Educação

12

Jun

Educação

Mais da metade das crianças brasileiras chega ao terceiro ano fundamental sem saber ler

Mais da metade das crianças brasileiras chegam ao final do 3° ano do ensino fundamental sem saber ler e compreender textos variados, o que prejudica o aprendizado dos demais componentes curriculares nas diferentes etapas de formação. É o que revela  a Avalição Nacional de Alfabetização (ANA 2015).

Este e outros desafios do século 21 na alfabetização estão sendo debatidos segunda-feira (10) pelo Instituto Ayrton Senna, que reuniu educadores e especialistas na área para apresentar possíveis caminhos e políticas públicas para que crianças e jovens tenham oportunidade de desenvolver todo seu potencial.

O economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, Ricardo Paes de Barros, apresentou um diagnóstico da alfabetização no Brasil, no qual um dos dados preocupantes é que crianças pobres se alfabetizam um ano mais tarde do que as ricas. "No nosso sistema efucacional, a alfabetização desnivela o ponto de partida, o que é péssimo para quem acredita que a educação é a base para construir uma sociedade mais igualitária", afirmou Barros.

Para o economista, o analfabetismo tem grande impacto enorme sobre o que acontece no dia a dia. "Na hora em que a pessoa sai de casa, vai fazer uma compra, vai pegar um ônibus. Enfim, tem uma consequência de longa duração naquilo que a pessoa vai conseguir alcançar no seu projeto de vida."

O diagnóstico mostra que, no Brasil. 55% das crianças ao final do 3° ano têm proficiência inadequada em leitura e 54% em matemática. A Meta 5 do Plano Nacional de Educação (PNE) é alcançar 0% em 2024.

"Os resultados [do diagnóstico] mostram a importância da alfabetização. E é importante perceber que o número de matrículas está caindo acentuadamente por causa da transição demográfica e porque estamos reduzindo a taxa de distorção idade/série", disse o economista. Ele acrescentou que, com isso, haverá cada vez menos crianças para ser alfabetizadas. "Com o aumento das funções docentes e da qualificação dos professores e com a estabilidade no gasto com a educação, vamos ter mais oportunidades para gerar uma alfabetização de melhor qualidade", afirmou o economista.

Fonte: Agência Brasil

12

Jun

Educação

Museu do Plástico quer conscientizar as pessoas sobre poluição enquanto elas tiram selfies

A proposta de museus e exposições itinerantes no formato pop-up está em alta, principalmente porque as iniciativas já entenderam que o público adora ir a esses eventos e tirar diversas fotos para abastecer o Instagram por um bom tempo. E foi justamente pensando nisso que o Museum of Plastic não economizou no visual instagramável para chamar a atenção do público sobre a poluição com plástico no planeta.

O museu, que fica na região de Soho, em Nova York, é um projeto da incubadora Lonely Whale e co-organizado pela gigante de tecnologia HP, a empresa de mídia Attn:, a Ever & Ever, e a empresa de garrafas reutilizáveis S’well.

O objetivo do projeto é mostrar o impacto que o uso de garrafas plásticas no dia a dia causa nos oceanos e no mundo todo. O museu estimula que os visitantes questionem como eles se hidratam diariamente e saiam da exposição com uma nova determinação.

Todas as obras são realmente de um visual incrível e perfeitas para as fotos. E quem passou pelo museu garante que o que se mais vê por ali são pessoas fotografando tudo, mesmo que, oficialmente, o espaço abra para o público só a partir de amanhã, 08/06.

O espaço interativo foi projetado pela agência Young Hero, e leva os visitantes a uma jornada através do plástico, do problema às soluções práticas que podem ser dadas. Apesar de tudo bonito e descolado, as críticas estão todas ali, só não vê quem não quer.

Foto: Getty Images / Fonte: Portal B9, disponível em: https://www.b9.com.br/109418/museu-do-plastico-quer-conscientizar-as-pessoas-sobre-poluicao-enquanto-elas-tiram-selfies/

11

Jun

Jornalismo

Educadores e jornalistas têm conteúdo afetado por novas práticas do YouTube

Na última semana, o YouTube anunciou novas medidas de moderação de conteúdo com o intuito de coibir a proliferação de vídeos e canais que fizessem apologia à supremacia racial, preconceitos à sexualidade e também à negação de eventos históricos comprovados. Mas, ao que tudo indica, a nova prática está funcionando bem demais: segundo relatos de vários produtores de conteúdo da plataforma, o YouTube está eliminando vídeos e canais inteiros sem avaliar contexto, incluindo aí material informativo e educacional, como vídeos de jornalistas, ativistas e educadores.

O caso mais proeminente é o de Ford Fischer. O youtuber é um jornalista independente que, por meio de seu canal, especializou-se na cobertura política global e pautas sociais, como extremismo e racismo. Em seu currículo no canal, haviam gravações feitas na passeata de supremacistas brancos e neonazistas Unite The Right, em Charlottesville, Virginia, em 2017, bem como diversas edições de Paradas LGBT em vários países. O conteúdo produzido por Fischer é constantemente usado por educadores, seminaristas e palestrantes dos tópicos relacionados.

Dois vídeos de seu canal acabaram removidos do YouTube segundo as novas normas: em um deles, o famigerado supremacista branco Mike Enoch falava à uma plateia, meses antes da passeata Unite The Right. Em outro, Fischer gravou grupos pró-Palestina e pró-Israel se reunindo para debater contra um “negador” do Holocausto Nazista. Como ambos os vídeos podem ser entendidos pelo algoritmo do YouTube como “conteúdo nazista” ou “supremacista”, ambos foram removidos sem consideração ao seu caráter informativo.

Mais além, todo o canal de Fischer foi removido do programa de monetização destinado a youtubers e promotores de conteúdo da plataforma, efetivamente eliminando uma de suas fontes primárias de renda. Fischer argumenta que é injusta a percepção do YouTube em relação ao seu conteúdo, já que ele não prolifera discursos de ódio, mas usa de seus meios para criar material informativo. A “desmonetização” de seu canal não oferece nenhum tipo de recurso a ele.

“Também deveria importar a eles se os criadores de conteúdo estão sendo pagos de forma justa”, ele disse ao The Verge. “Eles não ligam para o suporte econômico da comunidade”. Fischer não está sozinho: Jared Holt, um repórter investigativo que cobre especificamente a extrema direita e a chamada “direita alternativa”, teve um vídeo seu restringido pela plataforma. O vídeo em questão tinha foco em Rick Wiles, um teórico conspiracionista de pautas supostamente antisemitas.

O YouTube não teceu comentários sobre nenhum dos dois casos, mas ressaltou que, pelos seus termos e documentação técnica de moderação, a plataforma depende de times que analisam os vídeos antes de removê-los ou escondê-los.

Segundo a empresa, 99,3% dessas análises vêm de material automaticamente marcado pelo algoritmo de machine learning empregado pela plataforma, mas sempre um analista humano é quem decide pela remoção ou manutenção do material. O YouTube também reconhece que “alguns desses conteúdos possuem valor para pesquisadores e ONGs que buscam entender o ódio para poder combatê-lo, e estamos explorando opções para torná-los disponíveis a eles no futuro”.

Fonte: Portal Canaltech, disponível em: https://canaltech.com.br/internet/educadores-e-jornalistas-tem-conteudo-afetado-por-novas-praticas-do-youtube-141347/

11

Jun

Educação

Começaram as inscrições para o ProUni

Começaram hoje (11) as inscrições do Programa Universidade para Todos (ProUni). Ao todo, serão ofertadas, para o segundo semestre deste ano, 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais e 101.139 parciais. O prazo para participar da seleção vai até 14 de junho. A inscrição deverá ser feita pela internet, no site do Prouni.

Os participantes podem escolher até duas opções de curso. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

As bolsas de estudo ofertadas pelo ProUni são parciais, de 50% do valor da mensalidade, e integrais, de 100%. As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. Já as bolsas parciais contemplaram os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

Podem se inscrever candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Além disso, os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsista integral.

É preciso ter obtido ainda uma nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas obtidas nas provas do Enem. O cálculo é feito a partir da soma das notas das cinco provas do exame e, depois, dividindo por cinco. Outra exigência é a de que o aluno não tenha tirado zero na redação. Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Fonte: Agência Brasil

10

Jun

Educação

Pós de Petróleo inscreve para seleção de mestrado e doutorado

O Programa em Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Petróleo da UFRN está, até o dia 14, com inscrições abertas para seu processo seletivo 2019.2. Serão ofertadas 14 vagas de mestrado e 29 para doutorado distribuídas nas suas quatro linhas de pesquisa: Engenharia e Geologia de Reservatórios; Meio-Ambiente; Automação; e Física.

A seleção terá uma fase única. Os candidatos ao mestrado serão selecionados por meio de uma prova e os de doutorado por meio de análise de currículo, histórico de mestrado e projeto de pesquisa.

O edital e a inscrição no concurso estão na página www.posgraduacao.ufrn.br/ppgc.

10

Jun

Educação

UFRN promove congresso de literatura africana

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), divulgam que os interessados em participar III Congresso Internacional AFROLIC, com apresentação de trabalho em simpósios, devem realizar a inscrição até o dia até 30 de junho.

O III Congresso Internacional AFROLIC – Associação de Professores de Literatura Africana acontece entre os dias 29, 30 e 31 de julho, no Campus Central da UFRN. O evento tem temática voltada à Literatura, Desigualdade, Ensino. O Simpósio propõe discutir, a partir das literaturas africanas e afrobrasileiras, questões relativas às formas de combate às desigualdades geradas pelo preconceito, pelo racismo e pela discriminação em sala de aula.

Mais informações sobre evento pelo e-mail:  afrolic2019@gmail.com.

7

Jun

Educação

Após contingenciamento, UFRN comunica o cancelamento da Cientec 2019

A Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura – Cientec realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN,  foi cancelada por falta de verba para custear a 25ª edição do evento que aconteceria entre os 23 a 25 de outubro. Esse ano o tema seria “Objetivos do desenvolvimento sustentável”. O cancelamento foi informado por meio de nota da universidade. 

O pró-reitor de Extensão, Aldo Aloisio Dantas da Silva, afirmou que a medida foi tomada em virtude do bloqueio orçamentário sofrido pelas instituições federais de ensino superior e que impedem o planejamento do evento. “Lamentamos o cancelamento deste que é o maior evento acadêmico-científico do estado do Rio Grande do Norte, pois sabemos da importância que o mesmo possui para a comunidade acadêmica e potiguar”, acrescentou.

O evento acontece anualmente e tem como base fundamental os anos com o intuito de mostrar as atividades científicas, tecnológicas e culturais da universidade. Nas edições anteriores, o evento aconteceu no formato de pavilhões, localizados nas imediações da Praça Cívica do Campus Central.

7

Jun

Educação

Alunos de escola de Natal são convidados para compor delegação brasileira da Olimpíada Internacional de Matemática, no Japão

Alunos da Escola Canadense de Natal – Maple Bear foram selecionados para integrar a delegação do Brasil para a competição World Mathematics Invitational 2019 – Japão que ocorrerá de 15 a 19 de julho de 2019 naquele país, e que envolve escolas do mundo todo. O convite para a Maple Bear veio graças ao desempenho dos alunos potiguares na edição brasileira da Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras 2019, em abril deste ano.

Um total de 48 alunos da Maple Bear participaram da Olimpíada em abril, sendo 14 do 4º ano fundamental, 14 do 5º ano fundamental e 20 alunos do 6º ano. Com a confirmação do convite para o evento do Japão, a escola analisa junto aos pais a viabilidade para que três alunos integrem a delegação brasileira que irá apresentar-se ao lado de instituições de ensino de diversos países. 

De acordo com a diretora pedagógica Ana Clara Costa, a forma como os alunos estudam matemática na Maple Bear faz toda a diferença para chegar a esse convite. “Nossos alunos aprendem diferentes estratégias para chegar aos resultados, com foco no processo, e estudam através de uma sequência de etapas iniciando pelo concreto, passando pela representação pictorial, até o nível simbólico com o cálculo mental”, explica. 

Ana Clara afirma que os alunos utilizam a linguagem matemática nos eixos de comunicação, resolução de problemas, aplicação de procedimentos e compreensão dos conceitos. “Usar a matemática para a prática cotidiana na vida, é um exercício diário dos nossos alunos na escola”, afirma. 

A diretora pedagógica acrescenta que preparar os alunos da escola para a Olimpíada promove uma grande experiência no treinamento deles para os grandes desafios. “Além disso, sendo um evento internacional, é uma oportunidade de interação educacional e cultural muito enriquecedora”, acredita. 

Sobre a World Mathematics Invitation

Participam da WMI estudantes do mundo todo, desde o Ensino Fundamental até a 3ª Série do Ensino Médio. A WMI é uma iniciativa conjunta da Asian Math Sci League, Thai Talent Training, Malaysia Mathematics Society e Edukultur Indonesia com o objetivo de estimular o interesse pela Matemática e promover a melhoria do seu aprendizado. 

A competição é realizada desde 2013 com a participação anual de milhares de estudantes em mais de 13 países ou regiões do mundo. Participarão este ano da fase final: Austrália, Brasil, Bulgária, Camboja, Casaquistão, China, Cingapura, Coréia do Sul, Estados Unidos da América, Filipinas, Hong Kong, Índia, Indonésia, Irã, Japão, Laos, Macau, Malásia, Myanmar, Nigéria, Tailândia, Taiwan, Turquia e Vietnam.

7

Jun

Educação

Google anuncia Wi-Fi gratuito e programas de educação no Brasil

O Google promoveu ontem (6), o evento Google For Brasil, no Memorial da América Latina, onde apresentou uma série de soluções para usuários, publishers, empreendedores, entidades públicas e marcas parceiras no País. As novidades vão desde um projeto que oferece Wi-Fi gratuito em espaços públicos, programas de alfabetização midiática, desafios para o desenvolvimento de projetos de jornalismo digitais e games, até novas soluções de ativação de voz com o Google Assistant.

Wi-Fi gratuito
O Google Station é um programa que visa oferecer Wi-Fi gratuito em locais públicos como praças e estações de metrô. A primeira cidade a receber a novidade, São Paulo, já conta com 80 pontos de internet ativos em 30 praças e 17 estações da CPTM, além do Parque Ibirapuera. A solução será oferecida em parceria com parceiros como America Net e Linktel. A ideia é expandir a iniciativa para outras cidades do Brasil.

Internet das coisas à brasileira
O Google também anunciou que lança, ao final do mês, uma série de aparelhos inteligentes em parceria com a fabricante de eletrônicos Positivo. O primeiro produto é um celular embarcado com um botão e ferramentas do Google Assistant, que chegará às lojas ao valor de R$ 279. Juntas, as empresas também lançarão produtos como câmeras e lâmpadas domésticas inteligentes a partir de R$ 99.

Educação midiática e jornalismo
A empresa também está reforçando o Google News Initiative no Brasil, com um desafio de inovação que visa alavancar novos modelos de negócio no jornalismo. Os projetos selecionados poderão receber até R$ 1 milhão. Também cria a Incubadora Jornalística de Nativos Digitais, voltada para aceleração de projetos 100% digitais. O Google também investirá R$ 2 milhões em consórcios e associações de jornalismo no Brasil, entre eles a Abraji, Projor e ANJ. Para apoiar empresas já existentes, a plataforma também implementou na semana passada um programa de apoio a assinaturas que envolve oito veículos na América Latina, incluindo quatro brasileiros.

No campo da alfabetização midiática, a companhia lança o projeto EducaMídia em parceria com o Instituto Palavra Aberta. A ideia é criar um material para formação de professores e que possa ser utilizado em escolas públicas. O objetivo é alcançar 5 mil professores e 175 mil estudantes até o final do ano.

Planejamento urbano
O Waze apresentou uma nova plataforma voltada para gestores públicos e profissionais de planejamento urbano, o Waze for Cities Data. A interface de visualização de dados reúne informações sobre trânsito e enchentes, por exemplo, e tem como objetivo fornecer insights para melhorar o planejamento de mobilidade nas cidades. O projeto piloto foi testado no Rio de Janeiro e está sendo expandido para 70 parceiros no Brasil, incluindo as prefeituras de São Paulo, Joinville (SC) e Vitória.

Tecnologia e games
Na área de tecnologia, o Google lança um programa de certificação digital em práticas de TI, em parceria com o Coursera, com duração de oito meses. Os usuários que completarem o curso poderão compartilhar seus currículos diretamente com empresas que oferecem vagas de suporte na área.

Na área de games, a empresa apresenta o Desafio Change The Game. Duas desenvolvedoras, com idade entre 15 e 21 anos, serão selecionadas e seus projetos serão lançadas no Google Play. Outras 500 garotas ganharão aulas online sobre programação. O objetivo é fomentar a igualdade de gênero na área de games.

Compras
A partir de julho, usuários terão acesso a uma vitrine personalizada com produtos de seu interesse no Google Shopping, além de poderem navegar pela plataforma assim que clicarem em uma imagem de um produto.

Além dos lançamentos acima, o Google atualizou seus mecanismos de busca sobre futebol para destacar conteúdo sobre a Copa de Futebol Feminino. Também criou novas ferramentas para empreendedores por meio do Google Meu Negócio. Aos usuários finais, também reforçou os mecanismos de privacidade, de forma a tornar as configurações de segurança mais acessíveis durante a navegação.

Fonte: Portal Meio e Mensagem, disponível em: https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2019/06/06/google-anuncia-wi-fi-gratuito-e-programas-de-educacao-no-brasil.html

6

Jun

Educação

Estácio abre processo seletivo com bolsas de estudos e isenção da taxa de inscrição

As inscrições para o MegaVestibular 2019.2 da Estácio já estão abertas e podem ser feitas por meio do site http://portal.estacio.br/megavestibular. O vestibular, com inscrição gratuita, acontecerá em 8 de junho, próximo sábado, às 10h, 12h, 14h e 16h em todas as modalidades (presencial, EaD e Flex) nas unidades Estácio Ponta Negra, Alexandrino e Zona Norte.

Poderá participar do vestibular qualquer pessoa interessada em ingressar no ensino superior que já possua comprovante e/ou declaração de conclusão do Ensino Médio.

Quem realizar o MegaVestibular para os cursos na modalidade Presencial, EaD e Flex e efetuar o pagamento no ato da matrícula garantirá 50% de desconto na mensalidade (no primeiro ano do seu curso), além de pagar R$49/mês nas duas primeiras mensalidades em (Julho e Agosto), aproveitando a diluição solidária. Somente terão acesso aos benefícios aqueles que realizarem o pagamento do boleto de confirmação de matrícula no dia da ação. Os pagamentos poderão ser realizados, na hora, com cartão de débito ou crédito nas unidades participantes ou via boleto, no mesmo dia.

Para portadores de diploma de ensino superior e para aqueles que fizeram o Enem e desejam ingressar na Estácio, não é preciso prestar o vestibular. No caso do ENEM, basta comparecer em uma unidade munido do boletim (com nota acima de 300 na redação e no mínimo 100 em cada uma das provas objetivas do exame), cópias e originais do RG, CPF, comprovante de residência, histórico de conclusão do Ensino Médio e diploma para quem já fez a primeira graduação.

Ao iniciar seus estudos, o aluno contará com diversas vantagens como material didático digital sem custo; um corpo docente formado por especialistas, mestres e doutores; acervo bibliográfico físico e virtual; orientação de carreira e encaminhamento para o mercado de trabalho, dentre outras vantagens.

6

Jun

Educação

Servidor e estudantes do IFRN produzem conteúdo educativo em Libras

Campus Lajes do IFRN acaba de lançar na rede mundial de computadores produção audiovisual de inclusão, coordenada pelo servidor Leonidas Cândido Araújo. O material produzido pode ser acessado no canal do Youtube FRN Lajes - Tradução Libras. O primeiro vídeo educativo foi feito em libras com o tema "eletricidade". O objetivo é produzir e disponibilizar material educativo com acesso para alunos surdos, contribuindo com os processos de inclusão social desses cidadãos. 

Entre os desafios para a produção de conteúdo, Leonidas aponta a dificuldade para levantar os equipamentos necessários, uma vez que a área audiovisual não integra o foco tecnológico do Campus Lajes. Ainda assim, o servidor pretende dar continuidade ao projeto: "espero permanecer disponibilizando materiais com maior frequência. Também almejamos disponibilizar traduções de outras disciplinas, mas mantendo o foco na utilidade desse material para a comunidade surda". 

Campus Lajes conta com projeto de Extensão "Libras para os surdos em Lajes", sob coordenação de Leonidas. O enfoque do projeto é fazer um levantamento dos surdos, no município, e cadastrá-los para realizar acompanhamentos focados nesse grupo. "No projeto contamos com a ajuda de cerca de 50 alunos voluntários. Entre eles, tivemos estudantes que participaram dos testes de produção do vídeo em libras, em específico, a aluna Daniela Soares, que contribuiu fazendo os subtítulos", destaca o servidor. 

 Acesse: 

A história da eletricidade - Libras  

5

Jun

Educação

IFRN oferta vagas para cursos de graduação via SiSU e pelo ENEM

A Pró-Reitoria de Ensino do IFRN (Proen) divulgou os Editais de nº 23 e 24/2019, referentes às vagas para Cursos Superiores de Graduação ofertados pelo Instituto. No total, são 320 vagas: 260 delas via o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) e outras 60, também com a nota do ENEM, mas com inscrição pelo Portal do Candidato do IFRN. Todas as vagas são para ingresso no segundo semestre.

Inscrições

As inscrições para os interessados no processo seletivo relativo ao Edital n° 23/2019 devem ser efetuadas pela internet, por meio do Portal do SiSU, até o dia 7 de junho de 2019. 

Já as inscrições relacionadas ao Edital de nº 24/2019 devem ser feitas exclusivamente via Portal do Candidato, até o dia 14 de junho, às 17h, horário local.

Vagas

As vagas do Edital 23/2019 (SiSU) são para as licenciaturas em Matemática (Campus Mossoró) e Espanhol (Campus Natal-Central) e para os cursos tecnólogos em Gestão Ambiental (Mossoró), Gestão Ambiental, Gestão Pública e Redes de Computadores (Campus Natal-Central); Marketing (Campus Natal-Zona Norte) e Logística (Campus São Gonçalo).

As vagas do Edital 24/2019 (nota do ENEM pelo Portal do Candidato do IFRN) são para a Licenciatura em Matemática e Gestão Ambiental (Campus Mossoró) e Logística (São Gonçalo do Amarante).

5

Jun

Educação

Brasileiros vencem torneio internacional de robótica no Uruguai

Das oito equipes que representaram o Brasil no Aberto Internacional de Robótica do Uruguai, seis saíram premiadas. A equipe Big Bang, do Serviço Social da Indústria (SESI) de Birigui (SP), foi a grande campeã da competição realizada entre os dias 30 de maio e 1º de junho, em Montevidéu.

A equipe paulista venceu a disputa, que contou com 700 estudantes de países como Alemanha, Argentina, Austrália, Bolívia, Chile, Colômbia, Coreia, Espanha, Estados Unidos, da Estônia, França, Grécia, Israel, Itália, México, Nigéria, Romênia, Rússia, África do Sul e Turquia. Os paulistas também ficaram em 1º lugar na categoria Desafio do Robô.

Os estudantes brasileiros que participaram do torneio têm entre 9 e 16 anos e garantiram vagas para a disputa durante o Festival Sesi de Robótica, em março, no Rio de Janeiro.

"Foi um torneio muito bem organizado, com a participação de mais de 20 países. Nós ficamos muito felizes de ter sido campeões gerais. Os alunos amam o que fazem, nós nem chamamos de trabalho, para nós é um prazer estar dentro da robótica", afirmou Valter Júnior, 37 anos, analista de suporte em informática e técnico da equipe Big Bang.

Fonte: Agência Brasil

4

Jun

Educação

Startup americana realiza primeiro Hackathon sobre inclusão e educação financeira em Natal

Nos próximos dias 7, 8 e 9 de junho, será realizado em Natal o primeiro Hackathon da startup americana fundada pelo potiguar Pedro Moura.  A Flourish atua na área de finanças pessoais. Desenvolvida no formato de uma conta poupança, o propósito da empresa é ajudar pessoas a alcançarem sua segurança financeira, tornando a experiência de poupar mais fácil e divertida.

Durante o evento, que funcionará como uma maratona de programação, os participantes desenvolverão soluções com foco em inclusão e educação financeira. O intuito é unir programadores, designers, pessoas com habilidades em empreendedorismo e curiosos em equipes para uma experiência de aprendizado incrível.

"Como um Potiguar, que saiu do nordeste ainda adolescente, é incrível poder voltar e criar pontes que fomentam inovação, empreendedorismo e um ambiente de colaboração.", afirmou Pedro Moura.

As atividades acontecerão no espaço colaborativo do Sebraelab e contarão com a colaboração de outras empresas e instituições de extrema importância para o ecossistema empreendedor local. O evento conta com o patrocínio da Midway Financeira, Upper Venture Builder, IVIA, além do apoio do Jerimum Valley, Cubo Hub, Mangai Labs, StartUpDays, Papo de Mídias e Pizza Hut.

Para Newton Rocha, CEO da Midway: “Iniciativas como esta da Flourish devem ser incentivadas por grandes empresas como a nossa, promovendo a inclusão e educação financeira, trazendo benefícios para todo o ecossistema.”

O evento privativo para inscritos terá, no domingo, um momento aberto ao público. Será um talk sobre “Aspectos legais no Universo das Startups” e, logo depois haverá a apresentação final dos times. As informações sobre as inscrições estarão disponíveis no instagram @cubohub, parceiro do evento. As vagas serão limitadas.  

4

Jun

Educação

Sisu ofertará 59 mil vagas no segundo semestre

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) vai ofertar 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país no segundo semestre deste ano. As inscrições começaram hoje (4) e podem ser feitas até sexta-feira (7), na página do programa.

O número de vagas aumentou em relação ao ano passado, quando foram ofertadas, no segundo semestre, 57.271. O número de instituições participantes também cresceu, eram 68. Nesta edição, de acordo com o Ministério da Educação, estão disponíveis 64 cursos a mais para os candidatos.

Os estados com mais vagas são Rio de Janeiro, com 12.937, Minas Gerais, com 8.479, Bahia, com 6.745, e Paraíba, com 5.990.

O resultado da chamada regular será divulgado no dia 10 de junho. As matrículas devem ser realizadas de 12 a 17 de junho. O prazo para aderir à lista de espera é 11 a 17 de junho.

Podem participar do Sisu os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio em 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero.

Fonte: Agência Brasil