Mídias Sociais

9

Ago

Levantamento aponta que audiência do Instagram já é 40% maior que a do Facebook

Um estudo realizado pela Emplifi, nova marca da Socialbakers, mostra que o Instagram segue ampliando sua vantagem sobre o Facebook, com uma audiência agora de 40,3% maior que a da outra plataforma. O Instagram ainda teve 22.7 vezes mais engajamento do que o Facebook no período analisado, que compreende de janeiro a março de 2021.

As conclusões do “Social Media Trends Report Q1 2021” foram feitas com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil. Observando os resultados anuais, o público do Instagram cresceu 10,3% em comparação com o primeiro trimestre de 2020, enquanto o Facebook teve apenas 0,8% de aumento.

Segundo a Alexandra Avelar, country manager da Emplifi, o contato dos clientes com as marcas cresceu nos últimos meses e isso deve permanecer. “A pandemia levou milhões de pessoas a aumentar sua interação com marcas online, e muitos continuarão a fazê-lo por muito tempo mesmo no pós-pandemia. Não há dúvida de que a mudança online é permanente. As empresas podem resistir às últimas tempestades adotando o redesenho de toda a experiência do cliente, inclusive aproveitando a mídia social para atendimento online e experiências de compras”, destaca.

Mesmo saindo na frente do Facebook quando o assunto é audiência e engajamento, o Instagram perde na preferência das marcas. De acordo com o levantamento, 53,7% de todas as postagens delas ainda são feitas no Facebook.

Ao contrário do cenário mundial, no Brasil o Facebook continua na frente do Instagram quando o assunto é audiência, mesmo com as interações do Facebook sendo notavelmente mais expressivas. Já na quantidade de posts, os dois acabam ficando quase empatados.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/148720/pesquisa-aponta-audiencia-instagram-40-maior-facebook/

6

Ago

Twitter faz parceria com AP e Reuters para combater fake news

O Twitter anunciou uma parceria com as duas maiores agências provedoras de notícias do mundo, a Reuters e a Associated Press (AP). O objetivo, segundo a empresa, é combater de forma proativa a desinformação dentro da plataforma de microblogging.

Embora as equipes internas da empresa já trabalhem na moderação, buscando explicar e adicionar contexto aos conteúdos do Twitter, a chegada das novas agências de notícias ajudará a fornecer informações mais confiáveis. Com isso, a empresa espera estancar a disseminação crescente de informações enganosas em sua plataforma.

Em seu blog, o Twitter esclarece que a ideia da parceria é atuar proativamente no fornecimento de informações precisas e confiáveis no momento em que “os fatos estiverem em disputa”. “Em vez de esperar até que algo se torne viral, o Twitter contextualizará o discurso em desenvolvimento no ritmo ou em antecipação à conversa pública”, prometem os donos do passarinho azul.

Twitter, Tela, Social, Telefone, Celular, Tecnologia

De acordo com o Twitter, as parcerias com a Reuters e a AP entrarão em cena “quando a equipe de curadoria do Twitter não tiver o conhecimento específico ou acesso a um volume alto o suficiente de reportagens confiáveis”. As duas agências de notícias internacionais também fornecerão feedback para a verificação de fatos fornecidos pelo programa Birdwatch, que funciona em projeto-piloto desde janeiro.

Vale ressaltar que a equipe de curadoria da empresa já adota medidas proativas em relação a certos trending topics suspeitos e tuítes enganosos, adicionando um conteúdo explicativo aos mesmos. Os curadores também dedicarão uma atenção especial nas pesquisas realizadas durante grandes eventos, como eleições ou emergências de saúde pública.

Nesse aspecto, o governo de Joe Biden declarou, na semana passada, uma verdadeira guerra contra as redes sociais, pela que chamou de "hesitação vacinal aumentada pelas fake news". O problema da desinformação e das campanhas antivacina têm sido responsáveis pelo aumento de infecções por covid-19 nos EUA.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/222551-twitter-parceria-ap-reuters-combater-fake-news.htm

5

Ago

Twitter revela aumento da busca por streaming e podcasts no Brasil

O Twitter realizou uma pesquisa exclusiva com o público brasileiro para revelar hábitos na rede social. O objetivo era entender a preferência das pessoas em temas como streaming de áudio, vídeo e podcasts. Os dados foram coletados pela equipe de Marketing Insights & Analytics do Twitter Brasil e considerou tuítes sobre assuntos relacionados ao entretenimento digital.

Segundo a pesquisa, para 70% dos usuários da plataforma, o conteúdo exclusivo ou original é fator determinante para a escolha do serviço de streaming. As pessoas levam mais em conta este fator do que o preço da assinatura e a facilidade de acesso, por exemplo.

Do início da pandemia até hoje, o levantamento revelou um aumento de 68% no consumo de conteúdos em vídeo, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Essa porcentagem explica a elevação na quantidade de pessoas que assinaram ao menos uma plataforma (70%) e que devem manter o interesse no serviço, mesmo quando a vida voltar à “normalidade" (39%).

As pessoas da rede do passarinho azul tem maior interesse por filmes e conteúdos televisivos, com 81% e 63% da preferência do público, respectivamente. A maioria prefere assistir aos conteúdos no celular (76%), na TV (72%) e no computador (51%).

Este último dado surpreende, afinal a tela dos dispositivos móveis não é tão favorável quanto um televisor. Embora a pesquisa não entre nesse mérito, a preferência pelo celular pode estar vinculado à falta de televisores inteligentes em muitos lares brasileiros.

A pesquisa considerou aproximadamente 595 milhões de tuítes sobre entretenimento no país, feitos durante o primeiro semestre deste ano. No ano passado, esse número foi 451 milhões, o que revela o aumento do uso da rede social para tal finalidade.

Músicas e podcasts também em alta

Já quando o assunto é música, 78% dos usuários da plataforma dizem acompanhar novidades pelo Twitter — 57% não ficam um dia sequer sem ouvir alguma canção. Para quase 68%, as plataformas de streaming musical são o melhor caminho para curtir um som e quase 91% dos ouvidos usam algum serviço desse tipo no último mês.

A maioria usa a rede para comentar sobre gêneros e bandas que gostam, mas também acompanhar as novidades de artistas e interagir com eles. Muita gente também se vale da plataforma para buscar informações ou conseguir recomendações de álbuns e músicas.

De janeiro a junho de 2021, o Twitter contabilizou 476 milhões de interações sobre música por aqui. Segundo a rede, esse aumento foi impulsionado também pelo aumento na popularidade dos podcasts, com mais de 73% do público consumindo esse tipo de conteúdo regularmente.

Entretenimento encabeça a lista de temas de podcasts mais ouvidos (63%), seguido por cultura (52%); negócios, economia e política (42%); e, por fim, esportes, jogos e e-sports (30%).

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/twitter-revela-aumento-da-busca-por-streaming-e-podcasts-no-brasil-191775/

4

Ago

Instagram anuncia Hub que mostra publicações de negócios semelhantes

O Instagram anunciou o lançamento de um Hub que irá mostrar publicações (orgânicas e pagas) de negócios semelhantes, com o objetivo de inspirar a criatividade de marcas de todos os tamanhos na plataforma. O Hub poderá ser acessado através do “Painel Profissional” de todas as contas comerciais para ajudar aqueles que ainda não sabem como começar a produzir seu conteúdo para o Instagram. 

O funcionamento da ferramenta é simples, acessando a opção “Veja como outras empresas se conectam com as pessoas” dentro do painel profissional. No espaço será visto como as empresas estão se conectando com as pessoas por meio de publicações orgânicas ou crescendo através de publicações pagas. É possível clicar em uma publicação para visualizar o Feed de publicações orgânicas ou pagas.

Recentemente, o Instagram também anunciou atualizações em suas ferramentas de Métricas, fornecendo às pequenas empresas mais informações sobre o desempenho do seu conteúdo na plataforma, incluindo a expansão do suporte de métricas de 30 para 60 dias, e a uma nova ferramenta no calendário que permite às empresas analisar um período específico.

“Essas atualizações são parte do compromisso contínuo do Instagram de construir um conjunto de soluções para ajudar empresas de todos os tamanhos a impulsionarem seus negócios na plataforma”, diz a plataforma em comunicado.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/148515/instagram-hub-publicacoes-negocios-semelhantes/

4

Ago

Google Maps agora oferece modo escuro na versão para iOS

O Google Maps finalmente recebeu suporte para o modo escuro no iOS. A paleta de cores menos agressiva aos olhos está disponível para Android desde setembro do ano passado e facilita a visualização do mapa em ambientes pouco iluminados, sem que seus olhos precisem se adaptar ao brilho mais intenso. Além disso, usuários de iPhone também recebem um conjunto de novidades interessantes.

Integração com iMessage

Para acirrar a competição com o Apple Maps, o Google integrou seu app ao iMessage. Agora, o usuário pode recorrer à plataforma da Gigante das Pesquisas para enviar sua localização em tempo real, algo semelhante ao que o WhatsApp oferece desde 2017.

Essa ferramenta é útil para acompanhar o deslocamento de amigos, seja para ver quem está chegando ou ficar ligado no seu caminho para casa. Se um dos colegas não souber o local exato de um encontro, a função também pode vir a calhar.

Quanto ao modo escuro, seu propósito e visual são extremamente parecidos com a versão de Android. Quando ativado, o mapa adota tons de azul escuro, enquanto a interface é tomada pela cor cinza. Botões, menus e outros elementos também são remodelados para se ajustar ao novo padrão.

Mais completo que a navegação de rotas

Essa versão é mais completa do que a alternativa do modo de navegação de rotas, já que funciona basicamente a todo momento assim que habilitada, não somente de noite ou quando você passa por um túnel. Para quem não gosta de padrões claros, a adição é um colírio para os olhos.

No anúncio, o Google também destacou os novos widgets do Maps para iOS. O Canaltech comentou sobre o assunto dias atrás e, assim como os complementos do Chrome, eles servem para fornecer atalhos para funções básicas do navegador.

Se as novidades ainda não chegaram para você, é bom conferir na App Store se o seu aplicativo está atualizado. Baixe qualquer pacote que estiver pendente e depois tente procurar pela novidade no menu de configurações do app. Se mesmo assim não aparecer, resta esperar até que o Google disponibilize o recurso.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/google-maps-agora-oferece-modo-escuro-na-versao-para-ios-191624/

4

Ago

WhatsApp libera envio de fotos e vídeos que desaparecem após uma visualização

O WhatsApp anunciou nesta terça-feira (3) o lançamento formal de um novo recurso para o aplicativo. A partir de agora, todos os usuários poderão enviar imagens que se autodestroem aos seus contatos, que só poderão visualizá-las uma vez. A empresa destaca alguns exemplos em que o recurso vem a calhar:

Por exemplo, você pode enviar uma foto de visualização única para mostrar as roupas que está provando em uma loja, compartilhar uma reação rápida a um certo evento ou até mesmo algo confidencial, como a senha do Wi-Fi. O recurso já estava em testes há algum tempo entre os usuários que fazem parte do programa de beta testing do WhatsApp.

A partir de agora ele começa a chegar a todos a partir desta semana. Para usar, basta selecionar uma imagem ou vídeo na galeria, como é feito desde sempre. No entanto, antes de enviar, é preciso tocar no ícone com o número 1.

Assim, surgirá um balão de conversa com o ícone “1” acompanhado das palavras “Foto” ou “Vídeo”. Após a visualização, o texto é alterado para “Mensagem aberta” e o conteúdo se perde para sempre.

O WhatsApp ainda reforça que o recurso também é protegido criptografia de ponta a ponta do app, que visa impedir que qualquer pessoa não-autorizada seja capaz de visualizar o conteúdo trocado entre os usuários; essa restrição inclui o próprio WhatsApp.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/whatsapp-libera-envio-de-fotos-e-videos-que-desaparecem-apos-uma-visualizacao-191654/

3

Ago

Twitter agora tem suporte para login via contas Google ou Apple

O Twitter anunciou a integração com as contas do Google e Apple para permitir a criação de novas contas e o login em perfis existentes. A partir de hoje, já está liberado o acesso com a conta do Google no aplicativo móvel e na web; para a conta da Apple, a opção web ainda não foi liberada.

Quem já tiver conta poderá associar o login e senha à conta preferida, o que deve agilizar a entrada. Curiosamente, o próprio Twitter já lançou, no passado, uma opção de efetuar login em outros serviços com o perfil da rede. Agora, ela inverte a lógica para agilizar a vida dos usuários duas duas plataformas de celular mais populares do mundo.

Para associar a conta existente ao novo método de entrada, basta acessar o perfil e escolher “Continuar com a Apple” ou “Continuar com o Google”. É importante destacar que o e-mail usado no perfil deve ser o mesmo atrelado à conta em questão. Segundo a rede social, a novidade já está liberada para todos, mas é necessário fazer logout para ela aparecer.

A maioria dos usuários já se deparou com sites que permitem o login em serviços com contas do Google e do Facebook. Já com perfis da Apple, é algo mais recente, apresentado na WWDC de 2019 como uma alternativa excluisiva dos usuários da empresa. O serviço oculta o e-mail verdadeiro e impede que mensagens de apps cheguem na caixa de entrada no usuário.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/apps/twitter-agora-tem-suporte-para-login-via-contas-google-ou-apple-191505/

2

Ago

Facebook vai lançar óculos inteligentes em parceria com Ray-Ban

O próximo produto do Facebook será um óculos inteligentes feito em parceria com uma das principais marcas de óculos, a Ray-Ban. O projeto já havia sido anunciado em 2020, mas só agora a empresa de Mark Zuckerberg deve começar a trabalhar com foco em lançar o modelo, que ainda não tem nome.

“Nós temos uma paixão por explorar produtos que deem às pessoas melhor forma de se conectar com quem amam. Os wearables tem o potencial de fazer isso. Com EssilorLuxottica, nós temos um parceiro ambicioso que nos emprestará sua expertise e catálogo de alto nível para criarmos os primeiros óculos inteligentes do mundo da moda”, afirmou Andrew Bosworth, vice-presidente dos laboratórios de realidade do Facebook ao The Next Web.

Os óculos não devem ter os mesmos recursos de outros produtos em realidade virtual/aumentada populares no mercado. É provável que o foco seja criar um produto semelhante aos Snap Spectacles, do Snapchat, que são capazes de capturar vídeo e foto. Os óculos devem ser o primeiro passo do Facebook para medir o engajamento do público com óculos inteligentes e seus recursos, e talvez aproveitar algo para seus projetos em realidade aumentada.

O projeto, que originalmente estava planejado para ser concluído em 2021, muito provavelmente foi adiado pela pandemia. Agora, juntamente à EssilorLuxottica, que além da Ray-Ban, também possui marcas como OakleyKodak Crizal será o primeiro óculos inteligente do Facebook, que há muito deixou de ser apenas um conglomerado de redes sociais e tem focado em criar seus próprios produtos.

Vale lembrar ainda que a afirmação de Bosworth mostra como o interesse por explorar o mercado dos wearables é algo cada vez mais relevante para o Facebook Group. Em junho, a empresa também falou sobre a possibilidade de lançar seu primeiro smartwatch em 2022.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/148363/facebook-vai-lancar-oculos-inteligentes-em-parceria-com-ray-ban/

2

Ago

Google anuncia nova seção de privacidade para a Play Store

Com o objetivo de reforçar o controle do usuário, melhorando a segurança dos dados, a Google anunciou, na quarta-feira (28), algumas mudanças na Play Store. A principal delas é a chegada de um novo tópico de privacidade à loja oficial do Android, a partir de 2022.

Na nova seção dentro da Play Store, o usuário poderá conferir informações a respeito de qualquer app. Ela trará detalhes sobre o uso de criptografia, mostrará que tipo de dados são coletados (localização, lista de contatos etc), como se dá a utilização das informações e se a coleta é obrigatória ou opcional para usar o software.

Todos os desenvolvedores serão obrigados a fornecer uma política de privacidade a partir da implementação da nova seção de segurança, mesmo que seus apps não coletem nenhuma informação pessoal. Quem não se adequar à novidade poderá ter o envio do app para a loja ou a sua atualização rejeitado.

Esta mudança, que se assemelha à solução oferecida pela Apple no iOS, exceto pelo fato de a coleta de informações vir ativada por padrão no Android, deve entrar em vigor no final do primeiro trimestre de 2022. Os desenvolvedores terão até o dia 22 de abril do próximo ano para criar o seu próprio tópico.

Mudanças no ID de publicidade

As novidades anunciadas contemplam também o identificador de publicidade do Android, fornecido pelo Google Play Services, que ajuda a traçar o perfil do usuário. Em breve, quem optar por limitar o rastreamento de anúncios terá o ID removido e substituído por uma sequência de zeros.

De acordo com a companhia, a alteração chegará primeiro ao Android 12, a partir do final do ano, e às demais versões do sistema no início de 2022. Junto com a alteração, será adicionada a proibição da coleta do ID de publicidade nos apps direcionados às crianças, garantindo uma maior privacidade para o público.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/software/222192-google-anuncia-nova-secao-privacidade-play-store.htm

30

Jul

Facebook: usuários gastam mais da metade do tempo em vídeos

Os usuários do Facebook estão passando mais tempo assistindo a vídeos na rede social. Durante a conferência sobre os resultados do 2º trimestre, Mark Zuckerberg disse que o formato representa quase metade de todo o tempo gasto na plataforma.

O CEO também revelou que a popularidade de vídeos curtos, como o Instagram Reels, está crescendo rapidamente. Esses conteúdos são os "maiores colaboradores para o aumento do engajamento” nas redes sociais.

Apesar de não ter compartilhado estatísticas específicas, novas informações sugerem que o Reels está ganhando cada vez mais força. Assim, a empresa está conseguindo atrair mais criadores para a plataforma.

Segundo Zuckerberg, o foco do Facebook em influenciadores e loja virtuais ajudará a atingir o objetivo de se tornar uma “empresa metaversa”. Para isso, um executivo do Instagram irá iniciar uma equipe focada na expansão do novo modelo.

Instagram Reels dobrou o limite de tempo para os conteúdos.

“Pense em uma internet em que você está realmente dentro dela, em vez de apenas observando. Você conseguirá fazer basicamente tudo o que pode na internet de hoje e outras coisas que não fazem sentido atualmente, como dançar”, explica o CEO.

Disputa contra o TikTok e YouTube

Visando atrair mais criadores para a plataforma, o Facebook permite a monetização de todas as categorias de vídeos. Além disso, a empresa revelou que pretende investir US$ 1 bilhão para influenciadores até 2022.

O Instagram também está adotando novas estratégias para conseguir competir contra o TikTok. Por exemplo, a rede social vai focar em vídeos para disputar audiência com o aplicativo rival.

Entre as várias ações, a ferramenta Reels aumentou o limite de tempo dos conteúdos para até 60 segundos. Mesmo modelo adotado pela concorrente e que foi essencial para alcançar maiores índices de popularidade.

Fonte: Tecmundo, disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/222097-facebook-usuarios-gastam-metade-tempo-videos.htm

30

Jul

Facebook usa inteligência artificial para excluir crianças que mentem idade

Após o anúncio do Facebook sobre mudar suas políticas para proteger adolescentes no Instagram, agora a plataforma revelou detalhes sobre os recursos de inteligência artificial empregados para identificar mentiras. Hoje não há necessidade de enviar fotos ou documentos para comprovar a identidade, o que faz com que muitas crianças burlem o sistema de entrada.

Apesar disso, a rede garante ser capaz de identificar quem omite a idade com base no comportamento. São cruzadas dezenas de dados para identificar, por exemplo, as postagens sobre aniversários, os aplicativos de terceiros, os perfis vinculados e toda a atividade da pessoa.

Se alguém diz que tem 18 anos, mas a maioria dos seus contatos são de crianças com 12 ou menos, pode ser um indício de que ela tenta burlar a verificação. Mas este é só um dos fatores analisados.

Fator considerado pela IA do Facebook é o que as pessoas comentam, por exemplo, em posts de aniversário. Caso alguém celebre aniversário, é comum os demais perfis mencionarem algo relacionado a idade: "Parabéns pelos 17 anos, ano que vem já pode ser preso" ou "15 aninhos: quando será a festa de debutante?".

Na prática, funciona como uma investigação na vida real. O Facebook explica ser uma missão difícil, porque eles não podem “se enganar” e eliminar da rede uma conta legítima. Os profissionais revisores de denúncias são treinados para sinalizar e excluir perfis suspeitos, caso não haja a comprovação da idade mínima.

Apoio de parceiros da indústria

Para pegar os espertinhos no flagra, a rede usa dados coletados pelo sistema operacional, navegadores e outros serviços correlatos para trazer informações sobre aquela pessoa. É uma via de mão dupla, porque todos os envolvidos se beneficiam.

O Facebook não adentra em quais tipos de "pistas" ele coleta de parceiros para identificar os menores de idade, mas dá para ter uma ideia. Cookies de sites com conteúdo claramente infantil podem significar que o perfil está vinculado a uma criança. Jogos infanto-juvenis que usam o Facebook como sistema de login também podem representar outro indício de menor de idade.

Facebook For Kids

Em complementação, a companhia também desenvolve uma ferramenta que impede adultos desconhecidos de trocar mensagens com menores de 13 anos no Instagram e no Facebook. O sistema analisa o comportamento anterior dos perfis adultos e bloqueia a localização de contas de crianças, inclusive se elas comentarem em posts de outras pessoas.

A rede também planeja lançar produtos e serviços específicos para essas pessoas não abarcadas hoje pelas redes sociais tradicionais. É claro que tudo precisa ser muito bem pensado, pois se trata de uma população vulnerável a todo tipo de maldade.

Há pouco tempo, a empresa disse ter nos planos a criação de uma rede social voltada para pré-adolescentes, o que foi alvo de críticas em todo o mundo. Autoridades dos Estados Unidos e outros grupos se posicionaram contra essa atitude por abrir brecha para pedófilos, abusadores e trapaceiros.

De qualquer forma, o posicionamento do Facebook mostra uma sensibilidade para a temática de proteção de crianças e adolescentes.

Fonte: Canaltech, disponível em:https://canaltech.com.br/apps/facebook-usa-inteligencia-artificial-para-excluir-criancas-que-mentem-idade-191133/

29

Jul

TikTok irá pagar por direitos autorais de músicas no Brasil

O TikTok anunciou acordo com o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) a fim de garantir o pagamento de direitos autorais a compositoras, editoras musicais e artistas. O contrato foi fechado, segundo à empresa, para enriquecer a experiência dos usuários, bem como auxiliar os criadores de músicas na plataforma por meio de um canal ilimitado. Além disso, a parceria garante ainda o pagamento retroativo pelo uso das canções dentro do TikTok, que atua hoje como uma plataforma que destaca talentos emergentes.

Segundo José María Escriña, diretor de licenciamento musical e parcerias do TikTok para a América Latina, a cooperação com o Ecad estimula o crescimento de novas fontes de receita para autores e editores utilizando o dinamismo da plataforma. Já a superintendente executiva do Ecad, Isabel Amorim, explica que a parceria é um passo importante para a indústria brasileira de música, sobretudo em um momento em que compositores e artistas precisam da renda digital. 

Essa não foi a primeira movimentação do TikTok em relação à direitos autorais. No ano passado, a companhia firmou contrato com a Sony Music Entertainment, o que, de acordo com informações da Bloomberg, permite que os usuários da plataforma tenham acesso às músicas da Sony Records, Columbia Records e Radio American Records dentro de parâmetros legais. 

Fonte: Meio e Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2021/07/28/tiktok-ira-pagar-por-direitos-autorais-de-musicas-no-brasil.html

29

Jul

Google vai exigir que funcionários estejam vacinados da Covid-19 para voltar a escritórios

O CEO do GoogleSundar Pichai, anunciou nesta quarta (28) aos funcionários que a empresa vai exigir a vacinação de todos os trabalhadores quando estes retornarem aos escritórios. A decisão, publicada em carta obtida pelo New York Times, também confirma o adiamento da volta da empresa ao ambiente de trabalho, previsto anteriormente para setembro e agora remarcada para 18 de outubro.

Com o anúncio, o Google é oficialmente a primeira empresa de tecnologia do Vale do Silício a exigir a vacinação de seus funcionários para o retorno aos escritórios, seja nos EUA ou ao redor do mundo – enquanto no território estadunidense o requerimento será protocolado nas próximas semanas, em outras regiões ela será aplicada em questão de meses. A medida acompanha as expectativas em torno da Casa Branca, conforme o presidente norte-americano Joe Biden pretende fazer a mesma exigência a todos os funcionários federais.

Ainda que a manobra seja admirável, é válido dizer que a companhia está adiantando um passo. Com a alta de casos de Covid-19 nos EUA por conta da variante Delta, muitos dos negócios no momento estão preocupadas primeiro em quando promover a volta dos escritórios que exatamente como fazer isso acontecer de forma segura a todos os envolvidos. Neste sentido, o Google acompanha a Apple, que também adiou a transição do trabalho remoto pro presencial para outubro.

Quem dá a letra desse processo todo é Tim CookProcurado pela CNBC, o CEO da Apple comentou a decisão do Google com a declaração de que “o maior foco no momento é quando voltar” e que a empresa “está monitorando o cenário diariamente para concluir qual será a resposta certa” nesse departamento.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/148230/google-vai-exigir-que-funcionarios-estejam-vacinados-da-covid-19-para-voltar-a-escritorios/

29

Jul

Twitter começa a testar lojas e vendas direto na rede social

O Twitter é uma das mídias sociais que mais tem investido em mudanças e aprimoramentos nos últimos meses. O objetivo é tentar manter a base, atrair novas pessoas e conseguir oferecer um ambiente agradável para quem deseja se divertir ou ganhar dinheiro. Embora as últimas adições tenham por foco o criador de conteúdo, a rede de Jack Dorsey também quer atender aos empresários.

Hoje a plataforma deu início a um experimento para levar recursos de compra e venda de produtos voltados para o ambiente profissional. Marcas e companhias poderão exibir seus itens em um módulo de loja, criado para dar ênfase aos objetos comercializados.

Mais do que uma simples vitrine, o Twitter quer permitir às empresas o comércio dentro da plataforma. É possível criar um carrossel de produtos para ser reproduzido no próprio perfil da marca e na linha do tempo.

Até agora, tudo está limitado a apenas algumas marcas, como a loja de games GameStop e a fabricante de bolsas Arden Cove, ambas dos Estados Unidos. A ideia é fazer os devidos ajustes e levar esta possibilidade para outros países na sequência.

Ideia antiga, execução nova

Esta não é a primeira vez que o sistema de microblogging testa este tipo de solução, mas é algo inédito quando o faz atrelado ao perfil. Isso nunca foi uma prioridade, mas passou a entrar no radar quando os maiores rivais se voltaram para a monetização.

Recentemente, foi observado também a possibilidade de criação dos chamados perfis profissionais e um recurso para conteúdos exclusivos e pagos. As lojas podem vir como um complemento a este movimento, principalmente para pequenas e médias empresas, que podem ter no serviço mais um canal de vendas.

Como já tem o Stripe como serviço de pagamento, não há empecilhos técnicos para travar o lançamento das lojas virtuais. Ele já é usado para arrecadação de recursos no Ticketed Spaces, o serviço de bate-papo por áudio com cobrança de ingressos.

Ainda não está claro quais os percentuais e taxas serão cobrados dos vendedores nem como o sistema de compras deve funcionar. A única certeza é que se trata de uma empreitada bem audaciosa para tentar atrair os insatisfeitos com o formato de vídeos curtos (estilo TikTok, Kwai, Shorts e Reels) ou com o modelo "quadradão" de redes como o Facebook.

Fonte: Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/redes-sociais/twitter-comeca-a-testar-lojas-e-vendas-direto-na-rede-social-191100/

28

Jul

Receita de publicidade do YouTube bate recorde e chega a US$ 7 bilhões no segundo trimestre

O YouTube revelou nesta terça (27) seu relatório financeiro do último trimestre com uma bomba e tanto: entre os meses de abril e junho, a companhia garantiu uma receita de publicidade na altura dos US$ 7 bilhões, um recorde histórico para a plataforma de vídeos.

Além do valor em si, o número é espantoso quando justaposto ao mesmo período em 2020, quando a rede social registrou US$ 3,81 bilhões – uma quantidade baixa com muita culpa no início da pandemia do coronavírus, que fez muitos anunciantes diminuírem investimentos. Com 84% de recuperação de um ano pro outro, o desempenho supera e muito as expectativas de especialistas.

O YouTube também divulgou no relatório trimestral uma receita geral de US$ 61,88 bilhões e uma rede de US$ 18,5 bilhões, números que também representam recordes para o período e ficam acima do esperado pelo mercado. De acordo com a Variety, o CEO do Google Sundar Pichai ligou a alta da empresa a um aumento geral das atividades online em diversas partes do globo, com a infraestrutura da rede social e de outros produtos do conglomerado mantendo atividades sem maiores problemas.

“Nossos investimentos de longo prazo em inteligência artificial e no Google Coud estão nos ajudando a garantir melhorias significativas na experiência digital de todo mundo” chegou a declarar o executivo no evento com acionistas.

Vale acrescentar que os números do YouTube não levam em conta as assinaturas do YouTube Premium e do YouTube TV, algo que certamente contribui ainda mais para a lucratividade da plataforma.

Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/148176/receita-de-publicidade-youtube-bate-recorde-7-bilhoes-segundo-trimestre/