Comunicação

9

Set

Setembro Verde: Instituto do Bem lança campanha “Sua Vida Combina Com a Minha”, de incentivo à doação de órgãos

O Instituto do Bem (IBem), organização não governamental que atua na conscientização da população sobre a importância da doação de órgãos, lançou a campanha “Sua Vida Combina Com a Minha”, que tem como objetivo incentivar esse gesto de amor ao próximo e solidariedade. A ação faz parte do Setembro Verde, mês em alusão à doação de órgãos.

A campanha traz uma mensagem simples, mas impactante: “nossas vidas combinam, os órgãos que vivem em você combinam com outras pessoas também”. A ideia é chamar a atenção para a importância de ser um doador de órgãos, mostrar o impacto dessa decisão na vida de quem aguarda na fila por um transplante.

Atualmente, o RN tem 244 pacientes em lista de espera para transplante renal e 390 pessoas aguardando transplante de córnea. De janeiro a dezembro de 2020, o estado registrou 188 notificações para doação de órgãos, contudo, apenas 60 se concretizaram. Já no primeiro semestre de 2021, houve 96 registros, com apenas 22 doações efetivas. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap).

No dia 27 de setembro, celebra-se o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Segundo a assistente social do Instituto do Bem, Brenda Cirne, o intuito do “Dia D” é contribuir para o debate e desmistificar o tema. “Esse assunto ainda é tabu para muitas pessoas. Falar sobre doação também é falar sobre finitude, o que faz com que muitos evitem. Mas é importante conscientizar as pessoas que esse gesto também representa a esperança de uma nova vida para muita gente”. Pela legislação vigente, a doação de órgãos só ocorre pela autorização familiar. Por isso é importante externar esse desejo em vida para os parentes mais próximos.

Brenda explicou que, anualmente, o Instituto do Bem faz uma campanha como forma de dar visibilidade ao assunto e conta com vários parceiros.  Devido à pandemia, as ações presenciais ainda estão restritas, o que diminui a visibilidade ao tema. “Para aumentar a conscientização das pessoas, especialmente nesse período pandêmico, nosso foco tem sido as redes sociais e mídias externas. É importante que todo mundo posso refletir sobre o assunto. É uma corrente de amor e solidariedade que precisa ser fortalecida”, declara Brenda.

8

Set

FIERN estreia hoje (08) programa Indústria Mais RN no YouTube

A Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, através da TV Indústria, lança nesta quarta-feira (08), o primeiro programa Indústria Mais RN. O programa terá novos episódios quinzenalmente, no canal da FIERN no YouTube (acesse aqui: https://www.youtube.com/c/SistemaFIERN). 

Apresentado pela Gerente de Comunicação da FIERN, jornalista Juliska Azevedo, o Indústria Mais RN traz convidados em entrevistas sobre assuntos relevantes da economia e da indústria, sobre o desenvolvimento do Rio Grande do Norte e também temas nacionais.

Na estreia, o programa traz uma entrevista com o presidente da Federação das Indústrias do RN, Amaro Sales, que também é primeiro diretor-secretário da Confederação Nacional da Indústria e presidente do Conselho Temático da Micro e Pequena Empresa da CNI. Amaro Sales fala sobre temas como a atuação do Sistema nas áreas de educação, economia, energias renováveis e parcerias com o Poder Público, entre outros assuntos.

 

8

Set

Clube de Permuta Natal oferece oportunidades para associados em uma das emissoras de TV de maior audiência do RN

Quando se fala em propaganda, a televisão ainda é um dos veículos de mídia que mais traz retorno do ponto de vista comercial para empresas que pretendem anunciar suas marcas. Os associados do Clube de Permuta Natal contam com essa nova oportunidade, a baixa custo, com a chegada da umas das emissoras de maior audiência do estado, a TV Ponta Negra, afiliada do SBT no Rio Grande do Norte. 

Primeira emissora comercial do RN, fundada há 34 anos, a TV Ponta Negra possui uma grade de programas consolidada, com produtos jornalísticos e de entretenimento, e um forte apelo junto ao público potiguar, principalmente no horário do almoço, que é considerado o “horário nobre” da programação local. 

A partir de agora, os associados do Clube de Permuta Natal podem anunciar suas marcas em programas como o “Notícias da Manhã”, apresentado de segunda a sexta-feira pelo jornalista Anallyson Miquéias, a partir das 07h30; a revista eletrônica “Tudo de Bom”, com Priscila de Sousa, também de segunda a sexta, a partir das 11h; e no esportivo “Arena”, a partir das 11h30. 

Conselheira do Sistema Ponta Negra de Comunicação, a empresária Rosy de Sousa, explicou o porquê de a emissora ter ingressado no Clube de Permuta. “Estamos vendo como uma oportunidade de participar de uma rede diversificada de parceiros e fortalecer o Grupo em um novo formato”. 

Além da TV, o público das redes sociais também pode conhecer os produtos dos associados que escolherem a TV Ponta Negra. A emissora tem um grande engajamento nas diferentes mídias, com transmissões ao vivo dos programas locais. São mais de 673 mil seguidores no Facebook, 269 mil no Instagram e mais de 47 mil no Youtube. 

São informes publicitários na TV e nas redes sociais recomendados para campanhas pontuais que possibilitam ao anunciante explorar melhor seus produtos e serviços, garantindo adequação e visibilidade para a marca, a um custo bem abaixo do que é praticado no mercado. 

“O Clube de Permuta busca sempre novos associados com credibilidade e que proporcionem mais oportunidades de fomentar e fazer novos negócios. Uma emissora de televisão é um ótimo canal de mídia, ainda mais nesse momento, que é preciso reinvestir em propaganda nesse processo de retomada econômica”, disse o diretor-executivo do Clube de Permuta Natal, Betinho Costa. 

Sobre o Clube de Permuta

O Clube de Permuta é uma alternativa para que empresários possam adquirir produtos e serviços sem mexer no seu caixa, por meio de permutas multilaterais realizadas em uma plataforma virtual. Para ingressar, é preciso ser indicado por uma das empresas participantes. Acessando o site, é possível ter acesso ao rol de empresas de cada cidade onde o clube atua, no endereço www.clubedepermuta.com.br.

8

Set

Consumo de vídeo faz redes sociais crescerem na pandemia, revela estudo

Em um cenário onde o isolamento social ainda é recomendado, as redes sociais desfrutam de um gigantesco crescimento nos últimos 18 meses, impulsionadas principalmente pelas transmissões ao vivo e pela explosão da economia criativa. Um estudo realizado pela empresa App Annie revelou que essas duas vertentes foram o estopim na expansão das plataformas sociais em todo o planeta e ainda continuam a afetar o cenário.

Somente em 2021, os consumidores já baixaram mais de 9,2 bilhões de aplicativos e devem gastar 740 bilhões de horas navegando por eles, das quais 548 bilhões devem ser focadas em lives. A pesquisa The Evolution of Social Media Report foi lançada na segunda-feira (6) e considerou o Instagram, o TikTok e a Twitch como os líderes dessa "revolução".

Conforme o relatório, caso a tendência se mantenha até o fim do ano, é bem provável que sejam ultrapassadas as 800 bilhões de horas conectadas, marco alcançado em 2020. A Twitch tem um grande impacto nestes dados, com mais de 30 milhões de usuários diários e foco em games — embora a plataforma também tenha sucesso em outros nichos como IRL (In real life), música e as polêmicas transmissões em banheiras, piscinas e praias.

O relatório de App Annie reflete como alguns criadores estão mais focados a produzir conteúdo original desde quando aplicativos começaram a oferecer programas de monetização e incentivos financeiros. O TikTok e o Kwai são expoentes dessa prática aqui no Brasil, mas o Facebook também deve pagar R$ 5,1 bilhões aos influenciadores digitais até 2022, assim como o YouTube, cuja renda mensal pode chegar a R$ 50 mil para quem se dedicar ao Shorts — a sua ferramenta de vídeos curtos.

O Twitter é outra plataforma que aposta na remuneração de pessoas para impulsionar o crescimento. Além de lançar o Spaces, voltado para conversas por voz, a rede social adicionou o Super Follows, que permite cobrar uma taxa de assinatura mensal por conteúdo extra, e o Tip Jar, uma espécie de gorjeta que se envia a um criador de conteúdo como forma de agradecimento.

Do texto para o vídeo

A pesquisa do App Annie revela uma tendência que a maioria dos produtores de conteúdo digital já percebeu: a migração do texto e foto para os vídeos e o streaming. O objetivo é manter os usuários presos nas plataformas por mais tempo, o que gera retornos financeiros com a exibição de propagandas direcionadas. O próprio Instagram, criador do conceito de rede social fotográfica, já mudou seu enfoque para os vídeos com os Stories, o IGTV e, mais recentemente, o Reels.

O relatório aponta um gasto de R$ 34,4 bilhões por meio dos apps sociais só em 2021: somente americanos e japoneses, os mais "mãos abertas" no ambiente digital, torraram mais R$ 7,6 bilhões no primeiro semestre deste ano. Uma projeção feita pela companhia revelou que esse valor pode subir para R$ 87,7 bilhões até 2025, o que revela o poder de expansão do mercado.

Domínio do TikTok

A pesquisa reforça, ainda, a posição de domínio do TikTok no mundo: trata-se do aplicativo social e de entretenimento mais baixado pelo segundo ano consecutivo. O Instagram, que começou a pedir a verificação de datas de nascimento, já superou a empresa-mãe (Facebook) e fica na segunda posição do ranking global.

Completam o TOP 10 aplicativos como WhatsApp, Telegram, Snapchat, Messenger, Capcut, MX TakaTak e PicsArt — esses três últimos são editores de vídeo e passaram outros programas populares como Netflix e Pinterest. Vale lembrar que esses dados não consideram os downloads do mercado chinês, cujos os apps exclusivos e populares por lá podem fazer frente às alternativas ocidentais.

O relatório completo do App Annie pode ser baixado no blog da companhia, mediante cadastro prévio.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/consumo-de-video-faz-redes-sociais-crescerem-na-pandemia-revela-estudo-194998/

6

Set

Fórum discute negócios na área de inovação e energias renováveis

Unir conhecimento científico às necessidades do mercado de energias limpas e identificar as demandas e oportunidades nessa área com soluções inovadoras. Esse é um dos principais objetivos do Fórum de Inovação e Negócios em Energias Renováveis, que será realizado virtualmente na próxima quarta-feira (8), a partir das 14h.  O evento é realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e o Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX RN) com apoio do Sebrae no Rio Grande do Norte. As inscrições para o fórum são gratuitas e podem ser feitas através do site https://paxrn.imd.ufrn.br/paxeventos/paginaEvento/energia/.

O principal objetivo do evento é promover a aproximação da comunidade acadêmica com o setor empresarial e com as autoridades públicas para promover a geração de novos negócios. Isso porque o fórum vai reunir especialistas, consultores e pesquisadores ligados as áreas de Energia Eólica, Energia Solar, Bioenergia e Armazenamento de energia. A ideia é trazer a temática para o debate e identificar as novas oportunidades de negócios para planejar soluções inovadoras e sustentabilidade amparada por políticas públicas.

Mais que discussões, o Fórum de Inovação e Negócios em Energias Renováveis representa um espaço para que as novas ideias, experiências, informações e propostas se concretizem na prática em todos os elos dessa cadeia produtiva, já que esses segmentos já detêm uma significativa participação nas economias locais, nacional e global.

A Assessora Especial da UFRN e coordenadora do Projeto de Implantação do Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo (PAX-RN), Ângela Paiva, explica que o Fórum de Inovação e Negócios em Energias Renováveis constitui um espaço virtual para promover o diálogo entre pesquisadores e empresas desta área. “Haverá uma mesa de debate inicial, salas de soluções nas quais mais de 30 projetos serão apresentados às empresas nacionais ou internacionais que se inscreverem até o próximo dia 8. Além disso, teremos o Espaço Sebrae onde instituições financeiras vão apresentar oportunidades de financiamento para inovação, especialmente em energias renováveis. O objetivo maior é construir parcerias que fomentem inovação, negócios e atração de empresas para o RN e para o PAX”, afirma Ângela.

O gerente da Unidade de Negócios, Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, David Góis, lembra que as energias renováveis têm um grande potencial transformador no Rio Grande do Norte. “Conectar a inovação gerada na academia às dores do mercado, é um dos principais objetivos deste evento, que contribuirá diretamente com o desenvolvimento da economia local”, reitera David Góis.

Mais energia

Agência SebraeSegundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o setor de energia solar fotovoltaica cresceu 175% na comparação entre 2019 e 2018 no Rio Grande do Norte e a estimativa é que em 2040 só a energia do sol represente 32% da matriz energética brasileira. Além disso, o Rio Grande do Norte tem a maior capacidade instalada de usinas eólicas em operação comercial do Brasil, tanto que em maio deste ano ultrapassou a marca de 5 GW de capacidade de produção de energia eólica, gerada pela força dos ventos.

Por isso, a programação vai analisar a produção de energia eólica onshore e offshore e os negócios que podem ser demandados a partir do suprimento de tecnologias dos componentes da turbina eólica e para otimização do desempenho de operação e manutenção de parques eólicos, além da rede de negócios para atender à instalação de usinas eólicas offshore.

Outro ponto de discussão é a energia solar. Os especialistas e participantes pretendem avaliar as tecnologias de células e sistemas fotovoltaicos e buscar formas para melhorar do desempenho de sistemas fotovoltaicos, assim como tratar do tema energia solar heliotérmica. Em relação à bioenergia, a abordagem será sobre as tecnologias e processos produtivos em bioenergia e, no geral, o armazenamento de energia para fontes renováveis, como é o caso da produção de hidrogênio verde.

O evento será realizado em formato totalmente remoto, através da plataforma Zoom, na qual os participantes poderão assistir os painéis, bem como, interagir com os pesquisadores, consultores e empresários. Mesmo virtual, o fórum terá espaços como as “Salas de Soluções”, nas quais o participante terá a oportunidade de conversar e negociar com os pesquisadores, e o “Espaço Sebrae”, que vai reunir instituições financeiras que oferecem linhas de crédito para quem deseja apostar nesse segmento.

5

Set

Planejamento sucessório também é importante para os pequenos negócios

O sucesso de um negócio geralmente é medido pelo tempo que ele está presente no mercado. Entretanto, quando se trata de pequenas empresas, especialmente do comércio, nem sempre os filhos se interessam em dar continuidade ao empreendimento dos pais.

Ao contrário do que muitos pensam, o planejamento sucessório deve ser encorajado e pensado também pelos pequenos empreendedores, na opinião do advogado Hugo Menezes, sócio do escritório Menezes Marques Advogados. Para ele, ao decidir se aposentar, o fundador precisa ter claro o que pretende fazer.

Segundo o advogado, o empreendedor deve deixar organizada a sucessão das quotas da empresa. “Isso leva para o outro ponto importante, filhos que estão na operação do negócio e aqueles que não estão. Aquele filho que é fotógrafo na Holanda tem direitos sucessórios nas quotas da empresa dos pais, mas que quem toca é o irmão. Esse fotógrafo, na morte dos pais, vai entrar na sociedade? Não? Como se organiza isso? Pois pela lei brasileira, ele tem direito ao percentual como herdeiro”, exemplifica Menezes.

Caso os herdeiros não se interessem em tocar o negócio, Menezes recomenda uma avaliação econômica feita por um especialista. Neste caso, o empreendedor pode optar por selecionar internamente ou contratar um gestor substituto, manter-se como sócio recebendo distribuição dos dividendos, incluir os filhos com quotas sem direito de voto ou simplesmente vender a empresa.

Outro fator muito comum em grupos empresariais não necessariamente de grande porte é a sobrevivência em uma bagunça societária. Vários CNPJ para cada operação, muitas vezes para permanecer no SIMPLES nacional, mas que acaba gerando um passivo fiscal enorme. “Afinal, são vários CPFs utilizados para esconder que se trata de um grupo econômico e isso dificulta uma passagem organizada do bastão”, adverte o advogado.

De acordo com Menezes, para o planejamento patrimonial dos investimentos e do dinheiro, um bom caminho (fiscal e sucessório) é a utilização das estruturas estrangeiras, as chamadas offshores, empresas constituídas fora do país para administração dos bens mantidos no exterior (investimentos realizados através de conta bancária estrangeira ou o apartamento de Miami, p.ex.). “Pena que o tema ainda é muito árido para algumas famílias que pensam que é caro ou complicado ou artifício para esconder dinheiro”, lamenta.

Outra solução também apontada por Menezes, mas para os casos de administração de grande quantidade de bens imóveis é a constituição de uma holding familiar. “Em regra, a administração da liquidez e sucessão de investimentos não ocorrerá na mesma holding dos imóveis por questões fiscais, pois a tributação da renda financeira é alta”, justifica o advogado.

Menezes recomenda a holding como uma ótima forma de organizar, pois muitas famílias possuem entre 10 e 25 imóveis e não há regularização imobiliária, e muitas vezes ainda estão em nome do vendedor ou de uma empresa da família que já foi até vendida. “Deixar essa documentação toda em ordem ajuda, inclusive, na exploração econômica dos bens, além da facilitação da sucessão patrimonial em vida, simplificando e barateando estupendamente o processo sucessório”, argumenta.

Entretanto, o advogado aponta alguns contras, como custo da constituição, que se paga ao longo da curva do tempo; possível taxação dos dividendos e aumento das alíquotas sobre a renda das holdings.

4

Set

Nove dicas para ter sucesso no processo seletivo digital

Com a chegada da pandemia da Covid-19, as empresas passaram a realizar processos seletivos digitais, usando aplicativos e ferramentas de videoconferência. Assim, falar diante das câmeras foi algo que se tornou trivial para os candidatos.  Com isso, essas soluções devem ser incorporadas à rotina de quem procura emprego. Segundo a especialista em carreiras e recursos humanos, Aliesh Costa, CEO da Carpediem RH, os candidatos precisam ter consciência de que o processo seletivo online requer os mesmos cuidados que se teria, caso as entrevistas ou dinâmicas acontecessem na sede da organização ou em qualquer ambiente físico.

Para driblar possíveis dificuldades da entrevista digital, segundo Aliesh, a primeira providência é escolher um local apropriado, com iluminação adequada e privacidade. “Crianças chorando, o cachorro latindo, a mãe chamando ou pessoas conversando alto, assim como qualquer barulho que cause ruídos durante a entrevista, devem ser evitados”, alerta a especialista.

Além disso, se o candidato optar por realizar a entrevista pelo celular, é importante que o aparelho esteja sobre um apoio fixo com o enquadramento da imagem perfeito. “O ideal é focalizar o rosto, com a imagem da região peitoral para cima”, indica Aliesh.

A CEO da Carpediem RH conta que, nesses tempos de pandemia, já houve relatos de entrevistas onde o candidato estava de bruços, deitado na cama, com pessoas transitando ou fazendo outras coisas no fundo da imagem. “Houve também gente que caminhava na rua, no momento da videoconferência”, conta. “Essas atitudes não são bem vistas e têm um impacto negativo, o que torna, quase sempre, inviável a continuidade do indivíduo na entrevista, já que impossibilitam a concentração do entrevistado e do selecionador”, explica a CEO.

Para ajudar no processo seletivo online, Aliesh Costa elegeu oito dicas que vão ajudar bastante para quem está buscando uma colocação no mercado. Veja a seguir:

1) Teste seus equipamentos. Isso é crucial porque a entrevista será prejudicada, caso o microfone ou webcam pararem de funcionar exatamente no momento da conversa com o selecionador. O mesmo vale se a conexão do Wi-Fi estiver instável.“O melhor é fazer alguns testes prévios para ter certeza de que os alto-falantes e o microfone irão transmitir o som com qualidade”, explica a especialista. “E o mesmo vale para a câmera, que deve estar com o melhor enquadramento possível”, completa. Além disso, a especialista lembra que é preciso estar familiarizado com os softwares da entrevista, que, normalmente, são Google Meet, Zoom ou Skype. Todos são, hoje, amplamente utilizados.

2) Silencie o ambiente e fique atento ao plano de fundo. O local da entrevista deve ser escolhido com atenção. Qualquer som de fundo deve ser evitado, pois os microfones costumam ser sensíveis. Lembre-se de que, caso haja barulho ou ruídos, o recrutador vai ouvi-los, interferindo muito na qualidade do som da sua fala. “Uma boa dica é não ficar perto de janelas, se a sua rua for movimentada”, aconselha Aliesh. “Tenha em mente que o cenário ideal é uma sala silenciosa”, diz a especialista. “Já o plano de fundo deve ser o mais neutro possível, como uma parede, por exemplo”, explica a CEO da Carpediem RH.

3) Peça a colaboração de todos da casa. Em tempos de home office, é importante comunicar aos familiares sobre o momento da entrevista, para que não haja interferências. “Se todos souberem o horário em que acontecerá a videoconferência, você evitará surpresas e todos poderão colaborar, fazendo silêncio”, explica Aliesh.

4) Fale de modo correto. Nas chamadas online com familiares ou amigos, é muito comum o uso de abreviações e gírias. “Lembre-se, porém, que a entrevista é um evento formal e, como tal, é preciso buscar a clareza e correção no modo de falar”, afirma Aliesh.

5) Cuide do visual. Cada empresa tem seu dress code Escritórios de engenharia e advocacia, por exemplo, vão exigir roupas mais formais. Já nas startups e agências de comunicação, o esporte fino é bem aceito. “O importante é que o candidato esteja vestido de acordo com o estilo da empresa onde ele almeja trabalhar e ao mesmo tempo se sinta confortável. Não é porque a pessoa está do outro lado da tela que não há necessidade de preocupação com o traje”, diz Aliesh. “Asseio e cuidados pessoais são imprescindíveis para causar uma boa impressão”, conclui.

6) Preze pela pontualidade. Em uma reunião presencial, é de bom tom chegar com dez minutos de antecedência. Esta dica também se aplica a entrevistas em vídeo, conforme a especialista. “Esteja sentado na frente do computador alguns minutos antes do horário marcado”, recomenda Aliesh. “Isso é importante porque você poderá demorar um pouco para conseguir acessar o software utilizado ou ter problemas com senhas; então, vale se antecipar para resolver esses desafios com antecedência”, observa ela. “Na hora da entrevista, os imprevistos vão gerar uma tensão desnecessária”, pondera a CEO da Carpediem RH. “O atraso ocasionado por problemas de conexão também tende a ser menos compreensível nos dias de hoje”, acrescenta ela.

7) Preste atenção à linguagem corporal. Seus gestos e expressões podem transmitir muitas coisas sobre quem você é, como pessoa e como possível colaborador de uma organização. “Você pode apresentar uma imagem positiva, certificando-se de que mantém uma postura ereta na sua cadeira, por exemplo”, explica Aliesh. “Apoiar os dois pés no chão e evitar ficar curvado também é interessante”, completa. Outra boa dica, segundo a especialista, é manter as mãos no colo para evitar gestos que possam distrair o entrevistador. “Além disso, o ideal é manter o foco na câmera sempre que possível, especialmente quando você estiver falando”, afirma a expert. Isso vai dar ao recrutador a sensação de que você não é uma pessoa dispersa e que está bastante envolvido na entrevista”, diz Aliesh.

8) Atenção ao estado emocional. Para evitar que a ansiedade tome conta, é interessante realizar um exercício de respiração antes da entrevista. Como dica, a CEO recomenda a técnica a seguir: primeiro, deve-se inspirar o ar em três segundos. Em seguida, é preciso prender o ar também enquanto se conta até três. Feito isso, por fim, basta expirar todo o ar em seis segundos. É recomendado que a pessoa repita estas etapas por no mínimo cinco vezes, para conseguir o efeito calmante. “Este simples exercício ajuda na manutenção do foco e da concentração, além de contribuir para o equilíbrio emocional”, explica Aliesh.

9) Conheça a empresa. É sempre recomendável que o candidato pesquise sobre a organização, no que diz respeito às suas áreas de atuação, produtos, serviços e realizações. Essas informações vão trazer mais segurança durante a entrevista e contribuir para um desempenho mais assertivo e alinhado com as demandas da empresa. “E, consequentemente, fazendo isso, as chances de sucesso serão maiores”, indica a CEO.

1

Set

Google deixa obrigatoriedade do retorno dos funcionários aos escritórios para 2022

O CEO do GoogleSundar Pichaiinformou por e-mail a todos os funcionários nesta terça-feira (31) que a companhia adiou para o dia 10 de janeiro de 2022 a retomada oficial dos escritórios. Enquanto a empresa já está permitindo que trabalhadores retornem voluntariamente a estes espaços, a obrigatoriedade da política de trabalho só valerá a partir desta data, de acordo com a adequação às condições locais perante a atual pandemia.

A mudança de planos é considerável, dado que até então o plano do Google neste departamento estava previsto para algum momento de setembro. A variante delta não é citada em nenhum momento do documento, mas considerando a alta de casos e a estagnação da vacinação nos EUA não é difícil ligar os dois pontos – até porque os planos da companhia passavam por um modelo híbrido que permitia os funcionários visitarem os escritórios apenas três dias por semana.

Enquanto Pichai garante que todos serão notificados 30 dias antes do reinício oficial da política, é válido lembrar que os funcionários da empresa precisarão apresentar comprovação de vacinação para entrar nos estabelecimentos.

Escritório, Trabalhador Autonomo, Computador, O Negócio

“A estrada adiante pode ser um pouco mais longa e turbulenta do que nós esperávamos, mas eu permaneço otimista de que nós conseguiremos superá-la juntos” escreve Pichai na carta, finalizando com o comentário de que a volta parcial aos escritórios “reenergizou” muitos da empresa ao permitir a reconexão em pessoa.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/149987/google-deixa-obrigatoriedade-do-retorno-dos-funcionarios-aos-escritorios-para-2022/

31

Ago

Edital do Sebrae credencia consultores para atuar na área da LGPD

O Sebrae do Rio Grande do Norte está com inscrições abertas para cadastramento de consultores para o Programa Sebraetec. Os interessados devem estar habilitados a atuar na área de adequação de pequenos negócios às normas exigidas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), cujas sanções começaram a ser aplicadas no país desde o início deste mês. O edital de chamamento público para credenciamento de consultores, enquanto pessoa jurídica, já está aberto e a documentação dos interessados deve ser enviada até o dia 5 de setembro. O edital completo e o manual com as orientações para a inscrição podem ser conferidos no site www.rn.sebrae.com.br no item ‘Licitações e Editais’.

A chamada pública destina-se a pessoas jurídicas com competências devidamente comprovadas nas áreas de ciência, pesquisa, tecnologia e inovação, com experiência na prestação dos serviços especificamente para a ficha técnica “ADEQUAÇÃO À LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD)”. Esses consultores selecionados vão prestar os serviços para micro e pequenas empresas atendidas pelo Sebrae para atuar na análise de quanto a empresa está adequada à legislação, realizar inventário de dados, listar documentações a ser criadas e na elaboração de um plano de adequação à LGPD, que entrou em vigor no dia 18 de setembro de 2020 e as sanções passaram a ser aplicadas somente a partir de primeiro de agosto de deste ano.

“O objetivo desse credenciamento é uma estratégia do Sebrae no Rio Grande do Norte para antecipar as necessidades e demandas dos empresários atendidos pela instituição em todas regiões do estado no que se refere à temática LGPD, dando condições de apoiá-los na adequação a essa legislação especificamente”, explica a analista técnica da Unidade de Negócios, Inovação e Tecnologia do Sebrae-RN, Maricélia Morais.

A contratação dos selecionados ocorrerá somente quando houver demanda dos negócios enquadrados no Sebraetec. Poderão participar do cadastramento pessoas jurídicas legalmente constituídas no país há pelo menos 12 meses, até a data de  inscrição. É preciso ainda que o ramo de atividade, previsto em seus atos constitutivos seja legalmente pertinente e compatível com as exigências do edital.

A documentação para credenciamento pode ser encaminhada até o dia 5 de setembro próximo. Esses documentos serão analisados e o resultado será divulgado no dia 23 de setembro. Os recursos administrativos poderão ser protocolados três dias antes da divulgação do resultado final, ou seja, no dia 20 de setembro.

O que é a LGPD?

A Lei nº 13.709/2018, conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), é a legislação brasileira que regula as atividades de tratamento de dados pessoais. A legislação se fundamenta em diversos valores, como o respeito à privacidade; à autodeterminação informativa; à liberdade de expressão, de informação, de comunicação e de opinião; à inviolabilidade da intimidade, da honra e da imagem; ao desenvolvimento econômico e tecnológico e a inovação; à livre iniciativa, livre concorrência e defesa do consumidor; e aos direitos humanos, livre desenvolvimento da personalidade, dignidade e o exercício da cidadania.

O que é o Sebraetec

O Sebraetec é um programa com orientações especializadas e customizadas para implementar soluções tecnológicas em quatro áreas da inovação (Design, Produção e Qualidade, Sustentabilidade e Desenvolvimento Tecnológico). O Sebrae subsidia até 70% dos custos dessa consultoria e o empresário arca apenas com o restante, reduzindo significativamente o valor do desembolso por parte do empreendedor.

As soluções oferecidas pelo Sebraetec promovem a melhoria de processos, produtos e serviços ou a introdução de inovações nas empresas e mercados. Entre os serviços contemplados, estão consultoria tecnológica, serviços metrológicos, avaliação de conformidade (certificação) e prototipagem. Esses serviços são realizados por uma rede de prestadores de serviços tecnológicos especialistas nessas necessidades dos pequenos negócios. Esses credenciados que são alvo desse edital aberto pelo Sebrae no Rio Grande do Norte se enquadram no tema Produção e Qualidade. 

29

Ago

Orgulho potiguar em destaque no UOL: Drica vai às Paralimpíadas aos 43 para filho autista ter acesso a educação

Texto de DEMÉTRIO VECCHIOLI Do UOL, em São Paulo, conta a belíssima história da minha prima Drica Azevedo, que desde criança sempre foi decidida e nunca deixou que ninguém definisse limites para ela. Segue abaixo o texto na íntegra, e fica aqui a torcida efusiva para ela, que com sua garra e exemplos já conquistou o mundo:

"Drica Azevedo aprendeu com os pais que lugar de criança com deficiência é na escola. Infectada pelo vírus da poliomielite quando tinha apenas 11 meses de vida, ela foi rejeitada como estudante em um colégio tradicional de Natal (RN) por causa da deficiência física e só se tornou uma nadadora campeã mundial no esporte paralímpico porque um dia a mãe bateu o pé e exigiu que a filha, que tinha dificuldades motoras nos membros inferiores, também tivesse direito a aprender a nadar.

Aos 43 anos, agora também acometida da síndrome pós-polio, que obrigou sua aposentadoria compulsória como atendente em uma cooperativa de saúde, Drica dá um novo passo no esporte chegando à sua primeira Paralimpíada, em um novo esporte, a canoagem. Avó de um bebê de seis meses, ela vê na profissão de atleta um caminho para poder oferecer melhores condições de tratamento e educação ao seu filho, Benício, de 7 anos, diagnosticado no espectro autista.

https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001580;ord=1630264583564"Quando busquei o diagnóstico do Benício, em 2018, quando ele tinha três anos, eu já imaginava que ele estava no espectro do autismo. Mas era muito complicado para conseguir consultas, era muito caro. Quando veio esse diagnóstico, o que mais escutei foi que: 'Agora você vai ter que parar de treinar, porque vai ter que se dedicar exclusivamente ao Benício'. E eu não aceitava. O diagnóstico dele não era o destino nem dele nem meu. Decidi então que queria progredir no esporte, porque o esporte poderia me dar os meios de cuidar do Benício e melhorar a qualidade de vida dele e da minha família", contou Drica ao UOL Esporte, por telefone, já na Vila dos Atletas de Tóquio.

Nascida em uma família de mulheres fortes, como descreve, Drica trava hoje uma luta que foi também dos pais dela: por educação de qualidade para uma criança diferente das outras. Criada em uma casa repleta de espelhos baixos, para que ela pudesse se enxergar e se aceitar como deficiente, Drica foi rejeitada na escola católica tradicional, cara, onde os pais queriam que ela estudasse.

"Eles [a família] protestaram, colocaram em rádio, mas não deu nada. A escola colocou mil e uma barreiras. Falaram que não tinha quem fosse no banheiro comigo, mas eu não precisava, porque eu havia sido criada para ser independente. Depois disseram que os outros alunos não iam se sentir à vontade comigo. Meu pai se ofereceu para pagar mais pela mensalidade, para pagar uma pessoa para me ajudar, mas não aceitaram", ela conta.

Acabou estudando na escola de uma amiga do pai, onde voltou a sofrer preconceito quando uma professora recomendou que ela não usasse as saias que eram padrão do uniforme para não expor as pernas atrofiadas e não ter que responder perguntas de outros colegas. "Eu não entendia por que a discussão, não era problema eu ter aparelho".

De aluna a mãe de aluno

Também houve resistência para Drica ser aceita como aluna de uma escolinha de natação de Natal. Os pais dela precisaram assinar um termo de responsabilidade, para o caso de qualquer incidente com a criança. Valeu a pena, porque Drica se tornou nadadora paralímpica, tendo sido campeã mundial em 1996, aos 18 anos, quando o movimento paralímpico ainda engatinhava no Brasil.

A potiguar não chegou a disputar uma Paralimpíada na natação, mas alcançou feitos importantes e disputou, por exemplo, o Parapan de 2007, no Rio, onde conheceu um voluntário que se tornaria seu marido, Carlos Rodrigo. O casal teve dois filhos. Primeiro, Carlos Henrique, que tem 11 anos. Depois, Benício, que mudou a vida de Drica exatamente quando descobriu que estava com síndrome pós-polio, um desordem neurológica, consequência da poliomielite da infância, que a fez perder rendimento na natação e se aposentar pelo INSS.

Enquanto migrava para a canoagem veio o diagnóstico de Benício e a decisão de que o esporte seria seu caminho. "Enquanto outros falavam: 'Vai ter que parar', eu pensava: 'Agora que vou ter que continuar'. Por ele e por mim. Pelo meu amor a ele e por eu querer o melhor para ele." Professor de educação física, Carlos Rodrigo largou os dois empregos, a família fez as malas e se mudou do Rio para Curitiba, base do técnico Cleberson Santos, que Drica diz ser o melhor do país.

"Fomos no início de 201 e eu busquei na mesma hora uma escola para o Benício, uma escola regular, a 300 metros da nossa casa. Com sete dias que estávamos em Curitiba ele já estava frequentando a escola com o acompanhamento de uma tutora, uma estagiária pedagoga, que ficou com o Benício junto com a professora dele. Com acesso a sala de recursos multifuncionais. O Benicio ficou muito bem adaptado e quando começou a ter progresso, começou a falar bem, houve a pandemia, que acabou rompendo a evolução dele", relata a atleta.

Drica considera "bizarro" que o filho, aos 7 anos, no segundo ano do ensino fundamental, ainda não esteja alfabetizado. Ela diz que a adaptação do garoto a uma escola regular é difícil, cheia de percalços, trabalhosa para os pais, para a criança e para os professores, mas que, ainda assim, é a melhor alternativa para uma criança do espectro autista. Assim, rechaça a postura do ministro da Educação, Milton Ribeiro, que vem afirmando que crianças com deficiência "atrapalham" a educação de outras crianças e que o governo não quer o que ele chama de "inclusivismo" dessas crianças.

"Sou a favor que seja feita uma rede de preparo para os professores e o governo tenha cuidado de implantar nas escolas os tutores, os auxiliares que vão organizar com o professor e o pedagogo a rotina do aluno dentro da sala de aula. Não é tão simples, não é conto de fadas. Vão ser muitos erros, muitos acertos, mas inclusão é o melhor remédio para tudo isso. O preparo não pode deixar de ser feito. É necessário ter a ressignificação pelos professores, pelos pais também", afirma Drica.

Sam Gardner, personagem que protagoniza a série Atypical, da Netflix, que está no espectro autista e frequenta a universidade, é um bom exemplo para Drica. "Para [de socialização] uma pessoa chegar naquele patamar, ela tem as terapias necessárias, os recursos, os estímulos... Ele vai ter as individualidades dele, vai ter aversões extremas, e isso vai ser tratado com terapia, para que ele seja cada vez mais socializado. Infelizmente a gente não consegue ter isso o tempo todo, a não ser que a gente custeie. E por isso estou na Paralimpíada, em busca de visibilidade. Para que eu possa ter recursos financeiros para custear o tratamento do Benício. Esse é um dos motivos que me movem a continuar no esporte. Para que o Benicio cresça e ande junto comigo."

Enquanto Benício segue em Curitiba, apegado a uma boneca de pano de cabelo roxo que a quem dorme abraçado como se fosse a mãe e sempre carregando com ele uma foto de Drica, a atleta sonha fazer uma final A em Tóquio. Ela compete no KL1 200m (caiaque adaptado para uma pessoa) a partir de quinta-feira, quando acontecem as baterias eliminatórias. As semifinais e a final acontecem no sábado que vem".

Vai em frente, Drica!! Estamos com você!

29

Ago

Pesquisa: 94% dos latinoamericanos afirmam que empresas têm a obrigação de investir em iniciativas socioambientais e usar diversidade na comunicação

A Sherlock Communications anunciou os resultados do Relatório de Responsabilidade Social Corporativa 2021, estudo que procurou entender como os latinoamericanos avaliam o engajamento das empresas e marcas em causas socioambientais e como isso afeta a percepção dos consumidores sobre  elas. A pesquisa exclusiva com mais de 3.000 pessoas em seis países da região (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e México) mostrou que existe uma expectativa e um impacto real na reputação: 94% dos latinoamericanos afirmaram que as empresas precisam investir mais em iniciativas sociais e ambientais - enquanto isso, apenas 1% dos brasileiros considerou que essas questões são irrelevantes. 

Inclusive, segundo os dados do relatório, os brasileiros são os que mais se importam com a responsabilidade social corporativa das empresas: nove em cada dez pessoas (87%) no Brasil afirmaram que tais ações - ou a falta delas - impactam sua opinião sobre uma marca. Oito em cada dez pessoas no México, Chile e Colômbia disseram o mesmo, assim como 67% no Peru.

Mais Ética e Menos Ótica 

Na América Latina, de forma geral, a principal preocupação é que as empresas produzam e vendam seus produtos de uma forma que não danifique o meio ambiente. No Brasil, 70% também concordam que esse deve ser um ponto de alerta para as marcas. 

Já as condições de emprego apareceram como a segunda maior preocupação dos latinoamericanos, e mais da metade dos entrevistados afirmaram que as empresas são responsáveis por fornecer condições de trabalho e remuneração justas. Para os brasileiros, existe uma questão adicional: a diversidade nos espaços corporativos. Segundo os dados da pesquisa, 39% das pessoas que vivem no Brasil declararam que valorizam mais as empresas que se preocupam com a inclusão de grupos de diversidade na hora da contratação. 

Patrick O’Neill, sócio-gerente da Sherlock Communications, comenta sobre o envolvimento cada vez maior de clientes internacionais em ações de responsabilidade social corporativa na América Latina: “As empresas internacionais não apenas podem fazer uma diferença real na vida das pessoas, mas isso também é extremamente importante do ponto de vista do desenvolvimento da marca.”

Diversidade Importa?

Para 93% dos respondentes na América Latina, é importante que as marcas se preocupem em escolher vozes e corpos diversos para suas campanhas de comunicação, buscando maior representatividade. Entre os latinoamericanos, o público brasileiro é um dos que mais valoriza essa questão: 52% consideram “extremamente importante” e 24% “muito importante”. De forma geral, dos participantes da pesquisa, apenas 4% afirmaram que representatividade não é importante, enquanto 3% disseram não ter certeza. 

Canais e Fontes Confiáveis

Quando o assunto são os canais utilizados para se informar sobre iniciativas de responsabilidade social corporativa das empresas, as mídias sociais, sites de notícias e programas de televisão são os três mais escolhidos como confiáveis na América Latina. O estudo também mostrou a aderência e a confiabilidade no jornalismo no Brasil, já que entre os três canais mais confiáveis para se informar sobre o assunto estão sites de notícias (61%), televisão (51%) e jornais e revistas impressas (41%). 

Por sua vez, cientistas e pesquisadores aparecem como as fontes mais confiáveis para dizer a verdade em relação à responsabilidade social corporativa de marcas para 57% dos latinoamericanos. Metade dos respondentes também disse que confiaria na palavra dos funcionários da empresa, mas apenas 36% confiariam na mesma informação vinda dos CEOs.

Desafios para o Futuro

Educação foi a área que emergiu como a maior prioridade para mais de 3.000 pessoas que participaram da pesquisa. Duas em cada três pessoas na região gostariam de ver empresas investindo na educação dos países. Os latino-americanos também estão preocupados com o meio ambiente, e ‘combater a poluição do ar e da água’ e o aquecimento global foram citados como as principais preocupações em toda a região.

No Brasil, a plataforma social Atados ajuda pessoas e empresas a encontrarem projetos sociais e se conectarem com diferentes causas, podendo desenvolver um trabalho ativo para combater problemas que enfrentamos em sociedade. "O debate sobre o desenvolvimento sustentável tem gerado uma cobrança cada vez maior em relação ao papel social das empresas, fazendo com que a responsabilidade social passe a ser entendida como parte da estratégia de negócios no todo. Por meio da  plataforma, de programas de voluntariado e de projetos próprios, promovemos a conexão, gerando troca de conhecimento intersetorial e engajamento social. Estimulamos as pessoas e empresas a fortalecerem mais de 25 causas por meio de campanhas, como o #Voluntariaço - O que você sabe faz a diferença, que começa dia 23/8, uma celebração ao Dia Nacional do Voluntariado (28/8)", explica Daniel Morais, cofundador do Atados.

Incentivos fiscais e apoio ao engajamento de empresas 

Programas de incentivo fiscais permitem a organizações que atuam no Brasil destinar parte dos impostos pagos ao governo para projetos socioculturais a fim de apoiar o engajamento destas no desenvolvimento da sociedade. Entre eles, o Pro-Mac (Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais), que é aberto anualmente e as inscrições deste ano vão até 21 de novembro de 2021. 

“Sustentabilidade, diversidade, equidade racial, empoderamento feminino… As causas são, em geral, um reflexo de anseios culturais e sociais de mudanças positivas nas comunidades. E os mecanismos de incentivo fiscal permitem que as empresas desenvolvam projetos sinérgicos a essas temáticas, sem necessariamente precisar fazer um grande investimento direto”, disse Ítalo Azevedo, Gestor Cultural da Muda Cultural, uma das agências que mais desenvolve projetos socioculturais em São Paulo.

O relatório da Sherlock Communications sobre Responsabilidade Social Corporativa na América Latina pode ser baixado aqui.

29

Ago

Sete sinais de que você está no “piloto automático”; veja como virar a chave

O celular toca. Você se levanta da cama, toma banho, toma café, se arruma, pega o transporte, leva o filho na escola, chega ao trabalho, dia após dia. Rotina.

Esse movimento constante, incluindo as mesmas atividades, pode facilmente levar o cérebro ao que chamamos de “piloto automático”, um dos maiores inimigos da atenção.

“A rotina tem sua importância e nos ajuda a economizar tempo e esforço mental; além de nos dar segurança quanto aos resultados que queremos obter, mas há limites para ela. Felizmente, existem diversas maneiras de sair deste piloto automático e praticar o que chamamos de atenção ativa no dia a dia”, explicou Patrícia Lessa, Diretora Pedagógica do SUPERA – Ginástica para o cérebro.

A especialista complementa com alguns exemplos: “podemos experimentar fazer compras em um local diferente, pois cada local terá a organização dos seus itens de maneira específica, exigindo de nós uma maior demanda atencional ou mesmo fazer um caminho diferente do que estamos acostumados para chegar em casa. Cada novidade introduzida na rotina colocará nossa mente em estado maior de alerta”.

Contudo, segundo Patrícia, apenas estes exercícios praticados vez ou outra não são suficientes para uma mudança expressiva. “É preciso ampliar a nossa atenção para oferecer ao nosso cérebro os estímulos corretos para que ele consiga performar melhor em diferentes faixas etárias. Esses estímulos, para que sejam assertivos, precisam envolver, novidade, variedade e grau de desafio crescente”, lembrou.

Atenção plena: um desafio para os dias atuais

As consequências de um estilo de vida acelerado vão desde pequenos esquecimentos a até o chamado lapso de memória. É necessário se preocupar a partir do momento em que eles se tornem frequentes; principalmente, em atividades que eram consideradas rotineiras.

Em alguns casos, algumas disfunções comportamentais e dificuldades na linguagem também podem ser considerados indícios do início de alguma demência mais séria.

Confira alguns sinais de que você está colocando o seu cérebro no automático – e veja como mudar isso.

- Falhas de memória – O que define uma boa memória é a capacidade de acessar com facilidade as informações que retemos enquanto estudamos, viajamos e conversamos com as pessoas. Antes de acessar estas informações, temos que ter também boa capacidade de retê-las, e isto ocorre, entre outros fatores, pela nossa capacidade de atenção. Viver atenta e intensamente o presente também é uma forma de reter informações. Outra forma é praticar exercícios para o cérebro, estimulando neurônios e fortalecendo conexões.

- Senso de urgência para tudo – Você já parou para pensar no que é realmente importante para a sua vida? Já dizia o ditado: aquilo que damos atenção, cresce. Em um mundo exigente e multitarefas – do qual muitas vezes não temos total controle, é preciso criar ilhas de atenção não apenas para dar conta de todas as atividades, mas para que isso aconteça de forma a não prejudicar nossa capacidade cognitiva. Uma dica é se organizar, priorizando tarefas mais difíceis para o começo do dia, quando o cérebro está mais ativo e descansado.

- Dificuldade em concentração - Quando falamos em concentração, nos referimos à capacidade de manter-se atento por período contínuo. Ter concentração é também ter atenção. Cansaço, sonolência, uso de substância psicoativas e álcool interferem na atenção. A prática de estimulação cognitiva ou ginástica para o cérebro atua diretamente neste sentido.

- Culpa por descansar – Você já foi acionado por seu chefe no final de semana? Já se sentiu culpado por estar descansando? Por incrível que pareça, a última frase é uma queixa constante de profissionais, sobretudo de quem tem uma rotina repleta de afazeres, metas altas e muita cobrança no ambiente de trabalho. “É comum ouvirmos as pessoas dizerem que estão ‘precisando de férias’. Isso nada mais é do que uma verbalização do que o corpo está pedindo: uma desaceleração das tarefas, uma mudança de rotina para que ele possa trabalhar mais e melhor”, pontuou Patrícia Lessa, Diretora Pedagógica do SUPERA.

- Cérebro multitarefas – É quase impossível viver em 2021 sem experienciar, na prática, o conceito de multitarefas. Por vezes, nem mesmo às crianças é dada a oportunidade do ócio, sem uma rotina com muitas coisas a fazer. Entre oferecer ao cérebro um período de descanso ou desafiá-lo a aprender coisas novas, a dica, segundo a especialista, é o caminho do meio. “Aprender a tocar um instrumento diferente, estudar, ir ao cinema, fazer amigos, participar de discussões, escrever e fazer ginástica cerebral são alguns exemplos de atividades que ativam os neurônios e restabelecem as conexões entre eles, sempre respeitando os períodos de descanso”, lembrou.

- Irritabilidade e outros sintomas – Uma consequência dos nossos tempos são transtornos psíquicos, muitas vezes evidenciados por sintomas como a irritabilidade permanente. É preciso estar atento a pequenos sinais do corpo pedindo os estímulos certos ou um pouco mais de descanso e organização da rotina.

- Sensação de insuficiência – Em uma sociedade sedenta por resultados constantes, a cobrança mais cruel muitas vezes vezes é mais intensa internamente do que externamente. É possível dosar esta sensação com foco no autoconhecimento e estímulos que ajudam o cérebro a alcançar seu potencial máximo, trazendo mais qualidade de vida e performance.


 

28

Ago

Jogos mobile são a maior fonte de entretenimento para gamers em todo o mundo, apontam pesquisas

Os jogos são o passatempo favorito das gerações Z e Millennials, de acordo com nova pesquisa Generation Report, da NewZoo, fonte de insights e análises do mercado de jogos. O mesmo estudo ainda revela que o público em questão também gasta mais tempo jogando que consumindo qualquer outra forma de entretenimento. Os dados vêm ao encontro de outras pesquisas realizadas recentemente pela Nimo TV Brasil, plataforma de streaming focada em games.

Análises da Nimo TV mostraram que 64% dos jogadores brasileiros passam, em média, mais de duas horas jogando diariamente durante o isolamento social, o que foi reforçado no levantamento global da NewZoo que revela que 77% das pessoas da geração Z preferem jogar em plataformas mobile, assim como 73% dos Millennials. Os games mobile são unanimidade entre os preferidos do público da Nimo TV, onde 80% dos acessos são feitos via dispositivos móveis.

“É muito interessante observar que a tendência é a mesma no Brasil e no mundo no que diz respeito ao comportamento dos gamers. Nossas pesquisas já reforçavam a presença dos jogos mobile como principal fonte de entretenimento e diversão para os brasileiros usuários da Nimo TV, e agora vem a pesquisa da NewZoo, ainda mais abrangente, confirmando este direcionamento”, ressalta Rodrigo Russano Dias, Head de PR e Social Media na Nimo TV Brasil. “Outro aspecto muito interessante é sobre a jogatina mobile. Estes games ainda estão entre os principais destaques na nossa plataforma, e o estudo da NewZoo reforça que estamos no caminho certo quando criamos conteúdo especial para este público, considerando os números da análise”, finaliza Dias.

Público de Esports

Outro dado a ser destacado é baseado nos entrevistados que acompanham esports. De acordo com a NewZoo, mais de dois terços dos jovens entusiastas de games não apenas jogam, mas também assistem conteúdos relacionados à categoria de games. Na Nimo TV, pelo menos 13% do público que se considera gamer passou a consumir conteúdo de torneios de esports durante o distanciamento social, por exemplo.

Outros estudos na plataforma de streaming também mostraram que 69% dos jogadores assistem torneios de esports de jogos mobile, assim como 81% dos entrevistados na pesquisa da Nimo TV responderam que consomem conteúdo de campeonato de esports. Vale ressaltar que não necessariamente eles acompanham apenas as equipes preferidas: 54% assistem uma competição, independentemente de quem estiver duelando.

27

Ago

Comunicadores Semio Timeni e Luis Henrique reúnem direção e comentaristas para registrar sucesso de programa na Rádio Cidade

A equipe do programa Cidade Notícias, da 94FM Rádio Cidade, apresentado diariamente por Semio Timeni e Luís Henrique, juntou nesta semana todos os seus comentaristas para confraternizarem e – no caso de alguns deles – para se encontrarem pessoalmente pela primeira vez. 

Com a pandemia, parte dos comentaristas ainda não tinha tido a oportunidade de ter contato com o restante do grupo, e encontro foi momento de se conhecer e festejar os excelentes resultados que o programa vem alcançando. O lugar escolhido para foi o jardim do bistrô do Empório NL, de Neuma Leão. 

O Cidade Notícias conta com os comentaristas Alayde Passaia, Giovanni Magnus, Carlos Kelsen, Israel Teixeira, Dani Talks, Kelermane Martins, Fred Alecrim, Mauricéia Cavalcante e Augusto Cesar. Também estiveram presentes na confra o proprietário da rádio Cidade, empresário Haroldo Azevedo, e as diretoras Candice e Helaine.

26

Ago

Grupo Morada promove curso gratuito de vendas para mulheres

O Grupo Morada lançou o projeto Escola de Vendas, que promoverá o curso de capacitação voltado para mulheres que desejam entrar no mercado de trabalho com atuação na área comercial. O objetivo da iniciativa é qualificar as inscritas para ocuparem vagas de trabalho existentes nesta área, caso queiram.

“Atualmente, temos uma demanda grande de vagas, principalmente para área de vendas, e raramente chegam pessoas que têm qualificação nessa área. Por isso, criamos a Escola de Vendas para mulheres que precisam da oportunidade e que não têm como custear um curso como esse para que, logo que busquem trabalho, consigam ocupar essas vagas”, explica Rodrigo Aguiar, coordenador de Treinamento e Desenvolvimento do Grupo Morada.

As aulas acontecerão em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial no Estado (Senac/RN). Serão abordados conteúdos como tipos de venda, prospecção de clientes, abordagem, apresentação de produtos e serviços, fechamento e pós-venda. Após a capacitação, todas as participantes recebem certificado emitido pelo Senac.

As interessadas em participar da Escola de Vendas devem realizar a inscrição preenchendo o formulário on-line: https://bit.ly/escolagm. Outras informações podem ser obtidas por meio do e-mail: escoladevendas@moradadapaz.com.br.