Mundo corporativo

9

Abr

Mundo corporativo

Projeto da Cosern recebe eletrônicos que não servem mais em troca de desconto na conta de luz

A Cosern divulgou no site www.cosern.com.br o calendário de abril do projeto Vale Luz. A iniciativa, que integra o Programa de Eficiência Energética do Grupo Neoenergia, regulado pela Aneel, foi lançada em 2013, já recolheu 304 toneladas de resíduos sólidos recicláveis em 17 bairros de Natal e concedeu mais de R$ 77 mil em descontos na conta de luz de 1.826 clientes cadastrados no projeto até agora. Entre os itens que podem ser entregues em troca do desconto, estão eletrônicos em geral, como baterias automotivas, computadores, celulares, impressoras, entre outros. A campanha engloba também outros tipos de resíduos, como metais, vidros, papel e até óleo de cozinha já usado. 

Cada tipo de resíduo possui um valor específico por quilo. Além de disponibilizar desconto na fatura de energia dos participantes, o projeto estimula a coleta seletiva de resíduos sólidos, encaminhados para Natal Reciclagem, empresa parceira do projeto. A ação possibilita a redução de impactos ambientais causados pelo não desperdício do material que seria jogado no lixo e que poderia levar centenas de anos para se decompor.

O agente do projeto Vale Luz realiza o cadastro do cliente, analisa, pesa o material e emite o valor do desconto. O crédito referente ao peso do resíduo é enviado ao setor de faturamento da Cosern para lançamento do desconto na próxima fatura de energia do beneficiado.

Não existe limite para o desconto e o consumidor pode obter 100% de abatimento na fatura de energia. Caso o valor do crédito da pesagem ultrapasse o valor total da conta, o crédito restante será abatido no mês seguinte. O Vale Luz Cosern atende hoje 23 pontos em 19 bairros de Natal com a tenda itinerante, que serve como ponto de coleta dos materiais.

Os interessados nos descontos proporcionados pelo projeto também podem consultar o deslocamento diário do Vale Luz Cosern num aplicativo gratuito para smartphones (disponível para os sistemas Androide, IOS e Windows Phone). Basta procurar “Vale Luz” nas lojas de compras dos aplicativos e baixar gratuitamente o app.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Cosern

8

Abr

Mundo corporativo

Google lança aceleradora de startups no Brasil; empresas selecionadas terão mentoria e novas tecnologias

A concepção de startups vem se configurando como uma boa iniciativa para aqueles que pretendem investir em um novo negócio. E é com essa ideia que o Google acaba de anunciar o lançamento no Brasil de um programa focado em ajudar esse tipo de empresa a desenvolver produtos e tecnologias, o Launchpad Accelerator São Paulo.

O Brasil é o terceiro país no mundo a receber esse projeto do Google. Antes, já foram contemplados Israel e Nigéria. O programa terá sua sede no Campus São Paulo, um espaço do Google na capital paulista. O objetivo da empresa é fornecer apoio a 35 startups e as inscrições da primeira turma participante vão até 23 de abril deste ano. As startups que forem selecionadas começam a desenvolver seus projetos, juntas ao Google, no dia 14 de maio.

Com duração de três meses, o programa vai oferecer suporte técnico, de forma contínua nesse período, para ajudar no prosseguimento de um projeto específico, definido no começo do programa, através de mentoria de especialistas do Google e convidados do mercado, bem como um acesso antecipado a novas tecnologias da empresa.

“Além disso, as startups também receberão entre 20 mil e 100 mil dólares créditos de produtos Google e suporte dedicado. Como é focado no desenvolvimento de uma tecnologia, o programa não conta com espaço de coworking no Campus São Paulo”, relatam Fernanda Caloi e Rodrigo Carraresi, gerentes de programa para startups do Google.

O programa é voltado especialmente para startups que já tenham um modelo de negócio validado e estão aperfeiçoando o ajuste de produto-mercado; que tenham interesse de desenvolvimento de seus produtos aliados as seguintes tecnologias: Inteligência Artificial, Machine Learning, Android, Google Cloud Platform, Web (Progressive Web Apps e Accelerated Mobile Pages) e que possuem a disponibilidade de um líder ou time para participar das atividades durante o programa.

Para saber mais, acesse o link do Launchpad Accelerator: https://developers.google.com/programs/launchpad/accelerator/regional/

3

Abr

Mundo corporativo

Nove lições da Shark Tank Camila Farani para o sucesso no mundo dos negócios

Por Juliska Azevedo

A essência do sucesso empreendedor, seja de quem tem a ideia inicial ou de quem quer investir, foram apontadas ontem pela advogada Camila Farani, investidora anjo que tem em seu portfólio 30 startups e é uma das integrantes do elenco do Shark Tank Brasil.

O programa exibido na Band tornou-se um dos destaques de audiência da TV aberta brasileira, com novos empresários que disputam investimentos – e mentoria – dos tubarões dos negócios como Camila. Ontem (02) ela falou a uma plateia seleta, de empresários e formadores de opinião, no 1º Summit Negócios, na Arena das Dunas (foto).

Com domínio da oratória e da plateia, Camila indicou suas lições para quem quer empreender com sucesso e, ainda, para o investidor que busca uma startup para apoiar financeiramente. Seguem algumas das frases e dicas da Shark Tank no evento:

Ouça equipe, colaboradores, tenha um “conselho”

Camila começou contando que também já fracassou nos negócios. Mas um dos caminhos para começar a enxergar melhor os caminhos, foi passar a ouvir sua equipe. Formar um “conselho” que discutia o serviço e os caminhos do que estava sendo feito, a fez refletir melhor sobre os rumos.

As respostas já estão com você

Mas a Shark Tank lembrou também que é comum, nos aperreios, procurar a falha nos outros – clientes, fornecedores, etc – e não admitir as fraquezas como gestor. “Mas as respostas estão dentro de você”, ressaltou.

Invista em seu propósito de vida

Seu negócio tem que ter a sua cara. Ser o que você gosta, o que acredita. “Martin Luther King dizia ‘eu tenho um sonho’. Ele não falava ‘vou trabalhar pelo sonho de vocês’. O empreendedor tem que ter SEU sonho e fazer dele o propósito de vida”, disse.

Não use mais dinheiro do que precisa

A Shark Tank ressaltou que uma das principais razões da mortalidade de startups é, pasmem, receber de investidores mais dinheiro do que precisa. O empreendedor tem que saber o que precisa fazer com o dinheiro e traçar estratégias para isso. Não pode se deslumbrar e ficar sem metas de retorno definidas para o investidor.

O segredo não está nas respostas – mas no caminho até elas

Camila recomenda: não se preocupe com respostas prontas e imediatas. Curta e aproveite a jornada até chegar no lugar onde deseja com seu negócio.

Estude muito. Estude sempre

Não basta viver com o foco em seu negócio. É preciso dedicar tempo a estudar. Estudar o mercado. Estudar empreendedorismo. Ler de tudo. Saber o que está acontecendo no mundo. Camila Farani dedica pelo menos uma hora por dia para isso. “Onde você me vir parada - aeroporto, por exemplo - pode ter certeza que estarei lendo”, afirmou.

Antes de investir, identifique porque quer fazer isso

É para voltar à ativa? Para diversificar o portfólio? Networking? Desafio intelectual? O investidor também deve saber o porquê de destinar recursos para uma startup. E identificar o perfil que pretende seguir: se vai apenas investir dinheiro, ou também tempo, talento e mentoria.

Seja missionário nos negócios, e não mercenário

O missionário é estratégico, gosta de parcerias, é obcecado pelo cliente, valoriza ideias e procura significado no que faz. O mercenário age por oportunismo, é obcecado pela competição, quer fazer dinheiro (mas sem saber onde quer chegar) e está focado nos demonstrativos financeiros. Ser missionário imprime novo sentido a sua atuação nos negócios.

Quer captar investimentos, se organize!

Quem vai atrás de conquistar um investidor anjo para sua ideia deve se organizar. Ter definido seu modelo de negócio, o mercado que irá atuar, qual seu time de colaboradores, como seu negócio vai se desenvolver e quais as estratégias de crescimento, qual seu diferencial competitivo e de quanto precisa. Procurar investidor sem ter essas respostas é querer que o anjo se atire no escuro.

Os nove pontos são um resumo da abordagem de Camila Farani em uma palestra dinâmica, com a vantagem de quem conhece bem o mundo dos negócios e sabe contar histórias. O evento contou ainda com a palestra motivadora do Coach Rodrigo Peixoto; com a visão de quem conseguiu atrair os investimentos dos tubarões do Shark Tank, os empresários da Greenpalets, André Jimmy e Parizot Magalhães, e com a abertura do jornalista e empreendedor, Jean Valério, idealizador do evento.

 

 

 

2

Abr

Mundo corporativo

Sebrae seleciona e premia startups com impacto social; inscrições até hoje

O Sebrae/RN avisa que se encerra hoje o prazo de inscrição no Programa de Aceleração do SebraeLab Natal - RN, voltado para startups que atuem com negócios digitais de impacto social. Serão selecionados cincos projetos que receberão capacitação do Sebrae no Rio Grande do Norte na área de gestão e também serão premiados com um aporte financeiro que varia de R$ 60 mil a até R$ 100 mil. O edital com as regras da seleção e o formulário de inscrição estão disponíveis no portal www.rn.sebrae.com.br/, na seção 'Licitações e Editais'.

Podem participar projetos de empresas, constituídas há até cinco anos, que desenvolvam modelo de negócio sustentável, escalável e repetível de base tecnológica, preferencialmente na área de software. Enquadrada como Microempreendedor individual (MEI), microempresa ou empresa de pequeno porte, a participante precisa estar sediada no Rio Grande do Norte e ter uma atuação comprovada de impacto positivo em uma comunidade, capaz de melhorar as perspectivas de pessoas em situação de vulnerabilidade social, aliada à possibilidade de geração de renda compartilhada e autonomia financeira aos cidadãos dessa comunidade.

Os negócios de impacto social são aquelas iniciativas financeiramente viáveis sustentáveis com lucratividade e impacto social ou ambiental que contribui para transformar a realidade das populações da base da pirâmide e fomenta o desenvolvimento da economia.

O programa de aceleração do SebraeLab Natal-RN - Negócios de Impacto Social conta com recursos do Projeto de Desenvolvimento de Negócios de Impacto, que investirá nos próximos 24 meses um volume de R$ 8,5 milhões em ações que estimulem as iniciativas de inclusão social ou capazes de solucionar problemas de uma determinada comunidade, fortalecendo o ecossistema de negócios inclusivos no estado nos próximos anos.

23

Mar

Comunicação

Então, vamos falar de... bem... tipo assim: vícios de linguagem!

Qual é o seu vício de linguagem? Aquela palavrinha que você usa sempre como muleta no meio das frases? Não precisa se sentir mal por isso, quase todo mundo tem alguma.

Mania de falar palavrão ou usar interjeições sem sentido como “tipo” são os clássicos. Se os vícios de linguagem podem irritar durante uma conversa informal, imagine no meio de uma apresentação.



O hábito estraga a performance de qualquer palestrante porque é inapropriado, mas principalmente porque gera falha na comunicação. Passa a impressão de insegurança a quem ouve, desconhecimento em relação ao conteúdo e desvia a atenção.

Veja só alguns exemplos:

– “Aaaaaah”, “hã”, “ééééééé”, “hum”, “veja bem”, “né”, “é relativo”: expressões que não significam nada e ocupam os vazios da fala.

– Fazendo modificaçõezinhas nas palavras: o gerúndio e o diminutivo também podem ser um vício de linguagem. Se você faz isso com vários verbos e substantivos, preste atenção – pode estar usando um recurso desnecessário.

– Sentido esvaziado: cuidado ao escolher uma palavra para usar em todas as situações. Um exemplo é o advérbio literalmente. Quantas vezes não ouvimos “literalmente” sem a pessoa querer dizer algo literal?

– Modismos: evite os clichês do momento, como “alinhar”, “compartilhar” e “gratidão”.

Se você tiver algum, não se preocupe! Ter um vício não significa que você é despreparado ou tem déficit de vocabulário. As pessoas que mais sofrem com isso são geralmente aquelas que pensam e falam rápido demais durante a apresentação. É a falsa crença – inconsciente –  de que é preciso falar sem parar. Entrar naquele modo “aperta o play e vai” só atrapalha.


Como e por que eliminar os vícios de linguagem?

A melhor forma de melhorar esse comportamento é FAZER PAUSAS.

Os vícios são justamente a tentativa frustrada de preencher lacunas, respiros, vazios. Geralmente são junções de frases, palavras fora de contexto, emendas de pensamentos. No lugar, que tal silenciar? As pessoas têm medo de perder a linha de raciocínio ou a atenção da plateia, mas não há razão para temer silêncios breves.

O efeito tende a ser o oposto: os apresentadores que utilizam as pausas são mais cativantes. Falas sem afobação transmitem segurança e credibilidade. Se duvidar, assista a um discurso do ex-presidente dos EUA, Barack Obama. Bastam dois ou três segundos, especialmente logo depois de concluir uma ideia.

A pausa facilita o entendimento da mensagem pela audiência, já que o interlocutor tem tempo para processar aquela nova informação. Para o apresentador, é útil como um momento de oxigenação para o cérebro e reestruturação: aqueles poucos segundos em silêncio entre uma frase e outra permitem que você consulte seu arquivo mental e se conecte com o seu roteiro. Além disso, elas podem ser usadas, acredite se quiser, como forma de ênfase. O próprio Obama que citamos acima utiliza muito esse recurso!

Outras dicas práticas são ler mais em voz alta ou ler para alguém com mais frequência, seja um colega ou um familiar, e ensaiar a apresentação sem decoreba. Decorar é armadilha certa para, ao esquecer uma só palavra, já substituí-la por outra bem vazia, só tentando ganhar tempo.

Ao eliminar vícios para uma apresentação, você pode eliminar muletas usadas em todas as outras conversas da sua vida!


Fonte: SOAP (State of the Art Presentations) - Texto e imagem publicados originalmente em http://soap.com.br/blog/entao-veja-bem-e-hora-de-falar-de-hum-tipo-vicios-de-linguagem?&&+Station