Comunicação

20

Jul

Kantar irá aferir consumo de rádio no ambiente digital

Com a proposta de acompanhar os novos hábitos de consumo de meios, a Kantar Ibope Media terá uma solução para mensurar a audiência do rádio também nas plataformas digitais.

A empresa de pesquisas passa a disponibilizar ao mercado a solução Extended Radio, que, além de monitorar a audiência tradicional do rádio (no dial) também contemplará todas as plataformas em que o streaming daquela emissora é distribuído, o que abrange sites, aplicativos, agregadores e streamings de áudio, como Deezer e Spotify.

Para a aferição da audiência, a Kantar trabalha em parceria com as empresas Triton Digital e Nextdial, que são especializadas na aferição de áudio digital. A proposta é fornecer às emissoras e ao meio publicitário dados mais exatos da audiência dos veículos de rádio, abrangendo a distribuição do conteúdo em diferentes meios.

Fonte: Portal Meio e Mensagem

Disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/07/19/kantar-ira-aferir-consumo-de-radio-no-ambiente-digital.html

20

Jul

Dia do Amigo: qual a importância da caridade e da amizade em nossas vidas?

Se você tem um amigo de verdade – com quem compartilha sentimentos, angústias e diferentes opiniões – nada melhor do que agradecer a atenção e a presença dele em sua vida, pois ultimamente são raras as pessoas que se importam com os outros e os ajudam a evoluir nas ações diárias.

No mês de julho, existem três ocasiões propícias a essas reflexões: o Dia da Caridade, celebrado na segunda-feira (19), o Dia do Amigo e o Dia Internacional da Amizade, comemorados na hoje (20).

A caridade tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a prática e a difusão da solidariedade para ajudar os menos favorecidos e desenvolver o bom entendimento entre todos os seres humanos. Por sua vez, a amizade engloba o afeto, a lealdade e a proteção entre os indivíduos.

“Todas essas ações devem ser espontâneas, sinceras e com o profundo desejo de aliviar a dor alheia. Às vezes basta um sorriso, um abraço e palavras de carinho. São gestos simples, mas que fazem enormes diferenças na vida de quem está com alguma dificuldade”, explica o escritor paranaense Odil Campos; que já publicou dez títulos entre romances, psicografias, mensagens e estudos mediúnicos pela Editora Flor de Lis.

Enxergar-se no outro

Segundo a ONU, os conceitos de caridade - como o voluntariado e a filantropia - ajudam na criação de sociedades mais inclusivas e mais resilientes. Em diferentes religiões, o sentimento altruísta é definido como o desejo de amar e ajudar ao próximo. Mas então, porque ainda presenciamos tantas injustiças sociais em diversos países?

Campos – que há mais de 40 anos faz pesquisas e estudos relacionados ao para-psiquismo e à espiritualidade – explica a esse respeito. Segundo ele, “infelizmente, grande parte dos homens pensam em si mesmos e não querem ter o trabalho de se ver no próximo, para não ter que se modificarem e se tornar melhores do que são”.

Bons exemplos

Independente de uma data específica ou de crenças religiosas, a caridade e a solidariedade devem ser praticadas cotidianamente. Madre Teresa de Calcutá dedicou toda sua vida para trazer conforto e bem estar aos mais necessitados na Índia.

O brasileiro Chico Xavier também atuou para propagar o bem e a caridade por meio dos preceitos da doutrina espírita. Francisco de Assis foi outro grande exemplo de amor humanitário, quando falou ao Velho Continente sobre a bondade - num tempo em que o mundo era visto como essencialmente mau.

“Os três são personificações positivas reconhecidas mundialmente.  Também há os anônimos, que simplesmente praticam e exercem o bem, pois o ato de servir ao outro sempre nos transforma para melhor. Se a solidariedade fosse vivida como princípio que ordena a sociedade, o mundo seria diferente, mais justo e fraterno”, lembra o escritor Odil Campos.

E continua: “se ajudar o próximo, trabalhar pela inclusão social e diminuir o sofrimento das pessoas está relacionado com a caridade e a amizade, o mês de julho pode ser entendido como um excelente momento para colocar em prática esses conhecimentos”.

“A amizade, assim como o amor, é dada de graça e semeada ao vento, como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade. Portanto, esteja sempre entre amigos e faça a data valer todos os dias”, ressalta o escritor.

 

19

Jul

Plataforma coloca crianças como protagonistas da aprendizagem

A plataforma digital De Criança Para Criança (DCPC), uma startup brasileira, desenvolve desde 2015 um guarda-chuva de metodologias inovadoras em educação. A partir do Criando Juntos, principal frente do grupo, leva para as salas de aula um método que transforma o ensino convencional, colocando as crianças como protagonistas no centro da aprendizagem. Os personagens do imaginário infantil ganham vida e passam a fazer parte das disciplinas escolares.

O professor passa a ter um papel bastante importante como mediador, liderando discussões entre os alunos sobre as temáticas e disciplinas abordadas, A ideia é que coletivamente criem histórias, utilizando a linguagem verbal, gestual e sonora. O programa tem sido realizado em mais de 20 instituições de ensino privadas e realizou pilotos durante o período de pandemia em escolas públicas de São Caetano, Indaiatuba e outros municípios. “O conteúdo agora é gerado pelas crianças e não mais pelos adultos”, explica Gilberto Barroso, cofundador da startup.

O De Criança para Criança já produziu mais de 800 animações a partir das histórias criadas por crianças, além de criar o EncicloKids, um espaço digital que separa por categorias (matemática, saúde, ciências, etc) os projetos realizados pelos alunos através da sua metodologia. Os professores gravam essa narração em um celular e tiram fotos das ilustrações dos alunos, que devem ser carregadas na plataforma da DCPC, que desenvolve desenhos animados baseados nas histórias. “Quando a criança passa a criar o conhecimento, o nível de retenção de conteúdo vai para 80%”, destaca Vitor Azambuja, sócio de Barroso.

A proposta da plataforma, que já está em fase de desenvolvimento nas versões inglês e espanhol, é expandir os horizontes da educação e fazer com que esses conteúdos sejam vistos e compartilhados em todo o mundo. Além disso, objetiva que o aprendizado ultrapasse a fase escolar e possa contribuir com as futuras carreiras profissionais das crianças, tornando-as cidadãos mais preparados para as constantes mudanças do mundo. A atuação do DCPC está alinhada com a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), abrangendo todas as competências dentro da sua metodologia Criando Juntos, com foco na educação infantil e no ensino fundamental I e II.

Além das redes sociais do grupo, o De Criança Para Criança também está disponível na TV ZYN, plataforma digital do SBT, na Zoomoo Kids, todos os dias às 10h e 15h30, e na programação da TV Ratimbum. 

 

17

Jul

Instituto TIM lança curso gratuito sobre transformação digital no agronegócio

Informações em tempo real e na palma da mão sobre o manejo correto da lavoura, dados atualizados sobre clima, disponibilidade de nutrientes no solo, pragas, previsão do tempo e quantidade de alimentos nos cochos dos animais. A revolução digital já chegou ao campo, mas nem todos têm dimensão do seu impacto e entendem como as novas tecnologias conectam máquinas, “coisas” e pessoas. Para aproximar essa nova realidade dos agricultores brasileiros, o Instituto TIM oferece a partir de agora um curso gratuito que aborda a transformação digital no agronegócio.

Voltado para trabalhadores e empresários do agronegócio, estudantes de agronomia ou cursos similares e qualquer pessoa interessada em entender a relação entre o campo e as novas tecnologias, o curso “Conectividade: A transformação digital do Agronegócio” aborda três temáticas: transformação digital, Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e inteligência artificial. São 18 horas de conteúdo, apresentado em vídeos e complementado com textos e atividades. Disponível na plataforma TIM Tec, as aulas explicam como funcionam as diferentes redes de telecomunicações – do 2G ao 5G – a comunicação entre máquinas (M2M) e ensina como aproveitar todas as tecnologias disponíveis para alavancar negócios no campo.

Líder em cobertura 4G no campo, alcançando mais de 6 milhões de hectares, a TIM tem o compromisso de viabilizar a digitalização e oferecer soluções inovadoras para o agronegócio brasileiro. Nos últimos anos, a operadora vem reforçando sua presença no setor, com ações como a participação na fundação da associação ConectarAGRO e alianças estratégicas com hubs de startups para fomentar a automação das lavouras. Mario Girasole, presidente do Instituto TIM, destaca a importância do curso do TIM Tec dentro dessa estratégia de transformar o campo e as pessoas que vivem e trabalham nessas áreas. “É mais um passo para democratizar o acesso às tecnologias existentes de conectividade — e outras que estão na iminência de serem implantadas, como o 5G — para todas as pessoas envolvidas no agronegócio. O campo conectado pode aumentar a produtividade e a qualidade da produção rural e mudar a realidade de muitas pessoas, trazendo mais qualidade de vida para pequenos agricultores, por exemplo”, explica.

O curso aborda também os aspectos históricos do agronegócio, as revoluções pelas quais o setor já passou e as mudanças trazidas pelas novas tecnologias, focando na realidade do aluno, que já convive com boa parte dessas ferramentas no seu dia a dia. Como todos os demais conteúdos da plataforma TIM Tec, não há pré-requisitos para assistir às aulas, basta ter acesso à internet.

O TIM Tec nasceu em 2013 e se consolidou como uma importante ferramenta virtual de educação tecnológica, com cerca de 30 cursos disponíveis. Por ser baseada em software livre, pode ser utilizada por qualquer interessado ou também instalada de forma autônoma em escolas, universidades e coletivos. O novo curso é gratuito, como todos os demais conteúdos da plataforma. Para assistir às aulas, basta acessar o site https://cursos.timtec.com.br/.

16

Jul

Campanha da Ânima Educação entra em novo momento ao som de hit africano

A Ânima Educação, uma das maiores organizações educacionais de ensino superior do País da qual a UnP faz parte, anunciou a segunda fase da sua campanha, que estreou quarta-feira (14). Com o intuito de construir a percepção de comunidade e engajamento em rede, a nova campanha, assinada pela F.biz, traz um hit africano, originado na Angola e sucesso em toda a Europa, para engajar toda a comunidade. A campanha conta com um filme disponível em diferentes formatos, exibidos em TV, rádio, mídia impressa, online e também contará com mídia OOH.
 
A campanha foi desenvolvida para marcar o novo momento da Ânima Educação, que anunciou recentemente a integração das instituições de ensino da Laureate Brasil. A primeira fase contou com o ex-participante do Big Brother Brasil 2021, Gil do Vigor, dando as boas-vindas às novas instituições da organização, além de apresentar a ampla estrutura da companhia.


 
"Com a integração, a Ânima tem trabalhado em diversas frentes com o intuito de fortalecer ainda mais o seu ecossistema e apresentar de forma clara e assertiva todos os seus aspectos e diferenciais, explorando suas diferentes nuances, assim como acontece com as melodias musicais, afirma Marcelo Henrik, vice-presidente de marketing da Ânima Educação.

15

Jul

Apple lança primeiros workshops educacionais no YouTube

 Apple lançou nesta quarta-feira (14) o seu primeiro episódio das sessões "Today at Apple", ou "Hoje na Apple" em tradução livre, em seu canal do YouTube. A aula, de um pouco mais de dez minutos, ensina a como desenhar um personagem de Peanuts utilizando o aplicativo Pages no iPad Pro.

Os workshops tiveram início em 2017 e eram realizados nas lojas físicas da Apple, com o objetivo de ensinar aos clientes a utilizarem seus produtos com o máximo de aproveitamento e de maneiras criativas. Com a pandemia, a Apple passou a realizar as sessões virtualmente pelo Cisco Webex — aplicativo de reuniões.

Na primeira aula disponibilizada no YouTube, acompanhamos Anthony, um funcionário criativo da Apple, e a artista de storyboard do The Snoopy Show, Krista Porter, que utilizam o mesmo documento do Pages para ensinar os usuários a se desenharem como um dos personagens da série. O vídeo ainda conta com a aparição do showrunner Mark Evestaff, que fala sobre a exclusividade do desenho na AppleTV+.

O novo formato perde um pouco da característica das antigas sessões por não contar com a participação ativa do público, apesar de ser uma ótima oportunidade para quem ainda não conhecia o "Today at Apple" ter acesso ao conteúdo. Mesmo com a abertura das lojas físicas desde março deste ano, a Apple anunciou que lançará mais episódios como este no futuro.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/internet/221106-apple-lanca-primeiros-workshops-educacionais-youtube.htm

11

Jul

Abertas as inscrições para o Prêmio Nacional de Inovação

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) lançaram na última terça-feira (6), a sétima edição do Prêmio Nacional de Inovação, com patrocínio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). O Prêmio destina-se às empresas industriais, aos pequenos negócios de todos os setores e aos ecossistemas de inovação de todo o território nacional. As inscrições poderão ser realizadas por meio do site do Prêmio até o dia 02 de outubro. 

Os vencedores serão anunciados no dia 08 de março de 2022. A premiação inclui participação em duas imersões em ecossistemas de inovação, sendo uma nacional e outra internacional, além de vagas no curso de MASTER IN BUSINESS INNOVATION (MBI) do SENAI. Devido à pandemia da Covid-19, o processo de avaliação será todo online e a etapa de validação, que antes era realizada por meio de visitas in loco nas instalações dos semifinalistas, será feita de forma virtual.

Para a diretora de Inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gianna Sagazio, é importante reconhecer a importância do trabalho de pesquisa, desenvolvimento e inovação que tem sido feito pelas empresas, principalmente nesse período da pandemia.

“Temos a oportunidade de mostrar que a inovação é a chave para a retomada do crescimento do país. E premiar essas práticas é uma forma de incentivar as empresas a continuarem buscando novas tecnologias, além de compartilhar essas experiências que têm dado certo. A inovação é o caminho para o crescimento do país”, afirma.

As empresas irão concorrer nas categorias de Inovação em Produto, Processo, Sustentabilidade e Gestão da Inovação. No momento da inscrição, as empresas preenchem um cadastro que é obrigatório e aquelas que desejarem concorrer, também, na categoria Gestão da Inovação deverão concordar em participar e responder um questionário adicional. Além das categorias apresentadas acima, as empresas concorrem a um reconhecimento para as práticas inovadoras em Saúde e Segurança no Trabalho (SST), que poderá ser concedido para uma empresa finalista em cada modalidade.

De acordo com o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, o Prêmio é uma excelente oportunidade para os pequenos negócios mostrarem o quanto conseguiram inovar em um momento tão crítico da economia e para os Ecossistemas demostrarem como estão conseguindo atuar em rede e unidos para apoiar cada vez mais o Brasil. 

"Temos discutido bastante sobre o que são Ecossistemas de Inovação e como eles são importantes para o estabelecimento de empresas mais inovadoras. Nesse sentido, a existência de um prêmio que revele os esforços existentes em todo o Brasil, é muito importante para a retomada da economia do país”, destacou.


Novidades na sétima edição do Prêmio Nacional de Inovação

Nesta edição, uma das novidades é a categoria destinada aos Ecossistemas de Inovação, que irá premiar redes de cooperação locais, que integram organizações da hélice tripla e que têm a inovação como elo.

Também há novidades relacionadas à atualização do Manual de Oslo que impactam o regulamento. No ato da inscrição, todas as empresas devem preencher um questionário obrigatório sendo possível concorrer simultaneamente às categorias de inovação em produto, processo e sustentabilidade. Caso haja interesse na candidatura à de Gestão da Inovação, é preciso preencher um questionário adicional.

Sobre o Prêmio Nacional de Inovação

O Prêmio Nacional de Inovação é voltado para a indústria, com exceção dos pequenos negócios, que podem ser do setor industrial, de comércio, de serviço ou agronegócio. Não é necessário inscrever um projeto específico de inovação para cada categoria. A empresa se inscreve uma única vez e é avaliada como um todo, podendo ser selecionada em mais de uma categoria ou subcategoria. No entanto, é preciso que as inovações desenvolvidas tenham acontecido, no máximo, nos últimos dois anos e estejam implantadas no momento da inscrição.

Desde 2011, foram realizadas seis edições que, somadas, tiveram 11.300 inscritos, reunindo empresas de todos os portes e do país inteiro. A última edição, realizada em 2019, contou com a participação de 1.746 empresas. Destas, 26 foram finalistas e 15 vencedoras. Para a edição 2021/2022, espera-se um crescimento de 20% no número de inscrições, levando em consideração a nova categoria voltada aos Ecossistemas de Inovação.

O Prêmio Nacional de Inovação é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) e é realizado pela CNI e o Sebrae, com o patrocínio exclusivo da FINEP e em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL). A premiação visa contribuir no processo de aprendizado, auxiliando empresas e ecossistemas de inovação a identificarem seus pontos fortes e oportunidades de melhorias em inovação.

8

Jul

Grupo Conexão, do qual a Cabo Telecom faz parte, agora pertence ao Fundo de Investimento norte-americano Grain Management

O Grupo Conexão, controlado pela holding Triple Play Brasil Participações e do qual a  Cabo Telecom faz parte, passou a integrar o rol de investimentos do Grain Management, fundo de investimento privado norte-americano focado exclusivamente em tecnologia de banda larga e no setor de comunicações globais.

Para Gilbert Minionis, CEO do Grupo Conexão, a nova fase representa a oportunidade de ter experiências compartilhadas em um benchmarketing com os mercados mais avançados no mundo e com recursos para seguir avançando no mercado brasileiro.

“Essa é a primeira empresa que o Grain Management investe no Brasil. Eles  já possuem nove companhias nos EUA, algumas também atuantes no setor de telecomunicações, e a aquisição do Grupo Conexão passa a ser o maior investimento já realizado pelo Fundo. Então, vamos ter contato com um know-how em boas práticas e um sócio investidor com recursos disponíveis para seguirmos avançando no mercado brasileiro, que é bastante abrangente e cheio de oportunidades”, declara Minionis.

David Grain, fundador e CEO do Grain Management, acredita que a aquisição do Grupo Conexão se insere no contexto de crescimento orgânico e estratégico do Fundo.

“O crescimento das telecomunicações no Brasil é robusto e se alinha com as macrotendências em que o nosso Fundo Grain Management investe. O capital e a experiência que Grain Management traz para este cenário apresenta um caso atraente para nossa equipe e nossos investidores", diz.

O diretor da equipe de investimentos do Grain Management, Ricardo Rodriguez, afirma que a atual escassez de fibra óptica doméstica no Brasil torna o Grupo Conexão uma plataforma ideal para expansão. “Com o histórico de excelência, equipe de gestão excepcional e uma base de colaboradores talentosa do Grupo Conexão, tudo converge para um mercado regional forte e em crescimento com a abordagem data-driven da Grain", aponta.

Com essa aquisição, o Grupo Conexão planeja continuar investindo na expansão de sua rede, que abrange mais de 13.520 quilômetros com rede híbrida - de fibra óptica e HFC de alto nível, alcançando capacidade de atendimento superior a 1,4 milhão de lares.

“Temos uma cultura de vanguarda, sempre fomos inovadores, e penso que essa aquisição vai abrir novas oportunidades para entrarmos em novos mercados de frequências e torres. Vamos continuar na frente, com foco sempre no atendimento e na melhor tecnologia, que são os nossos diferenciais no mercado brasileiro”, diz Minionis.

Sobre o Fundo de Investimento Grain Management

Fundado em 2007, o Grain Management investe exclusivamente no setor de telecomunicações, empregando um processo rigoroso baseado em dados, impulsionado por profunda experiência do setor para identificar oportunidades de investimento nas principais áreas de infraestrutura de telecomunicações, incluindo redes de fibra, serviços sem fio e torres de celular. Para mais informações: www.graingp.com.

Sobre o Grupo Conexão 

O Grupo Conexão é formado por Prestadoras de serviços de telecomunicações e Internet Banda Larga Fixa, usando principalmente a tecnologia de fibra óptica doméstica para mais de 450.000 residências e 20.000 clientes empresariais nas Regiões Nordeste (Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e Bahia) e Sudeste (São Paulo e Minas Gerais). O Grupo Conexão opera várias marcas, incluindo, Cabo Telecom, Multiplay, Conexão, Outcenter e StarWeb, entre outras.

8

Jul

Rendas brasileiras estampam a sétima emissão especial dos Correios

Na última quarta-feira (7), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Renato Imbroisi, os Correios lançam a “Emissão Especial Rendas Brasileiras”. Realizado com apoio do Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro – CRAB, o lançamento será transmitido no canal da instituição, no Youtube, a partir das 16h.

Os selos serão apresentados por Carlos Meles, presidente do Sebrae Nacional; Sérgio Malta, diretor de Desenvolvimento do Sebrae/RJ; Bruno Monteiro Portela, secretário especial adjunto de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia; e Floriano Peixoto, presidente dos Correios. Após as obliterações, Renato Imbroisi participará de um bate-papo ao vivo com a pesquisadora Silvia Sasaoka.

“Seja como expressão artística, meio de sustento ou apenas um hobby, a renda é um legado transmitido entre gerações, uma forma de perpetuar costumes, tradições e a própria história do Brasil. A emissão filatélica que está sendo lançada é, portanto, a celebração de uma das mais tradicionais atividades da cultura nacional”, destaca o presidente dos Correios, Floriano Peixoto.

A emissão – Nesta emissão, foram destacados quatro tipos de trabalhos:

- Bilro - de origem portuguesa, muito presente em regiões litorâneas do Nordeste e de Santa Catarina. O tecido é produzido sobre almofadas cilíndricas, envoltas num papel grosso, no qual são presos alfinetes ou espinhos de plantas, formando o desenho da renda. Em cada fio de linha a ser trabalhado há um peso ou bilro, e as rendeiras os movimentam rapidamente, entrelaçando-os e tecendo a renda, produzindo uma percussão característica, pelo bater dos bilros.

- Filé - a renda é feita sobre uma espécie de malha de linha que se assemelha a uma rede de pesca. Por essa razão, se diz que onde há pesca, se faz filé. Alagoas e Ceará são os principais núcleos produtivos.

- Irlandesa - ao contrário do que pode parecer, não veio da Irlanda, mas a história conta que foi trazida e ensinada por freiras irlandesas. É tradicional da pequena cidade sergipana de Divina Pastora, a 34 Km da capital, Aracaju. Foi declarada Patrimônio Histórico em 2009, pelo IPHAN. A renda é produzida entre duas fitas cilíndricas que são presas sobre o papel onde se fez o desenho da peça.

- Renascença - é parecida com a renda irlandesa, com a diferença que se usa uma fita plana, e não cilíndrica, chamada lacê. Há diferenças nos pontos, mas também se trabalha sobre um papel com o desenho da renda. A região do Cariri, na Paraíba, e o Estado de Pernambuco são os principais núcleos produtivos.

Com design e arte-finalização de Daniel Effi (Correios) e curadoria de Renato Imbroisi, os selos apresentam pontas de cada tipo de renda, que se juntam como se fossem uma peça só. Nas artes, foi aplicada calcografia branca, simulando as texturas das rendas. Com tiragem de 360 mil exemplares e valor unitário de 2º Porte da Carta (R$ 2,95), os selos estarão disponíveis para venda na loja virtual e nas principais agências dos Correios.

30

Jun

Acompanhamento hospitalar da gestante com COVID-19 é tema de Webinar nesta quarta

Nesta quarta-feira (30) às 19h, a Associação de Ginecologia e Obstetrícia do RN (Sogorn) promoverá uma webinar com a temática "Acompanhamento hospitalar da gestante com COVID-19". O evento virtual contará com a participação da Dra. Fernanda Spadotto Baptista, coordenadora do Ambulatório de Gestação de Alto Risco da Clínica Obstétrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

A evolução das razões de morte materna, agravadas pelo adoecimento por Covid-19, tem sido motivo de grande preocupação entre os profissionais de saúde. Atualmente, o Brasil figura como o país que possui a maior taxa de letalidade de gestantes por Covid-19 em todo o mundo.

De acordo com dados do Observatório Obstétrico Covid-19, a quantidade de óbitos maternos nos primeiros meses de 2021 (911 óbitos até 26 de maio de 2021) já superou o número notificado no ano de 2020 (544 óbitos de gestantes e puérperas por Covid-19). Outro aspecto enumerado é que as mortes de grávidas em 2021 tiveram um percentual estimado de 59% de gestantes sem comorbidades, ao contrário do que ocorreu em 2020.

“Os dados disponíveis acerca do número de mortes maternas no nosso estado e no nosso país, decorrentes das complicações da Covid-19 na gravidez, impõem a necessidade de ampliar essa discussão e de levar o conhecimento para a comunidade médica”, alerta Robinson Dias de Medeiros, presidente da Sogorn.

Acompanhe a webinar através do canal no YouTube da Sogorn. Link da transmissão: https://youtu.be/jVzu5GhSGHg

30

Jun

Prêmio da indústria 4.0 está em fase final de inscrições

Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII) está com inscrições abertas para o Prêmio ABII 2021, reconhecido nacionalmente por destacar projetos que desenvolvem ou utilizam as tecnologias habilitadoras da indústria 4.0. O prêmio, que está em sua 4ª edição, funciona como um palco para as empresas mostrarem seus projetos ao mercado e está alinhado com a missão da entidade, que é de acelerar a indústria 4.0 e a internet industrial das coisas no Brasil. Todas as etapas do prêmio serão realizadas de forma online.

Neste ano, a grande novidade é que o prêmio é aberto para qualquer empresa que fornece soluções ou está sendo transformada pela indústria 4.0 e não apenas para as empresas associadas. As inscrições para a 1ª rodada estão abertas até o dia 9 de julho, às 17 horas. Ao final da rodada serão selecionados três projetos finalistas (conforme cronograma detalhado abaixo). Haverá também uma 2ª rodada, quando serão selecionados mais três projetos finalistas. A grande final, com apresentação de seis cases finalistas, ocorre no dia 27 de outubro.

Na 1ª e 2ª rodadas haverá uma curadoria e um time de jurados composto por diretores da ABII, líderes dos Grupos de Trabalho (GTs) de Negócios, de Tecnologia e de Pessoas da ABII, além de convidados externos, sempre que necessário. Se o diretor ou líder tiver um case inscrito pela empresa que atua, ele automaticamente não poderá fazer parte da curadoria e do time de jurados. Na etapa final, em outubro, o time de jurados convidados será externo e sem relação com a ABII. Durante as etapas, os nomes e qualificações dos jurados serão amplamente divulgados.

Cada case inscrito será avaliado com base em dez critérios: facilidade de aplicabilidade no mercado; se gerou novo negócio para empresa ou mercado; quantidade tecnologias impulsionadoras para a indústria 4.0 utilizadas; pilares da IIoT ou indústria 4.0 atendidos; amplitude de atendimento para empresa ou sociedade; escalabilidade; clara definição do problema vigente que precisa ser ou foi resolvido; indicadores de resultado, como foi validada a solução, quais os resultados mensurados e ganhos competitivos; case aplicado no Brasil ou desenvolvido por unidade do Brasil; e grau de inovação.

A 1ª edição do Prêmio ABII foi realizada no ano de 2017 e teve a Embraco (hoje Nidec) como vencedora com o case "diili ‐ plataforma de serviços para refrigeração comercial, através da aplicação de IoT”. A 2ª edição, em 2019, teve a Pollux como vencedora com o projeto "Linha de e-commerce para preparação de pedidos customizados" (desenvolvido para a Dolce Gusto/Nestlé). A 3ª edição, em 2020, também teve a Pollux como vencedora com o projeto "Logística 4.0" (desenvolvido para a tinturaria Florisa). No ano de 2018 foi realizado um desafio que substituiu o prêmio, utilizando um modelo de formação de times compostos por diferentes empresas associadas.

29

Jun

Mercado de PCs no Brasil cresce 20% no 1º trimestre de 2021

O mercado de computadores no Brasil teve um crescimento de quase 20% no primeiro trimestre de 2021, em comparação com os três primeiros meses do ano passado, registrando um total de 1.772.417 máquinas vendidas. Os dados são de um levantamento feito pela IDC Brasil, divulgado nesta segunda-feira (28).

Conforme a pesquisa, a quantidade de PCs vendidos representa um aumento de 19,7% em relação a 2020, cujos números já haviam sido considerados bons. O mercado corporativo teve a alta mais expressiva, de 24,4%, respondendo por 681.930 máquinas comercializadas, enquanto o varejo teve crescimento de 17% (1.090.487 unidades vendidas).

Ainda segundo o estudo “IDC Brazil PCs Tracker 1Q2021”, os notebooks continuam sendo os preferidos do consumidor final. Do total de vendas na rede varejista ao final do primeiro trimestre, 944.753 unidades eram laptops, enquanto as outras 145.734 foram de desktops.

Para o gerente de pesquisa e consultoria de Consumer Devices da IDC Brasil Reinaldo Sakis, a alta na venda de notebooks e desktops tem relação com o trabalho remoto. Por conta da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, as empresas continuam a investir no home office em 2021, “repetindo o movimento do início da pandemia”.

Preços em alta e falta de componentes

Os preços de computadores também aumentaram neste primeiro trimestre devido ao impacto do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Em 2020, computadores e notebooks custavam R$ 3.146 e R$ 3.692 em média, respectivamente.

Agora, os valores médios saltaram para R$ 3.842 (alta de 22,1%) e R$ 4.450 (aumento de 20,5%). Com o aumento na quantidade de unidades vendidas e nos preços, a receita do mercado brasileiro de computadores chegou a R$ 6,6 bilhões, crescendo 45,9%.

Outro tema abordado na pesquisa foi a falta de componentes, mantida desde o ano passado. Segundo a consultoria, a situação pode se prolongar até 2022, atrapalhando mas não impedindo o crescimento do mercado.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/mercado/220120-mercado-pcs-brasil-cresce-20-no-1-trimestre-2021.htm

28

Jun

Reino Unido vai investigar Amazon e Google por permitir avaliações falsas

Duas das maiores empresas do mundo, o Amazon e o Google, estão sendo investigados no Reino Unido pela CMA, o órgão britânico que analisa mercados e competição. As duas companhias possivelmente não protegeram devidamente os clientes de suas plataformas de avaliações falsas de produtos, o que pode levar o público a comprar produtos de qualidade duvidosa.

A ação começou em maio, quando a CMA manifestou preocupações sobre o tratamento que as empresas de avaliações falsas ou enganosas tiveram nos sites de Amazon e google. Na época, os investigadores não revelaram quais empresas estavam sendo investigadas.

Amazon e Google são duas das empresas com maior poder sobre o ecommerce e pesquisa online. Em 2020, as vendas online da Amazon cresceram 37% e chegaram a US$ 386 bilhões, já que o mundo passou a fazer muito mais compras pela internet em virtude da pandemia do novo coronavírus. Já o Google tem investido pesado no seu Shopping, plataforma de compras lançada em 2019.

As duas empresas possivelmente não fizeram um bom monitoramento de quais lojas estavam sendo supervalorizados por avaliações falsas de seus produtos. Com isso, muitos clientes podem ter sido levados a comprar produtos de qualidade duvidosa ou até mesmo serem enganados pelas falsas avaliações positivas.

Segundo o Engadget, a CMA já havia pressionado o eBay, o Facebook e o Instagram para monitorar com mais eficácia as avaliações falsas após constatar que elas são muito eficientes para incentivar a compra. Como resultado, as três plataformas concordaram em remover o conteúdo identificado. O Facebook, por exemplo, chegou a remover mais de 16 mil grupos que estavam negociando avaliações falsas.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/146420/reino-unido-vai-investigar-amazon-e-google-por-permitir-avaliacoes-falsas/

27

Jun

Você sabe como administrar um grupo do WhatsApp?

*Por Roberto Camargo

Segundo uma pesquisa realizada pela Resultados Digitais no ano de 2020, cerca de 120 milhões de pessoas utilizam o WhatsApp no Brasil. O aplicativo teve um crescimento acelerado, justamente por permitir a troca de mensagens de forma rápida, sejam elas pessoais ou não.

Muitas são as formas de comunicação dentro do WhatsApp, seja de forma direta com o envio de uma mensagem no privado, por meio de listas de transmissão, postando ou reagindo a um status ou utilizando grupos. E os grupos são os que mais exigem atenção, vou te contar o porquê.

Não importa o tipo: de família, da faculdade, do trabalho ou do condomínio, os grupos de WhatsApp na maioria das vezes são muito chatos, cheios de notificações e mensagens que mais atrapalham nosso dia a dia do que acrescentam algo.

Regras e objetivos

Em grupos as mensagens chegam apitando avassaladoramente, entupindo o smartphone de áudios, vídeos e imagens, pois não são impostas algumas regras de etiqueta. Dependemos apenas do bom senso das pessoas, mas isso nem sempre está presente.

O que é combinado não sai caro, então ter definido e, quando bem esclarecidos, os objetivos do grupo vão evitar boa parte de problemas que poderiam ocorrer no futuro.

Dicas para administradores

O ideal é que o líder seja o criador e administrador do grupo como, por exemplo, o professor, o chefe ou o síndico e que seja um grupo “oficial”. Caso existam outros paralelos, deve ficar muito bem claro que debates sobre comunicados oficiais apenas são feitos por meio do oficial.

- Proíba política, religião, piadas de qualquer natureza.

- Proíba mensagens de bom dia e boa noite; elas poluem o grupo e aumentam quantidade de notificações.

- Proíba mensagens por áudio, pois se alguém não consegue se expressar escrevendo em poucas linhas, é melhor que reveja o que quer falar, já que nem todos podem ouvir áudios e muitas vezes as mensagens são muito longas e atrapalham entendimento do assunto no grupo.

- Dependendo do tipo de grupo, como de condomínio, defina um horário para o grupo estar aberto e todos poderem enviar mensagens neste momento e com acompanhamento do administrador, por exemplo: das 20h às 21h em tais dias da semana.

Dicas para participantes

- Desative as notificações do grupo escolhendo a opção: PARA SEMPRE.

- Não exponha outras pessoas no grupo por nenhum motivo; se necessário, primeiro leve o assunto ao administrador.

- Não poste nada que não seja assunto do grupo, mesmo que você considere a mensagem “de utilidade pública”, saiba que nem todos vão concordar com isso e vão se incomodar.

- Muito cuidado: não encaminhe mensagens que recebeu de outros grupos, pois, além de não ser o objetivo deste, muitas vezes elas são fake news.

- Você se identificou com algum membro do grupo que escreveu alguma coisa interessante? Fale com ele por mensagens privadas, não no grupo.

- Não divulgue produtos ou serviços seus ou de amigos, a não ser que a regra esteja combinada anteriormente.

Recomendações finais

WhatsApp nem sempre deve ser canal oficial de comunicação e, se for, que isso esteja muito bem claro para todos.

Grupos no WhatsApp são muito melhores como quadro de avisos do que como ferramenta de debate: nem sempre todos se respeitam o suficiente, pois atrás de uma tela de celular muitos se sentem fortes e poderosos e perdem a noção.

Dica de ouro

Será que o seu grupo de WhatsApp não pode ser transformado em uma lista de transmissão? Assim como o app é uma ferramenta que faz parte da transformação digital que o mundo está vivendo, existem muitas outras que podemos usar no dia a dia.

Não perca tempo, tenha ao seu lado a URL Business, agência especialista em transformação digital.

*Roberto Camargo é CEO da URL Business, professor de MBA, palestrante e consultor especialista em presença digital.

25

Jun

Pesquisa: maioria das transações bancárias do Brasil já acontece pelo celular

A transformação digital acelerada pela pandemia do COVID-19 trouxe mudanças de hábitos para o comportamento bancário brasileiro. Segundo a Pesquisa Febraban (Federação Brasileira de Bancos) de Tecnologia Bancária 2021 (correspondente ao ano de 2020), pela primeira vez a maioria das transações bancárias por aplicativos mobile foram maioria no país, correspondendo a 51% do total.

Ao todo, foram movimentados R$ 52,9 bilhões por celulares, um aumento considerável em relação aos R$ 37 bilhões registrados no ano anterior. Apesar de os aparelhos portáteis terem ganhado destaque, o total de transações teve um crescimento total de 20% em todos os meios canais bancários (internet, agências, caixas eletrônicos, correspondentes bancários e contact centers), em operações que totalizaram R$ 103,5 bilhões.

O levantamento mostra que o total de contas ativas no mobile banking (aquelas que tiveram alguma movimentação em um período de 6 meses) chegou a 198,2 milhões — mais do que o dobro das 92,4 milhões registradas no ano anterior. Embora 70 milhões delas tenham sido abertas para receber o Auxílio Emergencial do Governo Federal, o setor já esperava um crescimento de 39% mesmo sem considerar os efeitos do programa de transferência de renda.

Pix e investimentos de segurança se destacam

A pesquisa também mostra uma boa aceitação do Pix, solução de pagamentos que entrou em vigor em novembro de 2020. Em sua estreia, a tecnologia movimentou R$ 59,2 milhões entre 21 bancos analisados, valor que saltou para R$ 338,2 milhões em março — o crescimento de 471% pode ser explicado pelo espaço que o sistema ganhou em relação a opções mais tradicionais, como DOCs e TEDs. Ao todo, já são amis de 519 mil usuários cadastrados para fazer transições com a tecnologia.

Com o aumento do uso dos canais digitais, os bancos também estão investindo mais em tecnologias que garantem a segurança de seus clientes e funcionários. Em 2020 os investimentos totais chegaram a R$ 25,7 bilhões, um aumento de 8% em relação a 2018 — os departamentos de TI também foram reforçados, voltando uma média de 10% de seus orçamentos para a cibersegurança.

Para Isaac Sidney, presidente da Febraban, o ano foi especialmente desafiador para o setor bancário, que teve que lidar com uma crise de saúde que trouxe graves consequências econômicas para o mundo. No entanto, ele afirma que o setor bancário brasileiro se mostrou capaz de se adaptar bem à situação, investindo em tecnologias de ponta e novos serviços como uma forma de garantir a segurança de seus clientes, que não precisam sair de casa para realizar as operações que precisam.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/mercado/maioria-das-transacoes-bancarias-do-brasil-ja-acontece-pelo-celular-188184/