Jornalismo

25

Abr

Jornalismo

IstoÉ demite jornalistas e fecha as portas de sucursal

Deu no Portal Comunique-se

Localizada em prédio comercial na Asa Sul, a sucursal da IstoÉ teve sua operação encerrada na segunda-feira, 22. O fim das atividades da redação da revista semanal em Brasília foi confirmada por quem vivenciou tal desfecho. Diretor da sucursal até então, Rudolfo Lago falou sobre o tema. Demitido, ele lamentou a situação e colocou em xeque o futuro da Editora Três. Além dele, outros profissionais baseados no Distrito Federal foram dispensados.

“Não tenho a menor dúvida de que é um passo célere para o fim da revista e da Editora Três. Tomou-se também a decisão de acabar com a revista Planeta, a primeira revista da editora fundada por Domingo Azulgaray. A decisão tomada hoje é meio como extirpar metade das funções vitais de um corpo para evitar a evolução de um câncer. Até pode diminuir a evolução do câncer. Mas o corpo pela metade não vai sobreviver por muito tempo”, publicou Rudolfo Lago em seu perfil no Facebook. Na postagem, deu a entender que a publicação semanal pode ser considerada um paciente em estado terminal.

Em contato com a reportagem do Portal Comunique-se, Rudolfo Lago informa que o processo para descontinuar o trabalho da equipe foi rápido. Ainda na condição de liderança da sucursal, ele recebeu telefonema na manhã de segunda. Do outro lado da linha estava alguém (que prefere não revelar o nome) da direção da Editora Três em São Paulo. A conversa não foi para discutir pauta ou algo do tipo. O jornalista apenas recebeu uma ordem: comunicar que o escritório seria fechado. A partir daquele instante, a produção de conteúdo cessou. “Desde então, não trabalhamos mais”, comenta. “De tarde, já tínhamos assinado as rescisões”, pontua.

Enxuta, mas eficaz

Além de Rudolfo Lago, a sucursal da IstoÉ em Brasília contava com mais dois jornalistas: os repórteres/editores Ary Filgueira e Wilson Lima. Filgueira também foi demitido. Lima, por sua vez, segue como contratado da Editora Três — e deverá trabalhar no sistema home office a partir de agora. Fora o trio, o espaço contava com a presença de Suely Melo como secretária de redação. Conforme destaca o agora ex-diretor, ela (que tem 15 anos de casa) seguirá na empresa pelos próximos dias, para finalizar questões burocráticas sobre o fim do escritório.

Com pouco mais de um ano à frente da hoje extinta sucursal brasiliense da IstoÉ, Rudolfo Lago faz questão de valorizar o trabalho da equipe. Mesmo com poucas pessoas, pautas produzidas pelo time vinham tendo relevância no impresso e no digital da marca. Também era do time da capital federal que, segundo ele, surgiam os conteúdos que faziam o título ganhar destaque junto a outros veículos de comunicação.

Leia mais em: https://portal.comunique-se.com.br/istoe-demite-jornalistas-e-fecha-as-portas-da-sucursal-de-brasilia/?info&utm_campaign=newsletter_240419&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

24

Abr

Jornalismo

Seminário Internacional Fake News e Eleições contará com a participação de especialistas internacionais

A programação do Seminário Internacional Fake News e Eleições, que será realizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nos dias 16 e 17 de maio, já pode ser acessada no hotsite criado para a divulgação do evento, que reunirá alguns dos maiores especialistas no tema. As inscrições para o seminário também já estão abertas e devem ser feitas por meio da página.

O seminário será aberto oficialmente na quinta-feira (16), às 19h, pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber. Também comporão a mesa de abertura a chefe-adjunta da Delegação da União Europeia no Brasil, ministra Claudia Gintersdorfer, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

Em seguida, o secretário-geral da Federação Europeia de Jornalismo (EFJ), Ricardo Gutiérrez, fará a palestra magna que dará início ao seminário. O evento ainda reunirá dirigentes do Facebook, Google, Twitter e WhatsApp; especialistas do Departamento Federal de Investigação dos EUA (FBI), da Polícia Federal e do Poder Judiciário; além de representantes da imprensa, de universidades e de institutos de checagem nacionais e internacionais, entre outros convidados.

23

Abr

Jornalismo

Prêmio Estácio de Jornalismo 2019 abre inscrições

Instituição educacional, a Estácio volta a marcar presença em prol da imprensa brasileira. Desde a última semana, a empresa abriu inscrições para a mais nova edição de sua premiação voltada a reportagens sobre o ensino superior no país. Dessa forma, comunicadores têm até 8 de julho para inscrever trabalhos no Prêmio Estácio de Jornalismo 2019. Serão reconhecidas matérias em impresso, internet, rádio e TV, nas divisões nacional e regional. No montante, R$ 125 mil serão distribuídos.

O Prêmio Estácio de Jornalismo conta com plataforma online exclusiva para inscrição por parte dos jornalistas espalhados por todo o país. Para uma reportagem ter chance de concorrer, é necessário que ela tenha sido veiculada originalmente de 3 de julho de 2018 a 6 de julho de 2019. Segundo o próprio grupo educacional, o processo para registrar trabalhos na disputa é fácil e virtualmente seguro. Cada concorrente (individual ou equipe) pode cadastrar até cinco trabalhos diferentes.

“O prêmio está em linha com nosso propósito de ‘Educar para Transformar’ e é com muito orgulho que chegamos à nona edição. Temos o desafio de promover o debate sobre educação e também reconhecer a importância do trabalho dos jornalistas que sempre colocam o ensino superior em pauta. Além disso, o programa proporciona a oportunidade de participação e interação de nossos professores e alunos de comunicação em fases da organização do evento. Para os estudantes em especial, é inspirador ter acesso aos conteúdos produzidos e contato com profissionais talentosos do meio jornalístico”, comenta a vice-presidente de relações institucionais e sustentabilidade do Grupo Estácio, Cláudia Romano.

As categorias

Neste ano, o Prêmio Estácio de Jornalismo contará com quatro categorias na divisão nacional e outras quatro em regional. O chamado “Grande Prêmio Estácio de Jornalismo” também será mantido — com o ganhador sendo contemplado com R$ 25 mil. Todos os vencedores receberão troféus e certificados.

Fonte: Portal Comunique-se, disponível em: https://portal.comunique-se.com.br/premio-estacio-de-jornalismo-2019/

18

Abr

Jornalismo

Brasil piora em ranking de liberdade de imprensa que aponta violência e discursos de ódio contra imprensa em vários países

O discurso do ódio, em parte promovido por líderes políticos de vários países, contra os jornalistas se transformou em violência em todo o mundo, mostra a edição de 2019 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa, publicado ontem (19) pela organização Repórteres sem Fronteiras (RSF). O Brasil caiu três posições no ranking e, agora, ocupa o 105º lugar, cada vez mais próximo da zona vermelha da classificação (que indica situação difícil para profissionais de imprensa). Ameaças, insultos e agressões fazem agora parte dos “riscos ocupacionais” da profissão em muitos países, afetando também os profissionais brasileiros. Há, consequentemente, um aumento do medo na profissão.

No Brasil, documento do Repórteres Sem Fronteiras classifica a eleição de Jair Bolsonaro em outubro de 2018, após uma campanha marcada por desinformação, ataques à imprensa e desprezo pelos direitos humanos, como um prenúncio de um período sombrio para a democracia e a liberdade de expressão no país. “Em um país onde dois terços da população se informam pelas redes sociais, a plataforma de mensagens WhatsApp desempenhou um papel central na campanha (...) e tomou o lugar das fontes tradicionais de informação”, afirma o relatório. “Nesse contexto tenso, os jornalistas brasileiros tornaram-se um alvo preferencial, e são regularmente atacados por grupos disseminadores de ódio, especialmente nas redes sociais.”

Na Venezuela, a situação é igualmente preocupante. Este ano, o país perdeu mais cinco posições e se aproxima perigosamente da parte mais baixa do ranking (que avalia a situação do jornalismo anualmente em 180 países e territórios), em 148º lugar. Em 2018, a repressão se intensificou contra a imprensa e a RSF registrou um número recorde de detenções arbitrárias e casos de violência contra jornalistas praticados por forças de segurança e pelos serviços de inteligência. “Houve uma migração em massa de jornalistas mais jovens”, explicou ao jornal O Globo a jornalista Luz Mely Reyes, uma das criadoras do site Efecto Cocuyo. “Além da crise do modelo jornalístico, que é internacional, e da crise econômica interna, há perseguição e censura prévia, levando muitos profissionais a deixarem o país”.

No ano passado, a Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela ainda suspendeu o sinal de canais de rádio e televisão considerados muito críticos, e dezenas de jornalistas estrangeiros foram detidos, interrogados e deportados. A deterioração da situação levou muitos profissionais de imprensa a deixarem o país para fugir de ameaças e preservar sua integridade física.

Este ano, o continente americano registrou a maior degradação do indicador regional, um resultado que não se deve apenas ao mau desempenho no Brasil e na Venezuela, mas também em países como Nicarágua e até Estados Unidos, hoje em 48º lugar no ranking. O país, onde um clima cada vez mais hostil se instalou na esteira da postura do presidente Donald Trump frente aos meios de comunicação, perdeu três posições em 2019 e caiu na zona laranja, onde se situam nações consideradas problemáticas para o exercício do jornalismo.

A Nicarágua, que caiu 24 posições, sofreu uma das quedas mais significativas em 2019. Lá, os jornalistas que cobrem os protestos contra o governo de Daniel Ortega, vistos como oponentes, são frequentemente agredidos. Muitos deles foram forçados ao exílio para escapar de ameaças e acusações de envolvimento com o terrorismo.

O continente abriga também um dos países mais mortais do mundo para exercer a profissão, o México, onde pelo menos dez jornalistas foram assassinados em 2018. Entretanto, a chegada ao poder do presidente Andrés Manuel López Obrador, em dezembro de 2018, após uma campanha eleitoral marcada por numerosos ataques a jornalistas, acalmou em alguma medida as relações entre o poder público e a imprensa mexicana, mostra o relatório. A transição política, junto a uma diminuição relativa no número de assassinatos no país (onze casos em 2017), justificam um ligeiro avanço do país no ranking, subindo três posições.

Na Europa, ataques verbais contra a profissão e uma retórica antimídia de maneira geral também estão cada vez mais presentes em muitas democracias, indica o texto publicado nesta quinta-feira. “Os jornalistas são declarados indesejados, ameaçados, e são insultados por personalidades que estão no mais alto nível do poder”.

A tendência está crescendo, particularmente na França, onde o líder do partido  França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, declarou que o ódio aos jornalistas era “saudável e justo”. No país, o ódio à mídia, uma das principais características da raiva dos “coletes amarelos”, é a ilustração mais preocupante disso, e foi brutalmente manifestada com agressões e intimidações sem precedentes. Uma repórter da “La Dépêche du Midi“ chegou a ser ameaçada de estupro e insultada por uma horda de manifestantes revoltados em Toulouse em janeiro.

O documento da RSF mostra ainda que o número de países onde os jornalistas podem exercer com total segurança sua atividade profissional continua diminuindo, enquanto os regimes autoritários reforçam seu controle sobre os meios de comunicação. É o caso da Rússia, em 149º lugar, onde o Kremlin aumentou a pressão contra a mídia independente na Internet, com prisões, buscas arbitrárias e leis mordaças.

A África, por sua vez, teve a menor degradação regional da edição de 2019 do ranking. Uma mudança de regime permitiu que a Etiópia esvaziasse suas prisões de jornalistas e desse um salto espetacular de 40 posições. Foi também uma alternância política que permitiu a Gâmbia apresentar uma das altas mais importantes do relatório, subindo 30 posições.

Apenas 24% dos 180 países e territórios exibem uma situação considerada "boa" ou "relativamente boa" (categorias respectivamente branca e amarela na escala de cores do Ranking) em comparação com 26% no ano passado. Os Estados Unidos (48º), onde um clima cada vez mais hostil se instalou na esteira da postura do presidente Donald Trump frente aos meios de comunicação, perderam três posições em 2019 e caíram na zona laranja, onde se situam os países considerados problemáticos para o exercício do jornalismo.

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/18937-brasil-piora-em-ranking-de-liberdade-de-imprensa-que-revela-violencia-insuflada-por-discurso-de-odio-contra-jornalistas-em-todo-o-mundo.html

17

Abr

Jornalismo

Câmara aprova projeto que institui a campanha “Coração de Mulher”

A Câmara Municipal aprovou na tarde de ontem (16), dois projetos de lei que priorizam os atendimentos em saúde das mulheres, crianças e adolescentes da nossa cidade. De autoria do vereador Chagas Catarino (PDT), o Projeto de Lei Nº 101/2018, institui a Campanha “Coração de Mulher” na rede básica de saúde da capital.

O objetivo da ação é transformar o dia 29 de setembro em um dia voltado especialmente para atender à saúde das mulheres das comunidades com atividades educativas, ações preventivas em saúde e atendimentos médicos especializados na rede municipal.

“A gente sabe da dificuldade da mulher ter um dia especial para fazer um exame de rotina e o dia 29 de setembro, que é a o dia mundial do coração, foi escolhido como a data que vai garantir principalmente as mulheres das comunidades, as donas de casa, a oportunidade de realizar um acompanhamento médico e preventivo”, ressaltou o vereador Chagas Catarino.

De autoria do vereador Bispo Francisco de Assis (PRB), a Câmara aprovou o Projeto de Lei Nº178/2018, que garante que a Prefeitura do Natal doe gratuitamente aos alunos regularmente matriculados no ensino fundamental do município, aparelhos auditivos.

De acordo com o vereador propositor da Lei, o objetivo é garantir que as crianças mais carentes que possuem problemas auditivos tenham a chance de poder ouvir, garantindo assim mais saúde e também melhorias no rendimento escolar.

“A gente sabe que muitas crianças possuem dificuldade de ouvir na escola e elas não vão possuir um bom desempenho. Tendo em vista que o valor de um aparelho auditivo pode custar até 15 mil reais, eu criei esse projeto para que a Prefeitura se responsabilize e as crianças tenham esse direito. Uma questão de saúde e de educação”, disse o Bispo Francisco de Assis.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Durante a Sessão Ordinária também ficou definido que na próxima terça-feira (23), às 09 horas da manhã, a Câmara Municipal irá promover uma Audiência Pública para tratar da situação dos transportes opcionais da capital. A iniciativa foi do vereador Raniere Barbosa (AVANTE) e foi acatada pela Mesa Diretora da Câmara.

17

Abr

Jornalismo

Aneel reajusta tarifas de energia na Bahia, RN, Sergipe e Ceará

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, ontem (16), um reajuste tarifário nas contas de luz de consumidores da Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará. Os novos valores começarão a ser cobrados a partir do dia 22.

Para os consumidores residenciais atendidos pela distribuidora de energia baiana Coelba, o reajuste médio será de 6,22%. Para os consumidores atendidos em baixa tensão, o aumento médio, residenciais e comerciais será de 6,67%. Já para os consumidores atendidos em alta tensão, industriais, o aumento será de 5,09%. A empresa atende 6 milhões de unidades consumidoras.

Para os consumidores sergipanos, atendidos pela distribuidora Energisa Sergipe, o reajuste médio para os consumidores residenciais será de 3,04%. Para os atendidos na baixa tensão, tanto comerciais, quanto residenciais, o reajuste será de 3,33%. Para os da alta tensão, será de 1,84%. A empresa atende 778,9 mil unidades consumidoras localizadas em 62 municípios do estado.

Já o reajuste dos consumidores da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), terá efeito médio de 4,73%. A concessionária atende 1,4 milhão de unidades consumidoras localizadas em 167 municípios do estado.

A Aneel também aprovou a revisão tarifária periódica da Enel Ceará. O reajuste será de 7,39% para os consumidores residenciais. Para os atendidos na alta tensão será de 7,87% e para os atendidos na baixa tensão, de 8,35%. A concessionária atende cerca de 3,5 milhões de unidades consumidoras localizadas em 184 municípios.

De acordo com a agência, a revisão tarifária periódica “reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica”. Para a Enel as revisões ocorrem a cada 4 anos.

16

Abr

Jornalismo

Abraji se pronuncia contra censura do STF a Revista Crusoé

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), se pronunciou em seu portal a respeito do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a disseminação de “fake news” contra os ministros do próprio tribunal. Confira a nota na íntegra:

O ministro do STF Alexandre de Moraes determinou, nesta segunda-feira (15), que o site O Antagonista e a revista Crusoé retirem do ar conteúdo relacionado à reportagem “O amigo do amigo de meu pai” (capa da mais recente edição da Crusoé), que trata de supostas relações entre o presidente do Supremo, Antonio Dias Toffoli, e a empreiteira Odebrecht.

Na mesma decisão, Moraes determinou que a Polícia Federal intime “os responsáveis” pelo site e pela Revista “para que prestem depoimentos no prazo de 72 horas”. Caso os veículos não retirem os conteúdos do ar, receberão multa diária de R$ 100 mil. A decisão faz parte do Inquérito 4781, que foi aberto por Toffoli em 14.mar.2019, tramita em sigilo no STF e é relatado por Moraes.

Segundo o relator, o inquérito trata da “existência de notícias fraudulentas (fake news), denunciações caluniosas, ameaças e infrações revestidas de animus caluniandi, diffamandi ou injuriandi, que atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares, extrapolando a liberdade de expressão”.

A reportagem da Crusoé apontou a existência de um documento no qual o empreiteiro Marcelo Odebrecht, em resposta a questionamentos da Polícia Federal no âmbito das investigações da Operação Lava Jato, revela que o codinome “o amigo do amigo de meu pai” se refere a Toffoli. O codinome havia sido usado em emails trocados entre Marcelo Odebrecht e executivos da empreiteira.

Após a publicação da reportagem, Toffoli solicitou a Moraes “a devida apuração das mentiras recém divulgadas por pessoas e sites ignóbeis que querem atingir as instituições brasileiras”.  Moraes, ao determinar que a reportagem fosse retirada do ar, considerou que “há claro abuso no conteúdo da matéria veiculada”  –  sem explicar em que consiste tal abuso. O ministro afirmou ainda que se trata de “típico exemplo de fake news”  – sem esclarecer como o tribunal conceitua “fake news”, já que não há consenso sobre o tema nem entre especialistas em desinformação.

O único elemento que Moraes cita para qualificar a reportagem como falsa é uma nota na qual a Procuradoria Geral da República afirma não ter recebido informação sobre os esclarecimentos de Marcelo Odebrecht. A Crusoé, em seu texto, diz que “cópia do material”  foi remetida para a PGR.

Embora esse seja um aspecto secundário da reportagem, Moraes afirma que “obviamente o esclarecimento feito pela Procuradoria Geral da República torna falsas as afirmações veiculadas na matéria”. O documento citado pela Crusoé não apenas existe como está disponível na internet. A íntegra foi também publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo. 

É grave acusar quem faz jornalismo com base em fontes oficiais e documentos de difundir “fake news”, independentemente de o conteúdo estar correto ou não. Mais grave ainda é se utilizar deste conceito vago, que algumas autoridades usam para desqualificar tudo o que as desagrada, para determinar supressão de conteúdo jornalístico da internet. O precedente que se abre com essa medida é uma ameaça grave à liberdade de expressão, princípio constitucional que o STF afirma defender. 

Também causa alarme o fato de o STF adotar essa medida restritiva à liberdade de imprensa justamente em um caso que se refere ao presidente do tribunal. A Abraji apela ao Supremo Tribunal Federal para que reconsidere a decisão do ministro Alexandre de Moraes e restabeleça aos veículos atingidos o direito de publicar as informações que consideram de interesse público.

Diretoria da Abraji, 15 de abril de 2019.

16

Abr

Jornalismo

Doação de parte do Imposto de Renda pode ajudar crianças e adolescentes do RN

Até o dia 30 de abril, os contribuintes potiguares poderão destinar até 3% do seu imposto de renda de pessoa física para projetos que ajudam crianças e adolescentes no Rio Grande do Norte, através do Fundo da Infância e Adolescência – FIA. Um exemplo de aplicação desses recursos é o projeto Viver Feliz, criado pela Casa Durval Paiva, visando ampliar o trabalho desenvolvido na classe domiciliar da instituição.

O projeto Viver Feliz foi desenvolvido com o objetivo de universalizar o acesso da criança e do adolescente às políticas culturais, nas suas diversas expressões e manifestações, considerando sua condição de desenvolvimento e potencial criativo, bem como, a sua permanência na escola.

O projeto também potencializa a educação através de práticas pedagógicas complementares ao currículo ofertado na escola formal, contribuindo para o desenvolvimento educacional e humano de crianças e adolescentes em tratamento do câncer e de doenças hematológicas crônicas.

A dedução de doações ao Fundo da Criança e do Adolescente no Imposto de Renda está prevista no Art. 260 do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA e em legislação tributária específica, que regulamenta a contribuição de pessoas físicas e jurídicas.

Portanto, parte do imposto de renda devido de pessoas físicas e jurídicas pode ser destinada aos programas sociais de promoção e proteção dos direitos de crianças e adolescentes.

Para doar, basta fazer a declaração normalmente e apurar o imposto de renda pelo formulário completo. Ao final da declaração, clicar em Resumo da Declaração (Doações diretamente na declaração - ECA). Em seguida, escolher o nível de doação pretendido, selecionando o Estado: Rio Grande do Norte e o município de localização: Natal. Depois é só informar o valor a ser doado e confirmar.

Ao final, o programa emitirá um DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) - sob o código 3351. O próprio programa da Receita Federal informa automaticamente o valor que pode ser doado com a dedução. Após imprimir o DARF, o contribuinte poderá pagar o documento até o último dia de entrega da declaração.

15

Abr

Jornalismo

Gasto do Governo Federal com publicidade dispara no 1º trimestre, aponta UOL. Record supera Globo

Deu no Portal UOL:

Os gastos em publicidade do primeiro trimestre do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) cresceram 63% em relação ao mesmo período do ano anterior e chegaram a R$ 75,5 milhões. Os dados foram obtidos a partir de um levantamento feito pelo UOL com base em informações da Secom (Secretaria Especial de Comunicação), vinculada ao Palácio do Planalto.

O levantamento mostra também que nos três primeiros meses do governo Bolsonaro, a Record passou a Globo e foi o grupo de comunicação que mais recebeu verbas publicitárias do governo. É a primeira vez que ocorre essa inversão em ao menos dois anos, segundo as análises por trimestre.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Secom informou que os pagamentos feitos no primeiro trimestre são referentes a despesas contratadas na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB) e que o presidente Jair Bolsonaro autorizou, até agora, o gasto de R$ 12 milhões referentes à campanha publicitária da reforma da Previdência.

O levantamento feito pelo UOL teve como base os gastos feitos pela Secom. Esses dados são compilados em um site alimentado pelo governo. Ele não inclui os gastos em publicidade feito por ministérios e pelas empresas estatais, cujos dados são armazenados em diferentes separados.

Os dados indicam que os gastos da Secom com publicidade institucional saíram de R$ 44,5 milhões no primeiro trimestre de 2018 para R$ 75,5 milhões no mesmo período de 2019.

Esses valores são referentes aos gastos do órgão com o pagamento de agências de publicidade, pesquisas de opinião pública, comunicação digital e repasses a veículos de comunicação em todo o Brasil. Corrigindo os números pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que no período variou 4,2%, chega-se a um aumento de 63% entre um ano e outro.

Na comparação com o mesmo período de 2017, o crescimento é ainda maior. Nos primeiros três meses daquele ano, a Secom gastou R$ 35 milhões. Na comparação entre os gastos em 2017 e 2019, o crescimento é de 101%, já descontada a inflação no período.

Os levantamentos foram feitos entre os anos de 2017 e 2019 porque o sistema alimentado pelo governo só passou a compilar informações detalhadas sobre os gastos da secretaria a partir de janeiro de 2017, após a emissão de uma instrução normativa do então Ministério do Planejamento, absorvido posteriormente pelo Ministério da Economia.

Record e SBT passam a Globo em 2019

A comparação entre 2017 e 2019 mostra que, neste ano houve uma aparente quebra no padrão de distribuição das verbas publicitárias repassadas pela secretaria de comunicação do governo.

Os dados mostram que em 2017 e 2018, a Globo encontrava-se isolada na liderança do bolo publicitário, e que Record e SBT se revezavam em segundo lugar. Em 2017, por exemplo, a Globo faturou R$ 6,9 milhões no primeiro trimestre. Em segundo lugar ficou o SBT, com R$ 1,34 milhão. Em terceiro, ficou a Record com R$ 1,21 milhão.

Em 2018, o padrão se manteve. A Globo faturou R$ 5,93 milhões nos três primeiros meses do ano. Em segundo lugar ficou a Record, com R$ 1,308 milhão. Em terceiro ficou o SBT com R$ 1,1 milhão.

Em 2019, o padrão mudou. Em primeiro lugar ficou a Record, com R$ 10,3 milhões. Em segundo, veio o SBT, com R$ 7,3 milhões. Em terceiro veio a Globo, com R$ 7,07 milhões.

Para superar a Globo, Record e SBT tiveram crescimentos exponenciais de seus faturamentos publicitários junto à Secom. Em relação a 2018, o crescimento do faturamento publicitário da Record junto à Secom no primeiro trimestre de 2019 foi de 659%, valor já considerando a variação da inflação no período.

A Rede Record é ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, comandada pelo bispo Edir Macedo. O religioso declarou apoio à candidatura de Bolsonaro à Presidência em setembro do ano passado.

Desde que assumiu o poder, o presidente já concedeu duas entrevistas exclusivas à rede. O SBT também experimentou um crescimento exponencial no período: 511%. Enquanto isso, o faturamento dos veículos das Organizações Globo cresceu 19%, saindo de R$ 5,9 milhões para R$ 7,07 milhões.

Bolsonaro prometeu cortar gastos

Uma das promessas de Bolsonaro em sua campanha à Presidência foi cortar gastos referentes à publicidade governamental. No início do ano, ele chegou a propor uma mudança no sistema de redirecionamento da verba estatal para veículos de comunicação.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, essas mudanças seriam uma estratégia para acabar com o predomínio da Globo no faturamento da verba publicitária do governo.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto disse que os pagamentos feitos no primeiro trimestre do ano não têm relação com ações determinadas por Bolsonaro.

"Primeiramente, é necessário esclarecer que os valores indicados pelo jornalista se referem aos pagamentos realizados pela veiculação de campanhas publicitárias autorizadas e executadas em anos anteriores, e, portanto, sem relação com os investimentos previstos para a publicidade em 2019", disse.

A assessoria informou que a estimativa de gastos da Secom para todo o ano é de R$ 100 milhões. Sobre o aumento de 659% no volume de repasses da Secom para a Record e de 511% para o SBT, o órgão disse apenas que os pagamentos são feitos após a comprovação da veiculação e que eles são feitos por ordem cronológica.

A reportagem enviou questionamentos às assessorias de imprensa da Record e do SBT, mas até a última atualização desta matéria, não obteve resposta.

Fonte: UOL, disponível em: https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/04/15/gastos-publicidade-governo-bolsonaro-crescem-r-755-mi-record-lidera.htm

15

Abr

Jornalismo

Jornalista Michelle Rincon pede demissão após quase 22 anos de Globo

Surpresa aos telespectadores da InterTV Cabugi: a jornalista Michelle Rincon, com quase 22 anos na emissora, pediu demissão. Apresentadora experiente e repórter de rede da Globo, Michelle deixa a TV e irá se dedicar a assessoria de imprensa no ramo corporativo - área em que concluiu especialização acadêmica na UNP, há alguns anos.

A jornalista Thaísa Galvão registrou, em primeira mão em seu blog, a mensagem que Michelle deixou aos colegas no grupo de WhatsApp da emissora: “Bom dia, com alegria, amadinhos energéticos! Desde agosto de 1997 a Intertv foi meu local de trabalho. Mas chegou a hora de assumir novos desafios. Meu ciclo na empresa se fechou e pedi pra sair. Devo cumprir o aviso prévio e me desligar efetivamente no dia 11 de maio. Até lá vou abraçar e agradecer pessoalmente pela parceria de cada um”.

Atualmente, Michelle vinha dividindo a apresentação do Bom Dia RN com Murilo Meireles. Provavelmente com a mais longeva presença em vídeo na TV potiguar, a experiência e presença profissional da jornalista já era “uma marca” da InterTV. Sem dúvida, uma perda para a emissora e os telespectadores.

15

Abr

Jornalismo

Era das Fake News: Confiança nas notícias em geral é baixa entre os brasileiros

A pesquisa Datafolha, realizada pelo instituto nos dias 2 e 3 de abril, mediu o nível de confiança nas notícias divulgadas tanto pelas redes sociais como pela imprensa tradicional. Entre os entrevistados, 63% afirmaram confiar em algumas notícias recebidas pelas redes sociais; 5% disseram acreditar na maioria; 2%, em todas, e 21% não têm confiança em nada do que veem.

Considerando a imprensa profissional, os percentuais de confiança são de 5% (todas), 17% (maioria), 61% (algumas) e 14% (nenhuma). A desconfiança em relação às informações divulgadas pelas redes sociais é maior entre os estratos mais escolarizados e com renda familiar mais alta. Na média geral, prevalece a baixa confiança tanto na imprensa profissional quanto nas redes, dado visto como preocupante por Janoni, do Datafolha. O instituto ouviu 2.038 pessoas, distribuídas em 130 municípios.

Encolhendo e envelhecendo

Pesquisas anteriores, realizadas em diferentes países, mostram que o público do Facebook vem encolhendo e envelhecendo nos países mais ricos. Nos Estados Unidos, a mais recente pesquisa bianual “Taking Stock With Teens”, da PiperJaffray, revela que o fenômeno continua a avançar. Em 2013, o Facebook era a rede social preferida dos adolescentes norte-americanos. Em 2014, o Instagram assumiu posto por um tempo antes de ser substituído pelo Snapchat em 2016.

Agora, na primavera de 2019, o Snapchat ainda é o número um para adolescentes nos Estados Unidos, mas o Instagram está se recuperando. A pesquisa mostra que 41% dos cerca de 8 mil adolescentes entrevistados preferem o Snapchat, enquanto 35% dos entrevistados escolheram o Instagram. Eles claramente migraram do Facebook e Twitter, ambos com 6% apenas.

Fonte: ANJ, disponível em: https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/18622-numero-de-usuarios-do-facebook-esta-em-queda-no-brasil-diz-datafolha.html

12

Abr

Jornalismo

Governo Federal detalha regras do ensino domiciliar

O Governo Federal anunciou ontem (11) regras que deverão vigorar no âmbito da educação domiciliar, caso seja aprovado projeto de lei (PL) sobre o assunto assinado nesta quinta (11) pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o PL, a opção por esse modelo de ensino terá que ser comunicada pelos pais do estudante, ou pelos responsáveis legais deste, em uma uma plataforma virtual do Ministério da Educação (MEC). 

Além de comprovar o vínculo com o aluno, os pais ou responsáveis pelo estudante ficam encarregados de apresentar um plano pedagógico individual, detalhando a forma como as aulas serão conduzidas. A orientação do ministério é que o cadastro seja efetuado no sistema de dezembro a fevereiro, preferencialmente. 

De acordo com o MEC, o cadastro deverá ser renovado a cada ano. Também a cada ano, os pais ou responsáveis pelo estudante precisarão apresentar um plano pedagógico correspondente ao novo ano letivo. Somente depois de a documentação e o plano serem analisados é que o MEC irá gerar para o estudante uma matrícula que ateste a opção pela modalidade de educação domiciliar.

O ministério informou que os termos do cadastramento serão divulgados em regulamento próprio. No documento apresentado nesta quinta-feira, o governo destaca que, enquanto a plataforma virtual ainda não estiver disponível, as famílias têm assegurado o direito de exercer a educação domiciliar. A previsão é de que a página eletrônica fique pronta no prazo de até 150 dias contados a partir da publicação da lei.

Foto: Arquivo/Agência Brasil / Fonte: Agência Brasil

10

Abr

Jornalismo

Fecomércio RN lança prêmio de jornalismo em comemoração aos seus 70 anos

Em comemoração aos 70 anos da Fecomércio Rio Grande do Norte, a entidade lança o Prêmio Fecomércio RN de Jornalismo – edição especial 2019. Com o tema “Como o Sistema Fecomércio contribui para o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte”, poderão concorrer jornalistas, fotógrafos, ilustradores e estudantes autores de trabalhos veiculados em jornais, revistas, emissoras de rádio, emissoras de televisão e veículos on-line (sites, portais de notícias e blogues), sediados no Rio Grande do Norte.

“A nossa ideia é incentivar a produção de reportagens sobre todas as atividades produtivas dos setores do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, representados pela Fecomércio RN, como também enaltecer àqueles que mantém seus empreendimentos, gerando emprego e renda, mesmo em situações difíceis”, comentou o presidente do Sistema, Marcelo Queiroz.

Os materiais devem ser publicados entre os dias 15 de março e 31 de outubro de 2019, se encaixando em uma das sete categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Fotojornalismo, Jornalismo Online, Ilustração e Estudante.

O prazo de inscrições inicia no dia 2 de setembro, a partir das 8h, encerrando no dia 31 de outubro, às 18h. Os trabalhos devem ser encaminhados ao e mail premiojornalismo@fecomerciorn.com.br, com o nome do autor ou autores; CPF; número do registro profissional de jornalista, radialista ou ilustrador; endereço completo; telefone; e-mail para contato; e categoria que deseja concorrer; além da comprovação de veiculação ou publicação do trabalho produzido. Cada participante pode se inscrever em uma categoria, com, no máximo, dois trabalhos. Acesse o regulamento do prêmio: http://fecomerciorn.com.br/premio/

8

Abr

Jornalismo

Detran/RN informa suspensão da taxa de bombeiros e orienta motoristas a verificarem IPVA no site

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran) informa que o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV), documento anual de porte obrigatório, pode ser obtido após os pagamentos das taxas e tributos (IPVA, DPVAT e Licenciamento). Caso o cidadão queira receber o documento em sua residência deverá pagar a taxa dos correios no valor de R$ 7,00. Caso opte por retirar pessoalmente no Detran, não se faz necessário o pagamento da taxa dos correios.

As guias de pagamento das taxas e tributos NÃO estão mais sendo enviadas para as residências. No entanto, o cidadão poderá emiti-las via site do Detran, via aplicativo do banco, aplicativo do Detran e também nas agências Pag Fácil.

A taxa dos bombeiros é uma taxa que começou a ser cobrada este ano. No entanto, desde sexta feira (05) foi suspensa por decisão judicial, não sendo, no momento, necessário o seu pagamento.

Locais onde o cidadão pode retirar o CRLV: Detran Sede (Natal); Detran - Natal Shopping; Detran- Via Direta (Natal); Ciretrans: Parnamirim, Pau dos Ferros, Mossoró, Caicó e Currais Novos; Grupos Executivos: Assú, Apodi, São Paulo do Potengi e Ceará Mirim.

8

Abr

Jornalismo

Record lança plataforma de branded content do R7 buscando consolidar jornalismo investigativo

Deu no Portal Meio e Mensagem:

A R7 Multiplataforma, área do Grupo Record que une das áreas de receita publicitária e não-publicitária multiplataforma em uma única cadeia de comando, apresenta na segunda-feira, 8, o R7 Estúdio, sua plataforma de branded content.

Em nota, Domingo Fraga, diretor de conteúdo web do Portal R7, afirma que a “ideia do projeto é fortalecer a imagem de que queremos e podemos fazer um jornalismo mais investigativo, contundente e conceitual no digital, o que ainda hoje tem muita gente que acha inviável”.

De acordo com a companhia, o primeiro conteúdo da plataforma, é “O último dos ‘pés vermelhos’” que inclui texto, vídeo e formato especial para as redes sociais. A reportagem relata os últimos nomes vivos da música caipira com o objetivo de mostrar que este gênero musical está, aos poucos, desaparecendo, mas que carrega a raiz da história sertaneja. O R7 promete estrear conteúdos patrocinados por marcas de diferentes setores ainda em abril.

“Como produção especial, o R7 Estúdio atende uma audiência qualificada e gera uma integração da marca contextualizada, proporcionando impacto e engajamento do público”, declara Claudia Caliente, diretora executiva Multiplataforma, em comunicado.

Fonte: Portal Meio e Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2019/04/05/record-lanca-plataforma-de-branded-content-do-r7.html