Poder Público

21

Set

FIERN e Associação de Hidrogênio Verde do Chile dão início a cooperação sobre produção deste novo combustível

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Amaro Sales, e o presidente da Comissão Temática de Energias Renováveis (COERE) da FIERN, Sérgio Freire, reuniram-se nesta segunda (20) com o representante da Embaixada do Chile, Diego Araya, e com o diretor da Associação Hidrogênio Verde do Chile (H2Chile), Erwin Plett.

O objetivo do encontro virtual foi tratar de estratégias para a produção de hidrogênio verde, fonte de energia apontada em todo mundo como solução ambiental e econômica, e vem sendo tema de pesquisas e estudos no Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), no Rio Grande do Norte.

A reunião contou com a participação do diretor regional do SENAI-RN, Emerson Batista, e do diretor do Hub de Inovação e Tecnologia (HIT) do SENAI-RN, Rodrigo Mello. Em uma exposição sobre o trabalho desenvolvido pelo ISI-ER, Rodrigo Mello relatou que já foram iniciados estudos em torno da produção de hidrogênio a partir de diversas matérias-primas.

“Já tivemos trabalhos concluídos e entregues a empresas como a Petrobras sobre as potencialidades para a produção deste tipo de energia”, disse. Para o diretor do ISI-ER, os países do Hemisfério Sul, como Brasil e Chile, terão neste combustível uma oportunidade de gerar ocupação e distribuir riquezas.

Erwin Plett fez uma apresentação sobre Associação H2Chile, fundada em 2018, e já composta por dezenas de empresas interessadas na produção desse tipo de energia, e sobre o potencial do Chile para tornar-se um país exportador de hidrogênio verde.

“Queremos substituir o combustível fóssil que hoje o Chile importa por hidrogênio verde produzido por nós”, explicou. Ele destacou que há um grande interesse daquele país, neste momento, em preparar mão de obra para atuar na futura produção do hidrogênio verde. “Temos a preocupação inicial de formar capital humano”, ressaltou.

O presidente da COERE, Sérgio Freire, disse que Brasil e Chile estão quase na mesma etapa para dar início a uma atuação na produção deste tipo de energia, onde ainda não existem “fortes especialistas” nessa nova área. “Estamos em realidade bem parecidas. Precisamos aprender e começar o trabalho”, comentou. Freire fez questionamentos aos chilenos relacionados à proteção ambiental e à segurança jurídica para a produção deste novo combustível.

Já o presidente da FIERN, Amaro Sales, destacou o avanço nas tratativas entre a Federação e a Embaixada do Chile, que vêm convergindo para assuntos relacionados à inovação, pesquisa e preocupação ambiental. “Estamos nos credenciando, a cada dia mais, para priorizar a inovação e a pesquisa. Fico muito satisfeito que tenhamos com vocês um excelente canal de entendimento aberto, um ambiente de cooperação mútua, neste momento em que o mundo se debruça em cima da preocupação ambiental e no Chile está criada uma política nacional de incentivo à produção do hidrogênio verde”, destacou.

20

Set

Municípios potiguares participam da Oficina Titula Brasil

Nesta quarta-feira (22), o Incra no Rio Grande do Norte vai promover a Oficina Titula Brasil para esclarecer e orientar os 17 municípios que assinaram o Acordo de Cooperação Técnica do programa. O encontro acontece na sede da instituição, das 8h às 17h.

O Titula Brasil é um programa do governo federal que tem por principal objetivo realizar a titulação de assentamentos em áreas públicas rurais, por meio de parcerias com os municípios.

Segundo o coordenador do Titula Brasil no RN, André Rêgo, além das orientações relacionadas à operacionalização das atividades, a oficina visa possibilitar o início efetivo dos trabalhos dos Núcleos Municipais de Regularização Fundiária (NMRF). "Serão abordados temas que envolvem o trabalho no dia a dia dos integrantes desses núcleos, para que de fato tenhamos os resultados almejados", disse.

O evento acontece de forma híbrida, respeitando as recomendações sanitárias, presencial: Rua Doutor Nilo Bezerra Ramalho, 489, Tirol, Natal/RN; virtual: Plataforma Microsoft Teams, via link a ser disponibilizado aos que confirmarem participação. Cada prefeitura pode participar com dois representantes.

Cronograma

08:00 - 09:00 Recepção e Abertura
09:00 - 12:00 Tema: Supervisão Ocupacional
12:00 - 13:00 Pausa para o almoço
13:00 - 14:30 Tema: Instrução Processual
14:30 - 16:00 Tema: Sigef titulação
16:00 - 17:00 Coffeebreak

17

Set

Câmara de Natal aprova Lei que cria Semana do Folclore nas escolas públicas

Na tarde desta quinta-feira (16), a Câmara Municipal de Natal realizou mais uma Sessão Ordinária. Na pauta, foram aprovados diversos projetos, entre eles, em segunda discussão, o de autoria da vereadora Divaneide Basílio (PT), que institui a criação da Semana do Folclore e a discussão do tema de forma interdisciplinar nas escolas da rede pública municipal. 

De acordo com a autora, a matéria visa garantir que as escolas possam ter um período específico anualmente para debater a cultura. "O projeto vai garantir que esse trabalho seja realmente valorizado e que todas as escolas possam receber uma recomendação da Secretaria de Educação, para instituir uma semana no calendário oficial destinada ao debate do folclore. Ou seja, a possibilidade de recuperar artistas locais, a cultura local, ainda mais, nós que somos um celeiro de cultura, com a presença de historiadores, folcloristas, muita arte e muita cultura", destacou Divaneide. 

17

Set

Sistema FIERN e Agência Espacial Brasileira oficializam acordo inédito para impulsionar investimentos em energias renováveis

O Sistema FIERN, por meio do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), e a Agência Espacial Brasileira (AEB) formalizaram nesta quinta-feira (16), em Natal, um acordo de cooperação técnica que deverá abrir perspectivas inéditas para o desenvolvimento e uso de satélites, radares e outras tecnologias nacionais pela primeira vez focadas no setor de “energias limpas”.  

A estratégia pretende ajudar a impulsionar o mapeamento de áreas maiores e mais remotas - como o mar - para medir o potencial de geração, por exemplo, em futuros parques eólicos, detectar a necessidade de manutenção e operação de equipamentos instalados nessas áreas, além de reduzir custos com esse tipo de levantamento, que chegam à casa de milhões de dólares.  

Hoje, o uso de equipamentos espaciais - ou satelitais - como esses, ainda é considerado incipiente no setor elétrico brasileiro e depende de tecnologias estrangeiras.  

“O Sistema FIERN, através do ISI de Energias Renováveis, abre a oportunidade de um trabalho junto com a Agência para comprovar dados que já existem e dados que vão ser apurados, podendo trazer melhorias de qualidade dessas informações no campo das energias renováveis - em que o RN é líder no país -, de modo a dar mais segurança às empresas de que esses dados poderão ser utilizados nos seus projetos e de que elas poderão fazer os seus investimentos com mais tranquilidade”, comentou o presidente do Sistema FIERN e do Conselho Regional do SENAI-RN, Amaro Sales de Araújo.  

O documento assinado entre as partes aponta a expectativa de que os trabalhos que serão realizados a partir do acordo proporcionem a criação de um ecossistema capaz de estimular investimentos, mais produtividade e competitividade para indústrias desses e de outros segmentos. 

“Nós acreditamos que podemos contribuir muito com a coleta de informações ambientais que permitam conhecer melhor toda a nossa atmosfera, toda a dinâmica que pode contribuir para energia fotovoltaica e energia eólica, ou seja, existe um mar de possibilidades que podemos explorar com toda a capacidade que já se tem instalada aqui”, disse o presidente da AEB, Carlos Moura, durante a solenidade realizada na Casa da Indústria, explicando que  “usar sistemas espaciais, olhando de cima o país, uma região, com auxílio de sensores na superfície” facilita, acelera e barateia a coleta de mais informações para análises de meteorologistas e pesquisadores que irão subsidiar decisões de investimentos e operações do setor. 

O ACORDO 

O diretor regional do SENAI no estado, Emerson Batista, explica que o acordo tem 11 objetivos específicos voltados à aplicação do uso de tecnologias e serviços espaciais no campo das energias renováveis, com amplitude de expansão para outras áreas onde a tecnologia via satélite, por exemplo, pode atuar. O alcance do projeto, explica ainda, não está restrito ao Rio Grande do Norte. “A ideia dos 27 Institutos SENAI de Inovação no Brasil é o desenvolvimento para ação em qualquer lugar do país e assim também acontece com esse projeto do ISI-ER. A abrangência dele é nacional”, disse.  

O acordo terá duração de 36 meses. A AEB terá papel de articuladora no projeto. Ao ISI-ER - principal referência do SENAI no Brasil para pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco em energias renováveis - caberá atrair empresas que queiram investir no desenvolvimento das tecnologias espaciais de olho no setor. Mas não só isso. 

“A médio prazo pretendemos participar do lançamento de satélites com sensores capazes de gerar informações para melhorar a qualidade dos dados que nós produzimos em terra”, diz o diretor do ISI-ER e do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), Rodrigo Mello, ressaltando que o Instituto sediado em Natal é o único órgão no Brasil que faz medições propriamente ditas no mar, para realizar previsões de geração de energia. “E esse projeto vai trazer perspectiva de melhora de qualidade desses dados, pois nós estaremos gerando (energia) aqui em baixo com uma visão lá de cima”, reforça.  

 

DESENVOLVIMENTO 

Do ponto de vista prático, o coordenador de Pesquisa & Desenvolvimento do ISI-ER, Antonio Medeiros, explica que “um dos objetivos é estimular empresas brasileiras a investirem em desenvolvimento de tecnologia espacial - ou satelital - o que inclui satélites e radares, por exemplo, para coletas de dados mais precisas com aplicação especificamente no setor de energias renováveis”.  

Também abriria-se caminho, por exemplo, para redução de custos com medição, com possibilidades de uso dessas tecnologias para avaliação de áreas maiores - e remotas, em vez de mapeamentos realizados “ponto a ponto” como ocorre hoje.  

“Essa tecnologia reduz o custo porque você pode varrer uma área grande de uma única vez. No lugar de ter várias torres de medição, com custo mínimo de US$ 2 milhões anuais com cada uma delas, você só teria uma torre e validaria com tecnologia satelital e modelagem”, exemplifica o pesquisador. “Seria como fazer uma varredura de um estado por vez, determinando o potencial energético daquela região com menor incerteza”, diz ele, acrescentando que no caso do offshore, por exemplo, em que os ambientes estariam a muitas milhas náuticas de distância, será cada vez mais necessário ter caminhos e canais de comunicação disponíveis para medir as variáveis envolvidas.  

A estratégia, segundo Medeiros, seria capaz de reduzir o grau de incerteza em investimentos voltados a energia solar fotovoltaica, energia hídrica e ao promissor segmento de offshore, de energia eólica - a geração da “energia dos ventos”, no mar. 

“A gente enxergou uma oportunidade de desenvolver tecnologia nacional para suprir as necessidades do setor, que vão surgir só daqui a 10 anos, quando os parques (no mar) estiverem em operação, ou daqui a cinco, quando estiverem em fase de prospecção”, complementa. Segundo informações do Ibama, 23 projetos de geração de energia eólica offshore estão em processo de licenciamento no órgão, de olho nos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Rio de Janeiro, Piauí, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Bahia.

17

Set

Governo do RN edita decreto e exige passaporte da vacina para eventos de massa

O Governo do Rio Grande do Norte edita novo decreto estabelecendo medidas de enfrentamento à covid-19 e institui o passaporte da vacina. O Decreto Nº 30.911, de 16 de setembro, será publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (17) e tem validade indeterminada, podendo o governo, a qualquer tempo, rever as medidas em função do cenário epidemiológico.

Novo documento traz como um dos aspectos principais a apresentação do passaporte da vacina – comprovação de pelo menos uma dose do imunizante contra a covid – que passa a ser exigido como protocolo para eventos com mais de 600 pessoas, podendo os municípios exigirem também para outras situações. 

Eventos de ruas que não tenham protocolos específicos, regulamentados por portarias, ficam condicionados à autorização da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed). Os organizadores do evento se responsabilizarão pela observância de todos os protocolos sanitários estabelecidos, bem como das regras de funcionamento dispostas no novo decreto, incluindo a exigência do passaporte da vacina.

As propostas de eventos com público superior a 600 pessoas, instruídas com protocolo sanitário específico, devem ser encaminhadas à Sesap.  Nelas, deve estar prevista a exigência, pelos participantes, da comprovação de, no mínimo, uma dose da vacina contra a covid-19, seja pela carteira de vacinação, seja pelo aplicativo “Mais Vacina” ou similar, validado pela União, Estados ou Municípios.

Para os eventos de qualquer natureza com público superior a 600 pessoas, com exceção dos corporativos e religiosos (que não sejam de rua), fica mantida a necessidade de autorização da Sesap, que mantém o poder de dirimir dúvidas sobre a realização de quaisquer eventos onde o decreto e/ou as portarias sejam omissas.

Outra mudança diz respeito às restrições de horários e ocupação durante o funcionamento do comércio e hotelaria. Não há mais a manutenção da restrição de horários para funcionamento do comércio e hotelaria e da restrição de percentual de ocupação, permanecendo apenas o cumprimento de protocolos sanitários.

As medidas visam assegurar a proteção à saúde dos 3,5 milhões de habitantes do Rio Grande do Norte e o resgate das atividades socioeconômicas, fundamental para a preservação dos empregos e da renda da população potiguar. 

Apesar do abrandamento da pandemia, permanece em vigor o uso obrigatório de máscara de proteção facial e obediência aos protocolos sanitários.

O funcionamento em desconformidade com o disposto no decreto será punido com a suspensão automática da autorização do evento ou do estabelecimento, sem prejuízo da aplicação de multa pecuniária aos organizadores.

Portarias

Todas as portarias conjuntas que já foram publicadas em 2020 e 2021 falam dos protocolos específicos para bares, restaurantes, shoppings, comércio, vaquejadas, dentre outros. Vários segmentos econômicos têm seus próprios protocolos, como os destinados aos estádios de futebol – publicado em portaria nesta quinta-feira (16). Além dos protocolos específicos, tem o protocolo geral, que é a Portaria Conjunta Nº 002-2021, de 19.03.2021 (http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/gac/DOC/DOC000000000253567.PDF).

As portarias específicas podem ser encontradas no site do Gabinete Civil do Estado -

http://www.gabinetecivil.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=CATALG&TARG=280&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Portarias+Secret%E1rio

Desde o início da crise sanitária no estado, foram publicados aproximadamente 61 decretos relacionados ao enfrentamento da pandemia do coronavírus. Todos os decretos podem ser encontrados no site do Governo do RN -http://www.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=227627&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=Reportagens

17

Set

Governadora abre seminário em homenagem ao centenário do educador Paulo Freire

Celebrando os 100 anos de nascimento do patrono da educação brasileira, Paulo Freire, o Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (Seec), realiza de 16 a 18 deste mês o Seminário Paulo Freire 100 anos de nascimento: um legado na educação no Brasil.

A governadora, professora Fátima Bezerra, participou da mesa de abertura nesta quinta-feira (16), ao vivo e de forma virtual, na sede da 8ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Direc) em Angicos, onde Paulo Freire iniciou o inovador programa de alfabetização de adultos em 40 horas.

Fátima fez explanação sobre o tema “Contribuições de Paulo Freire: Ferramentas de Transformação Social e Literária”.  O evento também contou com a participação do ex-ministro da Educação, professor Fernando Haddad.

Serão três dias de lives, sempre em formato virtual, às 15h, mediadas pelo secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, com transmissão no canal da Seec no Youtube.

Em sua fala, Fátima Bezerra disse que, em Angicos, Paulo Freire plantou a semente do método que criou. "A experiência freireana fez de Angicos símbolo da luta pela alfabetização e criou nova concepção de educação para o Brasil. Rompeu a visão de que educação é só para as elites.”

A governadora acrescentou que, no município, Paulo Freire “ensinou mais que a ler e escrever.  Ensinou a ler o mundo, ensinou o cidadão a conquistar seus direitos a partir da concepção de uma educação popular e inclusiva. Por isso, foi e é atacado em diferentes momentos da história país”.

Explicou ainda que precisamos cada vez mais buscar ensinamentos de Paulo Freire. “Ele reconhecia nos homens e mulheres sujeitos portadores de direitos. A perspectiva de educação que promoveu a emancipação cultural, social e política rendeu a Paulo Freire perseguição política, prisão e exílio de 15 anos", registrou ao acrescentar a importância de preservar o legado do educador.  

Ex-ministro da Educação, o professor Fernando Haddad disse que Paulo Freire dedicou sua vida à educação e aos estudos, com a visão de que é preciso uma educação para a formação humanitária e para combater as assimetrias da sociedade. "É preciso questionarmos: o que queremos com a educação? A que mundo ela vai servir?", pontuou o ex-ministro. Ele lembrou a ampliação dos Institutos Federais de Educação e a importância que eles têm para as comunidades onde estão inseridos.

"Paulo Freire inseriu uma nova dimensão ao ensinar que o caminho é educar para libertar, para emancipar, para transformar, mostrando que não existe educação neutra, que educar é um ato político, uma tomada de posição frente ao mundo”, complementa o ex-ministro.

Fátima Bezerra anunciou para o próximo domingo (19) a inauguração de uma escultura de Paulo Freire em Angicos. Também haverá programação durante todo o dia com exposições, apresentação filarmônica, entrega de medalhas e apresentações em celebração aos 100 anos do patrono da educação.

A diretora da 8ª Direc, Marileide Matias enfatizou a importância de Paulo Freire e a necessidade de valorizar o seu legado. "O dia de hoje nos enche de esperança. É um privilégio viver esse momento, 100 anos do nascimento de Paulo Freire, ainda mais pertencendo a cidade onde ele desenvolveu seus trabalhos, Angicos", disse.

O seminário, que reúne educadores, gestores e convidados nacionais e internacionais, integra o conjunto de ações realizadas dentro do Ano Paulo Freire na Educação do Rio Grande do Norte, instituído pela Lei Nº 10.952, de 13 de julho de 2021, de autoria do deputado estadual Francisco do PT. "A pedagogia de Paulo Freire é transformadora e seus ensinamentos são propulsores da transformação da nossa difícil realidade na educação", considerou o deputado.

O segundo dia do seminário terá como tema “Paulo Freire: andarilhagens e contribuições além-mar”, que contará com a presença de educadores dos Estados Unidos, Colômbia, Moçambique, Portugal e México.

O último dia da programação, no sábado (18), professores das cinco regiões do país falarão das contribuições freireanas durante a mesa “Tempos de Vivência em cada canto do Brasil”.

Sediada em Angicos, a 8ª Direc realiza a coordenação da atividade, que conta com o apoio da Fundação José Augusto. Desde junho, a Seec vem realizando, com setores da pasta e todas as Direcs, atividades de discussão sobre as contribuições do homenageado na educação, o Círculo de Diálogos Paulo Freire.

Histórico

Em Angicos, no ano de 1963, Paulo Freire desenvolveu um método de alfabetização, com duração de 40 horas, considerado inovador, e que se mostrou eficaz. Baseando-se em experiências de vida das pessoas, Paulo Freire deixou de lado cartilhas tradicionais e passou a trabalhar com o conceito de “palavras geradoras”, que tinham como foco a realidade de cada trabalhador que estava sendo alfabetizado. Os agricultores eram familiarizados com palavras que faziam parte da sua rotina, como “terra”, “feijão”, “enxada”, “planta”. Com a fonética das palavras geradoras, Paulo Freire foi expandindo os conhecimentos dos alunos.

PNAD

De acordo com a PNAD Contínua, realizada pelo IBGE, a população analfabeta do RN é de 400 mil pessoas. Diante desta realidade, o Governo do RN definiu, dentro do Programa Nova Escola Potiguar (PNEP), a aplicação de R$ 11 milhões para a realização de atividades de alfabetização e qualificação profissional.

Programa Nova Escola Potiguar – PNEP

 

Maior investimento anunciado para a Educação pública no Estado do Rio Grande do Norte, o PNEP reúne um conjunto de ações estruturantes que visam a criação do Instituto Estadual de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Norte, o IERN.

O PNEP contempla:

- Construção de 12 IERNs nos municípios de:  Alexandria, Areia Branca, Campo Grande, Jardim de Piranhas, Mossoró, Natal, Santana do Matos, São José de Mipibu, São Miguel, Tangará, Touros e Umarizal.

- Adequação de 11 Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs) para funcionar nos mesmos moldes dos IERNs.

- Construção de mais 10 novas escolas regulares;

- Reforma em 60 unidades estaduais de ensino;

- Obras de manutenções em mais 100 escolas;

- Compras de mobiliários e de equipamentos de tecnologia da Informação;

- Capacitação continuada de educadores – modernização da gestão e capacitação dos professores;

- Ações para superação do analfabetismo no RN. 

Ao todo, o PNEP envolverá 182 escolas estaduais construídas, reformadas e equipadas, com um investimento de R$ 400 milhões, para o biênio 2021-2022.

São R$ 289,5 milhões de recursos do FUNDEF, mais ganhos de capital, adicionados a R$ 110,5 milhões de recursos próprios, advindos da exitosa política fiscal e financeira da atual gestão.

Do montante que diz respeito aos recursos próprios, R$ 60 milhões serão aplicados em ações de apoio tecnológico e valorização profissional docente, acrescido de R$ 50,5 milhões aplicados nas ações de infraestrutura física no ano de 2022 (manutenções).

Fotos: Elisa Elsie/Assecom-RN

16

Set

Prefeitos contam com assessoria especializada para destravar burocracia e executar projetos

Os desafios da gestão pública vão muito além de ter ou não recursos para tocar obras e projetos importantes para a população. Há muita burocracia, leis que se sobrepõem, prazos e ritos que precisam ser cumpridos para que a máquina governamental possa girar com eficiência. Nesse caso, cada vez mais gestores recorrem à profissionalização da gestão por meio de um suporte e orientação que possa auxiliar na arrumação da casa, identificar as competências e orientar por quais caminhos seguir, em busca dos melhores resultados. No Rio Grande do Norte, a Analisa RN - Consultoria e Assessoria Pública e Empresarial vem atuando nesse auxílio a gestores em prefeituras e câmaras municipais de alguns dos principais municípios do Estado.

O trabalho começa com um diagnóstico da situação do município que dura, em média, 60 dias, e engloba sugestões em relação a otimização de equipes, gestão financeira, capacitação técnica, entre outras. Depois, é elaborado um fluxograma para que as ações possam se desenvolver com maior rapidez e eficiência. Os gestores também podem optar por um assessoramento a longo prazo, com a disponibilização de ferramentas e sistemas que contribuem para otimizar diversos processos internos.

“Quando um novo gestor chega para administrar um município, ele acaba encontrando um emaranhado de leis e normas que precisam ser seguidas. Além disso, ele precisa administrar bem as competências das pessoas que trabalham com ele, porque nenhuma atividade é independente. Esses são os maiores gargalos para prefeitos”, explica o diretor de relacionamento da Analisa RN, Francistony Valentim.

“Se já não bastasse a burocracia, há sempre novidades para os gestores, como é o caso, atualmente, das novas regras para contratações públicas, que entraram em vigência facultativa esse ano e vão se tornar obrigatórias a partir de 2023. As prefeituras vão necessitar da realização de diversos procedimentos de planejamento prévio à contratação das despesas públicas, e aquele município que deixar para o último momento passará por grandes dificuldades. Esse é um trabalho que a gente faz junto aos municípios”, complementou o diretor administrativo Fladimyr Gomes.

O trabalho realizado pela Analisa- RN também tem como foco o cumprimento das determinações legais impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/2000), que a tempos vem assombrando os gestores pelos valores altos de multas pessoais por descumprimentos das regras.

BENEFÍCIOS À POPULAÇÃO

O trabalho realizado pela Analisa RN impacta diretamente na qualidade de vida da população. Isso porque quanto menos erros e mais eficiência tiver na administração pública, mais rapidamente o plano de governo vai se concretizar de forma efetiva. O objetivo é tentar destravar a burocracia e dar celeridade aos processos.

“Toda prestação de serviço pública é antecedida por um trabalho burocrático e é exatamente aí que a gente atua. O exemplo pode vir desde uma simples campanha de vacinação, que se não realizar os processos com antecedência e planejamento, não sai, até a construção de grandes obras, como um hospital. Se não tiver tudo absolutamente conforme as exigências da legislação, não sai do papel”, reafirmou Francistony.

“Quando se consegue fazer essa engrenagem funcionar, a população começa a esperar muito menos pelas ações que o gestor prometeu lá no palanque. Esse é o grande exemplo de uma gestão eficiente e aprovada pelo povo”, encerrou Fladimyr.

SAIBA MAIS SOBRE A ANALISA RN

No mercado desde 2011, a Analisa RN oferece soluções nas áreas de controle interno, sistemas coordenados de gestão, métodos de eficiência e qualificação de pessoas, que promovem a excelência das atividades administrativas, de modo a minimizar riscos e potencializar resultados, tornando-se uma empresa de referência, sempre atuando com qualidade, credibilidade, ética e respeito aos princípios legais. A empresa, que desenvolve um serviço pioneiro no estado, já atendeu diversas prefeituras e câmaras municipais de todas as regiões do RN.

A Analisa RN é formada pelos sócios Francistony Valentim, que possui graduação em Ciências Contábeis e Direito, e Fladimyr Gomes, graduado em Administração e Direito. Ambos, possuem uma vasta capacitação técnica com participações em cursos, seminários e palestras oferecidas por diversas instituições, inclusive pelo Tribunal de Contas do RN, em assuntos ligados às finanças, orçamento, gestão pública e controle interno. Eles também já assumiram cargos e funções de controle, direção e assessoramento em prefeituras e câmaras municipais do interior do RN.

16

Set

Evento vai capacitar e estimular empreendedorismo na Zona Norte de Natal

A Zona Norte de Natal é um celeiro de pequenos negócios com uma concentração de mais de 17,9 mil empresas de micro e pequeno portes. O Sebrae no Rio Grande do Norte quer estimular ainda mais o empreendedorismo na região. Uma das ações para fomentar o desenvolvimento desses negócios é através de capacitação.

A instituição promoverá no dia 5 de outubro, às 17h, o Sunset Zona Norte, um evento que vai oferecer palestras, apresentação de casos de empresas de sucesso e música, durante uma tarde no Partage Norte Shopping. As inscrições para o evento já estão abertas, são gratuitas e podem ser feitas através do portal www.digital.rn.sebrae.com.br ou pelo 0800 570 0800. As vagas, no entanto, são limitadas. O evento seguirá todos os protocolos nacionais de biosegurança.

O evento é direcionado para empresas e potenciais empresários e antecipa a chegada da Loja do Empreendedor do Sebrae, que está sendo instalada na região em parceria com a Prefeitura de Natal. O espaço visa aproximar o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no estado do emprendedor e do empresário estabelecido na Zona Norte e proporcionar mais comodidade para quem deseja empreender ou melhorar a gestão do negócio.

O objetivo do Sunset Zona Norte é trabalhar o desenvolvimento do comportamento empreendedor. E, por isso, vai apresentar aos empreendedores locais, histórias e trajetórias inspiradoras de empresários, incluindo a do cantor Amazan, que fará show durante o evento. A abertura será no palco Sunset e logo em seguida está programado o Meetup Empreendedor, com a participação dos empreendedores Deborah Sayonara (Matersol), Carlos André (André Rações) e Amanda Nascimento (Kenko Sushi), com mediação de Frederico Fonseca e participação especial de Matheus Ângelo. Além de Amazan, haverá ainda uma programação musical com a dupla Sax In The House, que vai comandar o lounge experience.

“Estamos levando para a Zona Norte um evento totalmente inovador, que vai tratar, além de temas ligados ao empreendedorismo, a experiência com o empresariado da região, repassando como essas empresas locais podem focar na experiência com o cliente. Esperamos que, com esse evento, possamos repassar para esse público o papel do Sebrae e como pode apoiar as micro e pequenas empresas”, explica o analista técnico do Sebrae-RN, Everton Lucena. Com uma população de 303,5 mil moradores, a Zona Norte detém 37,7% da população de Natal.

A Loja do Empreendedor vai funcionar como um ponto de atendimento, onde serão oferecidos todos os serviços existentes no portfólio do Sebrae. Devido à parceria com a prefeitura da capital, o espaço vai reunir serviços de órgãos públicos de interesse do empreendedor, como a expedição de licenças e alvarás da Vigilância Sanitária (VISA) e da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Semurb), Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Semthas), por exemplo. A parceria com o município foi formalizada por meio da Secretaria Municipal de Planejamento (Sempla).

13

Set

Governo abre chamada de trabalhos para o 15º Congresso de Gestão Pública do RN

O Governo do Estado abriu chamada de trabalhos para o 15º Congresso de Gestão Pública do Rio Grande do Norte (Congesp-RN), que acontece entre os dias 30 de novembro e 03 de dezembro de 2021. Assim como na edição anterior, que reuniu mais de 1.600 inscritos, o evento será realizado inteiramente on-line por sistemas de videoconferência.

O tema central do 15º Congesp é "Gestão Pública, Desenvolvimento Regional e as Experiências Inovadoras do Consórcio Nordeste". Gestores e servidores públicos das diversas esferas e poderes, administradores, além de outros profissionais liberais e estudantes, podem submeter estudos científicos e relatos de experiências inovadoras na área da Gestão Pública para serem apresentados no evento.

As áreas para submissão dos trabalhos são: Gestão de Pessoas; Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável; Compras Governamentais e Controle dos Gastos Públicos; Desafios e Perspectivas da Gestão Pública; Gestão de Projetos; Inovação na Gestão Pública; Trabalho e Qualidade de Vida; e Experiências Inovadoras durante a Pandemia.

Os autores devem anexar o documento em formato PDF na seção de “Submissão” no site do congresso: https://even3.com.br/15congesprn. O prazo para envio é até 10 de novembro de 2021.

Formatação

Os trabalhos podem ter formato de artigo – com até 15 páginas – ou de resumo expandido – com até 06 laudas –, incluindo texto, tabelas e /ou figuras, além de obedecer às novas normas ortográficas da Língua Portuguesa e regras da ABNT. Todas as normas estão contidas na Chamada de Trabalhos, disponível no site do evento, assim como os templates que servem de modelo para submissão dos artigos ou resumos expandidos.

As inscrições para o evento são gratuitas, mas é cobrada uma taxa de R$4,99 pela submissão de cada trabalho.

Após a submissão, os trabalhos passarão pelo processo de julgamento, no qual a identidade e a afiliação institucional do(s) autor(es) não serão de conhecimento do Comitê Científico, composto por membros da FAPERN e EGRN, além de outros representantes de instituições de ensino superior da região Nordeste.

As propostas selecionadas serão divulgadas até 17 de novembro.

O Congesp é uma realização do Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Administração e da Escola de Governo Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales. O objetivo do evento é fomentar o compartilhamento de experiências inovadoras e proporcionar a transferência de conhecimentos para o aperfeiçoamento dos instrumentos e práticas entre os diferentes atores que fazem e pensam a administração pública.

Mais informações e orientações sobre a submissão de trabalhos podem ser obtidas através do e-mail congesp@rn.gov.br.

8

Set

Recife é a primeira capital brasileira a ter contato oficial com a população via WhatsApp

Recife é a primeira capital estadual brasileira a firmar parceria com o WhatsApp. Com uma conta oficial que pode ser acessada pelo número +55 81 9117-1407, ou pelo link https://wa.me/558191171407, a Prefeitura do Recife passa a oferecer atendimento on-line para a população com o objetivo de facilitar o acesso às informações oficiais sobre as vacinas, a campanha de vacinação no município e as orientações para exames de Covid-19. O canal ainda permitirá a realização de tele-orientações sobre dúvidas médicas relacionadas à pandemia.

Chamada de SUSI (SUS Inteligente), a assistente virtual da prefeitura no aplicativo terá como primeiro foco o combate à pandemia, No futuro, o objetivo é ampliar o número de serviços prestados dentro da plataforma.

A conta certificada pelo WhatsApp garante ao usuário a certeza de que ele está interagindo com o interlocutor certo e que as informações ali repassadas são seguras e confiáveis. 

A parceria ratifica o processo de transformação digital que está acontecendo dentro do Executivo Municipal do Recife. A articulação junto ao WhatsApp foi coordenada pela equipe da Secretaria de Planejamento, Gestão e Transformação Digital e conta com o apoio da empresa Infobip, provedora oficial de soluções para o WhatsApp Business, utilizando a API do aplicativo.

“Estabelecer parcerias como a que estamos celebrando hoje com o WhatsApp é fundamental para a modernização da máquina pública, tornando ela mais ágil dentro de um ambiente seguro e confiável para a população. É na união de forças, competências e saberes que damos mais um passo importante na direção da cidadania digital. E não poderia ser diferente: vamos iniciar esse trabalho usando essa ferramenta digital no combate e controle da Covid-19”, pontua o prefeito João Campos

O objetivo da parceria é estreitar a relação com o cidadão fortalecendo os conceitos de confiabilidade, segurança, rapidez e transparência na oferta de serviços de maneira autônoma. O uso da tecnologia, que vem modificando a maneira como as pessoas consomem serviços e informações também vem transformando o relacionamento das instituições públicas com a população e impulsionando a cidadania digital.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/150314/recife-primeira-capital-brasileira-contato-oficial-via-whatsapp/

8

Set

Mutirão emite documentos para agricultores no Rio Grande do Norte

Um mutirão realizado pelo Incra no Rio Grande do Norte atendeu, entre os dias 30 de agosto e três de setembro, agricultores de Mossoró, a 281 quilômetros da capital, Natal. Entre os serviços oferecidos pelo Incra às famílias da região, estão a emissão de Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP e entrega de Títulos de Domínios - TD's. A ação é fruto de uma parceria entre o Incra e a Secretaria de Agricultura de Mossoró.

A Declaração de Aptidão ao Pronaf atesta a atividade voltada para agricultura familiar e permite, por exemplo, o acesso das famílias a financiamentos para investimento na produção.

O agricultor José Lucivaldo buscou o posto de atendimento para emitir o documento e garantir os benefícios. "A gente fica feliz com essa iniciativa, por que assim vamos conseguir produzir mais".

O superintendente do Incra, Marcelo Gurgel, falou sobre a importância da ação para os beneficiários. "Estamos fazendo esse mutirão porque entendemos a necessidade que o agricultor tem em conseguir investimento para sua produção. O ano foi atípico, sem chuvas e isso dificulta ainda mais a vida do homem do campo".

O Analista de Reforma e Desenvolvimento Agrário do órgão, Gleidson Ferreira, explica como a declaração pode auxiliar o assentado. "Além do acesso às políticas públicas, a DAP é um documento de comprovação para quando o agricultor for pedir a aposentadoria".

Títulos Definitivos

Em paralelo as emissões das declarações, o Incra fez a entrega dos Títulos Definitivos para 57 famílias assentadas. Foram oito títulos para agricultores do assentamento Maria Cleide, no município de Governador Dix-Sept Rosado; 11 para o assentamento Moacir Lucena, em Apodi; 19 títulos para famílias do assentamento José Sotero, em Caraúbas, e 19 para o assentamento Santa Rita, no município de Mossoró. Com o documento as famílias passam agora a ser proprietárias das terras onde vivem.

6

Set

Redução do Custo Brasil e Programa Soluções 4.0 são destaques na nova edição da Revista da Indústria do RN

A urgência para redução do Custo Brasil – como forma de aumentar a competitividade da indústria e auxiliar na retomada da atividade econômica – é matéria de capa da nova edição da Revista da Indústria do Rio Grande do Norte. A publicação, de número 50, já está disponível no portal da FIERN e pode ser acessada pelo link https://online.pubhtml5.com/vcte/jein/#p=1

Um projeto do Ministério da Economia, que visa diminuir R$ 1,5 trilhão do Custo Brasil por meio da eficiência, produtividade e competitividade, foi apresentado à Diretoria da FIERN pelo secretário especial do ME Jorge Luiz Lima.

O valor – R$ 1,5 trilhão por ano – é a estimativa de quanto o Custo Brasil retira das empresas instaladas no país, o que equivale a 22% do Produto Interno Bruto (PIB).

O chamado Custo Brasil se refere ao conjunto de todos os gastos internos que atrapalham o crescimento do país, onerando produtos ou serviços brasileiros, além de influenciar negativamente o ambiente de negócios.

A necessidade de diminuir as despesas é abordada também no artigo do presidente Amaro Sales que trata sobre a urgência de uma ampla reforma do sistema tributário brasileiro para fomentar o crescimento econômico e reduzir as desigualdades sociais.

A Revista também traz todos os detalhes do primeiro edital de incentivo à inovação, lançado pelo Sistema FIERN, por meio do IEL-RN, o “Programa Soluções 4.0 – Negócios Inovadores”; além de abordar o programa de Certificação Profissional do SENAI-RN elaborado em parceria com a Alemanha; e os resultados expressivos do Ação pela Vida, que atingiu a marca de 205 mil doses de vacina aplicadas, em Natal e Mossoró, e reforça o apelo à população para tomar segunda dose de imunizante contra Covid-19.

Para ler estas e outras matérias de interesse do setor, acesse a Revista da Indústria do RN https://online.pubhtml5.com/vcte/jein/#p=1

3

Set

Maioria do STF decide reabrir pedido de gratuidade no Enem 2021

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou por reabrir o prazo para os candidatos que quiserem pedir isenção da taxa de R$ 85,00 para se inscrever no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021.

O tema está sendo julgado em uma sessão própria do plenário virtual, iniciada ontem (2) e com a duração de 48h. O julgamento se encerra às 23h59 desta sexta-feira (3). Até o momento, seis ministros votaram a favor da reabertura do pedido de isenção, formando maioria.

Desse modo, a decisão passa a surtir efeitos logo após o julgamento ser encerrado, salvo se algum dos cinco ministros que ainda não votaram pedir vista (mais tempo de análise) ou destaque (remessa para o plenário convencional). A expectativa, no entanto, é de que isso não ocorra, diante da urgência do assunto.

A maioria dos ministros seguiu o voto do relator, Dias Toffoli. Para ele, diante do contexto social ocasionado pela pandemia de covid-19, o direito de isenção da taxa de inscrição no Enem deve ser ampliado, motivo pelo qual se faz necessário reabrir o prazo para a solicitação da gratuidade.

Os ministros decidiram afastar uma das exigências para a gratuidade que estava prevista no edital - a necessidade de que os faltosos no Enem 2020 apresentassem justificativa por não ter comparecido, com comprovação documental.

Nos termos do voto do relator, a maioria do Supremo votou por conceder uma liminar (decisão provisória de efeito imediato) para “determinar a reabertura do prazo de requerimento de isenção de taxa, deixando-se de exigir justificativa de ausência do Enem 2020, de quaisquer candidatos, em razão do contexto pandêmico”.

O gabinete do ministro Dias Toffoli esclareceu nesta sexta que, no termos de seu voto, o prazo para inscrição no próprio Enem 2021, que já se encerrou, deverá ser reaberto somente para aqueles que comprovarem ter direito à gratuidade, sem que precisem justificar falta em edição anterior do exame.

Exigência de justificativa

A exigência da justificativa foi questionada no Supremo por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes) e a Educafro. Dez partidos também apoiam a ação - Cidadania, PC do B, PDT, PSB, PSOL, PSTU, PT, PV, Rede e Solidariedade.

Pelas regras do edital, quem teve direito à isenção da taxa de inscrição no Enem 2020, mas faltou à prova, só poderia obter nova gratuidade se conseguisse justificar a ausência. A exigência afetou, por exemplo, ex-alunos da rede pública e pessoas em vulnerabilidade socioeconômica.

As justificativas não podiam ser aleatórias, e precisavam ser comprovadas documentalmente, bem como se encaixar nas hipóteses previstas no edital. Elas incluíam situações como acidentes de trânsito, morte de familiar, emergências médicas e assaltos, entre outras.

Quem estivesse com covid-19 ou tivesse contato com alguém infectado também poderia apresentar essa justificativa. O candidato que faltou somente por medo relativo à doença, por exemplo, ou que não pudesse comprovar com documentos nenhuma outra razão para a falta, não estaria coberto.

Devido à pandemia de covid-19, a edição 2020 do Enem foi realizada somente em janeiro deste ano. A taxa de abstenção (falta) atingiu níveis recordes, superando os 55% no segundo dia de prova.

Argumentos

Para as entidades estudantis e os partidos, tal exigência é “discriminatória”, por afetar somente os candidatos que não têm condições de pagar pela inscrição. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também ingressou no processo, manifestando-se contra a exigência de justificativa.

“A decisão do Ministério da Educação de inviabilizar o pedido de isenção de taxa para os candidatos ausentes impedirá o ingresso no ensino superior de inúmeros estudantes pobres, o que viola o direito social à educação", diz a peça inicial do processo.

Em sustentação oral, a Advocacia-Geral da União (AGU) argumentou que desde 2017 a justificativa de falta em Enem anterior é exigida para a concessão de isenção na taxa de inscrição, e que a medida serviu para reduzir em muito o absenteísmo ao longo dos anos.

A medida visa “otimizar os gastos públicos” e “não teve o objetivo de discriminar estudantes ou reduzir o número de gratuidades, tanto é assim que 80% das solicitações de gratuidade foram concedidas”, disse a advogada da União Isabela Cartaxo de Arruda.

Todo o processo de solicitação e concessão de isenção da taxa de inscrição para o Enem 2021 ocorreu em junho. Mais de 1,4 milhão de gratuidades foram concedidas. Ao todo, 3.109.762 de candidatos se inscreveram para realizar o exame, cujas provas estão marcadas para 21 e 28 de novembro. Esse foi o menor número de inscrições desde 2005.

Voto

Em seu voto, seguido pela maioria, Toffoli, concordou com os argumentos dos requerentes e escreveu que “criar barreira para que determinado grupo participe no Enem seria inviabilizar seu ingresso no ensino superior”.

O ministro frisou que, em seu entendimento, isso violaria diversos preceitos fundamentais previstos na Constituição, em especial o direito à educação, a garantia de acesso a níveis elevados de ensino e a meta de reduzir as desigualdades sociais.

Ele acrescentou que o contexto social ocasionado pela pandemia de covid-19 seria suficiente para afastar qualquer necessidade de justificativa para se ter faltado ao Enem 2020.

“Nesse quadro, não se justifica exigir que os candidatos de baixa renda que optaram por não comparecer à prova por temor ou insegurança quanto ao nível de exposição da própria saúde ou de outrem, ou por qualquer outro motivo relacionado ao contexto de anormalidade em que aplicadas as provas do Enem, comprovem o motivo da sua ausência, por se tratar de circunstâncias que não comportam qualquer tipo de comprovação documental”, escreveu o ministro.

Até o momento, ele foi acompanhado integralmente pelos ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso.

Fonte: Agência Brasil

3

Set

Brasileira de 12 anos é embaixadora de campanha global para combater mudanças climáticas

Nesta semana, ativistas de todo o mundo começaram a divulgar a campanha Plant Based Treaty, que visa pressionar os governos para que a produção alimentar passe a estar na vanguarda do combate à crise climática. 

A intenção é que os líderes negociem um acordo global que trave o impacto da agropecuária atual no planeta. No Brasil, a representante é Brunna Sachs, defensora e ativista dos animais e do clima de apenas 12 anos de idade.

“O planeta está enfrentando uma devastação irreversível e cabe a todos nós fazer a diferença e garantir que as gerações futuras realmente tenham um futuro”, alerta Brunna. 

Vegana desde os 4 anos, por vontade própria, a jovem embaixadora destaca a importância das escolhas alimentares no ecossistema e reforça a urgência do assunto.

“Nossa geração quer ter um futuro e, se não tomarmos atitudes hoje, nosso amanhã não estará garantido. Retire os derivados animais da sua alimentação e vamos juntos cobrar de nossos representantes mudanças para um sistema mais saudável para nós e o planeta”, afirma Brunna.

 

Ações em cerca de 100 cidades de todo o mundo, incluindo Manchester, Amsterdã, Lisboa, Roma, Los Angeles, Cidade do México, Toronto, Seul e Mumbai ocorrem para encorajar os líderes a assinarem o tratado. Até 2023, antes do balanço global sobre o progresso do Acordo de Paris, a campanha trabalhará para ganhar o apoio de 10 milhões de pessoas, 10 mil organizações, 10 mil empresas e 50 cidades. 

O tratado incentiva os líderes a negociarem um acordo global em torno destes três princípios: 

• RENUNCIAR - acabar com a alteração do uso da terra, degradação de ecossistemas ou desmatamento para fins de exploração animal.

• REDIRECIONAR – fazer uma transição ativa dos sistemas agrícolas de base animal para sistemas alimentares estritamente de vegetais. 

• RESTAURAR - recuperar ecossistemas e reflorestar a terra danificada.  

No Acordo de Paris, assinado em dezembro de 2015, os países celebraram um pacto para limitar o aquecimento global abaixo de 2°C (preferencialmente 1,5ºC). Embora a redução da utilização de combustíveis fósseis seja uma forma importante de diminuir as emissões de gases com efeito de estufa, por si só não é suficiente para cumprir este objetivo. 

Buscando contribuir com a eficácia do acordo, o Plant Based Treaty alerta para os danos da produção de carne, laticínios e ovos, que provocam emissões de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, três principais gases do efeito de estufa. Os especialistas dizem que a redução de emissões de metano é provavelmente a única forma de evitar aumentos de temperatura acima de 1,5°C, e a maior chance para amenizar o aquecimento até 2040. 

Anita Krajnc, coordenadora de Campanha Global para o Plant Based Treaty,

chama atenção para o sexto relatório do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas. “Ele deixa claro que é mais crítico do que nunca reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e identifica as dietas baseadas em plantas como um método chave para o conseguir. Com apenas 5 anos para inverter os piores efeitos das alterações climáticas, a manutenção do status quo já não é uma opção. É tempo de mudar para uma economia baseada em plantas para inverter os danos que causamos ao ambiente, e para promover uma sociedade mais saudável", observa.

3

Set

FIERN e Ministério do Desenvolvimento Regional firmam parceria para desenvolver polo mineral e químico

A FIERN e o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) vão firmar uma parceria para avaliar a viabilidade de instalação de um polo minero-químico e industrial no Rio Grande do Norte. O presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, e o ministro Rogério Marinho assinam nesta sexta-feira (3), às 14h30, um acordo de cooperação técnica (ACT) para a elaboração dos estudos necessários à concretização do empreendimento.
 
O acordo de cooperação técnica prevê atuação conjunta das instituições para avaliar a viabilidade do complexo minero-químico e industrial na região Oeste do estado. Para tanto, serão atualizados estudos feitos pela FIERN com o mesmo objetivo. Os trabalhos deverão ser concluídos em seis meses, a contar da publicação do instrumento no Diário Oficial da União, com possibilidade de prorrogação. A parceria não envolve repasses de recursos ou encargos entre as partes.
 
O projeto abrange municípios da região Oeste. Um dos atrativos do polo é a presença das matérias-primas necessárias (gás, minérios e sal) para a efetivação de uma série de cadeias produtivas: PVC, cloro, soda, magnésio metálico, bromo e derivados, barrilha, vidro e sabão em pó.
 
“O Rio Grande do Norte tem amplas potencialidades para se desenvolver, atrair investimentos, gerar riquezas e retomar um crescimento nestes setores e, ao mesmo tempo, abrir novas perspectivas que nos estudos realizados pelo Mais RN demonstram serem viáveis. Por isso, essa iniciativa conjunta que vamos assegurar por intermédio da parceria entre o Sistema FIERN e o Ministério do Desenvolvimento Regional é tão oportuna para o Estado”, afirmou Amaro Sales.
 
Há previsão de ser construída uma usina de geração de energia para as indústrias que se instalarem no empreendimento, além de um novo porto offshore na região para atender a logística demandada pelos investimentos a serem realizados. A projeção é que sejam necessários ao menos US$ 2,6 bilhões para a implementação do polo. Estudos preliminares apontam que poderão ser gerados cerca de 7 mil empregos diretos e indiretos quando o projeto for concluído.
 
“A expertise do Sistema FIERN na pesquisa voltada ao atendimento de demandas da indústria e na formação profissional será muito importante para que esta parceria tenha êxito e este projeto obtenha os resultados que o Rio Grande do Norte precisa”, disse Amaro Sales.
 
“Este é um projeto muito importante e com um potencial enorme de geração de emprego e renda para o Rio Grande do Norte. É um dos maiores projetos de desenvolvimento não só do Estado, mas de todo o Nordeste. O MDR vai dar todo o suporte para que possamos ter a viabilidade desse empreendimento atestada. Ao apoiarmos a FIERN, estamos estimulando o desenvolvimento regional, que é uma das atribuições principais do MDR”, afirma o ministro Rogério Marinho.