A população brasileira envelhece a cada ano, aponta levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), enquanto o mercado de trabalho se fecha para pessoas com mais de 50 anos. Foi pensando neste público que Morris Litvak criou a Maturijobs, plataforma que oferece profissionais e vagas para essa faixa etária para empresas. A empresa se enquadra no oitavo dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde 2015, o Sebrae é parceiro da ONU no fomento aos negócios de impacto social e ambiental. 

A ideia de Morris de criar um negócio voltado para público diferenciado surgiu após a morte da avó, Keila, que aos 80 anos tinha uma vida ativa. “Justo quando minha avó morreu vendemos uma empresa de tecnologia e eu estava muito envolvido com o tema”, conta Morris. “Vi que, com a crise e a idade, os mais velhos não conseguiam emprego e nada estava sendo feito. Então, decidi desenvolver uma empresa que também tivesse impacto social”, acrescenta.

Segundo Morris, o foco da Maturijobs é facilitar a busca de oportunidades no mercado às pessoas com mais idade e também oferecer alternativas. “A forma de trabalho hoje é diferente, por isso, oferecemos cursos, tecnologia e incentivamos o empreendedorismo. Nosso foco é dar apoio para que depois a pessoa possa se virar sozinha”, observa o empresário. Ele afirma que isso ocorre em decorrência da falta de vagas para os mais velhos que procuram emprego e logo notam a grande concorrência, além do preconceito etário.

O cadastro na plataforma é feito de forma gratuita, assim como os conteúdos do Maturijobs na internet. “O candidato faz a busca de acordo com o tipo de emprego, incluindo seu currículo, hobbys, entre outros”, explica Morris. Atualmente, mais de 80 mil pessoas e 750 empresas estão cadastradas no site, que tem mais de 65,7 mil acessos mensais. A Maturijobs foi reconhecida pelo Sebrae e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) como negócio de impacto social e recebeu o Prêmio Incluir 2017.