As inscrições para a terceira edição do Luiza , curso de aceleração em desenvolvimento de software promovido pelo Magalu, já estão abertas. O programa oferece 210 bolsas de estudo exclusivas para mulheres em parceria com a escola Gama Academy.

Nesta edição, a formação terá duas turmas de 105 alunas e o objetivo do projeto é incentivar a entrada do público feminino no setor, já que, atualmente, o mercado de trabalho do segmento ainda é predominantemente masculino. Metade das vagas são destinadas ao público interno do Magalu. Entre as oportunidades reservadas ao público externo, 50% vão para mulheres negras.

Na edição realizada no início de 2021, foram 105 bolsas de estudo. “Por muito tempo não se viu mulheres em áreas técnicas, porque, historicamente, elas tiveram de lutar por espaços dentro e fora das organizações”, diz André Fatala, vice-presidente de plataforma do Magalu. "O Magalu sempre defendeu essa causa: formar desenvolvedoras e novos talentos em tecnologia é parte da nossa contribuição para que haja ambientes de inclusão, igualdade e respeito."

Alunas podem ser contratadas

As participantes poderão escolher entre a linguagem Node.js e a ferramenta de infraestrutura Google Cloud. Não é necessário ter formação na área ou curso superior para ser selecionada.

O programa tem duração de cinco semanas e as aulas ocorrem de forma online de segunda a sábado. São mais de 100 horas de conteúdo e um desafio final, com base em um case real da companhia, leva à conclusão do curso. As bolsistas terão, ainda, uma sessão de mentoria com profissionais do Luizalabs e um workshop de treinamento para participação em processos seletivos.

Mais de 30 alunas de edições anteriores do Luiza já foram contratadas pelo Magalu. “Além de ser uma oportunidade de aprender com a equipe do Luizalabs, o Luiza é uma chance para mulheres que desejam mudar de carreira ou conquistar uma vaga em uma empresa de tecnologia”, afirma Patricia Pugas, diretora-executiva de gestão de pessoas do Magalu.