 2008 e permite a clientes dos serviços de telefonia fixa e móvel manter o número do telefone a ele designado, independentemente da operadora de serviço a que esteja vinculado.

Para solicitar a portabilidade, basta o consumidor procurar a prestadora para a qual deseja migrar e informar os dados pessoais, telefone e prestadora atual. Confirmados os dados, a nova operadora agenda a habilitação do serviço e fornece o protocolo. A portabilidade deve ocorrer no prazo máximo de três dias úteis a partir da solicitação do consumidor.

Com informações da Agência Brasil / Foto: Pixabay

15

Out

Comunicação

Novo sistema eletrônico facilita acesso aos serviços da Ouvidoria do TJRN

A Ouvidoria do Poder Judiciário do RN lançou, na última semana, um novo sistema eletrônico para o recebimento de denúncias, reclamações, sugestões ou elogios. O e-Ouvidoria tem como objetivo propiciar uma melhor prestação de serviços aos usuários, facilitando o acompanhamento das ocorrências registradas. O sistema também auxiliará na construção de estratégias para o aprimoramento dos serviços do órgão.

Para o desembargador João Rebouças, ouvidor geral do Tribunal de Justiça do RN, o sistema e-Ouvidoria trará como vantagem a possibilidade de fazer levantamentos estatísticos sobre os serviços realizados. “A Ouvidoria passava por uma séria dificuldade na obtenção de dados qualitativos e quantitativos, os quais não tinham nenhum tipo de ordenamento. E a partir dessa nova ferramenta digital teremos um banco de dados que permitirá desenvolver metas para o atendimento ao público que nos procura. É um legado que deixamos, já que a Ouvidoria é a porta de entrada para avaliar o serviço que o Poder Judiciário disponibiliza em relação ao público interno e externo”, destaca Rebouças.

A geração de relatórios por perfis de usuários e de ocorrências por unidades judiciárias possibilitará maior eficiência no atendimento aos públicos externos e internos. Com os dados coletados será possível aferir, por exemplo, qual o perfil das pessoas que procuram a Ouvidoria – advogados ou as próprias partes – além do nível de instrução e conhecimento jurídico do público. Será possível saber também quais são as comarcas e unidades mais demandadas, elogiadas ou reclamadas.

“A partir de dados como esses conseguiremos traçar estratégias visando o aprimoramento de nosso trabalho”, ressalta o ouvidor geral do TJRN.

O sistema e-Ouvidoria permite também a integração da Ouvidoria do TJRN com as demais ouvidorias do Judiciário e de outros órgão públicos do Executivo e Legislativo. Dessa forma, “haverá o encaminhamento das demandas aos órgãos competentes de cada instituição, facilitando o processo para o cidadão que faz uso do serviço”, observa o desembargador João Rebouças.

Com informações do TJRN

12

Out

Comunicação

Polêmica no marketing digital: estudo francês diz que quase metade dos investimentos em anúncios é ineficaz

Estima-se que sejam investidos anualmente cerca de US$ 200 bilhões, mas 47% das peças publicitárias digitais pagas com esses recursos são ineficazes. Os dados são de uma nova pesquisa da francesa Adloop, especializada em marketing digital. Realizado junto a 32 companhias, o estudo aponta para algumas das causas da pouca eficiência de quase a metade da publicidade online.

Uma delas, relata o site Media-Tics, são as palavras-chave que canalizam audiência aos anúncios e pelas quais os anunciantes fazem lances pelo direito de usá-las. A escolha de palavras-chave para um anúncio se tornou uma arte, informa o site especializado em comunicação, já que o ajuste fino desse trabalho geralmente significa a diferença entre obter relevância ou irrelevância. A análise do Adloop, entretanto, calcula que entre 20% a 30% das palavras-chave não são eficazes.

A competição pelo tempo do usuário é outro problema. Exemplo disso são as dezenas de produtos e serviços exatamente iguais, mas promovidos por empresas diferentes. Nesses casos, os usuários clicam em várias peças publicitárias ou ofertas para fazer comparações e, nesse movimento, rapidamente descartam muitas delas sem mesmo olhar todo o conteúdo. Para o anunciante, isso significa desembolso, uma vez que alguém clicou no seu anúncio. O retorno, porém, inexiste. Os bloqueadores publicitários são um terceiro obstáculo à eficiência dos anúncios digitais, reforça a pesquisa da Adloop.

Fonte: Jornal ANJ Online, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/13221-quase-a-metade-dos-investimentos-em-anuncios-digitais-e-ineficaz-diz-estudo.html